mensageiros da esperança

Click here to load reader

Post on 10-Mar-2016

223 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Mensageiros daEsperana

    Ellen G. White

    2001

    Copyright 2012Ellen G. White Estate, Inc.

  • Informaes sobre este livro

    Resumo

    Esta publicao eBook providenciada como um servio doEstado de Ellen G. White. parte integrante de uma vasta colecode livros gratuitos online. Por favor visite o website do Estado EllenG. White.

    Sobre a Autora

    Ellen G. White (1827-1915) considerada como a autora Ameri-cana mais traduzida, tendo sido as suas publicaes traduzidas paramais de 160 lnguas. Escreveu mais de 100.000 pginas numa vastavariedade de tpicos prticos e espirituais. Guiada pelo EspritoSanto, exaltou Jesus e guiou-se pelas Escrituras como base da f.

    Outras Hiperligaes

    Uma Breve Biografia de Ellen G. WhiteSobre o Estado de Ellen G. White

    Contrato de Licena de Utilizador Final

    A visualizao, impresso ou descarregamento da Internet destelivro garante-lhe apenas uma licena limitada, no exclusiva e in-transmissvel para uso pessoal. Esta licena no permite a republica-o, distribuio, atribuio, sub-licenciamento, venda, preparaopara trabalhos derivados ou outro tipo de uso. Qualquer utilizaono autorizada deste livro faz com que a licena aqui cedida sejaterminada.

    Mais informaes

    Para mais informaes sobre a autora, os editores ou como po-der financiar este servio, favor contactar o Estado de Ellen G.

    i

  • White: (endereo de email). Estamos gratos pelo seu interesse epelas suas sugestes, e que Deus o abenoe enquanto l.

    ii

  • iii

  • ContedoInformaes sobre este livro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . iPrefcio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . vCaptulo 1 Nossas publicaes e sua misso . . . . . . . . . . . . . . . 7Captulo 2 Obra no inferior a nenhuma outra . . . . . . . . . . . . 10Captulo 3 Um chamado para os colportores-evangelistas . . 15Captulo 4 Escolha de colportores-evangelistas . . . . . . . . . . . 21Captulo 5 Os estudantes e o evangelismo atravs da

    colportagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24Captulo 6 Uma obra de salvao de almas . . . . . . . . . . . . . . . 27Captulo 7 Entrega completa a Deus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32Captulo 8 Plenamente preparado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37Captulo 9 Exemplo nos hbitos, porte e vesturio . . . . . . . . . 41Captulo 10 Voz e dico agradveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47Captulo 11 Diligncia no servio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51Captulo 12 Homem de orao . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54Captulo 13 Pontos de venda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56Captulo 14 O colportor-evangelista e suas finanas . . . . . . . 60Captulo 15 Cooperando com outros obreiros do evangelho . 65Captulo 16 Guiados pelo Esprito de Deus . . . . . . . . . . . . . . . 68Captulo 17 Acompanhado por anjos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72Captulo 18 Auxlio para cada dificuldade . . . . . . . . . . . . . . . 75Captulo 19 Livros que do a mensagem . . . . . . . . . . . . . . . . . 78Captulo 20 Os grandes livros de nossa mensagem . . . . . . . . 80Captulo 21 Publicaes sobre sade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85Captulo 22 Mantendo o devido equilbrio . . . . . . . . . . . . . . . 88Captulo 23 O trabalho ministerial de nossas revistas . . . . . . 93Captulo 24 A grande influncia de nossas publicaes . . . . . 95

    iv

  • Prefcio

    A Igreja Adventista do Stimo Dia nasceu com a misso dealcanar o mundo com a trplice mensagem anglica de Apocalipse14. Portanto, urgente a necessidade de utilizao conscienciosa detodos os meios de comunicao.

    Desde os primrdios do movimento adventista, as publicaestm sido um poderoso instrumento para alcanar pessoas em todosos continentes. Estudos afirmam que em aproximadamente 80%dos pases em que a igreja est presente, a mensagem chegou porintermdio das publicaes. O Brasil um exemplo claro desse fatohistrico: um pacote de revistas enviado em 1879 germinou emnosso solo, gerando uma igreja que hoje chega perto de um milhode membros.

    A eficincia da pregao do evangelho consiste na unio entreo agente comunicador e o veculo de transmisso da mensagem. Olivro um veculo que transmite esperana. Quando, porm, no hmos para distribu-lo, seu poder aniquilado. Literatura estocadano cumpre a misso.

    O agente humano o condutor da mensagem. Em Isaas 52:7, oprofeta retrata, de maneira potica, a natureza da obra do mensageiro:Que formosos so sobre os montes os ps do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir asalvao, que diz a Sio: O teu Deus reina! [6]

    A distribuio de literatura oferece oportunidades para o tes-temunho pessoal. Mas vai alm, ao plantar a semente no solo daalma humana, deixando-a sob os cuidados do Esprito Santo. Muitassementes germinam de imediato; outras, porm, permanecem naincubadora do tempo, merc da providncia divina.

    Uma segurana h para o mensageiro: Nenhum fragmento deuma pgina impressa deixar de cumprir sua misso.

