exodo - kaballah

of 34 /34
EXODO - DO FÍSICO AO ESPIRITUAL As pessoas nesse mundo são todas pessoas comuns. Mas para um persa chamado Abram (e mais tarde, Abraham), o Criador Se revelou, e essa revelação o fez especial. Ele tornou-se um “Yehudi” (judeu), da palavra “Yechudi” (único), pois ele e o Criador tornaram-se um. Quem, então, é esse Abraham? Ele é um homem que foi dotado com uma centelha espiritual, uma sensação do Criador. Mas se não fosse por isso, ele seria uma pessoa comum. Não há santidade em nenhum órgão de nosso corpo. Por isso, não importa se um coração deficiente é substituído por um coração humano, ou pelo coração de um porco. Nossos órgãos são tão materiais quanto os dos animais. Eles não são sagrados, não são conectados com o Criador. Não há diferença entre um judeu e um gentio, além da centelha do Criador que se encontra no judeu. Isso significa que se essa centelha existe no coração de uma pessoa, essa pessoa é chamada judia. Se essa centelha desaparece, o judeu torna-se gentio. Esta, porém, é uma situação impossível, porque a santidade sempre aumenta, nunca diminui. Esta é uma lei espiritual, pela qual todas as coisas são aproximadas do Criador. O êxodo para o mundo espiritual é um processo lento. Primeiro, o homem é cativo dos desejos deste mundo. Gradualmente, ele compreende a falta de propósito de sua existência física, pois se não houvesse aquela centelha, o homem seria apenas mais um no moinho. Está escrito na Haggadah: “Primeiro, nossos pais serviram a deuses estranhos”. Servir a um deus estranho (paganismo) é um estado possível somente se a pessoa tiver feito contato com o Criador, tenha-se tornado consciente da oposição entre seus atributos e os atributos do Criador, e tenha escolhido agir contra a vontade do Criador. Assim, o paganismo já é um certo grau de consciência, de capacidade de operar além da natureza que foi dada à pessoa com o nascimento. De fato nossos pais serviram a deuses estranhos, mas então o Criador Se revelou a eles, e a luz que veio com esse processo foi aceita como uma ordem de migrar da Mesopotâmia para a Terra de Israel. Assim nós vemos que neste mundo também, a pessoa se move de um lugar para outro, seguindo seu desejo interno, seu coração. Os Cabalistas escrevem que nós podemos viver na Terra de Israel, desde que encontremos seu nível espiritual. De outro modo,

Author: prsandro

Post on 08-Dec-2015

248 views

Category:

Documents


5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

uma analise do livro de exodo a luz da cabala

TRANSCRIPT

EXODO - DO FSICO AO ESPIRITUAL

As pessoas nesse mundo so todas pessoas comuns. Mas para um persa chamado Abram (e mais tarde, Abraham), o Criador Se revelou, e essa revelao o fez especial. Ele tornou-se um Yehudi (judeu), da palavra Yechudi (nico), pois ele e o Criador tornaram-se um. Quem, ento, esse Abraham? Ele um homem que foi dotado com uma centelha espiritual, uma sensao do Criador. Mas se no fosse por isso, ele seria uma pessoa comum.No h santidade em nenhum rgo de nosso corpo. Por isso, no importa se um corao deficiente substitudo por um corao humano, ou pelo corao de um porco. Nossos rgos so to materiais quanto os dos animais. Eles no so sagrados, no so conectados com o Criador.No h diferena entre um judeu e um gentio, alm da centelha do Criador que se encontra no judeu. Isso significa que se essa centelha existe no corao de uma pessoa, essa pessoa chamada judia. Se essa centelha desaparece, o judeu torna-se gentio. Esta, porm, uma situao impossvel, porque a santidade sempre aumenta, nunca diminui. Esta uma lei espiritual, pela qual todas as coisas so aproximadas do Criador.O xodo para o mundo espiritual um processo lento. Primeiro, o homem cativo dos desejos deste mundo. Gradualmente, ele compreende a falta de propsito de sua existncia fsica, pois se no houvesse aquela centelha, o homem seria apenas mais um no moinho.Est escrito na Haggadah: Primeiro, nossos pais serviram a deuses estranhos. Servir a um deus estranho (paganismo) um estado possvel somente se a pessoa tiver feito contato com o Criador, tenha-se tornado consciente da oposio entre seus atributos e os atributos do Criador, e tenha escolhido agir contra a vontade do Criador. Assim, o paganismo j um certo grau de conscincia, de capacidade de operar alm da natureza que foi dada pessoa com o nascimento.De fato nossos pais serviram a deuses estranhos, mas ento o Criador Se revelou a eles, e a luz que veio com esse processo foi aceita como uma ordem de migrar da Mesopotmia para a Terra de Israel. Assim ns vemos que neste mundo tambm, a pessoa se move de um lugar para outro, seguindo seu desejo interno, seu corao.Os Cabalistas escrevem que ns podemos viver na Terra de Israel, desde que encontremos seu nvel espiritual. De outro modo, estaramos exilados aqui assim como antes. O Criador trouxe nossos corpos de volta, mas permanece nosso dever fazer o retorno interior para o estado espiritual chamado a Terra de Israel, e sermos merecedores dessa terra, que tudo o que precisamos!Abraham, o Patriarca, um testemunho disto. Uma vez que ele tornou-se judeu, Deus disse a ele: Saia de seu pas, e de sua famlia, e da casa de seu pai, para a terra que Eu lhe mostrarei. E Abraham moveu-se (interiormente) para a Terra de Israel: ele comeou a desenvolver vasos espirituais, vasos de doao.Mas para atingir a unidade com o Criador, necessrio mais do que a capacidade de doar (de doar por doar); necessria a capacidade de receber para doar, atravs dos vasos de recepo, corrigidos pela inteno de doar ao Criador. Mas onde a pessoa encontrar esses vasos, esses desejos? Quando a pessoa est na Terra de Israel, e deseja doar ao Criador, descobre que no h nada para dar a Ele, e torna-se faminta, faminta por doao.Ento a pessoa se exila no Egito. Mas por qu, para qu? Porque a renncia aos nossos desejos de receber contrria nossa prpria natureza, natureza humana. De fato ningum pode compreender isto. Nenhum outro mtodo alm da Cabala usa isto, porque esse ato se ope natureza humana. Todos os outros mtodos tm origem na nossa natureza inata, e objetivam tornar nossa vida confortvel, agradvel, todos exceto a Cabala, que foi outorgada a Abraham com a sublime revelao do Criador.Havia realmente muito trabalho no Egito?Como se disse, o homem est confuso, faminto (tanto fsica quando espiritualmente). Os objetivos materiais tomam precedncia, de modo que a pessoa possa compreender o quanto o esprito superior matria. Recebe-se delcia espiritual em atos materiais. Mas o verdadeiro sabor do prazer material permanece apenas para os sbios (aqueles que aspiram sabedoria, que ascendem ao esprito para viver verdadeiros desejos), pois so eles que devem confrontar os maiores prazeres.Quando a pessoa progride em seus estudos, passa a ver a si mesma como mais e mais corrupta. Desejos ainda piores despertam nela. Precisamente isto o exlio para o Egito, quando aquele que aspira subir a escada para o espiritual cai sob o domnio do desejo de receber. por isso que foi dito que os irmos de Jos o visitaram no Egito em segredo. O exlio para o Egito acontece quando a pessoa perde os seus vasos de doao, quando eles caem no domnio dos vasos de recepo. Esse estado permanece por um perodo, durante a progresso da pessoa em espiritualidade.Quando a pessoa comea a estudar, est em alto esprito, sem preocupaes. Mas aps alguns meses as coisas mudam. A espiritualidade no mais to atraente quanto antes, distrbios materiais aparecem e a pessoa sente que nunca ver as portas dos Cus se abrirem.Por que isso acontece?Porque os vasos de recepo precisam ser desenvolvidos, uma tela (massach) deve ser adquirida e estendida contra os desejos do Egito. Na verdade, a pessoa possui os seus vasos de doao, mas eles esto ocultos. Quando o trabalho no Egito comea, a pessoa anseia por espiritualidade, mas quanto mais ela anseie por isso, mais ela v que inatingvel.O perodo da escravido no Egito dura enquanto a pessoa sente que realmente escrava, at que venha um novo rei, que no conhea Josef. A pessoa sente que seu Fara interno a domina, e a conduz contra o Criador.Mas se o desejo de receber permite-me ter prazer, o que est errado nisto? Como esse domnio poderia ser prejudicial a mim?Se eu quero algo mais que a satisfao dos desejos, por exemplo, se eu quero ter contato com o Criador, mas compreendo que todos os prazeres materiais me distanciam Dele, comeo a perceb-los como um obstculo, como algo mau que opera contra mim.Ento, comea uma batalha interior. Comeo a imaginar se esse Eu aquele que deseja aderir ao Criador, ou se Eu aquele que procura prazeres materiais. Quem, ento, o meu Eu?Eclode uma guerra entre ambos os desejos: de um lado Moiss e Aaron e do outro, o Fara. No possvel prever quem vencer quem, porque os magos do Fara fazem os mesmos milagres que o Criador. Assim, s possvel escapar do domnio da natureza aps o Criador ter batido dez vezes (as 10 pragas do Egito).Para que meu Eu neutro sinta de onde vem a luz, ele precisa sentir os dez golpes assim como o Fara dentro de mim, que se ope ao Criador de modo que eu possa me destacar dele, e atingir um estado em que o prprio Fara dir: V! Voc me trouxe dor demais!Os dez golpes mostram ao homem que o domnio do Fara uma coisa odiosa, intolervel. Ento o prprio homem deseja escapar desse domnio. Quer, mas no pode! Assim, para ter sucesso em escapar do Fara, so necessrias certas condies externas. preciso haver pressa, ocultamento e a escurido da noite.Somente ento o homem pode reunir seus desejos de doao, separ-los de seu prprio desejo de receber e esconder-se deles. A escapada acontece noite, quando a luz espiritual est fora. preciso f acima da razo, indo contra seu prprio julgamento, para escapar de sua natureza.Diz-se: Se voc laborou e encontrou, ento acredite. Isso significa que a pessoa executou muito trabalho para que o Criador se revelasse, mas no sabe se esse trabalho suficiente para sair deste mundo e entrar no mundo superior. A sada de nossa prpria natureza um evento sbito.O homem no tem controle sobre esse processo, ele simplesmente acontece! Ele anda sobre a terra, entre as muralhas do Mar Vermelho, a barreira, e entra... em um deserto. Ento, o que ele ganhou com isso? O homem entra no Egito com uma centelha do Criador, com um anseio pelo esprito, e sai com vasos vazios de recepo a sensao de um deserto.Foi dito que Israel partiu com jias de prata, e jias de ouro e outros ornamentos. Isso significa que o homem agora tem desejos corruptos de receber e precisa comear a trabalhar com eles e corrigi-los. Pois enquanto esses vasos pertenam ao Egito, eles lhe daro somente a sensao de escurido, de um deserto. Mas quando ele os corrige e os usa corretamente, atravs deles o homem receber a luz superior.Ento o homem entra no deserto. Ele ainda no est na Terra de Israel. Agora ele precisa da luz para distinguir o quanto cada atributo merece ser usado em sua progresso para o mundo espiritual. A recepo dessa luz chamada a recepo da Torah.Uma pessoa que saia deste mundo para o mundo espiritual, comea a trabalhar em trs linhas: uma esquerda, uma direita e uma intermediria. Precisamos compreender que no somos ns que fazemos o trabalho, o Criador, trabalho de Deus. Precisamos aceitar Seu trabalho sobre ns! Tudo foi criado em seu estado perfeito, mas a criatura somente pode acessar a perfeio, desde seu oposto. por isso que o homem precisa experimentar todos os estados imperfeitos. O trabalho do homem um processo de auto-conhecimento; conhecimento do trabalho que o Criador est fazendo sobre ele.H um mundo e dentro dele h uma alma. O contato com o Criador composto de trs partes: Olam (um mundo), Shanah (um ano), e Neshamah (uma alma). Shanah a extenso do contato entre Olam e Neshamah. A palavra Olam tem origem na palavra Heelem (ocultamento). Isso significa que Olam a extenso do ocultamento do Criador. possvel atingir resultados espirituais cumprindo atos fsicos?Tudo o que o homem faz, porque quer. A pedra tambm, que no tem movimento, quer manter sua forma. A planta quer crescer. Ela anseia pela luz e cresce em direo a ela.O desejo do homem sempre se expressa em um certo ato. por isso que cada movimento que cada animal faz exatamente o movimento que ele precisa fazer.Embora cada desejo seja expresso no exterior, o homem no est sempre consciente de seus desejos. Do exterior, no se pode compreender o propsito dos atos de outro. por isso que a cincia que estuda as intenes chamada A Sabedoria do Oculto pois ningum sabe o que est em nosso corao, freqentemente, nem ns mesmos. Mas como sempre, a forma externa indica o desejo interno.Ns ainda no estamos nos mundos espirituais e no podemos trazer outras almas para nossa tela. Assim, nesse intervalo, nosso trabalho principalmente no nvel deste mundo, difundindo a sabedoria da Cabala. Esse ato totalmente espiritual. Atravs dele, ajuda-se outros a que se juntem a esse caminho, atravs de atos fsicos; a pessoa ajuda a difundir espiritualidade neste mundo.

