modelo monografia abnt

Author: javalino

Post on 11-Oct-2015

13 views

Category:

Documents


0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Estilos do word estão bagunçados

TRANSCRIPT

APRESENTAO

20

FACULDADE CENECISTA DE JOINVILLE

GRADUAO

GUIA PARA ELABORAO E APRESENTAO

DE TRABALHOS ACADMICOS DA FCJ

ALUIZIO JOBEDE RIBEIRO VILAR

Metodologia Cientfica

JOINVILLE2008SUMRIO

3introduo

31 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADMICO

31.1 ELEMENTOS BSICOS

31.2 CAPA

31.3 SUMRIO

41.4 INTRODUO

41.5 CAPTULOS E SUBUNIDADES

51.6 CONCLUSO

51.7 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

51.8 ANEXOS E APNDICES

61.9 GLOSSRIO

72 FORMATO DE APRESENTAO

72.1 NUMERAO DAS SEES

72.2 ENUMERAO DAS PGINAS

72.3 DIGITAO

82.4UTILIZANDO GRIFO OU ITLICO

83 TABELAS, QUADROS E ILUSTRAES

83.1 TABELAS

93.2 QUADROS

93.3 FIGURAS

104 CITAES

114.1 CITAO DIRETA

114.2 CITAO INDIRETA

114.3 CITAO CURTA

114.4 CITAO DE CITAO

124.5 SUPRESSES, COMENTRIOS E DESTAQUES

124.6 CITAO LONGA

134.7 SISTEMA DE CHAMADA EXEMPLOS -

134.8 AUTOR PESSOA

144.9 AUTOR ENTIDADE

144.10 AUTOR EVENTO

154.11 NOTA DE RODAP

155 ORGANIZAO DAS REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

165.1 NOTAS DE IMPRENTA E UTILIZAO DE MESES

175. 2 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

205.3 EXEMPLO DE CAPA PARA APRESENTAO DOS TRABALHOS

introduo

Estas orientaes para a elaborao e apresentao de trabalhos acadmicos tem por objetivo suprir a necessidade acadmica no tocante a formatao da produo acadmica. Considerando a diversidade de formatos existentes nas instituies de ensino superior (IES), procurou-se organizar este material, que em parte fruto da da experincia docente do autor e, principalmente, das normas da ABNT.

1 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADMICO

1.1 ELEMENTOS BSICOSPara a elaborao do trabalho acadmico, utiliza-se os seguintes elementos bsicos: capa, sumrio, introduo, captulos e subunidades, concluso e referncias bibliogrficas.

1.2 CAPADeve constar o nome da Universidade e/ou Faculdade; nome do curso de graduao; ttulo do trabalho; nome(s) do(s) graduando(s); nome do professor (a); nome da disciplina; local e ano. (Consultar exemplo - APNDICE A).

1.3 SUMRIOPropicia uma viso geral (macro) do trabalho e permite localizar as diferentes partes que compem o texto; (..) a enumerao das principais divises, sees, e outras partes de um documento na mesma ordem. No deve ser confundido com o ndice ou listas. Alm desta indicao dos tpicos desenvolvidos no trabalho (guia de leitura), atravs do sumrio o leitor pode perceber se h uma elaborao coerente e coesa do texto, se h uma evoluo progressiva das idias tratadas no decorrer do trabalho acadmico. O sumrio pode ainda auxiliar a forma de documentar, selecionar e organizar o material consultado durante a pesquisa, ou seja, servir de elemento norteador no desenvolvimento do texto.

1.4 INTRODUOApresentar a relevncia do tema sobre o qual se est redigindo o trabalho. Pode, incluir a justificativa (o porqu da realizao deste trabalho), os objetivos (geral e especfico), o para qu e para quem (pblico-alvo) ele foi elaborado e qual o problema que se pretende investigar.

preciso dar uma viso global do desenvolvimento, apresentando a estruturao do trabalho, abordando genericamente os captulos e as subunidades.

A introduo a ltima parte a ser redigida, pois o autor necessita ter uma viso global do trabalho para apresent-lo na introduo. Ateno: Deve-se destacar o cuidado em no fornecer o parecer conclusivo, pois assim o leitor perder interesse na leitura do mesmo.

