Plano anual de física para o ensino médio

Download Plano anual de física para o ensino médio

Post on 25-Jan-2015

33.192 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Plano de Fsica para o ensino Mdio

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Plano Anual de Fsica para o Ensino MdioDISCIPLINA SEGMENTOPROFESSOR Fsica Ensino Mdio Eric Novais SilvaJUSTIFICATIVAA Fsica uma disciplina pura e aplicada, na qual est presente em nosso cotidiano, ou seja, faz parte denossa vida, de forma clara, transparente, evidente mostrando sua face equacional e dedutiva. A Fsicapode ser mostrada de duas formas, o que chamamos de Fsica Terica (explicao dos fenmenos atravsde algoritmos matemticos, tabelas e grficos) e a Fsica Experimental (explicao do fenmeno fsicoatravs da parte prtica). A Fsica deve contribuir para a formao de sua cultura cientfica efetiva quepermita ao individuo a interpretao de fatos, fenmenos e processos naturais, que possam serelaborados atravs de modelos, onde estes podem ser construdos a partir da necessidade explicativa deevidencias, em relao direta com os fenmenos macroscpicos que se quer explicar. OBJETIVOSRepresentao eSmbolos, cdigos e nomenclaturas de cincias e tecnologiaComunicao Reconhecer e saber utilizar corretamente smbolos, cdigos e nomenclaturasde grandezas da fsica; por exemplo: nas informaes em embalagens deprodutos reconhecerem smbolos de massa ou volume; nas previsesclimticas identificar temperaturas, presso, ndices pluviomtricos; novolume de auto-falantes reconhecer a intensidade sonora (dB); em estradasou aparelhos velocidades (m/s, km/h, rpm); em aparelhos eltricos cdigoscomo W, V ou A; em tabelas de alimentos valires calricos.Conhecer as unidades e as relaes entre as unidades de uma mesmagrandeza fsica para fazer tradues entre elas e utiliz-las adequadamente.Por exemplo, identificar que uma caixa-dgua de 2m uma caixa de 2000 Lou que uma tonelada uma unidade mais apropriada para expressar ocarregamento de um navio do que um milho de gramas. Articulao dos smbolos e cdigos de cincia e tecnologiaLer e interpretar corretamente tabelas, grficos, esquemas e diagramasapresentados em textos. Por exemplo: interpretar um grfico de crescimentoou da variao de temperatura ambiente; compreender o esquema de umamontagem eltrica; ler um medidor de gua ou de energia eltrica;interpretar um mapa meteorolgico ou uma fotografia de radiaoinfravermelha a partir da leitura de suas legendas.Construir sentenas ou esquemas para a resoluo de problemas; construirtabelas e transform-las em grfico, para, por exemplo, descrever o consumode energia eltrica de uma residncia ou o gasto de combustvel de umautomvel em funo do tempo ou a posio relativa do Sol ao longo do dia</li></ul><p> 2. ou do ano.Compreender que tabelas, grficos e expresses matemticas podem serdiferentes formas de representaes de uma mesma relao, compotencialidades e limitaes prprias para ser capaz de escolher e fazer usoda linguagem mais apropriada em cada situao alm de compreender que oconsumo mensal de energia eltrica de uma residncia ao longo do ano podeser apresentado em uma tabela que organiza os dados ou em um grfico quepermite analisar melhor as tendncias de consumo.Anlise e interpretao de textos e outras comunicaes de cincia e tecnologiaLer e interpretar informaes apresentadas em diferentes linguagens erepresentaes (tcnicas), como um manual de instalao de umequipamento, caractersticas de aparelhos eletrodomsticos ou esquemas demontagens de mveis.Acompanhar o noticirio relativo cincia em jornais, revistas e notciasveiculadas pela mdia, identificando a questo em discusso e interpretando,com objetividade, seus significados e suas implicaes para participar do quese passa sua volta. Por exemplo, no noticirio sobre telefonia celular,identificar que essa questo envolve conhecimentos