jornal ipanema 757

Click here to load reader

Post on 30-Mar-2016

239 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal a serviço da população de Sorocaba e região

TRANSCRIPT

  • Ano XII - n 757 - 8 de maro de 2014

    30 MIL EXEMPLARES - SOROCABA E REGIOwww.jornalipanema.com.br

    Sade da

    PREVENO AINDA O MELHOR REMDIONeste sbado (8) comemorado o Dia Internacional da Mulher e um dos temas que faz parte do cotidiano delas a sade. Nesta edio, a mastologista Alice Francisco fala sobre a preveno ao cncer de mama e a ginecologista e obstetra Cleidiane

    Alcolea trata sobre a contaminao do HPV

    Pgs 15 e 16

  • 2 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    EDITORIAL

    No se pode mais negar que as conquistas femi-ninas avanaram muito nos ltimos anos, mar-cando de maneira defi nitiva os seus rumos para este milnio. In-dependncia fi nanceira, sucesso na carreira, habilidade para conci-liar a maternidade com as ocupa-es fora do lar so conquistas sa-cramentadas ao longo dos anos e que j dispensam comemoraes por ocasio do Dia Internacional da Mulher, neste 8 de maro.

    A mulher moderna ocupa cada vez mais lugares de destaque em praticamente todas as atividades sociais, se saindo muito bem. A sen-sibilidade e o toque feminino fazem toda a diferena. Junto com as con-quistas na sociedade, veio a sobrecar-ga. Mulher, me, trabalhadora, dona de casa: tudo isso ao mesmo tempo. Apesar das multitarefas, poucas ou ne-nhuma das mulheres preferiria voltar no tempo, em que a mulher era trata-da como um ser sem expresso, sem vontade prpria.

    Graas a este processo evolutivo e conscientizao, hoje os homens tambm esto mudando e comeam a ajudar as mulheres nesta jornada dupla. cada vez mais comum ver ho-mens ajudando suas mulheres nas ta-refas domsticas, na educao dos fi lhos e na administrao do lar.

    Mas ainda existe muito a ser conquistado. necessrio ter mais respeito s mulheres, combatendo a violncia. No Brasil, como em diver-sos lugares do mundo, no haver motivos para festejar em grande es-tilo enquanto casos de maus-tratos e violncia domstica engrossarem as estatsticas, desequilibrando a ba-lana da supremacia feminina.

    Uma realidade mais igualit-ria e mais humana entre homens e mulheres o que se busca reforar, ano a ano, a cada Dia da Mulher, em nome de mais ternura para o planeta. Afi nal, voc, Mulher, car-rega consigo o smbolo da vida, o exemplo de amor, de perseveran-a e de coragem. Parabns a todas as mulheres neste seu dia especial.

    Supremacia feminina

    Giro de RebelloO ministro dos Esportes, Aldo Rebello, con-tinua sua maratona de visita aos locais da regio que devero receber selees partici-pantes da Copa do Mundo. Na prxima se-gunda-feira (10), ele estar no CT do Atltico que vai receber a seleo da Arglia.

    Dinheiro temNo blog de Djalma Luiz Benette (Deda), O D da Questo, o jornalista revelou que a Inves-te So Paulo, a Agncia Paulista de Promo-o de Investimentos e Competitividade do Estado de So Paulo, responsvel pela atra-o de empresas nacionais e internacionais, j liberou o emprstimo de R$ 4 milhes ao Clube Atltico Sorocaba. O dinheiro dever ser aplicado no CT (Centro de Treinamento) da equipe e aplicado na construo de uma cozinha que atenda s necessidades da se-leo da Arglia. Alm disso, o CT precisa de uma piscina para o relaxamento dos jogado-res, um campo com o mesmo tipo de grama que ser usado pela Arglia em seus jogos e uma academia de ginstica de ponta. No sabiaDurante entrevista a Alexandre Moretto, na Rdio Ipanema, na edio de 5 de maro, o dirigente do Atltico Waldir Cipriani no sabia da liberao do emprstimo e cobra-va maior empenho do prefeito Pannunzio. Como alertou Deda, a cobrana era desne-cessria uma vez que o dinheiro j estava empenhado.

    J em Itu...

    A torcida que tudo d certo. O prefeito da Antonio Tuze (PSD) recebeu a visita do cnsul geral do Japo, Noriteru Fukushima e falou sobre a expectativa e os preparativos para a Copa do Mundo, quando Itu recebe-r duas selees (Rssia e Japo) e tambm sobre as empresas de capital japons no mu-nicpio. A reunio contou ainda com as pre-senas do cnsul do Japo, Motohiro Hoshi-no, do vice-prefeito Neto Beluci, entre outras autoridades. O cnsul geral fez considera-es sobre a Copa do Mundo e sobre inves-timentos de empresas japonesas em Itu. Co-mentou ainda que as relaes econmicas e culturais entre o Japo e a cidade devem ser intensifi cadas com a Copa do Mundo, uma vez que a mdia japonesa tem divulgado com frequncia matrias sobre Itu.

    Zumzumzum O zumzumzum de que a sada de Hlio Go-doy (PSD) da pasta de Habitao estaria re-lacionada uma investigao do corregedor geral da Prefeitura, Gustavo Barata, na pasta e que envolvia um funcionrio que j teria deixado a secretaria h mais de um ms no passou de um zumzumzum. Quem disse isso foi o prprio corregedor durante en-trevista ao Jornal da Band FM. Ele foi cate-grico em afirmar que a sada de Hlio da pasta no tem relao alguma com o seu trabalho na corregedoria da Prefeitura. De acordo com Deda, em seu blog, essa afirmao apenas reforaria a tese de que a sada de Hlio est unicamente ligada a incompatibilidade do seu PSD (de Kassab candidato a governador e de apoio a Dil-ma) com o PSDB (de candidato reeleio Alckmin e do candidato Acio). Sonho (difcil) petistaO sonho de uma das alas do Partido dos Tra-balhadores de Sorocaba lanar o nome de Glauber Piva como candidato a prefeito nas prximas eleies municipais. Um sonho di-fcil, uma vez que esta mesma ala foi meio que involuntariamente expurgada. Seus integrantes acreditam que a figura de Piva representaria a renovao que o partido precisa, assim entendem. Perfil para isso ele tem. Foi quatro anos como diretor da Agncia Nacional do Cinema (Ancine). A ministra da Cultura, Marta Suplicy, chegou a convid-lo para renovar seu contrato de permanncia no cargo por mais quatro anos, mas ele recusou. Uma das razes que queria voltar para casa. Piva foi ainda um dos responsveis em fortalecer a pasta da cultura na prefeitura de Votorantim. Iara consegue verbas para Salto A deputada federal Iara Bernardi (PT) con-seguiu R$ 710 mil em emendas parlamen-tares para a prefeitura de Salto. Sero R$ 260 mil para obras de infraestrutura urba-na e mais R$ 250 mil para a rea da sade. Em julho de 2013, a parlamentar j havia conseguido, junto ao Fundo Nacional de Sade (FNS), uma verba de R$ 200 mil para o municpio de Salto para a compra de equi-pamentos da rede hospitalar. A deputada tambm est intermediando a construo de uma Praa da Juventude para a cidade orada em mais de R$ 1 milho. Tim-tim suprapartidrio O bar do vereador Francisco Frana (PT), que fica na avenida General Osrio, est bombando como se diz na gria da moda. Atendimento de primeira e pores variadas so atrativos para uma boa freguesia hetero-gnea. O vereador petista tambm recebe ami-gos de vrios partidos, como o vereador Valde-cir Morelli (PRP), que dias desses deu um show cantando sucessos da msica sertaneja de raz. Quem tambm passou por l foi o secretrio de Esportes, Moko Yabiku (que para emagrecer deixou a cerveja de lado) para apreciar ape-nas taas de vinho.

    Pense em mim...Moradores da Vila Amato, Aparecidinha e bairros vizinhos protestam: Somos esqueci-dos pela prefeitura. Na lista do esquecimen-to, eles citam: sade, educao e pavimenta-o da avenida 3 de maro. Acompanhados do vereador Carlos Leite (PT), eles se reuni-ram com o secretrio de Governo e Seguran-a Comunitria, Joo Leandro da Costa Filho, para cobrar melhorias urgentes para a regio, como ampliao do nmero de profi ssionais no Pronto-Atendimento, construo de uma nova escola e nova creche, e pavimentao da avenida 3 de Maro, uma das mais antigas reivindicaes dos moradores da localidade. Do encontro saiu uma garantia: A escola ns vamos construir. A [Secretaria de] Educao tem dinheiro, informou Joo Leandro. Igual ao de CuritibaNo prximo sbado (15), s 9 horas, Soroca-ba ganhar o Jardim Botnico Irmos Villas Bas. O prefeito Antonio Carlos Pannunzio vai inaugurar esse novo espao destinado ao lazer, pesquisas acadmicas, educao ambiental e preservao do meio ambien-te. Com uma rea de aproximadamente 70 mil metros quadrados, o novo carto postal da cidade est localizado numa rea entre as ruas Pedro Wurschig e Miguel Montoro Lo-zano, no Jardim Dois Coraes, prximo ao Parque das guas. Ser um espao de pes-quisa e de lazer para a populao, explica Jussara de Lima Carvalho, secretria do Meio Ambiente. Entre os espaos do Jardim Bot-nico, com uma rea de 500 m2, surge o Pala-cete de Cristal que ser o principal edifcio do Jardim Botnico de Sorocaba e chama a aten-o de quem passa prximo ao local. O prdio teve como referncias os Palcios de Cristal de Londres, de Petrpolis e de Curitiba.

    Subveno a entidades

    A Cmara Municipal aprovou na quinta-feira (6), aps a sesso ordinria, o Projeto de Lei, de autoria do Executivo, que prev a con-cesso de subveno mensal s entidades benefi centes que desenvolvem programas e projetos na rea de educao. O repasse referente ao perodo de janeiro a dezem-bro de 2014 j est previsto no Oramento Municipal e representa cerca de R$ 580 mil mensais. No total so 18 entidades contem-pladas no projeto.

