meditação a andar

Download Meditação a Andar

Post on 28-Sep-2015

3 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Uma das prticas meditativas do budismo Theravada da Floresta.

TRANSCRIPT

  • Meditao a andarAjahn Nyanadhammo

    Traduzido por Jos Megre

  • Coppyright2003 The Sangha, Wat Pah Nanachat

    para distribuio gratuita

    Traduzido do original:Walking Meditation - In the Thai Forest TraditionTraduo de Jos Megre1 Edio - 2013Publicaes Mosteiro Budista Theravada www.mosteirobudista.comE-mail: mosteirotheravada@gmail.com

    Editado a partir de duas palestras de Dhamma oferecidas por Ajahn Nyanadhammo, no Buddhist Centre Dhammaloka, em 31 de Julho de 1992, e no Bodhinyana Forest Monastery, em 22 de Janeiro de 2002, ambos em Perth, na Austrlia.

    As publicaes do Mosteiro Budista Theravada so para distri-buio gratuita. No permitida qualquer forma de reproduo parcial ou total para fins comerciais. Cpias deste livro ou auto-rizao para reimpresso para distribuio gratuita, podem ser obtidas aps notificao a mosteirotheravada@gmail.com.

  • o espirito do dana, generosidade, que tem mantido atradio budista viva por mais de 2500 anos

    A oferta de Dhamma supera qualquer outra oferta

    Namo Tassa BhagavatoArahato Sammasambuddhassa

  • 51INTRODUO

    Nesta palestra, vou concentrar-me nos aspetos essenciais da meditao a andar abordando as questes Como?, Quando?, Onde? e Porqu?. Pretendo incluir instrues prticas sobre os aspetos tcnicos da meditao a andar e instrues para culti-var qualidades mentais que levam concentrao, introspeo e sabedoria atravs da atividade fsica da meditao a andar. O Buddha enfatizou o desenvolvimento da plena ateno nas quatro principais posturas: de p, sentado, deitado e a andar (DN22, MN10). Encorajou-nos a estarmos atentos em todas estas posturas, para termos plena conscincia e reconhecimento daquilo que estamos a fazer em qualquer posio. Se lerem acerca da vida dos monges e monjas no tempo de Buddha, percebero que muitos alcanaram certos estgios de iluminao enquanto praticavam meditao a andar. Meditao a andar chama-se cakama em Pi. uma atividade que permite focar e concentrar a mente ou desenvolver conhecimento e sabe-doria introspetiva. Algumas pessoas sentem-se naturalmente mais atradas pela meditao a andar, por a considerarem mais fcil e natural do que a meditao sentada. Quando se sentam, sentem-se aborre-cidas, tensas ou distraem-se facilmente. As suas mentes no se acalmam. Se este o vosso caso, no persistam; faam alguma coisa nova e experimentem mudar de postura.

  • 6 Faam alguma coisa diferente, experimentem a meditao em p ou tentem a meditao a andar. Esta nova postura de me-ditao poder tornar-se numa forma arguta de focar a mente. Todas as quatro posturas de meditao so apenas tcnicas, m-todos para desenvolver e treinar a mente. Experimentem desenvolver a meditao a andar e talvez possam comear a aperceber-se dos seus benefcios. Na Tradio da Floresta, no nordeste da Tailndia, h uma grande nfase na meditao a andar. Muitos dos monges desta tradio praticam--na durante longos perodos, como uma forma de desenvolver concentrao. Por vezes chegam a praticar at dez ou quinze ho-ras por dia! O falecido monge Ajahn Singtong praticava tanto a medita-o a andar que chegava a criar um sulco no caminho de medita-o. Ele chegava a caminhar at quinze horas por dia, tornando o arenoso caminho que usava, cncavo! Outro Monge, Ajahn Kum Dtum, praticava meditao a andar to assiduamente que noite nem se preocupava em entrar na sua cabana. Quando se sentia realmente cansado de caminhar durante todo o dia e toda a noite, dormia mesmo ali, no cho, utilizando as mos como almofada. Adormecia com plena ateno tendo determinado levantar-se assim que acordasse. Assim que acordava, continuava a andar novamente. Basicamente vivia no carreiro de meditao. Ajahn Kum Dtum alcanou rapidamente resultados na sua prtica. No Ocidente no se costuma falar tanto da meditao a an-dar, por isso eu gostaria de descrever o processo e recomend-la como complemento meditao sentada. Espero que estas ins-trues vos ajudem a desenvolver o vosso repertrio de tcnicas

    de meditao tanto em meditao formal como na vida quoti-diana. Como grande parte da vida passada a andar, se souberem como estar conscientes disso, o simples facto de andarem em casa pode tornar-se num exerccio de meditao.

  • 7OS CINCO BENEFCIOS DA MEDITAO A ANDAR

    O Buddha falou sobre cinco benefcios da meditao a an-dar (AN, III, 29). Neste Sutta, ordenou-os da seguinte forma: desenvolve a resistncia para percorrer longas distncias, desen-volve vigor, previne doenas, ajuda a digesto aps a refeio e

    a concentrao adquirida na meditao a andar duradoura.

