jornal dos aposentados e pensionistas de jundiaí e região

of 8/8
Em Brasília, homenagem pelo Dia Nacional dos Aposentados e cobrança a deputados Aposentados fazem pressão APOSENTADOS ASSOCIAÇÃO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DE JUNDIAÍ E REGIÃO www.aapjr.org.br jornal dos A A P e pensionistas março/2010 nº 270 Integrantes da caravana da Associação durante sessão no Congresso Nacional Lazer e Cultura: Veja a programação de passeios e excursões em 2010 página 3 Projeto é sucesso e garante benefícios à categoria página 5 página 8 Farmácia da AAPJR completa 2 anos Todos na luta pelo Instituto do Idoso 8 de MARÇO: Dia da Mulher Mais do que flores e presentes, data marca necessidade de romper preconceitos e discriminações Imóvei onde seria instalado hospital especializado em pesquisas e doenças em idosos página 8 Ubatuba: passeio em março página 5

Post on 01-Mar-2016

221 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Publicação mensal da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região. Projeto gráfico e diagramação: Selma Quinália Cerri

TRANSCRIPT

  • Em Braslia, homenagem pelo Dia Nacional dos Aposentados e cobrana a deputados

    Aposentados fazem presso

    APOSENTADOSASSOCIAO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DE JUNDIA E REGIO

    www.aapjr.org.br

    jornal dosAAP e pensionistasmaro/2010 n 270

    Integrantes da caravana da Associao durante sesso no Congresso Nacional

    Lazer e Cultura: Veja a programao de passeios e excurses em 2010

    pgina 3

    Projeto sucesso e garante benefcios categoria

    pgina 5 pgina 8

    Farmcia da AAPJRcompleta 2 anos

    Todos na luta pelo Instituto do Idoso

    8 de MARO: Dia da MulherMais do que flores e presentes, data marca necessidade de romper preconceitos e discriminaes

    Imvei onde seria instalado hospital especializado em pesquisas e doenas em idosos

    pgina 8

    Ubatuba: passeio em maro

    pgina 5

  • Histria de nossa Histria Parte II

    EXPEDIENTE

    Na edio anterior do Jor-nal da AAPJR, neste espao falamos sobre a luta pelo 13 salrio. E contamos que ela foi uma reivindicao de varias categorias de trabalhadores brasileiros mais organizados, desde o inicio do sculo XX, teve sua histria marcada com lutas homricas.

    Vamos relembrar mais um pouco. Em1.946, os teceles do Rio de Janeiro iniciaram uma greve reivin-dicando reajuste salarial, melhoria no trabalho e o Abono de Natal que algumas categorias de trabalhadores j tinham conquistado. O Abono de Natal ficou para outras lutas, mas foi conquis-tado um aumento de 100% em seus debilitados salrios.

    MEMRIA2 MARO/10 APOSENTADOSjornal dosA

    AP e pensionistas

    www.oticasvisual.com.br

    Informativo da Associao dos Aposentados e Pensionistas de Jundia e Regio. Rua XV de Novembro, 1336, Jundia/SP, cep 13.201-305.

    Fones: (11) 4586 1129 (11) 4586 2583 (11) 4586 1165 (11) 4586 9332 (11) 4522 5369

    Site: www.aapjr.org.br

    E-mail: [email protected]

    Diretor responsvel: Marcos Tebom Colaborao: F Juncal Diagramao: Selma Quinlia Tiragem: 15 mil exemplares

    No dia 13 de julho de 1.962, depois e muitas lutas, passea-tas e greves, o presidente Joo Goulart sancionou a Lei 4.090, aprovada pelo Congresso Na-cional, criando a gratificao de natal; ou seja, o 13 salrio.

    Quem pensa que foi fcil esta conquista est muito en-ganado. O ano de 1.961 inicia com grandes greves em quase todas as categorias de traba-lhadores do Brasil.

