revolucao americana

Download Revolucao Americana

Post on 23-Nov-2015

12 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • . . . . . . .. . .

    Lus Nuno Rodrigues 1 A Revoluo Americana (1763-1787) Comunicao apresentada ao XII Curso de Vero do Instituto de Histria Contempornea da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, As Revolues Contemporneas, Lisboa, Setembro de 2002.

    Introduo

    A Revoluo norte-americana do final do sculo XVIII tem sido um dos

    eventos histricos que mais interpretaes e leituras tem suscitado. Os

    acontecimentos que acabaram por conduzir declarao de independncia

    dos Estados Unidos da Amrica, em 1776, e elaborao da sua Constituio,

    em 1787, tm sido alvo de entendimentos diversos, desde as interpretaes

    de cariz econmico e social at s que procuram traar as suas origens

    ideolgicas e salientar o carcter "revolucionrio" da "constelao" de ideias

    que determinou o rumo dos acontecimentos nas colnias britnicas da costa

    leste do continente norte-americano.

    Neste texto adopta-se uma perspectiva essencialmente narrativa do

    fenmeno, com o objectivo de reconstituir o filme cronolgico dos

    acontecimentos e de salientar os momentos fundamentais ao longo do

    processo. Simultaneamente, procura-se proceder ao necessrio

    enquadramento internacional dos acontecimentos relatados entrando, por

    esta via, no campo da histria diplomtica e das relaes internacionais.

    Num primeiro momento, a que se chamou "Resistncia e Revolta", dar-se-

    conta de uma questo essencial que importa entender para poder apreender a

    1 Departamento de Histria e CEHCP do ISCTE

  • 2

    Revoluo Americana em todo o seu significado: que a Revoluo Americana

    foi, na sua origem, um movimento de resistncia e de revolta contra o domnio

    britnico, mais concretamente contra a forma como esse mesmo domnio foi

    exercido nas colnias norte-americanas no perodo que se seguiu Guerra dos

    Sete Anos, terminada em 1763. Num segundo momento, estar em foco a

    guerra da independncia das colnias norte-americanas, iniciada em 1775, no

    tanto para salientar os seus aspectos militares, mas os seus aspectos

    diplomticos e sobretudo o modo como os resultados finais deste conflito

    proporcionaram nova nao tornada independente a posse de uma extenso

    territorial muito alm da que tinha sido conquistada no terreno. Por fim, ser

    abordada outra das facetas mais "revolucionrias" de todo este processo que

    ficou conhecido como a Revoluo Americana: a construo da nova nao e

    em particular do seu edifcio constitucional.

    Ou seja, na impossibilidade de proceder aqui a uma "histria total" da

    Revoluo Americana, adopta-se a perspectiva de que esta foi, primeiro que

    tudo, um processo de emancipao poltica ou de auto-determinao em

    relao ao domnio colonial britnico; foi, depois, um evento militar, uma

    guerra, cuja dimenso, quer militar, quer diplomtica, urge no desprezar,

    uma vez que, como se ver, veio a assumir uma feio decisiva em momentos

    determinantes deste processo; foi, por fim, uma verdadeira revoluo poltica

    que implantou um novo tipo de governo e de modelo poltico, consubstanciado

    na Constituio de 1787.

    1. Resistncia e Revolta

    Na sua origem, a Revoluo Americana foi, como se referiu atrs, um

    movimento de resistncia e de revolta contra o domnio britnico, mais

    concretamente contra a forma como esse mesmo domnio foi exercido nas

    colnias norte-americanas no perodo que se seguiu Guerra dos Sete Anos e

    ao triunfo da Inglaterra sobre a Frana, cuja presena no continente

    americano se tornou ento praticamente inexistente. A Frana foi obrigada,

    pelo Tratado de Paris de 1763, a ceder vastas pores dos territrios que

    controlava nesse continente Inglaterra nomeadamente o Canad e toda a

  • 3

    regio do vale do Rio Ohio que se torna assim a potncia dominante na

    Amrica do Norte, adquirindo inclusivamente a Florida, que anteriormente

    pertencia Espanha2. Espanha que, em compensao, acabou tambm por

    receber vastos territrios outrora na posse dos franceses a chamada

    Louisiana. Por conseguinte, a Inglaterra tornara-se a potncia europeia com

    domnio incontestvel no continente norte-americano e constituira-se no

    "maior e mais rico imprio desde a queda de Roma", estendendo-se desde a

    ndia at ao Rio Mississippi3.

    Em grande parte como consequncia do resultado da Guerra dos Sete

    Anos, ocorreu na faixa oriental do continente norte-americano, onde os

    colonos britnicos se iam instalando, um triplo fenmeno que necessrio

    salientar: crescimento demogrfico, expanso territorial e desenvolvimento

    econmico. Eram realidades que se podiam j verificar no perodo anterior

    Guerra dos Sete Anos mas que, a partir de 1763, ganham nova acuidade.

