jornal dos aposentados - outubro/2013

of 24 /24

Click here to load reader

Author: jornal-dos-aposentados

Post on 19-Mar-2016

223 views

Category:

Documents


4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal dos Aposentados - Outubro/2013.

TRANSCRIPT

  • Lenis elege miss e mister melhor idade

    Ano 2 - Edio 036 www.jornaldosaposentados.com.br Outubro de 2013

    Concurso contou com a animao do Trio Los Angeles e Orquestra Big Band Cidade do Livro

    JA

    Associao comemora 20 anos

    Na noite de quinta-feira, 19 de setembro, aconteceu em Lenis Paulista a segunda edi-o do concurso Miss e Mister Melhor Idade, onde cerca de 40 can-didatos foram julgados. O concurso foi realiza-do no Clube Esportivo Marimbondo e cerca de 800 pessoas esta-vam presentes.

    Os escolhidos da noi-te, a Miss Aparecida de Lima Lopes e o Mister Claudinei Dellamura, participaro da prxi-ma etapa Estadual na cidade de So Paulo.

    Levaram tambm os ttulos de Miss e Mis-ter elegncia: Hlio Damasceno de Sousa e Silvia Artioli Ferreira, ficando com o segundo lugar; e Miss e Mister Simpatia: Antonia Ba-tista e o Sr. Joo Vieira Martins Filho, que nos concedeu uma entre-vista exclusiva.

    Pg. 09

    Cntia Fotografias

    MACATUBA

    Chuva e ventania causam estragos

    Pg. 15

    Pgs. 12 e 13

    Pensando no bem-estar de seus asso-ciados, a AAPJ ofe-receu na manh de quarta-feira, 11 de setembro, um deli-cioso caf da manh

    Mutiro de exame e aferio de presso

    No dia 14 de novembro de 2013, (quinta-feira) a AAPJ atravs da farmcia vai promover um mutiro de exame de glicemia e aferio de presso arte-rial (somente p/ associa-

    com farta distribuio de caf, leite, sucos, lanches, bolos e fru-tas. Compareceram ao local cerca de 400 pessoas.

    Os escolhidos, a Miss Aparecida de Lima Lopes e o Mister Claudinei Dellamura, participaro da prxima etapa Estadual na cidade de So Paulo

    dos) gratuitamente das 8 s 17 horas.

    FonoaudilogaNo dia 30 de setem-

    bro aconteceu na AAPJ atendimento da fonoau-diloga da Associao juntamente com a dra.

    Roberta Lodi, da Clisound de Bauru. No total foram 36 atendimentos. Devido ao sucesso, ser marcado outro atendimento (com data ainda no definida), onde j tem lista de espe-ra com o mesmo nmero de pacientes.

    UTILIDADE PBLICA

  • Quando co-mecei a faculdade de Direito, no meio de uma aula de Instituies Jurdi-cas e tica, fiquei admirado quando o professor, len-do a Constituio Federal, nos dis-se que, para ser Ministro do STF (Supremo Tribu-nal Federal), no preciso ser juiz ou advogado. Toda a sala demonstrou certo espanto diante da infor-mao.

    Foi assim que tivemos conhe-cimento de que para ser Ministro do STF a Consti-tuio exige, en-tre alguns outros requisitos, que o indivduo possua apenas notvel saber jurdico. A princpio, achei in-teressantssima a informao, mas cabe ao Presiden-te da Repblica fazer a escolha do Ministro, que, posteriormente deve ter seu nome aprovado no Se-nado Federal. Des-ta forma, comecei a divagar sobre as possibilidades de barganhas polti-cas que um Presi-dente pode fazer com uma cadeira vaga no STF.

    s avessasNos ltimos meses,

    toda a imprensa Brasi-leira passou a reprodu-zir uma nova expresso: Embargos Infringentes.

    Mas o que so os Em-bargos Infringentes? Em termos simples, uma possibilidade jur-dica criada para quan-do um tribunal no unnime em sua deci-so, mas segundo a lei processual brasileira, no se aplica ao STF.

    neste ponto que as coisas comeam a ficar claras, pois sen-do os rus do partido poltico da Presidente da Repblica, e com a aposentadoria de dois Ministros, a Presidente pde nomear dois no-vos e a defesa dos rus props uma reviso no julgamento atravs dos Embargos Infringentes.

    Embargos estes que tm sua possibilidade prevista apenas pelo Regimento Interno do STF, mas no pela lei processual brasileira, desta forma, a Consti-tuio deixa claro que o STF no pode editar normas processuais, fi-cando o tema restrito ao Congresso Nacio-nal, tornando a possi-bilidade dos Embargos Infringentes ao STF, uma anomalia.

    Entretanto, esta anomalia foi apro-vada, e, coincidente-mente, os dois novos Ministros nomeados pela Dilma foram fa-vorveis, com um de-

    2 Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Produo e Projeto Grfico: Jornal dos AposentadosDesigner responsvel: Thas Miranda Pedroso Gutierreswww.jornaldosaposentados.com.brwww.facebook.com/jornaldosaposentados

    Artigos assinados so de responsabilidade de seus autores, podendo ou no corresponder opinio deste jornal.

    Editor e jornalista responsvel: Luiz Storino MTB 3367Impresso: GRCI Editora Ltda METiragem: 15.000 exemplaresCirculao: Areipolis, Barra Bonita, Borebi, Igarau do Tiet, Ja, Lenis Paulista, Macatuba e Pederneiras/SP

    Jornal dos Aposentados: [email protected] www.facebook.com/jornaldosaposentadosComercial: Pedro: (14) 9773-6842 (Ja)

    Artigo de

    A vida como jo-gar uma bola na parede. Se a bola for jogada fraca, ela voltar fraca. Se for jogada com fora, volta-r com fora.

    Por isso nunca jogue uma bola na parede da vida, de forma que no esteja pronto para receb-la. A vida nem d nem empresta, nem se como-ve; tudo quanto ela faz : retribuir e transferir, aqui-lo que ns lhe oferece-mos, de bom ou de mau.

    Todos os homens deve-riam, no inicio de suas ta-refas, qualquer que seja, invocar o auxilio de Deus. No h sentido em orar pela manh como um santo e viver como um brbaro durante o dia. A melhor maneira de nos prepararmos para o fu-turo concentrar toda a nossa imaginao no tra-balho e boa atitudes do dia a dia. No pea nada em tuas preces, porque tu no sabes o que te til, s Deus conhece tuas necessidades e te aten-der no momento prop-cio. Digno de admirao aquele que tropea ao dar os primeiros pas-sos, levanta-se e segue em frente. O herosmo consiste em persistir no

    COLETNEAS De grandes escritores

    Opinio

    Francisco MartinezFrancisco Martinez aposentado, associado e ex-diretor da Associao dos Aposentados de Ja.

    .

    momento quando tudo parece estar perdido. Uma pessoa de f no sucumbe quando as difi-culdades se apresentam. No podemos viver neste mundo sem ser religiosos, e sem nos relacionarmos com todo o universo. A f comea onde termina o orgulho e o egosmo.

    Portanto, as religies so necessrias, pois ameaando-nos de cas-tigos por pecados co-metidos, refreia nossos impulsos para o mal. To-davia, na realidade, no a crena, que levar nossas almas ao cu, e sim nossas obras e atitu-des, enquanto estivermos aqui na vida terrena, con-forme, sabiamente nos ensina Jesus Cristo: amai-vos uns aos outros.

    Fora da Igreja no h salvao: dizem os padres, pastores e guias espiritu-ais. Mas, convenhamos, que tambm dividem, no s unem os homens, e at guerras acontecem, na disputa por religies.

    Nesses tempos tem-pestuosos em que se debatem certas religies, algumas vezes regadas com sangue, chega um mensageiro da paz, dissi-pando essas divergncias entre elas e pacificando

    -as. Refiro-me ao maior Papa, que j existiu, da Igreja Catlica, Joo Pau-lo II, dizendo: Rogo para que a compreenso m-tua e o respeito entre os cristos e muulmanos, como tambm entre todas as religies, seja mantida e se torne mais profunda, para o bem de todos, neste mundo con-turbado como est.

    Cultive a alegria, a paz, o equilbrio, pois, com certeza, desse modo, a nossa passagem por este mundo, se tornar mais eficiente.

    A maior profecia do mundo : amar o prxi-mo como a si mesmo, pois se o homem assim o fizesse o mundo estaria bem melhor.

    Diz um eminente es-critor, em suas profecias: Ns precisamos de muita sorte para sobreviver os prximos duzentos anos. Mas s resolvendo, em primeiro lugar, o proble-ma da poluio. No h, em nosso tempo, pro-blema mais crucial que o problema ecolgico. A soluo desse grande problema est em nos-sas mos, atuais mora-dores deste mundo.

    Estimados leitores, um grande abrao.

    les Barroso - deixan-do claro que est se lixando para a opinio pblica. Isto parece demonstrar a forma e as circunstncias que os colocaram em suas cadeiras do STF.

    Recentemente o Mi-nistro do STF Dias To-ffoli, nomeado pelo ex-presidente Lula e fa-vorvel aos Embargos Infringentes, tambm figurando como Minis-tro no Tribunal Superior Eleitoral, como relator de um processo por compra de votos contra um deputado piauien-se do PT, decidiu por extinguir o processo contra o parlamentar, e, pasme, o processo no foi extinto pela inocncia do ru, mas sim porque, segundo o Ministro, a forma com que ingressaram com a ao no era a ideal. E, desta forma, Dias To-ffoli abriu precedente para extino de mais 11 processos eleitorais contra governadores.

    Assim eu reflito sobre aquela capa preta que, outrora, foi chamada de roupa do justiceiro dos quadrinhos, Bat-man. Acredito que al-guns Ministros esto fazendo jus alcunha de Homem-Morcego, mas no pelo heros-mo, e sim por estarem sugando as ltimas gotas de esperana de um pas que tanto so-fre com a corrupo e a impunidade.

    Railson Rodrigues, estudante de Direito, Assessor Legislativo Municipal (Lenis Paulista)

    Batman

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 3Especial

    Divulgao

    A de Ativos, de Autnomos.

    A de Agora. Quem so os novos idosos

    do Brasil?

    No dia 1 de outu-bro comemo-rado o Dia Na-cional do Idoso. Grande parte da sociedade v todos que passam dos 60 da mesma forma: como incapazes de ter os mesmos desejos e fazer as mesmas ativi-dades de quando eram mais jovens. O senso comum imagina que a vida dessa pessoa pra-ticamente acabou ali.

    Felizmente, no aca-bou. Na verdade, para muitos, ela recomea ali: mais livre, mais bem aproveitada, mais ama-da, mais focada.

    Muito se fala das ge-raes X,Y, Z e das pr-

    Conhea a

    ximas geraes. Mas h nesse novo grupo de 60 a 80 anos uma ge-rao antenada, que se preocupa com a sade, gosta de viajar e de se relacionar, um grupo que s tem a surpre-ender e que est mais vivo do que nunca, a Gerao A.