    Ang

    lic

    a Es

    trad

    a/Pr

    efei

    tura

    de

    Itu

    Seco

    m/ C

    mar

    a de

    Sor

    ocab

    a

    ARQUIVO ABERTO

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 3ARQUIVO ABERTO

    ARTIGOEmendas retiradas O vereador Rodrigo Manga (PP) chegou a apresentar emenda ao projeto prevendo suplemento de 10% do repasse destina-do, exclusivamente, para a manuteno das sedes das entidades, mas que foi considerada inconstitucional e arquivada pelo autor. J Irineu Toledo (PRB) questio-nou o funcionamento da creche do BOS, destacando que recebe dinheiro pblico, mas cobra da prefeitura e Cmara pelo convnio destinado aos fi lhos dos servi-dores. Irineu pretendia apresentar emen-da excluindo a creche do Banco de Olhos de Sorocaba do projeto. O presidente da Casa, Claudio do Sorocaba I falou com o secretrio de Educao, Jos Simes, que esclareceu que o repasse previsto no pro-jeto destinado as 120 vagas ocupadas pela populao em geral, constantes do cadastro nico.

    No foi votadoJ o Projeto de Lei que autoriza a Prefeitura a celebrar convnio com a Fundao Dom Aguirre, mantenedora da Universidade de Sorocaba Uniso, para a execuo do Sistema Municipal Sade Escola, no rece-beu pareceres das comisses de mrito e no pode ser votado. Antes da votao do projeto, que prev dotao oramentria no valor de R$ 1,184 milho para o pro-grama de residncia multiprofi ssional nos servios municipais de sade, os vereado-res querem ouvir o secretrio Sade e um representante da Universidade para que o valor empregado seja justifi cado.

    Em discussoO veto parcial que atinge as emendas apresentadas pelos vereadores ao Projeto de Lei do Executivo, que trata do Ora-mento 2014 do municpio de Sorocaba, foi amplamente discutido na sesso da Cmara de quinta-feira (6), e, devido ao fi m do tempo regimental, abrir a pauta da prxima sesso. Na justifi cativa do veto, o Executivo reconheceu que as emendas contemplaram assuntos de extrema im-portncia para a populao, mas entendeu que a maioria delas era inconstitucional ou comprometia o equilbrio fi scal do munic-pio ao no apontar fontes de recursos.

    Culpa do SauloO lder do Governo, Jos Francisco Mar-tinez (PSDB), lembrou que j na votao das emendas, a Comisso de Economia e Finanas opinou pela falta de rubrica e outras incorrees de ordem tcnica em algumas das emendas aprovadas. Marti-nez mencionou que o grande nmero de emendas apresentadas pelo vereador Saulo do Afro Arts (PRP) comprometeu os recursos para emendas de outros parlamentares, extrapolando o Ora-mento Municipal em R$ 40 milhes e explicou ainda que no h possibilida-de de vetar emendas isoladas, pedindo

    o acatamento do veto. Faz o que querPara Izdio de Brito (PT) o veto vai contra a legitimidade dos parlamentares em apre-sentar emendas ao oramento. O parlamen-tar pediu a derrubada do veto em nome da autonomia da Casa. Marinho Marte (PPS) tambm ressaltou o valor do Legislativo. J Tono Silvano (PMDB) afi rmou que as emen-das so um engodo. O prefeito far aquilo que ele quer fazer, disse.

    Pea de fi co

    Rodrigo Manga (PP), membro da Comis-so de Finanas e Economia poca, falou sobre o mrito das emendas, que, para ele, no poderiam ser barradas pe-los demais vereadores. Anselmo Neto (PP) lembrou que a pea oramentria prev aes, no obriga sua execuo, portanto, em sua opinio, o prefeito deveria vetar aquilo que extrapolou os valores e execu-tar o que achasse importante. Com mani-festao semelhante, Jos Crespo (DEM) afi rmou que o oramento uma pea de fi co, mesmo no que se refere s aes previstas pelo Executivo.

    Seco

    m/ C

    mar

    a de

    Sor

    ocab

    a

    AtrapalhouIzdio afirmou que a CPI constatou a desorga-nizao do servio municipal de sade e des-tacou que a grande difi culdade da comisso foi quanto resposta dos requerimentos, que extrapolaram, em muito, o prazo e ainda ao con-tedo destas respostas que deixaram a desejar.

    CPI da Sade fecha e reabre

    O relatrio fi nal da CPI da Sade foi entregue pelos membros na sesso de quinta-feira (6) cum-prindo os prazos previstos no Regimento Interno da Cmara. Em 180 dias, a CPI realizou mais de 30 oitivas, alm de inmeras visitas aos servios de sade. Devido importncia do tema e aos pontos pendentes, a comisso ser reaberta. O relatrio foi conclusivo, porm provisrio, pois precisamos de mais 90 dias, explicou o presidente Izdio de Brito (PT) que leu trechos do documento e fez comentrios das concluses. Conforme alterao recente no Regimento, o relatrio fi nal no foi votado e agora ser encaminhado s autoridades competentes.

    PropostasA comisso props ento que seja fei-ta a reabertura da CPI; contratao de consultoria especializada; auditoria na Secretaria de Sade e anlise tcnica dos ltimos quatro relatrios tcnicos anuais da Secretaria.

    Fora fl anelinhaPara tentar afastar os indesejveis fl ane-linhas do entorno do Parque Zoolgico Municipal Quinzinho de Barros, o vereador Fernando Dini (PMDB) acha que a soluo, solicitada em requerimento, seria a instala-o de uma base da Guarda Municipal. O Quinzinho frequentado por centenas de pessoas, principalmente crianas, durante toda a semana. Um posto da GM afastaria possveis infratores e at os fl anelinhas,

    dando mais segurana aos frequentado-res do parque, disse.

    A Mulher no IHGGSNeste Dia Internacional da Mulher, 8 de maro, s 19h30, o Instituto Histrico, Ge-ogrfi co e Genealgico de Sorocaba, co-memorar seu sexagsimo aniversrio de fundao, homenageando a mulher soro-cabana, com especial destaque quelas que valorizam as coisas da gente de Sorocaba

    Francisco Pagliato

    Neto empresrio e educador

    Sempre digo que ser ele-gante ser verdadeiro, honesto com o outro e consigo mesmo. saber perder, jogando limpo, de cabe-a erguida com toda integridade possvel. Agir com a mesma classe ao se dirigir aos humildes como ao portar-se com poderosos; ser gentil com quem nos serve da mesma maneira com quem servi-mos. Gente elegante, termina re-laes profi ssionais ou pessoais e sai pela porta da frente; nunca fala mal do trabalho ou amor antigo.

    Olhem, meus caros, elegn-cia nada tem a ver com posses, dinheiro ou poder; ao contrrio, geralmente trata-se de um grfi -co oposto, claro que com nobres excees. Seguramente voc j est pensando em um monte de pessoas elegantes e deselegantes; espero que sua lista dos elegantes seja maior e que possamos a cada dia viver em ambientes nobres e enriquecedores, como diz a m-sica do Lulu Santos, que canta ... gente fi na elegante e sincera.

    Eu, um senhor a caminho dos quarenta e cinco anos, bem vi-vidos graas a Deus, tenho feito dessa mxima um valor funda-mental em minha vida profi ssio-nal, familiar e afetiva, desejando a voc, meu caro leitor, o mesmo, ou seja, vida com elegncia, pois isso tambm vida saudvel para nos-sas mentes e coraces. Um beijo sincero e elegante no seu corao meu amigo(a) leitor(a) e uma se-mana cheia de luz.

    Como disse Nietzsche em As-sim falava Zaratustra, escrevo para todos e para ningum; o chapu veste sempre quem quer, talvez at voc que l este artigo. Pense nobre, elegantemente e boa semana.

    Elegante

  • 4 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014ARQUIVO ABERTO / ARTIGOS

    ESPAO DO RUI

    Rui Batista de Albuquerque Martins jornalista e publicitrio

    Um ano s de festa?

    Vanderlei Testa jornalista e publicitrio

    leia este e outros artigos dirios de Vanderlei Testa no Portal

    www.jornalipanema.com.br

    VANDERLEI TESTA

    Dia da Mulher e a famlia Del Mastro

    Ipanema Sistema Grfico e Editora Ltda

    DiretoriaFrancisco Pagliato Neto

    Juliana Camargo Pagliato

    EditorBenedito Urbano Martins MTB 36504

    Gerente Geral - Jornal IpanemaWilson RossiAv. Juscelino Kubitschek de Oliveira, 199

    Lageado - CEP 18.110-008 - Votorantim - SPFone (15) 2102-0300 - Fax (15) 2102-0302

    PARA ANUNCIAR:[email protected] / 2102-0320 / 2102-0323 / 2102-0325 / 2102-0327 / 2102-0330

    [email protected]ma.com.br ________ [email protected] ________ [email protected] _______ 2102-0330fi [email protected] ______ [email protected] _______ [email protected] ______ [email protected] - 2102-0340/ 2102-0342___________________________________________

    Os artigos assinados no representam necessariamente a opinio do jornal, sendo da inteira responsabilidade dos seus autores.

    CNPJ - 01.142.640/0001-07

    PORTAL DO JORNAL IPANEMA: www.jornalipanema.com.br

    Gerente de ProduoRoberval Fernandes de Almeida

    DiagramaoJefferson Cascali de Lima

    Tiragem - 30.000 exemplaresDistribuio - Sorocaba e Regio

    Na passagem de ano de 1981 para 82 eu estava no Rio de Janeiro, na praia de Copacabana. Fogos em cascata cobriam as paredes do Hotel Meridien e iluminavam a praia de Copacabana. Um msico carioca disse-me: Este ano vai passar rpido. Logo vem o carnaval, depois a Copa do Mundo, eleies e o natal. Vai ser um ano s de festa! Concordei. E esse mesmo fi lme est se repetindo. Nem bem o carnaval passou e j est em pauta a Copa do Mun-do, desta vez no Brasil. Que festana!