    Em Jundia, sindicatos que sempre participaram da luta, como os txteis, ceramistas, qumicos, ferrovirios e grfi-cos aderiram de inicio Greve Geral. Outras categorias, como ocorre em todas as lutas, se acomodaram. Como exemplo uma categoria que estava em grande expanso na regio, o

    dos metalrgicos, que no s colocou-se contra a greve, mas tentou impedi-la.

    Mas, como diz o ditado (trabalhador unido jamais ser vencido), o sindicato no quis, mas os metalrgicos de vrias indstrias formaram uma co-misso de operrios que faziam oposio a direo da entidade e pararam o setor metalrgico. E pela primeira vez na histria a Vigoreli parou.

    No foi fcil. Alguns compa-nheiros foram presos em Jun-dia e houve um assassinado na porta da Elekeiroz em Vrzea Paulista.

    No Estado de So Paulo mais de seis mil trabalhadores foram presos, espancados e alguns assassinados. Por falta de espao nas cadeias,

    muitos foram amontoados no Hipdromo Municipal de So Paulo.

    Mas valeu a Luta! Hoje todos trabalhadores rece-bem o 13 salrio: outras lutas vieram depois poste-riormente... E a luta da clas-se trabalhadora no termina a. Temos muito mais histria para contar e muito mais a construir.

    Voc parte dessa hist-ria. Junte se a ns e vamos construir um mundo melhor para as futuras geraes.

    Continuaremos na prxi-ma edio do Jornal da AA-PJR. At l, companheiros.

    Cid de Jesus TavaresAposentado Secretrio

    Geral da AAPJR

    1 e 6 01/03 01/04 2 e 7 02/03 01/04 3 e 8 03/03 01/04 4 e 9 04/03 01/04

    5 e 0 05/03 01/04

    1 22/02 25/03 2 23/02 26/033 24/02 29/03 4 25/02 30/03 5 26/02 31/03 6 01/03 01/04 7 02/03 05/048 03/03 06/04 9 04/03 07/04 0 05/03 08/04

    at 1 salrio mnimo

    acima de 1 salrio mnimo

    Final do fevereiro marobenefcio

    Calendrio pagamentos FEVEREIRO/MARO 2010

    Final do fevereiro marobenefcio

    Fique scio da AAPJR

  • Braslia: homenagem e pressoREAJUSTE 3MARO/10APOSENTADOS

    jornal dosAAP e pensionistas

    Aposentados so homenageados e fazem presso

    No perdemos a viagem

    Com efeito em espelho no Congresso Nacional, deputados, senadores e aposentados na sesso homenagem ao Dia Nacional dos Aposentados. Ao lado, chegada da delegao da AAPJR em Braslia

    Jos Cruz/ABr

    Uma delegao de apo-sentados, represen-tando a AAPJR, es-teve em Braslia no dia 8 de fevereiro para receber homenagem no Congresso Nacional razo do dia 24 de janeiro, data em que comemorado o Dia Nacional do Aposentado.

    Os aproximadamente 1.200 aposentados que l estavam, incluindo os de Jundia, buscaram apoio dos parlamentares para a aprovao dos projetos de leis que restabelecem os diretos da categoria.

    Com os parlamentares que no apiam os projetos foi realizada uma conversa de esclarecimentos, j que

    O ano de 2010 j ca-minha a passos largos e, como sempre, j estamos firmes e fortes na luta. Uma disposio que todos os aposentados e pensionistas precisam ter para que al-cancemos nossos objetivos.

    Assim, no dia 7 de fevereiro 46 aposentados enfrentaram 14 horas de viagem nos qua-se 1.100 km em direo a Braslia, mais especificamente para o Congresso Nacional, a fim de dar continuidade nas mobilizaes relacionadas aos nossos direitos.

