mem³rias de ausncia, testemunhos de persistncia: a ... mem³rias de ausncia, testemunhos

Download Mem³rias de ausncia, testemunhos de persistncia: a ... Mem³rias de ausncia, testemunhos

Post on 08-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Memrias de ausncia, testemunhos de persistncia: a talha barroca das igrejas de Nossa Senhora do Socorro,

de Santo Estvo e de So Miguel, em Lisboa

Memories of absence, testimonies of persistence: the baroque woodcarving at the churches of Nossa Senhora do

Socorro, Santo Estvo and So Miguel, in Lisbon

Slvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da Silva Ferreira*

ISSN 2183-3176. 2. SRIE N. 9 JANEIRO - JUNHO 2018

IX

RESUMO

O conhecimento sobre a feio dos interiores das igre-jas barrocas de Lisboa, muitos deles desaparecidos ou radicalmente alterados, tem sido enriquecido nos ltimos anos, graas investigao sistemtica em arquivos e bibliotecas. O recurso s fontes primrias, em amplo confronto com informaes recolhidas em crnicas, demais bibliografia e registos visuais permite hoje alargada compreenso sobre os mecanismos eco-nmicos e socioculturais subjacentes s encomendas de obras de talha, das quais nos ocupamos neste texto. No mbito dos registos de encomenda e pagamento de obras de arte destacam-se os Livros de Receita e Des-pesa das irmandades, nos quais se arrolavam os gas-tos anuais daquelas instituies. Ao assinalar, tanto a natureza das obras, quanto os custos, prazos e nomes dos artistas, constituem-se tambm como ferramen-tas indispensveis para a compreenso de fenme-nos dspares, mas interconectados, tais como relaes entre encomendadores e artistas, entre artistas e in-termedirios e mesmo entre todos os intervenientes e a justia do reino. Neste estudo abordaremos trs casos paradigmticos: as igrejas de N. S. do Socorro,

* Bolseira de ps-doutoramento da Fundao para a Cincia e a Tecnologia, com projeto intitulado "Presena, Memria e Dispora: Destinos da arte da talha em Portugal entre o Liberalismo e a atualidade" (SFRH/BPD/101835/2014), apoiado pela Fundao para a Cincia e a Tecnologia com financiamento comparticipado pelo Fundo Social Europeu e por fundos nacionais do Ministrio da Educao e da Cincia.

ABSTRACT

The knowledge about the interior features of the Lis-bon baroque churches, many of them missing or radi-cally altered, has been enriched in recent years thanks to systematic research into archives and libraries. The use of primary sources in confrontation with comple-mentary information collected in Chronicles, other literature and visual records allows a broad under-standing of the economic and sociocultural mecha-nisms underlying the commissions and execution of woodcarved work, which we deal with in this text. Among diverse documentation, registering the pay-ments to artists and other costs with works of art, stand out the Accounting Books of the brotherhoods. By checking both the nature of the work, its cost, time and names of artists, they constitute an indispensa-ble tool for the progressive understanding of related phenomena, such as relations between commission-ers and artists, between artists and intermediaries and even among all those involved, and the justice of the kingdom. In this study we will discuss three para-digmatic cases of study: the churches of N. S. do So-corro, Santo Estvo and S. Miguel de Alfama, which

Slvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da Silva Ferreira

IX

82

de Santo Estvo e de S. Miguel de Alfama, que se apre-sentam como testemunhos cabais do percurso histri-co das obras de talha da poca barroca.

PALAVRAS-CHAVE

Lisboa / Mouraria / Alfama / Talha / Igrejas

1 SANTOS, Reynaldo dos Oito sculos de arte portuguesa. Lisboa: Empresa Nacional de Publicidade, 1950. vol. II, p. 262; CARVALHO, Armindo Ayres de Novas revelaes para a histria do Barroco em Portugal. Belas-Artes. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes. 20 (1964), p. 58, 62-63. Separata; SERRO, Vtor A cripto-histria da arte: anlise de obras de arte inexistentes. Lisboa: Livros Horizonte, 2001. p. 77-88, 98-100; SERRO, Vtor Histria da arte em Portugal: o Barroco. Lisboa: Editorial Presena, 2003. p. 198-199; COUTINHO, Maria Joo Mas antes ficara mais magnfica: renovaes espaciais e estticas em espaos cultuais de Alfama (1666-1733); O Iderio Patrimonial. Tomar: Instituto Politcnico, Centro de Pr-Histria. 4 (2015), p. 11-29.

INTRODUO

A forte presena da arte da talha nas igrejas da Mouraria e de Alfama foi, semelhana do ocorrido em todas as freguesias da Lisboa barroca, uma constante. As obras remanescentes e as notcias que chegaram at aos nossos dias so dessa prtica testemunhos cabais. , essencialmente, nos Registos Notariais, nos Livros de Termos das Irmandades e naqueles de Registo de Receita e Despesa das mesmas instituies, nos relatos e crnicas de poca, estas ltimas assiduamente em tom elogioso e laudatrio, que essa memria perdura e se deixa resgatar. O nosso contributo neste texto assenta essencialmente na leitura, interpretao e correlao sistemticas de documentao respeitante a obras de talha e douramento referentes desaparecida Igreja do Socorro, na Mouraria e s igrejas de Santo Estvo e de So Miguel, ambas em Alfama. Para este esforo de reconstruo so relevantes os testemunhos fotogrficos guarda do Arquivo Municipal de Lisboa. O caso da demolida Igreja do Socorro paradigmtico, fruto do desaparecimento total do edifcio pela ao de demolio, levada a cabo em 1949. No entanto, tambm os registos fotogrficos dos interiores das igrejas de Santo Estvo e de S. Miguel de Alfama, em data to recuada quanto o final do sculo XIX, apresentam-se como suportes valiosos na construo da histria dos dois monumentos.