1.5 CAPTULOS E SUBUNIDADESApresenta a fundamentao lgica do trabalho. recomendado pela ABNT que o corpo do trabalho, tambm denominado desenvolvimento, seja apresentado em sees e subsees de acordo com a necessidade da pesquisa desenvolvida. Entretanto, a palavra desenvolvimento no deve aparecer como ttulo, mas sim o ttulo do captulo e subunidades tal como constar no sumrio. Ressalta-se que na formatao final do trabalho, se possvel, os captulos devem apresentar nmero de pginas aproximado, ou seja, distribuio harmnica (equilibrada) do nmero de pginas entre os captulos desenvolvidos.

1.6 CONCLUSOA concluso deve retomar a idia principal desenvolvida no trabalho. Ela deve dizer se os objetivos propostos foram alcanados. Inclui ainda o ponto de vista do autor, indicando o alcance dos resultados e propondo o fechamento do tema. Deve ainda, trazer sugestes para a realizao de novas pesquisas para dar continuidade e aprofundamento a outros tpicos que no trabalho desenvolvido no foram tratados.

1.7 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

No devem ser confundidas com Bibliografia, a qual uma listagem de obras sobre o tema, incluindo fontes no consultadas. (verificar 3.8). Nos trabalhos acadmicos, impe-se que todos os autores citados no decorrer do texto, necessariamente, sejam relacionados nas RB.

1.8 ANEXOS E APNDICESSo materiais suplementares, como: leis, questionrios, dados estatsticos, tabelas etc., que se acrescentam ao final do trabalho, sem se constituir em parte essencial. Os materiais suplementares elaborados pelo autor (voc) so considerados apndices, e tem com fim complementar a argumentao, sem comprometer a unidade do texto.

Caso sejam materiais de outras pessoas (fontes) so ANEXOS, utilizados para fundamentar, comprovar ou ilustrar o trabalho. Aparecem aps a(s) pgina(s) de referncia(s) bibliogrfica(s) , e em pgina prpria, escrever a palavra anexos em caixa alta, centrado no meio da pgina, em negrito. A seguir, inserir os anexos titulados e ordenados ALFABETICAMENTE, com a fonte, ordenados na mesma forma em que foram sendo mencionados no texto.

Caso voc disponha de dez ou mais anexos, poder abrir uma pgina de anexos, seguido da lista e enumerao alfabtica dos mesmos, com o ttulo ordenado na seqncia. Vale destacar que cada anexo includo no trabalho deve estar referenciado amarrado no decorrer do texto.

1.9 GLOSSRIOO glossrio definido como sendo uma lista apresentada em ordem alfabtica, que contempla palavras de uso restrito ou expresses tcnicas seguidas do seu significado. Quando o tema a ser desenvolvido envolve muitos termos tcnicos, recomenda-se o uso do glossrio para facilitar o entendimento e a busca do leitor quanto a significao dos mesmos.

Deve ser em ordem alfabtica, as palavras a serem definidas devem ser escritas com todas as letras maisculas em coluna especfica (vide exemplo)

2 FORMATO DE APRESENTAO

A normalizao e padronizao recomendadas neste captulo, visam uniformizar a esttica exigida na apresentao de trabalhos acadmicos digitados para a Faculdade Cenecista de Joinville FCJ.

2.1 NUMERAO DAS SEESPara as sees primrias (captulos), utilizar algarismos arbicos (1,2,3,etc.), o ttulo em caixa alta, negrito, a 05 cm da borda superior (inicia na margem esquerda). Ao trmino do captulo, mesmo que haja espao, iniciar o prximo captulo em nova pgina.

Para as sees secundrias (subunidades, ex. 1.1) utilizar algarismos arbicos, o ttulo em caixa alta, sem negrito. Pode iniciar a 03 cm da mesma pgina que terminou o captulo, quando h espao. Caso o espao restante do captulo seja pouco, cabendo apenas o ttulo da subunidade, inicie em nova pgina, a 03 cm da borda superior.

