euclides fundou a geografia trágica - sinait - site fundou a geografia...euclides fundou a...

Download Euclides fundou a geografia trágica - Sinait - Site fundou a geografia...Euclides fundou a geografia

Post on 10-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Euclides fundou a geografia trgica

    Gilles Lapouge (*)

    PARIS_ A guerra mais feroz do sculo 19 aconteceu no Brasil, no corao do serto. O serto que se estende pelo interior do Estado da Bahia um fim de mundo. Ele freqentado pelo sol e o diabo. No um bom lugar para uma guerra que se quer fazer conhecida. A de Canudos passaria despercebida se um jovem jornalista de gnio no tivesse posto seu nariz naquela solido. Esse jornalista, reprter do Estado, chamava-se Euclides da Cunha. Ele escreveu a Ilada desta Tria de taipa, o vilarejo de Canudos.

    Naquele fim de sculo, Canudos no grande coisa: cinqenta palhoas, talvez, e cus em brasa. L, alguns miserveis vivem como se agoniza, at o dia em que surge um alucinado, Antnio Conselheiro. Pessoas desse tipo pululam no serto. Antnio Conselheiro com dificuldade um messias mais perfeito que os outros. No comeo, ele logra seu mundo. Filho de um comerciante do Cear, ele um jovem severo, sbio e um pouco terno. Casa-se, faz pequenos servios, como comerciante, escrivo, solicitador. Sua mulher o engana com um policial, e Antnio desaparece no serto. Quando ressurge, aps dez anos de noite; tem a cabea, os miolos e as maneiras de um profeta. um homem barbudo, sem jeito, feio, sem aparncia, uma sombra, e com olhos revirados. Mas esses olhos fascinam. Homens e mulheres seguem Antnio. O bando decide erguer em Canudos uma Jerusalm. Ele no descansa. Cada dia, doze casas santas saem da terra maldita.

    A Repblica acaba de substituir o Imprio, ela tem necessidade de ordem. Ora os pobres do Conselheiro fomentam a desordem. A Repblica decide esmagar o profeta. Quer ensinar os desmiolados do fim do mundo a morrer; e eles morrem, mas estranho, os soldados vencedores tomam a plvora, como que enfeitiados. O Brasil se exaspera, mas o vilarejo de Canudos volta suas tarefas domsticas. A cidade de Deus prospera. Logo haver cinco mil e duzentas casas. O serto enlouqueceu. Rumo aos casebres santos convergem vaqueiros, beatos, prostitutas, jagunos. A Bahia envia ento outros soldados, que so novamente derrotados pelos vagabundos.

    Loucos de Deus_ Desta vez o Rio de Janeiro que treme. Um exrcito com canhes Krupp e metralhadoras Nordenfelt cerca Canudos. Os loucos de Deus o arrasam. Eles tm escopetas de uma outra poca, mas tomam a precauo de carreg-las com contas de rosrio que fazem maravilhas. Abatem os soldados exclamando Viva o bom Jesus!. Entre as escaramuas, batem os sinos dos crepsculos e das ressurreies. Uma ltima expedio organizada em1897. Um monstruoso exrcito abate-se sobre o vilarejo de Canudos.

    Conselheiro morre. Os soldados da Repblica, to imundos ento como os jagunos, entregaram-se a carnificina. Degolam, estripam todos os prisioneiros. Isso os fez rir A caatinga torna-se avermelhada, cheia de crnios e ossos. Na toca devastada restam quatro defensores, dos quais um velho e uma criana. Cinco mil soldados os atacam e os matam. Canudos no est mais neste mundo. Canudos est no cu.

    Geografia mrtir_ Euclides escreveu um livro barroco e luminoso, que cativa e surpreende a cada episdio, que hesita entre a tolice e o gnio, Para comear ele nos inflinge 150 pginas sobre a geografia e a geologia do Nordeste. Cunha estava imbudo do cientificismo de sua poca e da teoria dos climas. Sua idia que a guerra de Canudos e o personagem de

  • Conselheiro so simples produtos de um sol inclemente e uma terra infeliz. Ele acha que uma geografia mrtir devia engendrar um povo mrtir. Alguns sorriro com essas ingenuidades. Eles se enganariam em pular essas pginas. Mesmo fastidiosas elas so magnficas. Inventam nova disciplina, a geografia trgica.