    Da mesma forma que nas dcadas de 60 e 70 eles reinventaram o conceito de juven-tude, agora essa gera-o est reformulando o jeito de envelhecer. Enquanto para a socie-dade as pessoas so consideradas idosas a partir dos 60 anos, para eles o conceito de

    idoso est intrinse-camente ligado ideia de liberdade. Velho quem no tem mais autonomia. Eles se en-xergam como adultos experientes, afinal, na viso deles, idosos so os seus pais.

    Embora esse pblico seja uma parte signi-ficativa da populao, eles no se sentem contemplados nos anncios, no se en-xergam nos ttulos das revistas e, portanto, se sentem invisveis. Parodoxalmente, eles tm vida ativa, tra-balham, se divertem e querem consumir. E querem fazer tudo

    Gerao Aisso agora, pois no tm tempo a perder.

    Uma das mu-danas signifi-cativas desse grupo o papel que ele passou a ocupar na es-trutura familiar. Enquanto a so-ciedade ainda enxerga as pes-soas dessa fai-xa etria como dependentes da famlia, a pesquisa reve-lou que esse pblico, na ver-dade, mais provedor que dependente.

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 3Especial

    Divulgao

    A de Ativos, de Autnomos.

    A de Agora. Quem so os novos idosos

    do Brasil?

    No dia 1 de outu-bro comemo-rado o Dia Na-cional do Idoso. Grande parte da sociedade v todos que passam dos 60 da mesma forma: como incapazes de ter os mesmos desejos e fazer as mesmas ativi-dades de quando eram mais jovens. O senso comum imagina que a vida dessa pessoa pra-ticamente acabou ali.

    Felizmente, no aca-bou. Na verdade, para muitos, ela recomea ali: mais livre, mais bem aproveitada, mais ama-da, mais focada.

    Muito se fala das ge-raes X,Y, Z e das pr-

    Conhea a

    ximas geraes. Mas h nesse novo grupo de 60 a 80 anos uma ge-rao antenada, que se preocupa com a sade, gosta de viajar e de se relacionar, um grupo que s tem a surpre-ender e que est mais vivo do que nunca, a Gerao A.

    Da mesma forma que nas dcadas de 60 e 70 eles reinventaram o conceito de juven-tude, agora essa gera-o est reformulando o jeito de envelhecer. Enquanto para a socie-dade as pessoas so consideradas idosas a partir dos 60 anos, para eles o conceito de

    idoso est intrinse-camente ligado ideia de liberdade. Velho quem no tem mais autonomia. Eles se en-xergam como adultos experientes, afinal, na viso deles, idosos so os seus pais.

    Embora esse pblico seja uma parte signi-ficativa da populao, eles no se sentem contemplados nos anncios, no se en-xergam nos ttulos das revistas e, portanto, se sentem invisveis. Parodoxalmente, eles tm vida ativa, tra-balham, se divertem e querem consumir. E querem fazer tudo

    Gerao Aisso agora, pois no tm tempo a perder.

    Uma das mu-danas signifi-cativas desse grupo o papel que ele passou a ocupar na es-trutura familiar. Enquanto a so-ciedade ainda enxerga as pes-soas dessa fai-xa etria como dependentes da famlia, a pesquisa reve-lou que esse pblico, na ver-dade, mais provedor que dependente.

  • Sade refora conscientizao durante Outubro Rosa

    4

    Outubro

    RosaSade - Lenis

    A Diretoria de Sade de Len-is Paulista refora a conscientiza-o sobre a importn-cia da preveno do cncer de mama du-rante o Outubro Rosa. Para simbolizar a cam-panha, o Ambulatrio de Especialidades ter iluminao rosa du-rante este ms. Alm disso, as pacientes do RAIS (Rede de Aten-o Integral Sade da Mulher) vo receber material educativo.

    Outubro Rosa uma campanha de cons-cientizao realizada por diversas entidades, sociedade e as mu-lheres, para destacar

    Divu

    lga

    o

    Jornal dos Aposentados

    a importncia da pre-veno e do diagns-tico precoce do cncer de mama. Atualmente o Outubro Rosa reali-zado em vrios lugares do mundo.

    A preveno e o diagnstico precoce so nossas principais armas contra o cncer. Aproveitamos o Outu-bro Rosa para desta-car a importncia da sade da mulher, re-sume o diretor de Sa-de, Mrcio Caneppele Santarm.

    HPVNessa data, a Direto-

    ria de Sade tambm refora a preveno do cncer de clo de

    tero. Em 2013, ficou institudo um crono-grama fixo para coleta de Papanicolau, com horrio flexvel. Todas as Unidades Bsicas de Sade exceo para a unidade da Ce-cap , ESFs (Estratgia Sade da Famlia) do municpio e RAIS Mu-lher realizam a coleta do material, sempre s quartas-feiras, a partir das 14h. Esse atendi-mento se estende pelo perodo noturno, at por volta de 21h. O cronograma fixo, abrangente e com horrio estendido foi pensado para atender s mulheres que traba-lham durante o dia.

    Diversas aes de conscientizao sero realizadas durante todo o ms de outubro

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

  • Sade refora conscientizao durante Outubro Rosa

    4

    Outubro

    RosaSade - Lenis

    A Diretoria de Sade de Len-is Paulista refora a conscientiza-o sobre a importn-cia da preveno do cncer de mama du-rante o Outubro Rosa. Para simbolizar a cam-panha, o Ambulatrio de Especialidades ter iluminao rosa du-rante este ms. Alm disso, as pacientes do RAIS (Rede de Aten-o Integral Sade da Mulher) vo receber material educativo.

    Outubro Rosa uma campanha de cons-cientizao realizada por diversas entidades, sociedade e as mu-lheres, para destacar

    Divu

    lga

    o

    Jornal dos Aposentados

    a importncia da pre-veno e do diagns-tico precoce do cncer de mama. Atualmente o Outubro Rosa reali-zado em vrios lugares do mundo.

    A preveno e o diagnstico precoce so nossas principais armas contra o cncer. Aproveitamos o Outu-bro Rosa para desta-car a importncia da sade da mulher, re-sume o diretor de Sa-de, Mrcio Caneppele Santarm.

    HPVNessa data, a Direto-

    ria de Sade tambm refora a preveno do cncer de clo de

    tero. Em 2013, ficou institudo um crono-grama fixo para coleta de Papanicolau, com horrio flexvel. Todas as Unidades Bsicas de Sade exceo para a unidade da Ce-cap , ESFs (Estratgia Sade da Famlia) do municpio e RAIS Mu-lher realizam a coleta do material, sempre s quartas-feiras, a partir das 14h. Esse atendi-mento se estende pelo perodo noturno, at por volta de 21h. O cronograma fixo, abrangente e com horrio estendido foi pensado para atender s mulheres que traba-lham durante o dia.

    Diversas aes de conscientizao sero realizadas durante todo o ms de outubro

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Cuidado com a Febre do rato!

    Com o vero cada vez mais prximo, vem com ele a temporada de chuvas, enchentes e as enxurradas, au-mentando significa-tivamente o risco de doenas transmitidas pelas guas, onde a Leptospirose ou Fe-bre do Rato, como popularmente co-nhecida, gera preo-cupao e problemas de sade publica es-pecialmente na zona urbana, especialmen-te nas grandes cida-des.

    A Leptospirose uma doena infeccio-sa aguda, que pode ser grave, causada por uma bactria do gnero Leptospira. Esta doena trans-mitida por diversos animais de diferentes espcies com desta-que para os roedores, sunos, caninos e bo-vinos. Esta bactria pode sobreviver por tempo indetermina-do nos rins dos ani-mais portadores de forma assintomtica e no meio ambien-te em mdia por at

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 5Sade

    Divulgao

    Dr. Freitas Junior CRBM:20.000 - Biomdico Esteta e Patologista

    seis meses depois de excretado atravs da urina.

    A contaminao em humanos se da principalmente pelo contato direto com a urina dos animais in-fectados ou pela ex-posio gua conta-minada, que penetra em nosso organismo atravs das mucosas (Boca, olhos, ouvi-dos, regies genitais, etc...) pele ntegra ou com pequenos feri-mentos, e espalha-se atravs da corrente sangunea.

    Nas grandes cida-des, os ratos urbanos como as ratazanas, ratos de telhado e camundongos so os principais transmis-sores da doena e o nmero de casos ten-de a aumenta na es-tao das chuvas de-vido s enchentes e inundaes. Contudo o risco no desapare-ce com a baixa do vo-lume das guas, uma vez que as bactrias continuam ativas nos resduos midos durante aproximada-mente seis meses.

    Esta doena pode ser assintomtica, ou seja, no apresentar sintomas. Porm quando se instalam, os sintomas so:

    > Febre alta que comea de repente;

    > Mal-estar, nuseas, diarreia, desidratao; > Dores muscular especialmente na panturrilha,

    cabea e no trax;

    > Olhos vermelhos, tosse, cansao, calafrios, exan-temas (manchas vermelhas no corpo), meningite;

    > Ictercia, hemorragias, complicaes renais, torpor e coma so sinais da forma grave da doena.

    Em geral os sintomas regridem depois de trs ou qua-tro dias. Entretanto, essa melhora pode ser transitria e um sinal de que a doena esta evoluindo para formas mais graves. Na fase inicial, a leptospirose pode ser confundida com outras doenas (dengue, gripe, mal-ria, hepatite), devido aos sintomas serem parecidos. Por isso, muito importante estabelecer o diagnstico dife-rencial por meio de exames sorolgicos ou pelo isola-mento da bactria em cultura, no sangue ou no lquor.

    VEJA OS PRINCIPAIS SINTOMAS: CONFIRA AS DICAS:

    Cuidado com a higiene. Ferva a gua ou colo-que algumas gotas de hipoclorito de sdio ou de gua sanitria antes de beber ou cozinhar caso no disponha de gua encanada;

    Lave bem os alimentos, especialmente frutas e verduras que sero consumidas cruas;

    Embale bem o lixo e disponha em locais onde animais tenham dificuldade de acessar;

    No deixe de vacinar seu animal e mantenha smpre limpas as vasilhas em que so servidos alimentos e gua;

    Mantenha sempre tampados os reservatrios e caixas dgua;

    Use luvas e botas de borracha se trabalhar em am-bientes que possam ser reservatrios da Leptospira;

    No deixe as crianas brincarem em enchentes e enxurradas;

    Nunca se automedique, caso apresente sintomas

    ou suspeitar de infeco pela bactria, procure aten-dimento mdico. O tratamento oferecido gratuita-mente nas redes do Sistema nico de Sade SUS.

  • Vero, sol, mar... A primavera anuncia a chegada da estao mais quente do ano e com ela aumenta a procura pelas academias e clnicas estticas,

    por pessoas que querem receber o vero de braos abertos, pouca

    roupa e o corpo sarado.

    Dra Naia Siqueira - CRBM: 2226 - especialista em Biomedicina esttica e responsvel tcnica do Spa Soft Skin.

