malaquias a sacralidade da família

Download Malaquias A Sacralidade da Família

Post on 20-Jan-2016

33 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Malaquias A Sacralidade da Família. Lição 13– 30/12/2012. Ev. Sérgio Lenz Fone (48) 9999-1980 E-mail: sergio.joinville@gmail.com MSN: sergiolenz@hotmail.com. “ Portanto, deixará o varão o seu pai e a -sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne” (Gn 2:24). Texto áureo. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • MalaquiasA Sacralidade da FamliaEv. Srgio Lenz Fone (48) 9999-1980E-mail: sergio.joinville@gmail.com MSN: sergiolenz@hotmail.com

  • Portanto, deixar o varo o seu pai e a -sua me e apegar-se- sua mulher, e sero ambos uma s carne (Gn 2:24)

    VERDADE PRTICA da vontade de Deus que levemos a srio o nosso relacionamento com Ele, com a famlia e com a sociedade.

  • Malaquias 1:1; 2:10-16

    1 Uma advertncia: a palavra do SENHOR contra Israel, por meio de Malaquias.10 No temos todos o mesmo Pai? No fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que ser, ento, que quebramos a aliana dos nossos antepassados sendo infiis uns com os outros?11 Jud tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalm; Jud desonrou o santurio que o SENHOR ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros.12 Que o SENHOR lance fora das tendas de Jac o homem que faz isso, seja ele quem for, e mesmo que esteja trazendo ofertas ao SENHOR dos Exrcitos.13 H outra coisa que vocs fazem: Enchem de lgrimas o altar do SENHOR; choram e gemem porque ele j no d ateno s suas ofertas nem as aceita com prazer. 14 E vocs ainda perguntam: Por qu? porque o SENHOR testemunha entre voc e a mulher da sua mocidade, pois voc no cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial.15 No foi o SENHOR que os fez um s? Em corpo e em esprito eles lhe pertencem. E por que um s? Porque ele desejava uma descendncia consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ningum seja infiel mulher da sua mocidade.16 Eu odeio o divrcio, diz o SENHOR, o Deus de Israel, e tambm odeio homem que se cobre de violncia como se cobre de roupas, diz o SENHOR dos Exrcitos. Por isso, tenham bom senso; no sejam infiis.

  • Nesta lio veremos que o agravante eram os casamentos mistos com os povos pagos. Esses casamentos trouxeram embaraos para o povo, levando-os a adorar outros deuses. A maldade do povo estava por demais impregnada na vida social, motivo pelo qual o divrcio tornou-se um testemunho pblico da infidelidade (2.14-16).Era necessrio retornar o relacionamento prescrito pela Palavra dentro do matrimnio, afim de que Deus pudesse continuar a abenoar ao Seu povo e derramar suas promessas sobre a linhagem prometida.

  • Contexto histrico:Os judeus tinham retornado do exlio, impulsionados por altas esperanas. Inspirados por Ageu e Zacarias, haviam reconstrudo o Templo. Esse edifcio no possua a glria do templo original, que havia sido destrudo pelos babilnios, mas servia para seu propsito. Mas com o passar dos anos os judeus foram ficando desiludidos. A prosperidade prometida no retornava. Vivendo neste contexto amargo os judeus comearam a duvidar do amor de Deus. Diziam que o praticante do mal, era bom aos olhos do Senhor e argumentaram que no havia proveito na obedincia. Apesar de o Templo, o muro, a cidade e o sistema de culto estarem reconstrudos, o estado espiritual dos judeus era de indiferena. Eles no conseguiam enxergar nada alm de tristeza e dvida.ADAMSON, J. T. H. Malaquias: introduo. In DAVIDSON, F. O novo comentrio da Bblia. So Paulo: Vida Nova, 1997, p. 933

