jornal pedra de fogo - edição nº 20 / ano 1

of 8/8
SÁB, 27 DE JUNHO DE 2015 PEDERNEIRAS HOJE MÁX 23º | MÍN 10º AMANHÃ MÁX 24º | MÍN 12º EDIÇÃO Nº 20 / ANO 01 facebook.com/jornalpedradefogo GRATUITO AGORA TODO SÁBADO Demissões não afetarão comércio local, diz empresário Deu entrada na Câmara o projeto de lei contra as queimadas em Pederneiras. Segundo Adriano Camargo, a lei muni- cipal vai munir a Secretaria de Meio Ambiente para que possa ficar embasada para poder tomar atitudes e multar quem usa dessa prática criminosa.“Essa lei vem para beneficiar o município e os munícipes, já que o principal objetivo é reduzir a queima em terrenos baldios ou limpeza de terrenos através do fogo, já que esse método é extremamente prejudi - cial à saúde dos idosos e das crianças, principalmente, e ao meio ambiente, é claro”, disse Adriano do Postinho. Pág. 4 Pág. 5 Prefeito assina convênio de R$ 450 mil para asfalto Inauguração da P-Track reúne 150 pessoas INFRAESTRUTURA CONFRATERNIZAÇÃO Daniel Camargo assinou con- vênio para a liberação de R$ 450 mil que serão investidos em asfalto no município. “É mais um compromisso de campanha que fico feliz de anunciar para a população de Pederneiras que iremos cumprir. O convênio já está assinado por mim e pelo governador. Agora, é aguardar o recurso, fazer o processo de licitação para contratar a em- presa e executar a obra”, expli - ca Daniel Camargo. Pág. 4 Pág. 6

Post on 22-Jul-2016

232 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • SB, 27 DE JUNHO DE 2015 PEDERNEIRAS HOJE MX 23 | MN 10 AMANH MX 24 | MN 12

    EDIO N 20 / ANO 01facebook.com/jornalpedradefogo

    GRATUITOAGORA TOD

    O

    SBADO

    Demisses no afetaro comrcio local, diz empresrio

    Deu entrada na Cmara o projeto de lei contra as queimadas em Pederneiras. Segundo Adriano Camargo, a lei muni-cipal vai munir a Secretaria de Meio Ambiente para que possa ficar embasada para poder tomar atitudes e multar quem usa dessa prtica criminosa. Essa lei vem para beneficiar o municpio e os muncipes, j que o principal objetivo reduzir a queima em terrenos baldios ou limpeza de terrenos atravs do fogo, j que esse mtodo extremamente prejudi-cial sade dos idosos e das crianas, principalmente, e ao meio ambiente, claro, disse Adriano do Postinho. Pg. 4

    Pg. 5

    Prefeito assina convnio de R$ 450 mil para asfalto

    Inaugurao da P-Trackrene 150 pessoas

    INFRAESTRUTURA CONFRATERNIZAO

    Daniel Camargo assinou con-vnio para a liberao de R$ 450 mil que sero investidos em asfalto no municpio. mais um compromisso de campanha que fico feliz de anunciar para a populao de Pederneiras que iremos cumprir. O convnio j est assinado por mim e pelo governador. Agora, aguardar o recurso, fazer o processo de licitao para contratar a em-presa e executar a obra, expli-ca Daniel Camargo. Pg. 4

    Pg. 6

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015 Pedra de Fogo02

    Jornal Pedra de FogoCNPJ: 22.546.981/0001-00

    O Pedra de Fogo um jornal distribudo gratuitamente. O contedo dos textos publicados pelos colaboradores do jornal de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e no expressa necessariamente a opinio de seus

    editores. Colunistas, diagramadores e articulistas no possuem qualquer tipo de vnculo empregatcio com o jornal.

