folha catolica - agosto

Download Folha Catolica - Agosto

Post on 10-Mar-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Folha Catolica - Agosto

TRANSCRIPT

  • Pg. 3 Pg. 6 Pg. 2

    Itapema ter nova parquia em setembro

    Prepare-se para a 1 edio do Cerco de Jeric paroquial

    Desafios da vocao crist no mundo de hoje

    :: Arquidiocese :: :: Adorao :: :: Proco ::

    CAtlICAfolhAEdio 22 - Agosto de 2012 - Distribuio gratuitaJornal da Parquia Santo Antnio - Itapema/SC

    Pg. 6

    Agosto tem o encontro da juventude catlica em Meia Praia

    :: Desafio ::

  • Folha Catlica - Agosto 20122

    folha catlica uma publicao da parquia

    santo antnio de itapema

    direo:PE. mario srgio do nascimento

    e-mail: secretaria@santoantonioparoquia.com

    contato: 47 3368-2185

    rua prof. rosinha campos, 52,sala 02, abrao - FLORIANPOLIS/SC

    FONE: 48 3365 1613ATENDIMENTO@DOMINUSCOMUNICACAO.COM

    JORNALISTA RESPONSVELKETLIN DA ROSA - SC02821 - JPKETLIN@DOMINUSCOMUNICACAO.COM

    diagramaoAndr Kinal

    tiragem: 3 mil

    periodicidade: mensal

    impresso: grca granorte

    criacao@DOMINUSCOMUNICACAO.COM

    pauta@DOMINUSCOMUNICACAO.COM

    texto / reportagens

    produo

    KETLIN DA ROSA

    Patricia Dias

    nossa folha:: Artigo do proco::

    Vivemos num mundo onde os valores do poder, do ter e do prazer so objetos de adorao e de idolatria. As guerras, o dio e as tenses ameaam o mundo que j se encontra divi-dido entre ricos e pobres e divide-se cada vez mais em bandos antagnicos e inimigos que lutam para aniquilar o adversrio. A sexualidade tornou-se presa fcil e objeto de prazer despo-jando o ser humano de sua dignidade e intimidade. A vida em seu conjunto perde a dimenso fraternal e comunitria.

    A secularizao se expande cada vez mais e vai tomando conta das pessoas. O ser humano vai perdendo o sentido pro-fundo de sua vida, sua razo de ser no mundo e tornando-se escravo de si mesmo, das leis criadas por ele e da mquina que deveria estar ao seu servio.

    dentro dessa realidade toda que nos encontramos como pessoas crists, chamadas a transform-la, vivendo o compro-misso que assumimos no Batismo.

    Lembro-me que, em 1989, o Papa Joo Paulo II fazia um

    apelo aos jovens da poca, muito vlido aos jovens e a todos os cristos de todos os tempos:

    no tenhais medo de ser santos! Tende a coragem de buscar e encontrar a verdade, para alm do relativismo e da indiferena daqueles que tendem a edificar o nosso mundo como se Deus no existisse. Jamais sereis desiludidos se con-servardes como ponto de referncia na vossa busca, Cristo, verdade do homem. A revelar o mistrio do Pai e do seu Amor, Ele manifesta perfeitamente o homem ao prprio homem e descobre-lhe a sublimidade de sua vocao (GS 22).

    Em maro de 1991, por ocasio da Jornada Mundial da Juventude, o Papa dirige estas palavras juventude em cadeia de rdio: tarefa dos jovens lembrar huma-nidade, por palavras e pelo testemunho, que Deus Pai de todos. () Exorto-vos a colocarem Cristo no centro de vossas vidas e a darem testemunho de Cristo, para cons-trurem um mundo mais justo e mais fraterno.

    Ser cristo reproduzir hoje a imagem de Cristo em ns. perdoar a ponto de amar o inimigo. anunciar ao mundo a Boa Nova que assumimos, testemunhando-a com a vida. Fazer do Evangelho, dos valores do reino a nossa conduta de vida. Viver o Evangelho no mundo de hoje como viveram as primeiras comunidades crists em seu tempo e em seu mundo (cf. At 2, 42 ss). Encontrar formas de mostrar ao mundo de hoje os valores nos quais ns acreditamos. Ter uma postura de vida coerente: tra-duzir a f em gestos concretos, em atitude permanente.

    Nosso momento agora. Que So Paulo, o perseguidor que se converteu no maior missionrio e testemunho de Cristo de todos os tempos, nos sirva de modelo e inspira-o, em nossa vivncia crist tambm de nossa vocao no do dia-a-dia.

    *Verso completa acesse: www.santoantonioparoquia.com

    :: Artigo do ms ::

    Todo leigo chama-do a ser presena real da Igreja nos diferentes segmentos da socieda-de. Somos orientados a sermos exemplo em nosso trabalho, na roda de amigos, nas esco-las e faculdades. Ou seja, a misso de todo batizado levar a Boa Nova, sendo o leigo um dos grandes respons-veis por levar esta mensagem ao meio social em que vive.

    2012 um ano eleitoral. Cabe tambm ao leigo ser a fora viva na poltica, para fazer valer os princ-pios e valores cristos, indicados na Doutrina Social da Igreja. Este documento um compndio que orienta nossa atuao nos meios sociais, entre eles a poltica.

    Por esses dias li uma entrevis-ta interessante sobre este assunto, com a Diretora Acadmica da Fa-culdade Dehoniana e teloga, Ro-sana Manzini. Segundo ela, a po-ltica determina que todos tenham acesso ao bem comum e por meio dela temos a possibilidade de aten-der aos irmos mais necessitados. Por isso, que se fala que a polti-ca a melhor expresso de carida-de, explicava a teloga.