    6Sade

    Arquivo pessoal

    Uma das queixas mais comuns, entre este p-blico, que cresce a cada ano, sem duvi-da a celulite. Este mal atinge mulheres de to-

    das as idades. Um dos mtodos

    mais utilizados por cl-nicas de esttica para combater celulites, es-trias, flacidez e gordura localizada a carboxi-

    terapia. O procedimen-to, que consiste na in-jeo de gs carbnico (CO2) nos tecidos da pele, pode ser aplicado para melhorar o aspec-to de diversas partes do corpo, como abdmen, ndegas, costas, coxas, plpebras e braos.

    O desenvolvimento da celulite passa por trs fatores: edema, gordura e fibrose onde a carboxiterapia figura como uma das tera-pias mais eficazes no tratamento destes trs fatores sendo o nico que atua nos trs nveis simultaneamente, ex-plica Dra. Naia Siqueira Biomdica e respons-vel tcnica da clinica Soft Skin.

    O edema resolvido pela dilatao dos vasos

    e otimizao da circula-o, a fibrose rompida pela injeo de gs, e a gordura mais facilmen-te queimada pelo au-mento do metabolismo que ocorre no local. o tratamento mais com-pleto em comparao com outros.

    A carboxiterapia uma tcnica esttica que alm de ser eficaz na eliminao da celuli-te, combate s gorduras localizadas e melhora o tnus muscular, driblan-do a flacidez.

    O gs carbnico atua dilatando os vasos san-guneos e estimulando a formao de novos vasos sanguneos, pro-movendo melhor irri-gao de sangue nos tecidos e, consequen-temente, melhor oxige-

    nao da regio tratada. O gs carbnico atua tambm no rompimen-to de fibroses do tecido subcutneo. Alguns es-tudos mostram o favo-recimento de formao de colgeno, elastina e efeito lipoltico (quebra das clulas de gordura) decorrente da carboxi-terapia.

    O gs age estimu-lando a circulao san-gunea e posterior-mente eliminado na respirao, por isso no provoca nenhum outro tipo de dano ao corpo. O tratamento tem pou-cas contra indicaes: Mulheres grvidas, que amamentam ou tm problemas hormonais no devem realizar o procedimento. O trata-mento relativamente

    rpido e para visuali-zar melhoras, preciso realizar mais de cinco aplicaes. As sesses so realizadas semanal-mente de acordo com cada caso, com retoques num perodo que varia entre quatro, seis meses, dependendo da respos-ta do paciente.

    Os resultados podem permanecer por tempo indeterminado, depen-dendo dos hbitos de vida do indivduo. Pes-soas com hbitos sau-dveis, que se exercitam regularmente, tm ali-mentao balanceada e esto dentro do peso normal apresentam menor recorrncia do problema. Assim vale para o agravamento da celulite e aparecimento de novas estrias.

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    celulite?

    Dra. Naia explica os efeitos da carboxiterapia no corpo

    Perdendo a memria

    Tudo comeou quando pas-samos a viver mais. A mudana de estilo de vida, a mi-grao do campo para a cidade, a penicilina, os exames comple-mentares e as vacinas contriburam para que chegssemos em 2013 com uma expectativa de vida ao redor de 74 anos. Hoje so mais de 14 milhes de idosos, em 2060 espera-se um valor superior a 58 mi-

    lhes, com expectativa de vida mdia de 81 anos. Nossa cidade tem um percentual estima-do de 15% desta popu-lao. Todo esse con-tingente de brasileiros pode vir a sofrer de do-enas crnico-degene-rativas, entre elas a do-ena de Alzheimer. As causas ainda so pouco esclarecidas, mas bai-xa escolaridade, idade acima dos 60 anos, in-feces, alteraes ge-nticas esto entre os

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 7Sade

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Se isso estiver acontecendo com voc, no se desespere. Consulte o seu mdico

    para um diagnstico preciso

    A doutora Eliana atenta aos sintomas da doena de Alzheimer. Horrio de atendimento na Associao: segundas, teras e sextas-feiras, das 7h45 s 10h40 . Agendamento na secretaria da AAPJ

    Dra. Eliana Marangoni Guidugli, mdica na AAPJ (Associao dos Aposentados e Pensionistas de Ja)

    fatores predisponentes. A doena traz gran-de comprometimento da memria e da au-tonomia do paciente, necessitando de um rearranjo de atividades de toda famlia. Mas o que diferencia um es-quecimento esperado para a idade de um sin-toma inicial de demn-cia? A resposta no to simples... Sabemos que quando o paciente apresenta os primeiros sintomas, a doena j

    teve incio anos an-tes, com modificaes na neurotransmisso devido a acmulo de componentes txicos nos neurnios. s vezes, trocas de nomes, pe-quenos esquecimentos de objetos ou recados so minimizados pelo paciente e pela famlia, que atribuem esses sin-tomas ao prprio pas-sar dos anos. Esquecer nomes com o tempo? Normal. Ter a memria um pouco mais lenta, mas sem comprometi-mento das atividades dirias? Normal. Mas o Alzheimer no vem com etiqueta e fazer diagnstico precoce muito difcil. Um quar-to dos filhos de idosos com demncia podem vir a desenvolver o quadro, mas a forma espordica no relacio-nada ao gene a mais prevalente. Ter Alzhei-mer na fase inicial no quer dizer que o idoso esquea o tempo todo. Isso confunde a famlia e dificulta o diagnsti-co. As falhas so prin-cipalmente para a me-mria de fatos recentes, sendo que a memria do passado a ltima que se perde e pode

    estar preservada em fases moderadas da doena. Cientificamen-te no existe preven-o efetiva. Exercitar o crebro pode trazer grandes possibilidades de benefcio e a ativi-dade fsica, segundo estudos, traz um gran-de benefcio para a cognio. Alimentao? Vitaminas? Muita espe-culao e ainda pouca comprovao. O que os estudiosos pregam a dieta balanceada. Que exame d o diagns-tico? De certeza, s a bipsia cerebral, que feita depois da morte, ou seja, muitas vezes algo incerto. A tomo-grafia com atrofia no diagnstico de nada, todos aps os 60 anos tem atrofia. Os exames mais novos, como os de imagem que visu-alizam o crebro em atividade e dosagem de biomarcadores no lquor ainda fazem par-te do seleto mundo das universidades, so ca-rssimos e tem resulta-dos s vezes conflitan-tes. O que fazer? Vida normal, saudvel, sem estresse, atividade fsi-ca e cognitiva regula-res, sair da rotina, entrar

    em contato com est-mulos diversos, man-ter-se ativo. Fcil? Nem sempre, alis, cada vez mais difcil nos dias de hoje. Ao menos, aos primeiros sintomas de repetio, guardar ob-jetos e no encontrar, ter dificuldades para realizar atividades ro-tineiras, no reconhe-cer parentes que no encontra h algum tempo, procure seu ge-riatra. H muito o que esclarecer.

    Servio

    Sero realizadas na sede da Associao dos Aposentados e Pensio-nistas de Ja (AAPJ) pa-lestras sobre a doena de Alzheimer (e outras demncias) e discusso a respeito do dia-a-dia, das dificuldades da rotina do cuidar. Ser aberto ao pblico e os participantes sero divididos em gru-pos. Participaro diversos profissionais: terapeuta ocupacional, enfermeira, mdica, psicloga, entre outros. Os grupos sero realizados s teras-fei-ras, das 9:30 as 10:30h.

    As inscries podem ser feitas na secretaria da Associao.

  • Perdendo a memria

    Tudo comeou quando pas-samos a viver mais. A mudana de estilo de vida, a mi-grao do campo para a cidade, a penicilina, os exames comple-mentares e as vacinas contriburam para que chegssemos em 2013 com uma expectativa de vida ao redor de 74 anos. Hoje so mais de 14 milhes de idosos, em 2060 espera-se um valor superior a 58 mi-

    lhes, com expectativa de vida mdia de 81 anos. Nossa cidade tem um percentual estima-do de 15% desta popu-lao. Todo esse con-tingente de brasileiros pode vir a sofrer de do-enas crnico-degene-rativas, entre elas a do-ena de Alzheimer. As causas ainda so pouco esclarecidas, mas bai-xa escolaridade, idade acima dos 60 anos, in-feces, alteraes ge-nticas esto entre os

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 7Sade

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Se isso estiver acontecendo com voc, no se desespere. Consulte o seu mdico

    para um diagnstico preciso

    A doutora Eliana atenta aos sintomas da doena de Alzheimer. Horrio de atendimento na Associao: segundas, teras e sextas-feiras, das 7h45 s 10h40 . Agendamento na secretaria da AAPJ

    Dra. Eliana Marangoni Guidugli, mdica na AAPJ (Associao dos Aposentados e Pensionistas de Ja)

    fatores predisponentes. A doena traz gran-de comprometimento da memria e da au-tonomia do paciente, necessitando de um rearranjo de atividades de toda famlia. Mas o que diferencia um es-quecimento esperado para a idade de um sin-toma inicial de demn-cia? A resposta no to simples... Sabemos que quando o paciente apresenta os primeiros sintomas, a doena j

    teve incio anos an-tes, com modificaes na neurotransmisso devido a acmulo de componentes txicos nos neurnios. s vezes, trocas de nomes, pe-quenos esquecimentos de objetos ou recados so minimizados pelo paciente e pela famlia, que atribuem esses sin-tomas ao prprio pas-sar dos anos. Esquecer nomes com o tempo? Normal. Ter a memria um pouco mais lenta, mas sem comprometi-mento das atividades dirias? Normal. Mas o Alzheimer no vem com etiqueta e fazer diagnstico precoce muito difcil. Um quar-to dos filhos de idosos com demncia podem vir a desenvolver o quadro, mas a forma espordica no relacio-nada ao gene a mais prevalente. Ter Alzhei-mer na fase inicial no quer dizer que o idoso esquea o tempo todo. Isso confunde a famlia e dificulta o diagnsti-co. As falhas so prin-cipalmente para a me-mria de fatos recentes, sendo que a memria do passado a ltima que se perde e pode

    estar preservada em fases moderadas da doena. Cientificamen-te no existe preven-o efetiva. Exercitar o crebro pode trazer grandes possibilidades de benefcio e a ativi-dade fsica, segundo estudos, traz um gran-de benefcio para a cognio. Alimentao? Vitaminas? Muita espe-culao e ainda pouca comprovao. O que os estudiosos pregam a dieta balanceada. Que exame d o diagns-tico? De certeza, s a bipsia cerebral, que feita depois da morte, ou seja, muitas vezes algo incerto. A tomo-grafia com atrofia no diagnstico de nada, todos aps os 60 anos tem atrofia. Os exames mais novos, como os de imagem que visu-alizam o crebro em atividade e dosagem de biomarcadores no lquor ainda fazem par-te do seleto mundo das universidades, so ca-rssimos e tem resulta-dos s vezes conflitan-tes. O que fazer? Vida normal, saudvel, sem estresse, atividade fsi-ca e cognitiva regula-res, sair da rotina, entrar

    em contato com est-mulos diversos, man-ter-se ativo. Fcil? Nem sempre, alis, cada vez mais difcil nos dias de hoje. Ao menos, aos primeiros sintomas de repetio, guardar ob-jetos e no encontrar, ter dificuldades para realizar atividades ro-tineiras, no reconhe-cer parentes que no encontra h algum tempo, procure seu ge-riatra. H muito o que esclarecer.