    EditorChu Arroyo

    De segunda sexta-feira, das 9h30 s 16h30. Rua Siqueira Campos, S-297 - Centro - Pederneiras

    DiagramaoPetter Paccola

    Jornalista freelancerVivian Magalhes

    Supervisora de marketingAriadne Moreto

    ARTIGOCHARGE

    400 demisses,como reverter?

    Aumento da penalidade adulta

    OPINIO

    Pederneiras sempre nas paradas de sucesso. A bola da vez a Pedertractor. Demitiu 400 pessoas de uma s batelada e aps a forma como o fato foi di-vulgado pela mdia criou um clima meio pessimista na cidade. Essa demisso, que poderia ser chama-da at de pontual, uma ajuste da empresa que diminuiu paula-tinamente sua produo, que de peas sob encomenda para construtoras. Isso j era previsto e ocorre regularmente no setor. Enquanto o Brasil sente a crise, Pederneiras ainda pro-curada por empresrios para ali montar suas indstrias, algo pouco divulgado e nem aventa-do quando se noticia algo como o ocorrido nesse momento. A ci-dade, pelo que ouo, segura as pontas e num esforo entre seus empresrios e a Prefeitura Muni-cipal, algo de concreto na defesa da garantia dos empregos. J do Efeito Cascata, noticiado por um jornal da regio, de antanho, mais precisamente de outubro de 2014, quando a Volvo anun-ciou fechamento de sua linha de produo de retroescavadei-ras e motoniveladoras. Esse tipo de jornalismo desnecessrio. Imaginem o burburinho a ocorrer na cidade por causa des-sa eliminao das vagas perdidas. Isso se espalha como fumaa e com o vento toma uma propor-o irreversvel. Primeiro, algo que,

    O problema do menor o maior, j alertava o filsofo Carlito Maia. Somos todos frutos da (des)educao que recebemos. Vivi dois anos entre presos comuns. Conheci suas trgicas his-trias de vida. Tambm eu e voc seramos perigosos bandidos se tivssemos sido criados em uma famlia cujo pai, desempregado e bbado, surrava mulher e filhos e, para se sustentar, os impedia de ir escola e os induzia a praticar furtos. Reduzir a maioridade pe-nal lavar as mos, como Pilatos, diante do descaso para com as nossas crianas e adolescentes. no reconhecer que elas ingressam no crime porque a sociedade no lhes assegura direitos fundamen-tais, como educao de qualidade. O Brasil tem, hoje, quase 4 milhes de crianas e adolescentes, de 4 a 17 anos, fora da escola. As creches so raras e caras. Na cam-panha presidencial de 2010, Dilma prometeu 6 mil creches e pr-esco-las, para crianas de zero a 5 anos, at 2014. O MEC admite que apenas 1/3 da meta foi cumprida. Por que, em vez de redu-zir a maioridade penal, no se aumenta a oferta de educao de qualidade gratuita e em tem-po integral? Educao direito do cidado e dever do Estado. Em pases com plena escolaridade a criminalidade precoce residual. E quando existe no se culpabi-liza a criana, e sim a sociedade, que responsvel por educ-la e oferecer-lhe um futuro promissor. Em 2006, o Brasil se comprometeu, na OIT (Organi-zao Internacional do Trabalho), a erradicar, at o fim de 2015, as 89 piores formas de trabalho infantil. A meta no ser cumpri-da, j admitiu o governo. Embora nos ltimos doze anos tenha sido

    segundo consta, j estava sendo aventado desde janeiro, depois algo tambm reversvel, quando as construtoras e empreiteiras come-arem a resolver seus problemas l com o imbrglio da Operao Lava Jato. A culpa, como demons-trado no s da crise, pois mui-to simplista culp-la de tudo. Se uma empresa deixa de comprar porque foi pega numa malha fina fiscal, nada a ver com a cri-se, mas com conduta profissional. Claro que, 400 pessoas sem emprego numa cidade do tamanho de Pederneiras algo muito ruim. Porm, algo que pode ir se acomodando aos poucos com esses novos postos de trabalho que iro surgindo com as possibilidades de abertu-ra de novas empresas. Por que no nesse momento a prpria Prefeitura no criar um gran-de cadastro na cidade dessas pessoas disponveis por essas demisses e serem elas as pri-meiras numa lista quando da abertura das novas ou de algu-ma reposio nas em funcio-namento? So ideias. Trabalhar com elas e pelo bem da cidade algo feito sempre coletivamente.