    A delegao chegou em 08/02 na capital federal. Ainda no perodo da manh,

    cerca de 1.200 aposentados de todo Brasil foram homenagea-dos pelo Senado da Repblica pela passagem do Dia Nacional do Aposentado, que comemo-rado em 24 de janeiro.

    Mas, como homenagem no melhora o valor de nossos benef-cios que esto defasados em rela-o ao salrio mnimo em 82,44% desde 1997 (veja grfico), fomos tambm para fazer presso sobre os deputados federais que esto empurrando os nossos projetos de leis com descaso.

    Para lembrar, estes so os projetos que queremos ver apro-vados: a) PL 01/2007 que determina a adoo do reajuste nico; b) PL 4434/2008 que

    estabelece a recomposio do valor das aposentadorias, em cin-co anos, pelo nmero de salrios mnimos da poca da concesso;

    e C) PL 3299/2008 que extin-gue com o Fator Previdencirio, redutor que leva em conta idade, tempo de contribuio e expec-

    tativa de sobrevida.

    Marcos Tebomvice presidente da AAPJR

    356,92% - Reajuste do SM, acumulado de 1997 a 2010150,44% - Reajuste de aposentadorias acima do SM acumulado de 1997 a 2010 82,44% - Diferena em % (perdas) de 1997 a 2010 nas aposentadorias acima do SM

    alguns deles que no tem entendimento da importncia da questo para os aposen-tados do Brasil.

    Em maro, mais movimentos

    Esto previstas duas ma-nifestaes importantes para categoria, em maro de 2010. De acordo com o presidente da Federao dos Aposentados e Pensionistas do Estado de So Paulo (Fapesp), a previso levar 10 mil aposentados de todo o estado para So Paulo, em mobilizao de massa para dar continuidade luta pelo restabelecimento dos direitos da categoria.

    EDITORIA

    L

    AAPJR

  • hora do Imposto de RendaDINHEIRO4 MARO/10 APOSENTADOS

    jornal dosAAP e pensionistas

    Receita Federal receber declaraes entre 1 de maro e 30 de abril

    Dos 27 milhes de be-neficirios do Regime Geral de Previdncia Social, 7.592.618 milhes devem fazer a declarao de Imposto de Renda (IR) em 2010, relativa ao ano base 2009. Os extratos esto sendo postados pela Previ-dncia Social para aposen-tados, pensionistas e demais beneficirios de todo o pas.

    Mesmo com a postagem, os extratos para Imposto de Renda tambm estaro disponveis na pgina da Pre-vidncia Social e na Agncia Eletrnica de Servios ao Segurado (Extrato para Im-posto de Renda) a partir de

    Tabela Imposto de Renda de PessoaFsica declarao 2010 e ano base 2009Base de clculo anual em R$ Alquota Parcela a deduzir do imposto em R$

    At 17.215,08 - ISENTO DECLARAODe 17.215,09 at 25.800,00 7,5% 1.291,13De 25.800,01 at 34.400,40 15,0% 3.226,13De 34.400,41 at 42.984,00 22,5% 5.806,16Acima de 42.984,00 27,5% 7.955,36

    Faa seu IR na AssociaoNo perodo de 1 de mar-

    o a 30 de abril a AAPJR far a declarao do Imposto de Renda para associados e no associados. O atendi-mento ser das 8h s 11h e das 13h s 15h30, s teras e quartas-feiras.

    Os interessados devero se apresentar munidos dos

    Nova Alquota de contribuio PrevidnciaPara quem paga sobre um salrio mnimo Alquota Contribuio de R$ 510,00 20% 102,00

    Como contribuir A Guia da Previdncia

    Social (GPS), que pode ser emitida pela internet, o documento que deve ser preenchido para o recolhi-mento das contribuies. Para emitir a GPS e efe-tivar o pagamento, basta entrar na pgina da Pre-vidncia Social, buscar o