    Na quarta-feira de cinzas eu refl eti sobre as mu-danas do comportamento. Quando criana, lembro que o carnaval era comemorado em trs dias. Depois, os fi eis compareciam s igrejas catlicas para pedir perdo pelos pecados e tinham a cruz sinalizada na testa, com cinzas. A crena popular dizia coisas hor-rveis, como pessoas que utilizavam mscaras do dia-bo e elas fi caram grudadas em seus rostos. Castigo? Os mitos desapareceram. Agora o carnaval acontece muitas vezes ao ano. Toda boa festa termina em car-naval. o cardpio dos msicos. Ainda, neste fi nal de semana teremos o desfi le das escolas campes e, na Copa, o carnaval vai acontecer pelas ruas do Brasil.

    Carnaval cultura. O desfi le das Escolas de Samba d aulas de histria. Quem dana e quem assiste comemora. a exploso da liberdade des-de que o primeiro entrudo aconteceu no Brasil por volta de 1640, embora a origem do carnaval tenha acontecido h mais de 6.000 anos no Egito, em comemorao s colheitas. Alastrou-se pelo Medi-terrneo e Europa, em especial na Roma Antiga e, mas tarde, em Veneza, onde carnavais suntuosos marcaram histria.

    Acessei a TV Cultura de So Paulo, a segunda melhor do mundo e a primeira do Brasil em quali-dade de programao. O economista e professor Antnio Corra de Lacerda, da PUC, comentava a greve dos garis no Rio de Janeiro, onde monta-nhas de lixo se misturam ao roteiro dos turistas. Ele lembrou que esse servio exige melhores sa-lrios, porque com a oferta de emprego em outras funes, poucos se sujeitam a trabalhar nessa atividade pesada. O mesmo acontece em outras profi sses, como a de empregada domstica, luxo permitido a poucos nos pases de primeiro mun-do. Lembrou que na Sua os polticos se reuniram e decidiram impedir a entrada de estrangeiros no pas. Porm, um deles alertou: Preparem-se, por-que vocs tero que limpar a prpria privada. E a proposta foi recusada por 80% dos presentes. No fi nal, Corra de Lacerda comentou: Gostamos de falar sobre educao. Sabemos a importncia que ela tem para o desenvolvimento do pas, mas vira-mos s costas para ela. Os professores do ensino bsico ganham mal e nem mesmo os pais se com-prometem com a educao dos fi lhos.

    Ento, o que devemos fazer para o Brasil ser um pas alegre, feliz e justo alm do carnaval?

    Imagine carretis de linha sendo girados em teares, equipamentos para fabricar tecidos. Essa cena passou pela minha memria nesta semana quando encontrei o Ernesto Del Mas-tro e seu fi lho Ronald Prado Del Mastro, quase que por providncia, ao levar meu notebook para consertar. Volto ao tear para contar que os pais do Ernesto eram amigos do meu pai e da minha me, no bairro Alm Ponte. O casal Encarnao e Batista tinham uma tecelagem na rua Comandante Salgado quando ainda eu estava nos meus primeiros anos de vida. Mi-nhas idas ao barraco txtil do Joo Batista Del Mastro com meu pai segurando na minha mo fi cou na lembrana. O tempo passou, nossos pais partiram deste mundo e na distncia da convivncia fui encontrar o Ernesto na Facul-dade de Administrao de Empresas na dca-da de 70, onde cursamos a mesma escola. Seus irmos Edson, Antnio Carlos e Edna Del Mas-tro eram amigos dos meus dois manos Darci e Ernesto. Fazia uns 20 anos que no encontrava o Ronald. Hoje, casado com a Patrcia, diretor proprietrio de uma empresa de informtica, uma das maiores da cidade. Corintiano como os pais Ernesto e Ldia formado nas primeiras turmas da Faculdade de Engenharia Eltrica-

    Facens. A ousadia e viso empresarial levou o Ronald a ser independente em um segmento de mercado que evoluiu muito no mundo. Da-queles teares de seus avs tecnologia digital sendo conduzida pela gerao dos Del Mastro demonstra como na vida somos movidos aos desafios. Hoje, o silncio de tantas tecelagens que existiam no Bairro Alm Ponte, como a Fbrica Santa Maria, me fez recordar tambm das ope-rrias que iam trabalhar e passavam em frente minha casa na rua Santa Maria. Minhas tias, Helena Mdolo, Amlia Ribeiro, Clarinha Gmbaro, minha me Carmela, familiares, vizinhas e milhares de mulheres deram os melhores anos de suas vidas produo de tecidos em Sorocaba. Neste dia 8 de maro, a homenagem ao Dia da Mulher e famlia Del Mastro pela contribuio valiosa que deram ao desenvolvimento txtil da cidade e ao mundo na informtica.

    Companheira, uma data para celebrar? Sim, apesar de tudo que temos visto mundo afora. Infelizmente, a realidade de boa parte das mulheres no coincide com o que gos-taramos de celebrar neste 8 de maro, Dia Internacional da Mulher. No entanto, convm lembrarmos das conquistas que j foram al-canadas com duras batalhas.

    Ainda assim, acredito que a palavra que melhor se encaixe no contexto atual seja refl exo. Digo isso, com base em estudos divulgados recentemente que mostram o constante aumento no nmero de casos de estupros, mutilaes genitais, violncias do-msticas em mulheres de todo mundo.

    No apenas o ndice que nos espanta, mas, sobretudo, a fragilidade dos governos em lidar com o tema. Mesmo com a escan-carada exposio da mdia de casos como os mencionados acima, nada parece convencer a sociedade moderna de que, em pleno scu-lo XXI, no tenhamos alcanado a igualdade na lei e no dia a dia.

    A verdade que, parte desses aconteci-mentos, fruto das velhas questes religiosas e patriarcais, grandes entraves na conquista por direitos igualitrios, culturais, religiosos,

    Dia da Mulherprofi ssionais. Enquanto parlamentar tenho buscado, constantemente, fomentar as dis-cusses que garantam os direitos das mu-lheres em sua totalidade. Desde o incio de minha vida poltica, consegui aprovao de cinco projetos de lei que colocam a mulher na linha de frente da sua prpria histria.O mais recente, de nmero 12.845/ 2013, visa atendimento imediato, multidisciplinar e gratuito s vtimas de violncia sexual, num hospital pblico ou credenciado ao Sistema nico de Sade (SUS).

    No entanto, minha luta, continua sendo para que tais crimes sequer sejam come-tidos. No ano passado, elaboramos uma cartilha com informaes importantes para as mulheres e que est disposio no meu escritrio Rua Manoel Jos da Fonseca, 446, centro/Sorocaba. Ns podemos tudo. Ns podemos mais.

    Iara Bernardi deputada federal

    Douglas Valle

    A Equipe Ipa & Bola Futebol Show transmite neste sbado (8) a partida entre So Bento x Guara-ni s 16 horas, direto do estdio Walter Ribeiro (CIC). O ouvinte tambm ficar sabendo de tudo sobre o jogo Ituano x Atltico Sorocaba, jogo que acontece s 18h30, no estdio Novelli Junior, em Itu.

    As equipes de Sorocaba entram em campo em situaes contrrias neste campeonato. O So Bento, lder do Paulisto da srie A2, recebe o Bugre Cam-pineiro que almeja uma vaga no chamado G4 da competio. Para esta partida o tcnico Paulo Rober-to Santos ter o retorno do atacante Elton Luiz, que passou os ltimos 10 dias no departamento mdico do clube.

    A diretoria beneditina vai promover uma ao especial para as mulheres que forem ao CIC recebe-ro uma homenagem especial da diretoria em ao conjunta com a Associao Comercial de Sorocaba.

    A narrao da partida de Gerson Junior com

    ESPORTES

    Tem So Bento e clssico ao vivo na Ipanemareportagensde Bruno Mendona, Luciano Rodri-gues e Douglas Valle e rico Bueno nos comentrios, alm de Luciano Leo que comanda o humor com o personagem Vio Juvenal. A operao tcnica de Pedro Oliveira e Alex da Matta e tem no comando Paulo Roberto Junior.

    J o Atltico Sorocaba ter uma misso quase im-possvel neste sbado. O time do tcnico Roberto Cavalo no pode pensar em outro resultado que no seja a vit-ria diante do Ituano no estdio Novelli Junior.

    A Equipe Ipa & Bola- Futebol Show fecha o final de semana com transmisso do clssico Corinthians x So Paulo, direto do Pacaembu. Neste jogo ambas as equipes lutam por uma vaga s quartas de final do Campeonato Paulista. A transmisso dessa parti-da ser de Alexandre Moreto, com Bruno Mendona nas reportagens e Djalma Luiz Benette (Deda) nos co-mentrios. O futebol poder ser acompanhado pela Rdio Ipanema (91,1MHz ) ou pelo site www.ipafm.com.br e aplicativos para smatphones disponibiliza-dos de maneira grauita no site da emissora.

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 5

  • 6JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    O fotgrafo Vand Rodriguez e a produtora de moda Juliana Rolim selecionaram algumas mulheres poderosas e de vrios segmentos para a Exposio Mulheres Fora e Beleza, em homenagem ao dia Internacional Da Mulher, comemorado neste sbado (8). O shopping Iguatemi Esplanada foi o local escolhido para a exposio que vai at o dia 16 de maro. Ive got the power! Duvide para voc ver o que acontece. A exposio uma analogia da fora da mulher e o cavalo, animal do horscopo chins em 2014.

    Mulheres Poderosas

    PAULINHO GODOI

    [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    6 P

    Sueli Chaves

    Aline Peres Pereira

    Andreia Fiamma

    Carla Kawamoto

    Helo Muraro Tatiana Abro Daniele Rubinato

    Juliana PagliatoMarina Camargo

    Valquiria Moraes e Souza Simone Sanches

    Fotos: Vand Rodriguez

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 7JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 7

  • 9JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 20148

    Will sempre rene um pblico ecltico em suas festas e seu baile de mscaras j entrou para o calendrio do Carnaval sorocabano e desta vez foi na nova casa noturna da cidade, a E-Dub II. Decorao de Fbio Carvalho. O som fi cou por conta de Salada Samba Rock e grupo Descendo a Serra. Para os baladeiros depois Will e DJ Valente assumiram as pick ups .

