manual aluno 2014

Author: wedsonextremo

Post on 18-Oct-2015

38 views

Category:

Documents


0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Credenciada pela Portaria / MEC 248 de 06.07.2011 - D.O.U. de 07.07.2011

    PROCESSO SELETIVO 2014/1

    MANUAL DO CANDIDATO

    SERRA - ES

  • MENSAGEM DA DIRETORIA

    Prezado Candidato

    Nesse contexto de mudanas em que vivemos, faz-se necessrio

    que cada um tenha em mente a sua postura profissional, de forma a atender s necessidades do mercado de trabalho. A escolha de uma profisso um dos passos mais importantes na vida do homem. Estamos vivendo uma era em que o conhecimento condio bsica para o ser humano alcanar um lugar ao sol e a necessidade de bons profissionais torna-se cada vez mais urgente e constante. Por isso, preciso estar em sintonia com as necessidades dos novos tempos: conhecimento intelectual e profissional o que requer o mercado atual. Para ns motivo de orgulho o fato de sua escolha ter sido pela nossa Instituio. No mundo moderno altamente competitivo, em que imperam mudanas extremamente rpidas, importante que o estudante, ao escolher a Instituio na qual pretende adquirir os conhecimentos para competir nesse mundo novo, o faa baseado em critrios de qualidade e credibilidade que assegurem o sucesso de seu futuro. A Faculdade Capixaba da Serra Multivix Serra possui plenas condies de contribuir para sua formao, atravs de um corpo docente qualificado, infraestrutura adequada, projetos de cursos atualizados e, principalmente, de um trabalho eficiente srio, eficiente e comprometido com a qualidade da Educao. Obrigado por escolher a Multivix Serra e sucesso no seu novo desafio. Atenciosamente, Tadeu Antnio de Oliveira Penina Diretor Executivo

  • CALENDRIO DO PROCESSO SELETIVO 2014/1

    DATA EVENTO

    05/08/13 a

    08/11/13

    Inscries para todos os cursos, pelo site www.multivix.edu.br conforme instrues na prpria pgina ou na sede da Faculdade, Rua Baro do Rio Branco, n 120 Colina de Laranjeiras Serra - ES

    At 06/11/13 Prazo para o candidato portador de necessidades especiais e/ou que demande tratamento especial para realizao da prova, comunicar formalmente sobre esta necessidade junto Secretaria Acadmica.

    09/11/2013 a partir das 14:00

    Divulgao da listagem geral dos inscritos no Processo Seletivo e dos locais de prova, no site www.multivix.edu.br

    10/11/13

    de 9:00 s 13:00

    Prova (Etapa nica): Administrao Cincias Contbeis Engenharia Civil Engenharia de Controle e Automao Letras Pedagogia Servio Social

    At 11/11/13 s 10 horas

    Divulgao dos gabaritos na Internet e afixao no mural da Faculdade.

    At 11/11/13 s 12:00 Recebimento de recursos sobre as questes da prova na Secretaria Acadmica. At 14/11/12 s 12 horas

    Divulgao da lista final de classificados no Processo Seletivo.

    18/11/13 a 26/11/13 de 8:00 s 20:00

    Matrcula dos candidatos classificados no Processo Seletivo.

    A partir de 27/11/13 de 8:00 s 20:00

    Matrcula dos suplentes do Processo Seletivo.

    MAIS INFORMAES SOBRE O PROCESSO SELETIVO PELO TELEFONE (0xx27) 3041-7070, ou na pgina http://www.multivix.edu.br

  • PROCESSO SELETIVO

    FACULDADE CAPIXABA DA SERRA- MULTIVIX SERRA 2014/1

    CURSOS OFERECIDOS PELA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA- MULTIVIX SERRA Os cursos superiores oferecidos para o Processo Seletivo da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA MULTIVIX SERRA 2014/1 so resultantes de pesquisa de mercado nas trs reas de conhecimento, e baseiam-se tambm na experincia bem sucedida desses primeiros anos de funcionamento da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra. Curso de Administrao Reconhecido pela Portaria n 824 de 14/04/2011 Vagas noturnas: 100 O curso de Administrao tem se posicionado entre os melhores do Brasil nas avaliaes do MEC, seu projeto pedaggico alinhado com as tendncias e necessidades do mercado, assim como suas dimenses tcnica e poltica, esto fundamentadas na histria deste curso e nas exigncias da economia da regio. O curso de Administrao da Multivix Serra tem durao prevista para 04 anos - 08 perodos letivos.

    O que faz o profissional?

    Funes bsicas do Administrador: planejar, organizar, coordenar/dirigir

    e controlar os processos organizacionais; Pesquisas, estudos, anlises, interpretao, planejamento, implantao,

    coordenao e controle dos trabalhos nos campos de administrao geral, como administrao e seleo de pessoal, organizao, anlise, mtodos e programas de trabalho, oramento, administrao de material e financeira, administrao mercadolgica, administrao de produo, relaes industriais, bem como outros campos em que estes se desdobrem ou com os quais sejam conexos;

  • Exerccio de funes e cargos de Administrador do Servio Pblico Federal, Estadual, Municipal, Autrquico, Sociedades de Economia Mista, empresas estatais, paraestatais e privadas, em que fique expresso e declarado o ttulo do cargo abrangido;

    O exerccio de funes de chefia ou direo, intermediria ou superior, assessoramento e consultoria em rgos, ou seus compartimentos, da Administrao pblica ou de entidades privadas, cujas atribuies envolvam principalmente, a aplicao de conhecimentos inerentes s tcnicas de administrao;

    Elaborao de pareceres, relatrios, planos, projetos, arbitragens e laudos, em que se exija a aplicao de conhecimentos inerentes s tcnicas de organizao;

    Magistrio em matrias tcnicas do campo da administrao e organizao

    A profisso regulamentada pela Lei 4.769 de 9 de setembro de 1965, que define as atribuies e atividades do Administrador.

    Onde atua? O Administrador atua tanto em grandes, como em mdias e pequenas empresas de todos os setores da economia e instituies pblicas. Tendncias atuais do mercado apontam para maior nmero de ofertas de postos de trabalho em pequenas e mdias empresas e organizaes do 3 setor. Alm disso, o Administrador formado na FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra sai apto a constituir sua empresa em qualquer rea de negcio que preferir. Pode, ainda, atuar como consultor de empresas e no ensino, pesquisa e extenso em Administrao.

  • Curso de Cincias Contbeis Autorizado pela Portaria MEC n 1781 de 27/10/2010

    Vagas noturnas: 100

    O novo Cdigo Civil Brasileiro, aprovado pela Lei n. 10.406/2002, trata a empresa mercantil individual de simplesmente empresrio e a empresa mercantil societria de sociedade empresria, considerados pela contabilidade como os usurios das informaes contbeis por utilizarem deste instrumento para apurao, controle e avaliao da sua situao patrimonial. Logo, o contador tem um papel muito importante no cenrio globalizado.

    O Curso de Cincias Contbeis da Multivix Serra tem com misso formar profissionais que contribuam para o aperfeioamento da qualidade das informaes contbeis necessrias ao processo de tomada de decises, dentro dos princpios ticos requeridos no exerccio da profisso.

    O que faz o Profissional

    O curso de Cincias Contbeis busca formar profissionais com competncia para pesquisar, analisar, discernir e participar pr-ativamente dos processos decisrios coorporativos, respondendo por todo o sistema de informao econmico-financeiras, operacionais e estratgicas, geradas pelas operaes decorrentes da gesto das entidades.

