IEIJ News 08 - 2º Semestre de 2011

Download IEIJ News 08 - 2º Semestre de 2011

Post on 25-Jul-2016

213 views

Category:

Documents

1 download

DESCRIPTION

Jornal do Instituto de Educao Infantil e Juvenil - 2 Semestre de 2011. Artigos escritos pelos alunos da Escola, a respeito da Escola.

TRANSCRIPT

  • news2 semestre de 2011

    a escola

    Visita crecheAlunos do ieij visitam a creche Jurema Canziane

    pgina 3

    cultura e lazer

    Voc sabe o que Gastronomia?A gastronomia se tornou a arte de cozinhar para retirar dos alimentos o maior benefcio possvel

    pgina 10

    turismo

    Saiba como foram as viagens do ieij para Bonito e Cnion Guartel

    pgina 12

    tecnologia

    Mandamentos da informtica: Os dez mandamentos do broffice e word

    pgina 14

    economia

    Como a ida ao supermercado pode gerar economia para as crianas da pr-escola?

    pgina 15

    Principais eventos da Escola em 2011

    pgina 2

    Dr. Lincoln Brasil fala sobre o sono saudvel

    pgina 5

    Ieij assina procolo a favor do meio-ambiente

    pgina 6

  • news 2 semestre de 2011

    textos porMaria Laura R Gastaldi,Julia Figueirdo Puppi,Leonardo Figueirdo Puppi eCarolina Tucci de Carvalho

    clubes

    XadrezCinciasOrigamiRobticaInglsFlautaCulinriaFutsalTnis

    atividades

    TAMLOGCULTPortugusMatemticaCincias

    04.06.11 Dia do meio ambiente

    Os alunos do IEIJ, pais e profes-sores encontraram-se com os alunos da UTFPR no aterro do lago Igap III. Juntos caminharam para o Igap IV, onde fizeram o plantio de rvores na-tivas para ajudar no reflorestamento.

    18.06.11 festa junina

    Todos os anos o IEIJ realiza uma grande Festa Junina. Esse evento acon-tece no final da tarde, e na manh des-se dia todos os pais, alunos e profes-sores podem ajudar na montagem da festa. No final todos eles podem aju-dar na desmontagem. Em 2011 , havia barracas de comidas e brincadeiras. A dana foi um pouco diferente, o gin-sio de 5 a 8 srie pode escolher entre duas danas, Jongo ou Carimb.

    18.09.11 passeio ciclstico

    Numa manh de domingo todos os alunos, pais e professores do IEIJ se reuniram na escola com suas bicicle-tas para participarem do passeio pelas redondezas da escola.

    17.12.11 Formatura da 8 srie

    A ltima ao da 8 srie para arrecadao de dinheiro foi um jogo de futebol acompanhado de cachor-ro quente e bebidas, no dia 8 de ou-tubro na chcara do Mateus. As aes j realizadas pela 8 srie para arreca-dar dinheiro foram: venda de alimen-tos na hora da sada, rifas, macarrona-da e barreado.

    opinies

    Ingls O ingls no IEIJ muito interativo. Todos da sala conversam com os outros muitas vezes sobre fa-tos interessantes ou at mesmo reais, em ingls. Brbara Belloni 6 srie

    CULT Comeamos 13h30. Quan-do chega 15h10 precisamos parar, e o professor confere se trabalhamos o tempo todo e d uma nota, mesmo que a CULT tenha ficado incompleta. Naji Nabut 8 srie

    Futsal O futsal na escola bom, mas a escola tem que divulgar mais, para se obter o maior nmero de alunos. Fernando Miranda 6 srie

    Xadrez No clube de xadrez ns estudamos principalmente partidas histricas, alm disso, estudamos tc-nicas como mtodos de aplicar xeque-mate e sinais de partida. Ns estuda-mos algumas aberturas e utilizamos o tempo para partidas entre os alunos contra o professor e at contra o com-putador Mrcio Hideo Professor

    Origami Ns produzimos os origamis mais tradicionais, treinando as diferentes tcnicas de dobras e a lei-tura de diferentes linguagens e diagra-mas. Ns treinamos nossas habilidades motoras para que as dobras fiquem cada vez mais precisas e os origamis fiquem cada vez com um acabamen-to melhor Mrcio Hideo Professor

    a escola

    Programao da tardeVeja algumas atividades realizadas no IEIJ e a opinio de estudantes e professores

    Aconteceu no ieij

  • 3Com o maternal, trabalham-se experincias de esconder e procurar objetos, nos anteparos, a pintura a dedo, percorrer caminhos com obs-tculos de diversas maneiras.

    Com pr 1 e com o pr 2, traba-lham-se atividades de escrita, que en-volvem crach, e histrias com repre-sentaes. Tambm trabalhamos com jogos matemticos.

    Confira a entrevista

    O que voc pensa sobre a escolatrabalhar com as crianas da creche?

    Maria Laura Gastaldi Penso que muito interessante. Ns os ajudamos a se desenvolverem. Raissa Bulaty Taul Penso que um pouco difcil trabalhar com as crianas, pois muito difcil faz-las seguir a proposta. Apesar de tudo, penso que um trabalho muito inte-ressante, porque ao mesmo tempo em que as crianas aprendem, ns apren-demos a lidar com elas. Ana Luiza Baldo Legal, porque ns brincamos com as crianas, atra-vs de atividades educativas. Embo-ra algumas crianas no cumpram a proposta, muito divertido trabalhar com elas. Professora Claudia Eu penso que a importncia dos alunos do IEIJ irem creche a socializao dos alunos com as crianas.

    Que tipos de atividades vocstrabalham?

