os mensageiros - capítulo 01

Click here to load reader

Post on 21-Dec-2014

789 views

Category:

Spiritual

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

2 Livro da Serie a Vida no Mundo Espiritual - Francisco Candido Xavier ; Andre Luiz

TRANSCRIPT

  • 1. Os Mensageiros A vida no mundo espiritual Pelo Espirito Andr Luiz Francisco Candido Xavier Estudo por Patrcia Farias Dubai, 10/09/2013
  • 2. http://espacodespertar.blogspot.com 2 Sinopse 51 captulos; 268 pginas Autor: Esprito ANDR LUIZ (pseudnimo espiritual de um consagrado mdico que exerceu a Medicina no Rio de Janeiro) Psicografia: FRANCISCO CNDIDO XAVIER (concluda em Fev/1944) Edies: Primeira edio em 1944, pela Federao Esprita Brasileira (Rio de Janeiro/RJ); em Novembro/2001: 37 Edio (490 milheiro) Contedo Doutrinrio: O Autor alerta aos mdiuns quanto necessidade da prtica dos ensinamentos na esfera ntima, evitando surpresas negativas, quando do retorno ao Plano Espiritual.
  • 3. http://espacodespertar.blogspot.com 3 Sinopse A obra se desdobra em trs partes distintas: 1 Parte- Do Cap 1 ao 13: - Testemunhos de mdiuns (desencarnados) que, tendo partido do "Nosso Lar", com tarefas especficas, no conseguiram cumpri-las. No retorno, seus relatos so pungentes e esclarecedores... 2 Parte - a partir do Cap 14: - Descrio de atendimentos prestados a encarnados e a desencarnados, pela equipe de mensageiros do "Nosso Lar".
  • 4. http://espacodespertar.blogspot.com 4 Sinopse 3 Parte - a partir do Cap 33: - Andr Luiz e Vicente, sob comando do protetor Aniceto, aps estgio no "Centro de Mensageiros", partem em caravana, do "Nosso Lar", para a Crosta (plano terreno). No meio do caminho, pernoitam no "Posto de Socorro", onde Andr realiza um proveitoso estgio. Ali, conhecem amigos espirituais responsveis pelo Campo da Paz (Colnia prxima ao Posto de Socorro). A seguir, os trs se dirigem Crosta, onde permanecem por uma semana, num lar humilde, verdadeira oficina do Nosso Lar na Terra, participando de atendimentos a encarnados e desencarnados, sobressaindo preciosos ensinamentos sobre reunies medinicas.
  • 5. http://espacodespertar.blogspot.com 5 Sinopse Cap 1 Renovao O Autor espiritual narra sua transformao, aps ter se desprendido dos laos inferiores que o prendiam s atividades terrestres. aconselhado por uma devotada amiga a freqentar cursos no Ministrio da Comunicao, para posteriormente prestar concurso na Terra.
  • 6. http://espacodespertar.blogspot.com 6 Cap 1 - Renovao Desligando-me dos laos Inferiores que me prendiam s atividades terrestres, elevado entendimento felicitou-me o esprito. Semelhante libertao, contudo, no se fizera espontnea. Sabia, no fundo, quanto me custara abandonar a paisagem domstica, suportar a incompreenso da esposa e a divergncia dos filhos amados. Guardava a certeza de que amigos espirituais, abnegados e poderosos, me haviam auxiliado a alma pobre e imperfeita, na grande transio. Antes, a inquietude relativa companheira torturava-me incessantemente o corao; mas, agora, vendo-a profundamente identificada com o segundo marido, no via recurso outro que procurar diferentes motivos de interesse.
  • 7. http://espacodespertar.blogspot.com 7 Cap 1 - Renovao Foi assim que, eminentemente surpreendido, observei minha prpria transformao, no curso dos acontecimentos. Experimentava o jbilo da descoberta de mim mesmo. Dantes, vivia feio do caramujo, segregado na concha, impermevel aos grandiosos espetculos da Natureza, rastejando no lodo. Agora, entretanto, convencia-me de que a dor agira em minha construo mental, maneira da aluvio pesada, cujos golpes eu no entendera de pronto. A aluvio quebrara a concha de antigas viciaes do sentimento. Libertara-me. Expusera-me o organismo espiritual ao sol da Bondade Infinita. E comecei a ver mais alto, alcanando longa distncia.
  • 8. http://espacodespertar.blogspot.com 8 Cap 1 - Renovao Pela primeira vez, cataloguei adversrios na categoria de benfeitores. Comecei a freqentar, de novo, o ninho da famlia terrestre, no mais como senhor do crculo domstico, mas como operrio que ama o trabalho da oficina que a vida lhe designou. No mais procurei, na esposa do mundo, a companheira que no pudera compreender-me e sim a irm a quem deveria auxiliar, quanto estivesse em minhas foras. Abstive-me de encarar o segundo marido como intruso que modificara meus propsitos, para ver apenas o irmo que necessitava o concurso de minhas experincias. No voltei a considerar os filhos propriedade minha e alui companheiros muito caros, aos quais me competia estender os benefcios do conhecimento novo, amparando-os espiritualmente na medida de minhas possibilidades.