    Onde atua o profissional

    Como decorrncia do trabalho desenvolvido durante o curso, os acadmicos que obtiverem o ttulo de Bacharel em Cincias Contbeis podero assumir as seguintes funes:

    - Responsveis Tcnicos de Projetos e/ou de Empresas de Contabilidade, Empresas de Consultoria e Assessoria Contbil;

    - Empresrios da iniciativa privada (empreendedores);

    - Empregados dos setores pblico e privado;

  • - Profissionais liberais, consultores, professores, pesquisadores;

    - Elaborar pareceres e relatrios que contribuam para o desempenho eficiente e eficaz de seus usurios, quaisquer que sejam os modelos organizacionais;

    - Elaborar demonstraes contbeis oficiais e especficas a cada necessidade dos usurios da contabilidade;

    - Interpretar a legislao comercial, trabalhista e tributria;

    - Todas as previstas pelo Conselho de Contabilidade.

    O profissional formado em Cincias Contbeis poder atuar em reas como: Auditor Interno e Externo; Perito; Analista Financeiro; Contador de Terceiro Setor e Contador Global.

    Curso de Engenharia Civil Autorizado pela Portaria n 1784 de 27/10/2010

    Vagas noturnas: 80

    A Engenharia Civil tem um campo de atividade muito amplo e vem sofrendo grandes mudanas em funo dos avanos tecnolgicos, desenvolvimento de novos materiais, questes climticas e ambientais. O curso de Engenharia Civil da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra apresenta uma grade curricular flexvel e atualizada, fornecendo aos participantes, instrumental terico e ferramentas aplicadas essenciais nova realidade profissional. A qualidade da formao reforada pela disponibilidade de modernos laboratrios, visitas tcnicas, excurses para trabalhos de campo e a forte integrao com os programas de pesquisa e extenso, procurando dar ao aluno uma formao cada vez mais slida. A estrutura acadmica est baseada nas seguintes reas: estruturas, geotecnia, construo civil, obras fluviais, estradas, ferrovias, pontes, viadutos, saneamento, etc.

  • O que faz o Profissional

    A Resoluo 288, de 1983, do CONFEA - Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, designa aos profissionais diplomados em Engenharia Civil, as atribuies constantes no Art. 7. da Resoluo 218/73 do CONFEA, as seguintes reas relacionadas:

    Superviso, coordenao e orientao tcnica. Estudo, planejamento, projeto e especificao. Estudo de viabilidade tcnico-econmica Assistncia, assessoria e consultoria. Direo de obra e servio tcnico Vistoria, percia, avaliao, arbitramento, laudo e parecer tcnico. Desempenho de cargo e funo tcnica Ensino, pesquisa, anlise, experimentao, ensaio e divulgao tcnica. Elaborao de oramento Padronizao, mensurao e controle de qualidade Execuo de obra e servio tcnico Fiscalizao de obra e servio tcnico Produo tcnica e especializada Conduo de trabalho de instalao, montagem, operao, reparo ou

    manuteno. Execuo de instalao, montagem e reparo Operao e manuteno de equipamento e instalao Execuo de desenho tcnico

    Onde atua o Engenheiro Civil

    O Engenheiro Civil pode atuar em empresas do ramo da Construo Civil, em indstrias ou instituies ligadas ao setor, em escritrios de projetos, clculo estrutural, projetos geotcnicos, em assessoria e consultoria tcnica junto a outras empresas, rgos pblicos e instituies financeiras, como profissional autnomo, em instituies de pesquisa e ensino, entre outras. A rea de atuao profissional varia de empresa para empresa, dependendo de sua natureza e dimenso, e est voltada preferencialmente para o projeto e execuo de obras civis e servios afins, bem como para o planejamento, coordenao e controle dos recursos produtivos (homem, mquina, materiais e ambiente), com o objetivo de racionalizar o processo produtivo.

  • Curso de Engenharia de Controle e Automao Autorizado pela Portaria 1783 de 27/10/2010

    Vagas noturnas: 60

    O Curso de Engenharia de Controle e Automao objetiva formar engenheiros com slida formao matemtica, tecnolgica, econmica e social a fim de capacit-lo para analisar, avaliar, projetar, otimizar e gerenciar sistemas integrados por pessoas, materiais, equipamentos, financeiros e informaes de forma competente e responsvel. Nesse sentido o Engenheiro de Controle e Automao a ser formado pela Multivix Serra dever ser um profissional com conhecimentos generalistas que lhe permita trabalhar com uma ampla diversidade de equipamentos eletro-eletrnicos, processos de produo, sistemas mecnicos de controle automtico, redes de comunicaes industriais e sistemas de produo.

    O que faz o Profissional O perfil do egresso do curso de engenharia de controle e automao composto por um conjunto de atributos e habilidades abaixo relacionados:

    Capacidade de aplicar conhecimentos de Matemtica e cincias em engenharia;

    Conduzir experimentos, analisando e interpretando dados; Ter competncia para projetar e trabalhar com sistemas de medies,

    com equipamentos dedicados e com comando numrico; Desenvolver conhecimentos para desenvolver e programar robs

    industriais e sistemas de manufatura automatizados; Ser capaz de coordenar equipes de trabalho, supervisionar projetos,

    realizar oramentos e estudos de viabilidade tcnico-econmica; Desenvolver conhecimentos para efetivar projetos e planejamentos

    estratgicos visando otimizar os processos automatizados utilizados para a produo;

    Executar servios periciais emitindo laudos e pareceres tcnicos sobre obras nas reas industriais e comerciais, alm de possuir um vasto conhecimento tcnico, ter uma postura profissional crtica e tica;

    Capacidade para trabalhar em equipe aplicando seus conhecimentos respeitando os direitos de todos visando o bem-estar comum, estando

  • apto a realizar tarefas condizentes com as legislaes vigentes, respeitando os princpios da boa convivncia e garantido, ao mximo, a preservao do meio ambiente.

    Onde atua o Engenheiro de Controle e Automao

    Esse engenheiro pode atuar nas indstrias, no setor de servios e na vida privada. Envolve os mais diferentes processos dentre os quais, siderrgico, metalrgico, qumico e petroqumico, mineral, eltrico, trmico, automotivo, de manufatura, de transportes e biolgico.

    A Engenharia de Controle e Automao tambm est presente nos celulares, nos fornos de micro-ondas, em hospitais, computadores, hotis, construo civil, prdios e residncias, Visa formar profissionais que dominem as tecnologias de sistemas de Controle Automtico.

    uma das reas das engenharias que consegue emprego com rapidez. O mercado de trabalho demanda por todos os formados atualmente

    Curso de Letras: Portugus/Ingls com respectivas literaturas Reconhecimento renovado pela Portaria MEC n 281 de 21/07/2011

    Vagas matutinas: 60 Vagas noturnas: 60

    O curso de Letras da Instituio oferece estudos sobre o mundo da linguagem, seus cdigos, cones e nveis, com opes para licenciaturas em Lnguas Portuguesa e Inglesa e respectivas literaturas. um curso que se destina s pessoas que gostam de linguagens, de leituras, de literaturas e de comunicao. Tais pessoas adquiriro conhecimentos slidos sobre as Lnguas Portuguesa, Inglesa e respectivas Literaturas, consideradas em seus contextos histricos. A solidez de tais conhecimentos requerer os de Lingstica, Lngua Latina, Teoria Literria, Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa e Literaturas de Lngua Inglesa. O curso permite ao aluno melhorar o nvel de uso das lnguas Portuguesa, Inglesa e Literaturas, ampliar a prtica da produo do discurso, tanto oral, quanto escrito, aperfeioar a capacidade de anlise de textos e promover a prtica pedaggica no ensino das vrias linguagens, com uma

  • formao ampla, sempre ligado proteo ao meio-ambiente, enfatizando a biodiversidade e a multiplicidade cultural.