    Servio

    Sero realizadas na sede da Associao dos Aposentados e Pensio-nistas de Ja (AAPJ) pa-lestras sobre a doena de Alzheimer (e outras demncias) e discusso a respeito do dia-a-dia, das dificuldades da rotina do cuidar. Ser aberto ao pblico e os participantes sero divididos em gru-pos. Participaro diversos profissionais: terapeuta ocupacional, enfermeira, mdica, psicloga, entre outros. Os grupos sero realizados s teras-fei-ras, das 9:30 as 10:30h.

    As inscries podem ser feitas na secretaria da Associao.

  • 8 Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Doenas crnicasUm dos fa-tores mais importantes

    para seu aumento a crescente longevi-dade e expectativa de vida das pessoas. Segundo a Organi-zao Mundial de Sade, as principais doenas crnicas no transmissveis em ordem de im-portncia, com alta morbimor talidade so: doenas cardio-vasculares (princi-palmente isqumica cardaca e cerebral), cncer, doenas res-piratrias crnicas, diabetes entre ou-tras.

    Determinantes s-cio-culturais, eco-nmicos, ambientais (globalizao, urba-nizao, envelhe-cimento) aliados a fatores de risco no modificveis (ida-de, hereditariedade) e fatores de risco modificveis (dieta no saudvel, ina-tividade fsica, uso de tabaco), alm de fatores de risco in-termedirios (au-mento da presso

    arterial,aumento da glicemia, dislipide-mia, obesidade) le-vam s principais doenas crnicas no transmissveis: doena cardaca, aci-dente vascular cere-bral (AVC), doena pulmonar obstrutiva crnica (DPOC), dia-betes.

    Estudos mostram mdia de 4,6 doen-as crnicas aos 65 anos e 5,8 aos 75 anos.

    Portanto, algumas aes so de extre-ma relevncia nos cuidados dos idosos:

    1) Os pacientes no devem ser s receptores passi-vos de orientaes e tratamentos, pois convivero por qua-se toda a vida com os problemas de sade; ento de-vem ser oferecidas estratgias para o paciente ser ge-renciador de sua sade. Evidncias demonstram que o comportamento do paciente no dia-a-dia influencia sua sade mais que in-

    Sade

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    As doenas crnicas no transmissveis ainda tem causa incerta, mltiplos fato-res de risco, longos perodos de latncia, curso prolongado, associao com defi-

    cincia e incapacidades funcionais.

    Doenas do corao. cncer, respiratrias e diabetes esto entre as citadas pela doutora Cynthia como as principais, com alto risco de mortalidade.

    Horrio de atendimento na Associao: segundas, quartas e quintas-feiras, das 14h s 16h. Agendamento na secretria da AAPJ.

    Dra. Cynthia Guidugli, mdica na AAPJ (Associao dos Aposentados e Pensionistas de Ja)

    tervenes mdicas isoladas, portanto, devemos envolver o paciente na tomada de decises e plane-jamento teraputico.

    2) Buscar metas: controle da doena, melhoria das condi-es de sade (ca-pacidade funcional, qualidade de vida, preveno e promo-o de sade) a cada consulta.

    3) Polticas de sa-de eficazes e toma-das de deciso acer-tadas.

    Devemos buscar um envelhecimento melhor e mais sau-dvel, que jamais livre de doenas e conseqncias do avanar da idade. Tais objetivos do en-velhecimento bem sucedido so:

    1) Preveno de doenas e incapaci-dades relacionadas a elas.

    2) Manter alto n-vel de funcionamen-to fsico e mental.

    3) Manter relacio-namentos sociais e promoo de ativi-dades produtivas.

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 9

    20 anos!Na manh de quarta-feira, 11 de setembro, a

    diretoria da AAPJ (Asso-ciao dos Aposentados e Pensionistas de Ja) ofereceu aos associa-dos um delicioso caf da manh na sua sede com farta distribuio de caf, leite, sucos, lan-ches, bolos e frutas.

    Compareceram ao lo-cal cerca de 400 pesso-as e no baile do sbado, dia 14 de setembro, foi oferecido um delicioso bolo, muito vinho fri-sante branco e ros vontade para tambm cerca de 400 pessoas.

    A organizao ficou por conta do diretor Joel, sua esposa Dirce, Lisinho, Vanda, Neuseli, Fofa, Lariza e Damio.

    HistriaA AAPJ teve incio em

    1993, quando dois se-nhores aposentados, Jos Carlos da Rocha Barros e Elyseu Germa-no Zago, juntamente com Jos Paulo Cabral de Vasconcelos, decidi-ram criar uma associa-o que defendesse os direitos do aposentado jauense e tambm um lugar de lazer, onde to-dos pudessem aprovei-

    tar melhor o tempo. Com muito esforo e

    apoio de alguns amigos, resolveram criar a base da associao. Ainda sem sede, uma comis-so foi formada e todos entraram em reunio com o presidente do Sindicato do Mobilirio da poca. Eles conse-guiram o emprstimo do salo de reunies, na rua Amaral Gurgel, n 134, e posteriormente o ento prefeito Walde-mar Bauab cedeu uma casa na rua Campos Salles, onde as reunies passaram a ser realiza-das. A partir disso, rece-beram suas primeiras doaes.

    Uma assemblia foi realizada, aumentaram o nmero de associa-dos e muitos conv-nios e parcerias foram firmadas, surgindo a a Associao dos Aposen-tados, que a casa de muitos, e tem um am-biente muito familiar.

    Depois disso, a Asso-ciao conseguiu ad- quirir uma sede prpria na rua Sete de Setem-bro, onde um prdio velho foi comprado e reformado. Ali se insta-lou a Associao, onde at hoje se encontra.

    Jornal dos AposentadosEspecial

    A AAPJ est em festa!Em 11 de setembro de 1993,

    a Associao dos Aposentados e Pensionistas de Ja dava

    incio s suas atividades

    Fotos: Pedro A. Biazetti

    Acima, os organizadores do delicioso caf da manh e ao lado a mesa farta, pronta para receber aos associados

    Pensando no bem-estar de seus associados e dependentes, a Associao concretizou a compra de um imvel, o qual passa por reformas e ampliao, garantindo melhorias aos associados que utilizam os servios prestados por ela.

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 9

    20 anos!Na manh de quarta-feira, 11 de setembro, a

    diretoria da AAPJ (Asso-ciao dos Aposentados e Pensionistas de Ja) ofereceu aos associa-dos um delicioso caf da manh na sua sede com farta distribuio de caf, leite, sucos, lan-ches, bolos e frutas.

    Compareceram ao lo-cal cerca de 400 pesso-as e no baile do sbado, dia 14 de setembro, foi oferecido um delicioso bolo, muito vinho fri-sante branco e ros vontade para tambm cerca de 400 pessoas.

    A organizao ficou por conta do diretor Joel, sua esposa Dirce, Lisinho, Vanda, Neuseli, Fofa, Lariza e Damio.

    HistriaA AAPJ teve incio em

    1993, quando dois se-nhores aposentados, Jos Carlos da Rocha Barros e Elyseu Germa-no Zago, juntamente com Jos Paulo Cabral de Vasconcelos, decidi-ram criar uma associa-o que defendesse os direitos do aposentado jauense e tambm um lugar de lazer, onde to-dos pudessem aprovei-

    tar melhor o tempo. Com muito esforo e

    apoio de alguns amigos, resolveram criar a base da associao. Ainda sem sede, uma comis-so foi formada e todos entraram em reunio com o presidente do Sindicato do Mobilirio da poca. Eles conse-guiram o emprstimo do salo de reunies, na rua Amaral Gurgel, n 134, e posteriormente o ento prefeito Walde-mar Bauab cedeu uma casa na rua Campos Salles, onde as reunies passaram a ser realiza-das. A partir disso, rece-beram suas primeiras doaes.

    Uma assemblia foi realizada, aumentaram o nmero de associa-dos e muitos conv-nios e parcerias foram firmadas, surgindo a a Associao dos Aposen-tados, que a casa de muitos, e tem um am-biente muito familiar.

    Depois disso, a Asso-ciao conseguiu ad- quirir uma sede prpria na rua Sete de Setem-bro, onde um prdio velho foi comprado e reformado. Ali se insta-lou a Associao, onde at hoje se encontra.

    Jornal dos AposentadosEspecial

    A AAPJ est em festa!Em 11 de setembro de 1993,

    a Associao dos Aposentados e Pensionistas de Ja dava

    incio s suas atividades

    Fotos: Pedro A. Biazetti

    Acima, os organizadores do delicioso caf da manh e ao lado a mesa farta, pronta para receber aos associados

    Pensando no bem-estar de seus associados e dependentes, a Associao concretizou a compra de um imvel, o qual passa por reformas e ampliao, garantindo melhorias aos associados que utilizam os servios prestados por ela.

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 201310

    Colaborao Pedro A. Biazetti

    Associao Ja Jornal dos Aposentados

    Cuidando dabeleza

    Hoje em dia cada vez maior o nmero de pessoas acima de 50 buscando tratamen-tos estticos, cuidados especiais com o corpo e frequentando os sa-les de beleza.

    Para isso, neces-srio que haja pro-fissionais dedicados, que saibam agradar o cliente e deix-lo

    ainda mais belo. E isso que as profissio-nais Roseli Quevedo Nascimento, manicure e pedicure h 4 anos na Associao dos Aposentados e Pen-sionistas de Ja (AAPJ) e Alessandra de Lima Barros, cabeleireira h 6 anos tambm na As-sociao, fazem.

    Elas prestam servi-os aos associados e

    Roseli e Alessandra atendem na Associao dos Aposentados

    e sabem como elevar a autoestima dos seus clientes

    Roseli e Alessandra atendem na Associao dos Aposentados de Ja. Simpticas, esto sempre com um sorriso no rosto, trabalhando pelos associados e dependentes

    dependentes (homens, mulheres, adultos e crianas) e tambm ao pblico em geral.

    Elas so dedicadas e sabem como agra-dar aos seus clientes de forma que fiquem satisfeitos com o seu trabalho e com a au-toestima elevada.

    Alm disso, elas do descontos especiais para os associados e

    dependentes, deixan-do-os ainda mais sa-tisfeitos.

    A dica da manicure Roseli, manter mos e ps bem hidratados, para isso basta lem-brar do hidratante de-pois do banho. S o hi-dratante diariamente e uma esfoliao com acar mascavo se-manalmente garante o extermnio das ca-

    losidades e asperezas. As mos pedem hidra-tao intensa princi-palmente para quem lava muita loua, rou-pa ou tem a pele na-turalmente seca.

    Roseli atende de se-gunda a sexta-feira, das 8 s 17 horas.

