relatório técnico música outubro 2009 educação · palestra com egberto gismonti – no...

of 28/28
Relatório Técnico 2 - Outubro 2009 Música & Educação

Post on 28-Jul-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Relatrio Tcnico 2- Outubro 2009 Msica&Educao

  • 2

    Vista geral da exposio

  • ndiceIntroduo 04A Proposta Pedaggica 06Exposio 08Eventos a) Oficinas 10 b) Encontros 14 c) Espetculos 17Mdia a) Jornal 18 b) Televiso 18 c) Internet 19Indicadores 20Capacitao de novos atores e orientadores de pblico 22Ajustes Tcnicos 24Concluso 26Ficha tcnica 28

    3

  • IntroduoTodos ns temos lembranas musicais,

    geralmente de lugares, dos redutos familiares e festas ou ainda das fases que constituem nosso repertrio e gosto pessoal.

    Quem no foi embalado por uma cano de ninar, s vezes nem cano, mas uma msica que significava afeto que se traduzia em bem estar e relaxamento?

    Muitas linguagens musicais vivemos ainda no perodo escolar, no encontro com amigos, no convvio com professores, nas vrias atividades estudantis, cujos recursos audiovisuais permitem utilizar o repertrio musical.

    Lembranas marcantes na vida de cada um, representada por uma msica inesquecvel. A msica completando significados de cenas de filmes, novelas e at comerciais.

    4

    A msica como redeno para a vida. Comunidades carentes encontrando nela a grande sada para o seu futuro.

    E esse novelo infinito que iremos desfiando lenta e gradativamente, revelando aos estudantes e professores da Rede Pblica do Municpio de Santo Andr, como a introduo obrigatria do ensino da msica nas escolas pode ser uma verdadeira ferramenta para a formao educacional da populao.

    estudantes na exposio

  • 5

    professora e estudantes na exposio

  • A aprendizagem de msica sempre um desafio e tem como pr-requisito o ensino formal de conservatrios por anos e anos a fio. At a dcada de 70, entretanto, a disciplina de msica, como parte dos currculos escolares, tinha como proposta contribuir na formao de estudantes de escolas pblicas.

    A idia era que os educadores pudessem conduzir as aulas por meio de teoria facilmente absorvida e atividades que estimulassem as crianas a criarem seus prprios ritmos. A base era o hino nacional brasileiro e as msicas que representavam a nossa cultura. Noes bsicas de solfejo e leitura de partitura completavam os ensinamentos para a prtica do canto orfenico.

    Naquela poca, os materiais alternativos se transformavam em chocalhos, trombetas, bumbos, o que levavam vrias dessas crianas e jovens a se integrarem nas famosas fanfarras ou

    6

    corais que se apresentavam principalmente nas comemoraes cvicas.

    A Secretaria de Educao e Formao Profissional do Municpio de Santo Andr, a propsito da Lei no. 11.769 que prev o retorno da disciplina de msica aos currculos escolares at 2011, lanou o desafio s Unidades Escolares para criarem uma banda ou coral infantil, estimulando os estudantes a participarem, desde o ms de outubro de aes que tem lugar na Sabina Escola Parque do Conhecimento.

    O projeto Msica & Educao tem como proposta pedaggica estimular os visitantes, estudantes e educadores para as diversas vertentes da msica, sua histria, seus ritmos, suas origens e melodias, tambm para a diversidade das linguagens musicais. Alm disso, a msica desperta-nos a sensibilidade, to necessria em um mundo onde reina a presena massiva da tecnologia e da premncia de tempo.

    A proposta pedaggica

  • O aprendizado da msica pode tornar-se uma ferramenta indispensvel na transposio do verdadeiro espao de construo do conhecimento: a escola.