    de 58,1% a reduo do traba-lho infantil, ainda h 3,2 milhes de crianas e jovens, de 5 a 17 anos, no mercado de trabalho. O trabalho infantil fere a Constituio e o Estatuto da Criana e do Adolescente. No en-tanto, quem o utiliza no incorre em nenhum crime. Explorao do trabalho infantil no existe no Cdigo Penal Brasileiro. Dos 715 mil presos que lotam nossas ca-deias, nenhum se encontra ali por explorar crianas e adolescentes. O projeto para mudar tal anomalia trafega lentamente no Congresso. H parlamentares que defendem, abertamente, ser pre-fervel uma criana trabalhando que roubando. Ou seja, o adulto empregador pode, impunemente, explorar mo de obra infantil. Mas, se a criana furtar, d-lhe cadeia e penalidade severa. Charles Dickens deve estar se revirando no tmulo! Enquanto adultos tentam se eximir de suas responsabilidades e propem reduzir a maioridade penal, sem enfrentar as causas da criminalidade infantil e da misria, em Itagua (RJ), crianas de 9 a 13 anos chegam a ganhar R$ 1 mil por semana do narcotrfico para servirem de olheiros em bocas de fumo, vapores (vender pequenas quantidades de drogas) e monito-rar o acesso aos pontos de venda. No basta pacificar, com represso policial, reas do-minadas por traficantes. pre-ciso introduzir ali escolas, praas de esportes, salas de arte, cursos profissionalizantes, aulas de teatro, msica e dana. Enfim, educao.

    Por Frei Bettoescritor, autor de Dirio de Fernando nos crceres da ditadura militar brasileira (Rocco), entre outros livros.

    Por Henrique Perazzi de Aquinojornalista e professor de Histria (www.mafuadohpa.blogspot.com).

    ATENDIMENTO AO LEITOR E AO ANUNCIANTE

    MEGA-SENA Concurso 1716 (24/06/2015)A programao das Loterias da CAIXA pode sofrer alteraes.

    14 3284.4153 [email protected]

    02 25 36 41 42 53

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015Pedra de Fogo 03

    PEDERNEIRAS

    Vidraa e estilingueABRIGOSA sesso ordinria da semana ficou marcada pela cobrana da empresa Jauense dos abri-gos para passageiros do trans-porte pblico. A maioria dos vereadores quer uma posio de quando a Jauense vai come-ar a construir os tais abrigos de nibus, que alguns vere-adores chamaram de ponto.

    CHUTOU O BALDEO vereador Mauro soldado chutou o balde. Para ele, no importa quem vai fazer os abri-gos, se a prefeitura ou se a Jauense, o importante que se faa. Ele disse que ningum est tomando providncias.

    WI-FIO vereador Willian falou que ns estamos no sculo 21, deveria ter abrigo de nibus com wi-fi.

    INVERTENDOChapu quis dedurar funcio-nrios pblicos mais uma vez. Dessa deixa, foram os chama-dos diretores dos distritos de Guaians e de Santelmo, sempre jogando a populao no meio. O Presidente da Cmara Adriano Camargo disse que estava junto com Chapu em Santelmo e foi ao contrrio. O morador do dis-trito elogiou o diretor e criticou quem deveria cuidar da estrada.

    FUNOA funo de um vereador no fiscalizar funcionrios munici-pais, isso ingerncia. Os vere-adores, alm de legislar, tm a funo de discutir as questes locais e fiscalizar o ato do Exe-cutivo com relao adminis-trao e gastos do oramento. Eles devem trabalhar em fun-o da melhoria da qualidade de vida da populao, elaboran-

    do leis, recebendo o povo, aten-dendo s reivindicaes, desem-penhando a funo de mediador entre os habitantes e o prefeito.