Autor: Rabbi Michael Laitman

1. PERCEBENDO OS DESEJOSComo pode uma pessoa perceber o desejo? Para uma pessoa saber o que quer, preciso primeiro provar, porque a prova deixa uma percepo ou gosto agradvel. A satisfao foi sentida e agora se foi, deixando a vontade de sentir novamente. disto que o verdadeiroKlideve consistir. Ou seja, a luz no passado o preencheu completamente e oKlisentiu a fora total na sensao da presena da luz. Ento a luz desapareceu e oKliaspira com toda a paixo, voltar a sentir o prazer da luz novamente.Agora, veremos como a alma construda e a razo porque ns precisamos trabalh-la. A alma a nica coisa criada. Atravs de seus cinco filtros, ela recebe dentro de si sensaes visuais, auditivas, olfatrias, gustativas e tcteis. O suporte por trs destes cinco orgos sensoriais similar a um programa de computador. Ele traduz o que est no exterior em uma linguagem que ns possamos entender, ou seja, prazer ou dor. Percebemos quando algo bom ou mu no ponto mais central de nossa alma.Se o computador est executando um programa natural, este programa projetado para satisfazer a tomada egoista do bom e do mu. Se estiver executando um programa altrusta ento a noo de bom ou mu no avaliada em relao a si prprio mas sim em relao ao que est do lado de fora, e isto a luz ou o Criador.Agora podemos ver que existem duas opes de programa para as avaliaes e escolhas da alma:1. a) egosta, para seu prprio benefcio2. b) altrusta, para benefcio do CriadorEnfim, alm do Criador e a criao, ou da luz/prazer ou do desejo/vaso, nada mais existe no universo.No processo natural, a pessoa nasce com o programa egosta. Assim uma imagem reversa impressa ou projetada egosticamente no fundo de nossa conscincia ou crebro. Esta imagem chamada "Nosso Mundo".Ns no percebemos nada alm da luz. Entretanto, se a luz passa pelo processo egosta, ela se manifesta em ns como o "Nosso Mundo". Nosso desejo egoista executa seu processamento, adicionando obstculos pela seleo de tudo o que bom e descartando tudo o que mu. Este o programa de auto preservao do organismo, e se no o tivssemos, nossa viso do mundo seria completamente diferente. Sem ele, as imagens seriam impressas na frente da alma e revelariam para a pessoa, tudo o que existe no exterior de um modo objetivo, ao invs do que percebemos em nosso interior, de forma subjetiva e para o nosso prprio benefcio. O que est no exterior chamado de "a luz" ou "O Criador".Para reprogramar o computador do modo egosta para o modo altrusta, existe a Cincia da Cabala, a qual nos ajuda a receber a imagem externa genuna, sem a capa do egosmo. Seremos capazes de sentir o verdadeiro universo que existe em nosso exterior. Este estado chamado de "unificao com a luz", quando no h obstculos entre a alma e a luz.Isto ligeiramente similar ao que acontece quando uma pessoa se encontra no estado de morte clnica e foi parcialmente separada do corpo egoista (ou do organismo animal). Ela v a luz na sua frente e se sente atrada para ela mas impedida de alcan-la porque ainda no se libertou do egoismo espiritual. Como uma pessoa s consegue se libertar dele junto com o egoismo animal do corpo, todo o trabalho ocupa uma existncia inteira ou diversas vidas no corpo animal.Podemos nos libertar fcilmente do egoismo espiritual se soubermos quais obstculos o egoismo adiciona ao nosso computador interno. Todas as informaes passam por cinco filtros, chamados de "as cinco partes demalchut", ou "cinco partes do egoismo dominante". Estes cinco canais processam todas as informaes recebidas do exterior, convertendo-as em informaes que satisfazem o egoismo, separando o que bom para o egoismo do que mu. Todos os sinais passam por uma largura especfica de filtros (Aviut), que varia de pessoa para pessoa.Quanto mais reincarnaes a nossa alma atravessa, maior se torna oAviut. Significa que a pessoa se torna menos refinada, mais orientada aos objetivos e mais preparada para a correo. Por outro lado, aquelas cujo egoismo menos desenvolvido no tem muitas exigncias, se satisfazem com pouco. Assim, um grande egoista est pronto para a correo porque sente uma maior necessidade de ser preenchido com a luz.Como surge a necessidade de corrigir o programa do computador? Ela aparece quando o desenvolvimento doAviutna pessoa alcana o seu mximo. Isto acontece depois de muitas reincarnaes ou vidas em nosso mundo. No apenas na vida humana, mas tambm nos animais, plantas e na natureza inanimada. Toda a natureza, com exceo do homem, ascende com ele e depende de seu estado.Quando oAviutde uma pessoa atinge seu valor mximo, ele ocasiona uma diferena mxima entre a luz e a imagem que ela percebe. Isto resulta na ativao de um interruptor interno, dando pessoa a sensao de que agora e no futuro no pode mais se satisfazer com nada.Quando este sinal ocorre, a pessoa para de procurar algo dentro de si mesma ou por trs de sua alma e passa a querer perceber o exterior. Busca em vrias filosofias ou metodologias at que finalmente encontra a Cabala. ento especficamente que ela se torna capaz de encontrar aquilo que procurava h tanto tempo.A Cabala a metodologia que transforma estes filtros. Ela no os remove mas apenas os reconstre ou os sintoniza desde a inteno egoista de receber prazer para si mesmo at a inteno altrustica de doar prazer. Mais precisamente, a inteno altrustica de receber prazer com o objetivo de doar, j que tudo relativo ao Criador. Ou seja, ns no possumos nada para doar para Ele exceto receber prazer em Seu benefcio.Desta maneira, os mesmos filtros podem ser usados para receber, mas apenas em benefcio da luz ou do Criador. Assim, a informao que vem do exterior no ser distorcida de nenhum modo. Ao contrrio, ela aparecer exatamente como existe na realidade, ou no exterior. Quando isto acontece, todo o programa da criao chega ao fim, j que agora o programa nos permite existir sem nenhum obstculo do nosso "ego". Isto , existir, perceber e viver no universo genuno. Todos os prazeres do nosso mundo, que a humanidade percebeu e perceber no futuro equivalem a apenas 1/600.000 do prazer contido na menor luz possvel (Nefesh).Quando uma nica alma corrigida, ela recebe a luz, integralmente e sem limites, e se coloca frente de todas as almas. Ela observa tudo at que a informao ou prazer atinja todas as demais almas.OAviut incluido na primeira apario ou encarnao da pessoa neste mundo. Entretanto, a Cabala pode desenvolv-lo em grandes propores, abreviando o nmero de vidas ou reincarnaes. Isto , ela pode acelerar o processo de amadurecimento da pessoa para a assimilao do domnio espiritual.O sofrimento humano a expresso externa do que est faltando. O sofrimento no desaparece, mas a Cabala substitue o sofrimento animal pelo espiritual. Este o sofrimento decorrente da ausncia da percepo espiritual. Esta mudana qualitativa do sofrimento leva reconstruo doKliinterno ou da alma. A percepo da luz se desenvolve em correspondncia com a aspirao. O resultado que tudo que levava geraes para se realizar, agora acontece em alguns anos.Voc pode perguntar: "Por que algumas vezes impossvel perguntar ou formular uma pergunta?" Isto acontece porque a pessoa no capaz de sentir dentro de si o que estamos falando. Nada lhe foi ainda revelado, logo ela no responde ao que est ouvindo.A