    Maria Laura Gastaldi Com o ber-rio, trabalhamos com atividades que os fazem pensar e raciocinar. Com as outras salas trabalhamos com diferen-tes matrias, e jogos que necessitam do pensamento e do esforo fsico. Raissa Bulaty Taul No pr 1, tra-balhamos com trilhas e representaes de histrias. No maternal, fazemos re-presentaes de histrias, cantigas de roda, e blocos mgicos. E no pr 2, jo-gamos jogos simples e clssicos. Professora Claudia Ns escolhe-mos as atividades de acordo com a idade e com o nvel de desenvolvimen-to das crianas atendidas.

    Qual a importncia de trabalharcom crianas?

    Professora Claudia As crianas da Creche e os nossos alunos apreciam muito o trabalho, pois a interao dos dois grupos proporciona aprendiza-gens para todos.

    Todas as sextas-feiras, os alunos de 6 a 8 sries, vo creche Jurema Canziane, para fazer trabalhos com as crianas que possuem de 0 a 5 anos. As atividades so diversificadas e elabo-radas especialmente para as crianas.

    Com o berrio, trabalham-se ati-vidades diversificadas de motricidade, msica, histrias, pintura, e explorao de diferentes materiais.

    a escola

    textos porPaula Soares e Luiz

    Visita crecheAlunos visitam a creche Jurema Canziane

  • news 2 semestre de 2011

    texto porTiago M Rubo, Naji N Stadler, Lucas D Ccero, Ian C Zanatta e Iago Garcia

    ieij realiza almoo de confraternizao

    No dia 26/11, durante um enso-larado dia de primavera, ocorria o to esperado almoo de confraterniza-o da escola IEIJ, acompanhado por msica ao vivo, tocada pelos prprios alunos. Na opinio de alguns alunos, as msicas ao vivo alegraram muito o ambiente e reforaram o clima festivo. O rock nacional aliado ao pop moder-no, e uma pitada de rock progressi-vo, gerou timas msicas cantadas. Os artistas que se apresentaram foram:

    Tiago m Rubo e Gustavo Gorla, os dois apresentaram uma msica indita, de composio prpria, trabalhada por dias. Alm disto, ainda apresentaram o Acstico IEIJ, um espao para artistas da escola se apresentarem ao vivo. Neste caso, as msicas do acstico eram de estilo rock nacional. Com msicas famosas para os pais das geraes anteriores, muitos cantaram junto com os artistas. As msicas apresentadas foram: Explicar (composio), Quando o sol se for, Ela vai voltar, Anna Julia e outras mais.

    Beatriz Giufrida e Paula Soares, apresentaram Rolling in the deep, Um-brella-Singing in the rain, The Lazy Song, Fix you e It will rain. Mostravam um estilo pop moderno, com msicas atuais e que acentuavam muito bem uma voz afinada. Na maioria das vezes em que cantaram juntas, uma fazia a primei-ra voz enquanto a outra a segunda, e isto resultou em uma melodia vocal muito interessante.

    Giovanni Lopes, com um estilo mais para o heavy metal, acompanhou um CD de rock antigo e selvagem. Cantou exatamente igual aos cantores do CD, e ain-da apresentou sua prpria performance perante o pblico, ao vivo.

    Guilherme Capelari apresentou a msica Vem olheiro, de origem evan-glica. Acompanhado na bateria por Tiago, tocou uma msica melodiosa que muitos acharam relaxante. Acompanhou tambm o Acstico IEIJ, na msica Ela vai voltar.

    Muitos dos alunos que compare-ceram ao almoo gostaram da comi-da, e a maioria gostou das apresenta-es, porm houve os insatisfeitos com a msica por no fazer parte do seu repertrio musical.

    A inspirao para o almoo sur-giu h mais de 10 anos com a ideia de reunir pais, alunos, professores e fun-cionrios em um ambiente extra-es-colar, com o intuito de melhorar a interao entre as partes, evoluir a co-municao entre pais para que possam aumentar seu nmero de amigos, e co-nhecer outros pais.

    Alguns pais gostaram muito do almoo de confraternizao pela in-terao que tiveram com outros pais, pois estes dizem que conheceram no-vas amizades que no se conheceriam normalmente.

    Gostei muito do trabalho, formi-dvel, disse uma me.

    Conheci meu melhor amigo em um desses encontros comenta um pai de um ex-aluno.

    Foi muito interessante e diver-tido. Alm de termos um show de ta-lentos, e um sorteio de vrios prmios mesmo que eu no ganhei nada, o que valeu foi a cooperao entre pais e alu-nos, diz Paula da 7 srie.

    Eu no gostei, pois tinha pouca comida que gostei diz Leonardo, alu-no da 8 srie.

    Foi muito bom, a comida esta-va uma delcia e o show de talentos alegrou o ambiente diz Fernando da 6 srie.

    Foi muito bom o show de talen-tos e a confraternizao na parte ex-panso, diz Carolina Carvalho, 5 srie.

  • 5Em entrevista ao IEIJ news, o Dr Lincoln Brasil Silva respondeu a algu-mas perguntas de nossos reprteres. Ele falou a respeito da palestra sobre sono saudvel que ministrou na Esco-la. Confira a entrevista:

    Qual o tempo necessrio para um ado-lescente ter de sono e ficar disposto o dia inteiro?

    Dr Lincoln Os jovens necessitam de 8 a 8 horas e meia de sono em quar-to escuro, sem sons, e acordando com o clarear do dia, pois a luz do dia dimi-nui a eficincia do bom sono.

    Por que alguns adolescentes dormem durante a aula?

    Dr Lincoln No perodo matutino, isso quase sempre sinal de sono mui-to curto, ou de noite mal-dormida. Ge-ralmente as duas coisas.

    Por que muitos adolescentes ficam acor-dados at tarde ou nem dormem?