    1. DESENVOLVE RESISTNCIA PARA CAMINHAR LONGAS DISTNCIAS

    O primeiro benefcio da meditao a andar consiste no de-senvolvimento de resistncia para caminhar longas distncias. Isto era particularmente importante na poca de Buddha, vis-to a maioria das pessoas deslocar-se a p. O prprio Buddha

    deslocava-se regularmente a p, de local para local, chegando a caminhar at dezasseis quilmetros por dia. Desta forma, ele

    recomendava a meditao a andar como forma de desenvolver uma condio fsica saudvel e resistncia para fazer longos per-cursos. Ainda hoje, os monges da floresta fazem grandes caminha-das, s quais se chama Thudong (dhutanga). Agarram nas suas tigelas de oferendas e nos seus mantos e partem procura de lu-gares isolados para meditar. Como preparao antes de partirem, aumentam progressivamente as horas de prtica da meditao a andar at um mnimo de cinco ou seis horas por dia, com o in-tuito de desenvolverem aptido fsica e resilincia. Se andarem cerca de quatro a cinco quilmetros por hora e praticarem cinco

    horas de meditao a andar por dia, o nmero de quilmetros

    vai-se acumulando.

  • 8 2. DESENVOLVE VIGOR O desenvolvimento de vigor, especialmente para superar so-nolncia, o segundo benefcio da meditao a andar. Enquanto praticam meditao sentada, as pessoas notam que existe tendn-cia para entrar em estados tranquilos, mas se estiverem demasia-do tranquilos, sem estarem atentos, podem comear a adormecer, chegando mesmo a ressonar! O tempo passa rapidamente, e ape-sar de ser apaziguador, no existe claridade ou conscincia. Sem plena ateno nem conscincia, a meditao pode tornar-se abor-recida pois dominada por preguia e sonolncia. Desenvolver a meditao a andar pode contrariar esta tendncia. Como exemplo, Ajahn Chah recomendava que, uma vez por se-mana, ficssemos acordados toda a noite, meditando e caminhando.

    Normalmente ficamos bastante sonolentos uma ou duas da madru-gada, por isso, Ajahn Chah recomendava fazermos meditao a andar de costas, para contrariar o sono. No se adormece a andar de costas! Quando estava no Mosteiro Bodhinyana, no oeste da Austr-lia, lembro-me de sair uma manh cedo, por volta das cinco horas, para praticar meditao a andar. Vi um dos leigos que tinha pas-sado o Retiro das Chuvas (vassa) no mosteiro, a fazer um esforo enorme para superar a sonolncia. Ele estava a praticar meditao a andar em cima de um muro com dois metros de altura, que existia em frente ao mosteiro andava muito atentamente para trs e para a frente em cima do muro! Eu estava um pouco preocupado que ele pudesse cair e magoar-se. Contudo, ele estava a fazer um grande esforo para estar atento a cada passo, desenvolvendo um elevado estado de alerta, esforo e empenho para superar a sonolncia.

    3. PREVINE DOENAS O Buddha disse que a meditao a andar mantm-nos saud-veis. o terceiro benefcio. Todos temos conscincia que andar considerado uma tima forma de exerccio fsico. Hoje em dia

  • 9at ouvimos falar sobre power walking (forma de exerccio fsico em que se caminha de maneira rpida e vigorosa). Aqui, estamos a falar de power meditation, ou seja, desenvolver a meditao a andar como exerccio fsico e tambm mental. Desta forma, caminhar no s uma boa forma de exerccio fsico, mas

    tambm nos ajuda a cultivar a mente. No entanto, para usufruir-mos destes dois benefcios, temos que estar atentos ao processo de caminhar, em vez de deixarmos a mente dispersar-se ao pen-sar noutras coisas.

    4. FACILITA A DIGESTO APS A REFEIO O quarto benefcio da meditao a andar ajudar a digesto. Para os monges, que apenas tm uma refeio por dia, este facto particularmente importante. Depois de uma refeio, o sangue flui para o estmago, distanciando-se do crebro, o que pode

    provocar sonolncia. Os Monges da Floresta salientam que, aps

    uma refeio, deve-se praticar algumas horas de meditao a an-dar para facilitar a digesto. Para os praticantes leigos aplica-se o mesmo. Depois de uma refeio pesada, em vez de fazer-se uma sesta, deve-se sair e praticar uma hora de meditao a andar. Ajuda o bem-estar fsico e uma boa oportunidade de exercitar a mente.

    5. A CONCENTRAO ADQUIRIDA NA MEDITAO A ANDAR DURADOURA

    O quinto benefcio da meditao a andar que a concentra-o gerada por esta prtica mantm-se por muito tempo. A pos-tura em andamento na realidade uma postura menos subtil do que a postura sentada no que se refere atividade envolvida. Enquanto sentados, fcil mantermos essa posio; temos os olhos fechados, por isso no estamos sujeitos a estmulos visuais e no estamos ocupados com o movimento do corpo. O mesmo

  • 10

    verdade para as posturas de p e deitado pois estas tambm no implicam movimento. Enquanto caminhamos h muita estimulao sensorial de-vido ao movimento do corpo e de estarmos a ver para onde nos dirigimos (estimulao visual). Portanto, se conseguirmos con-centrar a mente enquanto andamos e recebemos todos estes es-tmulos sensoriais, ento, quando mudamos desta postura para uma mais subtil, ser mais fcil manter a concentrao. Isto , quando nos sentamos, a energia mental e o poder de concentra-o iro facilmente ser transferidos para esta postura. Pelo contrrio, se apenas desenvolvemos a concentrao na postura sentada, quando nos levantamos e iniciarmos movimen-tos corporais mais evidentes, como o andar, difcil mantermos o estado de