estrutura da alma a seguinte: A luz que emana do Criador, cria o desejo de receber prazer. Este desejo chamado deMalchut. Antes doMalchut, a luz passa por nove estgios a medida em que vai se transformando, at que seja capaz de criarMalchut. Os nove estgios pelos quais a luz passa so chamadosKeter, Chochma, Bina, Chesed, Gvura, Tifferet, Netzah, Hod e Yesod. S ento ela cria o ltimo estgio, oMalchut. Os seis estgios desdeHesedatYesodso chamadosZeir Anpin.No total existem dezSefirot(estgios), que so: nove nveis da luz mais um que oMalchut, o desejo de receber.Malchut a alma da criao real, que sente que deseja receber prazer da luz.Malchutcomea a receber a luz e com ela as suas propriedades. Mesmo em nosso mundo, sabemos que qualquer influncia sobre ns cria sua prpria reflexo em nosso interior. A mesma coisa acontece comMalchutquando ele recebe a luz das noveSefirotsuperiores.Vemos que uma nica estrutura egosta,Malchut, adquiriu da luz, mais nove atributos altrustas adicionais, ao receber a luz dos noveSefirotda luz. A informao externa da luz no sofre nenhuma distoro ao passar pelos nove atributos altrustas doMalchut, pois no existem barreiras egostas. Esta luz apenas diminue. Ela se reduz para que a alma fique timamente preenchida, evitando uma sobrecarga que causaria sofrimento.Entretanto, h uma parte a mais emMalchutque recebeu os atributos altrusticos da luz e se tornou equivalente a ela em seu desejo de doar, que no a dcima parte. H ainda uma parte adicional emMalchutque completamente incapaz de perceber os atributos da luz e por isto no pode mudar. Esta parte chamada "Lev a-Even ou o corao de pedra.Nosso trabalho consiste em deixar esta parte para trs, chamada nosso "Eu"; parar o trabalho porque ela ser sempre egosta, at o fim da correo e a chegada doMashiach. Por isto necessrio efetuar uma restrio (Tzimtzum Alef) nesta parte doMalchut; Ou seja, no us-la de modo algum.Malchut, ou o dcimoSefira(estgio), a parte deMalchutque recebeu os atributos da luz e foi capaz de sentir os atributos da luz que o preencheram. Assim sendo, ele capaz de se transformar - ele deve mudar gradualmente e passar a agir da mesma maneira que a luz. Para conduzir efetivamente os atributos da luz para oMalchut, necessria uma ao denominada Shvira, significando a quebra ou o golpe. Como consequncia desta ao, os atributos dos primeiros noveSefirotpenetram noMalchut.Mas no basta apenas entender que os atributos da luz e doMalchutso opostos entre si. OMalchuttem que agir do mesmo modo que a luz; ele precisa se tornar equivalente aos noveSefirot. Entretanto, como ele pode fazer isto se a luz no penetra em seu interior? Para alcanar este objetivo, acontece a quebra (Shvirat) doKelim, ou a quebra dos desejos. Isto conseguido pelo "golpe da luz", que atravessa todos os noveSefirote penetra emMalchut. Agora,Malchutfica misturado e entrelaado com todos os noveSefirot. Isto chamado Shvirat HaKelim ou a queda pecaminosa.Depois de acontecer oShvirat Kelim, quatro tipos de desejos so formados. Eles so:1. a) os desejos altrusticos puros que estavam nos noveSefirot2. b) os desejos altrusticos que se misturaram aos desejos egoistas3. c) os desejos egoistas que se misturaram aos desejos altrusticos4. d) os desejos egoistas purosAssim, dois tipos de desejos, o altrustico puro e o egoista puro, tendo cado durante aShvirat Kelime se misturado entre si, criaram mais dois tipos de desejos mistos.Somente agora se tornou possvel criar uma alma na qual oMalchut corrigido da mesma forma que os nove primeirosSefirot. Isto porque qualquer desejo egoista agora tem uma faisca de altruismo. Com isto, um tipo especial de fora necessria, a fora da correo. Esta fora faz com que cada faisca de altruismo se torne a parte preponderante do desejo, capaz de corrigir inteiramente o desejo egoista.Como isto acontece? Tomemos um livro sobre a Cabala, escrito por um Cabalista que j tenha se corrigido em correpondncia com a luz. Quando uma pessoa l este tipo de livro, o que ocorre a transmisso das instrues de como construir o seuKliinterno em correspondncia com a luz. Lendo este livro, mesmo sem a completa compreenso do texto, ns atraimos para ns a luz circundante, a qual gradualmente limpa e corrige nossos desejos.Estudar sob a superviso de um professor-Cabalista, junto a um grupo de pessoas que buscam atingir o objetivo da criao ou a equivalncia com o Criador, altamente efetivo!Estudando a Cabala tambm encontramos a explicao sobre a ordem em que as partes de nossa alma sero corrigidas, se dirigirmos nosso desejo de acordo com os desejos corrigidos do Cabalista que escreveu o livro.Na medida em que a pessoa se corrige, ela comea a sentir gradualmente que seus desejos esto partidos. Aprende a diferenci-los, classific-los de acordo com a qualidade e quantidade, combin-los em determinada ordem e agrup-los. O caminho longo mas especial e interessante. A pessoa comea a comprender novos atributos em si mesma, percebendo que ela a criao e se tornando consciente de sua ligao com o Criador e as demais partes do universo. O que acontece o entendimento de como todo o nosso sistema externo construido e como funciona a governana superior.O objetivo do Criador para ns em primeiro lugar comear a assumir o contrle sobre ns mesmos e ento sobre todo o mundo, substituindo assim o Criador. Em nosso mundo seguimos manifestaes particulares da luz como o prazer que recebemos do conhecimento, poder, sexo, comida e crianas.Quando a luz chega e nos preenche completa e ilimitadamente, ela imediatamente percebida como perfeio e prazer. No restam mais desejos na pessoa. O processo de absoro gradual e chamado de Sulam ou "escada". Baal HaSulam escreveu sobre isto e assim chamado em homenagem ao sistema de asceno espiritual que desenvolveu, chamado "Sulam" em seus comentrios ao "Livro do Zohar.O Criador criou uma alma coletiva chamadaAdam, que se partiu em 600.000 partes, cada uma consistindo de quatro desejos. A tarefa de cada pessoa corrigir alm de si mesma, sua parte na alma coletiva. Cada pessoa deve corrigir sua relao com todas as 600.000 almas, pois assim que corrige a si mesma; cada outra pessoa, por sua vez, consiste de 600.000 partes, e os primeiros noveSefirotpenetram em cada uma delas.As almas s podem ser corrigidas atravs de seus corpos e os corpos so corrigidos em grupo atravs de vrias aes mecnicas, direcionadas ao atingimento de um s objetivo. Existem duas aes mecnicas: estudar e realizar trabalhos coletivos com o objetivo de correo espiritual da alma.Uma pessoa no tem capacidade de corrigir os seus desejos j que eles foram criados pela luz. necessrio apenas redirecionar o foco dos desejos, ou para que finalidade ela quer realizar estes desejos. Se ela no realiza temporariamente um desejo, ele voltar mais tarde e de forma muito distorcida.Precisamos trabalhar em como usar corretamente estes desejos. No podemos esmorecer nem nos torturarmos ou fugir. O que precisa ser corrigido a inteno com a qual usamos nossos desejos. Se fizermos isto, veremos que todos os desejos so necessrios para que atinjamos nossos objetivos. por isto que dizem que a pessoa mais egoista tem maiores desejos. Ou ainda, que depois da destruio do Templo, apenas os Cabalistas tem a percepao dos desejos terrenos.

