profeta zacarias

Download Profeta Zacarias

Post on 19-Jun-2015

5.742 views

Category:

Spiritual

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Estudo do livro do profeta Zacarias, contexto e visões

TRANSCRIPT

  • 1. O arquiteto do Templo

2. ZACARIAS Contemporneo de Ageu, Zacarias tambm exorta os judeus a completar a construo do templo. O mtodo de Zacarias para motiv-los o do encorajamento o templo central herana espiritual de Israel e est relacionado vinda do Messias. A srie de vises, mensagens e bordes oferece algumas das mais claras profecias messinicas da Escritura. Deus revela que seu programa para seu povo est longe de ser concludo. 3. Data e Autoria. Zacarias, um contemporneo de Ageu, comeou o seu ministrio proftico em 520 A.C. A data mais antiga indicada no livro (7:1) 518 A.C. , o quarto ano de Dario Histaspes. O nome "Zacarias" era comum no Velho Testamento, sendo usado por vinte e nove pessoas. Significa o Senhor se lembra. (Seu pai Berequias=O Senhor abenoa e seu av Ido=No tempo Dele + O Senhor se lembra de abenoar no tempo Dele) Zacarias era sacerdote e no Profeta 4. Mestres "liberais", observando certas diferenas de estilo e tema, acham que os captulos de 9 a 14 no foram escritos pelo autor dos captulos 1 a 8. Contudo, os captulos de 9 a 14 parecem ter sido escritos mais tarde, e a isto se deve naturalmente a mudana de estilo. A diferena de tema nasce do fato de que na ltima parte do livro o profeta foi comissionado a revelar acontecimentos apocalpticos relacionados com a vinda do Messias e seu reino terrestre. Todas as evidncias internas apontam para um s autor e no para uma autoria mltipla. 5. O livro de Zacarias e preponderantemente escatologico. O seu contexto historico e o mesmo de Ageu, mas a diferenca e que enquanto Ageu trazia mensagens da parte de Deus que, em sua maioria, remetiam aos problemas imediatos do povo, com apenas alguns vislumbres de um futuro bem mais distante, as profecias de Zacarias eram, em sua maioria, voltadas para esse futuro mais amplo e remoto. 6. Antecedentes Histricos. Ciro, o rei persa, assinou um decreto (em cerca de 538 A.C.) dizendo que todos aqueles que desejassem retornar a Jerusalm para reconstruo do Templo tinham permisso de faz-lo (II Cr. 36:22, 23; Esdras 1:1-4). Cerca de 50.000 exilados aproveitaram-se desta poltica de clemncia. Com nobres propsitos determinaram restabelecerem-se na terra e restaurarem o Templo. No segundo ms de 536 A.C. lanaram os alicerces (Esdras 3:11-13). Logo no comeo do trabalho, os samaritanos, no recebendo licena de participarem na reconstruo, opuseram-se ao projeto (Esdras 4:5). Por quase quatorze anos a obra ficou paralisada. 7. Quando Dario Histaspes subiu ao trono persa em 521 A.C., Ageu e Azarias, supondo que os decretos dos monarcas anteriores no estivessem em vigor, estimularam seus compatriotas a retornarem a tarefa. Zorobabel e Josu, o governador e o sumo sacerdote respectivamente, orientaram a reconstruo. Uma investigao feita por Tatenai, governador persa do territrio ocidental do Eufrates, interrompeu a obra novamente, mas Dario confirmou o decreto original de Ciro. 8. Infelizmente, a esta altura houve uma mudana de atitude do povo judeu. Achavam que impedimentos na reconstruo indicavam que Deus no estava empenhado na obra. Ageu e Zacarias tentaram despertar a nao da sua indiferena. O povo reagiu, e a construo foi terminada em 516 A.C., o sexto ano do reinado de Dario. A data cronolgica desta profecia cai dentro do perodo da construo do Templo. Embora Zacarias comece com o tema da restaurao do santurio, ele se refere a muitas fases da vida espiritual da nao, e trata com notvel amplido dos acontecimentos profticos que preparam o caminho para a volta e o reinado do Messias. 9. Por outro lado, o proposito imediato dessas revelacoes escatologicas dadas por Deus a Zacarias era tambem responder a um estado pelo qual o povo de sua epoca passava. Esse futuro escatologico foi apresentado por Deus com o objetivo original de consolar e animar os judeus em seu estado de vicissitudes experimentado naquelas primeiras decadas pos-exilio. 10. O povo deveria levantar a cabeca e olhar para a frente com esperanca, porque o finai de Israel seria glorioso. Agora, os judeus estavam sem rei,despojados e sob o governo de um povo estrangeiro, mas, no futuro, a nacao seria completamente restaurada e se tornaria, inclusive, a sede do governo do Messias sobre toda a Terra (Zc 2.10-13 e capitulo 8). Essa mensagem trouxe animo ao povo para que terminasse a reconstrucao do Templo (Ed 5.1). Esse reinicio comecou durante o ministerio de Ageu, que antecedera em dois meses o ministerio de Zacarias (Ag 1.1 c/c Zc 1.1). 11. ESBOO I. Introduo : Chamado ao arrependimento. 1:1-6. II. As vises noturnas de Zacarias. 1:7 6:15. Zacarias 1 I. Introduo: Chamado ao Arrependimento. 1:1-6. 1. O segundo ano de Dario. Datar uma profecia segundo o reinado de um monarca gentio evidencia que o tempo dos gentios, que comeou com Nabucodonosor, j estava em andamento (cons. Lc. 21:24). 