JAMBO Jambo jambo sana Habarí gani? Muzuri sana Wageni Wakaribishwa Muzuri kweto Hakuna matata (final 4X)

Download JAMBO Jambo jambo sana Habarí gani? Muzuri sana Wageni Wakaribishwa Muzuri kweto Hakuna matata (final 4X)

Post on 18-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> JAMBO Jambo jambo sana Habar gani? Muzuri sana Wageni Wakaribishwa Muzuri kweto Hakuna matata (final 4X) </li> <li> Slide 2 </li> <li> QUE MUNDO ESSE? AS FOTOS E INFORMAES QUE VOC IR CONSTATAR SO EXTREMAMENTE CHOCANTES. ELAS FORAM OBTIDAS DO ARTIGO DE ABIGAIL HAWORTH PUBLICADO NA REVISTA Marie Claire DE JUNHO DE 2001 - EDIO NORTE-AMERICANA </li> <li> Slide 3 </li> <li> Slide 4 </li> <li> Slide 5 </li> <li> Uma beb recm-nascida jaz morta na rua, descartada como um pedao de lixo, sob a indiferena dos que passam. Ela apenas mais uma vtima da poltica cruel do governo Chins: o limite de um filho por famlia com aborto compulsrio. Durante horas as pessoas ignoraram a menina... </li> <li> Slide 6 </li> <li> nibus e bicicletas passam espirrando lama no cadver, Dos que passam, poucos do ateno. Ela mais uma das milhares de meninas recm-nascidas que so abandonadas a cada ano em conseqncia da poltica do governo Chins: o aborto e o limite de 2 crianas por famlia. </li> <li> Slide 7 </li> <li> A nica pessoa que tentou ajudar a criana declarou: Acho que ela acabou de morrer. Eu a toquei e estava ainda quente. Ainda saia sangue de seu nariz. Essa senhora chamou o pronto socorro mas ningum apareceu: O beb estava perto do escritrio fiscal do governo e muitas pessoas passavam e no diziam nada...Eu tirei fotos porque isso algo terrvel...Os policiais quando chegaram ficaram mais preocupados com minhas fotos do que com o beb. </li> <li> Slide 8 </li> <li> A polcia s liberou a senhora quando ela entregou o filme. Na China, muitos acreditam que filhas so um desperdcio... Mas Que Mundo Esse ? </li> <li> Slide 9 </li> <li> Por fim, um senhor pegou o corpo da menina, colocou em um caixote e jogou na lata de lixo... </li> <li> Slide 10 </li> <li> ESTA CRIANA PODERIA TER SIDO.... </li> <li> Slide 11 </li> <li> Slide 12 </li> <li> O governo da China, pas mais populoso do mundo com 1,3 bilhes de pessoas, imps sua poltica de restrio natalidade em 1979. </li> <li> Slide 13 </li> <li> Os mtodos usados causam muita misria: os pais, aterrorizados de serem descobertos pelo governo, abandonam e matam seus prprios filhos. </li> <li> Slide 14 </li> <li> Oficialmente, o governo condena o uso da fora ou crueldade para controlar a natalidade. Mas na prtica, os encarregados do controle sofrem tanta presso para limitar a natalidade que recorrem a esquadres de aborto. Esses esquadres arrastam as mes "clandestinamente" grvidas e as mantm em crcere at se submeterem ao aborto. </li> <li> Slide 15 </li> <li> J houveram mes que foram executadas por se recusarem a abortar. Outras famlias receberam penas de 10 mil yuans (sete vezes o salrio anual de um campons), esterilizao compulsria e confisco de propriedade. Outras mes conseguem ter sua criana escondidas, mas sua famlia perseguida e torturada para que denuncie o paradeiro da gestante e elas encontram suas casas incendiadas ao voltar. </li> <li> Slide 16 </li> <li> As crianas que nascem nessa situao no recebem instruo escolar, nem cuidados mdicos ou qualquer outro benefcio social. Muitos pais vendem suas crianas para outros casais a fim de escapar da punio do governo Chins... O QUE FAZEM... </li> <li> Slide 17 </li> <li> As meninas so as maiores vtimas da presso intolervel para limitar a famlia. Na China rural, onde 80% da populao vive, muitos camponeses acreditam que apenas os meninos podem levar a famlia adiante e consideram que seria uma grande desonra para seus ancestrais se eles no terem um herdeiro. Normalmente, as filhas continuam vivendo com a famlia depois do casamento e so consideradas um "investimento perdido". </li> <li> Slide 18 </li> <li> Slide 19 </li> <li> NINGUEM FALA NINGUEM DENUNCIA TODO MUNDO FICA............. CALADO </li> <li> Slide 20 </li> <li> E ELAS CONTINUAM.... FALECENDO </li> <li> Slide 21 </li> <li> Nas regies rurais se permite um segundo filho(a), mas quando a segunda criana outra menina, isso tido como um desastre. Um homem ficou to revoltado ao ter a segunda filha que ele estrangulou as duas. Um outro jogou sua filha em um poo abandonado para que ningum soubesse que ela existiu. </li> <li> Slide 22 </li> <li> Slide 23 </li> <li> De acordo com estatsticas oficiais, 97,5% das crianas abortadas so meninas. Se acredita que muitas so vendidas casais infrteis para que as autoridades no tomem conhecimento. O resultado um desequilbrio entre as populaes masculina e feminina. Milhes de homens no conseguem encontrar uma esposa. J existe o trfico de mulheres. Em alguns lugares h 6 homens para cada mulher. </li> <li> Slide 24 </li> <li> Estima-se que 17 milhes de meninas estejam "faltando" na populao da China. O infanticdio e abandono so os principais fatores. O aborto selecionado por sexo proibido, mas o exame de ultra-som que determina o sexo facilmente conseguido com suborno. </li> <li> Slide 25 </li> <li> proibido ser menina </li> <li> Slide 26 </li> <li> As crianas que sobrevivem acabam em orfanatos precrios. O governo Chins insiste na poltica de limitar as famlias e ignora o problema da discriminao contra filhas mulheres. </li> <li> Slide 27 </li> <li> A assistente social Wu Hongli explica que "Os programas educacionais tm tido bastante sucesso em algumas reas rurais, mas ainda h um vasto trabalho a ser feito. Tantas tragdias so ignoradas a cada dia que sinto vontade de chorar. O QUE NOS RESTA FAZER? </li> <li> Slide 28 </li> <li> DIVULGARESTASFOTOS! </li> </ul>