2. REVELANDO O CRIADOR ENQUANTO VIVENDO NESTE MUNDO

De acordo com o pensamento da criao, ns chegamos ao estado em podemos viver e existir de acordo com as leis espirituais. Todas as desgraas que atingem a cada um de ns, assim como todos os desastres e catstrofes, acontecem para levar cada pessoa e a humanidade como um todo, a obedecer aos mandamentos espirituais durante sua vida neste mundo. Isto o que escreveu Baal HaSulam.A Cabala o conjunto de instrues para permitir a revelao do Criador s criaturas vivendo neste mundo. A Cabala no fala sobre o que vai nos acontecer depois da morte. A Cabala fala apenas sobre o que necessita uma pessoa neste mundo; o que ela deve realizar para evitar viver sua vida em vo, apenas para voltar involuntriamente para completar o que no foi feito antes. Por isto a Cabala a cincia mais indispensvel e prtica no mundo. impossvel para ns fugir. A vida nos obriga a completar nosso destino e como resultado de todo o nosso sofrimento, alcanar a correo total ouGmar Tikkun. O que Gmar Tikkun? O mundo continuar a existir; tudo continuar a acontecer como antes; o mesmo universo, as mesmas estrelas, pssaros e rvores.Apenas a nossa percepo ir mudar no modo em que percebemos o ambiente, porque ns iremos nos transformar. Nada mais muda, continuando a agir de acordo com as leis da natureza, de acordo com as direes que recebe do Criador. o homem que se transforma de um animal para um verdadeiro homem.A Cabala explica como atingir este objetivo. Ele alcanado pelo estudo em um grupo especfico, de acordo com os livros adequados e sob a superviso de um autntico Rav ou professor. A Cabala ensina ainda que quanto mais um estudante comea a entender o que fazer, mais ele se aperfeioa, o grupo e a lies. Baal HaSulam escreve sobre isto e projeta para ns uma imagem de como o mundo corrigido dever parecer.A primeira coisa que ns estudamos a expanso de todos os mundos,PartzufimeSefirot, comeando pelo ponto mais alto e da descendo. O segundo estgio consiste em ascender os nveis espirituais. Para se corrigir, uma pessoa precisa subir ao longo dos nveis espirituais que foram preparados para ela, comeando pelo mais inferior e seguir subindo, enquanto continua sua vida neste mundo. Existem no total 125 niveis que devemos percorrer no caminho para o mundo espiritual. Este o nmero de nveis que nos separam do Criador, ou seja, existem 125 nveis de atingimento do Criador.Neste momento, eu ajo de acordo com o meu entendimento da minha natureza egoista. Certas coisas so boas para mim, e outras so ruins. Eu aprendo com o meu ambiente e ajo de acordo com ele. Quanto maior for a minha adaptao mais confortvel eu me sinto. E ainda, enquanto em minha natureza, parece que meu ambiente muda na medida em que as pessoas ao meu redor mudam suas opinies sobre como o mundo deveria ser.Cada gerao se caracteriza pelas almas que a compem, se diferenciando da gerao prvia e da prxima. Podemos perceber o gru de diferena entre duas geraes contguas, como entre nossos pais e nossos filhos.As almas vm para nosso mundo em cada gerao e de uma para a outra acumulam experincia. Em decorrncia, os seus desejos aumentam em relao s geraes anteriores. Consequentemente, cada nova gerao aspira por novas descobertas, facilitando o desenvolvimento da humanidade.Quando uma pessoa comea a estudar o mundo espiritual, ela est sendo pressionada a mudar o seu ambiente e o mundo em direo a uma maior semelhana com o Criador. No ltimo estgio desta mudana, o mundo se torna completamente equivalente ao Criador. Esta gerao chamada de "a ltima gerao". No porque tudo v se acabar mas simplesmente em consequncia de sua perfeio e que mais nenhuma correo ser necessria.A Cabala no fala sobre o desenvolvimento depois deGmar Tikkun, porque isto est relacionado com os segredos da Torah. Ela fala apenas sobre como levar uma gerao para o nvel da "ltima gerao". A Torah inteira fala apenas como percorrer os 125 nveis de atingimento do Criador.De um lado o ambiente de uma pessoa a atende na realizao das leis espirituais, capacitando-a a mudar o ambiente. Por outro lado, mudando o ambiente, surgem as oportunidades para a prpria transformao. E tambm, na medida em que uma pessoa muda o ambiente, as mudanas nesta pessoa tem a fora igual ao nmero de membros desta sociedade.Em resumo, o nosso grupo o lugar adequado para a correo e simultaneamente, a fonte de correo de cada pessoa participante. Mesmo que uma pessoa do grupo seja fraca e no consiga realizar nada no grupo, ela recebe antecipadamente do grupo, a fora para sua correo.Assim, cada pessoa deve construir o ambiente correto para si mesma, de modo a conseguir a fora para a correo espiritual e para ascender depois de uma eventual queda. Alternativamente, em um grupo ainda incapaz de fornecer a fora para a correo, muitos estaro em estado de depresso ou mau humor com a ausncia de fora para avanar. Estes estados ocorrem s vezes em um ambiente sadio, mas no duram.Cada nvel construdo da seguinte maneira: " direita" fica a fora altruistica do Criador; " esquerda" fica a fora egoista do desejo que Ele criou; no meio entre eles fica o homem, ou seja, ele se percebe desta maneira. A pessoa precisa pegar a proporo correta de cada lado e us-las para subir ao prximo nvel. Obviamente, a direita e a esquerda, assim como outros termos, so aproximaes, porque no temos outro modo de nos referir aos atributos do mundo superior.A pessoa continua este processo at atigir o nvel 125. Estes 125 nveis se dividem em cinco mundos. Cada mundo contm 25 nveis. Os nveis espirituais mais inferiores, constituem o mundo chamadoAssiya, localizado logo acima do nosso mundo. Depois vem o mundo deYetzira,Beria,AtziluteAdam Kadmon. Uma barreira -Machson- separa o nosso mundo do mundo de cima -Assiya.Ambas as linhas, direita e esquerda, ajudam uma pessoa a suplantar todas as dificuldades envolvidas na passagem de um nvel para outro. Entretanto, quando a pessoa inicia o trabalho contra o seu egoismo, o desejo e a fora para ascender surgem quando ela est presente no lado direito (as foras do Criador). Este o primeiro estgio. Estar no lado direito durante o estgio inicial no depende da pessoa mas sim do Criador.No segundo estgio, a pessoa passa para o lado esquerdo e aumenta o seu egoismo. Seu humor aqui completamente oposto ao que sentia no lado direito. Ele passa a sentir mau humor, depresso e fraqueza, e nada parece atraente para ela.Estar no lado esquerdo necessrio para que ela possa sentir o seu egoismo, e o tempo que ela vai passar a depende dela prpria. Ela pode reduzir este tempo ao mnimo. Todo o mal que a pessoa experimenta depende do tempo que ela permanecer no lado esquerdo. Se a pessoa comprender que este estado tem o objetivo de facilitar o seu progresso, ela deixar de avali-lo como mau, mas sim como bom. Ela perceber o sofrimento como uma necessidade e consequentemente, bom.Desta maneira, a percepo e o entendimento do que bom ou mau muda. O grupo ou o ambiente pode ajudar na correo destas percepes. A pessoa pode obter fora espiritual do grupo sem estar ainda no mundo espiritual. Todas as criaturas so o nico corpo de Ado e esto separadas por seus corpos/desejos devido aos desejos no corrigidos.Quando o egoismo eliminado, ns somos capazes de receber informao das outras almas assim como sent-las, j que cada pessoa est disposta a fazer algo pela outra. necessrio reunir um grupo que tenha um nico objetivo. O grupo deve formar uma s unidade, com um nico esprito. necessario se assegurar que o estado do grupo esteja sempre em um mesmo nvel, com cada pessoa pronta para ajudar outra. Cada pessoa deve estar integrada outra e ao grupo como um todo. A quantidade de ajuda que a pessoa receber de cada um e de todo o grupo ser proporcional a quanto ela conseguir reduzir o seu "Eu" em relao aos outros e ao grupo. Uma pessoa pequena pode receber de uma maior. Para isso preciso apenas considerar a outra pessoa com estando acima.O grupo deve manter o estado onde o fator mais importante a exaltao do Criador. Este objetivo deve determinar cada ao. Ento cada pessoa poder receber uma carga espiritual do grupo e as quedas no sero notadas. Cada nvel das almas constre o seu prprio ambiente, ou seja, um ambiente que lhe corresponda. Tudo depende do nvel de espiritualidade interno da alma. O ambiente precisa ser construido de acordo com as diferentes leis em cada mundo.O grupo constituido de acordo com os princpios de flexibilidade e capacidade de mudanas rpidas. at adequado se o grupo mudar constantemente; isto significa que ele est avanando. A vida, o trabalho e a famlia neste mundo e a vida animal no corpo fsico mudaro no futuro de acordo com a espiritualidade dos membros do grupo. isto que o Criador nos pede, especficamente.Nosso corpo estar neste mundo enquanto a alma estar no mundo espiritual. Quanto mais aes espirituais sejam realizadas pela alma, mais o nosso corpo seguir as leis espirituais no mundo material. Isto , no final do desenvolvimento, as relaes familiares e aquelas entre os membros do grupo devero ser construidas de acordo com as leis superiores do mundo deAtzilut.Adam HaRishonfoi criado especficamente assim . Seu corpo/desejo consiste dos desejos dos noveSefirot, masMalhut a parte chamada "Lev HaEven (i.e. corao de pedra), significando, a parte deMalhutque no conseguiu absorver os atributos dos primeiros noveSefirotou os atributos do Criador.Assim, ele foi proibido de criar em si o dcimo desejo, ou comer da rvore do conhecimento do bem e do mal, pois todo o mal est contido nesta parte. Por isto, se ele quebrar esta regra, o mal entrar no mundo, se misturando com as outras partes dos primeiros noveSefirot.Mesmo assim Ado pecou, esperando receber a luz dos noveSefirotemMalchutpara o benefcio de Criador. Mas comoMalchut incapaz de assumir uma inteno altrustica, Ado recebeu em seu prprio benefcio, fazendo a alma se partir em 600.000 pedaos. Estas partes no sentem que j foram uma s alma e no sentem as demais.Cada parte da alma coletiva o desejo de receber prazer. Cada parte chamada "Eu" e precisa receber correo para elevar-se por 125 passos. Ou seja, existe a necessiidade de cada vez corrigir 1/125 de cada partcula em cada uma das 600.000 almas/desejos. Cada vez que uma partcula passa pelo lado direito e depois pelo esquerdo, ela incluida na linha do meio; recebe a fora do Criador ou o desejo de doar do lado direito e adquire o desejo de receber do lado esquerdo, a soma dos dois emerge na linha do meio, resultando em um desejo de receber para doar.Ns recebemos de cima apenas as foras que nos permitem contrabalanar o egoismo do lado esquerdo, isto , para corrigir a necessria parte egoista de modo a receber para doar. A pessoa recebe de cima apenas o que pode aguentar. Se a pessoa no recebeu uma fora de cima ento ela no ser exposta a um mau estado.Se um membro do grupo deseja avanar espiritualmente, ele necessita continuamente uma oportunidade de receber espiritualidade e egoismo do grupo. Sendo assim, este dois atributos devem juntos coincidir no grupo. Estar no grupo significa estar com ele conectado, em um sentido interior.Uma pessoa quanto comea na Cabala muito egoista, autnoma e independente das demais. Ela precisa um tempo para vir a querer o Criador e entender a importncia do objetivo da criao. S ento ela ser capaz de se diminuir em ralao ao grupo, para poder doar e receber dele.No incio ela no tem nenhum desejo de fazer algo pelo grupo, mas o objetivo comum deve obrig-la a isto. Se cada um entender que no h nada mais importante do que o objetivo da criao, ser mais fcil ser til para o grupo de vrias maneiras.Entretanto, se os prazeres deste mundo ainda valerem mais para a pessoa do que o seu objetivo e ela no conseguir se desvencilhar destes prazeres, ento o seu tempo ainda no chegou e no h espao no grupo para ela. Sua alma no est pronta para aceitar as leis espirituais. Depois que passar por todos os prazeres do mundo, receber um empurro para o espiritual. Para que isto ocorra, no necessrio que ela tenha provado todas as circunstncias deste mundo e as rejeitado por ter descoberto sua insignificncia. Ela conseguir isto recebendo do alto os argumentos necessrios para comprender a insignificncia da busca terrena por prazer.Hoje, a espiritualidade nos atrai com maior prazer comparado ao mundo material. Assim ns a desejamos, e isto no uma mentira. Todo o nosso mundo vive e suportado apenas pela pequena faisca da luz espiritual que atravessou a barreira -Machsom- e penetrou em nosso mundo. Agora imagine o mundo espiritual, que em sua totalidade apenas a luz, bilhes de vezes maior que a faisca de prazer em nosso mundo. Que prazeres existem ali!Mas como entrar no mundo espiritual? Ns sabemos que para conseguir isto temos que transformar nossa essncia egoista do prazer para receber no prazer de doar. Entretanto, no entendemos o que quer dizer isto, e no existem palavras suficientes que consigam explicar este processo. No possuimos em nosso crebro as convolues necessrias para este entendimento porque o crebro funciona de acordo com o sistema do egoismo.A Cabala nos ensina que para sentir prazer basta alterar a direo do desejo ao invs dele prprio. O prazer corresponder a quanto a orientao para o objetivo mudar. Aqui estamos falando de um conceito puramente psicolgico; a pessoa sempre receber prazer mas o que importa para que ou para quem ela o esteja recebendo.Uma pergunta logo surge: aonde est o boto que devemos girar para conseguir esta mudana?Ele est localizado na fronteira entre o egoismo do nosso mundo e o altruismo do mundo espiritual e se chamaMachson. Isto quer dizer que eu j estou desejando fazer qualquer coisa para passar para o mundo espiritual com minhas percepes. O grupo necessrio para que a pessoa alcance este estado, assim como a continuidade do estudo. O grupo necessrio para que se desenvolva o desejo de receber o espiritual no tamanho adequado. Ento ocorre um clique interno... e a pessoa comea a receber do alto a fora e a percepo espiritual.