    TIRANDO DA RETAAt para elogiar, Chapu tira o dele da reta. O vereador mandou o se-guinte recado para o prefeito: Que-ro dizer que o Hospital (sic) da Mulher, dos Homens e o posto de sade de Guaians esto sem recla-maes, segundo os moradores...

    CANCELAO vereador Carlo do Vago procurou o Ministrio Pbli-co de Pederneiras para tentar uma soluo para a cancela da Avenida Tiradentes com a Aveni-da Nossa Senhora de Aparecida.

    LIVRE ARBTRIOSegundo o vereador, a promoto-ra de justia, Dra. Roseny Zanetta Barbosa explicou que o MP no tem nada contra e que a colocao de uma cancela para melhor acessi-bilidade e comodidade dos veculos que ali deveriam transitar, de livre arbtrio do executivo, ou seja, do prefeito tomar a deciso no que tange a abertura de via de acesso. Carlo j disse que se for necess-rio, ele vai com o prefeito para So Paulo atrs de verba para a cancela. I, OLHA O TREM O prefeito Daniel Camargo dis-se que tambm quer uma cancela na Tiradentes, mas que precisa de mais apoio. De acordo com Daniel Camargo, desde quando assumiu, em 2013, est empenhado em co-locar uma cancela. Ele j procurou o DNIT e outros rgos, mas at agora no autorizaram. Ele acha muito bom o vereador se em-penhar, porque precisa de mais foras. Com essa posio do MP e se a concessionria topar, ele acredita que tudo pode dar certo.

    PATURIS E NOSSA SENHORAPor falar em prefeito, Daniel Camargo estava na quarta-fei-ra em So Paulo correndo atrs de recursos com deputados para asfaltar o trecho de terra da Avenida Nossa Senhora Apa-recida e terminar o asfalto da estrada do Paturis, alm de ver-bas para recapear vrios bairros.

    MAIS ASFALTOO prefeito adiantou que esta-va assinando convnio no valor de R$ 450 mil do deputado fe-deral Arnaldo Faria de S para infraestrutura. Daniel Camargo disse que ir asfaltar a Rua n-gelo Valineti, no Parque da Co-lina, e a entrada do Vicente Ju-liano Minguili e Jaime Bigeli, pela pista do viaduto da Ferrivale.

    CRISEA coluna entrou em contato com alguns funcionrios da Pedertrac-tor e ficou sabendo que antes de ir para capital, Daniel Camar-go procurou os proprietrios e pediu para evitar ao mximo a demisso de pederneirenses.

    PERNADANa tera (23) noite, o prefeito, de short e camiseta, estava caminhando pela Vila Paulista. O passeio de Da-niel surpreendeu alguns moradores do bairro. Algumas pessoas disse-ram que a pernada era para manter a forma. Segundo o prefeito, essas pessoas acertaram, mas ele tambm estava fiscalizando algumas obras.

    CONGRATULAESAo falar sobre a moo de con-gratulaes para rdio Cultura, FM 88, Chapu disse que existe a imprensa sria, imprensa que ouve os dois lados. Alm da r-dio, ele citou jornais de Bauru, Lenis Paulista e de Pederneiras.

    INSINUAO claro que ele no citou o Pe-dra de Fogo. Sobre ouvir os dois lados, no d para dis-cutir com o vereador, que no d entrevistas para este jornal, alis, isso ele j deixou claro na prpria tribuna da Cmara.

    CONVIDADOSS para ttulo de informao, os trs vereadores tucanos j foram convidados para dar entrevistas para o Pedra de Fogo, assim como o pr-candidato Joozinho da Farmcia e at o ex-presi-dente do partido, Z da Purina.