2.2 ENUMERAO DAS PGINASEnumerar as pginas seqencialmente em algarismos arbicos, no canto superior direito, comeando pela introduo. Entretanto, a primeira pgina da introduo; de cada captulo; da concluso e das referncias bibliogrficas so contadas mas no so enumeradas. 2.3 DIGITAOA atividade de digitao deve ser feita em papel A4 (21,0 x 29,7 mm). Utilize tinta preta sobre o papel branco. Papis reciclados podero ser usados desde que no comprometam a qualidade da impreso.2.4 UTILIZANDO GRIFO OU ITLICOUtilize itlico para palavras estrangeiras. Termos tcnicos que se deseja destacar ou partes significativas para o autor, (considerados de uso pouco comum e no sendo muito longas) devem ser em negrito seguidas da expresso entre colchetes: [grifo do autor]. 3 TABELAS, QUADROS E ILUSTRAES

1) Em havendo poucos quadros, ilustraes e tabelas, pode-se colocar todos em uma nica lista que no total no poder exceder vinte itens.

2) Os quadros (fechados com predominncia de palavras) e tabelas (abertas nas laterais com predominncia de nmeros), devem ser centralizados. A palavra quadro ou tabela mais as informaes de seqncia numrica (por captulo) (minsculas) seguidas de dois pontos devem preceder o respectivo ttulo. Este ser escrito com fonte em letras maisculas, negrito e tamanho 10.

3) As letras internas, ttulos e legendas devero seguir um padro. O padro FCJ letra tamanho 10.

4) Indicar sempre no ttulo qual o tipo: Tabela 1.1: DADOS DA EMPRESA5) Sugere-se o seguinte padro em se tratando dos autores do trabalho: Fonte: Os autores (2008)

6) Via de regra, em que pese o bom senso, uliliza-se uma linha em branco (1,5) antes e outra aps - em relao aos pargrafos do texto.

7) Se a tabela ou quadro no couber na pgina, deve ser continuado na pgina seguinte e, neste caso, no delimitado por trao horizontal na parte inferior, sendo o ttulo e o cabealho repetidos na pgina seguinte.

3.1 TABELAS

Tabela 2.1: CUSTOS

Fonte: Os autores (2006) - Adaptado de Rodrigues (2003)

Os quadros e tabelas recebem uma numerao seqencial dependente do Captulo onde esto inseridos. Por exemplo, os quadros integrantes do Captulo 2 recebero numerao 2.1, 2.2 e assim sucessivamente.3.2 QUADROS

Quadro 3.1: DESCRIO DAS OCUPAESFonte: Os autores (2008)

3.3 FIGURAS

Figura 01: FAROL MARTIMO

Fonte: Os autores (2008)

8) As figuras so centralizadas. A palavra figura mais as informaes de seqncia numrica seguidas de dois pontos devem preceder o respectivo ttulo. Sero colocadas abaixo da ilustrao. Este (ttulo) ser escrito com fonte em letras maisculas, negrito e tamanho 10. As figuras sero numeradas com algarismos arbicos de forma seqencial independente do nmero do captulo ou subttulo a que pertencem.

9) Indicar sempre no ttulo qual o tipo: Figura 01: LOGOTIPO DA EMPRESA10) Impe-se (FCJ) o seguinte padro em se tratando dos autores do trabalho:Fonte: Os autores (2006)

Figura 02: PROTTIPOFonte: Oliveira (2004)

4 CITAES

importante frisar que uma das caractersticas essenciais do trabalho cientfico a utilizao de citaes e a indicao das suas respectivas fontes, respeitando portanto, a autoria e os princpios da integridade intelectual.

O uso das citaes reforam os argumentos do texto, servem de elo de ligao entre o comentrio do autor do trabalho e a opinio de outros autores sobre o assunto que est sendo pesquisado ou ainda contraposio de idias. Assim, as citaes assumem no texto o papel de fio condutores de outras conversas. Nota-se, entretanto que o excesso de citaes no decorrer do texto pode acarretar a quebra do seu sentido na leitura. Recomenda-se evitar tambm o uso de citaes de domnio pblico, massificadas pela mdia.

Segundo a NBR 10520/ago 2002, citao meno de uma informao extrada de uma outra fonte.

A citao pode ser utilizada para esclarecer, ilustrar ou sustentar um determinado assunto, ela garante respeito ao autor da idia e ao leitor. D credibilidade ao trabalho cientfico.