    Dr Lincoln Em primeiro lugar, os filhos vo dormir mais ou menos na hora em que os pais vo dormir. Em

    H mais de quinze anos, a escola pratica a noite do soninho. Ela envol-ve professores e alunos com uma ida-de entre 6 e 7 anos e tem o objetivo de acostumar as crianas a dormirem fora de casa, e tambm os familiares, j que mais para frente, haver passeios para acampamentos, e longas viagens, como excurses.

    No dia 24 de novembro de 2011, o primeiro ano, junto com as professoras Roberta e Aithana, tiveram a noite do soninho na escola.

    Como foi realizado o trabalhocom os alunos?

    aithana Primeiramente, enquanto alguns alunos preparavam o refeitrio para o jantar, outros estavam no clu-be de futsal e outros tomando banho.Aps todas as tarefas, os alunos espe-ravam o jantar ficar pronto enquanto jogavam jogos de mesa.

    Que tipo de atividades vocstrabalharam?

    roberta Trabalhamos com hist-rias folclricas como o Curupira (O curupira um ser fantstico, que se-gundo a crena popular, habita em florestas, sua funo a de proteger as plantas e os animais, alm de pu-nir quem os agredir.); Jogos de mesa; Construes; E filme, como o do Z Colmia.

    O que vocs comeram?

    roberta No jantar comemos ma-carronada ao molho vermelho, e sala-da de frutas, que os alunos fizeram, de sobremesa. No caf da manh come-mos po com manteiga e leite quente.

    texto porPaula Soares eBeatriz Giufrida

    texto porLuiz Henrique, Carolina Tucci e Julia Puppi

    Noite dosoninho

    Entrevista comDr. Lincoln Brasil

    a escola

    segundo lugar, em geral os filhos pos-suem TV, som, celular ou videogame no quarto. Estudos mostraram que quanto mais tempo uma criana de-mora para acordar, mais aparelhos ela tem no quarto. E isto bate perfeito com sonolncia em sala de aula, irri-tabilidade, facilidade para se distrair.

    O uso das redes sociais, internet, video-game e jogos violentos, interfere no sono dessas pessoas?

    Dr Lincoln bom no ter nada disso no quarto, e sim em um local onde os pais e irmos possam ver o que est sendo feito, pois h tanta vio-lncia, sites proibidos, chats, tutes, es-sas coisas inimigas de um sono til e bom. Disponham e se cuidem, t?

    Os jovens necessitam de 8 a 8 horas e meia de sono em quarto escuro, sem sons

  • news 2 semestre de 2011

    reutilize

    recicle

    recuse

    repare

    return

    5 Rsreutilize

    recic

    lerecuse

    repare return

    5 Rs

    Desde 2007, o IEIJ assina um pro-tocolo ecolgico diferente a cada ano, que funciona como um termo de com-promisso de mudana de hbitos para a comunidade da Escola.

    Em 2007 o protocolo foi Ne-nhuma linha em branco Caneta, sim! Copinho descartvel, no! Ca-rona Solidria, em 2008: Hidroeltri-ca de Mau: problema ou soluo?, em 2009 foi No entre pelos canos um estudo sobre a rede de esgoto, em 2010 foi Comer bom demais e, bem o par perfeito para uma ali-mentao saudvel desde a infncia, e agora em 2011 o novo protocolo foi Jovens Rumo a Mudana.

    Este protocolo que foi assinado no dia 8 de dezembro de 2011, tem como objetivo ajudar os jovens a ter uma vida mais sustentvel, focando os esforos em evitar o desperdcio mundial e incentivar o consumo sus-tentvel.

    O consumo sustentvel procu-ra solues possveis para desequil-brios sociais e ambientais atravs de um comportamento mais responsvel por parte de todos ns. O CS est liga-do em particular produo e distri-

    buio, utilizao e rejeio de produ-tos e servios, e oferece uma forma de repensar o seu ciclo de vida. O concei-to do CS : satisfazer as necessidades do homem e fornecer uma boa quali-dade de vida atravs de nveis de vida decentes.

    O protocolo do IEIJ nos oferece vrias dicas para ajudar a melhorar a nossa sustentabilidade, como os 5 Rs, que so formas simples de fazer dimi-

    nuir o desperdcio que produzimos no dia-a-dia:Recuse embalagens desnecessrias e encoraje os fabricantes a parar de fa-bricar em excesso seus produtos;Return (devolva) garrafas e embala-gens reutilizveis sempre que puder; prefira garrafas com depsito;Reutilize e volte a encher o mais que puder artigo como envelopes, garrafas e sacos de plstico todos eles podem ser reutilizveis. Leve as roupas que j no quer a uma instituio de carida-de est no s a reciclar como estar a beneficiar algum;Repare (conserte) as coisas em vez de as jogar fora;Recicle papel, latas e garrafas, deixan-do-os no ecoponto local. Faa com-postagem com o lixo domstico.

    As pessoas deveriam se conscien-tizar do desperdcio, pois se mais pes-soas se importarem, ns teremos uma mudana maior e consequentemente um mundo melhor tambm.

    texto por

    ieij assina protocolo a favor do meio-ambiente

  • cultura e lazer 7

    o que faz diferente?

    3341 6733 rua Blgica, 926 / www.ieij.com.brmatrculas abertas

  • news 2 semestre de 2011 8

    texto porFernando Miranda eGustavo Gorla

    texto porDanilo Garcia eLuiz Henrique Voigt Gair

    Literatura semanal no IEIJ

    ContosContos de fadas do sculo xxi

    A equipe da editoria de cultura do IEIJ news vem fazendo uma pesqui-sa a respeito da literatura semanal que acontece no IEIJ, conhecida tambm como o projeto Para Gostar de Ler. O projeto tem como principal objeti-vo incentivar os alunos a descobrirem o gosto pela leitura, que futuramente pode mostrar uma enorme influncia profissional. Afinal, em quaisquer das profisses sempre muito bom estar lendo, pois a leitura, independente do gnero, proporciona ao leitor um vo-cabulrio muito amplo e um conheci-mento aberto a muitas reas.

