monografia alvaro siza

Download Monografia Alvaro Siza

Post on 19-Feb-2017

279 views

Category:

Design

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CENTRO UNIVERSITRIO DE RIO PRETO

    - UNIRP

    ARQUITETURA E URBANISMO

    ALUNA:

    STEFANI SOUZA-20121014

    PROF DR MAYARA DIAS DE SOUZA

    MONOGRAFIA LVARO SIZA

    SO JOS DO RIO PRETO

    2015

  • STEFANI SOARES DE SOUZA

    MONOGRAFIA: LVARO SIZA

    Monografia para aprovao na disciplina Histria e Teoria da Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo V do curso de Graduao Arquitetura e Urbanismo, do Centro Universitrio de Rio Preto UNIRP.

    Orientadora: Prof. DR Mayara Dias de Souza

    SO JOS DO RIO PRETO

    2015

  • STEFANI SOARES DE SOUZA

    MONOGRAFIA: LVARO SIZA

    BANCA EXAMINADORA

    Prof. DR Mayara Dias de Souza

    So Jos do Rio Preto, 29 de Maio de 2015

  • Sou contra essa ideia de especializao. Gosto de diversificar o meu trabalho, quero e tenho feito um pouco de tudo. No se pode fazer bem um bairro social ou um museu sem ter feito casas. A arquitetura s uma. As mos que desenham e as mos que constroem, seja o que for, so sempre as mesmas. (lvaro Siza)

  • LISTA DE FIGURAS

    Figura 1 Obra Casa de Ch da Boa Nova, Portugal, 1963 03

    Figura 2 Obra Casa de Ch da Boa Nova, Portugal, 1963 03

    Figura 3 Obra Complexo Lea Swimming Pool, Portugal, 1966 04

    Figura 4 Obra Complexo Lea Swimming Pool, Portugal, 1966 04

    Figura 5 Obra Edificio sobre a gua, China, 2014 04

    Figura 6 Obra Edificio sobre a gua, China, 2014 04

    Figura 7 Obra Casa de Ch da Boa Nova, Portugal, 1963 05

    Figura 8 Obra Casa de Ch da Boa Nova, Portugal, 1963 05

    Figura 9 Obra Iber Camargo, Porto Alegre/ Brasil,2003 05

    Figura 10 Obra Iber Camargo, Porto Alegre/ Brasil,2003 05

    Figura 11 Obra Edificio sobre a gua, China,2014 06

    Figura 12 Obra Edificio sobre a gua, China,2014 06

    Figura 13 Implantao Edifcio Iber Camargo 07

    Figura 14 Foto 1 08

    Figura 15 Subsolo 08

    Figura 16 Foto 2 09

    Figura 17 Trreo 09

    Figura 18 Subsolo 10

    Figura 19 Trreo / 1 pavimento 10

    Figura 20 1 pavimento/ 2 pavimento e 3 pavimento 10

    Figura 21 Foto 3 11

    Figura 22 Foto 4 12

    Figura 23 Foto 5 12

    Figura 24 Corte 12

  • SMRIO

    1- CONTEXTO HISTRICO 01

    2- BIOGRAFIA 02

    3- CARACTERIZAO DAS OBRAS 02

    3.1- Preocupao com entorno 03

    3.2- Materialidade 05

    4- LEITURA PROJETUAL 07

    4.1- Acessos 07

    4.2- Circulao 10

    4.3- Iluminao 11

    5- CONCLUSO 13

    6- REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS 14

    7- BIBLIOGRAFIA CONSULTADA 15

  • 1

    1- CONTEXTO HISTRICO

    O Perodo Contemporneo na arquitetura, na qual est inserido o

    Arquiteto lvaro Siza, considerado um dos 5 maiores arquitetos da atualidade.

    Aps o termino de sua faculdade em 1955 comea atuar na arquitetura

    portuguesa em busca de novas formas da arquitetura voltando-se para uma

    arquitetura contempornea, que ser o objeto de estudo desse trabalho.

    No ano de 1990 inicia-se uma nova etapa na arquitetura que perdura at os dias atuais, a arquitetura Contempornea, que trs uma mistura de ideais, tanto do Modernismo, quanto do Ps-Modernismo. Ao mesmo tempo em que ele busca voltar a racionalidade do modernismo, ele no perde a criatividade do ps-modernismo. (FRAMPTON, 2008)

    A arquitetura Contempornea tenta encontrar um equilbrio entre todos os estilos anteriores, usando essas referncias para uma nova forma de projetar, utilizando-se delas como inspirao para novas propostas.

    As novas propostas tm como objetivo fazer uma nova interpretao da arquitetura do passado. No se utilizado um s estilo, um s conceito, s linhas retas, ou linhas onduladas, mas sim uma diversidade de opes, cada um de acordo com as necessidades e propostas de cada projeto. Nenhum elemento obrigatrio, ele abraa as diferenas e as unem em uma harmonia vivenciada nos dias de hoje.

    Essa nova forma de projetar tambm trouxe novas tcnicas construtivas e se tornou um perodo de muitas inovaes tecnolgicas. O conforto, e o bem estar, so preocupaes do estilo atual. E tambm, h uma preocupao com o urbanismo, com o paisagismo,e com o entorno, no que melhor para a cidade e com o que traz mais benefcios urbanos.

