prática da mentoria

Download Prática da mentoria

Post on 08-Jan-2017

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES

    PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM ADMINISTRAO - PPGA MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAO

    GLAUCO TEIXEIRA DO MONTE

    PRTICA DA MENTORIA: Estudo de caso no Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia do RN

    NATAL 2011

  • 1

    GLAUCO TEIXEIRA DO MONTE

    PRTICA DA MENTORIA: Estudo de caso no Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia do RN

    Dissertao de Mestrado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Administrao da Universidade Potiguar UnP, para a obteno do ttulo de Mestre em Administrao. ORIENTADORA: Profa. Dra. Fernanda Fernandes Gurgel.

    NATAL 2011

  • M772p Monte, Glauco Teixeira do. Prtica da mentoria: estudo de caso no Instituto Federal de

    Educao, Cincia e Tecnologia do RN / Glauco Teixeira do Monte. Natal, 2011.

    100 f.

    Dissertao (Mestrado em Administrao). Universidade Potiguar. Pr-Reitoria de Pesquisa, Extenso e Ps-Graduao.

    Bibliografia: f.76 - 83. 1. Administrao Dissertao. 2. Mentoria. 3. Funes de

    mentoria. 4. Competncias. I. Ttulo. RN/UnP/BSFP CDU: 658(043.3)

  • 2

    GLAUCO TEIXEIRA DO MONTE

    PRTICA DA MENTORIA: Estudo de caso no Instituto Federal de Educao,

    Cincia e Tecnologia do RN

    Dissertao de Mestrado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Administrao da Universidade Potiguar UnP, para a obteno do ttulo de Mestre em Administrao.

    Aprovado em: ____/____/____

    BANCA EXAMINADORA

    ________________________________________________________

    Prof Dr Fernanda Fernandes Gurgel.

    Orientadora

    Universidade Potiguar UnP

    ________________________________________________________

    Prof Dr Tereza Souza

    Examinadora Interna

    Universidade Potiguar UnP

    ___________________________________________________________

    Prof Dr Maria Valria Pereira de Arajo

    Examinadora Externa

    UFRN

  • 3

    AGRADECIMENTOS

    A Deus, uma vez que em todos os momentos da minha vida me guia, orienta,

    protege, estimula e oferece condies para que eu supere os obstculos e alcance

    todos os meus objetivos. Em algumas situaes no percebo o propsito de um fato

    ou acontecimento, no entanto, passado algum tempo verifico que tudo estava sendo

    arquitetado para propiciar o xito da minha empreitada.

    No poderia deixar de agradecer a Profa. Dra. Apresentao, porquanto ela

    foi de uma grande sensibilidade, percebendo o quanto eu estava ansioso e

    compreendendo que naquele momento o mais sensato era esperar e no cobrar.

    A Profa. Dra. Fernanda, que sempre acreditou na minha capacidade de

    superao e de forma parcimoniosa acompanhou e orientou a minha trajetria.

    Externo a minha gratido, tambm, a Prof PhD. Snia Calado Dias, da UFPE

    e da Universidade de Boa Viagem, pela sua disposio em me auxiliar neste

    assunto no qual ela uma entusiasta e uma autoridade inconteste.

    A Profa. Dra. Tereza, que sem demonstrar aflio sofria com a minha

    indeciso. Em alguns momentos acredito que ela at se divertia com a minha

    indagao: Como que algum em s conscincia passa dia e noite procurando

    um problema?

    Como esquecer as seguintes palavras proferidas, na aula inaugural, pelo Prof.

    Dr. Miguel nez: Vocs esto tendo a oportunidade que poucos tero de procurar

    melhorar, atravs dos seus estudos e de suas pesquisas, a realidade da nossa

    sociedade. Agradeo a ele, pois este foi um dos motivos que me fez seguir em

    frente.

    Aos Profs. Drs. Alpio, Rodrigo, Nilda, Ldia e Patrcia que com maestria

    conseguiram passar os seus conhecimentos e foram decisivos para a concluso

    deste trabalho. Obrigado, todos contriburam de forma brilhante. Todavia, dentre

    eles devo ressaltar, pela forma positiva como me impressionaram, as Profas. Dras.

    Nilda Leoni e Ldia Brito, visto que elas foram importantssimas para a ampliao

    dos meus conhecimentos e para o aprendizado desta nova cincia, a Administrao.

    Aos meus colegas de turma, aos quais devo parte do meu crescimento.

    Agradeo pelo prazer de conviver com pessoas determinadas, inteligentes e de um

    senso de humor invejvel, o qual facilitou a minha caminhada. Assim, afirmo aqui

  • 4

    mea culpa, j que hoje percebo que a maioria das minhas dificuldades foi criada

    por mim mesmo. Apreendo que, com certeza, o nico inimigo que eu tive que

    aprender a controlar e a neutralizar foi eu mesmo.

