ota versus alcochete

Download Ota versus Alcochete

Post on 16-Apr-2017

3.128 views

Category:

Business

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • INTRODUO

    Excluindo os pequenos aeroportos regionais e a base das Lajes, Portugal tem 9 aeroportos: Portela, Francisco S Carneiro, Faro, Madeira (todos considerados internacionais), Joo Paulo II (Pta. Delgada), Porto Santo, Horta, St Maria e Flores.Prev-se que o aeroporto internacional da Portela, actualmente com um trfego anual prximo de 12 milhes de passageiros (cerca de 3 vezes o trfego dos aeroportos do Porto e de Faro e cerca de 6 vezes o da Madeira), esteja saturado por volta do ano de 2020.

  • De acordo com todos os estudos realizados at data por consultores estrangeiros e especialistas nacionais, revela-se necessrio um novoaeroporto de Lisboa (NAL).Mas: qual a poltica aeroporturia de Portugal? No do conhecimento pblico.Mas: qual a poltica de ordenamento do territrio que eventualmente condiciona a implantao de um novo aeroporto internacional na regio de Lisboa?No do conhecimento pblico.E: qual a relao que o NAL deve ter com o traado do TGV? E com a nova travessia do Tejo?Nenhuma: o TGV liga centros urbanos, no tem forosamente que passar por aeroportos. As decises de construo de uma nova travessia e de um NAL no esto relacionadas.

  • A Espanha tem 2 aeroportos internacionais no continente (Madrid eBarcelona) e 2 nas ilhas (Baleares e Canrias)Os outros aeroportos (e so muitos) tm carcter regional:

  • Uma comparao da Ota com AlcocheteNuma comparao entre locais, tarefa data em curso no LNEC e que envolve muitos factores, analise-se brevemente o seguinte:1 - rea disponvel e relevo.2 - Terrenos de fundao.3 - Hidrologia (factor habitualmente no relevante mas neste caso pertinente pelas condies especficas do local da Ota).4 - Faseamento e prazo da construo.5 - Custo.6 - Impactes ambientais.7 - Acessibilidades.

  • 1 rea disponvel e relevo Na Ota: 1.400 ha disponveis, 1.200 ha de construo.

  • A Ota apresenta muitos obstculos s servides aeronuticas. j dificil implantar duas pistas e no ser possivel construir uma 3 porfalta de espao. Em 2035, a procura ser superior capacidade de duas pistas. A ser construda e sem a mnima possibilidade de expanso , a Ota estar saturada com apenas 20 anos de operao. Os seus 1.200 ha encontram-se entalados entre a Serra de Montejunto e colinas, o que, para alm de reduzir a capacidade das pistas, no um factor de segurana na navegao area.Com o relevo que apresenta, obriga a cerca de 50 milhes de m3 de terraplenagens com um custo de mais de 300 milhes de euros (1,5 vezes o custo final do Centro Cultural de Belm).

  • 1 rea disponvel e relevo Em Alcochete: 8.000 ha disponveis.BA: pista existente

    H: localizaes propostas para o NAL Campo de Tiro de Alcochete

  • Alcochete oferece uma imensa rea disponvel sem quaisquer obstculos navegao area.

    O relevo muito suave no obrigando, como na Ota, ao corte de colinas (cerca de 30m para a pista Poente) ou ao aterro de vales (cerca de 20m para a mesma pista).

    Estimou-se, para local prximo e com as mesmas caractersticas geolgicas, um volume de terraplenagens da ordem de 5 milhes de m3 (dez vezes menos do que na Ota). ( Relatrio dos ADP )

  • 2 Terreno de fundao Na Ota:

    Solos com muito baixa capacidade de carga, os correspondentes aos leitos de trs ribeiras, obrigam a um tratamento com estacas de brita em nmero superior a 235.000, com um comprimento total de mais de 2.600 km e com um custo estimado em 105 milhes de euros. (custo de 3 estdios do Euro 2004).

  • 2 Terreno de fundao Em Alcochete:Nenhum inconveniente a assinalar. Solos com boa capacidade de carga no necessitando de tratamento nem de solues estruturais com fundaes especiais.

    Uma banalidade construtiva.

  • 3 Hidrologia Na Ota: As 3 ribeiras

    ( A rea do aeroporto, com cerca de 1.200 ha, est implantada no interior dos braos superior e inferior da rede hidrogrfica, penetrando nele o brao diagonal)

  • 3 Hidrologia Em Alcochete: No so necessrios trabalhos hidrulicos. ( como habitualmente o caso de infraestruturas aeroporturias em terra firme).

  • 4 Faseamento e prazo de construo

    Na Ota: impossivel o faseamento da construo (as duas pistas tm que ser construdas simultaneamente por condicionamentoss tcnicos inultrapassveis).

    Em Alcochete:A rea disponvel no apresenta impedimentos a uma construo faseada decorrente da necessidade de uma futura expanso. O local apresenta enorme flexibilidade.

  • Estima-se que o empreendimento em Alcochete possa ser concludonum prazo inferior em cerca de 3 anos ao da Ota.