    ASSOCIAO DOS APOSENTADOS EPENSIONISTAS DE JUNDIA E REGIO

    Edital de Convocao - Assembleia Geral Ordinria

    Pelo presente edital, nos termos do Artigo 12 e 14 Pargrafos A) , B), C) e D), do Estatuto Social em vigor, ficam convocados todos os associados quites e no gozo dos direitos estatutrios, para participarem da Assembleia Geral Ordinria a ser realizada, no dia 27 de maro de 2010, na sede social da entidade, sito Rua XV de Novembro, n 1.336, Centro, na cidade de Jundiai-SP, s 09h00 em primeira convocao com a presena de 33% dos associados e em segunda convocao s 10h00 com qualquer nmero de presentes, para apresentao e deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: I - BALANO FINANCEIRO, II - MOVIMENTAO PATRIMONIAL, III - RELATRIO DA DIRETORIA relativo ao exerccio do ano de 2009. As deliberaes sero tomadas na forma legal e estatutria. Este edital ser publicado na Imprensa Oficial

    do Municpio e Jornal Informativo da entidade.

    Edegar de Assis Presidente

    1 de maro de 2010. Para ter acesso, preci-

    so o nmero do benefcio, a data de nascimento, nome do beneficirio e o CPF (Ca-dastro da Pessoa Fsica). O documento tambm poder ser retirado nas agncias da Previdncia Social, sempre a partir de 1 de maro.

    SenhaOs segurados que j tm

    senha registrada devero us-la para ter acesso ao do-cumento. Os que esquece-ram o cdigo de acesso de-vero procurar uma agncia da Previdncia Social para fazer nova senha. Quem nun-ca teve senha ter acesso direto ao comprovante aps preencher as informaes solicitadas pelo site.

    seguintes documentos:

    l Declarao do ano anterior (2008 feita em 2009)

    l Extrato de rendimentos de 2009

    l Documentos de aquisio de novos patrimnios em 2009

    l Documentos pessoais: RG

    (carteira de identidade) e titulo de eleitor, certido de nascimento de dependentes menores e solteiros at 24 anos, estes desde que universitrios, certido de casamento, CPF do cnjuge

    l Comprovante de residncia atual.

    atalho Agncia Eletrnica: Segurado/Lista Completa de Servios ao Segurado e acessar, na mesma rea, o atalho referente GPS com cdigo de barras. preciso baixar o programa.

    Para calcular o valor da contribuio procure, dentro da rea Agncia Eletrnica Segurado ou Empregador, na Lista Com-

    pleta de Servios ao Segu-rado, as opes Clculo de Contribuies e Emisso da Guia da Previdncia Social (GPS) para contribuintes individuais, facultativos, empregados domsticos e segurados especiais. Nela, possvel calcular a contri-buio com base no salrio informado, e em seguida emitir a guia.

    Contribuinte optante pela simplificada Alquota Contribuio de R$ 510,00 11% 56,10

  • SADE 5MARO/10APOSENTADOSjornal dosA

    AP e pensionistas

    Queremos o Instituto do IdosoUm hospital especializado em atendimento a questes especficas de idosos

    Vista geral do imvel que abrigaria o Instituto do Idoso

    A Associao dos Apo-sentados e Pensionis-tas de Jundia e regio, junto com a Federao dos Aposentados e Pensionistas do Estado de So Paulo (Fa-pesp), Sindicato dos Banc-rios de So Paulo e demais associaes de aposentados esto na luta pela instalao do Instituto do Idoso.

    O prdio j existe e est localizado na rua Itapeva, prximo estao do metr Trianon em So Paulo.

    A idia instalar um ins-tituto, a exemplo do Instituto do Corao e do Instituto do Cncer, para atendimento especializado aos idosos de todo o Brasil.

    de maro (segunda-feira), s 09h, em frente ao antigo Hospital Matarazzo, na Rua Itapeva.

    Tambm sero colhidas assinaturas de pessoas in-teressadas pela instalao do Instituto do idoso, at o dia 07 de maro.