    Baile de Mscarasj tradio

    Muita animao no

    O sbado de Carnaval foi de muita agitao e beleza nos sales do Ipanema Clube. Todos

    sambaram at a madrugada com roupas coloridas e fantasias.

    Ipanema Clube

    Roberta Pimenta, Fernanda Pintor, Estela Festa e Ana Claudia Minelli Giovana Brait e Stephanie Muraro Tagliaferro Will Baptista Tnia Leonetti Lopes e Marcela Lettr Felamingo Otacilio Campos da Rocha Cibeli Strutz Barroso e Fabinho Bilbao

    Maurcio Barisson Adriano Rodrigues Adriana Steff en e Lauren Doretto Daniela Colli Luiz ,Serginho Krica e Lcia Ticiana e Ariane Rafael Rosa e Felipe Monaldo Fernando Dini

    PAULINHO [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    PAULINHO [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

  • 10JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 201410

    ROTEIROGOURMET

    Moussaka

    INGREDIENTES

    500 g de berinjelas fatiadas finas, em sentido longitudinalSal a gosto1/2 xcara de ch de azeite de oliva2 cebolas mdias picadas500 g de carne moda (carne magra)3 tomates sem pelo e sem sementes1 xcara de caf de cachaa1 colher de ch de pimenta do reino1 colher de ch de canela em p1 colher de caf de noz-moscada1 colher de sopa de farinha de roscaMolho branco:2 colheres de sopa de manteiga ou margarina2 colheres de sopa (rasas) de farinha de trigo500 ml de leite1 colher de ch de noz-moscadaSal a gosto150 g de parmeso ralado

    MODO DE PREPAROColoque as fatias de berinjela em gua e sal e deixe por 20 minutosEscorra bem at tirar todo o excesso de guaGrelhe as fatias de berinjela em frigideira untada com margarina culinria e reserveColoque o azeite na panela e refogue as cebolas, junte a carne moda e mexa at dourarAcrescente os tomates, a cachaa e todos os temperosDeixe em fogo baixo por 30 minutos at que seque quase todo o lquidoFicar um molho espessoAdicione a farinha de rosca, retire do fogo, misture bem e reserveBata no liquidificador todos os ingredientes do molho branco - exceto o queijo parmeso - coloque o lquido em uma panela e leve ao fogo, mexendo sempre at engrossarReserve

    Montagem:Em um refratrio untado com manteiga, faa uma camada de berinjela, depois uma camada da carneIntercale as camadas at finalizar com uma camada de berinjelaCubra com o molho branco, espalhe o queijo ralado e leve ao forno pr-aquecido, a 200, por aproximadamente 40 minutos

    INGREDIENTES 1/2 caixa de quinua em gros (250g) 1/2 colher (ch) de pprica 2 colheres (sopa) de azeite 1/2 colher (sopa) de gengibre ralado 1 cenoura ralada 1 colher (sopa) de tempero pronto 1 tomate sem pele e sem sementes picado 1 colher (sopa) de cebolinha verde picada

    MODO DE PREPARO1. Em uma panela, ferva um litro de gua2. Coloque a quinua e a pprica e cozinhe por cerca de 20 minutos em panela tampada3. Desligue o fogo, escorra a gua e reserve4. Em outra panela, aquea o azeite, doure o gengibre e refogue a cenoura5. Desligue o fogo e misture a quinua cozida, o tempero pronto, o tomate e a cebolinha6. Rendimento 10 pores

    QuinuaSalada de

    Gavies da Fiel

    Imprio Parque das guas

    Unidos do Cativeiro

    Planeta Negro

    [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    GABY CAMARGO PUSTIGLIONE

    Mais uma vez, as Escolas de Samba de Sorocaba deram um show no sambdromo da avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes - Alto da Boa Vista. Parabns a todos os integrantes da Estrela da Vila, 28 de Setembro, Carinhosa da Nova Esperana, Furiosa Real, Gavies da Fiel, Imprio Parque das guas, Planeta Negro e Unidos do Cativeiro.

    O brilho das escolas de samba de Sorocaba

    Fotos: Emerson Ferraz e Alexandre Lombardi / Secom PMS

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 11 [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    1GABY CAMARGO PUSTIGLIONE

    Carinhosa da Nova Esperana 28 de Setembro

    Estrela da Vila Furiosa Real

    A Estrela da Vila sagrou-se campe do Carnaval 2014. Na disputa do carnaval sorocabano, a 28 de Setembro fi cou em 2. lugar, a Gavies da Fiel em 3. lugar e a Planeta Negro em 4. lugar. Um pblico de aproximadamente 10 mil pessoas compareceu no sbado (1) e no domingo (2) "Passarela do Samba".

    Estrela da Vila: campe 2014

  • 12JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    Lenteda Re

    No [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    RENATA MOECKEL2

    muito bacana quando voc conhece algumas pessoas, desde o tempo da adolescncia. Adora que sejam seus amigos, as quer bem e admira por serem doces, gentis, alegres, especiais. Mais bacana ainda: essas pessoas se casam, formam uma linda famlia, criam os fi lhos com a mesma grandeza e, depois de passados alguns anos, continuam as mes-mas riquezas de sempre... Assim so Ana Maria e Luiz Fernando Oliveira, este lindo casal por quem tenho um carinho gigante.

    O produtor cultural Marco de Almeida. Cidado do mundo, que nos oferece eventos culturais de primei-rssima linha, por meio de seu trabalho primoroso e dedicado. Neste sbado (8), por exemplo, tem incio a 5 temporada do projeto Schaeffler Msica, com grandes nomes e intrpretes da msica clssica. Mais? No prximo dia 15 tem incio a temporada 2014 do projeto Metso Cultural, que ter shows ao ar livre com

    Jnia e Vania Moraes, que vivem e trabalham na Inglaterra h 15 anos, acabam de avanar profi ssio-nalmente, inaugurando a agncia Hello Oxford, que tem como objetivo acompanhar, do incio ao fi m, todo o processo do intercmbio de estudantes brasileiros, que cursaro a CIE (College of Internatio-nal Education). Atravs da nossa experincia aqui (na Inglaterra), podemos preparar o aluno para encarar situaes que, primeira vista, trazem ansiedade, como a referente escolha da escola, transporte, alimentao, ou como interagir com a famlia inglesa, entre outras, contou Vania. E sobre a CIE explicou: A escolha de representar esta escola em particular surgiu depois de longos meses de pesquisas, visitas e anlises cuidadosas sobre escolas particulares de In-gls de Oxford. Esta uma escola pequena, com qua-se 50 anos de experincia, que possui um excelente programa educacional, mesclado com atividades e excurses planejadas para enriquecer a estada e a tornar inesquecvel. Os interessados podem enviar e-mail para: [email protected]

    Foi demais !Mais de mil pessoas estiveram Nos Jardins Suspen-sos da Babilnia, tema escolhido para o carnaval 2014 do Ipanema Clube que, na verdade comeou com a divina Feijoada do Ipa!. Com o clube linda-mente decorado por Eduardo Honora, com mais de cem pessoas trabalhando na equipe do Buffet Antonioni (Nicolau e equipe fora de srie), ao som de muito samba e com animao contagiante, a tradicional feijoada se transforma em um evento memorvel, que se supera, de fato, a cada ano. Para coroar a festa, ningum menos que Neguinho da Beija-Flor subiu ao palco e arrasou. Ao final da tarde, a festa seguiu pela rua Sete de Setembro com os convidados atrs do trio eltrico. Parabns direto-ria do Ipanema, em especial social, nas pessoas de Salete Mussi e Tereza Callegari, que do um show parte quando se trata de grandes festas! Tem muitas fotos by Juliana Moraes em nossa coluna no portal www.jornalipanema.com.br.

    OxfordHello

    Novidades do front

    Romantismo e delicadeza nos novos mo-delos de alpargatas Havaianas. Com de-talhes minimalistas, tecido stretch, tons pasteis e palmilha tambm estampada, o produto est ainda mais charmoso.

    homenagens a Chico Buarque de Holanda e Tom Jobim. Marco de Almeida merece destaque constante pois, atravs dele, nossa cidade e regio tem grandes oportunidades de consumir cultura da melhor qualidade. Sorte a nossa em t-lo por perto... A programao completas dos projetos esto em nossa coluna no Portal www.jornalipa-nema.com.br.

    Acessrios vazados. Essa tendncia apareceu com fora total nos desfi les internacionais de Vero 2014 e agora virou febre. O aspecto vazado foi bem explorado e evidenciado com brincos, colares e braceletes. Os recortes nas peas so detalhes estratgicos, dando um ar mais leve e sofi sticado. Dourados, prateados e metalizados so algumas das texturas presentes nesses tens.

    Aces

    srio

    s Ba

    lon

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 13

    Pra Jak!por Jak Catena

    JAK CATENA 1A [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    >> O Carnaval colocou ainda mais em ascenso o poder das mulheres. E aproveitando que neste sbado (8) o nosso dia, fi ca uma refl exo de uma mulher que evidencia Sorocaba com seu trabalho no MACS: hoje especialmente as mulheres tm o poder de seguir com uma histria nica e, por vezes, medocre ou arriscar, criando uma exemplar e invejvel. Trabalho todos os dias incansavelmente para que a minha seja simplesmente autoral. Cristina Delanhesi, presidente do Museu de Arte Contempornea de Sorocaba.

    Simples assim

    Use com Cuidado* A feijoada! Porque sempre sobra uma obra, alheia, e de autor desconhecido. O cheiro vem empacotado, tipo fl oresta em chamas. E o mundo fi ca surdo nessa hora, no de ningum, e ningum solidrio. Se passa um fi scal da ONU, d voz de priso. Arma qumica, gs mostarda. Crime hediondo pouco. Hahahaha.

    Durma com essa!