    PRELEOO jornalismo como conhece-mos hoje teve sua origem no incio do sculo 19, quando se verificou o desenvolvimento da imprensa. Os jornais deixaram de ser apenas armas polticas para se configurar em uma nova forma de informar populao sobre os fatos cotidianos. Insta-lava-se o paradigma do jornalis-mo como informao em detri-mento do jornalismo de opinio.

    AULINHAO novo jornalismo passou a viver o culto dos fatos e a notcia sua principal matria-prima passou a ser produzida, ento, regida pe-los fetiches da objetividade e da imparcialidade. No plano terico, a teoria do espelho, na qual o jorna-lismo apenas relata o que ocorre na realidade, usando a estratgia de ouvir os dois lados e do rela-to objetivo, j foi superada, mas ainda difcil falar no tema entre profissionais que esto na linha de frente do jornalismo sem pro-vocar atritos, imagine ento com um vereador ignaro. A estratgia de ouvir os dois lados, na maior parte das vezes, se constitui em ouvir dois lados do mesmo lado.

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015 Pedra de Fogo04

    PEDERNEIRAS

    Deu entrada na Cmara o projeto de lei contra as quei-madas em Pederneiras. Com o objetivo de evitar incndio em terrenos urbanos, j que algu-mas pessoas se utilizam do fogo para limpar seu imvel. O proje-to foi aprovado por unanimida-de e j Lei Municipal 050/2015. Segundo Adriano Camar-go, a lei municipal vai munir a Se-cretaria de Meio Ambiente para que possa ficar embasada para poder tomar atitudes, ou seja, ad-vertir, autuar e multar quem usa dessa prtica criminosa de colocar fogo em terrenos baldios ou que use do fogo para limpar terrenos. De acordo com o presiden-te da Cmara, hoje j utilizamos o cdigo de postura, porm, este j est atrasado. Na verdade, j existe a Lei Estadual 9.605/98, que trata as queimadas irregulares como cri-me ambiental, com pena de dois a quatro anos de recluso. A lei mu-nicipal d mais poderes para que os agentes municipais possam evitar queimadas e exigir que os terre-nos dos muncipes fiquem limpos. Ainda de acordo com o vereador Adriano do Postinho, nesta poca a temperatura mais baixa, ventos mais fortes e o cli-ma seco, com menor volume de chuva, tornam o ambiente prop-cio ao surgimento de um maior nmero de focos de incndio. Essa lei vem para benefi-

    O prefeito Daniel Pereira de Camargo assinou convnio com a Casa Civil do Governo do Estado para a liberao de R$ 450 mil que sero investidos em asfalto novo no municpio. O evento foi realizado no Palcio dos Bandeirantes, em So Paulo, na tarde de quinta-feira (25) e com a participao de vrios pre-feitos do Estado, alm da presena do governador Geraldo Alckmin. O recurso ser liberado pela Casa Civil do Estado para ser utilizado em obras de infraestrutu-ra urbana no municpio. De acordo o chefe do executivo municipal de Pederneiras, o investimento ser aplicado na pavimentao asfltica em dois pontos da cidade: nos 450 metros da Rua ngelo Valineti, parte alta do bairro Parque da Colina, que tambm recebem obras de terra-planagem, guias e sarjetas em toda a extenso; e na Estrada Municipal

    Vereadores aprovam lei municipal para coibir queimadas em terrenos

    Prefeito assina convnio de R$ 450 mil para asfalto

    A lei municipal aprovada por unanimidade pelos vereadores vai munir a Secretaria de Meio Ambiente para que possa ficar embasada para poder autuar e multar quem atear fogo em terrenos baldios

    ciar o municpio e os muncipes, j que o principal objetivo redu-zir a queima em terrenos baldios ou limpeza de terrenos atravs do fogo, j que esse mtodo extre-mamente prejudicial sade dos idosos e das crianas, principal-mente, e ao meio ambiente, cla-ro, finalizou Adriano do Postinho.