    Voc, interessado, po-der dirigir-se sede da AAPJR para deixar sua assinatura no abaixo as-sinado, bem como colher assinaturas de seus fami-liares, amigos, colegas de trabalho e, evidentemente, participar do ato no dia 8 de maro, em So Paulo.

    CompromissosEm linhas gerais, seriam

    trs os grandes compromis-sos do Instituto do Idoso:

    a) Dar assistncia de sade mdico e hospitalar com qualidade;

    b) Fazer pesquisas sobre a realidade dos idosos; e

    c) Formar e treinar m-dicos geriatras para o aten-dimento.

    Como participarPara reivindicar e tornar

    realidade o Instituto, haver uma manifestao de apo-sentados, mulheres e toda sociedade civil, no dia 08

    Um pouco da histriaNo prdio onde reivin-

    dicamos a instalao do Instituto do Idoso funcio-nava o Hospital Matarazzo que, em 1986, foi tombado como patrimnio histrico.

    Comprado pela Caixa de Previdncia dos Fun-cionrios do Banco do Brasil (Previ ) em 1993, foi fechado no mesmo ano. A inteno era implemen-tar um empreendimento imobilirio do escritrio do arquiteto Jlio Neves. Segundo o projeto, grande parte do hospital seria de-molida para a construo de um shopping e flats comerciais.

    A Previ conseguiu que o Hospital Matara-zzo fosse destombado e conseguiu at alvar da prefeitura, autorizando as demolies. Mas, graas a uma ao civil pblica mo-

    Cartaz convidando para quermesse com o objetivo de arrecadar fundos para a construo do ento Hospital Francisco Matarazzo

    vida por associaes do bairro Bela Vista, no qual ele est situado, o des-tombamento foi anulado e o projeto foi embargado.

    A PreviI recorreu e o processo ainda est na Justia.

    Farmcia dos Aposentados completa dois anosUm projeto que aten-

    deu s necessidades das associadas e associados, com grandes benefcios para a categoria a Far-mcia dos Aposentados da Associao dos Apo-sentados e Pensionistas de Jundia e Regio. Ago-ra, neste ms de maro, ela completa dois anos de muita procura, sucesso e

    crescimento.E para comemorar o ani-

    versrio, preparamos gran-des promoes. E quem ganha o presente voc, que pode adquirir kits orga-nizados e fiscalizados pela farmacutica responsvel, atendendo assim aos pedi-dos de companheiras e com-panheiros que tm acompa-nhamento mdico contnuo.

    Servio criado pela AAPJR sucesso junto a aposentados e pensionistas em seus dois anos de existncia

  • PREVIDNCIA SOCIAL6 MARO/10 APOSENTADOSjornal dosA

    AP e pensionistas

    Habilitao a crdito do FGTSCaixa Federal d incio aos adicionais dos trabalhadores que optaram

    Dra. Elizabeth NowickiCrosp 59340

    CIRURGI-DENTISTA

    Ortodontia

    Aparelhos fixos e mveis

    Esttica

    Facetas de porcelana

    Clareamento a laser

    Rua Baro do Triunfo, 49Centro - Jundia/SPFone: 4586.5078

    PARA ASSOCIADOS E FAMILIARES

    Dra. Ana Cludia Caldo

    Crosp 65.408

    CIRURGI- DENTISTA

    CLNICA GERAL

    Rua XV de Novembro, 1285

    Centro - Jundia/SP

    Fone/Fax:

    Atendimento com hora marcada

    4586.0653

    A Caixa Econmica Fede-ral iniciou, no dia 12 de fevereiro, o recebimento do Termo de Habilitao refe-rente aos crditos adicionais dos trabalhadores que opta-ram retroativamente pelo re-gime do Fundo de Garantia do Tempo de Servio (FGTS) em data anterior a 23/09/1971 e que ainda no tiveram a corre-o das taxas de juros relativa ao mesmo perodo.

