Potencialidades Turisticas em Alcochete

Download Potencialidades Turisticas em Alcochete

Post on 15-Apr-2017

410 views

Category:

Marketing

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Ps Graduao em Marketing Turstico

    Tema: Potencialidades Tursticas em Alcochete

    Cadeira: Anlise Global do Turismo

    Docente: Prof. Doutor Eduardo Moraes Sarmento

    Discente: Cludia Sofia Rodrigues Samouqueiro e Vasconcellos

    N. 20095935

    Local: Campo Grande, Lisboa

    Data: 2010/02/01

  • 2

    LISTA DE ABREVIATURAS

    AML rea Metropolitana de Lisboa

    CMA Cmara Municipal de Alcochete

    INE Instituto Nacional de Estatstica

    NAL Novo Aeroporto de Lisboa

    NUT - do francs nomenclature commune des units territoriales statistiques, uma nomenclatura que

    define sub-regies estatsticas em que se divide o territrio dos Estados-Membros Unio Europeia.

    NUT III - unidades territoriais com menos de 800.000 habitantes e mais de 150.000, como o caso da

    Pennsula de Setbal

    OEA Organizao dos Estados Americanos

    OMT Organizao Mundial do Turismo

    PDM Plano Director Municipal

    PROTAML Plano Regional de Ordenamento do Territrio da rea Metropolitana de Lisboa

    RNET Reserva Natural do Esturio do Tejo

    TGV - sigla da marca comercial da alta velocidade francesa que significa Train Grande Vitesse. Em

    Espanha a alta velocidade designada pela marca comercial AVE que significa Alta Velocidad

    Espaola.

  • 3

    NDICE

    1. INTRODUO .................................................................................................................................. 4

    2. POTENCIAL TURSTICO .................................................................................................................... 6

    3. CARACTERIZAO DO CONCELHO DE ALCOCHETE ........................................................................ 8

    ACESSIBILIDADES .............................................................................................................................. 11

    4. RECURSOS TURSTICOS ................................................................................................................. 12

    5. ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS ................................................................................................ 21

    EMPREENDIMENTOS TURSTICOS .................................................................................................... 23

    6. NOVO AEROPORTO DE LISBOA e PLATAFORMA LOGSTICA DO POCEIRO IMPACTOS ........... 25

    7. CONCLUSES ................................................................................................................................ 27

    8. BIBLIOGRAFIA ............................................................................................................................... 29

  • 4

    1. INTRODUO

    Desde a construo da Ponte Vasco da Gama, que Alcochete comeou a ser mais conhecido, mais

    divulgado e mais visitado.

    a) O tema escolhido deve-se ao facto de Alcochete ter inmeros recursos tursticos que

    eventualmente podero trazer uma mais-valia para o concelho caso sejam valorizados,

    tornando-se numa potencialidade turstica para o Concelho. Existem inmeros recursos

    tursticos no concelho, desde a Reserva Natural do Esturio do Tejo, festividades, passeios

    na embarcao tradicional ao longo do Rio Tejo devem ser contemplados num plano

    estratgico e ser trabalhados para dar a conhecer aos Turistas esta bela vila plantada beira

    Tejo. Neste momento no esto a ser valorizados muitos deles, por outras palavras, os

    recursos tursticos no esto a tomar o valor de deveriam assumir perante o turismo.

    b) Embora o tema Potencialidade Turstica de Alcochete seja muitas vezes abordado em

    conferncias, palestras, aparecimento em Jornais, no existem estudos de aprofundamento

    desta matria, no havendo por conseguinte autores que se debrucem sobre a

    potencialidade turstica de Alcochete ou qualquer outros temas relacionados com o Turismo

    em Alcochete.

    c) Ser que Alcochete uma Potencialidade Turstica?

    Ao longo deste trabalho iremos analisar vrios pontos que podero determinar Alcochete

    como um potencial turstico. Passaremos pela construo da Ponte Vasco da Gama que

    trouxe grande desenvolvimento para o concelho e, abordaremos tambm os impactos da

    construo do Novo Aeroporto de Lisboa. A construo de novos empreendimentos

    tursticos, bem como os recursos tursticos existentes em Alcochete sero outros pontos a

    serem analisados.

  • 5

    d) O trabalho est organizado por pontos:

    No ponto 1, feita uma breve introduo.

    No ponto 2, introduzida a definio de Potencial Turstico.

    No ponto 3, caracterizado o concelho de Alcochete ao nvel geogrfico, demogrfico e

    acessibilidades.

    No captulo 4, realizado um levantamento dos recursos tursticos existentes no concelho

    de Alcochete, de acordo com a metodologia adoptada pela OEA, que para alm da

    classificao contempla tambm a hierarquizao dos recursos tursticos.