    A cabeleireira Ales-sandra atenta para no lavar os cabe-los com gua muito

    quente. Ela prejudica o couro cabeludo, au-menta a seborreia e pode causar a queda dos fios.

    Alessandra atende nos horrios de tera a sexta-feira das 9 s 17 horas e aos sba-dos das 9 s 12 horas.

    Para agendamentos, ligar na secretria da AAPJ, pelo fone 3601-6870.

    Mirna Adriana Justo advogada em Lenis Paulista

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 11Jurdico

    Diferenas do FGTS

    Quem possuiu saldo de FGTS de 1999 at 2013, pode entrar com ao

    judicial para receber as diferenas

    Todas as pesso-as que possu-ram algum sal-do de FGTS de 1999 em diante, aposenta-do ou no, podero ajuizar ao judicial para receber as di-ferenas dos valores que foram corrigidos abaixo da inflao. As diferenas podem chegar a 88,3% con-forme o caso.

    O que so essas diferenas?A Taxa Referencial

    (TR) o ndice usado para corrigir as contas do FGTS. Porm, des-de 1999, o Governo federal no a aplica conforme os nme-ros da inflao anual. Com isso, o dinheiro do trabalhador vem ficando defasado.

    A partir de 1999, a TR comeou a ser reduzida, gradativa-mente, at que, em se-tembro de 2012, che-gou a zero. Ou seja, o dinheiro do trabalha-dor que est no FGTS passou a ficar sem correo.

    Diante desse ab-surdo com o dinhei-ro do trabalhador, as centrais sindicais

    e demais entidades filiadas resolveram entrar com uma ao para cobrar na Justia a correo das contas. A ao engloba o pe-rodo de 1999 at os dias atuais.

    Na verdade, ocorre que o governo trans-formou o FGTS em mais um imposto, pois, a cada ms o di-nheiro do trabalhador desvalorizado fren-te s perdas inflacio-nrias e a diferena utilizada para finan-ciar investimentos em reas como habitao, saneamento e infraes-trutura. Em dezembro de 2012, o patrimnio do FGTS atingiu R$ 325,5 bilhes.

    O Instituto FGTS Fcil (IFF) levantou recentemente um clculo demonstran-do que somente nos ltimos oito meses os trabalhadores de todo o pas deixaram de receber R$ 19,7 bi-lhes em suas contas em razo da aplica-o da TR. Outro dado assustador levantado pela mesma institui-o que desde 2002 o valor que deixou de ser corrigido no fundo

    Divulgao

    Empresas especializadas em cuidar de idosos ganham espao no mercado

    chegaria a R$ 127,8 bilhes.

    Como fao para pedir a reviso do

    meu FGTS? preciso um proces-

    so judicial para pedir a reviso do seu saldo do FGTS. Portanto, necessria a contrata-o de um advogado.

    Quais os documentos necessrios?

    Para entrar com a ao so necessrias cpias simples dos seguinte documentos:

    - Cdula de Identi-dade (RG); CPF;

    - Comprovante de endereo (gua, luz, telefone);

    - PIS/PASEP (cpia do carto/nmero do PIS);

    - Extrato Analtico do FGTS fornecido pela Caixa Econmica Federal (de 1999 em diante);

    - Carta de Concesso do Benefcio - para os aposentados.

    Quem tem direito reviso?

    Todo brasileiro que tenha tido algum sal-do em seu FGTS entre 1999 e 2013, esteja

    ele aposentado ou no.

    Quanto eu tenho direito a receber?Os valores depen-

    dem de caso a caso, de acordo com o perodo em que o trabalhador possuiu valores depo-sitados no FGTS. H casos em que a atua-lizao chega a 88,3% do valor do fundo.

    Eu poderei sacar o dinheiro?

    Tudo vai depender de como a Justia de-cidir. Porm, o FGTS possui regras espec-

    ficas para os saques.A tendncia como

    aconteceu no acordo feito em 2001, para pagamento da corre-o dos planos Collor 1 e Vero que s possam sacar os re-cursos os trabalhado-res que j adquiriram esse direito, como os demitidos sem justa causa e os aposenta-dos. Em outros casos, a vitria na Justia significar o aumen-

    to do valor do fundo, para quando o traba-lhador puder sac-lo.

    Entrar com a ao pode me prejudicar de alguma forma no

    trabalho?No. O processo

    no interfere no seu vnculo empregatcio, j que no envolve o empregador, e no implica em nenhum prejuzo para seu sal-do do FGTS.

    Para maiores informaes, procure a AAPILPR (As-sociao dos Aposentados e Pensionistas de Lenis Paulista e Regio) Fone: 3264-1393. Rua Igncio Anselmo, 1167, de segunda a sexta, das 9 s 11h.

  • Mirna Adriana Justo advogada em Lenis Paulista

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 11Jurdico

    Diferenas do FGTS

    Quem possuiu saldo de FGTS de 1999 at 2013, pode entrar com ao

    judicial para receber as diferenas

    Todas as pesso-as que possu-ram algum sal-do de FGTS de 1999 em diante, aposenta-do ou no, podero ajuizar ao judicial para receber as di-ferenas dos valores que foram corrigidos abaixo da inflao. As diferenas podem chegar a 88,3% con-forme o caso.

    O que so essas diferenas?A Taxa Referencial

    (TR) o ndice usado para corrigir as contas do FGTS. Porm, des-de 1999, o Governo federal no a aplica conforme os nme-ros da inflao anual. Com isso, o dinheiro do trabalhador vem ficando defasado.

    A partir de 1999, a TR comeou a ser reduzida, gradativa-mente, at que, em se-tembro de 2012, che-gou a zero. Ou seja, o dinheiro do trabalha-dor que est no FGTS passou a ficar sem correo.

    Diante desse ab-surdo com o dinhei-ro do trabalhador, as centrais sindicais

    e demais entidades filiadas resolveram entrar com uma ao para cobrar na Justia a correo das contas. A ao engloba o pe-rodo de 1999 at os dias atuais.

    Na verdade, ocorre que o governo trans-formou o FGTS em mais um imposto, pois, a cada ms o di-nheiro do trabalhador desvalorizado fren-te s perdas inflacio-nrias e a diferena utilizada para finan-ciar investimentos em reas como habitao, saneamento e infraes-trutura. Em dezembro de 2012, o patrimnio do FGTS atingiu R$ 325,5 bilhes.

    O Instituto FGTS Fcil (IFF) levantou recentemente um clculo demonstran-do que somente nos ltimos oito meses os trabalhadores de todo o pas deixaram de receber R$ 19,7 bi-lhes em suas contas em razo da aplica-o da TR. Outro dado assustador levantado pela mesma institui-o que desde 2002 o valor que deixou de ser corrigido no fundo

    Divulgao

    Empresas especializadas em cuidar de idosos ganham espao no mercado

    chegaria a R$ 127,8 bilhes.

    Como fao para pedir a reviso do

    meu FGTS? preciso um proces-

    so judicial para pedir a reviso do seu saldo do FGTS. Portanto, necessria a contrata-o de um advogado.

    Quais os documentos necessrios?

    Para entrar com a ao so necessrias cpias simples dos seguinte documentos:

    - Cdula de Identi-dade (RG); CPF;

    - Comprovante de endereo (gua, luz, telefone);

    - PIS/PASEP (cpia do carto/nmero do PIS);

    - Extrato Analtico do FGTS fornecido pela Caixa Econmica Federal (de 1999 em diante);

    - Carta de Concesso do Benefcio - para os aposentados.

    Quem tem direito reviso?

    Todo brasileiro que tenha tido algum sal-do em seu FGTS entre 1999 e 2013, esteja

    ele aposentado ou no.

    Quanto eu tenho direito a receber?Os valores depen-

    dem de caso a caso, de acordo com o perodo em que o trabalhador possuiu valores depo-sitados no FGTS. H casos em que a atua-lizao chega a 88,3% do valor do fundo.

    Eu poderei sacar o dinheiro?

    Tudo vai depender de como a Justia de-cidir. Porm, o FGTS possui regras espec-

    ficas para os saques.A tendncia como

    aconteceu no acordo feito em 2001, para pagamento da corre-o dos planos Collor 1 e Vero que s possam sacar os re-cursos os trabalhado-res que j adquiriram esse direito, como os demitidos sem justa causa e os aposenta-dos. Em outros casos, a vitria na Justia significar o aumen-

    to do valor do fundo, para quando o traba-lhador puder sac-lo.

    Entrar com a ao pode me prejudicar de alguma forma no

    trabalho?No. O processo

    no interfere no seu vnculo empregatcio, j que no envolve o empregador, e no implica em nenhum prejuzo para seu sal-do do FGTS.

    Para maiores informaes, procure a AAPILPR (As-sociao dos Aposentados e Pensionistas de Lenis Paulista e Regio) Fone: 3264-1393. Rua Igncio Anselmo, 1167, de segunda a sexta, das 9 s 11h.

  • 12Personalidade

    Ele pura simpatia!

    Eleito Mister Simpatia 2013 na segunda edio do Concur-so que elege Miss e Mister Melhor Idade na cidade de Lenis Paulista, Joo Viei-ra Martins Filho, foi destaque da noite, juntamente com An-tnia Batista, eleita Miss Simpatia pelos jurados.

    No auge dos seus 70 anos, sr. Joo ficou surpreso com o ttulo e diz ser a primeira

    vez que participa de um con-

    curso.

    Joo Vieira Martins Filho, que completa 70 anos no ms que vem, esbanja disposio e no dispensa os momentos na fazenda, trabalhando e cuidando dos animais

    Eleito como o Mister Simpatia 2013 de Lenis Paulista, Joo Vieira Martins Filho faz jus ao ttulo, sempre com um sorriso no rosto e um humor que contagia

    Jornal dos Aposentados

    Na verdade, me inscrevi no concurso por causa do Trio Los Angeles, do qual sou f desde os tempos em que eles canta-vam no programa Sil-vio Santos, confessa.

    No dia do ensaio, que aconteceu uns dias antes da pre-miao, sr. Joo teve a oportunidade de co-nhecer Mrcio Men-des, o vocalista do Los Angeles.

    Foi muito emocio-nante pois eu no es-perava v-lo l, conta.

    Aposentado h mais de 12 anos, sr. Joo trabalhou como funcionrio pblico durante 18 anos, de vigilante na Prefei-tura Municipal e no

    Hospital Canaviei-ros.

    Sr. Joo tem 6 filhos e

    diz que

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Jornal dos Apos

    entados

  • 12Personalidade

    Ele pura simpatia!

    Eleito Mister Simpatia 2013 na segunda edio do Concur-so que elege Miss e Mister Melhor Idade na cidade de Lenis Paulista, Joo Viei-ra Martins Filho, foi destaque da noite, juntamente com An-tnia Batista, eleita Miss Simpatia pelos jurados.

    No auge dos seus 70 anos, sr. Joo ficou surpreso com o ttulo e diz ser a primeira

    vez que participa de um con-

    curso.