3. CINCO MUNDOS - CINCO NVEIS DO DESEJO DE RECEBER

Existem cinco mundos entre o Criador e o nosso mundo. Eles so chamados:Adam Kadmon, Atzilut, Beria, YetziraeAssiya. Abaixo do mundo deAssiyaficaMachsom, e abaixo o nosso mundo. Nosso objetivo, enquanto vivendo em nosso mundo, que nossa alma atinja o nvel do mundo deEin Sof, ou seja, consiga a unificao completa com o Criador. Isto , quando nossa alma reveste o corpo neste mundo, ela dever mudar os seus atributos do egoismo para os atributos do Criador, em cada nvel espiritual, at que nosso egoismo total seja substituido pelo altruismo. Quando isto ocorre, os atributos da nossa alma se tornam completamente equivalentes ao atributo do Criador.Em nosso mundo, dois atributos egoistas so habilitados: "receber pela recepo" e "doar pela recepo". Os mundos espirituais consistem do seguinte atributo: "doar por doar" ou "receber para doar". A primeira tarefa de uma pessoa que quer entrar no "mundo que vir" restringir o uso de seus desejos ou realizar oTzimtzum Alef. Significa parar de trabalhar com o egoismo ou os desejos egoistas.No podemos mudar nosso "desejo de receber" porque esta a nica coisa criada pelo Criador. Entretanto possvel e necessrio mudar a inteno do desejo de "receber para seu prprio benefcio" para a inteno de "receber para o benefcio do Criador". Assim, podemos ver que a ao no se modifica , apenas a inteno que muda.A metodologia de mudar a inteno (algo que ninguem consegue ver e que est oculto de todos) chamada de a Cincia Secreta da Cabala. a metodologia de como receber mudando a inteno. O importante o que estamos pensando quando desenvolvemos uma determinada ao e qual o objetivo que perseguido quando a realizamos. Todos os 125 nveis so grus de correo gradual da inteno da alma, desde receber em seu prprio benefcio para receber em benefcio do Criador.Os cinco mundos so nveis do desejo de receber, comeando pelo mais fraco (Keter) e terminando com o mais forte (Malchut). Eles so construidos desde o topo (o Criador) e descendo at a criao. Na medida em que a luz vem do Criador e atravessa os mundos, ela vai se tornando mais fraca, logo, adequada a ser percebida pelos fracos desejos egoistas. Quando a alma recebe a luz de correo do alto, ela comea a mudar a inteno de "para seu prprio benefcio" para "receber em benefcio do Criador", ou "doar".A alma alcana a linha daMachsomapenas se realizar oTzimtzum Alefem todos os desejos que consegue perceber nesse estado, ou seja, quando se recusa completamente a operar com o egoismo. Entretanto, ela ainda no capaz de receber nada em benefcio do Criador.Quando a alma corrige sua inteno de doar ao nvel deKeterela entra no mundo deAssiyalocalizado acima deMalchut. Isto , quando ela capaz de se opor ao egoismo o mais fraco possvel, no recebendo nada e se anulando na luz superior. Se a alma for capaz de se opor ao egoismo na luz deHochma, ela ascende ao nvel do mundo deYetzira.A alma continua desta maneira, aumentando progressivamente sua capacidade de trabalhar contra as foras egoistas cada vez maiores, ascendendo ao nvel espiritual seguinte, at alcanar o mundo deEin Sof. A alma adquire sua essncia como substncia espiritual apenas aps cruzar aMachsone continuar sua asceno.No mundo espiritual a pessoa lida com os desejos naturais, no revestidos pelas diversas aparncias do nosso mundo. Um Cabalista que est no mundo espiritual, para de investigar o nosso mundo porque o percebe corretamente como o resultado natural do ramo correspondente raiz espiritual. Para ele mais interessante ver a causa ou a origem na raiz ao invs da consequncia, localizada em um nvel incomparvelmente mais baixo que a raiz, de onde todos os desejos e causas se originam.Uma pessoa que ascende, transforma todos os desejos terrenos em desejo pelo Criador. Inicialmante quer possuir o Criador egoisticamente, do mesmo modo que desejava receber tudo neste mundo. Como se diz: uma pessoa deseja tanto o Criador que esta paixo no a deixa dormir!.Gradualmente, uma luz chamadaOhr Makif, que constantemente envolve uma pessoa, comea a brilhar para ela, de modo que ela consegue uma solicitao pelo espiritual, com a ajuda desta luz, usando um desejo bem mais forte que todos os outros desejos. E finalmente, com o auxlio desta mesma luz, a pessoa atravessa aMachsome recebe a inteno de doar.Apenas a luz superior do Criador capaz de elevar assim uma pessoa; fornecer-lhe a resposta para todos os seus esforos humanos pelo espiritual, traz-la para o estado em que o desejo pelo espiritual to grande que no a deixa cair no sono e suplanta todos os demais desejos.Todas as almas seguem, em seu caminho, estes mesmos estados, mas a atribuio de cada alma neste mundo diferente. tambem diferente a velocidade com que cada alma atravessa pelo mesmo caminho.Cada pensamento, cada desejo e cada movimento de uma pessoa neste mundo, no importa qual pessoa, lhe dado com um s objetivo: ascender e se acercar do espiritual. Entretanto, a maioria das pessoas segue esta progresso de uma maneira natural nos nveis humano inconsciente, animal, vegetativo e inerte.Tudo est predeterminado e pr-programado pelo objetivo da criao. A livre escolha da pessoa consiste em optar por concordar com tudo o que lhe acontece ou comear a entender o objetivo para o qual tudo est direcionado e decidir ser um participante ativo em todos os eventos que acontecem com ela.Todos os pensamentos e desejos no mundo deEin Sofpassam pela pessoa. Entretanto ela "capta" apenas os pensamentos correspondentes ao seu nvel. Neste nvel atual, a pessoa no capaz de pensar sobre novas descobertas. Entretanto, na medida em que vai aumentando o nvel de seu conhecimento e seus conceitos, ela comea subitamente a sonhar com algo complexo. Isto significa que ela deseja sentir e perceber um domnio mais complexo de percepes.O domnio de atividades de uma pessoa ou a imagem que ela constre com a percepo deste mundo aonde ela vive construdo desta maneira. Quando a pessoa se desenvolve, ela passa a ter pensamentoa mais profundos, com uma conexo diferente entre as coisas. Tudo ento depender do nvel de desenvolvimento da pessoa, pois este determina suas fronteiras de percepo ou que parte do mundo do Infinito ela perceber.No h outra maneira de desenvolver o desejo pelo espiritual, de invocar aOhr Makifpara participar pessoalmente da realizao do objetivo da criao e reduzir o caminho natural para alcanar esta objetivo, que no seja estudar em grupo sob a orientao de um professor. Apenas a luz que comea a brilhar pode nos ajudar a transformar nossos atributos egoistas (o nico obstculo no caminho espiritual) em propriedades altruistas.Ohr Makifmuda o nosso desejo para o desejo de doar e nos leva atravs daMachsom. Ns afirmamos que no queremos nada do mundo material e queremos apenas o espiritual. Se soubssemos que atravessar aMachsomsignifica mudar a inteno com relao a quem e o que ns pensamos e nos preocupamos, ns iramos correndo.Continuando, entramos no territrio acima daMachsomonde encontramos um oceano de luz. Esta a luz do Criador, que brilha sobre ns na mesma proporo em que nossa exaltao pelo Criador maior que o nosso desejo egoista. Isto nos d a oportunidade de adquirir a propriedade da luz, ou de doar.O mais importante atravessar aMachsom. A alma que recebeu a luz sabe todo o caminho que se segue passagem, por que a luz lhe ensina. L encontraremos um mapa claro e as instrues para cada passo e ao subsequente. So as instrues que os Cabalistas nos escreveram em seus livros.Cada mau pensamento oposto aos bons pensamentos do Criador, mas como transformar um mau pensamento em bom? Primeiro preciso entender que o pensamento mau; comprender sua maldade para poder tomar a deciso de corrig-lo. S podemos identificar o mal sob a luz do Criador ou em Sua grandeza. Entretanto se a luz no brilha em uma pessoa ela est cega e na escurido, abaixo daMachsom, onde a luz no penetra. A pessoa existe neste mundo e acredita que todos os seus pensamentos so bons.Quando uma pessoa iluminada pela luz do Alto ou a luz circundante chamadaOhr Makif, ela comea a ver toda a sua essncia. Isto se chama "a realizao do mal". Sem esta iluminao pela luz, a pessoa tenta se justificar e se acha sempre correta. Entretanto, a realizao do prprio ego pela iluminao da luz leva a pessoa a pedir a ajuda do Criador. E ainda, graas iluminao, a pessoa j percebe a fonte da iluminao e sabe precisamente para Quem precisa apelar.Se o apelo da pessoa genuno, o Criador far a alterao de sua natureza. Entretanto, o desejo de receber no muda; a nica coisa que muda a inteno de "receber em seu prprio benefcio" para "receber para o Criador", o que corresponde a doar. assim que a mudana gradual dos atributos da pessoa para os atributos do Criador se dar em cada um dos 125 nveis.Cada nvel inclue diversos processos:1. a realizao do mal: quanto pior a pessoa est na linha esquerda, em relao ao Criador;2. que ajuda precisa receber do Criador em Sua linha direita;3. a combinao entre as linhas direita e esquerda; quanto a pessoa pode receber da linha direita, ou seja, passar para a linha central.Como resultado destas aes, mais uma parte dos desejos de uma pessoa se tornam equivalentes ao Criador, permitindo que ela passe para o nvel seguinte. Isto prossegue em cada nvel, at que todos os atributos da pessoa se tornem iguais aos atributos do Criador.Os desejos de uma pessoa determinam sua ao. impossvel realizar aes sem desejos! Por exemplo, amanh tenho que acordar cedo, logo hoje vou dormir cedo. Estou fazendo isto contra o meu desejo? No! Ninguem neste mundo capaz de realizar aes sem o desejo e sem preencher este desejo com prazer. O desejo a energia ou a fora motriz que d a uma pessoa a oportunidade de fazer algo.As vezes nos parece que estamos fazendo algo contra o nosso desejo. Este no o caso. Fazemos um clculo bem simples, que fazer isto benfico mesmo se contra o desejo. Se for benfico para a pessoa, ela executar varias aes desagradveis e indesejadas.Pela escolha, uma pessoa capaz de trazer para perto outro desejo, cri-lo e realiz-lo. Nenhum de ns seria capaz de mover nem o dedo sem receber a fora motriz para isto ou fazer se aproximar outro desejo.A pessoa que faz algo bom para outra pessoa pensa que isto realmente o caso e que esta ao no egoista. Entretanto, se penetrar no fundo dos seus pensamentos ela ver que tudo o que ela faz tem smente um objetivo: fazer algo bom para si prpria e todo o resto sua mentira.Se a pessoa estuda a Cabala, ela capaz de ver como isto funciona; que cada um de ns um absoluto egoista e no pensa em mais nada alem de si prprio, nem mesmo em seus filhos. Simplesmente, no presente estgio todo o sistema de pensamentos defeituoso e parece impossvel para uma pessoa fazer qualquer coisa em benefcio de outra.S possvel doar para outro se estiver recebendo algo em troca, ou se beneficiando de alguma maneira. A pessoa no deve se envergonhar por isto. Esta a nossa natureza. Ou recebemos para auto gratificao ou doamos com o objetivo de receber algum benefcio por isto. No culpa de ninguem. A nica coisa que precisamos fazer ansiar por mudar nossos atributos para os do Criador.A Cabala ensina s pessoas a aceitar as pessoas do modo em que foram criadas. No podemos odiar alguem por causa disto nem ficar aborrecidos por que percebemos nela estes atributos. Na verdade, difcil se comunicar com o mundo externo e ter pacincia para observar o menor egoismo em alguem que encontramos. Entretanto, cada pessoa foi criada do jeito que tinha que ser. Devemos apenas tentar nos ajudar uns aos outros para mudar os atributos que recebemos em atributos altruistas.O que o sofrimento? tudo aquilo que se ope ao nosso desejo. Como diz oTalmud, se uma pessoa pe a mo no bolso tira uma moeda, mas queria outra, ela experimenta o sofrimento. O sofrimento tudo na vida que no corresponde ao nosso desejo. Sofremos quando estamos de mau humor, doentes ou no queremos fazer alguma coisa.Entretanto, tudo o que est sendo feito acontece para o nosso bem. De uma maneira ou de outra, tudo o que acontece nos avana em direo ao objetivo da criao. Exceto, em nossa percepo distorcida, bom parece mau e doce parece amargo.Na realidade s possvel perceber o que bom depois de atravessar aMachson. Neste momento, tudo percebido como sofrimento. Isto acontece devido falta de preenchimento pela luz. Enfim, a luz permanece do lado de fora enquanto nossos desejos no receberem a inteno altruista.Enquanto uma pessoa no est se aproximando do espiritual, o desejo de receber para ela o anjo da vida. Mas, pelo estudo da Cabala e pela atrao para si da luz circundante, a pessoa gradualmente percebe quanto o desejo de receber um obstculo para a mudana da sua natureza egoista em altruismo. Ela v que este o verdadeiro inimigo do avano e seus desejos se tornam o anjo da morte ao invs do anjo da vida.Quando a pessoa consegue visualizar a maldade do seu prprio egoismo, em comparao com os atributos da luz que ele conseguiu perceber, surge um enorme desejo de remover estas correntes a qualquer custo. Mas, como uma pessoa incapaz de faz-lo sozinha, em desespero ela grita pelo socorro do Criador. E ela recebe esta ajuda, desde que este seja seu nico desejo e seja autntico.Uma pessoa que queira se aproximar do espiritual deve ser como qualquer outra: tem que trabalhar como todo mundo, ter uma famlia e filhos. O importante o que ela faz naquelas duas-trs horas que so livres do trabalho e das responsabilidades caseiras. Fica na frente da TV ou em um restaurante, ou dedica seus esforos ao atingimento de seus objetivos espirituais?Em qualquer caso, a pessoa no pode falar sobre o seu trabalho espiritual para ninguem; ela tem que ocultar completamente o que sente em relao ao Criador. Isto assim para evitar danos no caminho espiritual de outras pessoas. Cada pessoa segue um caminho diferente. Quando atinge a correo total, tudo ser revelado j que no haver mais espao para os obstculos do ciume egoista.