    O que faz o Profissional O profissional licenciado pelo Curso de Letras estar habilitado para atuar como professor das Lnguas Portuguesa ou Inglesa e de Literaturas na Educao Bsica da rede pblica ou privada, em cursos preparatrios para o vestibular e em cursos especializados no ensino de Lngua Inglesa. O mesmo profissional poder atuar como redator, revisor ou tradutor de textos escritos em Lngua Portuguesa ou Inglesa, sendo capaz de:

    Reconhecer a importncia da Lngua como produto da cultura humana; Desenvolver a utilizao eficaz da linguagem, sabendo adequar a fala ao

    contexto de comunicao, empregando os registros corretos s diferentes situaes comunicativas, garantindo uma vida de xitos, de sucesso, tanto nas reas sociais, profissionais quanto pessoais.

    Onde atua o Licenciado em Letras

    O licenciado em Letras poder atuar como Professor de Lngua Portuguesa, Inglesa e, nos nveis fundamental, mdio e superior; Pesquisador de centros especializados; Revisor e redator; Assessor parlamentar e de comrcio exterior; Consultor de empresas e poltico; Empresrio de ensino; Pesquisador, Tradutor e intrprete livre; Redator de textos para eventos culturais e comerciais; Revisor de textos para jornais, revistas, editoras, agncias de propaganda e enciclopdias; Micro-empresrio em cursos de lnguas; Assistente de direo em teatro, cinema e TV; Consultor de empresas na rea de comrcio exterior; dentre outros.

    Curso de Pedagogia Autorizado pela Portaria MEC n 2725 de 30/09/2003

    Vagas matutinas: 80 Vagas noturnas: 120 A nova Lei de Diretrizes e Bases da Educao Brasileira, n 9.394/96 destaca a importncia da formao dos profissionais da educao, estabelecendo:

  • Art. 64 A formao de profissionais de educao para administrao, planejamento, inspeo, superviso e orientao educacional para a educao bsica ser feita em cursos de graduao em pedagogia ou em nvel de ps-graduao, a critrio da instituio de ensino, garantida, nesta formao, a base comum nacional. O curso de pedagogia da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra est fundamentado em uma slida formao, contemplando bases cognitivas, habilidades e atitudes que se traduzem em trs eixos: Educao para o desenvolvimento cientfico e tecnolgico, voltada para a

    aquisio e expanso do conhecimento e do pensamento reflexivo, articulando educao, cultura, cincia e tecnologia;

    Educao para o desenvolvimento humano permanente, que vem sendo requerida em funo das transformaes no conhecimento, dos avanos cientficos e das mudanas na organizao do trabalho. um incentivo investigao, inovao e criatividade, autonomia para aprender ao longo a vida;

    Educao para a tica profissional, capacitando o aluno a ver na sua profisso um conjunto de conhecimentos que devem estar a servio do homem, contribuindo para o desenvolvimento sustentvel, a melhoria da qualidade de vida e a solidariedade.

    O compromisso da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra com a oferta de uma educao de alta qualidade, centrada no educando, sujeito do processo de ensino-aprendizagem e cidado de um mundo cujo grande desafio ser livre, igualitrio e socialmente justo. O que faz o Profissional Para atuar como pedagogo preciso ter slida formao que permita autonomia para aprender continuamente, ter esprito empreendedor e preparo profissional para desempenhar funes variadas, inovando e criando a partir de fundamentos recebidos na escola e na faculdade. Atuando como docente ou dirigente, o pedagogo deve redigir bem, ter capacidade de pensar em funo de planos e objetivos; de transmitir, argumentar e refletir idias. Precisa apresentar elevado grau de sociabilidade e capacidade de liderana, iniciativa, dinamismo e autonomia. Outros requisitos importantes so: equilbrio emocional, pacincia, clareza, desembarao, criatividade, otimismo. E, sobretudo, respeito e crena no ser humano.

  • Em outras palavras, espera-se que o pedagogo possa assumir o seu papel de sujeito no processo educacional, estando capacitado a fazer valer e projetar em sociedades pluralistas, os valores fundamentais da Educao. Onde atua o (a) Pedagogo (a) O profissional formado em Pedagogia atua: no Magistrio da Educao Infantil, nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, na Educao de Jovens e Adultos, na Educao Especial, nos cursos de Educao Profissional, na Gesto Educacional e de Projetos Educativos em escolas, empresas, ONG's, hospitais e outras instituies governamentais e no governamentais.

    Curso de Servio Social Reconhecido pela Portaria n 1780 de 27/10/2010 Vagas matutinas: 60 Vagas noturnas: 60

    O Curso de Servio Social da Faculdade Capixaba da Serra Multivix Serra objetiva formar profissionais crticos em relao realidade objeto de sua atuao, com adequada fundamentao tico-poltica, terico-metodolgica e tcnico-operativa e capazes de intervir e produzir conhecimentos sobre seu exerccio, sempre em defesa dos direitos humanos, sociais e polticos da coletividade. A interveno na questo social caracteriza a profisso do Servio Social em Instituies Pblicas, Organizaes No Governamentais e Instituies Privada e representa a instncia que possibilita a articulao entre o conhecimento e a ao.

    Diante do desenvolvimento industrial, da expanso do setor da construo civil, alm da crescente especulao imobiliria, sabe-se que a concentrao demogrfica acompanhada da desigual distribuio da riqueza prpria do modelo de produo capitalista e alarmante no Brasil tende a se aprofundar no municpio. Este movimento, que oriundo da sociedade atual, acentua as expresses da questo social, o que implica em condio ainda mais precria de vida, de trabalho, de moradia, de acesso a toda materialidade necessria sobrevivncia humana.

  • O graduado em Servio Social pela Faculdade Capixaba da Serra poder atuar como assistente social em rgos pblicos municipais, estaduais e federais, em movimentos sociais, em ONGS e em empresas pblicas, privadas e de economia mista. As reas de atuao so diversas, dentre as quais se destaca Educao, Sade, Previdncia, Scio-jurdica, Assistncia Social, Segurana Pblica, Habitao, Segurana Alimentar e Nutricional, Geracionais (Infncia e Juventude, Envelhecimento), Direitos Humanos, etc.

    Onde atua o Assistente Social:

    O Assistente Social atua nas reas da sade, assistncia social, previdncia social, nas quais o profissional desenvolve sua atuao por meio de atendimentos individualizados e familiares, trabalhos grupais e comunitrios, visitas domiciliares e institucionais. A assistncia social um direito de todo cidado e dever do Estado, garantido na Constituio Federal e regulamentado na Lei Orgnica de Assistncia Social, sancionada em 1993. O exerccio da profisso fiscalizado pelo Conselho Federal de Servio Social CFESS, em nvel nacional, e pelos Conselhos Regionais de Servio Social CRESS, em nvel regional.

    O que faz o Assistente Social

    - Planeja, implanta, executa, gerncia e avalia as polticas sociais no setor pblico e privado, em organizaes no-governamentais e em movimentos sociais: programas de sade, no atendimento assistencial, nos programas de habitao, na previdncia, na justia, nas relaes de trabalho, etc;

    - Atua como assistente social em rgos pblicos municipais, estaduais e federais, em movimentos sociais, em ONGS e em empresas pblicas, privadas e de economia mista;

    - Participa de estudos socioeconmicos para fins de benefcios e servios sociais junto a rgos pblicos, empresas privadas e movimentos sociais;

    - Realiza percias e emiti pareceres e laudos tcnicos;

    - Orienta, encaminha e acompanha usurios de seus servios objetivando o acesso a direitos sociais;

    - Exerce as funes de gerncia, chefia, assessoria tcnica e consultiva em Recursos Humanos.