    Joo Vieira Martins Filho, que completa 70 anos no ms que vem, esbanja disposio e no dispensa os momentos na fazenda, trabalhando e cuidando dos animais

    Eleito como o Mister Simpatia 2013 de Lenis Paulista, Joo Vieira Martins Filho faz jus ao ttulo, sempre com um sorriso no rosto e um humor que contagia

    Jornal dos Aposentados

    Na verdade, me inscrevi no concurso por causa do Trio Los Angeles, do qual sou f desde os tempos em que eles canta-vam no programa Sil-vio Santos, confessa.

    No dia do ensaio, que aconteceu uns dias antes da pre-miao, sr. Joo teve a oportunidade de co-nhecer Mrcio Men-des, o vocalista do Los Angeles.

    Foi muito emocio-nante pois eu no es-perava v-lo l, conta.

    Aposentado h mais de 12 anos, sr. Joo trabalhou como funcionrio pblico durante 18 anos, de vigilante na Prefei-tura Municipal e no

    Hospital Canaviei-ros.

    Sr. Joo tem 6 filhos e

    diz que

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Jornal dos Apos

    entados

    eles ficaram muito or-gulhosos do pai, que reconhecido na rua pelas pessoas.

    Vivo h 31 anos, sr. Joo uma pes-soa muito ativa e frequenta os bailes do Clube da Terceira Idade nos finais de semana, mas diz que no momento prefere continuar solteiro.

    Seu melhor passa-tempo em uma fa-zendo no Rio Claro, onde passa a semana para trabalhar, se dis-trair e largar o vcio do cigarro.

    Eu fumei a minha vida toda e agora es-tou a um bom tempo sem fumar. A fazenda me faz esquecer do vcio, afirma.

    Alm das atividades

    realizadas na fazenda, sr. Joo ainda faz parte da Diretoria do Clube da Terceira Idade de Lenis Paulista.

    Apesar de receber o ttulo de Mister Sim-patia, ele se diz tmi-do.

    Sou uma pessoa bem reservada e fi-quei muito nervoso no momento da pre-miao, revela.

    No ano que vem vou concorrer nova-mente, mas gostaria de ir com meu terno que pele de cobra verde, brinca.

    Na noite da escolha, no dia 19 de setem-bro, havia cerca de 40 candidatos con-correndo e em mdia 800 pessoas estive-ram presentes.

    Cntia Fotografias

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 13

    Sr. Joo juntamente com Claudinei Dellamura, Mister Melhor Idade e Hlio Damasceno de Sousa, Mister Elegncia

    O Trio Los Angeles, encabeado por Marcio Mendes, teve incio em 1982 e suas princi-pais caractersticas so as msicas caribe-nhas e o uso de elementos e danas sensuais

    As premiadas da noite: Miss Elegncia - Silvia Artioli Ferreira; Miss Melhor Idade - Aparecida de Lima Lopes e Miss Simpatia - Antonia Batista

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

  • 14 Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 Jornal dos AposentadosEsporte

    Idosos com 60 anos de idade ou mais podero adquirir ingressos de meia-en-trada (50% de descon-to) at a data da final da Copa do Mundo de 2014 e tambm ad-quirir ingressos de to-das as categorias (1, 2, 3 e 4) com os 50% de desconto garantidos.

    Precisaro apenas mostrar o RG ou um documento oficial com foto.

    Depois de ser puni-do com a perda de dois mandos de cam-po, o Corinthians teve uma boa no-tcia na tentativa de reverter a si-tuao. A equipe obteve um efeito suspensivo do STJD e fez com que medida fos-se congelada at novo julgamento.

    Se voc acha que est velho aos 60 anos, o que me diz do ingls Ed Whitlock, que aos 74 anos, na Maratona de Roterd, em abril de 2005, correu os 42.195 metros em menos de 3 horas? Na verdade fo-

    Copa do MundoTorcedores tm at dia 10 de outubro para solicitar entradas para a Copa do Mundo de 2014. Depois, haver sorteio para definir os compradores

    Divulgao

    Copa do Brasil: Timo consegue efeito suspensivo de multa

    Ed Whitlock, o velhinho mais rpido do mundo

    A equipe paulista foi punida na Copa do Brasil por conta dos torcedores que usaram sinalizadores no estdio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde, no jogo de ida contra o Luverdense, pelas oitavas de final da competio.

    Como j fez o duelo das quartas de final como mandante, a pu-nio seria vlida ape-nas a partir de agora e,

    ram 2h58min40seg, o equivalente a 15 quil-metros por hora.

    Na marca dos 21 quilmetros, em que ele passou para 1h29, junto com outro atleta com mais de 70 anos, dois brasileiros presen-ciaram a disputa (pa-

    assim, estaria corren-do o risco de ter de jo-gar uma eventual final fora do Pacaembu.

    A torcida do Corin-thians j tem prejudi-cado o clube em ou-tras competies. Na Libertadores, por con-ta de um sinalizador que matou o garoto Kevin Espada, o time jogou uma partida com portes fechados e ainda foi penalizado em 200 mil dlares.

    trocinada pela organi-zao da Maratona de Roterd para a tentati-va de recorde mundial): o Oliver de Paula e eu.

    A partir do quilme-tro 35, os velhinhos disseram adeus aos brasileiros. Whitlock vive desde 1952 no Ca-nad, quando foi trans-ferido a trabalho. Como ele mesmo relata, foi um bom corredor, mas sem destaque at os 40 anos, quando aban-donou os tnis. Vinte e sete anos atrs, re-solveu retornar corri-da. Treina diariamente aps o desjejum em uma pista de 500 me-tros, ao redor de um ce-mitrio, prximo a sua residncia.

    Questionado se tem

    Divulgao

    medo de treinar nes-se local, para muitos assustador, respondeu com um discreto sor-riso: tenho medo dos vivos, no dos mortos.

    Em setembro, Ed Whitlock quebrou seu prprio recorde mun-dial aos 82 anos, na Meia Maratona (21 km) de Milton, Ontario, no Canad, correndo em 1h38min11seg, mdia de 4min38seg por qui-lmetro. 48 segundos mais rpido do que 2012 na mesma prova.

    Ele ainda acha que est novo para a ma-ratona. Sua me fale-ceu aos 91 anos, e seu tio mais idoso aos 108 anos.

    Wanderlei de Oliveira, jornalista e corredor

    Divulgao

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 15Cidades

    Expovelha 2013 define shows

    De 14 a 20 de outubro acon-tece a 26 edi-

    Foi inaugurada no dia 4 de outubro a unidade do Sesi Alberto Trecenti de Lenis Paulista, que foi projetada com 12 salas de aula, bibliote-ca, vrios laboratrios, cozinha com despensa, refeitrio e quadra de esportes coberta, alm de oferecer ensino fun-damental em tempo integral, onde os alunos realizam diversas ativi-dades complementa-res e refeies dirias (caf da manh, almoo e lanche da tarde). Na

    Prefeito Tarcisio Mateus Abel es-tuda alternativas para resolver o proble-ma ocorrido na rodo-viria Fernando Valezi Filho ocasionado pela chuva do dia 2 de ou-tubro. Tarcisio analisa a possibilidade de uma nova Rodoviria em um novo local. Em contato na Secretaria Estadual de Defesa Civil, Casa Civil e Casa Militar o prefeito busca melhor alternativa com maior agilidade. Todos os cui-

    A diretoria da As-sociao dos Aposentados de Ja ainda aguarda manifestao por parte

    Unidades do SESI so inauguradas em Lenis Paulista e Barra Bonita

    Prefeito estuda alternativas para a rodoviria

    o da Expovelha (o principal evento de ovinocultura do Esta-

    solenidade esteve pre-sente Paulo Skaf, que o presidente da Fiesp, Ciesp, Sesi e Senai/SP e cerca de 500 pessoas.

    Barra A unidade do Sesi de

    Barra Bonita, construda no Sonho Nosso 5, foi inaugurada no dia 30 de setembro. O prdio uma das mais moder-nas escolas do SESI em todo o Estado. A unida-de funcionar em tem-po integral e tm 16 salas de aula, diversos laboratrios, sala mul-

    dados foram tomados para a segurana dos muncipes. Pessoas es-pecialistas no assunto vistoriaram o local e verificaram que a es-

    do) no Recinto de Ex-posies Jos Oliveira Prado, com vrias atra-es. So mais de mil animais de variadas raas em exposio, alm de leiles, expo-sio de orqudeas e carros antigos.

    Os shows aconte-cem a partir do dia 16 com o Festival de ban-das (dias 16 e 17), Ana Kely e Julyana Rama-lho no dia 18, e Lucas Ferreira no dia 19.

    tidisciplinar, rea de convivncia, biblioteca com acesso Internet, quadra poliesportiva, e todos os recursos did-ticos necessrios para a realizao de um ensi-no de qualidade.

    A construo da es-cola foi assegurada por meio de doao insti-tuio de uma rea de 20 mil m autorizada em 2010 pelo prefeito Jos Carlos de Mello Teixeira, o Nen.

    A obra representa um investimento de mais de R$ 10,6 milhes.

    trutura dever ser reti-rada, sendo assim, uma obra de grande porte. At que tudo seja re-solvido, o local perma-necer interditado.

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados

    LENIS PAULISTA

    No dia 4 de outubro, por volta das 14 horas no bairro da Cecap, a equipe de Resgate Integra-

    Jovem diz estar armado e ameaa equipe do Resgate Integrado

    do foi acionada para cumprir uma medida de internao compul-sria de um jovem que mostrou resistncia e se dizia armado, amea-

    ando a equipe.Diante da situao,

    a Polcia Militar foi acionada, iniciando as negociaes e conteve o paciente.

    POLCIA - LENIS

    O prefeito de Macatuba, Tar-cisio Mateus Abel em reunio com seus secretrios, aler-tou sobre a necessi-dade e prioridade em economizar gastos p-blicos.

    Para que todos os servios sejam man-tidos, de extrema importncia que essa diminuio nos gas-tos municipais seja feita, ainda mais com a aproximao do fim do ano e os nmeros de queda de arreca-dao que ocorre em

    Tarcsio pede mais economia com gastos pblicos municipais

    todo o pas,Desde o trmino do

    primeiro trimestre nos-sa equipe de finanas vem acompanhando mais de perto a econo-mia nacional e, princi-palmente, municipal e observamos queda na arrecadao. S que as despesas aumentam por causa do reajuste da inflao que corrige os preos dos produtos e servios, comentou o prefeito. E econo-mizar um dos princi-pais focos das reunies que fazemos com os secretrios semanal-

    mente para tratarmos de vrios assuntos. Temos que utilizar os recursos que temos da melhor maneira possvel. Essa a tni-ca num primeiro mo-mento, afirma. E num segundo momento o que temos feito tam-bm h algum tempo, buscando recursos do governo estadual ou federal. Essa nossa luta e nosso empenho.

    Tarcsio afirma que com essas aes possvel fechar o ano sem prejudicar ne-nhuma rea.