sobre radiaes, suasfaixas de frequncia, processos de transmisso, alm de incertezas quanto aseus possveis efeitos sobre o ambiente e a sade.Elaborao de comunicaesDescrever relatos de fenmenos ou acontecimentos que envolvamconhecimentos fsicos como relatos de viagens, visitas ou entrevistas,apresentando com clareza e objetividade suas consideraes e fazendo usoapropriado da linguagem da fsica. Por exemplo, elaborar o relatrio davisita a uma usina de produo de energia ou algo do gnero, destacando asua capacidade de gerao de energia, o processo de produo e seusimpactos locais sociais e ambientais.Elaborar relatrios analticos, apresentando e discutindo dados e resultados,seja de experimentos, seja de avaliaes crticas de situaes, fazendo uso,sempre que necessrio da linguagem fsica apropriada. Por exemplo,elaborar um relatrio de pesquisa sobre vantagens e desvantagens do usodo gs como combustvel automotivo, dimensionando a eficincia dosprocessos e os custos de operao envolvidos.Expressar-se de forma correta e clara em correspondncia para os meios decomunicao ou via internet, apresentando pontos de vista, solicitandoinformaes ou esclarecimentos tcnico-cientfico. Por exemplo, escreveruma carta solicitando informaes tcnicas sobre aparelhos eletrnicos ouenviar um e-mail solicitando informaes a um especialista em energia solar,explicando claramente suas dvidas.Discusso e argumentao de temas de interesse de cincia e tecnologiaCompreender e emitir juzos prprios sobre notcias com temas relativos cincia e tecnologia, veiculadas pelas diferentes mdias, de forma analtica ecrtica, posicionando-se com argumentao clara. Por exemplo, enviar um e-mail contra-argumentando uma notcia sobre as vantagens da expanso dagerao termoeltrica brasileira.Argumentar claramente sobre seus pontos de vista, apresentando razes ejustificativas claras e consistentes, como ao escrever uma carta solicitandoressarcimento dos gastos efetuados nos consertos de eletrodomsticos quese danificaram em consequncia da interrupo do fornecimento de energia 3. eltrica, apresentando justificativas consistentes.Investigao e Estratgias para enfrentamento de situaes-problemacompreensoReconhecer, frente a uma situao ou problema concreto, a natureza dos fenmenos envolvidos, situando-os no conjunto de fenmeno da fsica, e identificar as grandezas relevantes em cada caso. Assim, diante de um fenmeno envolvendo calor, identificar fontes, processos envolvidos e seus efeitos, reconhecendo variaes de temperatura como indicadores relevantes. Interaes, relaes e funes; invariantes e transformaes Reconhecer a relao entre diferentes grandezas ou relaes de causa-efeito para ser capaz de estabelecer previses. Assim, conhecer a relao entre potncia, voltagem e corrente para estimar a segurana do uso de equipamentos eltricos ou a relao entre fora e acelerao para prever a distncia percorrida por um carro aps ser freado. Identificar regularidades, associando fenmenos que ocorrem em situaes semelhantes para utilizar as leis que expressam essas regularidades na anlise e nas previses de situaes do dia-a-dia. Por exemplo, compreender que variaes de correntes eltricas esto associadas ao surgimento de campos magnticos pode possibilitar, eventualmente, identificar possveis causas de distoro das imagens de tev ou causas de mau funcionamento de um motor. Reconhecer a existncia de invariantes que impe condies sobre o que pode e o que no pode acontecer em processos naturais, para fazer uso desses invariantes na anlise de situaes cotidianas. Assim, a conservao da quantidade de movimento pode ser utilizada para prever possveis resultados do choque entre dois carros, a trajetria de uma bola aps ter batido na parede, o movimento dos planetas e suas velocidades ao redor do Sol ou o equilbrio de motos e bicicletas. Identificar transformaes de