o hobbit - j.r.r. tolkien

Download O Hobbit - J.R.R. Tolkien

Post on 24-Jul-2016

285 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • J.R.R. TOLKIENO HOBBIT

    Sobre a digitalizao desta obra:Esta obra foi digitalizada para proporcionar de maneira totalmente gratuita o benefcio de sua leitura queles que nopodem compr-la ou queles que necessitam de meios eletrnicos para leitura. Dessa forma, a venda deste e-book oumesmo a sua troca por qualquer contraprestao totalmente condenvel em qualquer circunstncia.A generosidade a marca da distribuio, portanto:Distribua este livro livremente!

    Se voc tirar algum proveito desta obra, considere seriamente a possibilidade de adquirir o original.Incentive o autor e a publicao de novas obras!By Yuna

    Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grtis a um clique!http://www.portaldetonando.com.br

  • Orelha da capa

    Um grande clssico moderno e preldio de O Senhor dos Anis Bilbo Bolseiro umhobbit que leva uma vida confortvel e sem ambies, raramente aventurando-se para alm desua despensa ou sua adega. Mas seu contentamento perturbado quando Gandalf, o mago, e umacompanhia de anes batem em sua porta e levam-no para uma expedio. Eles tm um plano pararoubar o tesouro guardado por Smaug, o Magnfico, um grande e perigoso drago. Bilbo relutamuito em participar da aventura, mas acaba surpreendendo at a si mesmo com sua esperteza esua habilidade como ladro!

    Escrito para os filhos de J. R. R. Tolkien, O Hobbit conquistou sucesso imediato quandofoi publicado em 1937. Vendeu milhes de cpias em todo o mundo e estabeleceu-se como "umdos livros mais influentes de nossa gerao."

    THE TIMES

    O HOBBIT

  • J. R. R. TOLKIEN

    O HOBBIT

    TRADUOLenita Maria Rmoli Esteves

    Mestre em Traduo pela Universidade de Campinas

    ALmiro PisettaProfessor de Literatura de Lngua Inglesa da Universidade de So Paulo

    REVISO TECNICA E CONSULTORIA

    Ronald Eduard KyrmseMembro da Tolkien Society e do grupo lingstico Quendily

    COODENAO

    Lus Carlos Borges

    Martins FontesSo Paulo 2003

  • Nota edio brasileira

    ESTA nova traduo de O hobbit foi feita a partir da 4a. edio, The Hobbit,Londres, Harper Coilins PubLishers, 1991, e submetida apreciao de Frank RichardWilLiamson e Christopher Reuel Tolkien, executores do esplio de John Ronald RenelTolkien.

    A traduo ficou a cargo de Lenita Maria Rmoli Esteves, Mestre em Traduopelo Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP. A reviso do texto e a traduodos poemas foram realizadas po r Almiro Pisetta, Professor de Literatura de LnguaInglesa da Faculdade de Filosofia, Letras e Cincias Humanas da USP. RonaLd EduardKyrmse, membro da Tolkien Society e de seu grupo de estudos lingsticos, Quendili,especialista na obra de ToLkien, en carregou-se da reviso final.

    A traduo dos nomes prprios fundamentou-se nas diretrizes sugeridas em J. R.R. Tolkien, Guide to the Names in The Lord of the Rings, in Jarred Lobdeli (editor), ATolkien Compass, Balantine Books, New York, 198O, e Jim Allan, The Giving ofNames, in Jim Allan (editor), An Jntroduction to Elvish, Brans Head Books, Hayes,1978.

    As runas reproduzidas nas guardas deste livro e na introduo do autor significamFive feet high the door and three may walk abreast e Stand by the grey stone when thethrush knocks

    CINCO PS DE ALTURA TEM A PORTA, E TRES PODEM PASSAR LADO A LADO

    FIQUE AO LADO DA PEDRA CINZENTA QUANDO O TORDO BATER E O SOL POENTE COM A LTIMA LUZ DO DIA DE DURINBRILHAR SOBRE A FECHADURA

    E em runas assumiriam a seguinte forma:

    De maneira similar, o ttulo da introduo, p. XIII, significa "The Hobbit, or There andBack Again", que, em portugus, corresponde a:

    O HOBBITou

    L E DE VOLTA OUTRA VEZ

  • E em runas seria escrito da seguinte forma:

    O EDITOR

    ndice

    I. Uma festa inesperada II. Carneiro assado III. Um breve descanso IV. Montanha acima, montanha adentro V. Adivinhas no escuro VI. Da frigideira para o fogo VII. Estranhos alojamentos VIII. Moscas e aranhas IX. Barris soltos X. Uma acolhida calorosa XI. Na soleira da porta XII. Informao de dentro XIII. Fora de casa XIV. Fogo e gua XV. Tempestade vista XVI. Um ladro na noite XVII. Explode a tempestade XVIII. A viagem de volta XIX. A ltima etapa

    IlustraesMapa de Thror A Colina: Vila dos hobbits Valfenda A Trilha da Montanha As Montanhas Sombrias, vista para o Oeste Bilbo acordou com o sol da manh em seus olhos O Salo de Beorn O Porto do Rei lfico

  • Bilbo chega s cabanas dos elfos-jangadeiros A Cidade do Lago O Porto Dianteiro Conversa com Smaug O Salo do Bolso Mapa das Terras Ermas

    Esta uma histria de muito tempo atrs. Naquela poca, as lnguas e as letraseram muito diferentes das que empregamos hoje. O ingls foi usado para representaressas lnguas. Mas dois pontos devem ser observados: (1) Em ingls, o nico pluralcorreto de dwarf (ano) dwarfs, e o adjetivo dwarfish. Nesta histria, usam-se dwarvese dwarvish*, mas apenas quando se fala do antigo povo a que pertenciam Thorin Escudode Carvalho e seus companheiros. (2) Orc no uma palavra inglesa.

