farmacos agonistas adrenergicos

Download Farmacos Agonistas Adrenergicos

Post on 10-Jul-2015

1.888 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1 Disciplina: FARMACOLOGIA Professor: Edilberto Antonio Souza de Oliveira (www.easo.com.br) Ano: 2008 APOSTILA N 08 FRMACOS AGONISTAS ADRENRGICOS FRMACOS QUE ATUAM SOBRE O SISTEMA RESPIRATRIO

RESUMO SOBRE A NEUROTRANSMISSO ADRENRGICA A noradrenalina formada a partir do aminocido tirosina, de origem alimentar, que chega at aos locais da biossntese, como medula adrenal, s clulas cromafins e s fibras sinpticas atravs da corrente sangnea. A tirosina transportada para o citoplasma do neurnio adrenrgico atravs de um carregador ligado ao sdio (Na+). Os neurnios adrenrgicos liberam como neurotransmissor a noradrenalina. No sistema simptico, a noradrenalina, portanto, o neurotransmissor dos impulsos nervosos dos nervos autonmicos ps-ganglionares para os rgos efetuadores. A enzima tirosina hidroxilase transforma a tirosina em DOPA (diidroxifenilalanina). A DOPA transformada em dopamina atravs da enzima dopa descarboxilase (tambm denominada L-amino-descarboxilase cida aromtica), sendo, ento, a DOPA descarboxilada para se transformar em dopamina. A dopamina recebendo a ao da enzima dopamina-beta-hidroxilase, transforma a dopamina em noradrenalina. A transformao da noradrenalina em adrenalina ocorre, em maioria, na medula supra-renal atravs da enzima feniletanolamina-N-metil-transferase. Depois de sintetizada, a noradrenalina armazenada em forma ligada, no interior das vesculas, com ATP e com um grupo de protenas heterogneas chamadas cromograninas, constituindo um complexo que no se difunde, sendo, portanto, inativo. Ao lado dessa noradrenalina ligada existe outra forma (ou outras formas) de noradrenalina frouxamente ligada, ou mesmo livre, nos terminais axnicos e nas vesculas de depsito. As vesculas pr-sinpticas que armazenam a noradrenalina se concentram, principalmente, no terminal adrenrgico. As vesculas que armazenam noradrenalina podem ainda ser encontradas na medula supra-renal e at mesmo em certos rgos sem inervao adrenrgica. As vesculas tambm encerram dopamina-beta-hidroxilase, (a enzima que transforma a dopamina em noradrenalina). Depois que interage com seus receptores, situados na clulas ps-sinptica e na clula prsinptica, o neurotransmissor adrenrgico deve ser inativado rapidamente. Se isso no acontecesse, haveria excesso de sua ao, destruiria a homeostase e levaria a exausto do organismo. A inativao da noradrenalina dois processos: enzimtico e recapitao. As enzimas Monoamina oxidase (MAO), e, a Catecol-O-metiltransferase (COMT) inativam a noradrenalina. A MAO uma enzima desaminadora que retira grupamento NH2 de diversos compostos, como noradrenalina, adrenalina, dopamina, serotonina. A MAO localiza-se nas mitocndrias dos neurnios, e, em tecidos no neurais, como o intestinal e o heptico, e, oxida a noradrenalina transformando no cido vanilmandlico, A COMT, abundante no fgado, transforma a noradrenalina em compostos metametilados, metanefrina e normetanefrina. A COMT regula principalmente as catecolaminas circulantes. As terminaes nervosas adrenrgicas tm a capacidade tambm de recapturar a noradrenalina atravs da fenda sinptica, mediante um sistema metablico transportador, sendo armazenada novamente nas vesculas pr-sinpticas, tambm atravs de outro sistema de transporte. Os receptores adrenrgicos ou adrenoceptores reconhecem a noradrenalina e iniciam uma seqncia de reaes na clula, o que leva a formao de segundos mensageiros

2 intracelulares, sendo considerados os transdutores da comunicao entre a noradrenalina e a ao gerada na clula efetuadora. Condies como o exerccio, o frio, o trauma, o pnico e a hipoglicemia ativam os neurnios simpticos. Aes do sistema nervoso autnomo simptico: Contrao do msculo liso da plpebra superior (elevao da plpebra) Vasoconstrio da glndula lacrimal Contrao do msculo radial da ris (midrase) Secreo viscosa (escassa) das glndulas salivares Aumento da freqncia cardaca Relaxamento dos msculos lisos dos brnquios Broncodilatao Dilatao da traquia Diminuio do tono muscular e da motilidade gastrintestinal Contrao dos esfncteres intestinais Contrao da cpsula do bao Liberao de cidos graxos no sangue Relaxa o msculo dextrusor da bexiga Contrao do trgono e esfncter (bexiga) Aumento do tnus e motilidade do ureter Estimula a ejaculao

