newsletter dhv

Click here to load reader

Post on 18-Feb-2016

220 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Newsletter DHV: 11 de Abril de 2011

TRANSCRIPT

  • Newsletter DHV

    DHV, S.A. I Estrada de Alfragide, n. 92. 2610-015 Amadora I T: +351 214 127 400 | F: +351 241 127 490 I E: [email protected] I www.dhv.pt Rua Ricardo Severo, n. 3 - 3 andar. 4050-515 Porto | T: +351 226 061 340 | F: +351 226 093 253

    Quanto pode poupar com a mobilidade da sua empresa?Nas ltimas dcadas as necessidades de mobi-lidade cresceram significativamente, fruto do desenvolvimento econmico-social, da disperso urbanstica da funo residencial e da descentra-lizao das actividades e servios para a periferia dos centros urbanos.As opes modais dos colaboradores e visitantes, nas suas deslocaes em servio e para o local de tra-balho, tm impactos directos no quadro de valor das organizaes, na medida em que podem representar um factor crtico na sua competitividade, na produti-vidade dos colaboradores, bem como podem poten-ciar externalidades positivas na cadeia de valor.

    Uma boa acessibilidade em transporte individual e colectivo um factor de atractividade para as orga-nizaes, devendo ser determinante na seleco da localizao de actividades econmicas.

    Os Planos de Mobilidade Empresarial so ferramen-tas que apoiam as organizaes na gesto mais efi-ciente da mobilidade induzida pela sua actividade, contribuindo para a reduo de custos com o siste- ma de acessibilidades e transportes, promoo da sustentabilidade e responsabilidade social no seio da organizao e melhoria da pontualidade e produtividade dos colaboradores. Adicional-mente, os Planos de Mobilidade permitem ain-da maximizar a utilizao do estacionamento, optimizar deslocaes pendulares e em servio, re-

    Portugal, semelhana de muitos outros pases, apresenta um passivo ambiental considervel no que respeita contaminao de solos e de guas subterrneas, cuja extenso e gravidade no so conhecidas com rigor.Para este facto concorre a inexistncia de critrios nacionais objectivos de quantificao da contaminao, assim como o receio que os agentes econmicos e outras entidades sentem relativamente aos custos inerentes a uma eventual reabilitao. Contudo, para alm de legislao diversa no domnio do direito ambiental, o regime jurdico da responsabilidade por danos ambientais inequvoco quanto aos deveres dos operadores face contaminao gerada em resultado da sua actividade.

    A DHV, para alm de possuir um vastssimo know-how na realizao de estudos de avaliao da contaminao de solos e guas

    O seu passivo ambiental constitui um risco?subterrneas, tem feito um esforo para dar a entender aos vrios players a importncia e relevncia de conduzir estudos de diagnstico e de associar a estes estudos (sempre que se justifique) uma Anlise de Risco.

    A Anlise de Risco atende especificidade dos locais, no que respeita ao uso previsto para os mesmos e presena de elementos sensveis, podendo conduzir a opes de reparao/reabilitao ou de gesto do passivo ambiental de forma racional, integrando a perspectiva da razoabilidade do esforo financeiro estabelecida na Directiva da Responsabilidade Ambiental.

    Conhea as suas responsabilidades e o seu passivo ambiental, contando com o apoio especializado da DHV.

    Info: Ricardo Carvalho([email protected]) Jeffrey Rampaart, DHV

    Consultancy and Engineering

    Gateway to Solutions

    duzir o stress associado s deslocaes, assim como cumprir metas ambientais e de responsabilidade social e criar oportunidades de diferenciao no mer-cado. Estes planos podero ainda abordar situaes especiais, constituindo-se como um instrumento de aco em casos de emergncia, como por exemplo greve dos transportadores.

    Podemos identificar alguns exemplos de empresas preocupadas com esta temtica, caso da Vodafone (Inglaterra), Alcatel (Frana), EDP e IBM, as quais im-plementaram Planos de Mobilidade.

    A importncia destes planos reconhecida pelo Programa Nacional para a Eficincia Energti-ca, que contempla a obrigatoriedade da sua realiza-o para centros empresariais e parques industriais com mais de 500 colaboradores. De notar, que se encontra em estudo a possibilidade de alargar esta obrigatoriedade a plos geradores de volumes signi-ficativos de viagens, o que poder acontecer a curto prazo.

    A DHV, suportada na sua vasta experincia nacional e internacional, apoiou o IMTT na Concepo do Guia Metodolgico para a Elaborao de Planos de Mobili-dade Empresarial e a Plos Geradores de Deslocaes e est por isso, particularmente dotada para o desen-volvimento deste tipo de instrumentos. Contacte-nos!

    Info: M Joo Silveira ([email protected]) Vanessa Pinhal ([email protected])

    > Quanto pode poupar com a mobilidade da sua empresa?

    > O seu passivo ambiental constitui um risco?

    > Que benefcios pode ter uma fiscalizao eficiente?