    MACATUBA

    Prefeitura Barra BonitaJayro Ribeiro

    MACATUBA

    Prefeitura Macatuba

    JA

    do poder pblico mu-nicipal com relao aos nibus e caminhes es-tacionados em frente sede. O estacionamento

    ilegal desses veculos tem atrapalhado a mo-vimentao dos asso-ciados, que desfrutam dos servios oferecidos.

    Ateno ao trnsito: nenhuma providncia

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 15Cidades

    Expovelha 2013 define shows

    De 14 a 20 de outubro acon-tece a 26 edi-

    Foi inaugurada no dia 4 de outubro a unidade do Sesi Alberto Trecenti de Lenis Paulista, que foi projetada com 12 salas de aula, bibliote-ca, vrios laboratrios, cozinha com despensa, refeitrio e quadra de esportes coberta, alm de oferecer ensino fun-damental em tempo integral, onde os alunos realizam diversas ativi-dades complementa-res e refeies dirias (caf da manh, almoo e lanche da tarde). Na

    Prefeito Tarcisio Mateus Abel es-tuda alternativas para resolver o proble-ma ocorrido na rodo-viria Fernando Valezi Filho ocasionado pela chuva do dia 2 de ou-tubro. Tarcisio analisa a possibilidade de uma nova Rodoviria em um novo local. Em contato na Secretaria Estadual de Defesa Civil, Casa Civil e Casa Militar o prefeito busca melhor alternativa com maior agilidade. Todos os cui-

    A diretoria da As-sociao dos Aposentados de Ja ainda aguarda manifestao por parte

    Unidades do SESI so inauguradas em Lenis Paulista e Barra Bonita

    Prefeito estuda alternativas para a rodoviria

    o da Expovelha (o principal evento de ovinocultura do Esta-

    solenidade esteve pre-sente Paulo Skaf, que o presidente da Fiesp, Ciesp, Sesi e Senai/SP e cerca de 500 pessoas.

    Barra A unidade do Sesi de

    Barra Bonita, construda no Sonho Nosso 5, foi inaugurada no dia 30 de setembro. O prdio uma das mais moder-nas escolas do SESI em todo o Estado. A unida-de funcionar em tem-po integral e tm 16 salas de aula, diversos laboratrios, sala mul-

    dados foram tomados para a segurana dos muncipes. Pessoas es-pecialistas no assunto vistoriaram o local e verificaram que a es-

    do) no Recinto de Ex-posies Jos Oliveira Prado, com vrias atra-es. So mais de mil animais de variadas raas em exposio, alm de leiles, expo-sio de orqudeas e carros antigos.

    Os shows aconte-cem a partir do dia 16 com o Festival de ban-das (dias 16 e 17), Ana Kely e Julyana Rama-lho no dia 18, e Lucas Ferreira no dia 19.

    tidisciplinar, rea de convivncia, biblioteca com acesso Internet, quadra poliesportiva, e todos os recursos did-ticos necessrios para a realizao de um ensi-no de qualidade.

    A construo da es-cola foi assegurada por meio de doao insti-tuio de uma rea de 20 mil m autorizada em 2010 pelo prefeito Jos Carlos de Mello Teixeira, o Nen.

    A obra representa um investimento de mais de R$ 10,6 milhes.

    trutura dever ser reti-rada, sendo assim, uma obra de grande porte. At que tudo seja re-solvido, o local perma-necer interditado.

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados

    LENIS PAULISTA

    No dia 4 de outubro, por volta das 14 horas no bairro da Cecap, a equipe de Resgate Integra-

    Jovem diz estar armado e ameaa equipe do Resgate Integrado

    do foi acionada para cumprir uma medida de internao compul-sria de um jovem que mostrou resistncia e se dizia armado, amea-

    ando a equipe.Diante da situao,

    a Polcia Militar foi acionada, iniciando as negociaes e conteve o paciente.

    POLCIA - LENIS

    O prefeito de Macatuba, Tar-cisio Mateus Abel em reunio com seus secretrios, aler-tou sobre a necessi-dade e prioridade em economizar gastos p-blicos.

    Para que todos os servios sejam man-tidos, de extrema importncia que essa diminuio nos gas-tos municipais seja feita, ainda mais com a aproximao do fim do ano e os nmeros de queda de arreca-dao que ocorre em

    Tarcsio pede mais economia com gastos pblicos municipais

    todo o pas,Desde o trmino do

    primeiro trimestre nos-sa equipe de finanas vem acompanhando mais de perto a econo-mia nacional e, princi-palmente, municipal e observamos queda na arrecadao. S que as despesas aumentam por causa do reajuste da inflao que corrige os preos dos produtos e servios, comentou o prefeito. E econo-mizar um dos princi-pais focos das reunies que fazemos com os secretrios semanal-

    mente para tratarmos de vrios assuntos. Temos que utilizar os recursos que temos da melhor maneira possvel. Essa a tni-ca num primeiro mo-mento, afirma. E num segundo momento o que temos feito tam-bm h algum tempo, buscando recursos do governo estadual ou federal. Essa nossa luta e nosso empenho.

    Tarcsio afirma que com essas aes possvel fechar o ano sem prejudicar ne-nhuma rea.

    MACATUBA

    Prefeitura Barra BonitaJayro Ribeiro

    MACATUBA

    Prefeitura Macatuba

    JA

    do poder pblico mu-nicipal com relao aos nibus e caminhes es-tacionados em frente sede. O estacionamento

    ilegal desses veculos tem atrapalhado a mo-vimentao dos asso-ciados, que desfrutam dos servios oferecidos.

    Ateno ao trnsito: nenhuma providncia

  • 16Passatempo

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    LABIRINTO

    Soluo dolabirinto

    Encontre a sada

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 17

    TraioNa dcada de 70 se a mulher descobrisse uma traio ela perdoava e cuidava do marido ainda mais de medo de ser abandonada.Na dcada de 80 se a mulher descobrisse uma traio juntava as prprias coisas na mala e ia embora.Na dcada de 90 se a mulher descobrisse uma traio juntava as coisas do marido na mala e o mandava embora.Hoje a mulher moderna quando descobre a traio junta o marido em pedaos na mala e o joga fora.

    Piadas cur

    tas

    O poder da propaganda

    Duas garotinhas de oito anos conversam no quarto:- O que voc vai pedir no dia das crianas?- Eu vou pedir uma Barbie, e voc?- Eu vou pedir um O.B.- O.B.?! O que isso?!- Nem imagino, mas na televiso dizem que com O.B. a gente pode ir praia, andar de bicicleta, an-dar a cavalo, danar, ir ao clube, correr, fazer um monto de coisas legais, e o melhor... sem que nin-gum perceba!

    Romeu e julieta

    Uma senhora chega bilhete-ria do teatro e pede:- Ol, quero dois ingressos.O rapaz l dentro pergunta:- Para Romeu e Julieta?- No, para mim e para meu marido.

    No geriatra

    O mdico atende um velhinho milionrio que tinha comeado a usar um revolucionrio apa-relho de audio: - E a, seu Almeida, est gostan-do do aparelho?- muito bom.- Sua famlia gostou?- Ainda no contei para nin-gum, mas j mudei meu testa-mento trs vezes.

    Doido

    O doido estava no hospcio, es-crevendo uma carta, quando o mdico che-gou, viu e pen-sou:Poxa, esse cara deve es-tar bom. Est at escrevendo carta. A ele chegou pro doido e per-guntou:- Pra quem essa carta?- Ah pra mim mesmo, doutor, eu nunca re-cebo cartas de ningum.- E o que esta escrito nela?- Como que eu vou saber, ainda no re-cebi!

  • 18Ms da criana

    Voltando a ser

    J lhe aconteceu al-guma vez de comer alguma coisa ruim e pensar: Nossa! Ser que os fabricantes disso j experimen-taram essa coisa? Ou talvez, comprar um produto que no funciona bem e pensar se quem teve a ideia ou o produ-ziu chegou a test-lo? Esse tipo de coi-sa acontece quando no h compreen-

    so do que esperado pelo cliente, do que ele realmente gosta e do que realmente quer.

    Muitas vezes, no en-tanto, fazemos a mes-ma coisa quando su-pomos que sabemos o que nossos netos(as) gostam ou querem, sem conhec-los bem, ou sem estar a par de suas circunstncias atuais. Para evitar esses erros, procure conversar

    Jornal dos Aposentados

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    crianaNo ms da criana, conhea

    15 atividades divertidas para fazer com seus netos

    e talvez at mesmo en-trevistar seus netos(as), assim voc pode con-seguir sua prpria lista de atividades vinda da fonte mais segura.

    Podemos observar, pelos itens acima, que o tempo despendido muito mais determi-nante do que presentes comprados com dinhei-ro. claro que as crian-as e os jovens sempre esto pedindo algo

    Os itens a seguir foram enumerados por uma menina

    de 7 anos:

    1. Ajudar a fazer pes de mel;

    2. Desenhar juntos;

    3. Assistir os desenhos;

    4. Deixar participar das tarefas da rotina;

    5. Levar ao parque e fazer piquenique;

    6. Fazer festa do pijama;

    7. Aceitar sugestes da criana para refeies;

    8. Jogar jogos;

    9. Brincadeiras, como pega-pega, esconde-es-conde, siga o mestre, etc.

    10. Cantar;

    11. Levar para tomar sorvete;

    12. Pintura com tintas;

    13. Liberar e ajudar em obras de arte

    14. Ler histrias;

    15. Cuidar do jardim.

    novo e at especificam o que querem ganhar, no entanto, vale a pena investir em atividades que criam vnculos, for-talecem relacionamen-tos e ficam na memria atravs dos anos.

    E vale lembrar que o papel dos avs conti-nua super importante na adolescncia, mes-mo que eles/elas j no paream mais to chegados e dceis, as

    atividades conjuntas podem aproxim-los e ajudar a manter uma boa comunicao. Seu neto(a) adolescente precisa tanto de voc agora como antes, pre-cisa de familiares que o/a amem, que sejam amigos, confidentes e

    orientadores. Acom-panhe-o/a em seu de-sempenho escolar, suas amizades e namoros, oua suas metas e pla-nos, explique as conse-quncias das decises que eles/elas estive-rem vivenciando, enfim, participe!

    Porto de Galinhas se localiza no municpio de Ipojuca, que oferece mais de 18 quilme-tros de praias de areia branca e batida com guas transparentes e mornas, repletas de coqueiros e afastadas do burburinho urbano, apesar de sua curta dis-tncia: apenas a 60 km do Aeroporto Interna-cional dos Guararapes, no Recife, capital de Pernambuco.

    So sete praias con-tnuas. As piscinas natu-rais so inesquecveis. Suas guas mornas (mdia de 28C / 90F) e cristalinas, transfor-mam-se em verdadei-ros aqurios formados pelos bancos de corais.

    Se falarmos dos ho-tis, a que o turista

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 19Destinos

    a viso do paraso!

