jornal fato 2206 13

Download Jornal fato 2206 13

Post on 07-Mar-2016

244 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Operao leva 11 em Operao leva 11 em trs cidades do litoraltrs cidades do litoral

  • ES DE FATO, SBADO, 22 DE JUNHO DE 20132 WWW.JORNALFATO.COM.BR

    Cachoeirenses se renem mais uma

    vez para cobrar melhorias em di-

    versas reas

    Hoje tem mais protesto

    Presidente do TJES recebe documento de manifestantesO presidente do Tribunal de Justia do Esprito Santo (TJES), desembargador Pedro Valls Feu Rosa, desceu de seu gabinete, saiu pela porta da frente do Palcio da Justia, e recebeu, pessoalmente, os manifestantes na noite de quinta-feira, em Vitria. Um grupo de estudantes entregou ao desembar-gador uma pauta de reivindicaes e os prprios manifestantes, que faziam um ato pacfi co, criaram uma barreira humana em torno de Pedro Valls por cerca de 100 metros da rua ao lado do Tribunal, conduzindo-o em segurana at o interior do prdio. Quando os manifestantes pacfi cos j deixavam a praa, um grupo com pedras, paus e rojes atacou o edifcio. Somente ento policiais do Batalho de Misses Especiais entraram em ao, apenas para fazer a conteno e evitar a invaso do prdio.

    A concentrao as 11h00 em

    frente ao Teatro Rubem BragaLeandro Moreira

    As ruas centrais de Ca-choeiro de Itapemirim sero mais uma vez palco de protesto contra a m utilizao do dinheiro p-blico pela classe poltica. A concentrao ser em

    WWW.JORNALFATO.COM.BR

    Divulgao

    frente ao Teatro Rubem Braga, s 11h00, e o grupo tem pauta formada volta-da para as questes locais. Na quinta, cerca de seis mil pessoas se manifes-taram paci-fi camente.

    Os temas reivindica-dos so divididos em trs reas, mobilidade urbana: monoplio do transporte pblico, passe livre, reduo do valor da passagem; segurana:

    Seis mil pessoas protestaram na quinta; expectativa de maior nmero hoje

    Policiamento reforado NO PROTESTO DE HOJE

    Apesar de alguns vn-dalos em meio a cerca de seis mil pessoas compro-metidas com o protesto ocorrido na quinta-feira em Cachoeiro de Itape-mirim, o tenente-coronel do 9 Batalho da Pol-cia Militar, Alessandro Marin (foto), julga po-sitivo o manifesto.

    Os manifestantes con-seguiram o efeito que a maioria pretendia, mas,

    infelizmente haviam pes-soas ms intencionadas l, disse. No local, sete pessoas foram detidas por dano ao patrimnio pblico.

    O comandante afirma que no protesto a ser rea-lizado hoje o policiamento ser reforado, contando com homens e viaturas. Estaremos preparados para qualquer tipo de in-terveno, disse.

    redistribuio do pa-trulhamento na cidade e volta do 190; sade: atendimento materno

    infantil no Hospital do Aquidaban e contrata-o de pro-fi ssionais de sade.

    T a m b m sero recolhidas assi-natura contra a PEC 37, que limita o poder de in-vestigao do Ministrio Pblico.

    O movimento, organi-

    zado pelas redes sociais na internet, repudia qual-quer ato de violncia. Inclusive, sugere que todos os participantes se afastem de possveis focos de vandalismo, que sero fotografados, fil-mados e disponibilizados para a polcia.

    Tambm no ser to-lerada a participao de pessoas tentando se pro-mover politicamente no movimento. A expectativa de que o evento rena mais pessoas em relao ao de quinta.

    Edgard Baio

    Arquivo FATO

  • OPINIOWWW.JORNALFATO.COM.BR ES DE FATO, SBADO, 22 DE JUNHO DE 2013 3

    - wagnersantos25@hotmail.comPor Wagner Santos

    Se quisermos progredir, no devemos repetir a histria, mas

    fazer uma histria nova. Mahatma Gandhi

    Na maior ma-nifestao que se tem notcia

    na histria de Cachoeiro, mais de cinco mil pessoas tomaram a Praa Jernimo Montei-ro. Pessoas de 8 aos 80 anos compareceram num protesto bem mais pacfi -co do que se observa no pas. Hoje tem mais.

    SOBE Cachoeiro

    Nes te movi -mento aparti-drio e agora

    tambm antiparti-drio curioso ver man-datrios de todo os nveis se dizerem solidrios aos manifestantes, e at entre eles, como se toda revolta no tivesse, como causa, a sua incompetncia ou corrupo.

    DESCECara de pau

    MAS, HEIN?!

    Numa manifestao con-tra todos, inegvel que percam mais todos que esto no poder.

    J HORA DE NEGOCIAR preciso colocar as

    coisas em seus lugares. As manifestaes popu-lares de repdio cor-rupo e m qualidade dos servios pblicos tm razo para ocorrer. Mas, infelizmente, o que se v nos ltimos dias a radicalizao do movi-mento. Quer tudo e, por isso, difi cilmente poder ser atendido.

    As insatisfaes se acu-mulam h muito tempo e no d para resolver em dias ou semanas o que se deteriorou h dcadas. Insistir nisso, aos poucos,d justa indignao a aparncia de pirraa.

    Sem uma pauta con-creta - e negociaes polticas para que possa ser atendida - toda esta mobilizao est fadada ao fracasso. No protesto

    contra tudo, cada um leva a sua reclamao e, mesmo em meio a milhares de pessoas, no se encontra mais do que alguns que almejem a mesma coisa, em sentido estrito.

