mikhail bakhtin no brasil

Download Mikhail Bakhtin No Brasil

Post on 12-Dec-2014

104 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Mikhail Bakhtin no Brasil: primeiras repercusses Clara vila Ornellas [1] Universidade Estadual Paulista (UNESP-Assis/FAPESP) Brasil ornellasclara@gmail.com

Localice en este documento

Abstract: In this text we present references on the first repercussions of the thought of Mikhail Bakhtin in the Brazilian academic context, particularly, in the area of Letters, of the Universidade de So Paulo and the Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo. After the exposition of historical and biographical elements, we detach first books critical-theoreticians produced for Brazilian researchers and professors. Moreover, we present the programs of the first courses of the two institutions of education that had made references to Bakhtin. These materials contribute for the elaboration of a historical panorama of the repercussion of Mikhail Bakhtin in the West World. Key-words: Critical Reception; History of the Ideas; Mikhail Bakhtin; Brazil

Considerando a importncia do pensamento de Mikhail Bakhtin (1895-1975) para asCincias Humanas e a atualidade de seus estudos, particularmente, para a rea de Letras, este texto apresenta parte dos resultados da pesquisa de mestrado intitulada A presena

de Mikhail Bakhtin em dissertaes de mestrado e teses de doutorado, em Letras, da USP e PUC/SP, no perodo de 1972 a 1996, defendida em 1998, no Departamento de Lingstica da Universidade de So Paulo, sob orientao da Professora Doutora Elisabeth Brait e incentivo de bolsa CNPq. A referida pesquisa centralizou-se no estudo dos tipos de utilizao do pensamento bakhtiniano por parte dos alunos de ps-graduao em Letras, da Universidade de So Paulo e da Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo, ambas localizadas na cidade de So Paulo. A partir da presena de referncias bibliogrficas ao pensador russo em 100 trabalhos de concluso de mestrado e doutorado, focalizou-se como ocorreu esta apreenso formalizada em trs categorias bsicas: citao textual, parfrase e aluso. No presente texto, apresentamos consideraes gerais sobre as primeiras manifestaes do pensamento de Bakhtin no mbito acadmico, destacando-se principalmente Boris Schnaiderman como precursor na divulgao das idias bakhtinianas, bem como os primeiros livros crticos-tericos e as primeiras disciplinas a trazerem tona referncias s idias bakhtinianas por parte de professores e pesquisadores brasileiros. Para tanto, iniciamos essa abordagem localizando primeiramente os contextos histrico e pessoal vivenciados pelo pensador russo e suas relaes com um crculo de estudos, elementos importantes para se compreender as condies de produo em que ocorreu o desenvolvimento dos estudos realizados por este pensador. Apresentar esses dados se torna promissor, haja vista que congrega elementos reveladores do percurso das idias deste pensador no Brasil e auxilia na elaborao de um panorama histrico da repercusso de Mikhail Bakhtin no Ocidente.

Contexto poltico e histria pessoal Considerado um dos maiores pensadores do sculo XX, no mbito das Cincias Humanas, Mikhail Mikhaillovich Bakhtin nasceu em 16 de novembro (ou 04 no calendrio antigo) [2] de 1895, em Oriel, Rssia. Observando-se sua biografia, em contraste com o contexto histrico, possvel perceber o reflexo de um regime poltico autoritrio na dimenso individual. Isso pode ser compreendido se considerarmos a histria da Repblica Socialista Federativa Sovitica da Rssia da poca em que o terico russo viveu. No incio do sculo, a Rssia passou por revolues marcadamente importantes para o seu desenvolvimento tanto interno quanto externo. O ano de 1917 contou com duas revolues, em particular, que o tornou inesquecvel no apenas para os russos, mas para a histria deste sculo. A primeira revoluo data do ms de fevereiro quando a burguesia se junta ao proletariado, inclusive aos militares que estavam descontentes com a participao russa na I Guerra Mundial (1914-1918), pois o povo, de um modo geral, no suportava mais a fome, a misria e a opresso que, se antes da Guerra j eram predominantes, na sua vivncia chegaram a nveis insustentveis. Nesse clima hostil, as manifestaes populares provocaram a abdicao do czar Nicolau II e, pela primeira vez na histria da Rssia, instaura-se um regime constitucional. Entretanto, camadas da burguesia detentoras de faces do poder tentaram impor um regime restaurador, isto , uma volta

