nepfil - ufpel

Download NEPFil - UFPel

Post on 09-Jan-2017

247 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Religio em um Mundo Plural Debates desde a Filosofia

    Horacio Lujn Martnez Marciano Adilio Spica

    Organizadores

  • Religio em um Mundo Plural Debates desde a Filosofia

  • Comit Cientfico Prof. Dr. Victor Krebs (PUC-Peru) Prof. Dr. Ramn Del Castillo (UNED/Espanha) Prof. Dr. Marcel Niquet (Goethe University/Alemanha) Prof. Dr. Nythamar de Oliveira (PUCRS) Prof. Dr. Christian Hamm (UFSM) Prof. Dr. Agemir Bavaresco (PUCRS) Prof. Dr. Konrad Utz (UFC) Prof. Dr. Sofia Stein (UNISINOS)

    Comit Editorial Prof. Dr. Joo Hobuss Prof. Dr. Carlos Ferraz Prof. Dr. Manoel Vasconcelos Prof. Dr. Juliano do Carmo

    Projeto Grfico

    Diagramao Lucas Duarte Silva

  • Religio em um Mundo Plural Debates desde a Filosofia

    Horacio Lujn Martnez Marciano Adilio Spica

    Organizadores

  • Catalogao na Publicao Bibliotecria Simone Godinho Maisonave - CRB - 10/1733

    ____________________________________________________________

    R382 Religio em um mundo plural [recurso eletrnico}: debates desde a filosofia / organizadores: Marciano Adilio Spica, Horacio Lujn Martinez Pelotas: NEPFIL online, 2014. 312 p. (Srie Dissertatio-Filosofia). Modo de acesso: Internet ISBN: 978-85-67332-22-2

    1. Filosofia da Religio 2. Razo 3. F I. Spica, Marciano Adlio, org. II. Martinez, Horacio Lujn, org. III. Srie.

    CDD 374.4 ____________________________________________________________

  • Marciano Adilio Spica Horacio Lujn Martnez

    (Organizadores)

    Religio em um Mundo Plural

    Debates desde a Filosofia

  • 2

    Sumrio

    Prefcio

    Marciano A. Spica; Horacio L. Martnez.........................................11

    Parte I: Razo, Cincia e F........................................................................10

    Uma ltima discusso em torno da existncia de Deus: o

    argumento do design

    Alejandro Tomasini Bassols ......................................................... 12

    Cristianismo e Cincia Moderna: para alm da Oposio

    Agnaldo Cuoco Portugal .............................................................. 38

    Filosofia e F

    Vicente Sanfelix Vidarte;Julin Marrades Millet ...................... 78

    Triunfar fracassando. A tradio racionalista e o destino dos

    deuses

    Luis Arenas .................................................................................... 104

    Duas respostas testas para duas verses do problema do mal

    Srgio R N Miranda .................................................................... 141

    Entrando na ps-modernidade: Filosofia, Metafsica e Tradio

    religiosa. Investigaes iniciais sobre a metbasis do fin de sicle e a

    aurora do novo tempo

    Manuel Moreira da Silva ............................................................ 173

  • 3

    Parte II: tica, Poltica e Religio.............................................................205

    Desafios para uma filosofia do secular renovada

    Daniel Whistler ............................................................................. 207

    Por que necessrio um Estado laico

    Alessandro Pinzani ....................................................................... 235

    Habermas e a filosofia da religio em Kant

    Charles Feldhaus .......................................................................... 263

    Diante do caminho do mundo

    Janyne Sattler ................................................................................ 283

    O lugar dos discursos religiosos na sociedade plural

    Marciano Adilio Spica ................................................................ 317

    O desejo metafsico de Levinas como solidariedade (Para alm de

    Nietzsche, Schmitt e Derrida)

    Enrique Dussel............................................................................... 337

    O ano corcunda que no fuma (ou a teologia benjaminiana

    contra o pio do progresso). Reflexes a partir da primeira Tese sobre

    a histria

    Silvana Rabinovich ...................................................................... 378

    Colaboradores..............................................................................................398

  • Prefcio

    As misrias da conjetura so uma dor mais amena do que um fato

    de ferro endurecido por Eu sei.