    No Carnaval as mina pira e os mano come. Em novembro as mina pari e os mano some!!!!!!!!!!!!

    >> Nesse vai-e-vem de feriado prolongado, teve muita gente que j estava engatado... mas como cada um foi para o seu lado... sobrou para marchinha Eu queria voc aqui, mas voc est a e o a no tem ideia da sorte que ele tem!

    @Trip=Entrelinhas>> Coisas que s o Carnaval faz por voc!

    >> Em Votorantim o Bloco Unidos do Copo Cheio, do Rio Acima, veio abaixo na Praa Lecy de Campos onde estavam as mulatas do Sargentelli!!

    >> Em Sorocaba teve desfi le das escolas de samba, marchinhas nos bares e bailes nos sales do Ipanema Clube. E nada de ordem nessa deliciosa confuso!!

    >> Teve o Baile de Mscaras da Ego foi o bhafo, teve go-go-boy e go-go-girl entre os mais diversos e brilhantes mascarados.

    >> Pra quem nunca tinha visto o Hangar 51 lotado durante o dia, se esbaldou com o CarnaRock. O CarnaFervo do Mandala foi tambm um dos mais agitados e bem frequentados.

    >> Veja nas fotos os melhores momentos dessa moada!

    Monica Ercolim

    Larissa Spagnuolo no Edub

  • 14JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    Sou absolutamente contra dar esmolas. Ao fazer isto, estamos incentivando essas pessoas a fi carem nas ruas, expostas a todo o tipo de perigos. Alm disso, sabe-se que o dinheiro da esmola, muitas vezes, utilizado para fi nanciar o uso de drogas. Ento, quando tomaremos conscincia?

    #atquando?

    Elaine Scapol comemorou seus 50 carnavais em festa animadssima e perfeita em todos os detalhes. Alegria o que traduz Elaine e sua festa foi alegre demais. Sabe quando voc se sente totalmente vontade para se divertir? Pois ... foi assim...para mim, a melhor festa do ano! E mais: os convidados doaram cestas bsicas que foram distribudas para os carentes. No demais essa minha cunhada?

    #50Carnavais

    #OremosEstou orando por voc que tenta comprar a sua conscincia ao tirar uma moeda de R$ 0,50 do bolso e dar a um pedinte.

    #DicaDoAlVoc deve ajudar o prximo, mas em causas nobres e projetos srios. Existem mil maneiras de realmente ajudar as pessoas, sem ensin-las o caminho cmodo de ganhar a vida.

    Elaine Scapol

    S gatas

    Luiza e Camila Scapol

    Adilson e Elaine Scapol Bruna Scapol

    CORPO EM FORMA& SADEALE SCAPOL

    [email protected] / mais fotos: www.jornalipanema.com.br

    L 14

    Pesquisa clnica: realidade que traz o Brasil a uma novaera de acesso a medicamentos novos

    Pesquisa Clnica um trabalho cientfi -co envolvendo seres humanos para avaliar e observar a ao dos medicamentos em um determinado tipo de doena.

    Qualquer investigao em seres hu-manos, objetivando descobrir ou verifi car os efeitos farmacodinmicos, farmaco-lgicos, clnicos e/ou outros efeitos de produto(s) e/ou identifi car reaes adver-sas ao produto(s) em investigao com o objetivo de averiguar sua segurana e/ou efi ccia. (EMEA, 1997).

    Com a histria do Beagles de So Ro-que, gerou uma grande confuso na cabe-a das pessoas, pois muitos ainda acham que os indivduos que participam destes estudos so cobaias!

    No! Os pacientes que participam de Pes-

    quisa Clnica so voluntrios. Voluntrios so indivduos que desejam participar por livre e espontnea vontade em um estudo de Pesquisa Clnica e do o seu consenti-mento para isto, seguindo severas regras. J cobaias so indivduos ou animais sub-metidos a testes sem seu consentimento.

    Antes de participar de um estudo, o voluntrio esclarece todas as suas d-vidas, Le e assina o Termo de Consenti-mento de Livre e Esclarecido (TCLE), um documento elaborado pelo pesquisador e aprovado pelo Comit de tica em Pesqui-sa ( CEP) que descreve como ser conduzi-do o estudo, fornece os riscos potenciais e as informaes mais importantes para quem ir participar. . Durante o andamen-to da pesquisa, caso seja a vontade do vo-luntrio, ele pode se retirar em qualquer

    momento, sem nenhum prejuzo para ele, voluntrio.

    O CEP um rgo institucional, com-posto por cidados representantes de di-ferentes setores da comunidade civil e re-ligiosa, responsveis pelas decises sobre a tica de pesquisas para assim proteger a integridade e direitos dos voluntrios par-ticipantes.

    At chegar a etapa de Pesquisa Clnica, os tratamentos j passaram por outros tes-tes, para assim iniciar testes em pacientes, e so testados simultaneamente em diversos pases, para se ver as diferenas regionais ge-nticas, que podem alterar o tratamento , e tambm para que se possa fazer em um cur-to espao de tempo, pois quanto mais rpido consegue-se um nmero estatisticamente signifi cativo, mas rpido estas novas terapias estaro disponveis para a populao geral.

    Com a pesquisa clnica, muitas notorie-dades e pessoas simples tiveram acesso a medicamentos em desenvolvimento, muito antes de entrarem no mercado e, com isto fi zerem mudar a realidade, ampliar a expec-tativa de vida e em muitos caso chegar a cura.

    Martti Antila alergologista

    Fotos: Leandro Soldera / Sociais.com

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 15CAPA

    palavra-chave para a sade daPreveno a

    Cida Haddad

    No Dia Internacional da Mu-lher, comemorado neste sbado (8), um dos temas que mais chama a ateno de mulheres de todas as idades a sade. A mdica mastologista Alice Francisco afi rma que sade est li-gada preveno, hbitos saudveis, como alimentao balanceada (para a manuteno do peso), atividade fsica e check-up com consultas a gi-necologistas, por exemplo.

    A sade da mulher, afi rma Alice, tem um ponto que sempre lem-brado e que gera at campanhas como o Outubro Rosa: a preveno ao cncer de mama. Isso no toa, con-forme explica, j que entre as mulheres o nmero de casos de cncer de mama est em primeiro lugar.

    Segundo dados do Instituto Na-cional do Cncer (Inca), para o Bra-sil, em 2014, so esperados 57.120 casos novos de cncer de mama, com um risco estimado de 56,09 casos a cada 100 mil mulheres. De

    Quando o assunto cncer de mama, a faixa etria que chama a aten-

    o a dos 40 anos em diante, com maior incidncia de casos, por isso a im-

    portncia de exames para a deteco. A mdica mastologista alerta tambm

    para casos que so vistos fora dessa faixa etria, em mulheres mais jovens e nas quais

    as doenas tm caractersticas mais agressi-vas. Novamente, a preveno considerada

    palavra-chave com consultas anuais a gine-cologistas e mastologistas e o autoexame.

    Muito se fala sobre os fatores de risco do cncer de mama, como o histrico familiar, no

    ter tido fi lhos, mas independente dos fatores de risco, algo que preconizado pelos mdicos,

    garante Alice, que os exames de mamografi a devem ser feitos a partir dos 40 anos. A questo

    tem gerado discusso entre sociedades mdicas quando o assunto mamografi a feita pelo Siste-

    ma nico de Sade (SUS). Segundo dados do Mi-nistrio da Sade (www. portalsaude.saude.gov.br),

    o Sistema nico de Sade garante a oferta gratuita de exame de mamografi a para as mulheres brasilei-

    ras em todas as faixas etrias. A faixa dos 50 aos 69 anos defi nida como pblico prioritrio para a rea-

    lizao do exame preventivo pela Organizao Mun-

    acordo com os levantamentos, sem considerar os tumores de pele, esse tipo de cncer o mais frequente nas mulheres das regies Sudeste (71,18/ 100 mil), Sul (70,98/ 100 mil), Centro- Oeste (51,30/ 100 mil) e Nordeste (36,74/ 100 mil). Na regio Norte, o segundo tumor mais incidente (21,29/ 100 mil).

    Ateno aos 40 anos em diantedial de Sade (OMS) e seguida pelo Ministrio da Sade baseado em estudos que comprovam maior incidncia da doena e maior efi cincia do exame. De acordo com a mastologista, entre os tpicos da discusso est a faixa etria priorizada, entre 50 e 69 anos, pois a preveno, desse modo, considerada tardia.

    A mastologista apresenta alguns dados que comprovam a preocupao dos mdicos. A cida-de de Goinia tem alguns estudos epidemiolgi-cos bem interessantes sobre cncer de mama e mulheres entre 40 e 49 anos que correspondem a mais de 40% dos casos de cncer de mama na-quele municpio. Em Curitiba, isso de 35 a 40%. O que a Sociedade Brasileira de Mastologia orien-ta e o que ns mastologistas recomendamos o exame anual aps os 40 anos, claro que o exame clnico das mamas deve ser feito em qualquer ro-tina e o autoexame continua sendo incentivado, comenta.

    Ela afi rma que a mamografi a um raio-x da mama e foi aprovada para ser usada nos rastre-amentos e h algumas alteraes que podem indicar o incio de um cncer que s so vistas na mamografi a; j o ultras-som um mtodo importante, na opinio dela, porem um com-plemento no rastreamento do cncer de mama.

    comm umum rriscoc eststimmadado de 556,09cacac ssos aa cacadada 110000 mmmilil mmulherees. DDe e

    rarass ememm tttododaaannoss defiefinn

    lilizaza o o dodo eexx

    g , gmais inccididenntete (((21211,2,2,29/9/ 11000000 mmil).

    Alice Francisco, mastologista

    Srgio Ratto

  • 16JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    CAPA

    Quando o assunto sade da mulher, o HPV, sigla para Papilomavrus Humano, no pode ser esquecido garante a ginecologista e obstetra Cleidiane Alcolea. Ela explica que o HPV um vrus altamente contagioso e con-siderado uma Doena Sexualmente Transmis-svel (DST). A forma de contgio basicamen-te sexual e existe uma mnima porcentagem de infeco por outro tipo de contato.