As citaes podem estar localizadas no texto (padro FCJ) ou em notas de rodap (somente para o curso de Direito), podem ser curtas (at trs linhas), longas (mais de trs linhas), diretas (cpia fiel do autor consultado) ou indiretas (texto baseado na idia do autor consultado). Toda citao deve vir acompanhada da indicao de autoria, esta pode estar inclusa no texto (na sentena, frase) ou entre parnteses.

Quando inclusa no texto devese usar letras maisculas e minsculas com indicao da data entre parnteses.

Exemplo:

Maximiano (2000, p. 358) afirma que os fatores de manuteno ou aspectos insatisfatrios, diziam respeito ao contexto do trabalho, ou seja, s condies dentro das quais o trabalho era realizado. Quando a autoria no fizer parte do texto deve ser entre parnteses e todas as letras em maiscula.

Exemplo:Os fatores de manuteno ou aspectos insatisfatrios, diziam respeito o contexto do trabalho, ou seja, s condies dentro das quais o trabalho era realizado. (MAXIMIANO, 2000, p. 358).

4.1 CITAO DIRETA

a transcrio ou cpia de um pargrafo, uma frase ou uma expresso, usando exatamente as mesmas palavras usadas pelo autor do trabalho consultado. Nesse caso, repete-se palavra por palavra e estas devem vir entre aspas duplas, ou com destaque grfico, seguidas da indicao da fonte consultada.

Exemplo:

fazendo um relatrio com algumas notas de rodap. (MCGREGOR, 1999, p.1).

4.2 CITAO INDIRETA

a transcrio das idias de um autor usando suas prprias palavras. A citao indireta a maneira que o pesquisador tem de ler, compreender e gerar conhecimento a partir do conhecimento de outros autores.

Exemplo:

Neste texto, o papel do bibliotecrio ganha importncia como educador (DUDZIAK; GABRIEL; VILLELA, 2000).

4.3 CITAO CURTA As citaes curtas (at trs linhas) diretas ou indiretas so inclusas ao texto destacadas entre aspas precedidas ou sucedidas da indicao de autoria.

Exemplo:

Esses trs fatores determinam a motivao do indivduo para produzir em quaisquer circunstncias em que se encontre. (CHIAVENATO, 2000, p.310).

OuPara Chiavenato (2000, p.310), esses trs fatores determinam a motivao do indivduo para produzir em quaisquer circunstncias em que se encontre. 4.4 CITAO DE CITAO

a citao de um texto que tivemos acesso a

partir de outro documento.

Exemplo:

Leedy (1988 apud RICHARDSON, 1991, p.417) compartilha deste ponto de vista ao afirmaros estudantes esto enganados quando acreditam que eles esto fazendo pesquisa, quando de fato eles esto apenas transferindo informao factual [...].

Na lista de referncias, faz-se a referncia do documento consultado (RICHARDSON).

4.5 SUPRESSES, COMENTRIOS E DESTAQUES

Em alguns casos o autor do trabalho poder fazer supresses (omitir parte da citao), comentrios (na citao) ou destaques (negrito ou sublinhado).

Ao usar uma citao que contenha expresso ou palavra destacada pelo autor usa-se aps a citao a expresso grifo do autor entre colchetes [ ].

Exemplo:

[...] buscavam explicar o desempenho do indivduo nas organizaes. (FICHT, 2004, p. 26) [grifo do autor]. Caso o autor do trabalho destaque uma palavra ou expresso em uma citao, acrescenta-se aps a citao a expresso grifo nosso.

Exemplo:

Todas elas buscavam explicar o desempenho do indivduo nas organizaes. (FICHT, 2004, p. 26) [grifo nosso].

Ao usar uma citao que contenha alguma expresso ou palavra entre aspas, no trabalho esta expresso ou palavra aparecer entre aspas simples.

Exemplo:

Segundo Ficht (2004, p. 25), atualmente as organizaes esto preocupadas em como motivar sua equipe, procuram entender porque alguns colaboradores do o mximo de si enquanto outros fazem o mnimo possvel pela instituio.

4.6 CITAO LONGA

As citaes longas (mais de trs linhas) devem ser transcritas em bloco separado do texto, com recuo esquerdo de 4 cm a partir da margem, justificado, com a mesma fonte do texto porm em tamanho 10 e espaamento simples.

Exemplo:

A motivao esta relacionada ao sistema de cognio de cada um, onde este sistema inclui os valores pessoais, e influenciado pelo ambiente fsico e social.

