paisagens sedimentares rochas sedimentares estratificadas

Download PAISAGENS SEDIMENTARES Rochas sedimentares estratificadas

Post on 18-Apr-2015

121 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • PAISAGENS SEDIMENTARES Rochas sedimentares estratificadas
  • Slide 2
  • CLASSIFICAO DAS ROCHAS SEDIMENTARES ROCHAS DETRTICAS ROCHAS DETRTICAS ROCHAS QUIMIOGNICAS ROCHAS QUIMIOGNICAS ROCHAS BIOGNICAS ROCHAS BIOGNICAS Critrio: origem da fraco dominante / tipo de sedimentos
  • Slide 3
  • ROCHAS SEDIMENTARES DETRTICAS NO CONSOLIDADASCONSOLIDADAS Podem ser NO CONSOLIDADAS ou CONSOLIDADAS Formadas por sedimentos soltos, ou seja, acumulaes de sedimentos no consolidados DIAGNESE Formadas por sedimentos que foram unidos por um cimento, ou seja, sofreram DIAGNESE Formadas por fragmentos slidos (detritos) obtidos a partir da meteorizao e eroso de rochas preexistentes
  • Slide 4
  • ROCHAS SEDIMENTARES DETRTICAS No consolidadasConsolidadas BalastrosConglomerados e Brechas AreiaArenitos ou Grs SilteSiltitos ArgilaArgilitos DIAGNESEDIAGNESE
  • Slide 5
  • Tipos de Areias Areia Marinha Areia Fluvial Areia Elica Areia Vulcnica
  • Slide 6
  • Evoluo de areias para arenito ROCHAS SEDIMENTARES DETRTICAS
  • Slide 7
  • FORMAO DE UM arGILito
  • Slide 8
  • ROCHAS SEDIMENTARES QUIMIOGNICAS precipitao qumica Formadas por materiais resultantes da precipitao qumica de substncias dissolvidas em soluo aquosa Precipitao provocada por evaporao de gua Precipitao provocada por alteraes de P e T do ambiente ROCHAS SALINAS ou EVAPORITOS (GESSO E SAL GEMA) ROCHAS CARBONATADAS (CALCRIOS DE PRECIPITAO) Ocorre precipitao qumica quando uma substncia se separa do lquido em que se encontrava dissolvida ou suspensa, sedimentando-se.
  • Slide 9
  • CALCRIOS DE PRECIPITAO CALCRIOS DE PRECIPITAO calcite Os calcrios so rochas constitudas essencialmente por calcite. A calcite, que quimicamente carbonato de clcio (CaCO 3 ), um mineral que se pode formar a partir de sedimentos qumicos, nomeadamente ies de clcio (Ca 2 + ) e bicarbonato (HCO 3 - ), atravs da expresso: Ca 2 + + 2HCO 3 - CaCO 3 + H 2 O + CO 2 formao da calcite associa-se a formao de H 2 O e de CO 2. A diminuio do teor de CO 2 nas guas em consequncia do aumento da temperatura da gua, da diminuio da presso atmosfrica ou da agitao das guas (por exemplo, por efeito da ondulao) determina que o equilbrio qumico se desloque no sentido da formao de CO 2 e, consequentemente, da precipitao da calcite. calcrios de precipitao Os calcrios que resultam da precipitao de carbonato de clcio, por este ser insolvel, devido a processos fsico-qumicos em que a participao biolgica pode assumir um papel importante, denominam-se por calcrios de precipitao.
  • Slide 10
  • FORMAO DE LAPIS O CO 2 pode reagir com a gua na natureza e estas guas acidificadas (cido carbnico) meteorizam quimicamente os calcrios dissolvendo a calcite, mineral que os constitui. Desta reaco resulta bicarbonato de clcio, que soluvel nas guas. LAPIS Nos macios calcrios ficam esculpidos sulcos e cavidades que formam um modelado caracterstico (rendilhado) conhecido por LAPIS TERRA ROSSA Junto aos lapis frequente encontrar-se TERRA ROSSA (depsito avermelhado de substncias insolveis contidas no calcrio)
  • Slide 11
  • FORMAO DE GRUTAS Modelado crsico GRUTAS Formam-se tambm aberturas que estabelecem ligao entre a superfcie e uma rede de cavidades e galerias internas no macio, que foram geradas do mesmo modo - GRUTAS calcite A gua que circula no interior das grutas transporta bicarbonato de clcio que, em determinadas condies (elevao da temperatura) pode precipitar em carbonato de clcio, com formao de calcite CALCRIOS DE PRECIPITAO
  • Slide 12
  • CALCRIOS DE PRECIPITAO CALCRIOS DE PRECIPITAO ESTALACTITES ESTALAGMITES Quando goteja gua do tecto da gruta, cada gota precipita um pouco de carbonato de clcio e a sua acumulao leva formao de estruturas pendentes ESTALACTITES. Tambm o gotejar constante sobre o solo acumula pelculas de carbonato de clcio que formam estruturas ascendentes - ESTALAGMITES Estalactites e estalagmites tomam, por vezes, formas caprichosas e podem encontrar-se e ligar-se, formando colunas. Se houver precipitao no solo da gruta pela gua que flui forma-se CALCRIO TRAVERTINO
  • Slide 13
  • ROCHAS SALINAS OU EVAPORITOS ROCHAS SALINAS OU EVAPORITOS Resultam de precipitao de sais dissolvidos em solues aquosas devido evaporao de guas marinhas retidas em lagunas ou lagos salgados no interior dos continentes GESSO ( precipitao de sulfato de clcio) GESSO ( precipitao de sulfato de clcio) SAL-GEMA (precipitao de cloreto de sdio)
  • Slide 14
  • Formao do sal gema Precipitao de NaCl com formao do mineral HALITE (esta precipitao desencadeada pela evaporao de guas marinhas retidas em lagunas que contm NaCl em soluo)