    De acordo com Cleidiane, existem em tor-no de 200 subtipos do vrus HPV e pesquisas direcionaram dois tipos de vacinas para qua-tro subtipos: HPV 6, 11, 16 e 18. Os dois primei-ros esto relacionados s verrugas genitais e os ltimos ao cncer de colo de tero.

    Existem as vacinas bivalentes (voltadas para os subtipos 16 e 18) e a tetravalente, para os quatro subtipos citados. O vrus HPV uma das principais causas do cncer do colo de te-ro, terceiro tipo mais frequente entre as mu-lheres. Neste ano, o INCA estima o surgimento de 15 mil novos casos da doena.

    As vacinas tambm so encontradas em clnicas particulares e a mdica comenta que existe um protocolo em que a vacinao pode ser feita dos 9 aos 26 anos, mas que o ideal que seja antes do incio da atividade sexual.

    Um ponto que Cleidiane faz questo de destacar que quando se fala em contamina-o pelo HPV no quer dizer que as mulheres contaminadas tm o cncer de colo de tero, mas que 98% dos casos das mulheres que tm o cncer a infeco foi pelo HPV.

    Ela lembra que uma importante arma

    altamente contagiosoHPV vrus

    para evitar esse tipo de cncer o exame anual de papanicolau, pois um exame de alta sensi-bilidade, para deteco da leso pr-cancerigi-na. Alm do exame ginecolgico, para evitar a contaminao pelo HPV importante ter uma vida sexual saudvel e estar protegido com ca-misinha.

    A mdica comenta que h leses de forma latente, que exigem exames de captura hbrida para deteco e leses subclnicas, que no so vistas a olho nu, mas ela lembra que impossvel detectar o momento da infeco.

    Exames preventivos nas Unidades bsicas de SadeEm Sorocaba, a Secretaria da Sade

    informa que todas as 31 Unidades Bsicas de Sade realizam exames preventivos contra o Cncer de Colo de tero e o de Mama; alm de consultas ginecolgicas para as mais diversas patologias. feito o acompanhamento das gestantes com consultas e exames subsidirios, desde o incio at o fi nal da gestao.

    Na Policlnica Municipal de Especiali-dades, h especialistas para casos onco-lgicos com exames mais especfi cos (ex: colposcopia, bipsia, ultrassonografi a) e

    encaminhamento para os casos cirrgicos. Tambm no local que funciona o Progra-ma Pr-Natal de Risco, que atende gestantes com patologias que necessitam de profi ssio-nais e exames mais especfi cos e as adoles-centes ou idosas que tambm confi guram um grupo de risco na gestao.

    O nibus da Mulher, unidade mvel de sade da Prefeitura, vai at os locais de maior demanda e/ou difi culdade de acesso UBS; na unidade so realizados os mes-mos procedimentos da UBS. A agenda do nibus Rosa fi ca disponvel no site da Pre-

    feitura de Sorocaba.O Programa Geraes atende as ges-

    tantes de baixa renda e as adolescentes com equipe multiprofi ssional, cesta bsi-ca, enxoval e orientao para gerao de renda. Esse programa est inserido em algumas UBSs e na Policlnica.

    Todos os servios descritos realizam a testagem para HIV e hepatites (Campanha Fique Sabendo) e possuem equipe para orientao em Planejamento Familiar e Preveno e tratamento de Doenas Se-xualmente Transmissveis.

    Vacinao contra o HPVA Secretaria da Sade de Votorantim abrir

    todas as Unidades Bsicas de Sade neste sbado (8), para o Dia D de Vacinao contra o HPV. Nacionalmente a campanha de imunizaao ser realizada de 10 de maro a 10 de abril, mas em Votorantim, o incio ser antecipado para favorecer o acessso a quem tem difi culdades durante a semana. A imunizao contra o Pa-pilomavrus Humano, tambm chamado de HPV, destinada a meninas com idade de 11 a 13 anos.

    Todas as meninas nesta faixa etria devem ser vacinadas para estarem protegidas contra o vrus na adolescncia e vida adulta.

    O HPV tem transmisso sexual e est li-gado a cerca de 90% dos casos de cncer de colo de tero. O cncer de colo o segundo principal tipo de cncer feminino no Brasil, fi cando atrs apenas do tumor de mama.

    Para ser vacinada, basta apresentar a carteira de vacinao e estar acompanha-da por um responsvel em qualquer Uni-dade Bsica de Sade de (UBS) durante o perodo da campanha.

    Em sorocabaA Secretaria da Sade de Sorocaba, por

    meio da rea de Vigilncia em Sade, finaliza os preparativos para a campanha de vacina-o contra o Papilomavrus Humano (HPV). De acordo com a diretora da rea de Vigilncia em Sade da Secretaria, Daniela Valentim dos San-tos, a programao da vacinao em Sorocaba est sendo feita em conjunto com as escolas municipais, estaduais e particulares da cidade, que tenham alunas com 11 a 13 anos. Equipes da Vigilncia Epidemiolgica (VE) percorrero as escolas e far a vacinao das alunas nesta faixa etria, explica Daniela, que destaca a importn-cia desta ao nas escolas. Como o Ministrio da Sade ressaltou, a experincia mundial mostra que, quando a vacinao realizada em am-biente escolar, so alcanadas as maiores cober-turas, completa.

    O agendamento com as escolas da cidade est sendo realizado h algumas semanas. As es-colas que tiverem alguma dvida ou precisarem de mais informaes podero enviar um e-mail para [email protected]

    QuQ ando ooo aaaaasssssssssunununununuununtotott ssaadede dddaa a mumulher, o oHPHPV,V, sssigigiggla parra a PaPaPPP pipiiip lololoooloommmmamamamm vrus HuHumamam nono, , no popodede ssererer eesqqqueueeecicicicicc dodo ggara anananannnannantetetetetetttt aaaaaa ggggininecologgisistata

    para evitaar r ese sese ttipipo o ddede cccnnnncececec r rr o o exexxaaaxxamamame e anuall de papaniccololauau, ppoisis um exammmeee dedee alta sensi--bibililidadadede, , para deteco da llesesoo ppr-cancerigi- cancerigi

    Juliana Moraes

    Cleidiane Alcolea, ginecologista e obstetra

    Secom / PMS

  • NEGCIOS E8 de maro de 2014 - edio 757www.jornalipanema.com.brOPORTUNIDADES

    Na regio do Tru-jillo, as obras do empreendimento Torres Trujillo cha-mam a ateno.

    Jlio Reis, diretor da Reis Imveis, responsvel pelas vendas do empreendimen-to, explica que o Torres Trujillo atende s necessidades das famlias, que optam por ter poucos fi lhos, por exemplo.

    Reis defi ne o Torres Trujillo como compacto, com o conforto dos gran-des apartamentos. Entre os diferenciais ele cita a localizao como um dos benefcios, j que por perto h shop-ping center, hipermercado, alm do acesso a avenidas como General Osrio e Santos

    Regio do Trujillo

    Dumont. A questo da se-gurana tambm lembra-da, com atendimento na portaria durante 24 horas e estacionamento.

    Reis explica que o em-preendimento constitu-do de duas torres, sacada e elevador. Os apartamentos tm, em mdia, 48 metros quadrados e entre os desta-ques h sala com dois am-bientes, cozinha americana e rea de servio. Na parte de lazer h salo de jogos, salo de festas, churras-

    queira, playground e quadra de futebol. As vendas tiveram incio em janeiro e

    20% das unidades j foram comercializadas. No total so 118 apartamentos. As duas tor-

    ganha empreendimento

    Jlio Reis, diretor da Reis Imveisres j foram erguidas e as obras esto na fase do acabamento. A previso de entrega, de acordo com Reis, est entre os meses de julho e agosto e ele ressalta que entre as van-tagens esto as condies de pagamento.

    O planto de vendas fi ca na avenida Ge-

    neral Osrio, esquina com a rua Justiniano de Souza. Informaes: (15) 3019-4663.

    A realizao e construo da Sivercon Construtora Ltda; a realizao da Comi-tre Empreendimentos e Impel Comercial e Construtora e as vendas so da Reis Imveis.

    Divulgao

    Juliana Moraes

  • 2 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014FUI

    Cida Haddad

    O engenheiro Pedro Guilherme Castilho Tortello e a enfermeira Maria Carolina Lessa Tortello estiveram na Espanha, onde vi-sitaram Madri, Barcelona e Saragoa.

    Em Madri, eles contam que a Praa Maior uma grande atrao. No entorno existem vrias tavernas (bares tpicos) com ambiente rstico. um bom lugar para provar a paella, um dos pratos mais tradi-cionais da Espanha. Outra praa a ser visita-da a Praa de Cibeles, onde est a famosa Fonte de Cibeles, afi rmam.

    Espanha

    Agitao emBarcelona

    Quanto a Barcelona, eles definem o local como uma cidade bem mais agitada. H uma mescla de culturas e de estilos. Fomos at um ponto alto da cidade para uma foto panormi-ca, de l podamos ver o porto, estdios, a arena olmpica j desativada e o Marco de Colombo apontando o caminho para a ndia, contam.

    O famoso clube de futebol tambm faz parte da decorao das casas e vesturio da po-pulao. De dia ou de noite, um passeio pela La Rambla obrigatrio. L existem inmeros ba-res, mini floriculturas, mercado tpico e lojas de grifes que merecem ser visitados. Visitar o Bairro Gtico tambm uma excelente opo, conta o engenheiro. Na opinio deles, a visita imper-dvel o templo Sagrada Famlia, local que eles definem com arquitetura extremamente rica em detalhes e imagens, que foi idealizado por Gaud. Embora sua construo tenha comea-do no sculo passado, ainda est incompleto e planejam finaliz-lo at o centenrio da morte de Gaud, em 2026. Esperamos voltar para v-lo pronto!, comentam. Em Saragoa, eles estive-ram de passagem, mas tiveram tempo suficien-te para conhecer a Baslica de Nossa Senhora do Pilar, nas margens do rio Ebro, o maior templo barroco da Espanha. Nos arredores da Baslica existem vrias opes de restaurantes.