    A essncia das obras de Siza se baseia em sua capacidade de

    combinar em cada proposta a arquitetura racionalista e a relao com o

    entorno. (VITRUVIUS, 2001)

    Conclui-se que, a arquitetura contempornea vem com a

    finalidade de explorar novas tecnologias, novos materiais, proporcionando

    assim novas formas para as construes, abrangendo as questes ambientais

    e sociais.

  • 2

    2- BIOGRAFIA

    lvaro Joaquim de Melo Siza Vieira, nasceu na cidade de Matosinhos,

    Portugal, em 1933. Estudou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes do Porto

    entre 1949 e 1955, sendo a sua primeira obra construda em 1954.

    Ensinou na ESBAP entre 1966 e 1969; reingressou em 1976 como

    Professor Assistente de Construo. Foi Professor Visitante na Escola Politcnica de

    Lausanne, na Universidade de Pensilvnia, na Escola de Los Andes em Bogot, na

    Graduate School of Design of Harvard University como Kenzo Tange Visiting

    Professor; lecionou na Faculdade de Arquitetura do Porto.

    Exerceu sua profisso na cidade do Porto. Recebeu numerosos

    prmios, nomeadamente: em 1988, a Medalha de Ouro da Fundao Alvar Aalto, o

    Prmio Prince of Wales da Harvard University e o Prmio Europeu de Arquitetura da

    Comisso das Comunidades Europeias/Fundao Mies Van der Rohe. Em 1992 foi-

    lhe atribudo o Prmio Pritzker da Fundao Hyatt de Chicago pelo conjunto da sua

    obra. Em 1998, o Premium Imperiale pela JapanArtAssociation, de Tquio. Em 2001,

    recebeu o Prmio pela Wolf Foundation em Israel. Em 2002, recebe o Leo de Ouro

    em Veneza (melhor projeto) pela Bienal de Veneza e o Prmio Vitruvio 2002 pelo

    Museu Nacional de Bellas Artes de Buenos Aires.

    membro da American Institute of Arts and Science e Honorary

    Fellow do Royal Institute of British Architects.

    Foi doutorado Honoris Causa por: Universidade Politcnica de

    Valncia, Escola Politcnica Federal de Lausanne, Universidade de Palermo,

    Universidade Menendez Pelayo, Universidade Nacional de Engenharia de Lima,

    Universidade Coimbra e pela Universidade Lusada.

    3- CARACTERIZAO DAS OBRAS

    O arquiteto lvaro Siza, desde cedo obteve sua prpria linguagem para

    criao de suas obras, tendo como pontos de referncia os estilos modernistas

    internacionais, e estabelecendo um padro de suas obras com uma forte influncia na

    prpria tradio de Portugal.

    Tendo como influncia e referncias alguns arquitetos, como Adolf

    Loos, Frank Lloyd Wright e Alvar Aalto, Le Corbusier, teve tambm a influncia do

    arquiteto Fernando Tvora, que alm de professor, se tornou seu amigo, chegando a

    trabalharem juntos, sendo este, uma das principais referncias na escola do Porto.

    Segundo o arquiteto italiano Vittorio Gregotti, a arquitetura de Siza

    difcil de descrever porque evita um nico procedimento, recusa-se a propor modelos

    e nunca fixa uma linguagem pr-estabelecida. (MARTINS BARATA, 1997)

    De acordo com Kenneth Frampton, Siza persegue uma arquitetura de

    resistncia crtica na qual o universal se equilibra com o local a todos os nveis, tanto

    polticos como arquitetnicos, e no como recusa global da tecnologia avanada, mas

    sim, reconhecendo a necessidade de mediao e qualificao tcnica atravs da

    cultura. (FRAMPTON, 2008)

  • 3

    3.1 - PREOCUPAO COM O ENTORNO

    Para a arquitetura de lvaro Siza, ele busca sempre aproximar

    suas ideias de projeto ao lugar, pois, o arquiteto tem como ideologia projetar

    conforme a nacionalidade e as necessidades de cada local, fazendo com que

    seus projetos tenham ligao de ritmo com o terreno, com o entorno, a luz

    natural e a paisagem integrando o ambiente ao que est sendo construdo,

    passando para cada observador uma sensao.

    Como vemos nas imagens abaixo, o arquiteto busca construir a

    paisagem, analisando o clima, a vegetao que existe no local, preservando as

    formaes rochosas, mantendo assim sua interveno na paisagem, dando

    nfase em novas formas como a geometria em curvas, pontes que se

    conectam aos diferentes espaos.

    Figuras 1 e 2 - Obra Casa de Ch da Boa Nova, Portugal, 1963. Fonte: Archdaily

  • 4

    Figuras 3 e 4 - Obra Complexo Lea Swimming Pool, Portugal, 1966. Fonte: Archdaily

    Figuras 5 e 6 - Obra Edifcio sobre a gua, China, 2014. Fonte: Archdaily

    Insero da obra sem

    descaracterizao da

    paisagem

    Insero da obra

    levando em

    considerao a

    historia local.

    Respeitando a

    tradio chinesa,

    prope um drago

    emergindo das guas.

  • 5

    3.2 - MATERIALIDADE

    O arquiteto lvaro Siza emprega uma diversidade de materiais em

    seus projetos. Podemos ver em suas obras a modernidade de se utilizar

    diversos materiais na construo, respeitando cada um deles e suas

    particularidades; fazendo composies. No geral, o arquiteto faz uso da

    alvenaria, do concreto, do vidro e um uso abundante de madeira. Esses

    materiais adequam-se ao l