    > Servios sustentveis no sector imobilirio!

    11 de Abril de 2011

  • DHV, S.A. I Estrada de Alfragide, n. 92. 2610-015 Amadora I T: +351 214 127 400 | F: +351 241 127 490 I E: [email protected] I www.dhv.pt Rua Ricardo Severo, n. 3 - 3 andar. 4050-515 Porto | T: +351 226 061 340 | F: +351 226 093 253

    A coordenao e fiscalizao de obras, tanto no sector pblico como no privado, so actividades essenciais na rea da construo, dando resposta complexidade crescente que as empreitadas apresentam, aliado aos curtos prazos de execuo exigidos pelos Donos de Obra. Assim, a contratao dos servios de coordenao e fiscalizao constitui um dos passos fundamentais para a garantia da Qualidade global, que por sua vez assenta em dois pilares essenciais: controlo de custos e prazos de execuo.Associado s constantes alteraes climticas e maiores nveis de exigncia na rea da segurana, a legislao tem sofrido significativas alteraes que cada vez mais obrigam as empreitadas a cumprirem uma srie de requisitos e exigncias. Neste contexto, para alm da Qualidade, Prazos e Custos, tambm a monitorizao Ambiental e a Coordenao de Higiene e Segurana em obra passaram a assumir um papel primordial.

    Os servios de coordenao e fiscalizao de obra constituem uma significativa maior valia para o Dono de Obra, uma vez que lhe permitem ter o conforto de aceder ao Know-How necessrio para a concretizao do seu projecto atravs dos meios humanos disponibilizados, dando resposta a todo o tipo de adversidades que normalmente surgem nas empreitadas, garantindo assim o oramento o prazo e a qualidade desejada.

    Nesse sentido, a fiscalizao permite efectuar uma adequada articulao entre os diversos intervenientes no processo, quer sejam entidades externas, quer sejam entidades executantes, permitindo uma gesto adequada e a garantia do cumprimento dos requisitos legais aplicveis.

    O dimensionamento correcto da equipa a afectar prestao de servios um factor fundamental, assim como a afectao de tcnicos com experincia e mltiplas valncias nas diversas reas que permitam uma gesto optimizada da Obra a executar, so factores essenciais para atingir um padro de excelncia, que se traduz na concretizao do produto final a entregar ao Cliente A Obra.

    Info: Pedro Cardia ([email protected])

    Que benefcios pode ter uma fiscalizao eficiente?

    Servios sustentveis no sector imobilirio!Consideramos que no sector imobilirio exis-tem duas actividades cruciais: a Manuteno e Conservao, como forma de garantir que a vida til do equipamento, bem como a valorizao do mesmo, so atingidos com nveis de funcionalidade adequados; e a Mo-nitorizao, entendendo-se como o revisi-tar constante das condies que balizaram a ideia original, a tornaram diferenciada de outras oportunidades de investimento e a colocaram num patamar de importncia tal, que torna o empreendimento competitivo em relao s alternativas correntes.

    As tarefas que compem as actividades de Manuteno e Conservao esto viradas para dentro do empreendimento e consti-tuem-se como o garante da valorizao do investimento. Tal facto decorre de pressu-postos correntes de mercado e est intrinse-camente ligado vida til do equipamento.

    O conceito de Monitorizao do equipa-mento obriga o seu proprietrio a olhar para fora da rea de influncia fsica do em-preendimento, em busca de uma aferio dos critrios e valores diferenciadores do seu investimento. Esta uma actividade in-

    trinsecamente ligada inovao, em que se busca uma melhoria contnua de indicadores de sustentabilidade que conduzem valori-zao constante do investimento.

    Os conhecimentos da DHV abrangem todas as actividades necessrias, com conhecimen-tos especficos sobre o design estrutural dos grandes edifcios, instalaes tcnicas, quali-dade do ar, energia, engenharia acstica, f-sica de construo e mecatrnica. Nesse sentido, atravs da combinao de variados tipos de conhecimentos possvel construir pontes entre as diversas fases de planeamento, a fase de implementao e a fase operacional.

    A DHV oferece uma abordagem integrada, concebida para reduzir os riscos enquanto maximiza a qualidade e a eficincia.

    Info: Tiago Rainha ([email protected])

    A sociedade cada vez mais est a optar por crescimentos inteligentes e sustentveis, o que justifica o facto da misso da DHV sempre ter estado fortemente alicerada em prestar servios multidisciplinares com uma forte contribuio para o desen-volvimento sustentvel do nosso meio ambiente.

    WOR

    KSHO

    P Eficincia Energtica e Desenvolvimento Sustentvel: Solues de Gesto em Tempo de CriseA DHV vai promover, no prximo dia 02 de Junho, um workshop subordinado ao tema Eficincia Energtica e Desenvolvimento Sustentvel: Solues de Gesto em Tempo de Crise.

    Solicita-se a inscrio prvia, atravs do e-mail [email protected] (nmero de lugares limitado).

    A participao neste evento gratuita.