    Na pesquisa, fizemos um ques-tionrio de literatura, que entrega-mos para todos os alunos do ginsio, e nas semanas seguintes, recolhemos estes, para obtermos os dados. O ques-tionrio tinha perguntas bsicas do

    Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa indepen-dente e cheia de auto-estima que, en-quanto contemplava a natureza e pen-sava em como o maravilhoso lago de seu castelo estava de acordo com as conformidades ecolgicas, se deparou com uma r. Ento a r pulou no seu colo e disse:

    Linda princesa, eu j fui um prncipe muito bom. Uma bruxa m lanou-me um encanto e transformou-me nessa r asquerosa. Um beijo teu, no entanto, h de me transformar de novo num belo, e poderemos casar e constituir um lar feliz em teu lindo castelo. A mi-nha me pode vir morar conosco e tu po-derias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveramos felizes para sempre!

    Naquela noite, enquanto sabore-ava pernas de r saute, acompanha-das de um cremoso molho acebola-do e de um finssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava: Nem morta.

    tipo: livros que leu, mdia de pginas, gnero literrio preferido, etc. E para divulgarmos os dados, montamos gr-ficos com as informaes.

    gnero literrio preferido

    Por final, somamos todos os re-sultados coletados do numero de pgi-nas lidas em cada ms, e fizemos uma mdia do IEIJ por semana, que resultou em 322,6 pginas por ms.

    autores mais lidos

    Monteiro LobatoJ.K. RowlingRick RiordanJohn Flanagan

    Para Mulheres do Sculo XXI

    Era uma vez uma linda moa que perguntou a um lindo rapaz:

    Voc quer casar comigo?Ele respondeu: NO!E a moa viveu feliz para sempre,

    foi viajar, fez compras, conheceu mui-tos outros rapazes, visitou muitos lu-gares, foi morar na praia, comprou ou-tro carro, mobiliou sua casa, sempre estava sorrindo e de bom humor, nun-ca lhe faltava nada, bebia cerveja com as amigas sempre que estava com von-tade e ningum mandava nela.

    O rapaz ficou barrigudo, care-ca, a bunda murchou, ficou sozinho e pobre, pois no se constri nada sem uma MULHER.

    cultura e lazer

    aoaventura

    policialromancesuspenseterror

    outros

    6 alunos6 alunos5 alunos5 alunos2 alunos2 alunos2 alunos2 alunos2 alunos2 alunos2 alunos2 alunos4 alunos4 alunos

  • cultura e lazer 9

    , voc j deve ter percebido que o nosso histrico de passeios bem desastroso, mas poderia ser pior se eu no recusasse, terminamente, algumas coisas, exemplo: pedalar 35 km, de Ara-pongas at Londrina, s 2 horas da ma-nh. Mas, de qualquer forma, tudo isso ajuda para que um dos principais as-suntos e preocupaes do meu pai seja a bicicleta.

    Por isso h uma coisa em que posso me garantir: sempre vai ter uma forma de consertar a bicicleta, com o arsenal de ferramentas que ele carrega!

    Bom, dizem que cada tombo que a gente leva um aprendizado, no ? Ento a coisa que eu mais fao aprender com meu pai!

    Crnicas do dia dos paisviagens de bicicleta

    Dois joelhos cortados, dois co-tovelos ralados e um dedo quebrado. Isso apenas um exemplo do que as loucas aventuras que meu pai pro-pe costumam resultar. Mas claro, a minha bicicleta tem mais ou menos a metade da qualidade da dele: ou est desalinhada ou com o freio falhando, mas no final, de qualquer jeito, quem acaba todo machucado sou eu.

    O que j fizemos mesmo? J fo-mos at o rio Tibagi, na fronteira do municpio, outras vrias vezes para as Termas de Londrina... Quer dizer, pe-dalar de uma cidade a outra j quase rotina. Ir para o colgio, do outro lado da cidade, s 7 horas da manh e com a temperatura de uns cinco graus?

    H! Moleza!

    conversa

    Oi filha! Oi! eu digo. Como foi de aula hoje? Bem. S isso? Sim. De qual matria voc mais gostou? Nenhuma. Uhum. E o que voc fez hoje? Na aula de matemtica ns comeamos a montar tipo uma Tipo um carro. Uma maquete para mostrar um tipo Tipo um carro. Mostrar uma forma de equao para descobrir a raiz quadrada. Depois ns comeamos a treinar como ns falaremos sobre isso na feira de cincias, porque tipo Tipo um carro! Porque na hora ns precisamos falar corretamente e as pessoas precisam entender. Vai ser difcil, mas ti Tipo nadaa! Haha! J est funcionando! Realmente, se a sua inteno for me deixar irritada.

    Meu pai estacionou o carro, des-ceu, deu a mo para me ajudar a sair, segurou a porta do prdio aberta para eu passar, abriu a porta do elevador para mim, depois abriu a do aparta-mento e a fechou depois de eu entrar. Sentou-se mesa que j estava pos-ta, serviu-se de ch numa caneca, deu um gole, fez uma cara estranha e disse: Ch! Nossa, isso foi tipo TIPO UM CAAAARRO! AAAAAH!

    texto porNaji N Stadler

    texto porAriela Pauli

  • A gastronomia o ramo que abrange a culinria, as bebidas, e mui-tos outros elementos da alimentao. Em geral, so todas as coisas culi-nria associadas. A gastronomia no somente o comer ou o beber. mui-to mais do que isso. Nesta, est im-plcita toda a arte de cozinhar: tanto na culinria, quanto na apresentao dos alimentos e refeies, sendo at mesmo exigidos trajes e msicas, por exemplo, adequados ao ambiente e ao que servido.