Chiavenato (2000, p. 302) afirma

A motivao representa a ao de foras ativas e impulsionadoras: as necessidades humanas. As pessoas so diferentes entre si no que tange motivao. As necessidades humanas que motivam o comportamento humano produzem padres de comportamento que variam de indivduo para individuo.

Confirma-se mais uma vez que a motivao diferente para cada indivduo. Devido a isto muitas organizaes preocupam-se em descobrir como motivar seus funcionrios para desta forma melhorar os servios oferecidos.

4.7 SISTEMA DE CHAMADA EXEMPLOS -A NBR 10520/ago 2002, apresenta dois tipos de sistemas de chamadas para citaes: o autor data e o sistema numrico.

Na norma FCJ adota-se o sistema autor data.Neste sistema a indicao feita pelo sobrenome do autor ou pelo nome da entidade responsvel at o primeiro sinal de pontuao, seguido da data de publicao do documento e da pgina onde estiver a citao.

4.8 AUTOR PESSOA

Exemplo de citao obra com um autor:Esses trs fatores determinam a motivao do indivduo para produzir em quaisquer circunstncias em que se encontre. (CHIAVENATO, 2000, p. 310).

Exemplo de citao obra com dois autores: A teoria de Alderfer, como a de Maslow, difcil de ser testada, o que torna difcil avaliar sua aplicao a situaes organizacionais, prtica da administrao ou at mesmo realizao pessoal dos empregados. (STONER; FREEMAN, 1994, p. 326). Exemplo de citao obra com trs autores:Segundo Andrade, Cardoso e Siqueira (1998, p. 54-67)...

Ou(ANDRADE; CARDOSO; SIQUEIRA, 1998, p. 54-67). Exemplo de citao obra com mais de trs autores:

Segundo Cordi et al (1994, p. 88)

Ou

(CORDI et al, 1994, p.88)

Exemplo de vrios documentos do mesmo autor publicado no mesmo ano:

(RICHARDT, 2000a, p.12)

(RICHARDT, 2000b, p.16)

Vrios documentos do mesmo autor

(RICHARDT, 1998, 1999, 2000) Ou

Zenere (1998, 1999, 2000) Dois autores com mesmo sobrenome (SILVA, Maria, 1998, p. 23) Ou Silva, Maria (1998, p. 23)

(SILVA, Jos, 1996, p. 38) Silva, Jos (1996, p. 38)

4.9 AUTOR ENTIDADE(UNIVERSIDADE TECNOLGICA FEDERAL DO PARAN, 2005, p.10).

(FACULDADE CENECISTA DE JOINVILLE, 1990, p. 24).

4.10 AUTOR EVENTO

(CONGRESSO BRASILEIRO DE ADMINISTRAO, 1979).

3.10 DOCUMENTOS SEM AUTORIA

Quando o documento no possuir autoria, a indicao da citao deve ser feita pela primeira palavra do titulo seguido de reticncias:

(ANTEPROJETO..., 1987, p. 550)

Se o titulo iniciar por artigo este deve ser includo na indicao da fonte:

(A FLOR..., 1995, p.4)

4.11 NOTA DE RODAP utilizada em numerao arbica, consecutivamente e deve constar na mesma pgina em que foi referenciada. Utilize o comando: Inserir: Nota. O computador vai sugerir a numerao automtica, basta voc clicar OK. Automaticamente, o cursor do mouse ir para o final do texto, inserindo uma linha divisria e ao mesmo tempo, ir diminuir o tamanho da fonte (letra) e o espaamento entre as linhas (transformar em espao simples), no qual voc digitar os dados necessrios. Depois, poder retornar ao texto, com o auxlio das teclas Page Up ou Page Down . A fonte do texto anteriormente digitado permanecer.

5 ORGANIZAO DAS REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS comum surgir dvida sobre o que bibliografia consultada e referncia bibliogrfica. Portanto, se faz necessrio distinguir Referncias Bibliogrficas de Bibliografia. Entretanto, ambas devem ser colocadas em ordem alfabtica, segundo o sobrenome do autor.