energia e a conservao que d sentido a essas transformaes, quantificando-as quando necessrio. Identificar tambm formas de dissipao de energia e as limitaes quanto aos tipos de transformaes possveis impostas pela existncia na natureza de processos irreversveis. Por exemplo, avaliar o trabalho necessrio para erguer um objeto ou empurrar um caixote, a potncia de que o motor de um carro precisa para sber uma ladeira ou a quantidade de calorias para exerccio de atividades esportivas. Reconhecer a conservao de determinadas grandezas, como massa, carga eltrica, corrente, etc., utilizando essa noo de conservao na anlise de situaes dadas. Por exemplo, reconhecer a relao entre a vazo de entrada e de sada de um sistema hidrulico ou da corrente eltrica que entra e a que sai de um resistor. Medidas, quantificaes, grandezas e escalas Fazer uso de forma e instrumentos de medidas apropriados para estabelecer comparaes quantitativas. Por exemplo, escolher a forma adequada para medir a quantidade de gua presente em um corpo ou a quantidade de alimento em uma embalagem. Ou escolher a melhor forma para medir o comprimento de uma sala ou a distncia percorrida em uma trajeto longo. Fazer estimativas de ordens de grandezas para poder fazer previses. Por exemplo, estimar o volume de gua de um tanque ou de uma piscina e o tempo necessrio para esvazi-la. Compreender a necessidade de fazer uso de escalas apropriadas para ser 4. capaz de construir grficos ou representaes como a planta de uma casa ouo mapa de uma cidade. Modelos explicativos e representativos Conhecer modelos fsicos microscpicos para adquirir uma compreenso mais profunda dos fenmenos e utiliz-los na anlise de situaes-problema. Por exemplo, utilizar modelos microscpicos do calor para explicar as propriedades trmicas dos materiais ou modelos da constituio da matria para explicar a absoro de luz e as cores dos objetos. Interpretar e fazer uso de modelos explicativos reconhecendo suas condies de aplicao. Por exemplo, compreender que o funcionamento de um termmetro clnico pode ser explicado em termos macroscpicos pela dilatao trmica do mercrio, enquanto apenas o modelo microscpico da matria permite compreender o fenmeno da evaporao de um lquido. Adquirir uma compreenso csmica o Universo, das teorias relativas ao seu surgimento e sua evoluo, assim como do surgimento da vida, de forma a poder situar a Terra, a vida e o ser humano em suas dimenses espaciais e temporais do Universo. Na utilizao de um conceito ou de uma unidade de grandeza reconhecer ao mesmo tempo a sua generalidade e o se significado especfico em cada cincia. Por exemplo, energia, caloria ou equilbrio so conceitos com significados diferentes, embora correspondentes, em fsica, qumica ou biologia. Reconhecer na anlise de um mesmo fenmeno as caractersticas de cada cincia, de maneira a adquirir uma viso mais articulada dos fenmenos. Por exemplo, no ciclo da gua compreender que a fsica revela os aspectos das transformaes de estado e processos de circulao, enquanto a qumica trata das diferentes reaes e do papel das solues, e a biologia analisa a influencia nas cadeias alimentares e o uso do solo.Contextualizao Cincia e tecnologia na histriasocioculturalCompreender a construo do conhecimento fsico como um processo histrico, em estreita relao com as condies sociais, polticas e econmicas de uma determinada poca. Compreender, por exemplo, a transformao da viso de mundo geocntrica para a heliocntrica, relacionando-a s transformaes sociais que lhe so contemporneas, identificando as resistncias, dificuldades e repercusses que acompanham essa mudana. Compreender o desenvolvimento histrico dos modelos fsicos para dimensionar corretamente os modelos atuais, sem dogmatismo ou certezas definidas. Compreender o desenvolvimento histrico da tecnologia nos mais diversos campos