    A gastronomia muito mais do que o simples ato de cozinhar, pois, na gastronomia, no somente impor-tante a forma como os alimentos so preparados, se preocupando tambm com o refinamento da alimentao.

    O prazer gerado pela comida um dos fatores mais importantes da vida depois da alimentao para a so-brevivncia. A gastronomia nasceu desse prazer proporcionado pelos ali-mentos e se tornou a arte de cozinhar para retirar dos alimentos o maior be-nefcio possvel.

    a gastronomia nas cults do ieij

    Recentemente, foi feita uma CULT sobre gastronomia moderna. Nes-sa cult foram englobando assuntos como o livro Modernist Cuisine, es-crito por Nathan Myhrvold. Ex-exe-cutivo da rede Microsoft, o cientista deixou seu posto na grande empresa tecnolgica para se reunir com um dos maiores cozinheiros mundiais e reali-zar uma das maiores obras culinrias de todos os tempos, o Modernist Cui-sine. uma simples obra de 22 qui-logramas, 6 volumes, 2.438 pginas e 1.500 receitas com fotos impossveis, nunca antes tiradas.

    Muito mais que um livro, a cozi-nha modernista um conceito, o qual representa a revoluo culinria, tendo como principais caractersticas novas combinaes alimentcias e mais exa-tido nas receitas com o uso da avan-ada tecnologia atual na gastronomia.

    Com base em textos e algumas informaes, os professores fizeram CULTs para que entendamos o assunto, que poder ser to repercutido num futuro prximo.

    projetos gastronmicos no ieij

    Na Escola IEIJ a alimentao le-vada muito a srio, para que os alu-nos entendam o quo importante se alimentar de forma saudvel. Alm da alimentao, a escola considera de grande importncia que cada aluno que entra e sai daqui, desde pequeno, tenha seu carter formado para futu-

    ros desafios da vida. Com isso, a esco-la realiza projetos nos quais exigem o esforo dos alunos, desenvolvendo a personalidade de cada um com tare-fas devidamente planejadas para cada idade.

    As turmas da pr-escola esto fa-zendo um projeto, em que um dia de cada semana, os alunos com a ajuda da professora, saem e fazem compras em um mercado prximo para poderem fazer seu prprio lanche, desenvolven-do a autonomia de cada aluno. A ati-vidade envolve tambm a matemtica na soma dos itens comprados com o dinheiro disponibilizado pela profes-sora. Cada um paga as suas compras com R$ 1,50, que depositado em uma caixinha toda sexta-feira.

    H alguns dias, a escola IEIJ pro-moveu um almoo gastronmico com o intuito de realizar um almoo sabo-roso e saudvel ao mesmo tempo. Dois estudantes de gastronomia da faculda-de Unifil foram convidados para cola-borar na preparao do almoo. Cada sala ajudou na preparao de uma par-te do almoo, tirando um dia inteiro para a preparao deste.

    Ao final da aula, todos reuniram-se em diversas partes da escola para saborear o almoo.

    news 2 semestre de 2011

    Gastronomia: o que ?

  • cultura e lazer 11

    timentos que possumos.J a professora Caroline Louren-

    o, acha que os filmes interferem se a histria for ligada com algo da vida da pessoa. Segundo ela, o filme pode at influenciar a vida. No meu ponto de vista, h filmes que possuem uma forte ligao com a moral da pessoa. Se ela sabe lidar com seus problemas e necessidades, possvel que o filme no interfira na vida pessoal, mas se a pessoa possuir uma moral baixa, pos-svel que ela mude para pior, ou para melhor, por sentir uma interferncia por parte do personagem referido.

    Para ver se as crianas e adoles-centes estavam assistindo filmes vio-lentos ou no, resolvemos fazer uma pesquisa, que questiona qual o gnero do filme que ela gosta. A pesquisa foi feita com 37 pessoas, entre 7 a 15 anos.

    Hoje em dia, a mdia possui uma grande influncia na vida das pessoas, com as novelas, sries, desenhos, vide-ogames e filmes.

    Assim fomos buscar ideias mais aprofundadas do que a mdia pode causar nas pessoas, assim podendo traz-las a uma vida cheia de violn-cia e ideias superficiais da realidade.

    Segundo a professora Maria Ce-clia, o que interfere, o estado moral da pessoa, com a mdia e sua educa-o. Desde a poca que meus filhos eram crianas, sempre procurava assis-tir aos desenhos com eles, e chegava concluso de que poderia haver dese-nhos mais saudveis, aonde eles iriam aprender. Seria uma coisa mais produ-tiva se redes de telecomunicao ofe-recessem maiores opes de progra-mas, desenhos e filmes saudveis, pois no Brasil, a TV um dos nicos diver-

    a alimentao no ieij

    Assim como na pr-escola, no primrio as crianas tm um cardpio controlado pela escola, para que de-senvolvam um bom e saudvel gosto alimentar. Nessas atividades, as crian-as devem trazer diariamente seus lan-ches de acordo com o cardpio forne-cido pela escola, assim desenvolvendo sua coordenao motora, ao abrir e fe-char uma garrafinha, ao estender a to-alha na mesa, ao descascar a fruta, etc. Com isso, aprendem que a organizao tem grande importncia na hora das refeies. No ginsio, no h um card-pio dirio. Porm, h muitos limites na alimentao dos adolescentes do IEIJ. Tanto que alimentos como bolachas recheadas, chocolate, salgadinhos, re-frigerantes e outros que ultrapassam o teor permitido de sdio, gordura, en-tre outros, no so permitidos. Para controlar isso, h um quadro chama-do Posso Comer, e outro chamado No Posso Comer, e assim no respectivo quadro as embalagens dos alimentos permitidos e no permitidos.