    Daniel Rosalin Turismo

    Divulgao

    fica mesmo maravilha-do. Porto de Galinhas possui uma extensa rede de hotis de refe-rncia internacional e resorts que se equipa-ram aos melhores do mundo com acomo-daes to prximas das praias que, muitas vezes, possvel dormir ao som das ondas do mar. A gastronomia mais do que diversifica-da: variando dos frutos do mar massa italiana ou aos pratos prepara-dos com molhos de fru-tas e razes da regio.

    Nos tlimos dez anos, observou-se um gran-de crescimento popu-lacional, resultado do crescente interesse turstico que o destino despertou no mundo e no Brasil.

    Por ano, o municpio

    recebe 500 mil turistas vindos de vrios esta-dos do Brasil, princi-palmente de So Paulo, Minas Gerais e do Dis-trito Federal.

    Porto de Galinhas, que pertence ao muni-cpio de Ipojuca, possui hoje uma extensa rede de servios que atende aos mais variados gos-tos e grupos de turistas, residentes e visitantes.

    O turista poder con-tar em Porto de Gali-nhas e nos distritos vi-zinhos de N. Sa. do e Ipojuca sede:

    Cerca de vinte hotis e resorts de tima qua-lidade;

    Cerca de cem pousa-das e chals;

    Cerca de setenta restaurantes de varias especialidades, pre-dominando pescados,

    mas incluindo tambm churrascarias, italianos, japoneses, pizzarias, crepes, regionais, feijo-ada, etc.

    Uma dezena de ba-res e boates para dife-rentes tipos de gostos;

    Servios mdicos, odontolgicos, labora-trios e hospitais (em N.Sa. do e Ipojuca);

    Uma boa rede de farmcias, supermerca-dos, servios de mec-nica automotiva;

    Agncias de viagem, locadoras de autom-veis, bugres, motos, ser-vios de passeios eco-lgicos e de prtica de esportes nuticos;

    Agncias bancrias, quiosques 24 horas, lan-houses e cybercafes;

    Extensa rede co-mercial de arte e arte-sanato.

    Porto de Galinhas Seja para quem vai em grupo ou quem prefere momentos a dois, Porto de Gali-

    nhas a escolha ideal para quem quer ver

    belezas naturais, mui-to sol, artesanato e

    diverso aos montes.

  • 18Ms da criana

    Voltando a ser

    J lhe aconteceu al-guma vez de comer alguma coisa ruim e pensar: Nossa! Ser que os fabricantes disso j experimen-taram essa coisa? Ou talvez, comprar um produto que no funciona bem e pensar se quem teve a ideia ou o produ-ziu chegou a test-lo? Esse tipo de coi-sa acontece quando no h compreen-

    so do que esperado pelo cliente, do que ele realmente gosta e do que realmente quer.

    Muitas vezes, no en-tanto, fazemos a mes-ma coisa quando su-pomos que sabemos o que nossos netos(as) gostam ou querem, sem conhec-los bem, ou sem estar a par de suas circunstncias atuais. Para evitar esses erros, procure conversar

    Jornal dos Aposentados

    Divulgao

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    crianaNo ms da criana, conhea

    15 atividades divertidas para fazer com seus netos

    e talvez at mesmo en-trevistar seus netos(as), assim voc pode con-seguir sua prpria lista de atividades vinda da fonte mais segura.

    Podemos observar, pelos itens acima, que o tempo despendido muito mais determi-nante do que presentes comprados com dinhei-ro. claro que as crian-as e os jovens sempre esto pedindo algo

    Os itens a seguir foram enumerados por uma menina

    de 7 anos:

    1. Ajudar a fazer pes de mel;

    2. Desenhar juntos;

    3. Assistir os desenhos;

    4. Deixar participar das tarefas da rotina;

    5. Levar ao parque e fazer piquenique;

    6. Fazer festa do pijama;

    7. Aceitar sugestes da criana para refeies;

    8. Jogar jogos;

    9. Brincadeiras, como pega-pega, esconde-es-conde, siga o mestre, etc.

    10. Cantar;

    11. Levar para tomar sorvete;

    12. Pintura com tintas;

    13. Liberar e ajudar em obras de arte

    14. Ler histrias;

    15. Cuidar do jardim.

    novo e at especificam o que querem ganhar, no entanto, vale a pena investir em atividades que criam vnculos, for-talecem relacionamen-tos e ficam na memria atravs dos anos.

    E vale lembrar que o papel dos avs conti-nua super importante na adolescncia, mes-mo que eles/elas j no paream mais to chegados e dceis, as

    atividades conjuntas podem aproxim-los e ajudar a manter uma boa comunicao. Seu neto(a) adolescente precisa tanto de voc agora como antes, pre-cisa de familiares que o/a amem, que sejam amigos, confidentes e

    orientadores. Acom-panhe-o/a em seu de-sempenho escolar, suas amizades e namoros, oua suas metas e pla-nos, explique as conse-quncias das decises que eles/elas estive-rem vivenciando, enfim, participe!

    Porto de Galinhas se localiza no municpio de Ipojuca, que oferece mais de 18 quilme-tros de praias de areia branca e batida com guas transparentes e mornas, repletas de coqueiros e afastadas do burburinho urbano, apesar de sua curta dis-tncia: apenas a 60 km do Aeroporto Interna-cional dos Guararapes, no Recife, capital de Pernambuco.

    So sete praias con-tnuas. As piscinas natu-rais so inesquecveis. Suas guas mornas (mdia de 28C / 90F) e cristalinas, transfor-mam-se em verdadei-ros aqurios formados pelos bancos de corais.

    Se falarmos dos ho-tis, a que o turista

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 19Destinos

    a viso do paraso!

    Daniel Rosalin Turismo

    Divulgao

    fica mesmo maravilha-do. Porto de Galinhas possui uma extensa rede de hotis de refe-rncia internacional e resorts que se equipa-ram aos melhores do mundo com acomo-daes to prximas das praias que, muitas vezes, possvel dormir ao som das ondas do mar. A gastronomia mais do que diversifica-da: variando dos frutos do mar massa italiana ou aos pratos prepara-dos com molhos de fru-tas e razes da regio.

    Nos tlimos dez anos, observou-se um gran-de crescimento popu-lacional, resultado do crescente interesse turstico que o destino despertou no mundo e no Brasil.

    Por ano, o municpio

    recebe 500 mil turistas vindos de vrios esta-dos do Brasil, princi-palmente de So Paulo, Minas Gerais e do Dis-trito Federal.

    Porto de Galinhas, que pertence ao muni-cpio de Ipojuca, possui hoje uma extensa rede de servios que atende aos mais variados gos-tos e grupos de turistas, residentes e visitantes.

    O turista poder con-tar em Porto de Gali-nhas e nos distritos vi-zinhos de N. Sa. do e Ipojuca sede:

    Cerca de vinte hotis e resorts de tima qua-lidade;

    Cerca de cem pousa-das e chals;

    Cerca de setenta restaurantes de varias especialidades, pre-dominando pescados,

    mas incluindo tambm churrascarias, italianos, japoneses, pizzarias, crepes, regionais, feijo-ada, etc.

    Uma dezena de ba-res e boates para dife-rentes tipos de gostos;

    Servios mdicos, odontolgicos, labora-trios e hospitais (em N.Sa. do e Ipojuca);

    Uma boa rede de farmcias, supermerca-dos, servios de mec-nica automotiva;

    Agncias de viagem, locadoras de autom-veis, bugres, motos, ser-vios de passeios eco-lgicos e de prtica de esportes nuticos;

    Agncias bancrias, quiosques 24 horas, lan-houses e cybercafes;

    Extensa rede co-mercial de arte e arte-sanato.

    Porto de Galinhas Seja para quem vai em grupo ou quem prefere momentos a dois, Porto de Gali-

    nhas a escolha ideal para quem quer ver

    belezas naturais, mui-to sol, artesanato e

    diverso aos montes.

  • 20Culinria - criana

    Cupcake com gotas de

    chocolate

    INGREDIENTES

    4 ovosmeia xcara (ch) leomeia xcara (ch) leite2 xcara (ch) acarmeia xcara (ch)

    gua3 xcara (ch) fari-nha de trigo1 colher cheia (sopa) fermento em p1 pitada de sal

    COBERTURA1 lata de leite conden-

    Div

    ulga

    o

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    sado;3 colheres (sopa) choco-late em p;2 colheres (sopa) mar-garina sem sal;

    MODO DE PREPARO Bater tudo no liquidifi-cador e depois colocar

    nas forminhas enchen-do apenas / delas. Colocar as gotinhas de chocolate (opcional).Super simples e fcil. Levar ao forno por mais ou menos 25 mi-nutos, at que fiquem dourados.

    COBERTURA

    Levar ao fogo at des-grudar do fundo da panela e acrescentar:meia lata de creme de leite sem soro.Confetes para decorar.Divirta-se!

    festa na cozinha!Surpreenda com esta delcia de cupcake,para um ms das crianas ainda mais divertido!

  • Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 21Social Lenis

    Joo e NeusaInes e Marron

    Graa e Jos

    Aucides e Iraci

    Escrish e Cleusa

    Arthur e Angela

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Nos embalos de sbado!

    Confira quem esteve presente no baile do

    dia 21 de setembro no Centro de Convivncia

    da Melhor Idade

    Maria Rocha e Madelene

    Cntia Fotografias

    Leonel e Odete

    Cntia Fotografias

  • 22Social Lenis

    Odila, Iraso, Maria e BeneditaNeusa e Santina

    Maria e LorivalMaria e Eunice

    Cntia Fotografias Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias Cntia Fotografias

    Cintia Fotografias

    Mercedes e Sebastio

    Maria e Claudete

    Cntia Fotografias

    Cntia Fotografias

    Ainda nos embalos de sbado a noite...

    Confira quem passou por l!Maria, Aparecida e Vilma

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

  • Beto e DalvaAurora, Manoela e Antonia

    Antonio Carlos, Cllia, Carla e Carlos

    Dcio e Neusa

    Cidinha, Valdir e Cida

    Zinho e Cida

    Cleusa e Dirceu

    Colaborao: Pedro A. Biazetti Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013 23Social Ja

    Bailes da AAPJ

    Confira quem esteve presente nos animados

    bailes da AAPJa durante o ms de setembro!

    Adalgiza e Aristides

    Alcides e Ana

  • 24Social Ja

    Bailes da AAPJ

    Jornal dos Aposentados - Outubro de 2013

    Iolanda e ZenarteQuintanilha e Jane

    Claudete, Ldio, Roberto, Claudete, Hermenegildo e Cleusa

    Edna e SilvioSidney e Ana

    Colaborao: Pedro A. Biazetti Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Odenir e Marlene

    Zilda e Srgio

    Cleusa e Tancredo

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Colaborao: Pedro A. Biazetti

    Patrcia, Brasilia e Julia

    Colaborao: Pedro A. BiazettiColaborao: Pedro A. Biazetti

    Jose Carlos e Maria HelenaCida e Jos Alberto

    No dia 11 de setembro a Associao dos Aposentados de Ja ofereceu aos seus associados um delicioso caf da manh em comemorao aos seus 20 anos de caminhada. Parabns AAPJ!