pernambuco recife—sexta-feira, 11 de abril de 1902 incia ... ?· pernambuco...

Download PERNAMBUCO Recife—Sexta-feira, 11 de Abril de 1902 INCIA ... ?· PERNAMBUCO Recife—Sexta-feira,…

Post on 09-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PERNAMBUCO RecifeSexta-feira, 11 de Abril de 1902

#

AJSTJNO XXV N. 81ASSiONATURA^

GAFIA&

irts rn****,. WMleis um**................... 12*000

PAQABEHTO A0IA1TAD0

KuBoero do dia 100 ris mWWW i_LMkw.^^^^^^^^*^

INCIA A88IQNATURAFORA DA CAPITAIStii mexei.Ua anno..TELEGRAMM1S

Rio, 10.A directoria da Associao Commer

ciai convocou para sabbado .prximouma sesso extraordinria, conjuncta, darespectiva con misso de contas, emvirtude de estar provada seria irregula-ridade na escripta.

E' possvel que logo depois seja convocada a assembla geral extraordinria.

O senado adiou a discusso do projecto creando n'esta cidade um terceirocartrio de registro de hypothecas.

ticasse, descobrindo em nossas queixas I nistrativa da Santa Casa de Misericrdiain^linnn^oo V, ~ _nn^._-_ I2_ I__ A A rA(>ph(>TTI Hndnfac nr\ Imonifnl T> a

PAGAMBTTO ADIAITADO

Numero atrazado 200 ris

Telegrammas de Roma noticiam que aimprensa d'alli affirma terem fracassado

indignadas ou em nossas indignadas cen-suras o estimulo de todas as suas teimase de todos os seus erros.

Pede hoje que lhe mostremos uma sa-hida razoavelmente pratica vel...

Menos cruis do que a formiga de LaFontaine, no mandamos o dr. Gonal-ves Ferreira danar agora, s. exc. o go-vernador-cigarra.

Quaes so os credores expostos rui-na e mendicncia ? Os funecionariospblicos ? E' pequeno o numero dos queno negociaram no Banco das Ciasses ena agiotagem dos compradores de orde-nados os seus vencimentos em atrazo eo Banco das Classes e os compradoresde ordenados lucrariam cincoenta por

as negociaes para a reciprocidade e cento se, em logar de aplices, recebesconcesses aduaneiras entre o Brazil e aItlia.

ccrescenta que e Brazil fica ameaa_ o com o augmento de 50 % nos direitosde importao do caf caso eleve os direi-tos actualmente cobrados sobre gnerositalianos.

sem a divida dos cofres a dinheiro, noprazo de dois annos e em amortisaessemestraes.

Se o governo reservasse no oramento,abatido, a cinco ou seis mil contos, umaverba para solver assim os seus debitos, no arriscaria a honra do thesouronos saques sobre o futuro.

Continua o patrono do emprstimo fora:

Nas circumstancias actuaes para que umemprstimo encomtre acceitao, duas condi-es principaes se exigem : l. coafiana nofiel cumprimento das obrigaes contrabidaspelo tomador; 2. premio asss remuneradorpara o capital emprestado _

Se os bilhetes da loteria do governo se1.x. v-o^o^n^c^^-w x+-x.^.x,*mx.xxx, .* impem confiana de todos porque oaugmento dos direitos de importao I dl> Gonalves Ferreira no os vende na

I rua e no paga em dinheiro

Na cmara dos deputados cousa algu-ma oceorreu hoje digno de meno.

Londres, 10.Os irmos Rothscbild intervieram pe-

rante o Chile e a Republica Argentina nointuito de ser garantida a paz.

The Sun, oecupando-se da aggravaode impostos ultimamente decretada, pedeocobrados sobre o caf.

Parece que Rosebery ser o substitutodo conde de Kimberley, leader dos libe-raes na cmara dos lords.

Paris, 10.A Rssia ordenou a mobila o, em ju-

lho prximo, de sua esquadra do marNegro e do Baltico e a concentrao dastropas em Odessa. ^

Chegaram a Tanger cinco vasosguerra russos e trez francezes.

de

Parece que os oranginos recusam ascondies para o restabelecimento dapaz na frica do sul propostas peloTransvaal.

Cortes de seda a 20,5000, na grande li-

uidao do Armazm Leo, rua Nova,

i, confronte igreja dos militares.'

TRANQUE A ARMADILHA...Na loteria do governo os bilhetes eus-

tam cem mil ris; a primeira sorte grn-de de cinco contos sahir em abril doanno vindouro se as cousr.s no peiorarem quod Deus aoertate d'ahi, de seisem seis mezes at 1914, dada a hypothesede que tudo marche de acordo com osvaticinios dos Nostradamus da politicado dr. Rosa e Silva.

S. exc. e o Pacheco de Ea de Queirozgarantiram que era impossvel predizero futuro ; mas os discpulos de ambosse insurgem contra essa affirmativa dehora em hora.

Os planos das outras loterias, loteriasde credito ainda no posto em duvida,deixam vantagens de tal ordem que noreceiam a competncia do thesouro : of-ferecem mil prmios de centenas de con-tos, correm diariamente e custam doisou trs mil ris.

No ha bilhetes brancos na loteria dogoverno, gritaro os nnuncios nos jor-naes e os cartazes nas esquinas.

No ha, certo; o governo, porm,promette receber o ultimo em abril de1914 se as cousas no peioraremquodDeus aoertte o governo no encontramuitos Jobs que resistam a vinte e qua-tro semestres, sujeitos ainda ao caprichodos nmeros e s delongas das lettrasdo alphabeto.