    Os interessados que ti-verem direito correo devem preencher o termo e preparar a documentao necessria. Os documentos solicitados devero ser ane-xados ao Termo de Habilita-o e entregues em qualquer agncia da Caixa.

    A quem se destinaNo so beneficiados

    com o crdito da aplicao da taxa progressiva em sua conta vinculada, por determinao judicial ou administrativamente, os trabalhadores que possuam conta vinculada ao FGTS, com contrato empregatcio firmado sob regime da Con-

    solidao das Leis do Tra-balho (CLT) at a data de 22/09/1971, que efetuaram opo pelo FGTS com efeito retroativo data anterior a 23/09/1971 e permanece-ram no mesmo emprego por

    mais de 2 anos. necessrio tambm que

    o saque na conta vinculada ao FGTS, alvo de aplicao da progresso, tenha ocorri-do em data igual ou posterior a 12 de novembro de 1979 e

    www.aapjr.org.brVisite nossa pgina na internet:

    que seja assinado o Termo de Habilitao Progresso da Taxa, na forma a ser es-tipulada pela Caixa.

    Os trabalhadores que ingressaram com pedido na Justia para correo das taxas de juros referentes ao perodo devero desistir da ao para se habilitarem aos crditos adicionais.

    PrioridadeO presidente da AAPJR,

    juntamente com a diretoria de Assuntos Jurdicos da Associao, esto em con-tato com a Caixa Econmi-ca Federal para verificar a possibilidade de viabilizar para os associados e as-sociadas o atendimento direto.

  • SADE 7MARO/10APOSENTADOSjornal dosA

    AP e pensionistas

    Vacina contra gripe sunaPrefeitura no tem calendrio de vacinao

    O Ministrio da Sade ir comprar 83 milhes de doses de vacinas contra o vrus da gripe A (H1N1) tambm chamada gripe su-na. A aquisio ser feita por meio de um acordo com trs fornecedores diferen-tes. A imunizao contra a gripe ser feita em grupos

    prioritrios a partir de maro.

    Em JundiaA Secretaria Municipal

    de Sade de Jundia, at o fechamento dessa edio do Jornal da AAPJR, no publicou e nem divulgou no site da prefeitura o ca-lendrio de vacinao da Gripe A. Em 15 de fevereiro a AAPJR encaminhou para a Secretaria Municipal um e-mail solicitando as infor-maes para as divulgarmos s associadas e associados, mo no houve qualquer resposta.

    Na dose certaErros na prescrio e no

    acompanhamento so alguns dos principais problemas. E tomar remdios com leite e anticidos pode alterar efei-to da medicao.

    O leite um alimento que estimula a produo de sucos digestivos. Vrios medicamen-tos podem perder seus efeitos ao serem degradados pelo suco gstrico. Alm disso, o leite contm clcio e nutrien-tes que podem promover a perda do efeito teraputico pela inativao qumica (que-lao), reao comum entre essa bebida e a tetraciclina presente em medicamentos.

    Muitas pessoas tambm tm o costume de ingerir anticidos antes de tomar remdios que irritam o est-mago. Esse hbito pode cortar totalmente o efeito do medi-camento pela diminuio da absoro do princpio ativo ou pela absoro junto deste de componentes dos anticidos.

    ProblemasEfeitos do leite e anti-

    cidos em alguns medica-mentos:

    a) Antibiticos - Ampicilina e tetraciclina, a reduo do efei-to antibacteriano pela reduo de sua absoro;

    b) Contraceptivo oral - redu-o do efeito pela diminuio da absoro com uso de anticidos especialmente;

    c) Digoxina - reduo da absor-o com diminuio do efeito cardiotnico; e

    d) Diazepam - reduo da absoro com diminuio do efeito sedativo.

    Estes exemplos reforam a necessidade de se tomar todo medicamento no hor-rio certo e sempre com um copo cheio de gua. Deve-se evitar qualquer outra bebida.