    PDN-040, que receber trabalhos de terraplanagem e pavimentao nos 330 metros que vai da ala de acesso SP-225 at o prolonga-mento da Rua Sebastio Reis Perei-ra, no bairro Pederneiras C5.

    mais um compromisso de campanha que fico feliz de anun-ciar para a populao de Pedernei-ras que iremos cumprir. O conv-nio j est assinado por mim e pelo governador. Agora, aguardar o re-curso, fazer o processo de licitao para contratar a empresa e execu-tar a obra, explica Daniel Camargo. Segundo a Secretaria Mu-nicipal de Convnios, a obra tem previso para ser concluda at o final deste ano. Alm dos R$ 450 mil repassados pelo Estado atravs do deputado federal Arnaldo Faria de S, a Prefeitura de Pedernei-ras ir investir outros R$ 6.594,00 em contrapartida ao convnio.

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015Pedra de Fogo 05

    ECONOMIA

    A demisso de 400 fun-cionrios da Pedertractor me-xeu com a cidade e uma srie de boatos atingiu o comrcio local. A reportagem procurou a empresa, mas ningum quis falar sobre o assunto neste momento, prometendo uma nota esclare-cedora para os prximos dias. Segundo o Sindicato dos Metalrgicos de Pederneiras, as demisses ocorreram devido queda na produo por falta de pedidos de seus principais clientes (ler nota nesta pgina). Para o presidente do sindicato Pedro Oliveira da Silva, o mo-mento preocupante e os di-retores do sindicato s tm a lamentar, tanto pelos trabalha-dores como para a empresa. De acordo com Silva, o sindicato negociou com a Pedertractor e o nmero foi reduzido, mas ain-da pode haver mais demisses. No comeo de maio, o Pedra de Fogo conversou com Srgio Bruno, um dos di-retores da Pedertractor, e ele j havia adiantado que a indstria iria demitir por causa da cri-se e desacelerao econmica. Bruno chegou a citar de 500 a 700 pessoas seriam dispensadas caso a situao no melhorasse. O prefeito Daniel Ca-margo torcia para que as de-misses no acontecessem e que a Pedertractor voltasse a produzir. Entretanto, o prefeito acha que apesar de as demis-ses assustarem, os trabalhado-res vo conseguir voltar ao tra-balho antes de acabar o seguro desemprego. Daniel Camargo tambm acha que a partir do dia 1, o comrcio local poder

    DEMISSES A empresa Pedertractor,

    fabricante de peas e compo-nentes para o setor metalrgico, construo civil e agrcola, es-tabelecida na cidade de Peder-neiras, est demitindo; poden-do chegar a 400 empregados. As demisses ocorrem devido queda na produo por falta de pedidos de seus principais clientes, podendo che-gar prxima a 400 empregados. A empresa contava, at o dia 22 de junho, prximo a 2.300 funcionrios, em duas plantas - Pedertractor e Tractor. Com o nmero expressi-vo de demitidos, o impacto no co-

    Prefeito e empresrios acreditam que demisses no afetaro o comrcio

    mrcio da cidade ser afetado ne-gativamente. Tambm haver um impacto grande na renda familiar. Ns, do Sindicato, lamen-tamos em muito pelos demitidos. Muitos chefes de famlia perdem o seu sustento familiar, e o que mais preocupa a economia do pas em baixa, onde empresas de todos os setores demitem. O que cria dificuldades para es-ses desempregados consegui-rem se empregar de imediato. Esperamos que essa fase negativa da economia passe o mais rpido possvel.