    , sem dvida, como tem sido tratado, um momento histrico, sem precedentes. Mas, duas semanas aps seu incio, comea a se desvirtuar. Os chamados pequenos grupos de vndalos esto cada vez mais in-controlveis e podem por tudo a perder.

    O movimento, que de-veria ser tolerante, em alguns aspectos, se apro-xima da tirania, como nos ataques aos mili-tantes de partidos pol-ticos que tm tambm o direito de se manifestar, mas tm sido impedidos,

    quando no agredidos, ao chegarem s mani-festaes vestidos ou empunhando bandeiras de suas agremiaes partidrias.

    No , ainda, o caso de Cachoeiro, onde a mobi-lizao popular comeou apenas nesta semana. O protesto de quinta-feira foi ordeiro e pacfico, embora o pequeno gru-po de vndalos tambm se tenha feito notar entre os seis mil que ganharam as ruas.

    Hoje, nova manifes-tao acontece. Quem sabe, mesmo comean-do depois, os cacho-eirenses indignados no se adiantam, do exemplo e definem as reivindicaes e uma comisso para negoci--las, com metas e prazos razoveis?

    Desde 14 de maro de 2003

    Jornal Esprito Santo de FATO - CNPJ.: 06056026000138 - (28) 3515-1067 es.fato@terra.com.br - Bernardo Horta, 81, sala 101, Guandu, CEP 29.300-782 - www.jornalfato.com.br

    Diretor e editor - Wagner Santos wagnersantos25@hotmail.com

    Revisor: Marcos Leo

    Departamento Comercial - Llia Argeu e

    Elenir AtalaiaEditorador - Wagner Gomes Lopes

    Reprter - Beatriz Caliman

    Colaboradores - Elyan Peanha, Regina

    Monteiro, Antonio Miranda, Evandro Moreira, Moacyr Duarte, Edgard Baio, Janine Frana Bastos, Marilene Depes, Sergio Damio; Higner Mansur, Valquiria Volpato, Raphael Santana, Salmo Salazans e Maurlio Carvalho

    1 2 3 4 5 6O juiz Robson Louzada providen-ciou a publicao da determinao para que a Guarda Municipal utilize uniformes civis, que no lembrem os militares.

    Dado o aviso , agora, os guardas que no se ade-quarem principal-mente quanto ao coturno, podero a t m e s m o s e r presos pela Pol-cia Militar.

    Discusso judi-cial no se discute, cumpre-se. Mas, o uniforme adotado pela Guarda, em Cachoeiro, do mesmo padro de dezenas de outras cidades.

    Em tempos de indignaes, o de-putado estadual Rodrigo Coelho (PT) deixou bem c la ras a lgumas das suas, em en-contro com a im-prensa.

    Meia dzia de vndalos tentou manchar a boni-ta manifestao realizada em Ca-choeiro. Foram re-preendidos pelos prprios manifes-tantes.

    Manifestao em Vitria, com 100 mil pessoas, passou quase em branco na mdia nacional. A cacho-eirense, com 6 mil, da mesma forma na mdia estadual.

    Vias de FATO

    Mayra Mendona Mello empresta sua fi na beleza paisagem que contempla. Ela, na tera-feira, comemora

    mais um ano de vida - a jovem estudante de Direito fi lha da investigadora da PC Marinalda Mendona

    Mello e do empresrio Osias Rangel Mellom

  • ES DE FATO, SBADO, 22 DE JUNHO DE 20134 WWW.JORNALFATO.COM.BROPINIO

    Ano 6 - n 271

    CONEXO MANSUR

    hmansur@mansureassociados.com.br

    HIGNER MANSUR

    Calando a Boca de Meio Mundo

    Hoje, O Povo na PraaHigner MansurComeo a crnica semanal

    falando da ltima quinta-feira, 20 de junho mas falando de trs pra frente, de acontecimentos mais recentes para os tardios; da noite para a tarde.

    Comeou que, pelas 21 horas da quinta, liguei a TV Senado e fi quei por l um bocado de tem-po: aparteando o senador Cristo-vam Buarque, falava o Senador Pedro Simon, dos grandes ho-mens pblicos do Brasil, no alto de quase noventa anos de digni-dade pessoal e poltica. Simon dava ao plenrio minguado do Senado uns cinco senadores aula de democracia, competn-cia, coragem e verdade. altura em que peguei o discurso, dizia ele que nossa presidente Dilma se esconde nos dias da agitao que varre o Brasil, para chegar concluso de que ela era, apesar do passado de coragem e de luta,

    uma presidente incompetente e que UNE e a CUT, amarradas aos cofres da Funcef e da Previ (planos de aposentadoria da CEF e do BB), estavam caladas por isso, envergonhando aquelas instituies e seus passados de glria. verdade.

    Ao mesmo tempo em que dizia verdades absolutas e verdadeiras, Simon elogiava os jovens principalmente os jovens que se levantaram e se levantam, mesmo sem lideran-as, em favor de um pas srio e livre da corrupo gigantesca que abarca as instituies pbli-cas brasileiras de alto a baixo.

    E a partir daqui que deso das 21 horas, e chego a pouco antes e a pouco depois das 18 horas da mesma quinta-feira, agora em Cachoeiro, quando milhares de jovens vieram s ruas com ordem e alegria (em que pese poucos vndalos) para

    dizer s autoridades, frente Prefeitura de Cachoeiro, e em todo o trajeto, que basta de corrupo e de falta de compro-misso com a sociedade.

    Do alto de 65 anos de idade, confesso que estava desanimado com a possibilidade de ver um dia os jovens deixarem de se preocupar s com suas carreiras e cursos e retornarem aos exem-plos daqueles

Recommended

View more >