    H coisa mais estranha. Euclides republicano encarniado, enftico e desdenhoso, homem da ordem e do progresso, apreciador da matemtica como seu nome o inclina, imbudo enfim da superioridade das raas arianas, detesta os habitantes do serto e os discpulos do Conselheiro. Profere injrias contra os negros e os ndios. Mais ainda, contra os mestios, mamelucos, mulatos, cafuzos ou caboclos, que acrescentam tolice dos negros a demncia dos sangues impuros. Os mestios so degenerados, malucos, convulsivos e esgotados. Psicticos ou necrosados, eles perderam, ao longo das geraes, as virtudes dos brancos sem adquirir o vigor dos negros. So incurveis. No surpreende que esses homens disformes, preguiosos, letrgicos e quase idiotas tenham se deixado levar pelo primeiro luntico que apareceu, erguendo-se contra a Repblica e a Cincia, comportando-se como selvagens e imbecis! A eloqncia brbara do Conselheiro no interessa em absoluto a Euclides. Ele suspeita desse tipo, que fala da Idade do Ouro, de ter sofrido influncias judaicas, que horror!

    Com essas baboseiras, como ele consegue tornar o livro to belo, to inteligente? que, ao escrev-lo, vai se queimando a si mesmo. O livro trama seu prprio auto de f. Cunha, no momento mesmo em que conta a epopia de Canudos, descobre, sem se dar conta, ou antes com raiva, a intratvel grandeza dos incurveis, dos degenerados, dos histricos de Canudos. Contra suas prprias certezas, consente que esses mulatos, que ele coloca no ltimo lugar entre os homens, so hericos e nobres. Descobre a beleza dos mestios. Admira sua habilidade, sua generosidade, sua dignidade, sua glria e sua bela esperana. Uma violenta metamorfose opera-se diante de nossos olhos: o cientista de idias secas adora o que pretende detestar. Seu canto de dio torna-se um canto de amor por aqueles que acreditava desprezar.

    Belo como Goya_ Ao contrrio, os soldados da Repblica, que antes contavam com todos os favores, passam a ser infames. Cunha est repugnado com sua nulidade, sua covardia, sua crueldade e imbecilidade dos oficiais brancos, e mesmo pelo carter vo desse combate duvidoso. Esta guerra foi um crime, ele acaba por reconhecer, com voz desesperada. O livro assume ento o tom de um Te Deum, terno e comovente, glria dos humilhados e ofendidos. O filsofo verboso vencido pelo poeta que jazia em seu interior, e esse poeta imenso. O longo relato da guerra de Canudos belo como Hieronymus Bosch, belo como Goya.

    O poeta brilhante, por exemplo quando descreve a cidade santa, da qual o prprio Conselheiro elaborou a planta.

    No uma cidade que os sertanejos construram, mas uma runa de cidade, um trapo ou um fantasma. Eles desenham um labirinto sem comeo, nem fim, sem fio de Ariadne, um pardieiro grotesco e pr-histrico. Quando os soldados da Repblica percebem o lamentvel monumento so tomados de pavor. Sentem, confusamente, que ultrapassaram uma fronteira invisvel, que saem da histria e entram no domnio do informe. No esto mais no mundo. A cidade santa uma vala de Babel. No fim, os oficiais decidem esmagar os revoltosos com descargas de dinamite. Mas como destruir moradas de p? As exploses quase soterram a cidade sobre sua prpria lama. Nesse amontoado de escombros, os soldados enlouquecem, no encontram mais as sadas.

  • So pegos na armadilha de sua vitria, enquanto no fundo das palhoas destrudas os sertanejos sobrevivem e lanam seus ltimos tiros de rosrio, Intacta, a cidade santa era frgil. Transformada em escombros, ela torna-se formidvel.

    Crime fundador_ O livro belo como o olhar cego de um vidente. Euclides da Cunha, que no quis compreender o profeta Conselheiro, tornou-se ele mesmo um profeta. Nas brumas resplandecentes do Nordeste, ele percebe os contornos que vo perturbar o sculo seguinte, o nosso. O crime fundador de Canudos prenuncia; todas as guerras que perpetraram e ganharam,nos ltimos cinqenta anos, os pobres e abandonados contra o exrcito britnico, francs, sovitico ou americano.

    Essa frase escrita h um sculo no resume a fase da histria militar na qual entramos: O exrcito sente em sua fora a razo de sua fraqueza? L, no deserto supliciado, soava a hora nova, e j o tempo dos assassinos.

    *Gilles Lapouge, jornalista e escritor, autor de obras premiadas, como Les Folies Koenigsmark (Prmio Goncourt de 1989) e Le bruit de la neige (Grande Prmio de Ensaio da Sociedade de Letras de 1996). Alm de ter morado no Brasil, correspondente em Paris do jornal O Estado de S.Paulo. Em 2002 recebeu pelo conjunto de sua obra o Grande Prmio de Literatura da Academia Francesa, uma das mais importantes premiaes literrias.