  • INSCRIO A inscrio para todos os cursos, poder ser feita pela Internet na pgina http://www.multivix.edu.br ou na sede da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra, situada Rua Baro do Rio Branco, 120, Colina de Laranjeiras, Serra, ES, no perodo de 05/08/13 at 08/11/13. Procedimento de Inscrio Na sede da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra

    Os candidatos devem preencher a ficha de inscrio. O candidato dever estar ciente que, no ato da inscrio, poder ser identificado eletronicamente, inclusive com foto e impresso digital.

    No ato, o candidato receber o Carto de Identificao e poder consultar o Manual do Candidato do Processo Seletivo 2014/1 via site da Faculdade.

    Via Internet O candidato que optar pela inscrio na pgina da Instituio dever:

    Preencher o formulrio FICHA DE INSCRIO disponvel na Internet (www.multivix.edu.br) seguindo as instrues oferecidas e cadastrar o seu login e senha.

    Ao preencher a Ficha de Inscrio o candidato deve estar atento s informaes prestadas, j que, em hiptese alguma, sero permitidas alteraes posteriores confirmao, em especial aquelas relacionadas com o curso escolhido, horrio e turno de funcionamento.

    Imprimir o CARTO DE IDENTIFICAO. Consultar ou imprimir o MANUAL DO CANDIDATO do Processo Seletivo

    2014/1 disponvel na pgina da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra, ou na Secretria Acadmica, para consulta.

  • Observaes: 1) O candidato dever se conscientizar de que qualquer que seja sua forma de inscrio, ele o nico responsvel pela veracidade das informaes prestadas e inseridas na sua FICHA DE INSCRIO. A FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra no assume qualquer responsabilidade por eventuais prejuzos decorrentes de preenchimento incorreto do Formulrio de Inscrio. 2) Como documento de identidade, tanto para efetuar a inscrio como para ter acesso ao local das provas, ser aceito um dos seguintes documentos:

    Cdula de Identidade emitida pela Secretaria de Segurana Pblica, Foras Armadas ou Polcia Militar;

    Passaporte com prazo de validade no vencido; Carteira de Trabalho; Carteira Profissional com registro no rgo competente, que por lei

    federal tenha validade como documento de identidade; Cdula de Identidade para Estrangeiro; Carteira de Habilitao Nacional com foto.

    LOCAL DAS PROVAS As provas sero realizadas em etapa nica no dia 10 de novembro de 2013, das 09:00 s 13:00, conforme horrio de Braslia, na sede da Faculdade Capixaba da Serra, Rua Baro do Rio Branco, n 120, Colina de Laranjeiras - Serra/ES. ACESSO AO LOCAL DE PROVAS Para ter acesso ao local das provas, o candidato dever apresentar o Carto de Identificao, juntamente com o original do mesmo documento utilizado para a inscrio. Em seguida, o candidato poder, a critrio da Faculdade Capixaba da Serra - Multivix Serra se submeter realizao e/ou confirmao do cadastro eletrnico fotogrfico e de impresso digital. A no apresentao dos referidos documentos fato impeditivo para a participao no Processo Seletivo. O horrio de incio das provas ser rigorosamente cumprido, a saber: s 9:00, no dia 10/11/13. O candidato que no comparecer ao local previsto nesse horrio

  • ser impedido de participar do Processo Seletivo. Aconselha-se estar no local pelo menos 1 hora antes do incio das provas. O candidato, ao se apresentar no local das provas, dever certificar-se do local exato de sua sala, constante em listagens bem vista dos candidatos, pois no haver tolerncia para atrasos em relao ao horrio fixado para o incio das provas. F terminantemente proibida a entrada, no recinto de realizao das provas, de candidato com qualquer tipo de aparelho eletrnico, de comunicao ou no, tais como celulares, pagers, bip, calculadoras, relgio de qualquer modelo ou tipo e, tambm, com bon, gorro, touca, leno e culos escuros. Aconselha-se, portanto, s levar o material estritamente necessrio para realizao das provas: canetas esferogrficas de cor azul ou preta, lpis ou lapiseiras e borrachas. A FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra no se responsabiliza por objetos indevidamente trazidos para o local de provas. O candidato dever estar trajado apropriadamente, no sendo permitido o ingresso no local das provas em trajes de banho. PROVAS A Prova constar de questes objetivas e Redao e abranger os programas das disciplinas constantes neste Manual do Candidato, obedecido ao seguinte esquema de aplicao: Os candidatos aos cursos de Administrao, Cincias Contbeis, Engenharia Civil; Engenharia de Controle e Automao, Letras: Portugus/Ingls, Pedagogia e Servio Social sero submetidos a: 1 - Provas do Ncleo Comum: Cincias Humanas e suas Tecnologias (Histria, Geografia e Atualidades):

    10 questes Cincias da natureza e suas Tecnologias (Biologia, Qumica e Fsica): 10

    questes

  • Matemtica e suas Tecnologias: 10 questes Redao e Linguagem, Cdigos e suas Tecnologias: 10 questes de

    Portugus e 10 pontos de Redao. A prova de Redao ser constituda por uma questo que apresentar um tema. O candidato dever escrever um texto dissertativo com no mnimo 25 (vinte e cinco) e no mximo 40 (quarenta) linhas. PROCEDIMENTOS Durante a realizao das provas, o candidato dever observar os seguintes procedimentos: Permanecer em silncio; Dirigir-se aos fiscais somente nos casos de real necessidade. Os fiscais no

    esto autorizados e no respondero quaisquer questionamentos relativos s provas;

    Manter-se atento somente sua prova. No ser permitida qualquer comunicao entre os candidatos;

    AS RESPOSTAS DAS PROVAS DEVERO SER MARCADAS OBRIGATORIAMENTE NO CARTO DE RESPOSTAS, UTILIZANDO CANETA ESFEROGRFICA AZUL OU PRETA TRAZIDA PELO CANDIDATO;

    A QUADRCULA CORRESPONDENTE OPO ESCOLHIDA PELO CANDIDATO, COMO RESPOSTA, DEVER SER INTEIRAMENTE PREENCHIDA;

    OS ESPAOS EXISTENTES NO CADERNO DE PROVAS PODERO SER UTILIZADOS PARA RASCUNHO, PORM, NO SE ESQUECER DE TRANSCREVER A RESPOSTA PARA O LOCAL APROPRIADO.