Referncias Bibliogrficas: segundo a NBR 6023/00, um conjunto de elementos que permitem a identificao, no todo ou em parte, de documentos impressos ou registrados em diversos tipos de material

Bibliografia consultada: qualquer fonte que possa ter subsidiado direta ou indiretamente a elaborao de um trabalho acadmico, sem necessariamente ter sido citado no corpo do trabalho. O espao 1,5 cm entre as linhas, e as referncias bibliogrficas devem estar em ordem crescente e alfabtica pelo sobrenome do autor. A continuidade da mesma fonte em incio de nova linha, continua na margem esquerda.

5.1 NOTAS DE IMPRENTA E UTILIZAO DE MESESA funo das notas tipogrficas (tambm conhecidas por notas de imprenta) identificar o local de publicao, a editora e a data, quando as mesmas no se encontram na fonte de pesquisa, ou apenas uma delas :

a) sem local de publicao, escreve-se : [s.l.] ;

b) sem a editora : [s. n]. ;

c) quando as trs no so identificadas (sem notas tipogrficas ) : [s.n.t.]

*Com relao a indicao da edio do livro:

a) no se anota a edio quando for a primeira;

b) as demais devero ser anotadas : 2ed. , 3ed., etc.

Quando houver a necessidade de indicar meses, abreviam-se pelas trs primeiras letras do nome do ms, seguidas de ponto , com exceo de maio . Ex.:

a) jan. fev. mar. abr. jun. jul. ago. out. nov. dez ;

a) maio.

5. 2 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. Normalizao da documentao no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentao, 1989.

ANDRADE, Maria M. Introduo metodologia do trabalho cientfico. 2ed. So Paulo: Atlas, 1997.

BARBOSA, Maria Dorothia. Orientao bibliogrfica: da pesquisa apresentao de trabalhos: manual para estudantes. Curitiba : Scientia et Labor, 1989.

BARRAS, Robert. Os cientistas precisam escrever. So Paulo : Edusp, 1979.

BARROS, Aidil Jesus Paes de . Um guia para a inicializao cientfica. So Paulo : Mcgraw-Hill, 1986.

BECKER, Fernando et. al. Apresentao de trabalhos escolares. 16ed. Porto Alegre : Multilivro , 1996.

CEIA, Carlos. Normas para apresentao de trabalhos cientficos. Lisboa: Presena, 1995.

CERVO, Amado ; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia cientfica. So Paulo : McGraw-Hill do Brasil, 1993

COSTA, Antnio Fernando Gomes da. Guia para elaborao de relatrios de pesquisa monografia: trabalhos de iniciao cientfica, dissertaes, teses e editorao de livros de acordo com as normas da ABNT. 2ed. ver. e aum. Rio de Janeiro: Unitec, 1998.

GUSMO, Helosa Rios; PINHEIRO, Eliana Souza. Como normalizar trabalhos tcnico-cientficos? Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

KCHE, Jos Carlos. Fundamentos de metodologia cientfica. Teoria da cincia e prtica da pesquisa. 14ed. Rio de Janeiro : Vozes , 1997.

KUHNE, Leda Miranda. [org.]. Metodologia cientfica. 4ed. Rio de Janeiro: Agir, 1990.

LAKATOS, Eva Maria ; MARCONI, Marina de Andrade. Tcnicas de Pesquisa. So Paulo : Atlas, 1990.

_______ . Metodologia do Trabalho Cientfico. So Paulo: Atlas, 1983.

15.LUFT, Celso Pedro. O escrito cientfico: sua estrutura e apresentao. 3ed. Porto Alegre : Lima, [ 1999?].

* Dicas: para proporcionar qualidade e rapidez na digitao, configure inicialmente seu trabalho, criando arquivos-modelo para que possam ser utilizados em futuros trabalhos. Na utilizao do computador, software de edio de textos - word, preciso:

a) Digitar o texto em espao 1,5 entre linhas (1cm para datilografia) com exceo das citaes longas, resumo, referncias bibliogrficas e epgrafes, as quais so digitadas em espao simples (0,5cm para datilografia);

b) Utilizar o mesmo tamanho de fonte para digitar e/ou datilografar. No computador, sugere-se pado FCJ Arial, tamanho 12.