    Homens maus vivem para que possam comer e beber, enquanto os ho-mens de bem comem e bebem para que vivam Scrates

    texto porFernando Miranda eGustavo Gorla

    A mdia e suas influncias

    texto porBeatriz W Giufrida e

    Barbra Berllonidramaecltico

    fico cientficaclssicos

    animaoterrorcomdia

    suspenseaventura

    ao27%27%14%14%13%13%11%11%11%11%8%8%5%5%5%5%3%3%3%3%

  • news 2 semestre de 2011

    Bonito

    Bonito uma cidade bonita por natureza; reconhecida pelas suas be-lezas naturais.

    Bonito bateu um recorde em 2010, fechando o ano com a visita de 170 mil turistas, sendo que 8% deles eram estrangeiros.

    A variedade de passeios pela re-gio transformou Bonito na melhor ci-dade de ecoturismo do Brasil.

    Em 1940, foi descoberta a Gruta do Lago Azul, que teve livre acesso at o final dos anos 70. Mas alm de toda a beleza natural da gruta, h ainda o Lago Azul. A gua bem cristalina, ganha o tom azulado pela incidncia da luz. Mas no possvel mergulhar ou chegar perto do rio.

    H tambm o Rio Sucuri, que, idem, a gua cristalina. O visitante tem contato bem prximo com os pei-xes, que aparecem ainda maiores de baixo da gua. Mas a pesca proibida nessa regio.

    Os peixes (principalmente a Pi-raputanga) so muito tranquilos. No Balnerio Municipal, o cardume im-pressionante.

    Por l so encontradas espcies de plantas que normalmente so vistas em lugares completamente distintos.Mas, alm disso, tm os raftings: andar de caiaque, fazer trilhas, etc.

    Depoimentos de alguns alunos do IEIJ:Foi uma viagem surpreendente.

    Posso dizer que foi uma das melho-res viagens com o IEIJ, Paulo Vitor Reis Guilherme da 7 srie.

    Foi muito legal, com momen-tos emocionantes e divertidos, Tiago Marques Rubo da 7 srie.

    Tudo sobre as viagens do ieijO IEIJ faz vrias viagens durante o

    ano. As viagens feitas pelo IEIJ so di-ferentes. Nelas, os alunos, pais e pro-fessores, podem ir juntos. Todas as viagens do IEIJ so programadas com antecedncia.

    A Coordenadora das Viagens, a professora Elaine, procura diferentes locais para viagens. Ao encontrar uma viagem legal, avisa os alunos alguns meses antes para se programarem.

    Os alunos que quiserem partici-par devem conversar com os pais e fa-zer a inscrio na Companhia de Turis-mo escolhida pelo IEIJ.

    Cnion Guartel

    Uma das viagens do IEIJ, realizada em novembro de 2010, foi para o C-nion Guartel, que fica localizado en-tre os municpios de Castro e Tibagi, aqui no Paran. O Cnion conside-rado o 6 maior do mundo, e o maior do Brasil. Foi escavado pelo Rio Iap, que passa entre os dois paredes do cnion.

    A paisagem vista do alto do Vale do Rio Iap, ou do mirante, surpre-endente. No meio da mata, surgem duas cadeias de montanhas, separadas pelo leito do Rio Iap.

    turismo

  • 13

    texto porGuilherme Lucas LangPaulo Vitor Reis Guilherme

    texto porMatheus Domansky dos Reis e Pedro Cavalcante Garcia

    1 Dia O passeio comeou no Rio do Peixe. Os alunos fizeram uma trilha visualizando cachoeiras e um poo, onde saltaram e caram em um rio com cerca de 4 metros de profundi-dade. Na volta da trilha, os alunos pu-deram mergulhar em alguns pontos do Rio do Peixe (onde, em um deles, eram as Piraputangas que se destacavam).

    Depois da trilha, os alunos almo-aram e descansaram. Nesse repouso, foi possvel a visualizao do macaco-prego. Os alunos tiveram o prazer de entregar bananas para os macacos. Em seguida, eles foram para a tirole-sa, onde caam direto em um rio.

    2 Dia Os alunos fizeram um pas-seio surpreendente de flutuao no Rio Sucuri, Rio Olho dgua e Rio da Prata. Foram 2 km de flutuao.

    Tiveram que colocar a mscara de snorkel e foi possvel a visualizao de alguns peixes, como o Dourado, a Piraputanga, Cachara, Cascudo, Piava, Trara, etc. A gua estava muito gelada!

    3 Dia Os alunos fizeram um pas-seio de bote em um rio. O passeio foi separado em quatro grupos. Cada gru-po em um bote.

    Um grupo foi mais competitivo e chegou em primeiro. Os trs grupos que ficaram para trs, fizeram guerra de gua com baldes. At roubaram o balde do outro grupo, mas depois ti-veram que devolv-lo para o grupo re-tirar gua do bote.

    Durante o passeio, foi possvel a visualizao de alguns animais, como, Tucanos, Sucuris e Galinha do Mato. Para aumentar a adrenalina, passaram por vrias cachoeiras.

    Aps os quatro grupos termina-rem o passeio, os alunos almoaram na Ilha do Padre e depois foram visi-tar a Gruta do Lago Azul para finali-zar o passeio.

    esporte

    Eventos esportivosNo IEIJ temos alguns eventos es-

    portivos durante o ano, como os tor-neios de futsal, e o passeio ciclstico. Nestes eventos temos comidas e be-bidas, alm do sorteio de muitos pr-mios.