FRMACOS AGONISTAS ADRENRGICOS Tambm chamados de simpaticomimticos ou adrenomimticos ou apenas adrenrgicos, constituem os frmacos que estimulam direta ou indiretamente os receptores adrenrgicos ou adrenoreceptores. O efeito de um frmaco agonista adrenrgico administrado em determinado tipo de clula efetora depende da seletividade desta droga pelos receptores, assim como, das caractersticas de resposta das clulas efetoras, e, do tipo predominante de receptor adrenrgico encontrado nas clulas. So conhecidos cinco grupos de adrenoceptores ou receptores adrenrgicos: Alfa 1 alfa 2 beta 1 beta 2 - beta 3. Estes adrenoceptores quando so ativados apresentam os seguintes efeitos: Alfa 1: Vasoconstrio aumento da resistncia perifrica aumento da presso arterial midrase estimulo da contrao do esfncter superior da bexiga secreo salivar glicogenlise heptica relaxamento do msculo liso gastrintestinal. Alfa 2: Inibio da liberao de neurotransmissores, incluindo a noradrenalina inibio da liberao da insulina agregao plaquetria contrao do msculo liso vascular. Beta 1: Aumento da freqncia cardaca (taquicardia) aumento da fora cardaca (da contratilidade do miocrdio) aumento da liplise. Beta 2: Broncodilatao vasodilatao pequena diminuio da resistncia perifrica aumento da glicogenlise muscular e heptica aumento da liberao de glucagon relaxamento da musculatura lisa uterina tremor muscular.

3 Beta 3 - Termognese e liplise. Os agonistas adrenrgicos podem ser de: ao direta ao indireta ao mista. Agonistas de ao direta - So os que atuam diretamente nos receptores adrenrgicos alfa ou beta produzindo efeitos semelhantes ou liberando a adrenalina pela medula adrenal. Os frmacos de ao direta so: adrenalina noradrenalina isoproterenol fenilefrina dopamina dobutamina fenilefrina metoxamina clonidina metaproterenol ou orciprenalina terbutalina salbutamol ou albuterol. As aminas simpaticomimticas adrenalina, noradrenalina, isoproterenol, e, dopamina so denominadas de catecolaminas porque contm o grupamento catecol que corresponde ao diidroxibenzeno (anel benzeno). As catecolaminas possuem rpido inicio de ao, entretanto, a durao breve, e, no devem ser administradas por via oral devido serem metabolizadas pelas enzimas COMT e MAO presentes no trato intestinal. Os agonistas adrenrgicos no-catecolaminas podem ser administradas por via oral, e, possui maior durao. Resumo da fisiologia da medula adrenal e da atividade adrenrgica A medula adrenal tem origem da crista neural e composta por clulas especializadas neuroendcrinas produtoras das catecolaminas. As clulas cromafnicas so clulas ovais ricas em grnulos de secreo, arranjadas em ninhos ou trabculas, sustentadas por um estroma escasso, porm intensamente vascularizado. Tambm existe um sistema extra-adrenal, de grupos de clulas neuroendcrinas amplamente distribudas como em clulas do corao, fgado, rins, gnadas, e, neurnios adrenrgicos do sistema nervoso simptico ps-ganglionar, e, sistema nervoso central. Em conjunto com a medula constituem o sistema paraganglionar. A adrenalina prepara os msculos, pulmo e corao para atividade mais intensa, em situaes de estresse. Promove o aumento da fora de contrao dos msculos e aumento da freqncia cardaca. Leva tambm a um aumento de presso sangnea, e, a uma broncodilatao, para maior disponibilidade de oxignio. A adrenalina compe 80% das catecolaminas secretadas na medula adrenal. a nica catecolamina que no sintetizada em outro tecido fora da medula adrenal. As demais catecolaminas so sintetizadas tambm pelos neurnios adrenrgico, e, dopaminrgicos, enquanto os precursores das catecolaminas so os aminocidos tirosina ou fenilalanina. Agonistas de ao indireta so os que no afetam diretamente os receptores ps-sinpticos, mas provocam a liberao de noradrenalina dos terminais adrenrgicos. Os frmacos de ao indireta so: anfetamina tiramina. Agonistas de ao mista so os que ativam os receptores adrenrgicos na membrana pssinptica, e, causam a liberao de noradrenalina dos terminais pr-sinpticos (adrenrgicos). Os frmacos de ao mista so: efedrina metaraminol. FRMACOS AGONISTAS DE AO DIRETA ADRENALINA (Epinefrina) (Adrenalina)( Bupiabbot) (Hydren) Tambm conhecida como epinefrina, estimula predominantemente o receptor adrenrgico beta 1, (embora tambm tenha ao sobre o receptor alfa 1, e, outros receptores) Aumenta a fora de contrao do miocrdio e a freqncia cardaca. Como a adrenalina contrai as arterolas da pele, das membranas mucosas (sobre receptores alfa), e, ao mesmo tempo provoca a dilatao dos vasos sangneos do fgado e musculatura esqueltica, ocorre

4 aumento da presso sistlica e pequena diminuio da presso diastlica ( um dos vasopressores mais potentes). Provoca a elevao da glicemia devido estimular a glicogenlise, e, inibir a secreo da insulina. Tambm provoca a liplise transformando triglicerdeos em cidos graxos. utilizada como teraputica inicial no tratamento da asma aguda (causa broncodilatao em potencial), e, do choque anafiltico. Como possui alguns efeitos fisiolgicos opostos aos produzidos pela histamina, a adrenalina tambm utilizada no tratamento das reaes alrgicas causadas pela liberao de histamina (um sinal importante da reao sistmica anafiltica no paciente o prurido generalizado). Na anestesia local pode ser utilizada (1:100.000 partes de adrenalina) aumentando a durao da anestesia devido a vasoconstrio que provoca reduzindo o fluxo sangneo local na regio em for administrada (reduz a velocidade de absoro do anestsico). Em oftalmologia utilizada no tratamento do glaucoma. A via de administrao pode ser venosa (em emergncia), subcutnea, cnula endotraqueal, inalao, e, ocular (glaucoma), entretanto, as catecolaminas no devem ser administradas por via o