enrico bianco - .2 enrico bianco enrico bianco, nascido enrico paolo vittoria romana bianco, gosta

Download Enrico Bianco - .2 ENRICO BIANCO Enrico Bianco, nascido Enrico Paolo Vittoria Romana Bianco, gosta

Post on 08-Nov-2018

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Gabinete da Presidncia da Cmara dos Deputados | Praa dos Trs Poderes | 70160-900 Braslia DF | Brasil | www.camara.gov.br | presidencia@camara.gov.br | Tel: 55 - 61- 215 5800

    Enrico BiancoEnrico Bianco

  • 11

    Enrico BiancoFl

    ore

    s (d

    etal

    he)

    | 45

    x60c

    m |

    le

    o s

    ob

    re d

    urat

    ex |

    1997

    Apresentao

    A exposio das obras do artista Enrico Bianco um presente da Cmara dos Deputados ao pblico brasiliense e aos visitantes do Gabinete de Arte da Presidncia que comemoram, neste ms de abril, os 50 anos de Braslia e a transferncia do Congresso Nacional para a nova capital federal.

    Tal como Braslia, Bianco surge da efervescncia do movimento modernista, com proposta esttica marcante e novas formas de expresso. Nascido na Itlia, o artista, de 92 anos, migrou para o Brasil em 1936. Ainda em atividade, Bianco surpreende por seu vigor e expressividade.

    Discpulo de Cndido Portinari, colaborou com o mestre em vrias obras. Bianco demonstra em suas telas a paixo pela cultura brasileira, explorando temas do cotidiano do povo: o trabalho dos seringueiros, lavradores, boiadeiros, lavadeiras e as atividades ldicas das crianas.

    A exposio das obras de Enrico Bianco no Gabinete de Arte da Presidncia da Cmara dos Deputados, organizada pelo Centro de Documentao e Informao por intermdio do Museu da Cmara, homenageia os 50 anos de Braslia e ao mesmo tempo convida o visitante a se emocionar com pinturas que denotam toda a nossa brasilidade, o nosso orgulho de viver aqui.

    Gabinete da Presidncia da Cmara dos Deputados

    Michel TemerPresidente da Cmara dos Deputados

  • 22

    ENRICO BIANCO

    Enrico Bianco, nascido Enrico Paolo Vittoria Romana Bianco, gosta que o tratem simplesmente por "Bianco". Sempre carismtico, espontneo, bem-humorado e bom anfitrio, desta forma que nosso mestre nos recebe. Culto e muito bem informado, aos 92 anos, considera-se privilegiado por ter participado de tantas mudanas importantes no Brasil.

    Assim Bianco, natural de Roma, filho de pai parlamentar e me pianista, inicia-se nas artes aos oito anos de idade e j aos dezessete participa da quadrienal italiana de pintura, em 1935. Em 1936 migra para o Brasil, deixando para trs uma guerra iminente.

    J estabelecido no Brasil, em 1940 faz parte do movimento renovador da arte com os intelectuais Mrio de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Graciliano Ramos, Lcio Costa, Oscar Niemeyer, Carlos Leo, Heitor Villa-Lobos e outros. Participa na Seco Moderna do Salo Nacional de Belas-Artes, conquistando a Medalha de Prata. Com o pensamento no movimento modernista h uma mudana de atitudes em toda uma gerao de artistas, sociedade e poltica; o novo pensamento esttico determinante na construo de uma nova capital federal, pelos olhos de Lcio Costa e Oscar Niemeyer, com os quais conviveu.

    Pouco depois Bianco se torna discpulo de Cndido Portinari e, mais tarde, colaborador em vrias obras, por dois anos consecutivos, destacando-se desta unio o painel Guerra e Paz, para o edifcio da Organizao das Naes Unidas em Nova York, Estados Unidos.

    No decorrer desse processo, Bianco mostra-se sensvel ao sentimento da vida e cultura brasileira em temas que norteiam sua pintura. A alegria contagiante em seu trabalho. Convicto, Bianco diz: "Meus compromissos com a pintura so tantos que vrias vidas seriam poucas para satisfaz-los. A minha realidade o que sou capaz de criar, dentro das minhas necessidades estticas e com a minha vontade".

    Bianco um artista vitorioso; a coerncia, a beleza e a temtica de seu trabalho tm demonstrado a relao de amor que ele tem para com o Brasil e para conosco, brasileiros, seus admiradores. Portanto, para ns uma enorme honra apreciar esta exposio organizada pela Cmara dos Deputados por ocasio do aniversrio dos 50 anos da inaugurao de Braslia.

    Lothar Fidelis Marchand

    3

    Atelier Bianco

    Vas

    o d

    e Fl

    ore

    s | (

    det

    alh

    e) |

    100x

    70 |

    le

    o s

    ob

    re t

    ela

    | 200

    9

    Palavra do curador

  • "Na plenitude dos seus 92 anos, o pintor Enrico Bianco retrata, com talento e maestria, os valores que engrandecem a sua obra: a paixo pelas mulheres, o amor pela natureza, o respeito pelos trabalhadores annimos que constroem o Brasil. Esses, os elementos que fazem da pintura de Bianco uma das mais luminosas expresses da arte moderna brasileira."