    Torneio de futsal

    O ltimo evento que aconte-ceu foi o torneio de futsal. Este torneio dividido em vrias categorias, sepa-radas principalmente por salas, como stima srie com oitava srie, ou sexta srie com quinta srie, tambm haven-do a categoria de pais, feminina e mas-culina. Os torneio de futsal so ape-nas amistosos e no tm competio, por isso a premiao acontece apenas com medalhas de mrito e participa-o, igual para os vencedores e perde-dores.

    Passeio ciclstico

    O passeio ciclstico de 2011 foi no dia 18 deste ano, e teve sorteio de brindes e patrocnio da Point 700, Dimi Confeces, BRtipo, Clnica do

    Joelho de Londrina e Barolo. Tivemos alguns acidentes, porm foi muito ba-cana este evento, com varias pessoas. Tivemos pastis, sorvetes e bebidas no alcolicas. Depoimentos de al-guns participantes do evento:Gostei muito. Matheus dos ReisAchei muito legal. Julia PuppiGostei dos pasteis. Naji Standler

    Pelo que vimos, os alunos gosta-ram muito do passeio ciclstico deste ano de 2011.

  • news 2 semestre de 2011

    tecnologia

    A partir desta edio do IEIJ news, iniciaremos uma srie de mandamen-tos sobre como utilizar de modo efi-ciente a informtica. Com dicas teis e um timo humor, os mandamentos da informtica prometem te fazer rir muito.

    10 mandamentos do WORD

    1: Abrirs o WORD para editar qualquer texto, mesmo havendo uma srie de editores melhores.

    2: Ters febre de tanta dor de ca-bea por no encontrar a ferramenta de que necessita.

    3: O WORD oferecer inmeros estilos (no fonte) de escritas que no serviro para nada.

    4: Digitars um texto de mui-tas pginas com exmia ortografia, e o WORD dir que mais da metade dele est incorreto.

    5: O WORD mudar toda hora a lngua usada, e assim dar que todas as palavras em portugus como dinamar-quesamente chinesas erradas.

    6: Respeitars o WORD do mes-mo modo que respeitas o Bin Laden.

    7: Haver (em verde) erros de gramtica (achados pelo WORD) que nem o WORD sabe a correo.

    8: Ao tentar mudar a tabela inse-rida, nunca alcanar a posio deseja-da (ficar horas a tentar, e no final vai simplesmente fechar o documento).

    9: Ficars horas a digitar um tex-to, e perders tudo em um erro no sal-vamento.

    10: Se convencers de que o WORD (o qual pagou muito dinheiro para ter) horrvel e comear a usar BrOffice.

    A Apple perde com a sada. A empresa ter que provar que conti-nua inovadora ao mercado de consu-midores. Sem a figura do fundador vi-sionrio, a Apple se torna mais comum e menos diferenciada no setor. Micro-soft, Google e rivais, ganharam com a sada de Jobs da Apple.

    Quem foi Steve Jobs?

    Steven Paul "Steve" Jobs foi um magnata e inventor americano. Foi co-fundador, ex-presidente e ex-dire-tor executivo da Apple Inc.

    No final da dcada de 1970, Jobs, junto com Steve Wozniak e Mike Ma-rkkula, entre outros, desenvolveu e co-mercializou uma das primeiras linhas de computadores pessoais de sucesso, a srie Apple II. No comeo da dcada de 1980, ele estava entre os primeiros a perceber o potencial comercial grfico do usurio guiado pelo mouse.

    Aps perder uma disputa de po-der com a mesa diretora em 1984, Jobs demitiu-se da Apple e fundou a NeXT, A compra da NeXT pela Apple em 1996 levou Jobs de volta com-panhia que ele ajudara a fundar, e ele serviu como seu CEO de 1997 a 2011, ano em que anunciou sua renncia ao cargo, recomendando Tim Cook como sucessor.

    Fonte Wikipdia

    Mandamentos dainformtica

    SteveJobs

    10 mandamentos do BrOffice

    1: Comeara a usar o BrOffice ao invs do WORD, por pensar que ele melhor.

    2: Ters mo uma srie de fer-ramentas fantsticas oferecidas pelo BrOffice, mas no sabers nem mes-mo como us-las.

    3: O BrOffice oferecer apenas um estilo (no fonte) de escrita, po-rm o achar enjoativo, e assim, intil.

    4: Digitars um texto de muitas pginas, com inmeros erros de orto-grafia, e o BrOffice dir que est tudo certo.

    5: Perders horas fio no gran-de corretor de ortografia do BrOffice.

    6: A energia acabar, perders seu texto, e colocars a culpa no BrOffice.

    7: Formatars seu texto inme-ras vezes e vers que as nica fonte que funcionam so Arial e Times New Roman.

    8: Descobrirs, depois de scu-los, que o BrOffice no oferece as fer-ramentas realmente necessrias.

    9: Ficars horas a digitar um tex-to, e perders tudo em um erro de sal-vamento.

    10: Se convencers de que o BrO-ffice (o qual no pagou nada para ter) no sua praia, e voltars a usar WORD.

    Na prxima edio, confira os mandamentos do Paint e do Core-Draw.

    texto porTiago M Rubo,Naji N Stadler,Danilo V Garcia eLucas D Ccero

  • 15

    iPad X Notebook

    Nos ltimos tempos, com o surgi-mento do iPad, o Notebook vem per-dendo espao no mercado, mas pos-svel observar vrios problemas destes novos iPads, que mantm os Note-books no mercado por seus adeptos. Mas ainda neste ano no ser mais ne-cessrio escolher entre um dos dois. O protagonista desta mudana o novo Eee Pad Transformer TF101, da ASUS. Este tabletnotebook oferece a possibi-lidade de ser usado como Notebook, ou de tirar a tela do teclado e us-lo como Tablet. A mquina usa a plata-forma Android 2.2. O Android um sistema operacional mvel que roda sobre o ncleo Linux, mas foi inicial-mente desenvolvido pela Google e gerenciado por esta atualmente.