    Neste incio de sculo, quando todo tipo de idia, doutrina epensamento busca espao na mente dos homens, necessitamos apre-sentar a Verdade sem economizar canais.

    v

  • vi Mensageiros da Esperana

    Todos so convidados a fazer esta obra. O profissional, a dona-de-casa, o estudante, o aposentado, as crianas. H espao para todos.No entanto, o Senhor Deus tem para alguns um chamado especial: acolportagem evangelstica como vocao ministerial.

    Esta uma obra sublime, cujo valor se assemelha do hbilpregador evangelista. to importante quanto anunciar a mensagemdo plpito, dos microfones radiofnicos ou diante de uma cmerade televiso.

    O livro que voc tem em mos apresenta uma misso. Todospodem cumpri-la. simples, apenas disponha-se a ser um dissemi-nador das publicaes. Seja um Mensageiro da Esperana.

    Almir MarroniDiretor do Departamento de Publicaes da Diviso Sul-Americana

    [7]

  • Captulo 1 Nossas publicaes e sua misso

    Comear a publicar Numa reunio realizada em Dorchester,Massachusetts, em Novembro de 1848, tive uma viso da proclama-o da mensagem do assinalamento, e da responsabilidade confiadaaos irmos de publicarem a luz que resplandecia em nosso caminho.

    Depois da viso, eu disse a meu esposo: Tenho uma mensa-gem para voc. Voc deve comear a publicar um pequeno jornal emand-lo ao povo. Que seja pequeno a princpio; mas, quando as [8]pessoas o lerem, enviaro recursos para que voc possa imprimi-lo, ealcanar bom xito desde o princpio. Desde este pequeno comeofoi-me mostrado assemelhar-se a torrentes de luz que circundavamo mundo. Vida e Ensinos, 128.

    Verdade clara e compreensvel Compete a nossas publica-es a mais sagrada obra de tornar clara, compreensvel e simples abase espiritual de nossa f. Em todos os lugares o povo est tomandoposio; todos esto se colocando sob a bandeira da verdade e dajustia ou sob a dos poderes apstatas que lutam para alcanar asupremacia. Neste tempo, a mensagem de Deus ao mundo deverser pregada com tal nfase e poder que o povo seja posto face aface, mente a mente, corao a corao com a verdade. Devero serlevados a ver a sua superioridade em relao com o grande nmerode erros que esto sendo postos em evidncia, a fim de suplantar, sepossvel, a Palavra de Deus para este tempo solene.

    O grande objetivo de nossas publicaes exaltar a Deus, atrair aateno dos homens para as verdades vivas de Sua Palavra. Deus nospede que exaltemos, no as nossas prprias normas, no as normasdeste mundo, mas Suas normas de verdade. Testemunhos Seletos3:151-152. [9]

    Publicar a luz e a verdade Na noite de 2 de Maro de 1907,muitas coisas me foram reveladas sobre o valor das nossas publi-caes acerca da verdade presente, e o pouco esforo que nossosirmos e irms fazem nas igrejas para garantir uma ampla dissemi-nao.

    7

  • 8 Mensageiros da Esperana

    Foi-me mostrado em vrias ocasies que os nossos prelos deve-riam estar continuamente ocupados em publicar a luz e a verdade.Este tempo de trevas espirituais nas igrejas do mundo. A igno-rncia das coisas divinas encobriu da vista dos homens, a Deus e averdade. As foras do mal esto ganhando fora. Satans prometeaos seus subordinados fazer um trabalho que cative o mundo. Aopasso que a atividade da igreja apenas parcial, Satans e suas le-gies exercem atividade intensa. As professas igrejas crists noesto convertendo o mundo; pois elas prprias esto corrompidas deegosmo e orgulho, e necessitadas de experimentarem em seu meioo poder regenerador de Deus, antes de poderem guiar outros a umanorma mais pura e elevada. Testemunhos Seletos 3:315.

    Meios para rpida divulgao A obra da colportagem sero meio de dar rapidamente a sagrada luz da verdade presente aomundo. As publicaes que saem de nossos prelos devem ser de talcarter que fortalea cada ponto de apoio da f que foi estabelecidapela Palavra de Deus e pela revelao de Seu Esprito.[10]

    A verdade que Deus deu a Seu povo nestes ltimos dias deveconserv-los firmes quando vm igreja os que apresentam falsasteorias. A verdade que tem permanecido firme contra os ataques doinimigo por mais de meio sculo, precisa ainda ser a confiana e oconforto do povo de Deus.

    Nossa evidncia aos no professos, de que possumos a verdadeda Palavra de Deus, ser dada numa vida de estrita renncia. Nodevemos escarnecer de nossa f, mas sempre conservar diante dens o exemplo dAquele que, embora Prncipe do Cu, desceu a umavida de renncia e sacrifcio, para vindicar a justia da palavra deSeu Pai. Resolvamos todos fazer o melhor ao nosso alcance paraque a luz de nossas boas obras possa resplandecer ao mundo. Testemunhos para a Igreja 9:69-70.

    Preparo para o encontro com Deus As publicaes expe-didas de nossas