4. ESTRUTURA DA ALMA

Quando uma pessoa comea a estudar a Cabala, parece-lhe que est se movendo para trs ou estacionada em um s lugar. Mas de fato, este um forte sinal que ela est progredindo. A razo disto que ela utiliza suas percepes ainda no corrigidas, para fazer esta avaliao dos seus estados.Cada correo subsequente leva o estudante mais perto de adquirir a inteno "pelo benefcio de doar". Mas, para isto, a pessoa deve passar por vrias espcies de mudanas. Ela deve encontrar quem ela e exatamente o que quer, o que significa o desejo de receber, qual o material da criao e o significado da "vida" e da "morte". A pessoa chega a concluso que a vida significa sentir a luz e a morte a percepo da escurido, ou da ausncia em suas percepes do Criador. Antes que a pessoa alcance o entendimento genuno do que bom e do que mau, ela passa inicialmente atravs de muitos estados diferentes.AMachsom a barreira que bloqueia a luz impedindo-a de penetrar em nosso mundo. Qual a diferena entre aMachsome aMasach(tela)? AMasachse caracteriza por um atributo completamente diferente daMachsom. Na frente daMachsomh a luz em sua totalidade, e nada a oculta. L a propria pessoa afasta a luz com a fora de seu desejo de no receber a luz em benefcio de sua prpria auto gratificao.A barreira -Machsom- est fora de mim e bloqueia toda a luz superior. Por outro lado aMasach algo que a pessoa coloca dentro de si por meio de sua realizao interna e por seu desejo de no permitir a luz de lhe penetrar egoisticamente mas sim aceit-la apenas em benefcio do Criador. Quando a pessoa tem aMasacha barreira deixa de ser necessria, j que a pessoa capaz de se opor luz sozinha.Como dividido nosso caminho ao longo dos 125 nveis?Ns sabemos que existem 125 nveis de atingimento entre ns e o mundo deEin Sof. Mas, s precisamos atingir o mundo deAtzilutpara alcanar a correo, ou seja, temos que passar pelos mundos deAssiya, YetziraeBeria. Cada um deles equivale 2.000 anos, logo no total temos 6.000 anos. Depois, a prxima correo ser acima deTzimtzum Bet, ou a correo em uma dimenso diferente chamadaTzimtzum Alef.Nossa alma composta de cinco partes:Keter, Hochma, Bina, Zeir AnpineMalchut. A diferena entre elas est no nvel crescente do desejo de receber prazer. Esto divididas em duas partes:Galgata ve Eynaim (Keter e Hochma)eAHP (Bina, Z'A e Malchut). Em outras palavras,Keter chamadaGulgolet,Hochma chamadaEynaim,Bina chamadaOzen,Z'A chamadaHotemeMalchut chamadaPeh. A primeira parte da alma experimenta prazer pela doao e a segunda pela recepo. assim que cada alma construda.A nica coisa que temos de corrigir Galgata ve EynaimouKelim de-Ashpaa, ou seja, os desejos de doar. Nosso caminho espiritual comea no instante em que ascendemos deste mundo. Ascender significa corrigir gradualmenteGE. Ascendendo atravs dos mundos deBYApara o mundo deAtzilut, afirmamos que os nossosKelim de-Ashpaaesto corrigidos. No somos capazes de corrigir oKelim de-Kabbalahou oAHP.O que podemos fazer, neste caso? Podemos elevar gradualmente nossoKelim de-KabbalahouAHPdos mundos deBYApara o mundo deAtzilut. Isso comea pela elevao dosAHPsmenos egoistas do mundo deBeriae ento os mais egoistas do mundo deYetzira. O trabalho termina quando osKelimmais egoistas tenham ascendido. Ns no corrigimos osKelim-desejos diretamente. Mas, simplesmente os ligamos aosGalgata ve Eynaimcorrespondentes, ou seja, os ligamos aos desejos de doar.Em cada vez que ascendemos, recebemos uma quantidade adicional especfica da luz. Esta ao chamada de "asceno". Existem trs ascenes. Para ser mais preciso, ocorre uma asceno de trs lugares diferentes: dos mundos deBeria, YetziraeAssiya. OsAHPsque ascendem para o mundo deAtzilutno so os desejos genunos de receber (Kelim de-Kabbalah), significando que, eles no so o "Eu" da pessoa ou o "Lev ha Even". Esta a parte que a pessoa no pode corrigir por si mesma. A nica coisa que corrigida uma pequena parte chamada de "AHP de-Aliyah". Mas a pessoa no precisa realizar uma grande correo. Logo que a correo anterior completada, o Prprio Criador corrigir oLev ha Leven.Para a pessoa saber o que ela deve corrigir, ela precisa ver e sentir o que precisa ser corrigido. Esta a razo pela qual existem as ascenes que no dependem da pessoa, chamadas de "estmulos de cima". So osShabbaths, feriados e novos meses. Eles so dados pessoa apenas porque ela j corrigiu seuKelim de-Ashpaa, ou seja, ela no deseja mais nada para si mesma e est localizada no mundo deAtzilut.A primeira ao ou asceno ser a ligao doKelim de-Aliyahdo mundo deBeria. A segunda asceno ocorre quando oAHPdo mundo deYetzira ligado. A terceira, quando da ligao doAHPdo mundo deAssiya. Depois que a pessoa ascendeu estes trs nveis, ento ocorre a correo doLev ha Even, e isto conhecido como "Gmar Tikkun" ou "o fim da correo".Existem dois tipos de desejos de sentir prazer. Existem os desejos de sentir prazer pela recepo ou pela doao. Estes ltimos so percebidos noKelim de-Ashpaae os desejos de sentir prazer pela recepo so percebidos noKelim de-Kabbalah. Ambos esto no-corrigidos em ns. Os mais fceis de corrigir so os doKelim de-Ashpaade tal modo que eu darei tudo em benefcio da pessoa para quem estou doando, ao invs de para meu prprio prazer. Estes so mais fceis de corrigir porque a ao (doao) e a direo (para o benefcio de outra pessoa) tm a mesma direo.OKelim de-Kabbalah (AHP)permite que uma pessoa sinta prazer apenas quando recebe. Estes so muito mais difceis de corrigir. Para corrig-los uma pessoa tem que doar prazer para outra pelo recebimento, e receber apenas com este objetivo. Para isto necessria uma conexo mais forte com o Criador, pois esta correo passa atravs da verdadeira essncia do "EU" humano.Assim oAHP corrigido depois deGE, e corrigido gradualmente. Em outras palavras, no to difcil ascender ao mundo deAtzilutcom oKelim de GEcorrigido, quanto depois ligar oAHP. A razo disto que a ltima ao oposta inteno.Todos os cinco mundos servem como barreira para a luz do Criador. Quanto mais abaixo o mundo se situe, ele limita mais luz. Os mundos ou barreiras terminam naMachson, que oculta positivamente a luz de nosso mundo, passando apenas um pequeno fio de luz, o qual necessrio para o suporte da vida em nosso mundo. Este pequeno fio de luz chamado de "Ner Dakik". O Criador fez assim para que pudssemos viver sem aMassach. Esta no necessria quando no existe luz, apenas oNer Dakik.Este pequeno fio de luz ouNer Dakikse divide em um grande nmero de partes. Ele ativa os tomos, move as molculas, e impulsiona toda a matria a existir, movendo-a para o desenvolvimento e concebendo a vida em