    NO MARCAR NO CARTO DE RESPOSTA O CAMPO OPO. CLASSIFICAO E DESCLASSIFICAO A classificao dos candidatos dar-se- pelo nmero total de pontos obtidos pelo candidato nas provas, sendo aproveitados os candidatos classificados at o limite de vagas estipuladas neste processo seletivo para cada curso, obedecendo ordem decrescente de pontuao obtida. Os critrios de desempate para esses candidatos sero: o nmero de pontos obtidos nas questes objetivas da prova

  • de Cdigos e suas Tecnologias (Portugus); permanecendo o empate, o desempate ser feito pela idade do candidato, prevalecendo o de maior idade. Ser desclassificado o candidato que tirar nota menor que 2,0 na prova de Redao. Ser desclassificado o candidato que faltar s provas ou que utilizar qualquer meio fraudulento para sua resoluo, praticar ou tentar qualquer ato de improbidade ou de indisciplina durante a realizao das provas; Ser desclassificado o candidato que portar ou tentar se beneficiar ilicitamente de dispositivo eltrico, eletrnico ou mecnico de qualquer natureza. DIVULGAO DOS RESULTADOS DO PROCESSO SELETIVO - A Lista dos Classificados no Processo Seletivo 2014/1 da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra -, de acordo com o limite de vagas autorizado pelo MEC, para os cursos de Administrao, Cincias Contbeis, Engenharia Civil, Engenharia de Controle e Automao, Letras: Portugus/Ingls, Pedagogia e Servio Social ser divulgada na pgina da Internet (http://www.multivix.edu.br) e afixada em quadros de aviso nas dependncias da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra, situada Rua Baro do Rio Branco, 120, Colina de Laranjeiras, Serra, ES, at s 12 horas do dia 14 de novembro de 2013. O resultado do presente Processo Seletivo 2014/1 ser vlido para matrculas durante 01 (um) ano, nos cursos oferecidos pela FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra. DISPOSIES GERAIS

    1. Ser considerada nula, para todos os efeitos, a classificao do

    candidato que no apresentar documento original que comprove a concluso do Ensino Mdio no ato da matrcula.

    2. O candidato que tiver cursado o Ensino Mdio ou equivalente no exterior dever obter a equivalncia do referido curso, no Conselho Estadual competente, at o ato da matrcula do Processo Seletivo da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA, conforme art. 5 da Resoluo n 9, de 24/11/1978, do Conselho Federal de Educao.

  • 3. Qualquer questionamento referente s questes das provas poder ser submetido por escrito, em forma de recurso, Comisso Organizadora do Processo Seletivo da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra, at dia 11 de novembro s 12:00.

    4. Caso seja procedente o recurso, de acordo com o parecer dos responsveis pela elaborao das provas, ser desconsiderada a questo e atribudo o ponto correspondente a todos os candidatos.

    5. No haver, em hiptese alguma, reviso de provas ou recontagem de pontos.

    6. A FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra no fornecer, em hiptese alguma, o Boletim de desempenho do aluno, considerado material privativo da Instituio.

    7. A FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra reserva-se o direito de no oferecer os cursos que no tenham suas respectivas vagas totalmente preenchidas.

    8. As atividades dos componentes curriculares/disciplinas de Estgio Supervisionado, Trabalho de Concluso de Curso (ou disciplina afim), Projeto Integrador, Atividades Prticas e Atividades Complementares dos cursos de Graduao da Faculdade Capixaba da Serra podero ocorrer em turnos diferentes das aulas do curso, inclusive podendo ser realizadas aos sbados.

    9. Sero publicados Editais Complementares do Processo Seletivo 2014/1 da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra sempre que forem necessrios.

    10. Os casos omissos sero resolvidos pela Comisso Organizadora do Processo Seletivo 2014/1 da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra.

    11. A FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra est credenciada para participar do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior FIES e tambm do Programa NOSSA BOLSA.

    12. No caso de vagas remanescentes a FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra poder fazer uso do resultado do ENEM a partir da verso 2010.

    MATRCULA Os candidatos classificados no Processo Seletivo 2014/1 da FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Multivix Serra estaro automaticamente convocados para procederem matrcula dentro dos seguintes prazos:

  • a) De 18/11/13 a 26/11/13 de 8:00 s 20:00 na sede da Faculdade, matrcula dos candidatos classificados na prova do dia 10/11/13 para os Cursos de Administrao, Cincias Contbeis, Engenharia Civil, Engenharia de Controle e Automao, Letras, Pedagogia e Servio Social;

    b) Vencido o prazo de matrcula acima definido, havendo vagas remanescentes, sero convocados candidatos suplentes, mediante edital interno afixado em quadro de avisos, na entrada principal da Instituio e na pgina www.multivix.edu.br, para realizarem matrcula: os candidatos dos cursos de Administrao, Cincias Contbeis, Engenharia Civil, Engenharia de Controle e Automao, Letras, Pedagogia e Servio Social, a partir do dia 27/11/2013, de 8:00 s 20:00.

    A matrcula, tanto para classificados quanto para suplentes, ser realizada rigorosamente pela ordem de classificao no Processo Seletivo 2014/1, mantidos os critrios de desempate indicados no item Pontuao e Classificao dos candidatos aprovados. Ser considerada nula, para todos os efeitos, a classificao do candidato que no apresentar a data fixada para a matrcula, prova de concluso do Ensino Mdio ou equivalente. de responsabilidade exclusiva do candidato, acompanhar o Edital de Convocao de Matricula, assim como cumprir os prazos determinados pelo referido Edital, a ser disponibilizado no site da Instituio (www.multivix.edu.br) e no mural da Secretaria Acadmica da Faculdade Capixaba da Serra. O no cumprimento aos prazos, implicar em perda de vaga. Os alunos matriculados que at o dia 03 de fevereiro de 2014, optarem por desistir da matricula feita, recebero 80% (oitenta por cento) do valor pago, bastando, para isso a formalizao de sua desistncia junto Secretaria da Faculdade, at o dia mencionado. O procedimento legal a ser utilizado o explicitado anteriormente e no sero consideradas alegaes de informaes verbais fornecidas por quem quer que seja. Para a efetivao e deferimento da matrcula devero ser cumpridos os seguintes requisitos:

  • DOCUMENTOS DO ALUNO Preenchimento dos dados do Formulrio do Perfil Scio-educacional do

    Ingressante; Cpia autenticada do Diploma; ou cpia autenticada e/ou original do

    Certificado de Concluso do Ensino Mdio ou do Histrico Escolar completo do Ensino Mdio ou da Declarao de estar cursando a ltima srie do Ensino Mdio, com previso de trmino para dezembro de 2013;

    Documento de Identidade (cpia); Documento militar (cpia); CPF (cpia); Ttulo Eleitoral (cpia); Comprovante da ltima votao (cpia); Certido de nascimento ou casamento (cpia); Duas fotos 3x4 recentes Comprovante de pagamento da 1 parcela da anuidade fixada; Os alunos menores de 18 anos devero vir acompanhados dos

    responsveis legais para efetuar a matrcula, preenchimento do contrato e de formulrios pertinentes.

    DOCUMENTOS DO FIADOR Preenchimento e assinatura do contrato de prestao de servios

    educacionais disponvel CPF (cpia) Carteira de Identidade (cpia) Comprovante de residncia - conta de luz ou outros (cpia); Comprovante de renda contracheque (cpia).

    necessrio o reconhecimento de firmas do contratante, fiador e cnjuge, se for o caso.

  • PROGRAMAS DO PROCESSO SELETIVO 2014/1

    CDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS (PORTUGUES) A prova de Lngua Portuguesa visa: Verificar a habilidade do candidato de reconhecer os diferentes nveis da

    lngua e sua aplicao em situao de interao; Identificar a sua capacidade de utilizar os recursos morfossintticos da

    modalidade culta da lngua portuguesa nos diversos contextos comunicacionais;

    Aplicao de recursos gramaticais 1. Ortografia / acentuao grfica;

    2. Pontuao e sua relao com o sentido da frase; 3. Valores e emprego das diversas classes de palavras;

    4. Sintaxe das relaes e sua aplicao: na concordncia; na regncia; na colocao; 5. Semntica: sinonmia / antonmia; homonmia / paronmia; denotao / conotao.