Esses e outros embaraos devemseas cousas no peioraremtransformaros vinte e quatro semestres em quarentae oito, em noventa e seis, n'uma eterni-dade de logros.

O segundo semestre de 1901, para osjuros das aplices, est com dez mezes :o thesouro ainda no passou do E e nemsabe se alcanar o Z na volta das ca-lendas gregas.

Hontem appareceu no Jornal do Recifeuma defesa aos bilhetes do governo e apessoa que se encarregou de defendel-osno os acceitar a dez o vinte mil risse tiver negcios no thesouro.

A.s razes do Patelin da emisso dosquatro mil contos valem o que o advo-gado pesa:'-' e O tbesouro deve, no tem dinbeiro parapagar a divida existente, nem a renda com quepodemos contar nos d esperana d melhor si-tuao no prximo exercido. Ifesaas condi-es, faz o que faria qualquer particular: saccasobre o futuro, isto , toma emprestado paradesembaraar-se dos apuros do momento em-quanto procura melhorar o futuro diminuindoas despezas susceptveis de eliminao e ex-piorando novas fontes de renda.

Excellente receita 1...Quem deve e no pde pagar, toma di-

nheiro emprestado com gio, augmentaas suas dividas e como o futuro a Cuspertence, nas mos de Deus se entrega.

No procedem de outro modo os quefazem do calote um meio de vida.

O governo no espera que a situaomelhore no prximo exerccio e, em vezde restringir todas as suas despezas defidalgo, emitte aplices para se livrar deatropellos momentneos, assume com-promissos irrealisaveis e multiplica asangustias de um longo desespero.

A penria actual a somma dos asa-qus si-bre o futuro, a victoria dasnossas criticas diante dos escndalos, daimprevidencia e da inpcia dos que ad-ministraram e administram a fazendaalheia, sem escrpulos e sem cuidado.

O escriptor do Jornal nos dirige algumas perguntas e ns nos dispomos a res-pondel-as :

rua e nao paga em dinheiro aos seuscredores ?

O governo vae dal-os no caracter demoeda e ningum os recusar : i melhora perda de cincoenta ou sessenta milris em cem mil ris do que a perda detoda a quantia.

Outro dinheiro o governo no possuee as cdulas'de verdade no chegam paraos protegidos.

... A entrega dos juros das aplices feita no thesouro dentro das vogaes econsoantes do a b c do dr. SigismundoGonalvesaquilo: non gernt columbaspor um excesso de zelo :

c Pernambuco tem honrado sempre sua fir-ma, solvendo em dia os seus compromissosde dia certo, e si no com rigo> osa pontualidade,com louvvel regularidade (?) os comprom-sos de dia incerto.

O prprio juro das aplices que i a tecla fia-vorita da opposio na sua tarefa inglria dedesacreditar o estado, uma prova do queacabamos de dizer. Nunca o estado se recu-sou a pagar, nunca o thesouro declarou sus-penso esse servio (!). Em que se funda pois aaceusao?

O que o thesouro tem feito regularisar esseservio, para evitar a anarchia, mais perigosanelle do que em qualquer outro ramo de ser-vio publico. , -,

Porventura o thesouro federal paga 6 func-cionalismo federal anarchieamente ? No tamelle sua tabeli, segundo a qual prefixa diacerto para:pagar a esta e no aquella classe ? [cada classe tem de spetr o dia que lhe foidesignado na tabeli. ' isso calotear ? ' issono querer pagar? E' isso protelar capricho-somente o pagamento ?Pois o que faz o thesouro do estado noservio da pagadria.

As leis que autorisaram a emisso deaplices estabeleceram o paga ento dogio dos semestres nas primeiras quin-zenas de dezembro e julho e o governotransg.de a lei para regul risar o ser-vio do thesouro !

De 1. de janeiro a 10 de abril a regu-laridade do servio attingiu apenas o E',a quinta lettra do alphabeto do calote....

E que razes teve o governo para ado-ptar esse curioso systema de solver emdia os sens compromissos ?

No thesouro federal ha uma tabeli depagamento dos funecionarios pblicosexplica o hospede do Jornale comoa tabeli de classes o governo, no que-rendo copial-a, deu-nos o a b c interm-navel, cinco lettras em quatro mezes.

Os juros das aplices federaes no sepagam pelas vibraes das notas de mu-sica nem por outro qualquer methodo deidnticas vantagens.

O thesouro do estado, tambm, paga-va aos funecionarios pblicos de accor-do com uma tabeli e se hoje no paga porque se acabou a proviso de aplicesha cinco ou seis mezes.

Para regularidade do servio, o gover-no amanh adiar o sorteio dos bilhetesda sua nova loteria, adiar, o premiogrande, adiar tudo...

Tranque a armadilha, sr. dr. Gonal-ves Ferreira : nella chiro somente osque se acham presos no thesouro...

s se recebem doentes no hospital Pe-dro II das 9 s 11 horas da manh e das3 s 5 horas da tarde, salvo nos casos deferimentos ou desastres, em que serorecebidos a qualquer hora, isto emquan-to durar a epidemia na cidade.

Recebemos hontem as seguintes re-clamaes :

Em um becco atraz da matri de S.Jos ha bastante lama apodrecendo.

No becco da Cacimba, lado poste-rior do armazm da rua Bispo Sardinha,alm de haver muito cisco, fazem noitedespejo.

Os moradores dos predios ns. 1 a53, da rua I

Recommended

View more >