todos os nveis: inanimado, vegetativo, animal e o nosso prprio nvel - humano.Se, com a ajuda do estudo, do grupo e do mestre uma pessoa adquire a tela em seu pequeno egosmo ou emAviut Shoresh, isto significa que ela j est capaz de suportar a luz mais fraca,Nefesh, a qual maior queNer Dakik. Ou seja, neste caso a pessoa capaz de estar nesta luz sem receb-la para o seu prprio benefcio. AMasachou tela estar fazendo o que antes era feito pelaMachsom. Esta a passagem deste mundo para os mundos espirituais, e aMachsomno mais necessria. Mas aMasachbloqueia apenas a luz mais fraca,Nefesh.Isto anlogo a um exemplo tirado de nossa vida. Suponha que uma pessoa seja levada "a no roubar", e se nos colocarmos $100 em sua frente, ela no tocar no dinheiro. Entretanto se o montante de dinheiro em sua frente for maior do que ela foi levada "a no roubar", ela no ser capaz de resistir a tentao e seu condicionamento ser insuficiente para preveni-la de roubar.A mesma coisa acontece no espiritual. Enquanto existir aOhr Nefesh, a pessoa age facilmente em benefcio do Criador, percebendo-O facilmente e tem contato com a luz recebendo o prazer em benefcio da doao. Ela pode agir assim porque possui aMasachpara este nvel, que evita que ela receba em seu prprio benefcio. Este estado chamado o mundo deAssiya.Depois disto, com a ajuda de mais estudo e esforos, a pessoa adquire umaMasachadequada a um egoismo maior ouAviut Alefe ela estar preparada para receber a luzRuachem benefcio da doao. Corresponderia em nosso exemplo anterior a uma pessoa que fosse condicionada a "no roubar" at $1.000, por exemplo. Neste caso a pessoa pode ir do mundo deAssiyapara o mundo deYetzira. Da mesma maneira, quando a pessoa adquire umaMasachparaAviut Bet, ela est pronta para passar ao mundo deBeria.Desta maneira, a barreira eliminada durante a passagem de um mundo para o prximo. Isto quer dizer que aMasach adquirida no lugar da barreira, que corresponde aoAviutdo respectivo mundo. A barreira vai para o interior da pessoa porque ela no mais precisa dela. A pessoa passa a ser capaz de adotar por si mesma a lei deste novo mundo, ou seja, a lei simplesmente no necessria porque a pessoa est acima dela, ela maior que a lei e a observa ou adota por meio de suas convices.Como nossa alma consiste de cinco partes, temos que adquirir aMasachde cinco diferentes nveis e potenciais, de acordo com o peso do egoismo:1. Quando uma pessoa adquire aMasachcomAviut Shoresh, ela cruza aMachsome entra no nvel espiritual do mundo deAssiya;2. AMasach de-Aviut Alefd a pessoa a oportunidade de ascender ao nivel do mundo deYetzira;3. AMasach de Aviut Beteleva a alma ao nvel do mundo deBeria;4. AMasach com Aviut Gimeleleva o nvel da alma do mundo deBeriapara o mundo deAtzilut;5. e finalmente. aMasah Dalet Aviuteleva a pessoa (ou seja, eleva a alma da pessoa, j que na Cabala a pessoa considerada uma alma) para o mundo deAdam Kadmon.Depois disto a alma ascende para o mundo deEin Sofvindo do mundo deAdam Kadmon.Como cada mundo contm cincoPartzufim, e cadaPartzufconsiste de cincoSefirot, uma pessoa adquire um novo nvel a cada cincoSefirot.Por exemplo, no mundo deAssiya, os primeiros cincoSefirotpermitem a uma pessoa alcanarMalchutdo mundo deAssiya; os prximos cincoSefirota elevam para ,em>ZAdo mundo deAssiya; mais cinco elevam paraBinado mundo deAssiya, e os prximos cinco para -Hochmado mundo deAssiya. Os ltimos cincoSefirotpermitem a alma alcanarKeterdo mundo deAssiya.Quando a alma se move ao longo do caminho, ela adquire gradualmente aMasachdeAviut de-Shoreshat oAviut de-Alefdo mundo deYetzira. Isto se repete at que a alma passe pelos 125 nveis, atravessando todos os mundos.Quando a pessoa est no mundo deAssiyacomAviut de-Shoresh, se considera que sua alma est passando pelo processo de concepo (Ubar) no tero da me (Bina), e este perodo dura "nove meses". Ou seja, a alma passa pelo correspondente nmero de nveis de desenvolvimento, chamado "intra-uteral", que corresponde ao tempo de gravidez de uma mulher em nosso mundo.A passagem paraAviut Alefe, correspondentemente para o mundo deYetzira, chamada o nascimento da alma, que corresponde ao nascimento de uma pessoa em nosso mundo. A presena no mundo deBeriacorresponde ao crescimento e alimentao pelo perodo de 2 anos, quando a alma deve receber a luz que faz crescer gradualmente a suaMasach.Neste ponto, a alma ainda est no estado deKatnut (Kelim GE). Por outro lado, a passagem para o mundo deAtzilutj simboliza o incio do gradualGadlutda alma (a aquisio doKelim AHP). Isto continua at os treze anos (maioridade ouBar Mitzvah), quando a alma se torna independente no mundo deAtzilut. Isto , ela j possue aMachsomque a permite comear a receber para o benefcio da doao (ou ligar oKelim de-Kabbalahcom a ajuda deAHP de-Aliya).O mundo deAtzilutcontmZachar (ZA)eNekiva (Nukva). Relativamente cada um, eles esto em vrias posies, dependendo do estado da alma (Katnut ou Gadlut); variosZivugimocorrem entre eles, e assim por diante.No mundo espiritual, h uma noo chamada "Eretz ou terra. Este o lugar onde voc se localiza ou para onde est indo.Eretzvem da palavra Ratzon ou desejo. Nossa alma inteira consiste de um grande desejo (Eretz), que contm vrios pequenos desejos (Artznot ou Retzanot) assim como desejos das "naes do mundo", chamadas outras naes.Eretzest mais pertp do Criador que as "outras naes", que soEver ha Yarden(Jordania),Mitzraim(Egito) eSuria(Siria). Estas so nossas vizinhas e querem a nossa terra, ouEretzIsrael, porque l que est localizado o Criador, ou este o desejo mais perto Dele.Toda a correo deve comear conosco, ou a partir dos mais puros desejos. Por um lado eles so os que esto mais perto deEretzIsrael; por outro lado, eles so os mais afastados, porque existe uma relao reversa de dependncia entre a luz e os desejos.Para retornar ao Criador, uma pessoa precisa estar em seu estado o mais egoista, ou seja, deve sentir que alguma coisa est faltando em sua vida. Por um lado, ela uma egoista de acordo com seuKelim, significando que ela est afastada do Criador de acordo com seus desejos egoistas. Por outro lado, quando ela altera o seuKelimou intenes com toda a fora do seu desejo de se aproximar do Criador, ento ela est mais perto Dele.Quando uma pessoa comea a estudar, ela aprende gradualmente a separar seus desejos em seus vrios componentes, de acordo com o gru do seuAviut, e ela comea a avaliar com quais dos seus desejos deve trabalhar e corrigir. Alm disto, quando ela trabalha com seus desejos, ela tambem entende aonde est localizada, de acordo com seu mapa espiritual interno.