    Segundo o casal, na Praa da Espanha existe um conjunto de esculturas em ho-menagem a Miguel de Cervantes e perso-nagens como Dom Quixote e Sancho Pan-a. Da praa sai a Gran Via, principal avenida de Madri com muitas opes de lazer.

    Eles lembram ainda do Palcio Real de Madri, com mais de trs mil aposentos, que a residncia oficial do rei da Espanha e o maior palcio da Europa ocidental. Em seu interior existem colees de pintura, escultura, rel-gios, tapetes e outras obras de arte. Seus jar-dins so imperdveis! Um passeio tarde nos Jardins de Sabatini uma das opes mais ro-mnticas para quem visita Madri, comentam.

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 3IPANEMA

    AMBIENTEARQUITETURA, CONSTRUO E DECORAO |POR RENATA MOECKEL / JULIANA MORAES

    Espaos comerciais com jardins

    A fachada no perodo da tarde do Madeleine - na Vila Madalena em So Paulo - O lugar legal,

    rstico, possui varanda e adega no subsolo e rola msica ao vivo. O paisagismo no local o

    carro-chefe do lugar.

    Hoje os bares, restaurantes, lojas e at lojas de convenincias possuem seu canti-nho particular com plantas e jardim. mui-to mais gostoso almoar ao ar livre e ter a natureza por perto, mesmo que ela esteja em vasos e cacheps.

    Integrar uma rea verde a um espao comercial, deixa o espao mais intimista, alegre e agradvel. Os clientes fi cam mais relaxados e se sentindo em casa.

    Trepadeiras, plantas de meia sombra, e fl ores naturais fi cam lindas quando arran-jas em espaos com madeira de demolio, tijolos aparente, vidros lisos para receber a luz natural do dia. Vale lembrar que deta-lhes como peas de arte e artesanato so bem-vindos junto s plantas, bem como cestos de vime e bancos rsticos.

    Que tal se inspirar e fazer do seu espao comercial um jardim cheiroso e colorido.

    Vale uma corrida Ceagesp as quartas-fei-ras noite e aos sbados no perodo da manh, onde h uma gama enorme de plantas e fl ores so encontradas l, alm de arranjos e objetos de decorao que vo ser teis na arrumao.

    Bendita Hora no bairro Perdizes em Sampa,

    estilo rstico, com um jardim aconchegante.

  • 4 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IPANEMAAMBIENTE

    ARQUITETURA, CONSTRUO E DECORAO |POR RENATA MOECKEL / JULIANA MORAES

    Liberdade nos pincis

    Catarina Gushiken: em seu ateli ela produz suas telas

    e d aulas de ilustrao e processo criativo. A visita

    agendada.

    Voc no precisa ter os olhos puxa-dos para se encantar com a arte oriental da artista plstica Catarina Gushiken. Seu estdio no bairro da Aclimao em So Paulo vale uma visita. No local ela produz suas telas e d aula de pintura, ilustrao e processo criativo.

    Catarina nasceu em 1981 na cidade de So Paulo. Graduada em design de moda, atuou por sete anos (2001 - 2007) como designer da marca Cavalera, tendo inclusive coordenado a equipe de cria-o, participando de eventos como Se-mana de Moda e So Paulo Fashion Week

    Mar

    cella

    Mar

    igo

    etc. Hoje em seu espao conceitual, desen-volve diversos projetos de arte, ilustrao e moda. Seus produtos so exclusivos e sua arte pode ser aplicada em diversos suportes como por exemplo papel, paredes e tecidos. Quando o assunto moda, as tcnicas utili-zadas em seu processo criativo so diversas; desde estamparia digital at pinturas feitas mo, trazendo tona um trabalho extrema-mente delicado e artesanal.

    O estdio fi ca na rua Topzio,380. Telefone:

    (11) 3271-6932

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 5

    MF

    IPANEMAAMBIENTE

    ARQUITETURA, CONSTRUO E DECORAO |POR RENATA MOECKEL / JULIANA MORAES

    A arte

    A Associao de Jovens da Juria, apoiada pelo Instituto Elos, for-mada por moradores locais com o intuito de preservar a cultura caiara e gerar oportunidades de trabalho utilizando o saber artesanal, tradicional nessa comunidade. A partir do trabalho j feito com a caixeta, madeira nativa da Mata Atlntica e de manejo fl orestal certi-fi cado, foram criados produtos inspirados nos elementos encontrados na Estao Ecolgicada Juria.

    Observou-se detalhadamente o modo de fazer dos artesos para que a criao da nova linha de produtos partisse da. Toda a pesquisa de elementos naturais (formas e cores), bem como a escuta das histrias do lugar e das pessoas aconteceu em con-junto: artesos, designers e apoiadores. Houve uma primeira etapa de experimen-tao de tcnicas, misturando habilidades tradicionais com novas ferramentas, como a goivano lugar da faca para fazer enta-lhes, de maneira que no interferissem no

    resultado, mas contribussem para a segu-rana e o conforto no trabalho.

    Foram criados utenslios domsticos, itens de decorao e brinquedos, cujos projetos preveem o maior aproveitamento possvel da madeira, inclusive pequenos retalhos. Como acabamento, alm da valo-rizaoda madeira crua, foram inseridos no processo tradicional pigmentos base de gua, em substituio tinta plstica antes utilizada, que alm de esconder a textura natural da madeira, lascava com facilidade na estocagem, ocasionando perdas. A tinta plstica tambm cobria toda a imperfeio

    dos entalhes, alm dos veios. No era poss-vel distinguir se a pea acabada era de gesso ou de plstico ou de qualquer outro material. Ou seja, o acabamento matava toda a identida-de, histria e valor artesanal das peas.

    Esse trabalho foi de pouqussima in-terferncia esttica. Houve uma direo de design cuidadosa focada na potencializao do que j bem existia e no aparecia. Mais informaes no [email protected]

    de umpovolitorneo

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

    IPANEMAAMBIENTE

    ARQUITETURA, CONSTRUO E DECORAO |POR RENATA MOECKEL / JULIANA MORAES

    IPANEMAAMBIENTE

    ARQUITETURA, CONSTRUO E DECORAO |POR RENATA MOECKEL / JULIANA MORAES

    6 7

    Governo Federal facilita crdito para quem quer decorar seu novo lar

    Apenas os benefi cirios do progra-ma Minha Casa Minha Vida podem aproveitar o programa Minha Casa Melhor, do Governo Fede-ral. Voltada para a decorao, a linha de crdito concede financiamento para a aquisio de mveis e eletrodomsticos com limite de financiamento de R$ 5 mil. As prestaes podem ser pagas em at 48 meses por boleto bancrio ou dbito em conta. A taxa de juros de 0,4% ao ms

    (5% ao ano) e o beneficirio tem at 12 meses para usar o crdito disponvel. As famlias que j participam do Minha Casa Minha Vida podem fazer a contratao do servio por telefone ou diretamente nas agncias bancrias da Caixa Econmica Federal, que atua como agente financeiro do programa. O carto de compras che-ga residncia no prazo de dez dias e j poder ser utilizado nas lojas credenciadas pela Caixa em todo pas.

    Se o portador utilizar todo o crdito, ou seja, os R$ 5 mil, comear

    a pagar as prestaes no ms seguinte compra. Caso ele no

    utilize todo o recurso de imediato, a cada quatro meses haver

    a consolidao dos valores utilizados, com a gerao de parcela

    proporcional utilizao, para pagamento de prestao no ms

    seguinte.

    A lista completa de lojas credenciadas e endereos pode ser

    verifi cada no site www.caixa.gov.br/minhacasamelhor ou pelo

    telefone: 0800.726.8068, mesmo nmero para requisitar o carto.

    Mais informaes no site www.minhacasamelhor.com.br

    Casadecorada

    Limpeza das calhas deve ser regular para evitar problemas no imvel

    Folhas, pequenos galhos, areia, saqui-nhos plsticos e outros detritos, trazidos pela ao do vento, podem ser depositados sobre as calhas e no interior dos tubos con-dutores do telhado de sua casa. Nada ino-centes, esses resduos, com o decorrer do tempo, obstruem as canaletas e difi cultam o escoamento da gua das chuvas.

    Em consequncia, o volume pluvial reti-do na calha pode comprometer a estrutura, por conta do peso da gua, ou ainda extra-vasar o duto e atingir forros e lajes, gerando problemas srios, como infi ltraes, no im-vel. Por isso, a limpeza regular dos conduto-res do telhado aconselhvel e necessria.

    De modo geral, importante observar o

    estado das calhas e checar se h um acmu-lo considervel de sujeira a cada seis meses. No entanto, a periodicidade varia conforme a localizao da residncia. Por exemplo, nas casas que esto prximas a rvores de grande porte ou a edifcios, o sistema de drenagem deve ser limpo com maior frequncia. Isso porque a incidncia de folhas e detritos even-tualmente jogados pelos moradores do prdio tendem a entupir com mais rapidez os dutos.

    Quem faz a limpeza?Em muitos casos, preciso subir no te-

    lhado para realizar a limpeza das calhas e dos tubos condutores. Em situaes como essa, uma empresa ou profi ssional especializa-do deve ser contratado, porque o servio demanda equipamentos de proteo in-dividual adequados e requer uma srie de procedimentos de segurana.

    Por sua vez, quando a calha pode ser aces-sada pelo lado externo da casa, sem demandar a passagem pelo telhado, a manuteno pode

    at ser executada pelo morador, desde que o uso da escada seja seguro. Dois dos prin-cipais fatores a serem considerados so a altura e a proximidade entre a calha e a rede eltrica, bem como a possibilidade de apoio fi rme da escada e o uso de sapatos com so-lado aderente e luvas. Outra recomendao nunca fazer a lavagem dos dutos em dias chuvosos, para evitar choques eltricos, aci-dentes envolvendo a queda de raios e, mes-mo, escorreges.