    A idia de retomar a educao musical tem movimentado as diversas aes realizadas na Sabina, por meio do projeto Msica & Educao, como oficinas para educadores, encontros regulares, espetculos musicais e teatrais e visitas monitoradas, a propsito das aes promovidas no ms de outubro. Nas diversas avaliaes dos profissionais de educao, nota-se que grande parte daquilo que absorvido durante os eventos tem sido levado aos estudantes atravs de contedos programticos facilmente aprendidos pela clientela escolar.

    O ambiente expositivo mais do que um simples espao ldico, interage com o pblico, o que o torna um laboratrio para o educador que busca alternativas educao formal.

    7

    estudantes em atividade da exposio

  • ExposioA exposio Sons do Mundo, como parte do

    projeto Msica & Educao, desperta em todos os visitantes uma curiosidade instantnea. As diversas sonoridades dos instrumentos, o mapa ilustrativo apontando com suas luzes a origem de cada um dos instrumentos musicais ali dispostos, levam ao visitante o conhecimento e a informao de forma ldica e aparentemente descomprometida. Os baldinhos coloridos e as interferncias estticas da cenografia encantam. Um grande painel com a histria da msica e uma performance cnica de um maestro e um jovem aprendiz esperam os visitantes ao final de um tapete lembrando uma enorme pauta musical.

    Ainda no ambiente expositivo possvel interagir com instrumentos inusitados, construdos pelo luthier Fernando Sardo a partir de sucatas e materiais aparentemente distantes daqueles comumente utilizados pelos instrumentos tradicionais. So canos, bexigas,

    8

    colheres, latas que juntos produzem sons, ritmos e, acima de tudo, despertam para o mundo da msica.

    No ms de outubro, tanto as visitas espontneas aos finais de semana quanto as focadas de estudantes da Rede Pblica, tiveram um aumento considervel, em relao aos primeiros meses de atividade. Alm disso, os diversos eventos paralelos e a exposio comprovaram o prestgio que o projeto tem alcanado na comunidade andreense, estendendo-se a outras regies.

    Por deciso da Secretaria de Educao, esse prestgio levou extenso do atendimento ao pblico do projeto Msica e Educao de domingo a domingo, eliminando-se at o recesso das segundas-feiras que era dedicado manuteno do espao.

  • 9

    atividade Sons do Mundo estudantes em atividade da exposio

    entrada da exposio

  • EventosAtividades paralelas no ms de outubro de

    2009:

    a) OficinasDia 04, domingo - s 11h00, 14h00 e 16h00Oficina Cooperaacsna entrada da

    exposio O saber engrandece e evolui na medida em

    que agregamos conhecimento. Esse o verdadeiro sentido das oficinas realizadas pela Cooperaacs Cooperativa Social de Trabalho e Produo de Arte Alternativa e Coleta Seletiva. Acumulando o conhecimento adquirido no projeto anterior denominado De Olho Na Terra e acrescentando s novas informaes em Msica, os participantes dessas oficinas tiveram a oportunidade de aprender a transformar materiais alternativos e reciclados em instrumentos musicais.

    10

    A participao ativa e empolgada de famlias inteiras atestam o acerto das atividades que unem educao com entretenimento. Foi uma verdadeira opo de lazer artstico e educativo para todos que ali estiveram.

    Oficina Cooperaacs

  • Dia 12 de outubro - s 11h00, 14h00 e 16h00Oficina Cooperaacs na entrada da

    exposio

    O sucesso das oficinas ministradas pela Cooperaacs nos incentivaram a program-los tambm no feriado nacional do dia 12 de outubro, em que tambm se comemora o Dia da Criana. Uma programao especial foi preparada pela Cooperaacs.

    Em trs horrios, s 11h00, 14h00 e 16h00, e a presena de um pblico que lotou o espao disponvel, os arte educadores proporcionaram aos participantes uma verdadeira opo de lazer artstico e educativo para as famlias que no viajaram no feriado.

    A proposta foi ensinar a construir instrumentos musicais simples a partir de material reciclado, como garrafas de refrigerantes feitas de PET.

