registros da tectÔnica brasiliana na regiÃo de .metamorfismo das rochas de idade...

Download REGISTROS DA TECTÔNICA BRASILIANA NA REGIÃO DE .METAMORFISMO DAS ROCHAS DE IDADE PÓS-TRANSAMAZÔNICA

Post on 16-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

GEONOMOS 8 (2): 55-59

REGISTROS DA TECTNICA BRASILIANA NA REGIO DEGUANHES (SE, BRASIL): DEFORMAO E METAMORFISMO DAS

ROCHAS DE IDADE PS-TRANSAMAZNICA

Tania M. Dussin*, Patrcia Duarte, Ivo A. Dussin

ABSTRACT

Paleoproterozoic granitoids (~1,7Ga) intrude gneisses and migmatites of the tonalitic-trondjemitic-granodioritic basement of the Neoproterozoic Araua fold-thrust belt in the Guanhes region (MinasGerais).Previous studies attributed deformation and metamorphism of the country rocks to thePaleoproterozoic Transamazonian Event. The role of the younger Brasiliano Event is not well understoodand different interpretations have been postulated. Post-Transamazonian rocks, recently identified in theregion, are deformed and metamorphosed. The deformation is complex, with a ductil character increasingto east. The associated metamorphism reach the amphibolite facies, with migmatitic remobilization, andgranitogenesis at about 540 Ma. The available data suggest that after the Transamazonian event the Guanhesregion underwent granitogenesis, deformation, metamorphose in the course of the Neoproterozoic BrasilianoEvent.

Departamento de Geologia-UFMG, Belo Horizonte,MG.*e-mail: dussin@dedalus.lcc.ufmg.br

INTRODUO

A regio de Guanhes localiza-se a leste daCordilheira do Espinhao, na poro central de MinasGerais, e est inserida na faixa neoproterozica Araua,a qual delimita, a sudeste, o Craton So Francisco. Osefeitos da orognese brasiliana, no domnio da FaixaAraua, se traduzem por uma deformao regional quecresce progressivamente em direo a leste, atingindocondies rptil-dcteis na poro oriental daCordilheira do Espinhao e rpteis a no deformadasem direo ao interior do crton, a oeste. Ometamorfismo associado processou-se nas condiesda fcies xisto-verde.

A geologia da regio de Guanhes dominada porrochas gnaissificadas e migmatizadas da associaotonalito-trondjemito-granodiorito que constituem oembasamento regional. A deformao polifsica destesterrenos gnissicos complexa e inexistem estudossistemticos na regio que permitam agrupar e associarestruturas e paragneses metamrficas a eventostectnicos especficos. Com base nos poucos dadosdisponveis, a evoluo tectnica regional tem sidointerpretada como principalmente relacionada orognese transamaznica.

Entretanto, novos trabalhos realizados na regio tmdisponibilizados dados, sobretudo geocronolgicos, quepermitiram a identificao de grupos de rochas deidades ps-transamaznicas que representam umnotvel laboratrio natural para o estudo das

caractersticas da tectnica brasiliana, uma vez queforam afetados unicamente por este evento. Estetrabalho apresenta dados sbre a deformao emetamorfismo destas rochas, com o objetivo deevidenciar a atuao e aspectos da evoluo tectnicabrasiliana na regio.

CONTEXTO GEOLGICO

O embasamento da Faixa Araua e do SupergrupoEspinhao representado por terrenos gnissico-granticos que foram sujeitos a extenso retrabalhamentoe metamorfismo durante os eventos proterozicos. Estasrochas foram englobadas, sob a designao geral deComplexo Gnissico-grantico por Almeida &Litiwinski (1984). A denominao engloba o conjuntodominado por gnaisses para- e orto-derivados,diversamente migmatisados e milonitisados,retrabalhados nos eventos Transamaznico e Brasilianoe remanescentes de terrenos tipo granito-grenstone. Ocomplexo aflora a sul, sudeste e leste da Serra doEspinhao Meridional e no interior desta nos ncleoserodidos de grandes anticlinrios (Fig.1). Estasdiferentes reas de ocorrncia receberam asdenominaes locais de Complexo Guanhes, Gouveiae Porteirinha, respectivamente, no Mapa Geolgico deMinas Gerais (Pedrosa Soares et al. 1994).

O acervo de dados geolgicos e geocronolgicospara estas extensas reas muito mais restrito queaqueles disponveis para o complexo gnissico do

56 REGISTROS DA TECTNICA BRASILIANA NA REGIO DE GUANHES (SE, BRASIL): DEFORMAO EMETAMORFISMO DAS ROCHAS DE IDADE PS-TRANSAMAZNICA

Figura 1. Mapa esquemtico das regies do Espinhao Meridional e Quadriltero Ferrfero, borda sudeste doCraton So Francisco. Modificado de Schobbenhaus et al. (1984).

Figure 1. Schematic map of southern Espinhao and Quadriltero Ferrfero, southeastern border of SoFrancisco craton. After Schobbenhaus et al. (1984).

Quadriltero Ferrfero e das regies mais ao sul, egrandes incertezas persistem no que tange cartografia,relaes das unidades litolgicas originais, idade ecaractersticas dos eventos tectono-magmticos que asafetaram e na separao dos fragmentos crustaisarqueanos daqueles terrenos de diversas idadesresultantes de acreso proterozica.