  • 9. http://espacodespertar.blogspot.com 9 Cap 1 - Renovao Compelido a destruir meus castelos de exclusivismo injusto, senti que outro amor se instalava em minhalma. rfo de afetos terrenos e conformado com os desgnios superiores que me haviam traado diverso rumo ao destino, comecei a ouvir o apelo profundo e divino, da Conscincia Universal. Somente agora, percebia quo distanciado vivera das leis sublimes que regem a evoluo das criaturas. A Natureza recebia-me com transportes de amor. Suas vozes, agora, eram muito mais altas que as dos meus interesses isolados. Conquistava, pouco a pouco, o jbilo de escutar-lhe os ensinamentos misteriosos no grande silncio das coisas. Os elementos mais simples adquiriam, a meus olhos, extraordinria significao.
  • 10. http://espacodespertar.blogspot.com 10 Cap 1 - Renovao A colnia espiritual, que me abrigara generosamente, revelava novas expresses de indefinvel beleza. O rumor das asas de um pssaro, o sussurro do vento e a luz do Sol pareciam dirigir-se minhalma, enchendo-me o pensamento de prodigiosa harmonia. A vida espiritual, inexprimvel e bela, abrira-me os prticos resplandecentes. At ento, vivera em Nosso Lar como hspede enfermo de um palcio brilhante, to extremamente preocupado comigo mesmo, que me tornara incapaz de anotar deslumbramentos e maravilhas. A conversao espiritualizante tornara-se indispensvel. Aprazia-me, antigamente, torturar a prpria alma com as reminiscncias da Terra. Estimava as narrativas dramticas de certos companheiros de luta, lembrando o meu caso pessoal e embriagando-me nas perspectivas de me agarrar, novamente, parentela do mundo, valendo-me de laos inferiores.
  • 11. http://espacodespertar.blogspot.com 11 Cap 1 - Renovao Mas agora... perdera totalmente a paixo pelos assuntos de ordem menos digna: as prprias descries dos enfermos, nas Cmaras de Retificao, figuravam-se-me desprovidas de maior interesse. No mais desejava informar-me da procedncia dos infelizes, no indagava de suas aventuras nas zonas mais baixas. Buscava irmos necessitados. Desejava saber em que lhes poderia ser til. Identificando essa profunda transformao, falou-me Narcisa certo dia: Andr, meu amigo, voc vem fazendo a renovao mental. Em tais perodos, extremas dificuldades espirituais nos assaltam o corao. Lembre-se da meditao no Evangelho de Jesus. Sei que voc experimenta intraduzvel alegria ao contacto da harmonia universal, aps o abandono de suas criaes caprichosas, mas reconheo que, ao lado das rosas do jbilo,
  • 12. 12 Cap 1 - Renovao defrontando os novos caminhos que se descerram para sua esperana, h espinhos de tdio nas margens das velhas estradas inferiores que voc vai deixando para trs. Seu corao uma taa iluminada aos raios do alvorecer divino, mas vazia dos sentimentos do mundo, que a encheram por sculos consecutivos. No poderia, eu mesmo, formular to exata definio do meu estado espiritual. Narcisa tinha razo. Suprema alegria inundava-me o esprito, ao lado de incomensurvel sensao de tdio, quanto s situaes da natureza inferior. Sentia-me liberto de pesados grilhes, porm, no mais possua o lar, a esposa, os filhos amados. Regressava freqentemente ao crculo domstico e a trabalhava pelo bem de todos, mas sem qualquer estmulo. Minha devotada amiga acertara. Meu corao era bem um clice luminoso, porm, vazio. A definio comovera-me.
  • 13. 13 Cap 1 - Renovao Vendo-me as lgrimas silenciosas, Narcisa acentuou: Encha sua taa nas guas eternas daquele que o Doador Divino. Alm disso, Andr, todos ns somos portadores da planta do Cristo, na terra do corao. Em perodos como o que voc atravessa, h mais facilidade para nos desenvolvermos com xito, se soubermos aproveitar as oportunidades. Enquanto o esprito do homem se engolfa apenas em clculos e raciocnios, o Evangelho de Jesus no lhe parece mais que repositrio de ensinamentos c