    Em termos demogrficos, note-se que os colonos norte-americanos se

    multiplicavam nesta altura muito mais rapidamente do que qualquer outro povo

    no hemisfrio ocidental. Entre 1750 e 1770 os habitantes das colnias

    britnicas duplicaram, de um para dois milhes, tornando-se uma componente

    do imprio britnico cada vez mais importante. Para as colnias britnicas na

    Amrica emigravam cada vez mais sbditos de Sua Magestade. A emigrao

    de protestantes irlandeses e escoceses, que tinha comeado no incio do

    sculo, aumentou muito significativamente aps a guerra dos sete anos. S

    entre 1764 e 1776 calcula-se que 125 mil pessoas tero partido das ilhas

    britnicas para as colnias americanas. Assim, no incio do sculo XVIII, a

    populao americana representava apenas um vigsimo da populao britnica

    e irlandesa tomadas em conjunto, enquanto que, em 1770, representava j um

    quinto. Colonos britnicos como Benjamin Franklin previam j que, mais tarde

    ou mais cedo, a Amrica acabaria por tornar-se no prprio centro do imprio

    britnico4.

    2 "The definitive Treaty of Peace and Friendship between his Britannick Majesty, the Most Christian King, and the King of Spain. Concluded at Paris the 10th day of February, 1763. To which the King of Portugal acceded on the same day", em http://www.yale.edu/lawweb/avalon/paris763.htm. 3 Gordon Wood, The American Revolution. A History, Modern Library Edition, New York, 2002, p. 4. 4 Gordon Wood, The American Revolution. A History, p. 6.

  • 4

    Por outro lado, a vitria sobre os franceses na Guerra dos Sete Anos

    permitia agora uma movimentao muito mais acentuada desta populao

    crescente, alargando as possibilidades de expanso territorial em direco a

    Oeste. Durante mais de um sculo, os colonos britnicos tinham estado

    confinados a uma estreita faixa de terreno ao longo da costa atlntica do

    continente americano. Agora, pela primeira vez, os territrios a Oeste das

    Montanhas Alleghenies at ao Rio Mississipi, pertena da coroa britnica,

    abriam-se explorao e ocupao por parte de colonos, j sem a presena

    francesa e tambm com uma atitude mais cautelosa por parte das tribos

    ndias. A ttulo de exemplo: no Estado da Pennsylvania foram criadas 29

    novas localidades entre 1756 e 1765, mais nestes anos do que em toda a

    histria da colnia. Um pouco por toda a parte, novas fronteiras pareciam

    abrir-se aos colonos norte-americanos. Caadores e exploradores ganharam

    fama nesta poca, como Daniel Boone que comeou a abrir caminhos e trilhos

    atravs dos montes apalaches em direco ao Oeste, rapidamente seguidos

    por colonos que se foram instalando em zonas anteriormente no ocupadas5.

    Tudo isto encontrou correspondncia numa notvel expanso da economia

    anglo-americana registada na segunda metade do sculo XVIII. Em meados

    deste sculo, na Gr-Bretanha, as origens daquilo que se tornaria em breve a

    revoluo industrial britnica eram j visveis. As exportaes, importaes e

    a produo industrial estavam em rpido crescimento e os americanos

    estavam profundamente envolvidos neste processo, prosperando tambm, na

    dcada de 1760, como nunca antes se tinha registado. Desde 1745, alis, que

    o comrcio colonial com a Amrica tinha conhecido grande crescimento,

    tornando-se uma parte importante das economias inglesa e escocesa. Quase

    metade dos navios mercantes ingleses estavam envolvidos no comrcio

    americano que absorvia j 25% de todas as exportaes inglesas. De acordo

    com dados citados pelo historiador Gordon Wood, entre 1747 a 1765, o valor

    das exportaes coloniais para a Gr-Bretanha tambm duplicou de cerca de

    700 mil libras para 1 milho e meio, enquanto que as importaes aumentaram

    de 900 mil para mais de dois milhes de libras6. Os americanos exportavam

    para a Gr-Bretanha quantidades crescentes de cereais, cuja procura no

    5 Gordon Wood, The American Revolution. A History, pp. 7-8. 6 Gordon Wood, The American Revolution. A History, p. 13.

  • 5

    velho continente significava um aumento de preos para os exportadores

    americanos. Constatando o crescimento da procura e dos preos das

    exportaes americanas, mais e mais proprietrios americanos comearam a

    apostar nos produtos agrcolas para os mercados europeus. Na dcada de

    1760, cidades comerciais relativamente distantes da costa, tais como

    Staunton, na Vrginia e Salisbury, na Carolina do Norte, enviavam j grandes

    quantidades de tabaco e de cereais em direco a Leste para portos como os

    de Baltimore, Norfolk e de Alexandria cuja dimenso se multiplicava quase

    diariamente. Este aumento do