5. SHAMATI 1 - "NO H NINGUM ALM DO CRIADOR"

5. Shamati 1 - "No h Ningum alm do Criador"Meu mestre anotava tudo o que ouvia do seu pai. Quando comecei a estudar com le e fazer perguntas difceis que me incomodavam le sempre evitava responder, at que um dia, finalmente, le me ofereceu suas anotaes. Nelas pude encontrar o que me interessava e entender o que eu precisava entender, relendo-as enquanto passava por estados diferentes. Isto foi suficiente para me apoiar em toda minha existncia, mesmo depois que le partiu.Nossa conversa aconteceu em 1981, quando le me deu seu caderno de anotaes. Fiz uma cpia que li por dez anos. Em 1991, dias antes de sua morte, le me deu o original. Disse ento: "Leia. para voc". Me pediu que chegasse cedo no dia seguinte. le j sabia o que iria acontecer, mas eu no. Cheguei atrazado, e o encontrei prticamente inconsciente e assisti sua morte.Os artigos e anotaes que le me deu so muito importantes e profundos. Cada vez que uma pessoa os l ela pensa que entendeu alguma coisa, mas quando l pela segunda vez, ela percebe quo errada estava sua compreenso anterior e a cada leitura subsequente, novas e novas revelaes surgem em crescente profundidade. Como a pessoa comprende depende do estado em que se encontra no momento da leitura.Estes artigos foram escritos do ponto mais alto, ou do topo do atingimento. Entretanto, a pessoa pode l-los a partir de qualquer um dos nveis mais baixos, at mesmo do nosso mundo. Cada pessoa capaz de encontrar seu estado pessoal nestes artigos, assim como o que o autor quer dizer para o leitor nesse momento.Eu recomendo a todos que leiam estes artigos; apenas algumas linhas por dia so sufucientes. Meu Rav costumava abrir o seu caderno de anotaes apenas por alguns segundos antes de ir dormir e isto era suficiente para permitir que a luz se expandisse dentro da sua alma.Neste momento ns vamos ler um dos artigos do Rav, o mais srio e profundo de todos, o qual deve se tornar um manual sempre accessvel para quem deseja se unir ao Criador. Este artigo contm a Torah completa de Baal HaSulam, sua abordagem sobre a criao e tudo aquilo que uma pessoa deve perceber e guardar para sempre dentro de si.Este o primeiro artigo no livro que publiquei cujo ttulo "Shamati". chamado "No h Ningum alm do Criador"Est escrito que "no h ningum alm do Criador", o que significa que no h nenhum poder no mundo capaz de fazer alguma coisa contra Sua Vontade. E se o homem v que h coisas neste mundo, que negam o domnio do Alto, porque Ele quer assim.E considera-se uma correo, chamada "a esquerda rejeita e a direita acrescenta", significando que aquilo que o lado esquerdo rejeita considerado uma correo. Isso significa que h coisas no mundo, que por princpio esto destinadas a desviar a pessoa do caminho correto, e mant-la distanciada da santidade.O benefcio dessas rejeies que atravs delas a pessoa recebe a real necessidade e um completo desejo pela ajuda de Deus, pois v que de outra forma est perdida. No apenas ela no progride em seu trabalho, como v ainda que regride, e que lhe falta a fora para sequer observar a Torah e as Mitzvot, mesmo que no seja em Seu nome. Porque somente se superar genuinamente todos os obstculos, acima da razo, ela pode observar a Torah e as Mitzvot.Mas nem sempre ela tem a fora para ir acima da razo, porque se ocorresse o contrrio, Deus proba, ela seria forada a se desviar do caminho do Criador, e no agir pelo Seu nome. A pessoa sempre sentiu que o fragmento maior que o total, o que significa que h mais descidas que ascenses. Ela no v uma finalidade para esses apuros, e sempre se sente excluda da santidade, porque v que difcil para ela observar at mesmo uma insignificncia, se no agir acima da razo, mas nem sempre ela capaz de agir assim. E qual ser o fim de tudo isso?O Criador o nico responsvel pela criao e foi le quem criou o homem com atributos especficos e lhe deu todas as energias necessrias. le cerca o homem com um ambiente que o ajuda de modo otimizado a avanar em direo ao objetivo da criao. Alm disto, vemos que apesar deste fato, o Prprio Criador no apenas ajuda o homem diretamente, mas le tambm constantemente o confunde com problemas variados, como perder o emprego, ter problemas com a famlia, se afligir com com vrias doenas, infortnios, sofrimentos e muito mais coisas..Este tipo de relacionamento com o Criador dura bastante tempo, mas a pessoa no tem outra alternativa para avanar seno a de passar por estes estados e assim adquirir a experincia que mais tarde lhe dar a habilidade de receber a perfeiao, a eternidade, o infinito e a unidade com o Criador.Este perodo termina quando a pessoa chega concluso que somente o Criador pessolmente pode ajud-la. Esta concluso faz com que o verdadeiro pedido se estabelea em seu corao; um pedido para que o Criador abra seus olhos e seu corao e a traga para perto da unio eterna com le.O Criador quer que o homem adquira todos os atributos dos mundos, ascendendo a esses mundos a partir do nosso mundo e substituindo o Criador em cada um deles. Mas, isto no possvel sem a ajuda do Criador. Uma pessoa no pode fazer nada sozinha. Todos os sofrimentos e infortnios acontecem porque nossos desejos ou atributos so opostos aos do Criador, ou seja, opostos luz.Como resultado da oposio de atributos, tudo o que vemos em nosso mundo no existe na realidade, mas apenas a projeo dos atributos na luz. Estamos vendo nossos prprios atributos. Quando a luz vem do alto, a pessoa no a sente, mas sim sente os seus atributos negativos na luz. Para sentir a luz prpriamente, ela precisa se libertar do egoismo ou de seus obstculos.Quando uma pessoa implora por ajuda ao Criador, repentinamente se torna claro que: todas as rejeies que ela experimentou vieram do Criador".Isso significa que as rejeies que ela experimentou no aconteceram por sua culpa, ou por que no era capaz de prosseguir, mas sim porque essas rejeies so para aqueles que verdadeiramente querem se aproximar de Deus. E para que essa pessoa no se satisfaa com apenas um pouco, mais precisamente, para que no permanea como uma criana sem conhecimento, ela recebe ajuda do Alto, de modo a que no seja capaz de dizer que "graas a Deus, ela observa a Torah e pratica boas aes, e portanto, o que mais ela poderia pedir?"S se essa pessoa tiver um verdadeiro desejo, ela receber ajuda do Alto. E lhe so mostradas constantemente as suas faltas no estado presente, isto , so-lhe enviados pensamentos e opinies que trabalham contra seus esforos. Isto para que ela veja que ela no est unificada a Deus. E quanto mais ela supera, mais percebe o quo longe da santidade ela se encontra, por comparao aos outros, que se sentem unificados a Deus.Mas essa pessoa, por outro lado, sempre tem suas queixas e exigncias, e no consegue justificar o comportamento do Criador, nem o modo como Ele age com relao a ela. E isso vai lhe provocando dor, porque ela no se sente unificada ao Senhor, at que chegue a sentir que no tem participao nenhuma na santidade.E embora ela seja ocasionalmente despertada pelo Alto, e isso momentaneamente a reviva, logo ela cai novamente em um abismo. Porm, isso que lhe faz compreender que somente Deus pode ajudar e realmente atra-la para mais perto.A pessoa sempre deve tentar se aproximar do Criador, isto : tentar fazer com que todos os seus pensamentos se refiram a Ele. Isso quer dizer que mesmo que ela esteja no pior estado, do qual no possa haver uma grande queda, ela no deve abandonar Seu domnio, isto , no deve pensar que h outra autoridade que o afaste de entrar na santidade, e que tenha o poder de beneficiar ou ferir.Portanto a pessoa no deve pensar que o poder do Outro Lado (Sitra Achrah), que no lhe permite praticar boas aes e seguir os caminhos de Deus, mas sim, que tudo isso determinado pelo Criador.O Criador d golpes dolorosos em uma pessoa para faz-la retomar o objetivo da criao. Normalmante se uma pessoa se sente bem, ela se delicia com isto e no se importa com a existncia do Criador. Mas importante que a pessoa seja uma com o Criador, principalmente se ela estiver se sentindo bem. por isto que o Criador nos aplica os golpes - para que as pessoas se lembrem Dele. Quando uma pessoa se sente mal, ela, de um modo ou de outro, comea a pensar no Criador. Mas o trabalho consiste em lembrar do Criador quando se est bem.Voc pode perceber que a Cabala fala das recepes da alma, as mais refinadas. As pessoas no esperam receber golpes. Eles vem sem aviso, quando a pessoa se desliga do Criador. Cada um de ns est sob a governana pessoal do Criador. Esta governana se expressa quando ns nos esquecemos Dele. Para que nos lembremos Dele, Ele nos manda sinais especiais na forma de golpes do destino, e este o Seu modo de nos dizer que precisamos sempre dirigir nossos pensamentos em Sua direo. Nada mais requerido.Como dizia o Baal Shem Tov, aquele que afirmar que h outro poder no mundo, isto , conchas, est num estado em que "serve a outros deuses", ainda que no pense, necessariamente, em cometer o pecado da heresia; mas se ele pensa que h outra autoridade e fora, que no o Criador, desse modo ele est cometendo um pecado. Alm disso, aquele que diz que o homem tem sua prpria autoridade, ou seja, aquele que diz que ontem ele mesmo no quis seguir os caminhos de Deus, esse tambm se considera como tendo cometido o pecado de heresia. Isso significa que ele no acredita que somente o Criador conduz o mundo.No h um s pensamento que venha nossa mente, que no venha do Criador. Isto foi predeterminado no objetivo da criao, e no podemos mudar nada. Neste caso, quem sou "Eu"? "Eu" sou aquele que sente o que est acontecendo l no Alto. No incio percebemos tudo de forma confusa, e isto porque o espiritual que se encontra no Alto est entrando em ns ou no material.Mas, gradualmente isto encontra seu lugar na pessoa e comea a trabalhar, e ento ns entendemos que as coisas no podem ser diferentes. "Asceno" ocorre quando uma pessoa concorda com o que o criador est fazendo, quando ento a pessoa sente a realizao, perfeio e eternidade; ela se separa de seu corpo e se relaciona apenas com o espiritual.Quando a pessoa comete um pecado, certamente deve se lamentar por isto e se arrepender por t-lo cometido, mas aqui tambm ns devemos colocar a dor e a lstima na ordem correta: aquilo a que ela atribuie a causa do pecado, nesse ponto que ela deve se arrepender.A pessoa ento deve se arrepender e dizer: "eu cometi esse pecado porque o Criador me lanou abaixo da santidade, em um lugar imundo, no lavatrio, onde est a imundcie". Isso o mesmo que dizer que o Criador lhe deu um desejo e um apetite por se divertir e respirar o ar de um lugar mal-cheiroso. (E tambm se pode dizer, como est nos livros, que s vezes o homem encarna no corpo de um porco, e ento ele recebe um desejo e o apetite por manter-se com coisas que ele j teria decidido que eram lixo, mas agora ele novamente quer se reavivar com elas).E tambm, quando a pessoa sente que est em um estado de ascenso, e sente algum prazer no trabalho, ela no deve dizer: "agora eu estou em um estado em que compreendo que valioso servir a Deus". Melhor seria que soubesse que agora o Senhor a notou, e por isso a atraiu para Si, o que a razo pela qual ela sente prazer no trabalho. Ela deve tomar o cuidado de nunca abandonar o domnio da santidade, nem dizer que h outra fora operando, alm do Criador. (Mas isso significa que a questo de encontrar favor aos olhos do Senhor, ou o oposto, no depende do homem, mas sim, que tudo depende de Deus. E o homem com sua mente superficial, no consegue compreender por que o Senhor agora gosta dele e aps, no gostar).E igualmente quando a pessoa lamenta que o Criador no a traz para perto, ela tambm deveria ter cuidado para no se queixar por ter sido distanciada do Criador, pois fazendo assim ela se torna um recipiente para seu prprio benefcio, e aquele que recebe separado do Criador. Melhor seria que ela lamentasse o exlio da Presena Divina, isto , por infligir tristeza Presena divina.O Criador envia apenas bondades para a pessoa. Mas, quando elas passam pelo egoismo, passam a ser percebidas como ms, tais como doenas, esgotamento e outros infortunios da vida. Quando a pessoa se sente mal, ela incapaz de agradecer ao Criador ao mesmo tempo. Se uma pessoa soubesse e sentisse remorso e tristeza pelo mal que sente o Criador ao notar a diferena entre a bondade que Ele envia e o mal que a pessoa sente, ela certamente se comportaria de forma diferente, Ou, se a pessoa pudesse sentir a alegria do Criador quando ela prpria se sente bem.Em outras palavras: todos os pensamentos, todas as aes e tudo o que acontece, deve ser dirigido ao Criador. Esta a nica maneira pela qual uma pessoa capaz de sair de seu "Eu" ou seu corpo, e isto significa sua entrada no domnio espiritual.