  • 8 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014CLASSIFICADOS

    Empregos

    Advocacia

    Artigos para Festas

    Aulas e Cursos

    Disk

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 9CLASSIFICADOS

    Informtica

    Medicina e Sade

    Servios Profissionais

    Esttica e Beleza

  • 10 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014I-PROGRAME-SE

    CINEMA

    300 A ASCENSO DO IMPRIO Sala: Cinespao Villggio 4 3D (dublado, 18 anos) diariamente s 17h50. (legendado, 18 anos) diariamente s 19h50 e 22 horas. Aps a morte do pai, Xerxes d incio a uma jornada de vingana e ruma em direo Grcia, com seu exrcito sendo liderado por Artemisia. Enquanto os 300 espartanos liderados por Leonidas tantam combater o Deus-Rei, os exrcitos do resto da Grcia se unem para uma batalha com as tropas de Artemisia no mar. Themistocles o responsvel por liderar os gregos

    SEM ESCALAS Sala: Cinespao Villggio 1 (legendado, 12 anos) diariamente s 14h40, 17 horas, 19h20 e 21h40. No dia 12 de maro, quarta-feira, no haver a sesso das 21h40.

    NINFOMANACA VOLUME 2Sala: Cinespao Villggio 1 (legendado, 18 anos) pr-estreia dia 12/3 s 21h40.

    A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS Sala: Cinespao Villggio 2 (legendado, 10 anos) diariamente s 14 e 19 horas.

    CAADORES DE OBRAS PRIMAS Sala: Cinespao Villggio 2 (legendado, 12 anos) diariamente s 16h30 e 21h30.

    ROBOCOP Sala: Cinespao Villggio 3 (legendado, 14 anos) diariamente s 14h30, 17 horas, 19h20 e 21h40.

    AS AVENTURAS DE PEABODY E SHERMAN Sala: Cinespao Villggio 4 3D (dublado, livre) diariamente s 13h50 e 15h50.

    SBADO (8)

    FEIRA DE ADOO DE CES E GATOSA ONG Adote Sorocaba realiza uma feira de adoo de ces e gatos. O evento comea s 10 e vai at as 14 horas no Pet Center Marginal (avenida Dom Aguirre, 2121 - Santa Roslia). Informaes: (15) 3331-8400.

    PUB SOROCABAO melhor do indie, pop, rock, 1980s e lanamentos na casa mais badalada de Sorocaba. Os DJs Lauro Damini e Estevo Vieira comandam o som. Chegue cedo para evitar fi las ou use a entrada expressa. Entrada R$ 13 homem e R$ 8 mulher. O Pub fi ca na rua Saliba Mota, 104 Alm Ponte. Informaes: (15) 99772-3205.

    FESTA DA PIZZAOs festeiros da Irmandade de So Benedito da Parquia do Bom Jesus dos Afl itos promove a Festa da Pizza neste sbado (8). Das 11 s 18 horas, pizzas de mussarela, calabresa ou bauru podero ser retiradas no salo de festas da Parquia. O valor R$ 18.

    MARCEL BARONE NO EXPRESSO

    Os maiores sucessos da msica sertaneja embalados pela voz do cantor Marcel Barone. Entrada R$ 15 homem R$ 10 mulher. A partir das 22 horas. O Expresso Sorocabano fi ca na avenida Baro de Tatu, 1037 Jardim Paulistano. Informaes: (15) 3411-8410.

    ESPETCULO HOTEL TROMBOSE

    O medo em que vivemos, munido das cenas grotescas do cotidiano, a atrao central do espetculo Hotel Trombose.

    O workshop tem o objetivo de ampliar o campo de trabalho dos atores com textos narrativos. Gratuito. A partir das 20 horas na Ofi cina Cultural Grande Otelo (Praa Frei Barana Centro, Sorocaba). Informaes: (15) 3224-3377.

    DUO AS DEENDJERS

    A E-dub Two traz a apresentao do duo As Deendjers, de Curitiba (PR). Junto com elas, se juntam as atraes Top DJ Jully Beats, DJ Will Beats, DJ Rafael Oliver (residente), Evandro Molina (host) e os Gogo Boys. A partir das 23h30. Pista R$ 30 Bnus Bar R$ 45 e camarote R$ 80. Estacionamento terceirizado R$ 10. A E-dub Two fi ca na rua Osvaldo de Jesus, 143, Sorocaba. Informaes: (15) 3228 4206.

    O Dia das Mulheres ganha apresentao especial com a dupla agitando a noite com o melhor do sertanejo no Centro Hpico Pagliato. Entrada homem R$ 15 e Mulher R$ 10. A partir das 22 horas. O Pagliato fi ca na rua Antnio Aparecido Ferraz, 1111 - Jardim Itangu. Informaes: (15) 3221-7764.

    BLACK TEQUILAVoc vai levar pra casa o som que curtiu na festa. importante chegar cedo para garantir a mixtape (nmero limitado). Na pista comandam o som os DJS Sandrinho (Joy Club), Silvinho (Joy Club) e Piitah (residente). Com lista, entrada R$ 20 homem e R$ 10 mulher; sem lista R$ 40,00 homem R$ 20,00 mulher. A partir das 22h30. A Black Tequila acontece no Baob (Praa Frank Speers 32 Santa Roslia, em Sorocaba). Informaes: (15) 3388-6614.

    TOP TOP CLUB

    A banda Audac, de Curitiba (PR), volta aos palcos do Asteroid Bar. Na noite, ainda vai ter discotecagem dos DJs residentes da casa. Entrada R$ 15 - check-in pelo Foursquare at as 23h30 vale entrada free. O Asteroid Bar fi ca na rua Aparecida, 737 - Vila SantanaInformaes: (15) 3329-2767.

    DANNY E ALLAN

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 11

    PEA SWEENEY TODD

    O espetculo conta a histria de um ingnuo barbeiro que tinha sua famlia invejada por um terrvel juiz de Londres na poca victoriana. Aps ter sido deportado, o barbeiro retorna anos depois com sede de vingana. Entrada R$ 10. A partir das 20 horas. A pea acontece no Camarim - Casa do Ator (rua Vicente Decria, 373 - Jardim Roslia Alcolea). Informaes: 2104-5489.

    BANDA KORZUS EM SOROCABA

    A banda de metal comemora os 30 anos de estrada no Pirilampus Bar. Entradas - Pista R$ 35 (promo limitado) Camarote R$ 50 (preos sujeitos a alterao). Bandas convidadas: Fafnir, Pervencer e outras. O Pirilampus Bar fi ca na avenida Comendador Pereira Incio, 1801. Informaes: (15) 99718-8032.

    DOMINGO (9)

    CIRCO DE COISAS

    Para comemorar o ms do circo, o Sesc Sorocaba traz diversas atraes atravs do especial Mostra Circoneco - circo de formas animadas. As apresentaes acontecem sempre aos domingos a partir das 11 horas. Entrada R$ 8 inteira e R$ 4 meia. O Sesc Sorocaba fi ca na rua Baro de Piratininga, 555 - Jardim Faculdade. Informaes: (15) 3332-9933.

    QUINTA-FEIRA (13)

    CINEMA DE 5, FILMES DE 1

    O fi lme O Monstro da Lagoa Negra ter exibio especial na programao que ocorre semanalmente na Ofi cina Cultural Grande Otelo (Praa Frei Barana - Centro). Entrada gratuita, mas recomendado chegar cedo para garantir entrada. A partir das 19 horas. Informaes: (15) 3224-337. Classifi cao 16 anos.

    ORQUESTRA SINFNICA

    A Orquestra sinfnica de Sorocaba faz apresentao especial na Fundec a partir das 19 horas. Entrada R$ 10 inteira e R$ 5 meia. A Fundec fi ca na rua Brigadeiro Tobias, 73 - Centro. Informaes: (15) 3233-2220

    SEXTA-FEIRA (14)

    NOITE DE IMPROVISOEspetculo de improvisao composto por jogos teatrais e que conta com a participao da plateia, sugerindo temas e participando de cenas. Tem direo de Marcio Ballas. Entradas: R$ 30 inteira e R$ 15 meia. A partir das 19 horas. O evento acontece no Teatro Teotnio Villela (avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes,- Alto da Boa Vista - Prefeitura de Sorocaba. Informaes: (15) 3238-2222.

    NANDO REIS

    O cantor apresenta seus maiores sucessos do trabalho Sei, pela primeira vez em Sorocaba. A partir das 22 horas. O show acontece no Clube de Campo (avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 1761 - Alm Ponte.Informaes: (15) 3388-9000.

    LUIZ FELIPE E ADRIANOA dupla traz o melhor do sertanejo universitrio no palco do Expresso Sorocabano. Homem R$ 15 e mulher R$ 10. O Expresso fi ca na avenida Baro de Tatu, 1037 - Jardim Paulistano. Informaes: (15) 3411 8410.

    SBADO (15)

    WANESSA NA E-DUB

    A cantora far uma apresentao de sua DNA Tour, que apresenta grandes sucessos da nova identidade musical da cantora. Show na E-dub Two (rua Osvaldo de Jesus, 143). Informaes: (15) 3228-4206.

    LANAMENTO DE LIVROOs professores Paulo Celso da Silva e Thfani Postali convidam para o lanamento do livro Cidade e Comunicao: a miopia sobre o mundo e outros textos. O evento comea s 21 horas, gratuito e acontece no Chal Francs (avenida Afonso Vergueiro, 280). Informaes: (15)3233-1692.

    I-PROGRAME-SE

  • 12 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014

  • 8 de maro de 2014 - edio 757www.jornalipanema.com.br

    CADERNO

    IMVEIS &VECULOS

  • 2 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 3JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 4 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 5JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 6 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 7JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 8 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 9JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 10 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 11JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 12 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 13JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 14 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 15JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 16 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 17JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 18 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 19JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 20 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 21JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 22 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 23JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 24 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 25JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 26 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 27JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 28 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • 29JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 IMVEIS

  • 30 JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014IMVEIS

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 2014 31VECULOS

  • JORNAL IPANEMA / 8 de maro de 201432VECULOS