    11

    As oficinas comearam sempre com uma pequena explicao sobre a importncia e a necessidade da reciclagem de materiais como meio para preservar o meio ambiente. E, no final, todos saram felizes tocando seus instrumentos. Os pequenos ainda ouviram histrias interessantes.

    Oficina Cooperaacs

  • 12

    Dia 21, quarta-feira - 14h00Oficina de Construo de Instrumentos para

    Educadores com Fernando Sardo

    A partir de matrias primas alternativas, a oficina demonstrou que possvel construir instrumentos musicais at em grande escala. Desta forma, Fernando Sardo ofereceu a um grupo significativo de educadores um contedo que poder ser levado para a sala de aula. Multiplicar a confeco de instrumentos ou mesmo criar ferramentas para a organizao de atividades rtmicas, a partir das notas musicais, so alguns dos conhecimentos transmitidos por Sardo. O trabalho coletivo resultou em uma pequena experimentao no manuseio dos instrumentos e reconhecimento das notas musicais e de melodias que podem ser compostas pelo grupo de aprendizes. A oficina ainda um estmulo criatividade e sensibilizao artstica e ecolgica.

    Oficina com Fernando Sardo

    Oficina com Fernando Sardo

  • 13

    Dia 31 de outubro - s 11h00, 14h00 e 16h00Oficina Cooperaacs na entrada da

    exposio

    Novamente a equipe da Cooperaacs retornou ao espao Msica & Educao para uma nova oficina. Desta vez, encerraram o ms com novidades e customizaram o ambiente com instrumentos e objetos construdos com a ajuda dos visitantes que prestigiaram as oficinas tanto quanto as anteriores.

    Em trs horrios, s 11h00, 14h00 e 16h00, e a presena de um pblico expressivo no espao, a trupe da Cooperaacs j familiar aos participantes, demonstrando que no mais de uma vez famlias j saram das oficinas com instrumentos feitos a partir de materiais reciclados, como garrafas de refrigerantes feitas de PET.

    As oficinas iniciaram com uma didtica e amistosa explicao sobre a importncia e a necessidade da reciclagem de materiais como forma de preservar o meio ambiente. No final, alm dos instrumentos, os instrutores se municiaram dos objetos construdos para contar pequenas histrias temticas sobre msica. O pblico, principalmente as crianas, ouviu atento, embalado pelo prazer de cuidar do planeta e, ao mesmo tempo, levar para casa um instrumento construdo por ele.

    Oficina Cooperaacs

  • b) EncontrosDia 03, sbado 15h00 Palestra com Egberto Gismonti no

    Auditrio

    Gismonti compositor de uma das mais coerentes obras da msica brasileira. Como msico e instrumentista, reconhecido em todos os quadrantes do planeta. Estudioso e pesquisador, Egberto Gismonti veio a Sabina falar do tema que envolve seu pensamento, corao e alma: a Msica.

    Para um pblico atento, na maioria jovens estudantes de msica de escolas pblicas, ele atingiu coraes e mentes com o seu talento e forte carisma pessoal. Uma lio de experincia que encantou e ensinou a todos que mais do que talento, precisamos ser felizes.

    14

    Essa felicidade do msico foi embalada por dedos geis no piano digital. Ele ensinou at como no se entediar com os exerccios repetitivos que so obrigatrios aos msicos.

    Mostrou que um artista verdadeiro transcende a prpria arte, revelando as razes que o levam a tocar um violo com 14 cordas e no as seis convencionais.

    Ao final, um outro espetculo, um vdeo do trabalho primoroso composto por Gismonti e executado pela Orquestra Filarmnica de Tquio, no Japo, resultado de sua ltima turn naquele pas onde realizou dois grandes concertos numa Sala com a capacidade de mais de 2.700 pessoas. O pblico presente na Sabina teve a oportunidade rara de ouvir de viva voz do compositor, uma rpida explicao de sua obra.