  • Slide 15
  • DOMAS SALINOS ou DIAPIROS O sal-gema pouco denso e muito plstico e, quando sob presso de camadas superiores depositadas, tem tendncia a ascender atravs de zonas dbeis das rochas encaixantes. DIAPIROS DOMAS SALINOS Formam-se grandes massas de sal DIAPIROS ou DOMAS SALINOS Formao de um doma salino
  • Slide 16
  • ROCHAS SEDIMENTARES BIOGNICAS Originadas a partir de detritos orgnicos ou materiais produzidos por seres vivos (conchas, esqueletos, restos vegetais, etc) CALCRIOS BIOGNICOS CALCRIOS BIOGNICOS CARVO CARVO PETRLEO PETRLEO
  • Slide 17
  • CALCRIOS BIOGNICOS CALCRIOS BIOGNICOS Calcrio recifal Calcrio recifal Formado em consequncia da actividade biolgica dos corais - seres vivos que edificam estruturas calcrias, sob a forma de recifes, a partir do carbonato de clcio dissolvido na gua do mar Calcrio conqufero Calcrio conqufero Resultante da acumulao e cimentao de conchas e outras estruturas produzidas por seres vivos a partir do carbonato de clcio da gua do mar ROCHAS SEDIMENTARES BIOGNICAS
  • Slide 18
  • Da matria orgnica ao CARVO e PETRLEO Da matria orgnica ao CARVO e PETRLEO Acumulao de restos vegetais no fundo de bacias sedimentares originalmente pouco profundas como lagos e pntanos. As camadas com detritos orgnicos vo aprofundando progressivamente com o peso das camadas superiores ficando num ambiente privado de oxignio CARVOPETRLEO Os detritos escapam mineralizao das bactrias aerbias sendo transformados em CARVO e PETRLEO pelos seres anaerbios em novas condies presso e temperatura
  • Slide 19
  • ROCHAS SEDIMENTARES BIOGNICAS CARVO CARVO (resulta da decomposio de detritos vegetais em ambientes hmidos que formam a TURFA) Incarbonizao Evoluo do carvo a partir da turfa (sedimento) Verifica-se perda de gua e substncias volteis, diminuio da porosidade e aumento da [ carbono ]
  • Slide 20
  • Etapas que podem ter dado origem ao Carvo 1.Durante o perodo Carbnico, na Era Primria, a floresta era densa e estendia-se ao longo das margens dos rios, lagos e pntanos. 2.Com a subida do nvel das guas, as rvores ficaram submersas e morreram. 3.Os restos vegetais, como troncos e folhas, acumularam-se em zonas propcias sedimentao.
  • Slide 21
  • Origem do Carvo (continuao) 5.Os materiais assim acumulados foram sendo decompostos por micrbios, na ausncia de oxignio, iniciando-se a formao do carvo 6.A repetio deste processo associada ao avano e recuo das guas levou ao afundamento da bacia, com acumulao de novas camadas de sedimento 7.O aumento da presso e temperatura e o enriquecimento em carbono ao longo tempo originou os diferentes carves 4.Estes restos vo sofrer compresso devido deposio de sedimentos (argilas e areias) transportadas para o local.
  • Slide 22
  • ROCHAS SEDIMENTARES BIOGNICAS PETRLEO PETRLEO Forma-se na rocha-me a partir da sucessiva deposio de matria orgnica de origem aqutica (restos de algas e outros organismos planctnicos) que vai sendo alterada e convertida em hidrocarbonetos (petrleo e gs natural) ROCHAS ARMAZM ou RESERVATRIO Como pouco denso tende a migrar da rocha-me e a acumular-se em rochas mais porosas e permeveis ROCHAS ARMAZM ou RESERVATRIO (arenitos ou calcrios) Sobre esta rocha existe rocha mais impermevel (argilito) que impede a migrao do petrleo at superfcie ROCHA COBERTURA Na rocha armazm (permevel) existe gua aprisionada e a disposio dessa gua, do petrleo e do gs natural no jazigo faz-se de acordo com as densidades
  • Slide 23
  • ROCHAS SEDIMENTARES BIOGNICAS PETRLEO PETRLEO Para que o petrleo possa ser explorado de forma rentvel necessria a sua acumulao em grandes quantidades Essa acumulao favorecida pela combinao de certas estruturas geolgicas (falhas e dobras) com o tipos de rochas que criam barreiras impermeveis ARMADILHAS PETROLFERAS
  • Slide 24
  • Formao do Petrleo 1.H milhes de anos foram transportados, pelas correntes marinhas, grandes quantidades de plncton para bacias prximas da costa com pouca movimentao de guas; 2.As condies atmosfricas da Terra primitiva, levaram a um aumento brusco da temperatura, grande evaporao de gua nessas bacias com consequente aumento da salinidade, provocando a morte do plncton ;
  • Slide 25
  • Formao do Petrleo Continuao 3.Os minsculos cadveres foram-se acumulando no fundo sendo cobertos por sedimentos; 4.Ao abrigo do ar deu-se a decomposio microbiana do plncton, formando-se uma pasta gelatinosa; 5.O peso dos sedimentos e consequente afundimento da bacia conduziram ao aumento da presso e temperatura, transformando lentamente a pasta gelatinosa num liquido - o petrleo; Camadas de Sedimentos Rocha Me do petrleo (rocha argilosa) 6.O petrleo formou-se em profundidade no seio de rochas sedimentares. A rocha onde se originou denomina-se