opresso contra as camadas trabalhadoras da populao. Nova revoluo acontece, ento, em 25 de outubro e, desta vez, o comando nacional finalmente fica nas mos da classe proletria. Instaura-se o regime comunista, presidido por Vladimir Ulianov Lnin. Contudo, isso no significou que a Rssia entraria numa poca de paz: E a reao dos antigos privilegiados foi uma luta encarniada contra os revolucionrios: unidades do exrcito, sob o comando de oficiais reacionrios (Denikin, Kornilov, Vrangel), auxiliadas por tropas estrangeiras, levaram o terror s mais diversas regies da Rssia. O novo Estado compelido a responder com violncia: o Exrcito Vermelho (criado por Trotski) replica ao terror reacionrio com firmeza e impiedade e, trs anos depois, impe-se em toda a Rssia. (NETTO, 1985, p. 29) Aps a morte de Lnin (1924), entram em disputa, pela sucesso governamental, Trotski e Stalin. Stalin torna-se vencedor e abre-se nova pgina da histria da Rssia, isto , o chamado perodo stalinista, que vai de 1927 a 1953. Stalin conseguiu que seu pas se industrializasse e entrasse na modernizao, processo j em desenvolvimento em pases europeus (Frana e Blgica, por exemplo). Entretanto, os meios pelos quais chegou a esta conquista no foram nada exemplares: Os mtodos empregados, contudo, foram brutais: populaes inteiras dos campos foram deportadas, as formas do trabalho industrial (envolvendo homens egressos de zonas agrcolas e, portanto, pouco afeitos disciplina exigida pela fbrica moderna) tiveram feio repressiva - inclusive o direito de greve foi rigorosamente proibido. (Idem, 1985, p. 41) Stalin no aceitava idias que iam de encontro s suas e, para fazer valer seu poder, a represso se instalou de tal modo que foram realizados inmeros expurgos e a polcia poltica tornou-se to autocrtica e impiedosa quanto o seu chefe de Estado. Multiplicam-se prises com trabalhos forados para presos polticos e assassinatos sem motivo aparente. Tal realidade implantou o total obscurantismo a toda sorte de pessoas, desde as mais humildes, que muitas vezes eram punidas sem saber o motivo, at os pensadores da poca. Com esses ltimos, Stalin foi implacvel. Afinal, professores, escritores e filsofos ofereciam alto risco imposio da represso. nesses termos que se apresenta a histria contempornea da vida de Mikhail Bakhtin e no so poucas as conseqncias por ele sofridas em decorrncia do stalinismo. A biografia Mikhail Bakhtin (1984) [3], dos americanos Clark e Holquist, oferece vrios aspectos importantes sobre o pensador russo, como se observa a seguir. A vida de Bakhtin, durante as revolues de 1917 e concomitantemente a I Guerra Mundial (1914-1918), esteve ligada cidade de Petrogrado, onde cursou estudos clssicos na Faculdade Filolgico-Histrica, tendo concludo o curso no ano de 1918. Essa poca de intensa turbulncia poltica tambm afetou o ensino universitrio com a diminuio do nmero de professores. Segundo Clark e Holquist, Bakhtin no se manifestava nem a favor, nem contra os revolucionrios. Tal posio de neutralidade poltica seria um trao marcante em toda a vida do pensador. Entre os anos de 1918 a 1920, Bakhtin lecionou para o curso ginasial na cidade de Nevel e conviveu com o primeiro crculo de discusses filosficas. A presena em debates em que se discutia poltica, religio, filosofia, dos quais participavam estudiosos

e interessados em geral, deu origem s bases para o que seria o desenvolvimento do pensamento bakhtiniano. Os participantes mais influentes, para Bakhtin, foram Matvei Isaevich Kagan, doutor em filosofia alem, e Lev Vasilievich Pumpiansky, que estudava a cultura europia. Foi na convivncia com esse crculo que o pensador russo conheceu Valentin Nikolaevich Volochnov, estudioso de filosofia e de msica que assinaria, ainda nos anos 20, obras atribudas a Bakhtin, como o caso de Marxismo e filosofia da linguagem e O freudismo. Em 1920, Bakhtin mudou-se para Vitebsk, na poca grande centro em efervescncia cultural, resultado da fuga dos intelectuais das cidades de Moscou e Petrogrado, muito afetadas pela Guerra Civil. Novamente a prtica de discusses filosficas, polticas e culturais dariam origem a um segundo crculo, o de Vitebski, onde o pensador russo conheceu Pavel Nikolaevich Medvedev, formado em Direito e reitor da Universidade Proletria da cidade. Medevedev tambm assinaria textos atribudos a Bakhtin. Outro fato importante para a vida de Bakhtin nesta poca foi o seu casamento com Elena Aleksandrovna Okolovick, em 1921. Em 1924, j em Leningrado, segundo Clark e Holquist, Bakhtin teve uma das fases mais importantes para sua vida em termos no s intelectuais, mas biogrficos. Intelectualmente, produziu importantes obras e estudos: During this brief interlude [1924-1929] he completed four major books, on Freud, the Russian Formalists, the philosophy of language, and the Dostoevskian novel, in addition to a number of articles (CLARK e HOLQUIST, 1984, p. 95). Para a vida de Bakhtin, Leningrado significou intensas dificuldades, pois no conseguiu emprego oficial e dependeu de pequena penso do governo para sobreviver. Sua sade estava precria. Mas Clark e Holquist ressaltam que a figura de Bakhtin dentro do Crculo de Leningrado tornou-se cada vez mais destacada, emergindo-o como lder do grupo. Com a repercusso positiva [4] do livro Problemas da obra de Dostoivski [5], em 1929, Bakhtin tornou-se mais conhecido academicamente. Entretanto, no pde dialogar com os crticos de sua obra, em razo do regime stalinista. Sem argumentos muito claros - oficialmente seria em decorrncia de sua participao numa congregao religiosa ento no aceita pelo comunismo - Bakhtin foi condenado a seis

Recommended

View more >