No mbito da investigao em torno das obras de arte executadas para as igrejas em apreo, torna-se obrigatrio referenciar investigadores pioneiros como Reynaldo dos Santos e Ayres de Carvalho e, mais recentemente, Vtor Serro e Maria Joo Pereira Coutinho1. Assim, alicerando o presente estudo nos contributos dos historiadores que nos precederam, pretendemos apresentar uma viso correlativa dos dados, dilatada por novos informes recolhidos nos livros de registos de atividade de diversas irmandades, que tutelavam o espao nessas igrejas, e demonstrar o papel ativo que a arte da talha desempenhou nestes templos, na sua intrnseca relao com a arquitetura e as demais artes. Nestas igrejas, e atravs da documentao consultada, podemos afirmar terem trabalhado alguns dos mais conceituados mestres entalhadores de Lisboa, que laboraram entre os finais da centria de Seiscentos e a primeira metade da de Setecentos, contando-se entre eles nomes como: Francisco Lopes, Manuel Rodrigues, Manuel Joo da Fonseca, Pedro lvares Pereira, Manuel de Brito, Santos Pacheco, Flix Adaucto da Cunha, entre outros.

present themselves as full testimony of the historical background of woodcarving of the baroque period.

KEYWORDS

Lisbon / Mouraria / Alfama / Woodcarving / Churches

MEMRIAS DE AUSNCIA, TESTEMUNHOS DE PERSISTNCIA: A TALHA BARROCA DAS IGREJAS DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO, DE SANTO ESTVO E DE SO MIGUEL, EM LISBOA

IX

83

2 SUCENA, Eduardo Mouraria (bairro da). In SANTANA, Francisco; SUCENA, Eduardo, coord. Dicionrio da histria de Lisboa. Lisboa: Carlos Quintas e Associados, 1994. p. 589-590.3 SOUSA, Francisco Lus Pereira de O Terramoto do 1 de Novembro de 1755 em Portugal e um estudo demogrfico: distrito de Lisboa. Lisboa: Tipografia do Comrcio, 1923. vol. III, p. 687.

Figura 1 Vista da Igreja do Socorro e do Teatro Apolo, Joshua Benoliel.

Arquivo Municipal de Lisboa (AML), PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/JBN/001275.

A IGREJA DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO: ENTRE AS OBRAS SEISCENTISTAS E A DEMOLIO DE 1949

Edificada em meados do sculo XVII2, segundo os relatos produzidos aps o grande abalo ssmico de 1755, a Igreja de Nossa Senhora do Socorro padeceu bastantes estragos. No s ficou completamente destruda a sua capela-mor, como a runa se estendeu aos altares que se situavam no transepto e a outros que se localizavam na nave. Tudo o que no ficou imediatamente destrudo, sofreu estragos de tal dimenso, que a sua recuperao dever ter sido impossvel, ou pelo menos difcil de concretizar. Segundo o cronista: (...) se arruinou, e ficou por terra a cappela-mr, e o cruzeiro da igreja, como tambem as capellas do Santo Christo, Nossa Senhora do Socorro a velha, e a de Santo Antonio, e o mais que permaneceu em p ficou summamente estremecido e arruinado (...)3.

A igreja foi demolida em 1949, e o seu recheio foi distribudo por vrias igrejas de Lisboa, com destaque para a de S. Joo de Deus.

Figura 2 Igreja de Nossa Senhora do Socorro em processo de demolio, Eduardo Portugal.

AML, PT/AMLSB/POR/019588.

Figura 3 Capela-mor da Igreja do Socorro ao tempo da demolio, autor desconhecido.

AML, PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/FMC/000127.

Slvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da Silva Ferreira

IX

84

Sobre a obra de talha executada para este templo, a documentao constante em cartrio notarial informa-nos que, a 14 de novembro de 1674, foi celebrado um contrato entre a Irmandade do Santssimo Sacramento e o mestre entalhador Pedro lvares Pereira, a fim de este executar o trono do retbulo-mor. O texto do contrato estipula as partes presentes e a feio da obra. Assim:

(...) paresero prezentes partes da huma Diogo de Souza Ferreira juis da meza que o prezente anno serue do Santissimo Sacramento da Igreja de N. S. do Socorro () E da outra estaua outro sj prezente Pedro Aluares Pereira () esto contratados com elle dito mestre emtalhador para efeito de fazer hum Trono na tribuna da cappela mor da ditta Igreja para dentro nelle estar exposto o Santissimo Sacramento (...) que comresponda a mais obra de que /fl. 31/ he a tribuna, () E isto em presso e quantia de cento e des mil reis (...)4.

Pelo texto do supra referido assento notarial, destinado execuo do trono do altar, infere-se que a capela-mor deveria estar j concluda no que a obra de talha dizia re