Em sua zona de ocorrncia mais oriental, o

Complexo Guanhes tem como litologia maiscaracterstica gnaisses migmatisados em graus diversos,que variam de istropos a finamente bandados.Sequncias vulcano-sedimentares, metamorfisadas nafcies anfibolito, ocorrem como faixas estreitas edescontnuas intercaladas no complexo gnissico. Soconstitudas por xistos mficos e ultramficos,formaes ferrferas, rochas clcio-silicticas,metapelitos e quartzitos (Grossi Sad et al. 1989).

57DUSSIN, T.M; DUARTE, P., DUSSIN, I.A.

No Complexo Guanhes, as caractersticas dadeformao so heterogneas. Em sua poro maisocidental, o Complexo est tectonicamente sobrepostoaos metassedimentos do Supergrupo Espinhao queconstui a unidade dominante na cordilheira homnima.A deformao penetrativa de carter rptil-dctil,associada a um transporte de massas para oeste.Registros de etapas de deformao mais antigas estopreservados s localmente e muitas vezes socompletamente obliterados. Em direo a leste, adeformao torna-se dctil e a separao entre adeformao e metamorfismo atribuveis tectnicabrasiliana e a eventos mais antigos no clara.

O conhecimento geocronolgico sobre o Complexoest restrito a um pequeno nmero de determinaesRb/Sr e K/Ar em gnaisses e metassedimentosintercalados. O conjunto de dados disponveis indicaque o Complexo Guanhes uma poro de crostaessencialmente transamaznica. Uma iscrona Rb/Srde referncia baseada em determinaes sbre aslitologias gnissicas indica idade de 180170 Ma(Ri=0,7090,003; dados de Brito Neves et al. 1979).Esta idade corroborada por determinaes Sm/Nd nosgranitos Borrachudos intrusivos no complexo gnissico,para os quais os estudos geoqumicos indicam derivaoa partir da crosta transamaznica, com limitadaparticipao de fontes mais antigas (Dussin, T.M. 1994;Dussin et al. 1997). Idades Rb/Sr mais antigas, em trnode 2,66 Ga (Mller et al. 1986; Teixeira et al. 1990),foram localmente obtidas para o complexo. Asiscronas referentes so, entretanto, de m qualidade eos dados obtidos so passveis de re-interpretao. Amaior parte dos resultados disponveis, entretanto,indicam idades variveis entre 1400 e 480 Ma, e sointerpretadas como idades brasilianas ourejuvenescimento de idades mais antigas com perdasisotpicas parciais no Brasiliano (Teixeira et al. 1990).

Com base em dados geolgicos ento disponveis,Teixeira et al. (1990) e Dussin, I.A (1994) interpretarama atuao da tectnica brasiliana na poro oriental doComplexo Guanhes como relativamente restrita,entendendo a regio como um bloco crustal decomportamento relativamente rgido durante aorognese brasiliana.

DEFORMAO E METAMORFISMO DASROCHAS DE IDADES PS-TRANSAMAZNICAS

Face complexidade do arcabouo estrutural doComplexo Guanhes, a identificao de grupos derochas de idades ps-transamaznicas nele intrusivasou a ele sobrepostas, constituem elementos-chaves caracterizao da tectnica brasiliana na regio, umavez que aquelas foram afetadas exclusivamente por esteevento. Trs grupos litolgicos de idades ps-transamaznicas mostram deformao e metamorfismoexclusivamente brasilianos: (a) granitos da SuteBorrachudos, (b) Sequncia Vulcano-Sedimentar do

Alto Guanhes, (c) granitos e migmatitosneoproterozicos.

Granitos da Sute Borrachudos

A Sute Borrachudos compreende um conjunto derochas vulcnicas e corpos granticos do tipo A (Dussin,T.M. 1994) que intrudiram o Complexo Guanhes emtorno de 1,7 Ga (Dossin et al., 1993). Os granitosmostram grande homogeneidade litolgica. So rochasde gro mdio a grosso, foliadas, com microclnio comoprincipal mineral constituinte, quartzo, albita, hastingsitae biotita, alm de magnetita, alanita e fluorita comoacessrios. So granitos subsolvus, metaluminosos aperaluminosos com altas concentraes de SiO2, K, K/Na, Fe, F, Nb, Y, Zr, Ga e elementos terras raras.

s feies magmticas dos granitos Borrachudosesto superimpostas estruturas de deformao erecristalizao metamrfica brasilianas. Ometamorfismo gerou hastingsita e/ou anita, fortementeorientadas gerando uma marcante foliao gnissica,com formao local de mobilizados migmatticos. Oretrabalhamento brasiliano produziu deformaoheterognea nos plutons, com um carater dctil crescenteem direo a leste.

Um estudo mais detalhado das estruturas dedeformao dos plutons Borrachudos foi realizado naregio entre Itabira e Ipatinga, a sul da Cidade deGuanhes (Duarte & Nunes 1997). Os granitos amostram uma variao na direo da foliao, que deN-N10E com mergulho para E-SE na localidade deItabira, at uma persistente foliao paralela aobandamento gnissico com direo geral N10E a N10We mergulhos para W. Localmente, uma foliaomilontica de direo geral N60-90E, e mergulhos paraN-NW, com desenvolvimento de superfcies S/C podeser observada. Lineaes de estiramento mineralocorrem associadas a estas foliaes, e so reconhecidasprincipalmente pelo estiramento do quartzo, da biotita,e secundariamente do feldspato.

Em suas reas de ocorrncia mais orientais,especialmente prximo a Ipatinga, os plutons mostramdeformao de carter mais dctil. Ao microscpio osminerais granulares apresentam lamelas de geminaodeformadas, cristais rotacionados com sombras depresso, formando uma textura do tipo augen ganisse.Em alguns cristais de microclnio foram observadasfraturas antitticas direo da deformao