e suas consequncia para o cotidiano e as relaes sociais de cada poca, identificando como seus avanos foram modificando as condies de vida e criando novas necessidades. Esses conhecimentos so essenciais para dimensionar corretamente o desenvolvimento tecnolgico atual por meio de suas vantagens e de seus condicionantes. Reconhecer, por exemplo, o desenvolvimento de motores, ao domnio da aerodinmica e conquista do espao, identificando a evoluo que vem permitindo ao ser humano deslocar-se de um ponto a outro do globo terrestre em intervalos de tempo cada vez mais curtos e identificando tambm os problemas decorrentes dessa evoluo. Perceber o papel desempenhado pelo conhecimento fsico no desenvolvimento da tecnologia e a complexa relao entre cincia e 5. tecnologia ao longo da histria. Muitas vezes, a tecnologia foi percebida pelo desenvolvimento da fsica, como no caso da fabricao de laser, ou em outras, foi a tecnologia que atendeu o conhecimento cientfico, como no caso das mquinas trmicas.Cincia e tecnologia na cultura contemporneaCompreender a fsica como parte integrante da cultura contempornea,identificando sua presena em diferentes mbitos e setores, como nasmanifestaes artsticas ou literrias, em peas de teatro, letras de msica,etc., estando atento contribuio da cincia para a cultura humana.Promover e interagir com meios culturais e de difuso cientfica por meio devisitas a museus cientficos ou tecnolgicos, planetrios, exposies, etc.,para incluir a devida dimenso da fsica e da cincia na apropriao dosespaos de expresso contemporneos.Compreender formas pelas quais a fsica e a tecnologia influenciam nossainterpretao do mundo atual, condicionando maneira de pensar e interagir.Por exemplo, como a relatividade ou as idias qunticas povoam o imaginrioe a cultura contempornea, conduzindo extrapolao de seus conceitospara diversas reas, como para a economia ou a biologia.Cincia e tecnologia na atualidadeAcompanhar o desenvolvimento tecnolgico contemporneo; por exemplo:estabelecendo contato com os avanos das novas tecnologias na medicinapor meio de tomografias ou diferentes formas de diagnsticos; na agriculturanas novas formas de conservao de alimentos com o uso das radiaes; narea de comunicao com os microprocessadores, CDs, DVDs, telefoniacelular, tev a cabo.Cincia e tecnologia, tica e cidadaniaCompreender a responsabilidade social que decorre da aquisio deconhecimento, sentindo-se mobilizado para diferentes aes, seja na defesada qualidade de vida e da qualidade das infra-estruturas coletivas, seja nadefesa de seus direitos como consumidor.Promover situaes que contribuam para a melhoria das condies de vidada cidade onde vive ou da preservao responsvel do ambiente,conhecendo as estruturas de abastecimento de gua e eletricidade de suacomunidade e dos problemas delas decorrentes, sabendo posicionar-se,argumentar e emitir juzos de valor.Reconhecer que, se a tecnologia melhora a qualidade de vida do ser humano,ela tambm pode ter efeitos que precisam ser ponderados quanto a umposicionamento responsvel. Por exemplo, o uso de radiaes ionizantesapresenta benefcios e riscos para a vida humana.Reconhecer em situaes concretas a relao entre fsica e tica, seja nadefinio de procedimentos para a melhoria das condies de vida, seja emquestes como do desarmamento nuclear ou em mobilizaes pela pazmundial.Reconhecer que a utilizao dos produtos da cincia e da tecnologia nemsempre democrtica, tomando conscincia das desigualdades e danecessidade de solues de baixo custo, como para ampliar o acesso eletricidade. 6. CONTEDOS ESTRUTURANTESEm busca de construir um ensino de Fsica centrado em contedos e metodologias capazes de possibilitaraos estudantes uma reflexo sobre o Mundo das cincias sob a perspectiva de que esta no somentefruto da pura racionalidade cie...</p>

Recommended

View more >