  • Vida pessoal de Malaquias:A tradio tem confiada a autoria do livro a certo indivduo de nome Malaquias. No entanto, so interessantes as observaes feitas pelos diversos comentaristas quanto autoria do livro de Malaquias. Apesar de haver, entre os intrpretes ortodoxos consultados, um consenso de que o livro seja da pena do autor que empresta seu nome obra, algumas consideraes acerca da tradio judaica e dos pais latinos percorrem a posio de que Esdras tenha sido o autor do referido livro e que o nome Malaquias seja apenas um pseudnimo de Esdras, o sacerdote e escriba do ps-cativeiro. Entretanto, no h como duvidar de que o livro seja obra do profeta Malaquias.BALDWIN, J. G. Ageu, Zacarias e Malaquias: introduo e comentrio. So Paulo: Vida Nova e Mundo Cristo, 1972, p. 177

  • Estrutura e mensagem:O livro de Malaquias pode ser dividido da seguinte forma:a) Uma sinopse do captulo 1 e 2 mostra as seguintes mensagens:Os captulos 1 e 2 demonstram o amor de Deus para com Israel, escolhendo Jac em lugar de Esa (1.2-5), mas esse amor no foi reconhecido pelos sacerdotes e pelo povo.Os sacerdotes e o povo desonraram a Deus, oferecendo-Lhe po imundo (6-14).So ameaados por haverem se apartado das normas por Deus estabelecidas (2.1-9) e por terem contaminado a santificao do Senhor (10-17).Uma anlise desta sinopse conduz-nos ao seguinte esboo:

  • Estrutura e mensagem: O AMOR DE DEUS DESPREZADO PELOS SACERDOTESPretendiam enganar ao Senhor atravs das ofertas defeituosas (1.6-2.9).No haviam dado a Deus a honra e o respeito apropriado que:Um filho deve dar a seu pai (1.6);Um servo deve render a seu senhor (1.6);Uma cidade deve pagar ao seu rei (1.4).Haviam defraudado ao povo com seus maus exemplos (2.7-9).O AMOR DE DEUS DESPREZADO PELO POVOPor meio da desigualdade social (2.10);Atravs dos casamentos mistos (2.11);Por meio da imoralidade (2.14);Atravs de sua falta de sinceridade (2.17);Por meio da falta de compromisso com dzimo (3.8-10). b) No captulo 3.1-6, vem o juzo iminente. O anjo de Deus vai preparar o caminho do Senhor, que vir ao seu Templo, purificar a Levi e visitar os que praticam o mal. c) Do captulo 3.7 a 4.6, exortaes ao arrependimento, porque o Senhor vir com bnos e juzos, reduzindo os que no fazem distino entre o bem e o mal.

  • A paternidade de Deus (2:10):Na descrio do Filho, Champlin1 diz:Ele o herdeiro de tudo (Rm 8;17).Ele o criador de tudo (Cl 1:16).Ele o resplendor de Deus e Sua glria (II Co 3:18).Ele a exata expresso da substncia divina do Pai (Cl 2:9,10).Ele o sustentador de todas as coisas (Cl 1:16).Ele quem purifica de todo pecado, dando assim acesso ao Pai (I Jo 1:9).Ele terminou sua obra, realizou sua misso e se assentou mo direita do Pai, participante de sua glria e autoridade (Ef 2:6,7). A grande maravilha de todas essas afirmaes que somente sendo da mesma natureza (ou seja, sendo DEUS) que Cristo pode oferecer todas estas descries acima para serem partilhadas com a Igreja (os vencedores por meio do seu sangue e testemunho...) Isto faz Dele o DEUS NICO E VERDADEIRO!1Cf. CHAMPLIN, R. Norman. O NT Interpretado: Vs.por Vs.. So Paulo: Ed.Candeia. Vl 5, 10 ed., 1998, p. 476.

  • A deslealdade:

  • O casamento misto:

  • O relacionamento conjugal:

  • O compromisso do casamento:

  • A vontade de Deus:Quando um casal comparece perante o juiz de paz, ou pastor, ou rabino ou ainda um padre:No estavam em um momento de insanidade.No estavam sob o efeito de lcool ou drogas.Estavam conscientes (tanto que a burocracia enfrentada por ambos foi extenuante).Se forem crentes pressupe-se que oraram a respeito do assunto antes de tomar a deciso.Pergunta-se ento:Diante de tanto preparo e meditao; diante de uma palavra positiva acerca de viverem fiis at que a morte os separe; diante do compromisso com Deus por que o divrcio tem que ser opo?