    Sindicato dos Metalrgicos de Pederneiras.

    aumentar as vendas com as res-cises do contrato de trabalho. Na verdade, o comrcio s vai sentir o impacto, alm des-se susto inicial, depois de alguns meses. bom lembrar que os demitidos tm direito ao seguro-desemprego e que nesse perodo eles podem arrumar nova ocupa-o no mercado de trabalho local. Daniel Camargo afirmou que desde que assumiu, est lu-tando para novas empresas se instalarem na cidade, assim como a Conselig, do mesmo do grupo Mandaliti de Bauru, Unionagron, Posimec; alm da nova empresa que o Leleco est trazendo para Pederneiras, que vai gerar cer-ca de 400 novos empregos. O Barata (empresrio Jos Carlos Azevedo dos Santos) inaugurou sbado (20) mais um empreen-dimento (ver pgina 6). Infeliz-mente vivemos uma crise que temos de ser fortes e enfrentar. hora de repensar gastos sem cortar investimentos e estou com minha equipe fazendo isso. Para Barata, A economia industrial de Pederneiras bem diversificada, com muitas empre-sas, no do porte da Pedertrac-tor, mas que contribuem para o desenvolvimento da cidade. O empresrio acredita que em curto prazo, esse pessoal toma rumo, a gente tem que acredi-tar, j passamos por situaes at piores, na poca do Collor. Barata diz ainda que o trabalhador que bom arru-ma outro emprego rapidinho. Outra coisa, com rescises do contrato, vai circular dinheiro no comrcio e isso vai ser bom para a economia de Pederneiras.

    O empresrio Jos Carlos Azevedo dos Santos, o Barata, acredita no potencial de Pederneiras, caso contrrio no investiria na cidade

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015 Pedra de Fogo06

    PEDERNEIRAS

    Inaugurao da P-Track rene 150 pessoas

    Carlinhos Ottoboni, Barata, Daniel Camargo, Niva, o gacho Agostinho e Carlo do Vago no churrasco da inaugurao da P-Track; muitos empresrios de Pederneiras tambm participaram da confraternizao

    Barata e Niva

    A equipe do Gacho

    Niva, Cacareco e Pedro Henrique

    Carlo, Niva e Joo Pedro Niva, Carlo e Nil Camilo, Paulinho, Z Carlos, Marcio, Joozinho, Marinho, Leleco e Sr. Joo; Barata e Niva

    Claudio, Marcos e Tinho Barata, Jos Lima e Niva Jos Lima, Jailson, Pe. Rosinaldo e Barata

    Carlo, Leleco, Z Carlos e Mrcio

    Barata, Daniel, Gacho e NivaCarlo, Ottoboni, Fernando Camilo, Barata, Daniel, Pe. Rosinaldo e Niva

    No sbado da semana passada, os empresrios e s-cios Jos Carlos Azevedo dos Santos, o Barata e Nivaldo Lus Ribeiro, o Niva, fizeram uma confraternizao com mais de 150 amigos e empresrios para inaugurar a empresa P-Track Equipamentos Pesados. Num clima bem infor-mal, Barata e Niva chama-ram o gacho de Farroupilhas Agostinho para assar mais de 100 quilos de costela no cho. Para acompanhar, um Buffet de amigos (Drcio, Dinei e Pedro, com um suculento feijo gor-do, arroz, mandioca e, claro, costelo. Tudo isso base de cerveja, caipirinha e cachaa. A confraternizao da inaugurao da P-Track come-ou s 10h e foi at meia noite, com a descontrao musical Pop Band Show, de Ja. Veja abaixo alguns momentos do churrasco de Niva e Barata.

  • TPMtoques pra mulherada

    Como usar

    Cuidados com a pele no inverno

    O retorno das gargantilhas

    no inverno?

    ASTRALPrevises para o perodo

    de 27 a 30 de junho

    ries: As emoes passam por renovao e limpeza

    Touro: Um bom acordo de trabalho pode ser firmado.

    Gmeos: Momento timo para quitar dvidas

    Cncer: No se envolva em brigas e provocaes

    Leo: Voc fica mais fechado e instrospectivo

    Virgem: Dias de agitao e animao com os amigos

    Libra: Sucesso e reconhecimento no trabalho

    Escorpio: hora de tirar os projetos e planos da gaveta Capricrnio: Voc estar mais fechado e introspectivo

    Sagitrio: Uma grande quantia em dinheiro pode chegar

    Aqurio: Um novo romance pode se iniciar

    Peixes: O que no faz mais sentido, fica no passado.