    Marco Maia 1 Vice-Presidente

    54

    Enrico Bianco

    "Bianco um pintor de talento, dos quedesde moo se aprende a respeitar. Nolimita sua atividade a determinadossetores. Tudo na vida o interessa: o quelhe permite manifestar-se na mais variadatemtica. Foge das frmulas e dosmodismos. Companheiro de Portinari,participou, nos tempos da construo doedifcio do Ministrio da Educao e Sade,da ao do grupo dos modernistas quejuntava Mrio de Andrade, ManuelBandeira, Carlos Drummond de Andrade,Graciliano Ramos, Oscar Niemeyer, LcioCosta, Carlos Leo, os irmos Roberto eAffonso Eduardo Reidy, Villa-Lobos equantos outros aos quais se deve arenovao que teve seu ponto de partidana Semana de 22. Como artista emergenteda tradio erroneamente denominadaacadmica, a Bianco interessa a figura, apaisagem, a natureza-morta eparticularmente as cenas de campo. Cadatela mostra a maestria dos que se devotam profisso de pintor-pintor, continuandoa considerar e revelar casos e encontros.

    Pietro Maria Bardi("Artes Plsticas: seus mercados, seus leiles". So Paulo: J. Louzada, 1984)

    "Bianco , antes de qualquer coisa, umpintor. Isso no significa apenas um artista,mas um homem habilitado ao trabalho dascores e dos materiais. No existem, emtodo o Brasil, cinco (eu falei cinco) pintoresdo nvel de Bianco. Em quantos pintoresnacionais a cor apresenta aquela sutileza,a tela torna-se to objeto, to coisapalpvel? Ele senhor de seu instrumentode trabalho. No h improvisao, no hbrincadeira. Coisa rara, estamos diante deum verdadeiro profissional.Visto o primeiro aspecto, vamos ao segundo:Bianco um artista de profundasensibilidade. A cor no seu trabalho no apenas uma tcnica fria, um instrumentocapaz de ser usado com grosseria. Aocontrrio, ela degustada como uma belamulher, como uma sombra sensvel edolorosa. E juro que no frase: quemno sente nesses trabalhos onde as luzesse cruzam e interpenetram a dolorosasensibilidade das emoes?(...) Eu diria que um pintor para os quelem nas entrelinhas. artista parasutilezas. Ainda bem que o Brasil temBianco na sua linha de frente.

    Jacob Klintowitz(Parte do texto publicado na "Tribuna da Imprensa", intitulado: "Bianco: Primeira Classe" em 27/11/1970) .

  • 76

    Enrico Bianco

    (...) E os olhos de um Bianco, no nosdizem tambm de uma incessante busca,no mesmo sentido dos de Portinari, postoque serenamente?

    (...) Esses olhos cuja honestidade artsticaa lente dos culos no deforma, no sofrem,bem sentimos, das alucinaes do olharlouro do mestre de Brodovski, masperseguem a verdade com a mesmafranqueza.

    Vinicius de Moraes(Parte extrada do texto Olhos de Artistas, de 1943 ).

    "Se no me engano, foi Santa Rosa quem,num daqueles seus desprendimentoscaractersticos, disse de Portinari que agrande virtude deste era saber as coisaspor faz-las, quando outros pintoressabiam porque liam. No estrangeiro, umexemplo que me parece semelhante aPortinari e Picasso. Aqui, seria EnricoBianco que, como os outros dois mestres,d longas, exaustivas explicaes, poticasexplicaes sobre a sua arte e a arte emgeral. Acho as afirmativas de Portinariextremamente inteligentes. As explicaesde Picasso sobre as suas fases so tambmprofundamente inteligentes.As explicaes de Enrico Bianco esto nomesmo ritmo e seguem a mesma linha depoesia, a clara poesia imanente s teoriasque nos parecem corretas.

    Millr Fernandes(Parte do texto publicado na Revista "O Crizeiro", titulada como "Dentro do Caos", em 12/09/1946)

    "A pintura de Bianco tem a fora de seus 92 anos bem vividos. um primor. Para mim, em especial, ele trabalha o verde como ningum. Nas paisagens, o vento adquire uma dinmica nica e sopra na tela, dando uma sensao de movimento que nos entretm e emociona. Excelente iniciativa da Cmara dos Deputados em exaltar esse grande artista e cidado brasileiro."

    Deputado Otavio Leite, Lder da Minoria no Congresso Nacional, PSDB/RJ

  • 8 9

    Vaso de Flores | 100x70cm | leo sobre tela | 2009

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • 11

    Flores com paisagem | 70x50cm | leo sobre duratex | 1998Vaso com flores e cavalos | 25x35cm | leo sobre duratex | 1998

    10

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • 1312

    Flores | 80x60cm | leo sobre tela | 2008

    Flores | 45x60cm | leo sobre duratex | 1997

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • 1514

    Enrico Bianco

    Laranjal | 80x98cm | leo sobre tela | 2010

    Trigal | 80x100cm | leo sobre tela | 2009

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • Cristo | 60x120cm | leo sobre tela | 2009

    1716

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • 18

    18

    Ceia | 100x200cm | leo sobre duratex | 1992

    19

    Enrico Bianco Enrico Bianco

    Menino com carneiros

    leo sobre duratex1990

    25x35 cm

    Menino com carneiros60x80cmleo sobre tela2009

  • 2120

    Boiadeiros | 70x100cm | leo sobre tela | 2009 Cavalos correndo | 70x110cm | leo sobre tela | 2009

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • Boiada | 100x120cm | leo sobre duratex | 1993

    Madona | 120x90cm | leo sobre duratex | 2000

    2322

    Enrico Bianco Enrico Bianco

  • 2524

    Madona com anjos | 100x70cm | leo sobre tela | 2