  • 15

    Palestra com Egberto Gismonti Palestra com Egberto Gismonti

    Palestra com Egberto Gismonti Palestra com Egberto Gismonti

  • Dia 24, sbado, 15h00Palestra com Angelo Mugia no Auditrio

    O produtor cultural ngelo Mugia tem larga experincia no meio artstico e cultural brasileiro. Nessa palestra, ele contou um pouco de sua trajetria como msico. Suas atividades com msica e educao no Museu de Arte de So Paulo, o MASP, ainda na dcada de 70.

    A atuao do Mozarteum Brasileiro, destacando o seu papel como entidade difusora da msica clssica no Brasil e, principalmente, as diversas atividades educativas e sociais da instituio, que buscam a formao musical de jovens msicos.

    Um pblico atento de estudantes de msica, alm de professores de msica, foram brindados pelas experincias relatadas por Mugia, demonstrando o xito da educao musical como ferramenta pedaggica na formao de crianas e jovens que integram projetos promovidos atravs do Instituto Bacarelli.

    16

    Angelo Mugia

    Palestra com Angelo Mugia

  • c) EspetculosDia 11 de setembro s 15 horasShow musical Sons do Mundo: Oceania no

    palco da exposio

    Os visitantes da Sabina tem tido a oportunidade de apreciar a diversidade musical dos cinco continentes nas apresentaes de Fernando Sardo, acompanhado por Bira Azevedo e Flvio Cruz. Desta vez, os msicos apresentaram instrumentos de diferentes culturas do planeta. O convidado especial Ricardo Mingardi mostrou a sonoridade do didgeeridoo, instrumento tradicional da Oceania. O pblico da Sabina prestigiou o espetculo.

    17

    Show musical Sons do Mundo

    Show musical Sons do Mundo

  • MdiaNo ms de outubro, o projeto Msica & Educao teve destaque nos seguintes meios:a) Jornal Jornal da Pr-TV Outubro/2009

    Jornal do Grande ABC Outubro/2009

    18

    b) Televiso TV Metodista

  • 19

    c) Internethttp://blogdiarinho.blogspot.com/

    http : / /w w w.c l ique ab c .com.br / index .php?option=com_content&view=article&id=8127:palestra-sobre-musica-erudita-acontece-neste-sabado-na-sabina&catid=66:musica&Itemid=82

    http://www.santoandre.sp.gov.br/educacao/

    h t t p : / / w w w . j u s b r a s i l . c o m . b r /politica/3865647/secretaria-de-cultura-esporte-e-lazer

    Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer Extrado de: Prefeitura Municipal de Santo

    Andr - 06 de Outubro de 2009 Dia 12 (segunda-feira)

  • IndicadoresSeguem os indicadores do ms de outubro,

    com a projeo de aumento das focadas no ambiente expositivo. Em comparao ao ms anterior, h um aumento considervel das visitas focadas, que passam a ser realizadas tambm s segundas-feiras, em virtude da intensa demanda de estudantes e Unidades Escolares do Municpio que tem solicitado visitas.

    20

    Com agenda j comprometida at novembro, o projeto Msica & Educao tem democratizado o acesso a vrios pblicos. Alm disso, o trabalho tem levado as unidades escolares que visitam a Sabina a realizarem atividades interdisciplinares por meio da promoo de contedos que envolvam a msica e as demais disciplinas do Ensino Fundamental do Municpio, como relatou alguns dos professores durante as diversas oficinas promovidas no espao.

    As visitas das Escolas em toda a Sabina (inclusive no espao do Msica & Educao) e as visitas focadas, apenas no ambiente expositivo, somaram mais de 10.000 estudantes atendidos. A mdia mensal varia de 6.000 a 10.000 visitantes nos finais de semana. Estima-se que entre atividades paralelas, estudantes e pblico espontneo, o projeto tenha atendido aproximadamente 18.000 pessoas s no ms de outubro de 2009.