    Ocorre em um ou dois lugares mas geralmente traduzida como goblin (ouhobgoblin no caso das espcies maiores). Orc a forma hobbit do nome dado naqueletempo a essas criaturas e no tem nenhuma relao com orc, ork (orca), que se aplicam aanimais marinhos aparentados com o golfinho.

    O motivo para este uso oferecido em O Senhor dos Anis, III, p. 639.

    Runas eram antigas letras originalmente entalhadas ou riscadas em madeira, pedraou metal e que, portanto, eram finas e angulosas. Na poca desta histria, apenas os anesempregavam-nas com regularidade, especialmente para registros privados ou secretos.Suas runas esto representadas neste livro por runas inglesas, que hoje so conhecidas porpoucos. Se as runas no mapa de Thror forem comparadas com as transcries em letrasmodernas, o alfabeto, adaptado ao ingls moderno, poder ser descoberto e o ttulo rnicoacima tambm poder ser lido. No Mapa so encontradas todas as runas normais, excetopara X. I e U so usadas no lugar de J e V. No havia runas para Q (use CW) nem para Z(pode-se usar a runa dos anes se necessrio). Descobrir-se-, porm, que algumas runasindividuais representam duas letras modernas: th, ng, ee, outras runas do mesmo tipo

    tambm foram usadas algumas vezes. A porta secreta estava marcada com D Naborda havia uma mo apontando para esta e embaixo estava escrito:

    As duas ltimas runas so as iniciais de Thror e Thrain. As runas-da-lua lidas por Elronderam:

    No Mapa, os pontos cardeais so indicados por runas, como era costume nos mapas dosanes, e, assim, lem-se em sentido horrio: Leste (E), Sul (S), Oeste (W), Norte (N).

  • CAPTULO IUma festa inesperada

    Numa toca no cho vivia um hobbit. No uma toca desagradvel, suja e mida,cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo; tampouco uma toca seca, vazia earenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso querdizer conforto.

    A toca tinha uma porta perfeitamente redonda como uma escotilha, pintada deverde, com uma maaneta brilhante de lato amarelo exatamente no centro. A porta seabria para um corredor em forma de tubo, como um tnel: um tnel muito confortvel,sem fumaa, com paredes revestidas e com o cho ladrilhado e atap etado, com cadeirasde madeira polida e montes e montes de cabides para chapus e casacos - o hobbitgostava de visitas. O tnel descrevia um caminho cheio de curvas, afundando bastante,mas no em linha reta, no flanco da colina

    - A Colina, como todas as pessoas num raio de muitas milhas a chamavam -, emuitas portinhas redondas se abriam ao longo dele, de um lado e do outro. Nada deescadas para o hobbit: quartos, banheiros, adegas, despensas (muitas delas), guarda-roupas (ele tinha salas inteiras destinadas a roupas), cozinhas, salas de jantar, tudo ficavano mesmo andar, e, na verdade, no mesmo corredor. Os melhores cmodos ficavam todosdo lado esquerdo (de quem entra), pois eram os nicos que tinham janelas, janelasredondas e fundas, que davam para o jardim e para as campinas alm, que desciam at orio.

    Esse hobbit era um hobbit muito abastado, e seu nome era Bolseiro.Os Bolseiros viviam nas vizinhanas da Colina desde tempos imemoriais, e as

    pessoas os consideravam muito respeitveis, no apenas porque em sua maioria eramricos, mas tambm porque nunca tinham tido nenhuma aventura ou feito qualquer coisainesperada:voc podia saber o que um Bolseiro diria sobre qualquer assunto sem ter otrabalho de perguntar a ele. Esta a histria de co mo um Bolseiro teve uma aventura, ese viu fazendo e dizendo coisas totalmente inesperadas.

    Ele pode ter perdido o respeito dos seus vizinhos, mas ganhou - bem, vocs vo verse ele ganhou alguma coisa no final.

    A me desse nosso hobbit - o que um hobbit ? Imagino que os hobbits requeiramalguma descrio hoje em dia, uma vez que se tornaram raros e esquivos diante dasPessoas Grandes, como eles nos chamam. Eles so (ou eram) um povo pequeno, comcerca de metade da nossa altura, e menores que os anes barb ados. Os hobbits no tmbarba. No possuem nenhum ou quase nenhum poder mgico, com exceo daquele tipocorriqueiro de mgica que os ajuda a desaparecer silenciosa e rapidamente quandopessoas grandes e estpidas como vocs e eu se aproximam de modo desajeitado, fazendobarulho como um bando de elefantes, que eles podem ouvir a mais de uma milha dedistncia. Eles tm tendncia a serem gordos no abdome; vestem-se com cores vivas(principalmente verde e amarelo), no usam sapatos porque seus ps j tm uma solanatural semelhante a couro, e tambm plos espessos e castanhos parecidos com oscabelos da cabea (que so encaracolados); tm dedos morenos, longos e geis, rostosamigveis, e do gargalhadas profundas e deliciosas (especialmente depois de jantarem, oque fazem duas vezes por dia, quando podem). Ag