    Aos meus colegas de trabalho do IFRN, em especial o Prof. Jos Yvan, cujo

    trabalho de estimular a formao de jovens alunos, futuros cientistas e acima de

    tudo cidados, serviu de inspirao para a definio do tema mentoria.

    Aos colegas Prof. Jernimo, ao Prof. Samir e ao grande Paulo Pereira,

    agradeo a compreenso e ajuda.

    A minha famlia, agradeo e peo desculpas. Sei que foi muito difcil para

    alguns entender o que passar por este momento, visto que tive que abdicar do

    convvio de todos, afastando-me dos momentos de congraamento e

    comemoraes, sendo, por vezes, no compreendido por alguns familiares.

    Ao meu irmo Carlos Henrique, sobretudo no que se refere as suas limitaes

    fsicas extremas impostas pela condio de uma tetraplegia. Ele um grande

    exemplo de superao, equilbrio emocional, inteligncia e capacidade autodidata.

    Ele me ajudou muito em questes ligadas a tecnologia da informao.

    A minha esposa Rgia deixo o meu carinho especial, uma vez que ela teve

    que conviver com um quase zumbi, que s tinha olhos e sentidos para uma tela de

    computador. Contudo, ela soube entender a necessidade deste sacrifcio, mais dela

    do que meu.

    Agradeo a minha filha Daniela. Filha, espero ter deixado um bom exemplo

    para voc. Saiba que este foi o principal motivo pelo qual abracei esta causa, educar

    pelo exemplo.

    Por fim, dada importncia para a minha formao quero agradecer aos

    meus pais, Edma (in memoriam) e Raimundo Monte, e, tambm, a minha av

    materna, D. Rita Cortez Teixeira, os quais por meio, especialmente do exemplo, me

    deram uma formao pautada pela superao, determinao, respeito, dignidade,

    retido e bons valores morais e religiosos. Tenho certeza que eles sempre fizeram

    por mim o melhor que puderam. Portanto, eles so os meus principais mentores.

  • 5

    O sofrimento passageiro, desistir para sempre.

    ( Lance Armstrong )

  • 6

    RESUMO

    O presente estudo uma pesquisa exploratria sobre a prtica da mentoria na percepo dos alunos do Programa de Iniciao Cientfica do Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e as competncias necessrias aos professores para o desempenho desta nova funo. A pesquisa teve como objetivo identificar dentro das relaes de orientao cientfica, entre professores-orientadores e alunos bolsistas do IFRN, na percepo desses alunos, a ocorrncia do fenmeno de mentoria, quanto ao fornecimento das funes de mentoria carreira e psicossocial, propostas por Kram e as competncias necessrias prtica da mentoria. A escassez de trabalhos que associem mentoria, orientao cientfica e competncias do professor, e, ainda, as transformaes ocorridas no ambiente educacional, trazem novos objetivos s instituies, uma vez que elas so formadoras de profissionais e cidados. Assim, refora-se a necessidade de um melhor conhecimento sobre as relaes professor-orientador e aluno. A metodologia deste trabalho teve como base a pesquisa exploratria descritiva, na qual foram aplicados 52 questionrios para a identificao das funes de mentoria mais desejadas, situao ideal e as praticadas pelos professores orientadores, situao real, e as principais competncias definidas pelas caractersticas pessoais e profissionais deste professor-orientador. Os dados coletados foram tratados por meio de tcnicas de estatstica descritiva e analtica, e, tambm, anlise de contedo. Constatou-se que na percepo dos respondentes ocorre o fornecimento das funes de mentoria dentro do programa de Iniciao Cientfica, em especial das funes modelo, tarefas desafiadoras, coaching e patrocnio. Dentre as caractersticas encontradas para o professor-orientador esto o conhecimento e experincia, disponibilidade, relacionamento interpessoal, motivao e liderana. Os resultados obtidos so condizentes com os encontrados em trabalhos realizados em outros pases, em ambientes acadmicos. Palavras-chave: Mentor. Mentorado. Mentoria. Funes de Mentoria. Professor Orientador. Competncias. Iniciao Cientfica.

  • 7

    ABSTRACT

    The present study is an exploratory research on the practice of mentoring on students' perceptions of the Scientific Initiation Program of the Federal Institute of Education, Science and Technology of Rio Grande do Norte (IFRN) and skills for teachers in the performance of this new function. The research aimed to identify relationships within scientific guidance, including teachers, counselors and students IFRN fellows, students' perception of the occurrence of the phenomenon of mentoring functions and the provision of mentoring - career and psychosocial proposed by Kram and skills necessary for the practice of mentoring. The scarcity of studies involving mentoring, guidance and scientific expertise of the teacher, and also the changes in the educational environment, bring new goals to institutions, since they are forming professionals and citizens. Thus, it reinforces the need for a better knowledge of the teacher-t