    Espontneo6.000

    Focadas 2.628

    Escolas7.672

    FocadasEscolasEspontneo

  • 21

    Pblico do Show musical Sons do Mundo

  • As novidades para o ms de outubro foram diversificadas e preocupantes no incio. Motivada pelo prestigio alcanado e a crescente demanda de pblico para o projeto Msica & Educao, a administrao da Sabina e a Secretaria de Educao e Formao Profissional do Municpio de Santo Andr disponibilizaram tambm as segundas-feiras para visitas focadas, para atender as Unidades Escolares da Rede Pblica Municipal.

    Uma mudana radical nos procedimentos tambm foi solicitada e atendida. At ento, monitores da Sabina encarregavam-se dos procedimentos de recepo e acompanhamento das crianas para os locais de interesse e necessidades gerais. Esse trabalho passou a ser solicitado equipe do Msica & Educao.

    22

    Para o atendimento s novas solicitaes, houve tambm a necessidade de reorganizao de recursos humanos e financeiros, alm de uma evidente alterao no encaminhamento do projeto inicial.

    Com as novas orientaes e demandas, foram criados novos itinerrios e roteiros, j que os atores monitores passaram a acompanhar as crianas desde a chegada de nibus, ao invs de esper-los no prprio espao. Tambm lhes cabe levar as crianas ao toilette, assim como o encaminhamento para a hora da merenda.

    Esse trabalho resultou em contratao de mais atores e profissionais orientadores de pblico, como forma de garantir a qualidade cnica do espao, j que os atores encenam um roteiro de aproximadamente 20 pginas.

    Capacitao de novos atores e orientadores de pblico

  • No ms de outubro, foram realizadas novas selees e audies de atores, que tem como pr requisito conhecimento em msica, experincia com crianas e que sejam preferencialmente atores profissionais. Os selecionados esto passando por oficina de capacitao e ensaios com diretor de atores.

    A equipe do Memoriarte esteve na Sabina acompanhando pari passo o desempenho dos atores monitores diante das novas demandas, garantindo assim a qualidade do trabalho interativo, tanto das oficinas, quanto das demais atividades cnicas.

    23

    A deciso da Secretaria de Educao e Formao Profissional em adquirir e oferecer gratuitamente os materiais para as oficinas dirias das escolas da Rede Pblica, demandou da equipe novas atividades no sentido da preparao desse material. Recebidos em estado bruto, foi necessrio providenciar um servio de pr manuseio e customizao para agilizar a atividade das crianas, evitando-se assim o desperdcio de tempo e riscos de acidentes com as crianas cortando e preparando materiais como tubulaes, canos e condutes.

    A nossa contribuio objetiva sempre colaborar para que a dinmica da ao promovida no espao, tenha sempre um resultado altamente compensador e rico tanto para estudantes como para professores e visitantes espontneos.

    Ator-monitor com estudantes

  • Ajustes Tcnicos A atrao exercida pelas solues cenogrficas,

    contribui vivamente para que os dedos geis dos estudantes nos botes exijam no s ateno redobrada, mas uma manuteno sistemtica.

    No ms de outubro, mais de uma vez por semana, a equipe de cenotcnicos, eletricistas e demais profissionais estiveram na Sabina para manter a qualidade do trabalho apresentado todos os dias pelos atores monitores.

    Aparelhos so trocados constantemente por novos, como caso de Mp3, fones de ouvido, cabos com sada USB, entre outras fiaes.

    As vitrines comprometidas tambm foram trocadas ou reparadas.

    O painel central foi pintado seguindo o layout criado pelo cengrafo Augusto Francisco, para reforar os processos cognitivos de crianas atentas ao painel ilustrativo do mapa musical.

    24

    O caminho que leva o pblico atravs de uma pauta branca tambm foi limpo com produto desenvolvido por empresa especializada sem abrasivos, para evitar qualquer deslizamento no local.

