quim tec livro

Download Quim Tec Livro

Post on 11-Jul-2015

1.965 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Qumica Tecnolgica

Mdulo 1 Entendento a Tabela Peridica

Filipe Martel de Magalhes Borges Salete Martins Alves Tatiana de Campos Bicudo

Projeto InstitucionalEdital n 015/2010/CAPES/DED Fomento ao uso de tecnologias de comunio e informao nos cursos de graduao

Mdulo 1 Entendendo a Tabela Peridica

Filipe Martel de Magalhes Borges Salete Martins Alves Tatiana de Campos Bicudo

Qumica Tecnolgica

Mdulo 1 Entendendo a Tabela Peridica

Natal RN Janeiro/2011

Governo FederalPresidenta da Repblica Dilma Vana Rousseff Vice-Presidente da Repblica Michel Miguel Elias Temer Lulia Ministro da Educao Fernando Haddad

Reitora ngela Maria Paiva Cruz Vice-Reitora Maria de Ftima Freire Melo Ximenes Secretria de Educao a Distncia Maria Carmem Freire Digenes Rgo Secretria Adjunta de Educao a Distncia Eugnia Maria Dantas Pr-Reitoria de Graduao Alexandre Augusto de Lara Menezes

Comit Gestor Presidente Alexandre Augusto de Lara Menezes Coordenao geral Apuena Vieira Gomes Coordenadores Apuena Vieira Gomes/CE Adir Luiz Ferreira/CE Gleydson de Azevedo Ferreira Lima/SINFO Marcos Aurlio Felipe/CE Maria Carmozi de Souza Gomes/PROGRAD Rex Antonio da Costa de Medeiros/ECT

Secretaria de Educao a Distncia (SEDIS)FICHA TCNICACoordenador de Produo de Materiais Didticos Marcos Aurlio Felipe Projeto Grco Ivana Lima Revisores de Estrutura e Linguagem Eugenio Tavares Borges Janio Gustavo Barbosa Jeremias Alves de Arajo Kaline Sampaio de Arajo Luciane Almeida Mascarenhas de Andrade Thalyta Mabel Nobre Barbosa Revisoras de Lngua Portuguesa Cristinara Ferreira dos Santos Emanuelle Pereira de Lima Diniz Janaina Tomaz Capistrano Revisora das Normas da ABNT Vernica Pinheiro da Silva Revisora Tcnica Rosilene Alves de Paiva Ilustradores Adauto Harley Anderson Gomes do Nascimento Carolina Costa de Oliveira Dickson de Oliveira Tavares Leonardo dos Santos Feitoza Roberto Luiz Batista de Lima Rommel Figueiredo Diagramadores Ana Paula Resende Carolina Aires Mayer Davi Jose di Giacomo Koshiyama Elizabeth da Silva Ferreira Ivana Lima Jos Antonio Bezerra Junior Luciana Melo de Lacerda Rafael Marques Garcia

Catalogao da publicao na fonte. Bibliotecria Vernica Pinheiro da Silva.

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorizao expressa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Apresentao Institucional

A

Secretaria de Educao a Distncia SEDIS da Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN, desde 2005, vem atuando como fomentadora, no mbito local, das Polticas Nacionais de Educao a Distncia em parceira com a Secretaria de Educao a Distncia SEED, o Ministrio da Educao MEC e a Universidade Aberta do Brasil UAB/CAPES. Duas linhas de atuao tm caracterizado o esforo em EaD desta instituio: a primeira est voltada para a Formao Continuada de Professores do Ensino Bsico, sendo implementados cursos de licenciatura e ps-graduao lato e stricto sensu; a segunda volta-se para a Formao de Gestores Pblicos, atravs da oferta de bacharelados e especializaes em Administrao Pblica e Administrao Pblica Municipal. Para dar suporte oferta dos cursos de EaD, a Sedis tem disponibilizado um conjunto de meios didticos e pedaggicos, dentre os quais se destacam os materiais impressos que so elaborados por disciplinas, utilizando linguagem e projeto grco para atender s necessidades de um aluno que aprende a distncia. O contedo elaborado por prossionais qualicados e que tm experincia relevante na rea, com o apoio de uma equipe multidisciplinar. O material impresso a referncia primria para o aluno, sendo indicadas outras mdias, como videoaulas, livros, textos, lmes, videoconferncias, materiais digitais e interativos e webconferncias, que possibilitam ampliar os contedos e a interao entre os sujeitos do processo de aprendizagem. Assim, a UFRN atravs da SEDIS se integra o grupo de instituies que assumiram o desao de contribuir com a formao desse capital humano e incorporou a EaD como modalidade capaz de superar as barreiras espaciais e polticas que tornaram cada vez mais seleto o acesso graduao e ps-graduao no Brasil. No Rio Grande do Norte, a UFRN est presente em polos presenciais de apoio localizados nas mais diferentes regies, ofertando cursos de graduao, aperfeioamento, especializao e mestrado, interiorizando e tornando o Ensino Superior uma realidade que contribui para diminuir as diferenas regionais e o conhecimento uma possibilidade concreta para o desenvolvimento local. Nesse sentido, este material que voc recebe resultado de um investimento intelectual e econmico assumido por diversas instituies que se comprometeram com a Educao e com a reverso da seletividade do espao quanto ao acesso e ao consumo do saber E REFLETE O COMPROMISSO DA SEDIS/UFRN COM A EDUCAO A DISTNCIA como modalidade estratgica para a melhoria dos indicadores educacionais no RN e no Brasil. SECRETARIA DE EDUCAO A DISTNCIA SEDIS/UFRN