    Portanto, para ns leigos o voto no pode ser uma obrigao ou um peso, mas uma oportunidade de transformao real da socieda-de. preciso avaliar o candidato,

    acompanhar suas aes durante seu mandato e se for o caso, cobrar que suas atitudes sejam coerentes e justas.

    Talvez, voc tenha escutado este discurso muitas vezes e nem tenha se ligado que o voto tambm uma expresso do meu ser cristo. Ou seja, ser omisso no campo social, gera uma cultura de morte. Rozana Manzini expressou bem em sua entrevista, ao destacar que todo catlico defensor da vida que comea no tero, mas a vida continua depois que a criana vem ao mundo. E uma criana no pode permanecer em cima do esgoto a cu aberto, sem escola, sem pos-sibilidade de trabalho, sem moradia digna, e muito menos sem a digni-dade de ser imagem de Deus.

    Vamos ento refletir juntos e vo-tar conscientes, a fim de mostrar a fora do leigo cristo!

    *Ketlin da RosaMembro da Pastoral da

    Comunicao Paroquial

    O desafio de viver a vocao crist no mundo de hoje*

    o papel social do leigo:: Editorial :: Ketlin da Rosa*

    A vocao do catequistaAgosto o ms das vocaes e todos

    so chamados orao e a reflexo sobre o tema. Na primeira semana, refletiremos sobre Sacerdcio; na segunda sobre a vo-cao para a vida em famlia; Na terceira sobre a vida religiosa e finalmente na quarta semana sobre os que anunciam a Palavra de Deus, ou seja, ns catequistas estamos includos nessa!

    Sabemos que todo cristo responsvel por anunciar a Palavra de Deus. Mas pen-so que o catequista tem uma responsabili-dade ainda maior, que a de promover o encontro dos catequizandos com a pessoa de Jesus Cristo, seja ela, criana, jovem ou adulto, e faz- los se apaixonar.

    Isso requer compromisso, amor ao prxi-mo, formao pessoal e atitude. Ns cate-

    quistas no somos perfeitos, mas devemos buscar melhorar a cada dia para darmos, atravs do nosso testemunho, o exemplo de f madura e perseverante que as pessoas querem ver em ns.

    Segundo o Catecismo da Igreja Catlica, No centro da catequese encontramos es-sencialmente uma Pessoa, a de Jesus Cris-to de Nazar, Filho nico do Pai... Diz tam-bm: Todo catequista deveria poder aplicar a si mesmo a misteriosa palavra de Jesus: Minha doutrina no minha, mas daquele que me enviou. (Jo 7, 16)

    Ento, penso que ns catequistas deve-mos superar os obstculos que se apresen-tam a nossa frente e aceitar todos os desa-fios que so prprios desta bela vocao! Coordenao Paroquial da catequese

    Pe. Mrio Srgio do Nascimento

    :: Agenda de agosto::

    1818 e 1918 e 19

    0511 e 12

    20 anos do Apostolado de Orao da Matriz e 22 anos da Parquia 17h Matriz

    Retiro de Experincia de Orao Paroquial Cristo Rei

    27

    Encontro de preparao para o Batismo 14h - Salo Paroquial

    Festa da Sagrada Famlia

    Coleta para Santas Misses Populares em todas as comunidades

    Inicio do Cerco de Jeric Paroquial - Matriz

  • Folha Catlica - Agosto 2012 3

    A futura Parquia Sagrado Corao de Jesus recebeu a visita do arcebispo de Florian-polis, Dom Wilson Tadeu Jnk, no dia 18 de julho. Ele visitou as comunidades e deu os encami-nhamentos para fundao, junto com ele o administrador econ-mico da Arquidiocese, Pe. Salm e o futuro primeiro proco, Pe. Francisco Jos Gesser.

    Em sua visita, acompanhado do proco da Parquia Santo An-tnio, Pe. Mrio Sergio do Nasci-mento, eles conversaram sobre a diviso territorial e a definio do dia e horrio da criao da nova parquia e nomeao do pro-co: dia 16 de setembro, s 9h30. Nesta data, nenhuma outra co-munidade catlica da cidade ter missa, todos so convidados a partilhar deste momento histrico.

    Assim, pertencer futura Parquia SCJ, as seguintes co-munidades: no bairro Morretes a Cristo Rei e a Nossa Senhora das Graas, no Serto do Trombudo

    a Comunidade So Joo Batista e em Meia Praia a So Francisco de Assis.

    J a Parquia Santo Ant-nio, cuja Matriz fica no centro de Itapema, ficou acolhendo as se-guintes comunidades: no bairro Alto So Bento a Igreja Sagrada Famlia, no bairro Vrzea a San-ta Luzia, no Estaleirinho a So Miguel e no bairro Tabuleiro, Nos-sa Senhora Aparecida.

    Ao SocialA Casa da Caridade Madre

    Tereza de Calcut, que fica no

    bairro Jardim Praia-mar, administrada pela Ao Social da Parquia Santo An-tnio. Mesmo com a nova Parquia em Meia Praia o trabalho na rea social continu-ar a ser conjunto.

    Assim, a Casa da Caridade ser mantida pelas duas parquias da cidade, e o trabalho social ser integrado, mostrando tambm uma forma de unida-

    igreja:: Setembro ::

    J tem data para criao e nomeao do primeiro proco de Meia Praia, ser em 16 de setembro

    Itapema ganha nova parquia:: testemunho ::

    Venho testemunhar o grande milagre que Deus realizou na minha vida e na minha fa-mlia, por intermdio de Maria na missa do trabalho, na Campanha das Talhas de Can do ano passado (2011).

    Eu e minha famlia (pai e me) traba-lhamos juntos. No ano passado estvamos descontentes, por conta do nosso a