    REDAO E LINGUAGEM A prova de Redao se constitui de duas questes. Cada questo apresenta um tema. O candidato deve escolher e desenvolver uma das questes propostas. Para a questo escolhida dever escrever um texto com no mnimo 25 (vinte e cinco) e no mximo 40 (quarenta) linhas. Cada uma das questes ser acompanhada de um texto que fornecer informaes e perspectivas acerca de cada tema proposto. Assim, em um texto dissertativo, especialmente importante que o candidato identifique e discuta argumentos, pontos de vista e opinies que serviro de referncia para a construo de sua argumentao, deixando claro para o corretor de sua redao que um leitor crtico e atento. A redao ser utilizada principalmente como um instrumento de avaliao da capacidade de pensar por escrito sobre um determinado assunto. Portanto, o

  • candidato dever demonstrar tambm uma boa capacidade de leitura e de elaborao de dados e argumentos. importante que o candidato saiba que a prova de Redao no procura avaliar apenas a capacidade de escrever sobre determinado tema, ou o conhecimento da modalidade culta da lngua. Muito mais do que isso, essa prova pretende avaliar as habilidades j mencionadas, consideradas condies necessrias para o bom desempenho em qualquer rea de conhecimento. Ser desclassificada a redao que fugir totalmente ao tema proposto e a que no atender ao tipo de texto pedido: dissertativo. MATEMTICA E SUAS TECNOLOGIAS A prova de Matemtica pretende avaliar o conhecimento que o candidato possui do contedo dessa disciplina em nvel do Ensino Fundamental e Mdio, listado abaixo, e que constitui uma formao mnima para quem ingressa no curso superior. Pretende avaliar principalmente o domnio do conceito e a capacidade de resolver problemas, priorizando o raciocnio. Contedo Programtico 1. Conjuntos a) Noo intuitiva de conjuntos e suas relaes de incluso, igualdade,

    interseo, reunio, diferena e complementar. b) Os conjuntos numricos IN, Z, Q e IR. c) Divisibilidade em IN: nmeros primos, fatorao, mdc e mmc. 2. Equaes e Inequaes a) Resoluo de equaes e inequaes de 1 e 2 graus em duas variveis. b) Clculo das razes e estudo da reta e da parbola: grfico, sinal, extremos. c) Aplicaes. 3. Funes. a) Grficos: interpretao e anlise. b) Conceito de funo e seus elementos: domnio, imagem, zeros, valor da

    funo num ponto.

  • c) Propriedades das funes: crescimento e decrescimento, mximos e mnimos, inversa.

    d) Funes e suas propriedades: de 1 e 2 graus, exponencial, logartmica, modular e funes com mais de uma lei de formao.

    4. Progresso Aritmtica e Progresso Geomtrica a) Razo e termo geral. Propriedades. b) Soma de termos: finita e infinita. 5. Anlise Combinatria e Probabilidade a) Princpio da contagem, arranjo, combinao e permutao. b) Noes elementares de probabilidade. c) Aplicaes em situaes do cotidiano. 6. Trigonometria a) Arcos e ngulos: medidas em graus e radianos. b) Razes trigonomtricas num tringulo retngulo; arcos notveis; razes

    trigonomtricas em circunferncia e reduo ao primeiro quadrante. c) Funes trigonomtricas: grficos. d) Resoluo em tringulos quaisquer. 7. Geometria Plana e Espacial. a) Caracterizao e propriedades das figuras geomtricas planas bsicas: reta,

    segmento de reta, ngulo, polgonos e circunferncia. b) Congruncia e semelhana de polgonos (em particular os tringulos).

    Teorema de Tales. c) Relaes mtricas em tringulos, polgonos e crculos. Teorema de Pitgoras. d) reas e permetros dos principais polgonos e do crculo. e) ngulos internos e externos e diagonais de um polgono. f) Retas e planos no espao: posies relativas. g) Relaes mtricas e clculo de reas e volumes em prismas, pirmides,

    cones, cilindros e esferas. h) Slidos semelhantes: propriedades de reas e volumes. Princpio de

    Cavalieri. 8. Geometria Analtica. a) Coordenadas cartesianas retangulares: distncia entre pontos. b) Equao da reta: coeficiente angular, retas paralelas e perpendiculares,

    distncia de um ponto a uma reta. c) Equao da circunferncia, posies relativas entre retas e circunferncia.

  • 9. Matrizes, Determinantes e Sistemas de equaes lineares. a) Matrizes: definio, propriedades, elementos, operaes e inverso. b) Determinantes de ordem 2 e 3. Clculo e propriedades c) Sistemas de equaes lineares em duas ou trs variveis: discusso das

    solues e resoluo. 10. Noes de Matemtica Financeira a) Juros simples e composto b) Aplicaes a problemas do cotidiano CINCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS

    1) FISICA

    A matria Fsica, que ser objeto de avaliao no processo seletivo, aquela comumente atribuda ao Ensino Mdio (2 Grau), e est especificada no programa que se segue: Os objetivos principais a serem atingidos na seleo dos candidatos so: Testar a compreenso e interpretao das leis fundamentais da Fsica; Avaliar e analisar situaes do dia a dia, tanto quantitativa quanto

    qualitativamente, na forma de aplicaes dos fenmenos fsicos. Contedo Programtico: Grandezas e medidas fsicas

    Grandezas escalares e vetoriais; operaes de composio e decomposio de vetores. Medidas de grandezas fsicas; ordem de grandeza; algarismos significativos e erros. Dimenses das grandezas fsicas; anlise dimensional de equaes fsicas. Sistemas de unidades; sistema internacional; grandezas fundamentais da Fsica. Representao grfica de grandezas fsicas em funo das grandezas fundamentais e de outras grandezas relevantes.

    Mecnica da partcula Conceito de partcula. Cinemtica escalar e vetorial da partcula; movimento retilneo e curvilneo plano, uniformes e uniformemente variados. Foras concorrentes; composio e resultante de foras. Lei de

  • Newton; aplicaes envolvendo foras de atrito. Momento linear; conservao do momento linear; impulso e variao do momento linear; colises entre partculas; elsticas e inelsticas, uni e bidimensionais. Interao gravitacional; lei de fora da gravitao; leis de Kleper; movimento de um projtil em um campo gravitacional uniforme; rbitas de satlites. Energias cintica, potencial e mecnica. Energia potencial elstica de uma mola ideal. Teorema do trabalho-energia; trabalho e potncia de uma fora constante.

    Sistemas de muitas partculas Centro de massa de um slido; centro de massa de uma distribuio de partculas. Equilbrio esttico de um corpo rgido; momento de uma fora; momento resultante. Massa especfica; densidade absoluta e relativa. Conceito de presso; presso de um fluido uniforme em equilbrio. Lquidos em equilbrio em um campo gravitacional uniforme; princpios de Pascal e de Arquimedes. Equilbrio de corpos flutuantes. Esttica dos gases perfeitos; processos quase-estticos reversveis: isotrmicos, isobricos e isomtricos; equao de estado dos gases perfeitos. Atmosfera terrestre; presso atmosfrica. Equilbrios trmicos; conceitos macroscpico e microscpico de temperatura; escalas Celsius e Kelvin; escalas arbitrrias. Energia trmica e seus efeitos sobre os corpos materiais; mudana de estado fsico; dilatao dos corpos; calor especfico e calor latente. Trabalho a presso constante. Transmisso de calor; conduo, conveco e radiao; regime estacionrio; coeficiente de condutividade trmica. Energia interna de um sistema; primeira lei da termodinmica; calor e trabalhos envolvidos nos processos termodinmicos.

