recortes 033 18-02-2013

Download Recortes 033 18-02-2013

Post on 18-Mar-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Sesimbra: APSS requalifica área poente do porto • Lisnave: Centésimo navio de empresa malaia deu entrada no estaleiro • Trabalhadores da Atlantic-Ferries iniciam luta reivindicativa que “pode endurecer” • Sabia que... • Porto de Figueira da Foz estreia 2013 com record • Porto de Leixões: Movimentação de contentores no TCL cresceu 5% • Primeiro terminal de águas profundas alemão está “às moscas” • Marrocos. Vêm aí os navios russos!

TRANSCRIPT

  • APSS, SA Praa da Repblica 2904-508 Setbal Portugal N Reg. Comercial e NPC: 502256869 Tel.: +351 265 542000 Fax: +351 265 230992 Stio Internet: www.portodesetubal.pt Email: geral@portodesetubal.pt

    Recortes n 033

    ndice 18 de fevereiro de 2013 Sesimbra: APSS requalifica rea poente do porto Lisnave: Centsimo navio de empresa malaia deu entrada no

    estaleiro Trabalhadores da Atlantic-Ferries iniciam luta reivindicativa que

    pode endurecer Sabia que... Porto de Figueira da Foz estreia 2013 com record Porto de Leixes: Movimentao de contentores no TCL

    cresceu 5% Primeiro terminal de guas profundas alemo est s moscas Marrocos. Vm a os navios russos!

  • Setubalense, 18 de fevereiro de 2013, pg. 5

  • Setubalense, 18 de fevereiro de 2013, pg. 5

  • Setubalense, 18 de fevereiro de 2013, pg. 8

  • APP, 17 de fevereiro de 2013

    Sabia que...

    O Museu Virtual do Porto de Setbal um lbum virtual, de consulta livre, que pretende recolher e divulgar memrias do porto atravs de fotografias, livros, folhetos e outros documentos que testemunhem o seu passado nos aspectos econmico e scio-cultural. Agora, poder igualmente acompanhar a iniciativa Sabia que..., pela qual, a partir de uma imagem, ter oportunidade de conhecer interessantes curiosidades sobre o Porto de Setbal.

    Se desejar, tambm poder colaborar, facultando o emprstimo de documentos, imagens e fotos para digitalizao, que sero integrados no museu, com indicao do nome do proprietrio.

  • Cargo News, 17 de fevereiro de 2013

    Porto de Leixes: Movimentao de contentores no TCL cresceu 5% em janeiro

    O Terminal de Contentores de Leixes registou um crescimento de 5% no nmero de TEU movimentados no primeiro ms do ano, face aos nmeros alcanados em perodo homlogo de 2012. Desta forma, o TCL alcanou o melhor janeiro de sempre, com um total de 29.945 contentores, o equivalente a 46.730 TEU. O TCL destaca ainda que este novo mximo "foi agora alcanado em condies 'normais' de mercado, isto , com todos os terminais e portos nacionais a laborarem sem limitaes". Sublinha ainda "o facto de este ser o terceiro ano consecutivo de crescimento dos resultados do TCL no ms de janeiro".

  • Transportes & Negcios, 18 de fevereiro de 2013

    Primeiro terminal de guas profundas alemo est s moscas A Eurogate, que controla o JadeWeserPort, o novo terminal de contentores de

    Wilhelmshaven, est em guerra com a administrao porturia e quer reduzir o horrio

    de cerca de 400 trabalhadores. Tudo por causa da falta de clientes. Inaugurado em Setembro do ano passado, como o primeiro terminal de contentores

    alemo de guas profundas, capaz de receber todos os megacarriers, o JadeWeserPort

    conquistou at ao momento apenas dois servios semanais. Ambos da Maersk Line. O novo terminal detido a 70% pela Eurogate. Os restantes 30% so pertena da APM

    Terminals. O terminal arrancou com uma capacidade anual de 2,7 milhes de TEU e, alegadamente,

    teria contratado movimentar uns 640 mil TEU no primeiro ano de operao. Numa tentativa de roubar clientes aos hubs vizinhos o JadeWeserPort arrancou com

    uma agressiva poltica de descontos de 70%, que desde Janeiro reduziu para 50%.

    Aparentemente sem resultados. A Eurogate avanou entretanto com uma aco judicial contra a autoridade porturia de

    Wilhelmshaven, alegadamente porque as taxas cobradas colocam o terminal numa

    situao de desvantagem face aos concorrentes de Hamburgo e Bremerhaven. Ao mesmo tempo, a concessionria procura agora colocar cerca de 400 trabalhadores do

    terminal em regime de part-time. O assunto est a ser negociado com os sindicatos, na

    certeza de que os trabalhadores devero ser compensados por fundos pblicos pela

    perda de rendimento.

  • APP, 17 de fevereiro de 2013

    MARROCOS

    Vm a os navios russos!

    Marrocos assinou dia 14 mais um acordo de pesca com a Federao Russa, que prev um aumento sensvel da retribuio financeira, e exortou a Unio Europeia (UE) a melhorar a sua proposta no quadro das negociaes sobre este assunto. Assinado em Agadir, no sul de Marrocos, o novo acordo entre Rabat e Moscovo, o sexto desde 1992, deve permitir o acesso de

    dez navios russos s guas territoriais marroquinas, em troca de compensaes financeiras. Nenhum montante foi especificado, mas, segundo a agncia noticiosa marroquina MAP, esta compensao anual foi aumentada em 100%, em contrapartida de um aumento das capturas em 40 por cento. O acordo anterior expirou em junho ltimo. Em paralelo, Marrocos est a negociar com a UE para acabar o impasse nascido da rejeio do precedente acordo pelo Parlamento Europeu. Segundo uma fonte prxima das discusses, a quinta ronda das negociaes, que decorreu na segunda e tera-feira em Rabat, incidiu sobre a questo da retribuio financeira e das quotas. A ronda terminou sem acordo, mas est previsto um novo encontro em Bruxelas, nas prximas semanas. Confirmando esta informao, o ministro marroquino da Agricultura e Pesca, Aziz Akhenouch, estimou AFP que a ronda tinha permitido avanar, mas apelou UE para que melhorasse a sua proposta. Nenhum nmero foi mencionado mas, segundo a imprensa marroquina, os montantes discutidos oscilariam entre 25 e 38 milhes de euros. A rejeio do acordo anterior, que permitia a 120 navios com bandeiras de 11 pases europeus, dos quais s a Espanha tem 100 embarcaes, pescar nas guas marroquinas, abriu uma crise

    com o Governo de Rabat. Alguns deputados europeus tinham estimado este acordo demasiado custoso, enquanto outros tinham considerado que o entendimento no levava em linha de conta os interesses da populao do Saara Ocidental, ex-colnia espanhola controlada por Marrocos. Em resposta, Marrocos exigiu que os barcos da Unio Europeia sassem das suas guas.