2. O SENHOR se irou em extremo. Em linguagem enftica o profeta declara o aborrecimento divino com os pais de seus patrcios. Foi mais que a negligncia deles em construir o Templo que o aborreceu; foi a sua viso espiritual de modo geral. Voltar do exlio no bastava para agradar ao Senhor; eles precisavam faz-lo de corao. 12. 3. Eu me tornarei para vs outros. Seu arrependimento encontraria Deus pronto e desejoso de receb-los e abeno-los. 4. No sejais como vossos pais. O mau exemplo to infeccioso que Zacarias precisou advertir seus correligionrios a no imitarem o modo de vida de seus predecessores. Estes trilham fracassado em atender s mensagens autnticas dos profetas de Deus e conseqentemente tinham feito uma colheita de misria e sofrimento no cativeiro babilnico. 13. 5. Vossos pais, onde esto eles? Pais e profetas, todos tinham partido. O homem uma planta que murcha, mas h uma fora permanente no universo (Is. 40:6-8). 6. No alcanaram a vossos pais? O homem mortal, mas as palavras e os estatutos de Deus so imortais. Embora a gerao anterior j tivesse partido, os acontecimentos subseqentes revelaram a verdade da mensagem de Deus nos juzos que sobrevieram a Israel por causa da desobedincia. Assim ele nos fez. Deus cumpriu todas as predies ao p da letra. Os contemporneos de Zacarias deviam apr 14. As oito vises de Zacarias Os Cavalos Zacarias 1-8 a 17 Nesta primeira viso, Zacarias viu que Deus no estava indiferente condio do Seu povo. Atravs de Ageu, Deus havia prometido que faria tremer todas as naes , e que encheria esta casa de glria (Ageu 2:7). Os cavaleiros haviam percorrido a terra e voltado, trazendo seu relatrio ao Senhor. Falaram que as naes estavam em descanso. A viso mostra que, embora oculto aos olhos humanos, Deus estava operando, e tudo estava sob Seu controle. Ele estava irado contra as naes em descanso, e retribuiria a cada uma conforme as suas obras. Mas, quanto Jerusalm, e ao Seu povo, Deus tem palavras boas e consoladoras (v 13). Note que a palavra ainda usada trs vezes no versculo 17. No poderiam perder a esperana. Deus ainda cumpriria Sua promessa; a vitria final garantida. Na primeira viso (1.8-11) o profeta contempla a andana de trs cavalos, que prestam contas ao anjo do Senhor (v.8, 11). Eles percorreram toda a terra (10). A meu ver, esses cavalos no so anjos, como interpretam alguns comentaristas mas o imprio persa que olhavam a nao. 15. Os Chifres e os Ferreiros Zacarias 1-19 a 21 A primeira viso havia deixado uma pergunta no ar: como poderia Deus derrubar a fora dos opressores, e ainda exaltar Jerusalm? Esta viso agora responde primeira parte desta pergunta. Os quatro chifres so quatro naes que dispersaram Jud, Israel e Jerusalm (v 19). Note bem o verbo dispersaram . No est falando de naes que simplesmente atacaram ou oprimiram, mas sim, de poderes que dispersaram Israel. A Babilnia, nos dias de Nabucodonozor, foi um destes chifres. Os quatro ferreiros so as naes que vieram para amedrontar e derrubar as naes que dispersaram o povo de Israel. Se Babilnia, como chifre , dispersou Israel, Medo-Prsia, como ferreiro , amedrontou e derrubou a Babilnia. Estes chifres e ferreiros so quatro. Sem dvida, esta viso (como as demais que Zacarias viu aquela noite) vai muito alm dos dias dele, at os tempos do fim. ASSRIOS + BABILNICOS + MEDO-PERSAS + ROMANOS CHIFRES = FORA 16. Jerusalm Medida Zacarias Capitulo 2 Agora vemos a resposta outra parte da pergunta que ficou da primeira viso. A futura grandeza de Jerusalm seria concedida e garantida pelo Senhor mesmo. A cidade no seria medida, pois no haveria possibilidade de fazer muros, to grande seria a sua populao, tanto humana como animal (2:4). No seria necessrio construir muros, pois o prprio Deus seria um muro de fogo em redor, dando-lhe inteira proteo. Ele seria, tambm, a sua glria (2:5). Os dias em que Zacarias estava profetizando so descritos como o dia das cousas pequenas (4:10). Foi naqueles dias que Deus mostrou como Jerusalm seria realmente e eternamente grande. A terceira viso tematiza a reconstruo de Jerusalm (2.1-5). Assim, esta viso mantm relao com os ditos que seguiram a primeira viso (1.13-17). Mas, essa terceira viso nos alerta sobre as perspectivas da reconstruo de Jerusalm. Pois um homem (v.1) almeja reconstruir a cidade com muralhas. No Antigo Oriente Mdio, os muros simbolizam a fora defensiva de uma cidade. Mas outra a perspectiva do anjo: Jerusalm ser perazot teshev, campos habitados (v.4b). 17. Josu, o Sumo Sacerdote Zacarias 3 1 a 10 Deus, porm, habita na santidade. Antes que Ele pudesse habitar em Jerusalm, como havia prometido na viso anterior, era necessrio que a nao fosse purificada. Na pessoa representativa do seu sumo- sacerdote, Josu, ela aparece perante o Senhor. Os vestidos imundos de Josu testificam da sua impureza, e Satans se faz presente para lhe opor (3:1). Antes, porm, que o acusador possa abrir a boca, o Senhor fala; a iniciativa dEle. A iniqidade foi tirada (v 4), e foram dados, gratuitamente, a Josu novos vestidos e uma mitra limpa, que lhe tornaram apto para estar perante o Senhor. A passividade do sac