    Emily Dickinson

    As discusses sobre religio, sempre menosprezadas a priori, quando so levadas a cabo, exibem do que realmente se trata: do ser humano e a sua relao com o que escapa ao seu domnio, chame-se de crena, f, a pergunta pela origem, etc. Se lembrarmos da apresentao de Richard Dawkins na FLIP de 2009 (Feira Literria de Parati), um auditrio cheio de eventuais ateus ou de gente em crise com a sua f, no prestavam muita ateno para os argumentos racionais de carter biolgico do expositor. Os argumentos de Dawkins funcionavam somente quando afetavam a prpria vida do ouvinte. O pblico aplaudia com certo sabor de revanche quando o ingls, divulgador da cincia, falava que esquecer da religio conduziria, quase que automaticamente, felicidade. Ironicamente, o discurso do ateu convicto, no passava de messianismo individualista. O pblico estava pouco interessado em darwinismos aggiornados, eles queriam que algum lhes mostrasse a sada deste labirinto onde no paramos de pensar, entre correrias vrias, qual o sentido de tudo o que fazemos. O problema do sentido da vida o mais importante dos problemas, Ludwig Wittgenstein lembrou uma vez.

    Este livro apresenta um conjunto indito de textos sobre uma rea da filosofia ainda pouco discutida, seno desprezada, em grande parte dos cursos de filosofia e cincias em geral no Brasil, a saber, a discusso sobre a religio. Reunimos um conjunto de textos dos mais variados autores, alguns deles pesquisadores que h anos se ocupam com a temtica religiosa e outros que, apesar de no discutirem diretamente a religiosidade, so reconhecidos pesquisadores em reas

  • 5

    como tica, poltica, epistemologia, metafsica e filosofia da linguagem, dentre outras. Mais do que um livro sobre filosofia, este trabalho pretende ser um instrumento de debate entre pesquisadores e sociedade, por isso seus textos podem ser lidos no somente por iniciados em filosofia, mas tambm pelo pblico em geral.

    O trabalho busca discutir questes relevantes e atuais sobre a religio, encarando-a no como um campo perifrico, nem como a rea mais importante da vida humana, mas como uma rea que merece ser estudada e pesquisada. E, quando dizemos que algo merece respeito, estamos dizendo que ela merece ser pensada, estudada, investigada. Muitas vezes, o grande sinal de respeito discutir seriamente os argumentos dos outros, coloc-los prova e at discordar deles. Outras vezes, porm, o respeito leva a aprofundar argumentos, melhor-los, refin-los para melhor mostrar sua importncia. por isso que temos textos com as mais variadas temticas e abordagens. Dividimos a obra em duas grandes partes. Na primeira, apresentamos textos que buscam discutir a religio em relao com a cincia e a razo, seja para mostrar como se d essa relao, seja para elucidar elementos que so incorporados por uma e outra.

    O livro inicia-se com o texto de Alejandro Tomasini que, em Uma ltima discusso em torno existncia de Deus: o argumento do design, nos apresenta e discute o debate contemporneo sobre a teoria do Design, teoria essa que, dado uma certa ordem do universo, defende que tal ordem no pode ser aleatria ou ter sido gerada espontaneamente, mas fruto e obra de um criador. Bassols apresenta-nos os principais defensores dessa ideia e mostra-nos alguns erros dessa hiptese.

    O texto Cristianismo e Cincia Moderna: para alm da oposio, de Agnaldo Cuoco Portugal, discute a relao entre cincia e religio, mais especificamente a relao entre cristianismo e cincia moderna. Partindo de uma definio de cincia e religio, percorrendo a histria da relao dessas duas reas e mostrando as abordagens contemporneas, o autor defende que a relao entre elas complexa e

  • 6

    no pode ser reduzida suposio, muito difundida, de mera oposio. O autor traz um histrico pouco conhecido no Brasil a respeito da relao entre essas duas reas, citando autores e obras que muitas vezes passam despercebidas na academia brasileira em geral e tambm nas discusses cotidianas sobre a religio, e defende a insuficincia do naturalismo como viso de mundo. Seu texto, alm de ser um timo estudo sobre a relao entre cincia e religio, , tambm, uma forma de nos colocar par de grandes filsofos contemporneos que discutem a temtica apresentada por ele.

    Vicente Sanfelix Vidarte, em Filosofia e F, apresenta uma discusso sobre um dos textos eclesisticos que teve e ainda tem muita influncia nas discusses teolgicas sobre a relao entre religio crist e cincia, a saber, a Encclica Fides et Ratio. O autor apresenta algumas objees a tal texto, posicionando-se contrariamente ao contedo da Encclica, e afirmando que ela acaba por defender, novamente, uma submisso da razo teologia.

    Luis Arenas, no seu texto Trunfar fracassando. A tradio racionalista e o destino dos deuses, deixa-nos frente a um sofisticado paradoxo: no velho embate entre razo e f, a religio volta cena graas queles que deveriam ser seus algozes, as cincias cognitivas. Chamar a ateno sobre a existncia de entidades no naturais, mas, dotadas de propriedades intencionais, um dos tantos mritos do texto do pensador espanhol.

    Srgio Mi