    ( Relatrio dos ADP )

  • 5 Custo

    Com base na estimativa oramental da Parsons, Alcochete ter no mnimo um custo de 30% inferior ao da Ota (mesmo incluindo o custo de uma desminagem, dado o antigo uso do local como campo de tiro ). Ou seja, para o ltimo nmero avanado pelo Governo de 3,2 mil milhes de euros, uma reduo da despesa nunca inferior a cerca de mil milhes de euros,cerca de 0,7 % do PIB.

    (Estimativa oramental da Parsons de 2005)

  • 6 Impacte ambiental

    muito excepcional que um projecto de implantao aeroporturia seja objecto de um estudo global com uma tal exaustividade...que examina 18 critrios. (Relatrio dos ADP)

    ( Numa comparao Ota Alcochete, os ADP classificam do modo que a seguir se indica os critrios constantes nos Estudos Preliminares de Impacte Ambiental - EPIA)

    No decisivos ou deficientemente quantificveis: Geologia, Tipo e fragilidade dos solos, Risco ssmico, guas subterrneas, Hidrologia, Qualidade do ar, Biologia aqutica, Ordenamento do territrio, Economia local e regional.

  • Decisivos: Rudo, Flora e cobertura vegetal, Paisagem,Riqueza da fauna, Risco de coliso com aves, Paleontologia, Histria. (pginas 144 a 148 do Relatrio dos ADP)

    No antecipando as concluses dos EPIA:

    Provavelmente ser apontado ao stio de Alcochete o defeito de ser guardio de flora e de fauna de incalculvel valor e de imperativa preservao (sobreiros em primeiro lugar, eucaliptos logo a seguir...).

    Provavelmente sofrer tambm do pecado mortal de ter os seus 2.000 haincludos nos mais de 690.000 ha do vulnervel e precioso aqufero da margem esquerda da bacia Tejo-Sado, que se quer virgem para sempre (excepto na Ota onde ele tambm est, na roupagem da margem direita).

  • OtaAlcocheteLimite da baciaA bacia hidrogrfica Tejo-Sado, margens direita e esquerda.

  • A margem esquerda da bacia Tejo-Sado2.000 ha nos 690.000 ha da bacia.

  • 7 Acessibilidades Na Ota:A natureza das infraestruturas existentes, o relevo e a ocupao urbana limitam as solues de acesso rodovirio e ferrovirio a Lisboa que constituem um molho ... complicado.

    Algumas das suas componentes, embora viveis, so custosas ou de eficcia questionvel.

  • De facto :Acessos rodovirios: De modo a evitar uma ligao directa A1 (Auto Estrada do Norte), prev-se a ligao do aeroporto A10 entre o Carregado e Bucelas.Esta soluo, aliada a uma ligao entre a A8 e a A1, permitiria uma distribuio mais equitativa do trfego em direco a Lisboa, entre aqueles itinerrios ( A8 actualmente com baixo nvel de servio, A1 saturada). (Relatrio dos ADP) Acessos ferrovirios:Prev-se uma linha dedicada, com cerca de 45 km dos quais 37 km em tnelou viaduto, com um custo estimado, diz-se, de 1.500 milhes de euros (valor no includo na estimativa oramental).

  • Para evitar um estrangulamento, considerada necessria a construo de uma via qudrupla na Linha do Norte, no troo Brao de Prata Azambuja, assegurando 46 a 52 combios/hora/ sentido.

    No entanto, entre Alverca e Vila Franca a ocupao urbana obriga a que se mantenha a via dupla com um trfego de 20 a 22combios/hora/ sentido, sendo para tal necessrio instalar uma nova sinalizao apropriada ao aumento de trfego. ( Relatrio dos ADP )

  • Esquematicamente: Rodovia existente

    Rodovia a construir

    Via frrea qudrupla

    Via frrea dupla

    Via frrea dedicada

  • 7 Acessibilidades Em Alcochete:As solues quer rodovirias quer ferrovirias no se encontram estudadas. No entanto, uma expedita leitura das infraestruturas existentes, apoiada nas solues apontadas para Rio Frio no estudo dos ADP, permite apontar as principais linhas de acesso a Lisboa.

    Acessos rodovirios: . Pte. Vasco da Gama, A12, IC32, N118, num total de 30 km.. Pte. 25 de Abril, A2, IC32, N118, num total de 40 km.

  • Acessos ferrovirios:

    Via dupla geral e via dupla do ramal de acesso ao aeroporto.

    Ligao Linha do Alentejo em Pinhal Novo. Esta estao ocupa uma posio estratgica no cruzamento daquela linha com a Linha do Sul, permitindo o transbordo dos passageiros com destino a vora, Beja, Setbal e a todo o sul do pas.

    O itinerrio Pinhal Novo - Penalva - Corroios - Chelas apresenta uma suficincia de canal para absorver 3 a 4 comboios/hora/sentido, exclusivos do novo aeroporto. ( Relatrio dos ADP )

  • Esquematicamente:

    Rodovia existente

    Rodovia a construir

    Via frrea existente

    Via frrea dedicada

  • 8 ConclusoDe uma comparao expedita entre os stios da Ota e de Alcochete parecem ressaltar com grande evidncia as vanta