    Novos computadores para o IEIJ

    Neste ltimo ms, o IEIJ fez uma importante aquisio de computado-res: 3 novas mquinas Celeron: plata-forma da Intel usada em diferentes microprocessadores x86. A famlia da plataforma, que envolve a Core 2 Duo e a linha Pentium, considerada a li-nha de alta performance da empresa. As principais caractersticas que os diferenciam de seus irmos maiores

    economiaNovidadesDe olhona carteira do papai

    texto porTiago M Rubo,Naji N Stadler eDanilo V Garcia

    texto porLucas eMateus

    so o tamanho do cach, clock inter-no e clock do barramenteo externo.

    Essas diferenas fazem com que esses processadores sejam mais bara-tos que os outros processadores de maior poder de processamento, sen-do assim, indicado para o mercado de usurios domsticos ou para usurios que no necessitem de um poder com-putacional muito elevado.

    Sistema de compartilhamento de CPU

    Alm da plataforma, as novas mquinas tambm tm uma novida-de: o sistema de compartilhamento de CPU, que permite que um monitor, teclado ou mouse separados utilizem o CPU de outro computador, mesmo este estando distncia. Isto possvel pois h um servidor controlando to-dos os computadores da biblioteca, e este tem a capacidade de interligar os computadores com esse sistema.

    Na prxima edio, confira mais novidades sobre o mundo da inform-tica e da tecnologia.

    Como a ida ao supermercado pode gerar economia para as crianas da pr-escola?

    A resposta fcil: uma vez por semana (assim como seus pais), as crianas da pr-escola vo ao su-permercado para comprar ingredien-tes para seu prprio lanche, que ser montado na escola. Os pequeninos trazem R$ 1,50 por semana, para cobrir os gastos da merenda. Cada turma, pe-riodicamente, compra seu lanche no mercado prximo. Po, presunto, quei-jo e manteiga so os preferidos entre a garotada.

    Todos os lanches montados pela pr-escola, aqui no IEIJ, seguem a linha da nutrio ideal, apresenta-da a ns pela Cult XI MMXI (A Cozi-nha Como Voc Nunca Viu), em que aprendemos o que gastronomia e quais so os valores nutricionais a se-rem seguidos nas principais refeies, aquelas indispensveis para sua dieta.

    As crianas depositam o di-nheiro que trazem (R$ 1,50) em uma caixa lacrada, como uma espcie de cofrinho e anotando a quantia de di-nheiro que contriburam, para futuro controle e para saber se devem rece-ber troco. Porta moedas so indispen-sveis na caminhada.

    um trabalho contnuo, de gesto econmica, onde a criana aprende a dar valor ao prprio dinhei-ro, sem perder o dinamismo da ativi-dade fora de sala. Disse a professora. uma atividade benfica criana, que alm de saber controlar o dinhei-ro, cresce com um hbito saudvel. Agora para as crianas o porta moe-das pouco, o objetivo a carteira do pai.

  • news 2 semestre de 2011

    Vendas

    Joo Filipe (3 Ano)Vendo figurinhas do Club Penguin e do Brasileiro, Gibi da Turma da Mnica, livro Fabulas de La Fontaine, figurinhas e livros do Zac Power;

    Joo Pedro (3 Ano)Vendo gibis;

    Vitor (3 Ano)Vendo figurinhas do Club Penguin;

    Isabel (3 Ano)Vendo figurinhas do Club Penguin;

    Iago (3 Ano)Vendo figurinhas do Club Penguin, Gibi, e livros do Zac Power;

    Henrique (3 Ano)Vendo figurinhas do Brasileiro;

    organizaoPaula Soares, Anna Mei, Amanda Naomi e Luiz Henrique Gair

    classificados ieij

    informaes

    Trocas

    Iago (3 Ano)Troco figurinhas do Club Penguin;

    Joo Filipe (3 Ano)Troco livros;

    Joo Pedro (3 Ano)Troco gibis;

    Gabriele (4 Ano)Troco gibis, livros, e brinquedos;

    Paulo (4 Ano)Troco brinquedos;

    Compras

    Davi (3 Ano)Compro livros do Zac Power;

    Peguem seus pertences no achados e perdidos! Nele h estojos, potes, tiaras, livros e blusas!

    Sries e Horrios

    Educao Infantil(a partir de 2 anos)das 13h30 s 18h

    Ensino Fundamental(1 e 2 anos)das 13h30 s 18h

    Ensino Fundamental(3 a 5 anos e 5 a 8 sries)das 7h30 s 12h

    Contato

    rua Blgica, 926 Jd. So VicenteLondrina, Parancep 86046-280

    ieij@ieij.com.br(43) 3341-6733

    Maria Fernanda (3 Ano)Vendo pulseiras, roupas, arquinhos, livros, DVDs, e vdeos;

    Rmulo (3 Ano)Vendo figurinhas do Batman;

    Vincius (4 Ano)Vendo revistas em geral;

    Sofia (4 Ano)Vendo filmes;

    Guilherme (6 Srie)Vendo skate;

    Tiago (7 Srie)Vendo Nintendo Game Boy SP e Play Station 2;

    Obs: O preo dos produtos em negociao com o vendedor;

    sobre a escola

    O IEIJ Instituto de Educao In-fantil e Juvenil uma escola sem fins lucrativos, que h 38 anos aposta em uma educao diferente.

    Uma escola piagetiana, que res-peita o indivduo em seu processo de construo do conhecimento.

    Uma cooperativa de pais que se interessam no crescimento de seus fi-lhos, em um sentido amplo.

    Um lugar onde a autonomia al-canada pela cooperao. Onde a tra-dio baseada na vanguarda.

    Venha conhecer a diferena.