    Fenmenos ondulatrios - tica Conceito de onda: classificao quanto natureza e quanto vibrao. Movimentos peridicos: movimento harmnico simples: lei de Hooke. Propagao de movimentos ondulatrios (ondas e pulsos) em meios no dispersivos; parmetros da onda: equaes que relacionam os parmetros da onda; reflexo e refrao de ondas; difrao e polarizao numa onda (abordagem qualitativa); interferncia e princpio da superposio. Ondas sonoras: velocidade do som, cordas vibrantes, ressonncia, ondas estacionrias de tubos sonoros; efeito Doppler (abordagem qualitativa). Modelo ondulatrio da luz; espectro luminoso; velocidade de propagao; ndice de refrao de um meio material; disperso da luz; propagao da energia luminosa. tica geomtrica;

  • raio luminoso; leis da refrao; reflexo total; objetos e imagens reais e virtuais, em espelhos planos e esfricos e em lentes delgadas; instrumentos ticos simples; sistema tico da viso humana.

    Eletricidade e magnetismo Constituio da matria: partculas fundamentais. Condutores e isolantes. Lei da fora de Coulomb. Campo e potencial eltrico associados a uma carga puntiforme e a uma distribuio simples de cargas; princpio da superposio; conceitos fundamentais. Campo uniforme: superfcies equipotenciais, diferena de potencial entre dois pontos e anlise do movimento de uma carga puntiforme no campo. Geradores; corrente eltrica; resistores lineares e capacitores: energia e potncia; efeito Joule; Lei de Ohm; associao de resistores e capacitores em srie e em paralelo. Circuitos elementares com ampermetros e voltmetros ideais; circuitos simples com geradores; leis de Kirchhoff. Campo magntico de um m; campo magntico terrestre; bssola. Fora magntica sobre um fio retilneo, conduzindo uma corrente eltrica. Campos magnticos produzidos por distribuies de corrente eltrica: fio retilneo e espira circular. Induo eletromagntica: fluxo de um campo magntico; leis de Faraday e de Lenz (viso fenomenolgica e qualitativa).

    2) QUIMICA A prova de Qumica visa selecionar candidatos que demonstrem conhecer os contedos bsicos da matria, de modo abrangente e integrado, avaliando-se, principalmente, sua capacidade de interpretar e resolver problemas envolvendo conceitos e princpios bsicos. Visa tambm inter-relacionar os contedos dos itens do programa e estabelecer uma comparao da qumica com as outras cincias. Alm disso, importante que o candidato saiba explorar as contribuies da qumica no conhecimento da natureza e no desenvolvimento tecnolgico. Contedo Programtico: 1. Substncias e misturas

    Matria. Elemento qumico. Substncias simples e compostas. Substncias puras e misturas. Critrios de pureza. Estados fsicos da matria e mudana de estado. Processos fsicos de separao. Alotropia.

  • 2. Estrutura atmica Teoria Atmica: modelos atmicos. Partculas fundamentais do tomo. Nmero atmico e massa atmica. Istopos, isbaros e istono. Configurao eletrnica e nmeros qunticos. Massa molecular. Nmero de Avogadro. tomo grama, molcula grama, volume molar.

    3. Classificao peridica dos elementos Os elementos qumicos e a tabela peridica moderna. Propriedades peridicas e aperidicas. Propriedades das substncias qumicas e a posio dos elementos na tabela peridica.

    4. Ligaes qumicas Teoria do octeto. Valncia e nmero de oxidao. Tipos de ligaes qumicas. Representao de Lewis. Teoria do orbital molecular. Hibridao. Foras das ligaes. Foras intermoleculares.

    5. Funes da qumica inorgnica cidos, bases, sais, xidos e hidretos. Conceitos, classificao, nomenclatura e propriedades gerais.

    6. Reaes Qumicas Conceituao e classificao, reaes qumicas das diferentes funes inorgnicas. Equaes qumicas (conceituao e balanceamento).

    7. Leis das combinaes qumicas Leis ponderais e volumtricas. Hiptese de Avogadro. Relaes entre massas e volumes de gases.

    8. Estequiometria e frmulas Clculos estequiomtricos. Pureza e rendimento. Frmula centesimal, mnima, molecular e estrutural.

    9. Solues Conceito. Classificao de solues. Tipos de concentraes de solues (definio e clculos). Diluio e misturas. Coeficiente de solubilidade. Propriedades coligativas das solues moleculares e inicas. Diagrama de fase. Volumetria.

    10. Disperses coloidais Conceito, classificao e propriedades dos colides.

    11. Termodinmica e termoqumica Calor e trabalho. Os trs princpios da termodinmica e suas aplicaes. Lei de Hess. Energia livre.

    12. Cintica e equilbrio qumico Velocidade das reaes e fatores que podem alter-las. Sistema em equilbrio. Constantes de equilbrio. Princpio de Le-Chatelier. Equilbrio inico. Sistema tampo. Hidrlise. Produto de solubilidade.

  • 13. Eletroqumica Conceitos e oxidao e reduo. Pilhas e baterias. Potencial de eletrodo. Eletrlise.

    14. Introduo qumica orgnica Anlise elementar. Propriedades do tomo de carbono. Estrutura dos compostos orgnicos. Hibridao, cadeias carbnicas.

    15. Funes orgnicas Notao, nomenclatura e propriedades fsicas e qumicas de diversas sries de compostos orgnicos. Hidrocarbonetos, compostos oxigenados, compostos nitrogenados, compostos halogenados, organo-metlicos e compostos de funo mista. Sries orgnicas.

    16. Isomeria Conceito. Classificao. Isomeria plana. Isomeria espacial.

    17. Reaes orgnicas Classificao geral. Reatividade dos compostos orgnicos. Reaes de adio, eliminao e substituio. Reaes nucleoflicas, eletroflicas e radicais livres. Reaes de reduo e oxidao. Combusto.

    18. Glicdios, lipdios, aminocidos e protenas Definio. Classificao. Estrutura, nomenclatura. Propriedades gerais. Exemplos.

    19. Polmeros Definio. Classificao. Composio e estrutura. Exemplos.

    20. Noes Gerais Petrleo. Hulha. Xisto. Biogs. Sabes e detergentes. Fermentao.

    3) BIOLOGIA

    A prova de Biologia ser fundamentada em questes que abrangero o contedo abaixo relacionado, que traduz uma programao esperada em nvel de Ensino Mdio (2 Grau). Assim, espera-se que os candidatos possuam: Conhecimentos bsicos de Biologia referentes ao contedo programtico do

    Ensino Mdio (2 Grau); Um nvel de conscientizao de que a cincia no um processo acabado,

    mas apresenta uma evoluo contnua; Informaes gerais e atitudes crticas acerca da convivncia e da

    aprendizagem em Biologia, que esto contidas fora da grade curricular tais como: debates sobre cultura e tecnologia divulgados pela imprensa escrita e falada; movimentos ecolgicos;

  • atividades polticas orientadas rea educacional e, mais especificamente, rea de Biologia;

    senso crtico de observao e convivncia com fenmenos da natureza; capacidade de correlacionar e integrar conhecimentos que abranjam campos

    distintos do contedo do Ensino Mdio (2 Grau); capacidade para elaborao de hipteses lgicas com argumentao

    coerente em relao a determinados fatos ou fenmenos apresentados; capacidade de construo, anlise e interpretao de esquemas grficos e

    tabelas, associando a interpretao ao conhecimento especfico do assunto; habilidade criativa de argumentao com coerncia explcita luz dos

    conhecimentos atuais e inerentes ao Ensino Mdio (2 Grau).