    O palco teve colagem das emendas.

    Houve retoque de pintura do painel musical e correo das pequenas rachaduras.

    Alm de tudo que foi relatado, a cenotcnica ainda prepara correes no painel da linha do tempo que ser depositado em base para melhor leitura. E uma novidade est sendo preparada para a entrada da exposio.

    Eletricsta fazendo manuteno

  • 25

    Painel com adesivo refeito

    Linha do Tempo com adesivo refeito

    Preparao para a pintura do Painel Central

  • 26

    com os objetivos finais sejam coerentes e tenham coeso nas aes.

    S dentro dessa realidade que foram possveis mudanas de rumo em tempo recorde sem diminuir a qualidade no atendimento.

    No podemos esconder a nossa satisfao em ter podido atender, sem grandes percalos, s novas demandas. Ficando aqui reforado que as mudanas de rota e as alteraes de rumo criaram demandas financeiras que tero que ser amortizadas ao longo da temporada.

    Para o ms de novembro no foi possvel adaptar os recursos uma vez que os contratos j estavam assinados e totalmente comprometidos.

    A partir de dezembro, a programao sofrer cortes nas atividades de eventos paralelos para que as solicitaes possam ser atendidas na ntegra.

    ConclusoDurante o ms de outubro, tivemos o privilgio

    de oferecer e proporcionar aos frequentadores da Sabina, vrias oportunidades raras de convvio e fruio de conhecimentos e da sapincia de profissionais e artistas que aqui vieram atendendo ao nosso chamamento.

    Pessoas com agenda lotada nacional e internacionalmente, comovidos e encantados com os objetivos do nosso projeto, mobilizaram-se e compareceram Sabina para dar a sua contribuio.

    Estes resultados so reflexos do respaldo que temos recebido tanto da equipe de coordenao da Sabina como da Secretaria de Educao do Municpio.

    Um trabalho srio, responsvel, competente e com qualidade s pode ser desenvolvido em ambiente em que a compreenso e colaborao

  • 27

    Esperamos compensar e voltar a incrementar os eventos paralelos, dentro de uma possvel extenso na temporada. O perodo atual est previsto para encerrar-se em 01 de fevereiro do prximo ano, tempo que se mostra insuficiente para atendermos a Rede Pblica como um todo.

    O sucesso do projeto tem encontrado eco em iniciativas de outros profissionais ligados Sabina. Consideramos louvvel e ficamos orgulhosos de assistir multiplicao de aes em msica no espao.

    Para que essas aes sejam otimizadas, sugerimos que essas iniciativas sejam coordenadas para que no haja superposio de aes semelhantes, nem acidentes de percurso ou desperdcio de recursos. De um ponto de vista estritamente prtico, podemos assumir essa organizao, sempre observando o cuidado de submeter as decises coordenadora geral da Sabina.

    estudante em atividade da exposio

    ator-monitor e estudantes em atividade da exposio

  • Ficha tcnica:Realizao:

    Prefeitura de Santo Andr

    Secretaria de Educao e Formao Profissional

    Sabina Escola Parque do Conhecimento

    Pr-TV - Associao dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televiso Brasileira

    Criao e Concepo do ProjetoMemoriarte: Dan La Laina Sene Rita Okamura (Coordenao geral) Roseli Biage

    ProduoCludia RangelJuliana LoboTiago O. de Queiroz Telles

    Consultoria MusicalMaestro Edson Leite

    Concepo da exposio Sons do Mundo e Construo dos Instrumentos MusicaisFernando SardoMiriam Yayoi Matsuda Sardo

    CenografiaConcepo - Augusto Francisco PauloCenotcnica - Esfera Produes Artsticas e Cinematogrficas Ltda. - MEDireo de Produo - Fbio Vizotto e Cristina Provenzano

    AgradecimentosMuseuVilla-LobosAssociao Brasileira de Embalagem de Ao (ABEAO)