    SAIA Ao pensar no inverno,

    logo vem mente a imagem de um look com sobreposies de casacos, cala, botas e cachecis, no mesmo? Porm, voc tam-bm pode montar uma produo igualmente quentinha usando saia! Essa pea, to feminina, dei-xa os looks de inverno incrveis, basta investir nos modelos de te-cidos mais pesados e quentes, como couro, l, veludo, jeans ou

    Frio sinnimo de clima mais seco. Essa combinao pode acabar ressecando a pele e deixando um aspecto mais craquelado nas ex-tremidades, alm de tirar o brilho natural e saudvel do rosto. Por isso, listamos trs cuidados com a pele para que voc viva o inverno linda, com flexibilidade, elasticidade e prevenindo o envelhecimento.

    No banho: No abuse de banhos muito quentes e demo-rados; Use cremes hidratantes: de

    Gargantilhas: esta tendn-cia voltou das profundezas dos anos 90! Quando voc pensa que nunca mais usar uma gargantilha na vida,

    O comprimento vai do seu gosto pessoal: voc pode optar pelo modelo mdi, que vai at metade da canela ou, ento, outro modelo mais curtinho.

    jacquard. Os looks ficam elegan-tes, divertidos e descontrados. Nossa dica : se optar por uma saia mais longa, use bo-tas de cano curto. Se escolher uma modelagem mais curtinha, combi-ne-a com botas over the knee (aci-ma dos joelhos), vai ficar uma gra-a! No esquea a meia-cala fio 80, um tricot para aquecer o corpo e um charmoso trench coat para finalizar o look. Voc vai arrasar!

    preferncia logo aps o banho;

    Hidrate sempre! Use cremes hidratantes, de preferncia logo aps o banho, e use tambm produtos especficos para o rosto.

    gua, gua, gua! Aque-la histria dos dois litros de gua diariamente no indicao para o vero, para todas as estaes. No inverno, a gua tambm ajuda a hidra-tar e evitar todos esses problemas causados pela baixa temperatura.

    eis que elas ressurgem! Era hit nos tempos de escola... E agora elas vol-tam em veludo, pedrarias, com pin-gentes, metlicas, prolas, e at aque-

    la que se assemelha a uma tatoo, igualzinha a que usvamos quando criana! Seja com strass, colorida para dia ou para noite! Use e aposte!

    QUEM DIRIA...ELAS VOLTARAM COM TUDO!

    Pederneiras, 27 de junho de 2015Pedra de Fogo 07

    Inaugurao da P-Track rene 150 pessoas

  • Pederneiras, 27 de junho de 2015 Pedra de Fogo08

    CL!CKQUEM FAZ E ACONTECE

    EM PEDERNEIRAS E REGIO

    Por Vivian Magalhes

    A jornalista, fotgrafa e roqueira Amanda

    Rocha lanou seu primeiro livro

    A imagem no museu do Sonho - uma viso

    imaginria de Sandman na livraria Espao

    Unio em Ja na tera-feira (23).

    Thain Ramos e Patricia Pascon

    O livro um foto-ensaio inspirado livremente no universo da histria em quadrinhos (HQ) de Sandman e seus irmos Perptuos, obra de Neil Gaiman, disse Amanda Rocha

    A ps-punk da banda La Burca e a Hermnia Juliana Bessi no lanamento

    do livro lisrgicamente cult.

    O livro A imagem no museu do Sonho - uma viso imaginria de Sandman (120 pginas, 22 x 22cm, Editora Canal 6). Pode ser encontrado no Emporio Cultural Bauru ou

    atravs do Facebook: Amandla Rocha Fotografia

    Raquel Oliveira e Adriano Lizabelo

    Silmara Fernandes e Ricardo Daniel