    Contedo Programtico Os seres vivos

    Caractersticas gerais. Diversidade dos seres vivos e sistemas de classificao. Regras de nomenclatura. Conceito de espcie. Categorias taxonmicas. Caracterizao dos principais grupos animais e vegetais. Importncia dos principais grupos animais e vegetais: aspectos econmicos e ecolgicos.

    A Clula Clula procariota e eucariota. Biomolculas. Componentes morfolgicos das clulas. Funes das estruturas celulares. Reproduo celular: mitose e meiose

    Reproduo Modalidades de reproduo. Ciclos de vida. Reproduo humana. Desenvolvimento embrionrio. Diferenciao celular.

    Estruturas e funes dos seres vivos Plantas: Morfologia externa: estrutura bsica de uma angiosperma (raiz, caule, folha, flor, fruto e semente). Morfologia interna: principais tipos de tecidos e suas funes. Fisiologia: processos energticos nas plantas (fotossntese e respirao); desenvolvimento das plantas (crescimento e reproduo). 5. Animais

    Tecidos: caractersticas estruturais e funes. Morfologia: externa e interna. Fisiologia: nutrio, digesto, respirao, circulao e excreo. Sistema de proteo, sustentao e locomoo. Sistema nervoso e endcrino. rgos dos sentidos.

    Gentica

  • Conceito de herana. Os genes como unidades hereditrias dos seres vivos. Base qumica dos genes. Cromossomas. Mutaes gnicas e cromossmicas. Lei de Mendel. Mecanismos de herana. Alelos mltiplos. Determinao do sexo. Herana polignica. Ligao e recombinao gnica. Interao gnica. Epistasia.

    Evoluo Origem da vida. Evidncias da evoluo. Principais teorias da evoluo. Processo evolutivo. Evoluo do Homem.

    Ecologia Ecossistemas e biosfera. Relaes trficas entre os seres vivos. Ciclos biogeoqumicos. Biomas. Dinmica das populaes. Conservao e preservao da natureza: impacto humano, poluio e biocidas, ecossistemas e espcies ameaadas de extino, principalmente no Brasil.

    Sade, higiene e saneamento bsico Princpios bsicos de sade. Principais doenas do ser humano (causa / conseqncia / implicaes sociais): doenas carenciais, doenas infecto-contagiosas, doenas parasitrias (ciclo de vida e profilaxia), principais epidemias e endemias no Brasil. As defesas do organismo. Imunidade passiva e imunidade ativa.

    CINCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS

    1) HISTRIA A prova de Histria pretende selecionar os candidatos que demonstrem conhecer as informaes bsicas acerca dos aspectos econmicos, polticos, sociais e culturais que definem as sociedades humanas , assim como os candidatos que apresentem capacidade de raciocnio crtico sobre o contedo da matria, identificando os processos histricos essenciais, analisando seus desdobramentos, comparando-os com outros momentos da prpria sociedade em questo ou de sociedades distintas. A fim de fornecer ao candidato um ponto de referncia para a resoluo das questes, sero utilizados critrios de natureza didtica, como o agrupamento de grandes reas temticas (Antiga, Medieval, Moderna, Contempornea, Amrica e Brasil, incluindo-se nessa ltima a Histria do Esprito Santo) e critrios de natureza pedaggica, como textos, grficos, mapas, tabelas e ilustraes.

  • Contedo Programtico Histria Geral O Mundo Ocidental na poca Moderna 1. Constituio do Mundo Moderno 2. Formao da Burguesia e do Estado Nacional 3. Expanso Martima e Comercial Europeia 4. Renascimento e Reforma 5. Estado Moderno 6. Absolutismo Mercantilismo 7. Colonizao Europeia na Amrica Espanhola e Inglesa

    A poca Contempornea 8. A formao do mundo Ocidental contemporneo 9. Liberalismo e revolues no Estado Moderno (transformaes econmicas e

    sociais) 10. Primeira Guerra Mundial (causas e consequncias) 11. Revoluo Russa em 1917 12. Fascismo e Nazismo 13. Crise e recuperao do Sistema Capitalista 14. Grande Depresso 15. Segunda Guerra Mundial (causas, etapas e consequncias) 16. Ps-Guerra a bipolarizao capitalismo x socialismo 17. Os organismos supranacionais: ONU e OEA 18. Crise do Socialismo e a formao de novos pases

    Histria do Brasil O Brasil Colonial 19. Expanso martima e comercial 20. O descobrimento e o perodo pr-colonizado 21. Colonizao Portuguesa: organizao politico-administrativo-econmica 22. Processo de emancipao politica do Brasil 23. Nativismo em movimentos de independncia

    O Brasil Imprio 24. A Corte Portuguesa no Brasil 25. Proclamao da Independncia 26. Organizao do Estado Brasileiro

  • 27. Constituio de 1924 28. Primeiro Reinado 29. Regncia 30. Segundo Reinado 31. Poltica Externa 32. Guerra do Paraguai 33. Crise da Monarquia

    O Brasil Repblica 34. Causas da Proclamao da Republica 35. 1 Repblica 36. Repblica Velha 37. A Repblica da Espada 38. O predomnio das Oligarquias 39. O coronelismo e o tenentismo 40. Nova Repblica: Revoluo de 1930 41. A Era Vargas 42. Governo Provisrio, Governo Constitucionalista e Estado Novo 43. O Brasil na 2 Guerra Mundial Consequncias dos anos 50 44. Os governos militares: aspectos polticos e socioeconmicos 45. O Brasil aps 1985: a eleio de Tancredo Neves 46. Os governos de Sarney, Collor, Itamar e Fernando Henrique Cardoso e Luiz

    Incio Lula da Silva e seus problemas atuais

    2) GEOGRAFIA

    Geografia Geral 1. Aspectos fsicos, humanos, polticos e socioeconmicos dos pases mais industrializados do mundo: Alemanha; Canad; Estados Unidos da Amrica; Frana; Japo; Gr-Bretanha e Itlia 2. China: aspectos fsicos, humanos, polticos e socioeconmicos 3. O fim da URSS e a Crise do Socialismo 4. Amrica Latina: aspectos fsicos; humanos, polticos e socioeconmicos; divises regionais; Mxico, Amrica Central; Pases Andinos e Pases Platinos 5. frica: aspectos fsicos. frica do Norte: aspectos polticos, humanos e socioeconmicos. A Republica Sul Africana: aspectos polticos, humanos e socioeconmicos 6. Oriente Mdio: aspectos fsicos, humanos, polticos e socioeconmicos

  • Geografia do Brasil

    7. Caractersticas Gerais: posio geogrfica e relaes com pases vizinhos

    8. Aspectos fsicos: relevo, clima, vegetao hidrografia e estrutura geolgica

    9. Aspectos humanos: formao, composio e distribuio da populao 10. Migraes: internas e externas 11. Populao urbana e rural; atividades ocupacionais e os setores de atividades; atividades econmicas; extrativismo, agropecuria, espao industrial e urbano, transportes e comrcio interno e externo

    12. O meio ambiente: os problemas ambientais 13. O Brasil: diviso regional e suas peculiaridades fsicas e socioeconmicas

    14. Regio Norte: Regio Nordeste: Regio Centro-Oeste: Regio sudeste e Regio Sul

    3) ATUALIDADES

    1. Processo de Globalizao e demais aspectos scio-polticos do mundo atual 2. tica e Cidadania 3. Questo Ambiental e outros