Recordar _viver (1)

Download Recordar  _viver (1)

Post on 09-Jul-2015

193 views

Category:

Health & Medicine

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Melhores recordaes.Maurilton Morais

TRANSCRIPT

<ul><li><p>RECORDAR VIVER</p></li><li><p>Eu sou de um tempo distante, o chamado tempo do ona, tempo em que qualquer esquina era uma geringona.'Sou do tempo em que se amarrava cachorro com lingia, do tempo em que, aos domingos, a gente ia missa.</p></li><li><p>''Trago lembranas bacanas das Casas Pernambucanas, das farras, no bonde aberto, dos chapus da Casa Alberto, tempo em que adultrio era crime e o Flamengo ainda tinha time.Sou do tempo do buscap, do rojo e do xarope So Joo, do tempo em que menino s gostava de menina.</p></li><li><p>''Sou do tempo em que futebol era pra macho, tempo em que ningum sossegava o facho nos bailes de formatura, dos playboys botando banca, tempo que o telefone era preto e a geladeira era branca.''Sou do tempo em que se confiava nas companhias areas, em que a penicilina curava as doenas venreas.</p></li><li><p>'Tempo do confete e serpentina nas festas de Carnaval do Srio, do Monte Lbano, dos bailes do Municipal.</p><p>''Sou do tempo do bicarbonato de sdio, do lanamento do Sonrisal.</p></li><li><p>''Sou do tempo da Rdio Nacional, do lana perfume no Carnaval, do calouro na hora da peneira, tempo em que p era apenas poeira.</p></li><li><p>''Tempo do terno de risca de giz, da cala de boca apertada, da Lapa de Madame Sat , de poder ir torcer no Maracan e lembrar da me do juiz.</p></li><li><p>'Sou do tempo do "Doi Codi". E do comigo-ningum-pode, da ditadura envergonhada. Sou do tempo em que ficar era no ir, tempo de permitir passeios beira-mar.</p></li><li><p>''Sou do tempo da brilhantina, do laqu, da Glostora, do Gumex. O correio no tinha Sedex, o que vinha era telegrama </p><p>trazendo uma m notcia.''Sou do tempo em que a polcia perseguia todo sambista que tivesse alguma fama.''Tempo em que mulher que usava brinco, e que as portas no tinham trinco.'</p></li><li><p>''Tempo em que se dizia "demorou" s pra quem''chegasse atrasado</p><p>.''As calas no perdiam o vinco, picada era s na bunda, e s se aquela febre profunda no tivesse melhorado</p></li><li><p>''No meu tempo coca era refrigerante e todo homem elegante abria a porta do carro.''Sou do tempo do tergal, do banlon, do terilene, da Emilinha e da Marlene no sucesso musical''Sou do tempo do mocinho e do vilo com cara de mau, do reclame de fortificante do leo de fgado de bacalhau.</p></li><li><p>'Aceitava-se qualquer cigarro sem medo de ser um novo fato.''S preo podia ser barato; bicho era s o animal e cara, o rosto do pobre mortal.''Sou do tempo da cocoroca, do tempo da Copa Roca, que muita gente no viu.</p></li><li><p>''Sou do tempo do coreto, da banda, do velho cigarro Yolanda vendido na venda da esquina.''Sou do tempo da estricnina, veneno to poderoso, sou do tempo do leite de magnsia,</p><p> do sagu, do fub Mimoso e do fosfato que curava a amnsia.'''Do progresso to abrupto que todo mundo assistiu; porm, poltico corrupto, o rato que sai da toca...''Ora! Esse sempre existiu!</p></li><li><p>'Sou do tempo em que Benjor se chamava Jorge Bem, a carne do bife era acm, rabo de cachorro era bofe.''No meu tempo no havia estrogonofe, sou do tempo do tosto</p><p> e tambm do vintm,</p><p>da zona com seus bordis, programas de dez mil ris.</p></li><li><p>'''Sou do tempo da Cibalena e do Veramon. S no vi a revista Fon-fon, assisti filmes do Rin-tin-tin.''Sou do tempo da confeitaria Manon, da magia, do p de pirlimpimpim.</p><p>''Colecionei estampas Eucalol, acompanhei o lanamento da Avon, tomei o fortificante Calcigenol.</p></li><li><p>''Sou do tempo da PRK 30, do rdio tipo capelinha, dos contos da Carochinha,''Do tempo do remdio anunciado: "Veja, ilustre passageiro, o belo tipo faceiro que o senhor tem a seu lado.''Mas, no entanto, acredite, quase morreu de bronquite, salvou-o o Rhum Creosotado".</p></li><li><p>'''Fui leitor do almanaque Tico-Tico, do tempo em que trabalhador ficava rico.'Sou do tempo da Cafiaspirinda compressa de antiflugestina, do Biotnico Fontoura e do blsamo bengu.</p></li><li><p>'Sou do tempo do leo de linhaa, andei no Maria Fumaa.</p><p> Li muito a revista Cruzeiro, escrevi com caneta- tinteiro, separei o joio do trigo, vi muito vigarista na cadeia.</p></li><li><p>,</p><p>dos discursos do Presidente GV.</p><p>'</p><p>'</p><p>'Tempo de se curtir a vida sem medo de bala perdida.''Tempo de respeito pelos pais.''Enfim, sou de um tempo que no volta mais.</p><p>''Sou do tempo da Casa Cav, do taco com cera Parquetina,'S no fui garom da Santa-Ceia...tambm no sou assim to antigo.</p></li><li><p>''(*) Carlos Alberto L. Andrade, jornalista, advogado, historiador,'psicografando um amigo daquele tempo, em Quatis (RJ).</p></li></ul>