SumrioAula 1 Entendendo a Tabela Peridica Aula 2 Ligaes qumicas Aula 3 Qumica para combustveis e lubricantes 11 37 73

Entendendo a tabela peridica

Aula

1

Apresentao

T

emos certeza de que voc j ouviu falar ou j estudou sobre a tabela peridica. Nesta aula, queremos apresentar a tabela peridica moderna como uma ferramenta importantssima para o estudo da qumica. No mundo ao nosso redor existe uma enorme diversidade de materiais e de substncias que o constitui. Mas, a grande variedade de substncias obtm-se a partir de um nmero muito reduzido de elementos qumicos que, atualmente, se encontram organizados numa tabela a tabela peridica dos elementos. A tabela peridica dos elementos qumicos que ser apresentada nesta aula uma das ferramentas mais teis em qumica. Alm das riquezas de informaes, ela pode ser usada para organizar muitas das ideias da qumica. importante que voc se familiarize com suas principais caractersticas e sua terminologia. Alm da aula, preparamos para voc uma tabela peridica interativa, nela voc poder fazer uma viagem pelos elementos qumicos, conhecendo suas caractersticas e curiosidades. Boa viagem!

Objetivos1 2 3Entender como surgiu a tabela peridica. Conhecer a terminologia da tabela peridica e sua importncia para a qumica. Prever caractersticas dos elementos baseados na posio em que ocupam da tabela peridica.

Aula 1

Qumica Tecnolgica

13

A tabela peridica: um breve histrico

C

omo surgiu a tabela peridica? Ser que ela existe h muito tempo? Quem a desenvolveu? Ser que voc conseguiu responder algumas dessas perguntas? Caso sua resposta seja negativa, no se desespere, pois nesta aula vamos aprender como se desenvolveu a tabela peridica at atingir o modelo atual. A descoberta individual dos elementos qumicos foi um pr-requisito necessrio para a construo da tabela peridica. Embora os elementos, tais como ouro (Au), prata (Ag), estanho (Sn), cobre (Cu), chumbo (Pb) e mercrio (Hg) fossem conhecidos desde a Antiguidade, outros elementos como arsnio (As), o antimnio (Sb) e o fsforo (P) foram descobertos pelos alquimistas posteriormente. Os alquimistas seguiam um objetivo que visava descoberta da pedra losofal, a substncia capaz de transformar em ouro qualquer matria com a qual fosse colocada em contato, e do elixir da longa vida, que haveria de prolongar a existncia dos que o tivessem tomado. Embora a alquimia no fosse uma cincia experimental, ou seja, os trabalhos eram executados sem recorrer ao mtodo cientco (forma sistemtica de organizar as coisas), o impulso oferecido por ela foi muito grande. Nesta busca incessante, os alquimistas acabaram descobrindo novos elementos e processos teis vida prtica, tais como a destilao e a sublimao. Em 1669, o alquimista alemo Henning Brand, quando procurava descobrir a pedra losofal, conseguiu apenas obter fsforo elementar atravs da destilao da urina. Este o primeiro elemento sobre o qual existem registros histricos da sua descoberta. Durante os 200 anos seguintes um grande volume de conhecimento, relativo s propriedades dos elementos e seus compostos, foram adquiridos pelos qumicos. Com o aumento do nmero de elementos descobertos, os cientistas iniciaram a investigao de modelos para reconhecer as propriedades e desenvolver esquemas de classicao. Assim, em 1869 Dimitri Ivanovitch Mendeleev apresentou uma classicao, que a base da classicao peridica moderna, colocando os elementos em ordem crescente de suas massas atmicas (Figura 1), distribudos em oito colunas verticais e doze faixas horizontais. Vericou que as propriedades variavam periodicamente medida que aumentava a massa atmica.

Aula 1

Qumica Tecnolgica

15

TABELLE IIREIHEN

GRUPPE I. R2O H=1 Li = 7 Na = 23 K = 39 (Cu = 63) Rb = 85 (Ag = 108) Cs = 133 ( )

GRUPPE II. RO Be = 9,4 Mg = 24 Ca = 40 Zn = 65 Sr = 87 Cd = 112 Bd = 137

GRUPPE III. R2O3 B = 11 Al = 27,3 = 44 = 68 ?Yt = 88 In = 113 ?Di = 138 ?Er = 178

GRUPPE IV. RH4 RO2

GRUPPE V. RH3 R2O5

GRUPPE VI. RH2 RO4

GRUPPE VII. RH RO4

GRUPPE VIII. RO4

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

C = 12 Sl = 28 Ti = 48 = 72 Zr = 90 Sn = 118 ?Ce = 140 ?La = 180 Pb = 207 Th = 231

N = 14 P = 31 V = 51 As = 75 Nb = 94 Sb = 122

O = 16 S = 32 Cr = 52 Se = 78 Mo = 96 Te = 125

F = 19 Cl = 35,5 Mn = 55 Br = 80 = 100 J = 127 Fe = 56, Co = 59, Ni = 59, Cu = 63. Ru = 104, Rh = 104, Pd = 106, Ag = 108.

Ta = 182 Bi = 208

W = 184 U = 240

Au = 199

Hg = 200

Tl = 204

Os = 195, Tr = 197, Pt = 198, Au = 199.

Figura 1 Tabela peridica de Mendeleev (1871)Fonte: Maia e Bianchi (2007)

A tabela proposta por Mendeleev contava com 59 elementos e seus smbolos. Aqueles indicados com sinais de interrogao ainda no haviam sido descobertos. Exatamente pelo ato de deixar espao