    No ponto 5, abordado a questo dos estabelecimentos hoteleiros existentes e dos novos

    empreendimentos tursticos a construir.

    No ponto 6, analisado a construo do Plo Logstico do Poceiro e do NAL e respectivos

    impactos ambientais, econmicos na regio.

    No ponto 7 apresentada a Concluso do trabalho e por fim, o ponto 8 com a Bibliografia.

    e) A metodologia adoptada para a realizao deste trabalho consistiu na consulta atravs da

    internet de vrios sites, consulta do PDM de Alcochete e do PROTAML, consulta de

    Produes da Cmara Municipal de Alcochete e Jornal do Montijo.

    f) Surgiram vrias dificuldades ao longo da elaborao deste trabalho, nomeadamente falta de

    informao sobre o turismo em Alcochete e dfice de informao estatstica do Concelho de

    Alcochete, pelo facto do INE no apresentar dados concretos de um determinado ano, mas

    sim intervalos de confiana, o que torna a anlise um pouco abstracta (exemplo: Alcochete

    no ano de 2008, teve uma afluncia de turistas no intervalo entre 0 a 9,1%).

  • 6

    2. POTENCIAL TURSTICO

    Segundo o Professor Licnio Cunha (2008), as potencialidades de desenvolvimento turstico de uma

    localidade so produto dos recursos, mas o seu crescimento depende da capacidade de os valorizar

    e da criao de novos factores de atraco.

    Para tal torna-se necessrio, em primeiro lugar, proceder inventariao dos recursos e sua

    classificao. Aps esta variao poder proceder-se avaliao do potencial turstico com o

    propsito de estabelecer uma medida de valor que permita fundamentar as decises relativas ao

    aproveitamento de certos territrios ou recursos. (CUNHA, 2008)

    Os atractivos tursticos baseiam-se fundamentalmente na natureza, histria e na cultura mas so os

    elementos ou os factores naturais que, principalmente, originam a estruturao e organizao da

    maior parte dos destinos tursticos. medida, contudo, que o turismo foi evoluindo, estes

    elementos no perderam nem o seu significado nem a sua capacidade de atraco, mas

    apareceram novos atractivos e operaram-se transformaes em elementos existentes, sem

    qualquer ligao ao turismo, com o fim de dar resposta a novas solicitaes da procura. Outros

    factores de atraco se tm desenvolvido em resultado da inovao, do progresso tecnolgico e de

    novos estilos de vida. Nem todos os recursos oferecem as mesmas possibilidades: alguns exercem

    um forte poder de atraco e s por si do origem a correntes tursticas que justificam o

    desenvolvimento de um vasto complexo de actividades, mas outros desempenham, principalmente

    um papel de fortalecimento ou de diversificao da atraco existente. Assim, a capacidade de

    atraco de cada localidade depende dos recursos existentes e as potencialidades tursticas variam

    de localidade para localidade. Cada recurso oferece um potencial que difere de outro em vrios

    aspectos que necessitam ser avaliados.

  • 7

    Contudo, a necessidade de garantir o desenvolvimento sustentvel, de evitar a excessiva utilizao

    dos recursos que provoca o seu desgaste ou de promover o desenvolvimento de novos destinos

    torna indispensvel dispor de avaliaes rigorosas que permitam gerir com maior eficcia os

    produtos e destinos (CUNHA, 2008).

    RECURSOS TURSTICOS

    A actividade turstica baseia-se em recursos tursticos que se definem como todos os elementos

    naturais ou actividades humanas que dem origem a deslocao de visitantes. Os recursos

    constituem os elementos essenciais do desenvolvimento turstico pois so eles que determinam a

    atraco de um pas ou regio e definem as suas potencialidades tursticas. (CUNHA, 2008).

    A OMT distingue dois conceitos: Patrimnio Turstico e Recurso Turstico (OMT, 1978). O primeiro

    considerado como sendo o conjunto potencial dos bens materiais ou imateriais disposio do

    homem e que podem utilizar-se, mediante um processo de transformao para satisfazer as

    necessidades tursticas. O segundo definido como que todos os bens e servios que, por

    intermdio da actividade humana, tornam possvel a actividade turstica e satisfazem a necessidade

    de procura. necessria a construo de equipamentos que, por um lado permitam a deslocao

    (acessibilidades e facilidades) e, por outro lado, assegurem a permanncia (alojamentos,

    restaurantes).

    So a importncia e as caractersticas dos recursos tursticos que definem a maior ou menor

    potencialidade dos destinos tursticos. Esta identificao processa-se atravs do inventrio dos

    recursos tursticos que consiste na elaborao de elementos naturais, estabelecimentos que pelas

    suas caractersti