    Fonte: Agncia Nacional de

    Vigilncia Sanitria (ANVISA)

    Etapa Grupos prioritrios Data da vacinao

    1 Funcionrios da sade e envolvidos em pandemia e indgenas 08/03 a 19/03

    2 Gestantes, doentes crnicos e crianas de 6 meses a 2 anos 22/03 a 02/02

    3 Populao de 20 a 29 anos 05/04 a 23/04

    4 Idosos (mais de 60 anos) com doenas crnicas 24/04 a 07/05

    Datas de vacinao

  • BRASLIA8 MARO/10 APOSENTADOSjornal dosA

    AP e pensionistas

    Veja a programao da AAPJR, pea mais informaes e... boa diverso!

    Roteiro de atividades em 2010CULTURA E GNERO

    Programa Rolando Boldrin: excurso da AAPJR em 27 de abril

    MARO

    11/03 (quinta-feira) Tarde recreativa

    18/03 (quinta-feira) Cine Pipoca

    26 a 28/03 (sexta-feira a do-mingo) Passeio em Uba-tuba

    ABRIL

    27/04 (tera-feira) Parti-cipao no programa de Rolando Boldrin

    08/04 (quinta-feira) Tarde recreativa

    13/04 (tera-feira) - Baile

    15/04 (quinta-feira) Cine Pipoca MAIO

    07 a 09 de maio (sexta-feira a domingo) Campos do

    Mexa-se!Ginstica s segundas-feiras das 8h s 9H e s quartas-feiras das 10h30 s 11h30 Yoga s segundas-feiras das 9h10 s 10h10; das 10h15 s 11h15 e das 14h s 15 horas. Dana s quintas-feiras das 8h30 s 10 horas.

    Tai Chi Chuan s quartas-feiras das 9h15 s 10h15.

    Coral - s quartas-feiras das 13h30 s 15h30.

    Dia Internacional da MulherSeus salrios so me-

    nores. Tm dupla ou tri-pla jornada de trabalho (acumulando empregos fora de casa e cuidando sozinhas dos servios do-msticos). So inferioriza-das por padres de beleza impostos pela indstria de cosmticos, vesturio, etc. So as maiores vti-mas da violncia dentro de casa. Muitas vezes, ainda levam a culpa por

    serem estupradas e mortas. Quanto pior a situao eco-nmica, mais vulnerveis elas so.

    Homenagem na prtica

    Apesar de conquistas, como o direito ao voto, des-coberta da plula anticon-cepcional e maior insero no mercado de trabalho, as mulheres ainda hoje sofrem ofensas e abusos de todo tipo.

    Por isso, neste 8 de Maro, vamos dar e re-ceber flores, em homena-gem ao Dia das Mulheres. Mas, vamos tambm lem-brar que a luta por respei-to e igualdade de gnero e contra todo e qualquer tipo de preconceito e dis-criminao - deve ser feita em todos os dias do ano, de forma solidria e em conjunto por companhei-ras e companheiros.

    JUNHO

    11 a 14 de julho (sexta a segunda-feira) Caldas No-vas (GO)10/06 (quinta-feira) Tarde recreativa 17/06 (quinta-feira) Cine Pipoca 26/06 (sbado) Circuito das Frutas da regio de Jundia JULHO

    08/07 (quinta-feira) Tarde recreativa 14 a 18 de julho (quarta-feira a domingo) guas de Lindia (SP)20/07 (tera-feira) Baile Julino22/07 (quinta-feira) Cine Pipoca 24/07 (sbado) Maria Fu-maa, de Campinas a Ja-guarina

    Jordo (SP)

    06/05 (quinta-feira) Tarde recreativa

    20/05 (quinta-feira) Cine Pipoca

    25/05 (tera-feira) Baile de Aniversrio da AAPJR

    29/05 (sbado) Pesqueiro Maeda