c) Para que voc visualize melhor a digitao no computador, deixe ativado o boto exibir/ocultar, o que permitir verificar espaamento e quebra de pargrafo; alm disso, ative o boto modo layout de pgina, pois assim ser possvel verificar como ser a impresso final ao trmino do trabalho;

d) Para que o texto fique distribudo uniformemente na pgina, sem sobras laterais, ative o boto justificar, evitando assim, a utilizao de smbolos estranhos para a margem direita, pois este recurso evita a sobra de espaos;

e) A enumerao das pginas dever ser feita por ltimo, e, para que voc enumere as pginas de acordo com a necessidade (lembre-se, algumas pginas so contadas, mas no so enumeradas). Utilize quebra de seo no computador, utilizando o seguinte comando: inserir quebra quebra de seo. Isto permitir que voc enumere apenas as devidas pginas que so enumeradas;

f) Para digitar citaes longas, elas exigem recuo do texto direita, com espaamento simples entre as linhas, e letras (fontes) menores; no computador. Voc digitar normalmente seu texto, e em seguida, selecione todo o texto da citao longa (com mais de cinco linhas) e a seguir, utilize: formatar estilo verifique se todos os estilos esto ativados, e escolha o estilo Encerramento. Clique OK. Ao retornar para o texto, ainda selecionado, confirme se o boto Justificar continua acionado, caso contrrio, ative-o e automaticamente, a citao ser recuada para o canto direito da pgina, com espao simples, e o tamanho da fonte diminuir.

g) Para a elaborao rpida do sumrio, digite todos os tens que o compem, e depois selecione todo o texto e v para: Formatar tabulao. na marca de tabulao, digite 16 cm, alinhamento: direita; Preenchimento: 2........ (de acordo com o computador que voc utiliza, poder haver modificaes, quanto a medida da tabulao sugerida).

APNDICE 1 5.3 EXEMPLO DE CAPA PARA APRESENTAO DOS TRABALHOSACADMICOS (DISCIPLINAS DIVERSAS)FACULDADE CENECISTA DE JOINVILLE FCJ

CURSO DE ADMINISTRAO DE EMPRESASNFASE EM NEGCIOS INTERNACIONAIS

TTULO DO TRABALHO

NOME DO ACADMICO (EQUIPE)

Nome da Disciplina

Joinville

2008 De acordo com ABNT, NBR 6027/89.

Cf. Sobre ndices, NB 1244 e listas, NBR 6029/89. H autores que definem (caracterizam) o sumrio como ndice analtico. Os ndices remissivos remetem-nos a termos, expresses ou assuntos abordados no texto.

(Geral somente um objetivo; especficos mais de um) As frases devero sempre iniciar com verbos.

NBR 10719/89

NBR 10719/89

Sobre Referncias Bibliogrficas, consultar NBR 6023/2002.

NB 10719/89

Exemplo: Anexo A, Anexo B, etc.

Ver NBR 6.029/93. Dica: Recomenda-se a insero de uma tabela com 02 colunas, sem exibio das linhas de grade, para a digitao do(s) termo(s) tcnico(s) e/ou vocbulo(s) em outro idioma e o seu significado, cada item em sua coluna especfica. Este um bom recurso para apresentao dos dados, proporciona um lay out organizado/alinhado.

Cf. NBR 10719/89 e NBR 6024/89 da ABNT.

Consultar NBR 6023/89.

O usurio que j conhece e utiliza com bastante freqncia o editor de textos Word, deve procurar fazer uso dos recursos mais avanados deste programa, ou seja, formatar previamente estilos distintos para cada necessidade, por exemplo: Estilo de Ttulos 1-2 e 3, Estilo de citaes longas, Estilo de texto para tabelas e quadros, Estilos para notas de rodap entre outros. Este procedimento permitir a insero automtica do sumrio, da lista de tabelas e quadros, entre outros elementos pr-textuais, conforme a densidade do trabalho.

A TABELA POSSUI AS LATERAIS ABERTAS.

A distncia das letras do ttulo para a tabela deve ser configurada em formatar/pargrafo/ distncia entre linhas simples e espaamento antes e depois zero.

OS QUADROS POSSUEM AS LATERAIS FECHADAS.

Negrito, maisculas e tamanho 10. A classificao e numerao escreve-se normalmente (vide destaque em amarelo)

Padro FCJ. Maisculas e minsculas. Tamanho 10.

S necessrio o nome do autor pois a obra deve estar nas referncias.