edição: n 260 o - março de 2011 seminÁrio destaca a ?· carga horária de 16 para 10 horas...

Download Edição: N 260 o - Março de 2011 SEMINÁRIO DESTACA A ?· carga horária de 16 para 10 horas diárias,…

Post on 30-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1 - Edio maro de 2011 l

    Edio: No 260 - Maro de 2011

    Palavra da presidente

    Relembrar o 08 de marode 1857 quase uma obri-gao; conferncias, home-nagens e debates so reali-zados na tentativa (ainda) deacabar com o preconceitocontra a mulher, principal-mente no mbito profissio-nal/poltico.

    Apesar das diversas con-quistas, dos direitos adqui-ridos, dos cargos polticose empresarias, muitos AIN-DA NO RESPEITAM NOS-SOS DIREITOS!

    Mulheres esto mais su-jeitas a variaes de humor,sofrem de doenas tpicase relacionadas ao trabalhoe ainda tem o dom de gerara vida. Trabalham, estudam,cuidam da casa e da prole.So filhas, mes, amigas,profissionais, esposas:tudo ao mesmo tempo.Neste ms de maro a nos-sa homenagem a voc com-panheira que tem em suasmos o poder de mudar osrumos deste pas. No po-demos esquecer: ainda te-mos muito o que fazer.

    Maro o ms que omundo comemora o Dia Internacional da Mulher

    NNNNNo ltimo dia 19 de marco, oStio Escola Itamar Barbosade Oliveira, em Mogi das Cru-

    zes, foi palco do seminrio Maro Msda Mulher: a Fora da Mulher, que fezparte dos eventos promovidos pelo nos-so Sindicato em homenagem ao Dia In-ternacional da Mulher. Assim como nosanos anteriores, o auditrio esteve lotado commais de 450 companheiros e companheiras.

    Vale destacar que prestigiaram este even-to vrios lderes polticos e sindicais, que sonossos parceiros, como o vereador ClaudioPrado (PDT-SP), a vice-presidente do Sindi-cato dos Txteis de SP, sra. Marize Silva , opresidente do Sindicato do Vesturio de Cam-pinas, sr. Joo Manoel, a diretora do Sindica-to dos Metalrgicos de SP, sra. Leninha, a se-cretria de Mobilizao Nacional da AMT-PDT,sra. Maria Eugnia, o presidente do Sindicatodo Vesturio de Fartura, sr. Joserlei Gonal-ves, a secretria nacional de Sade e Seguran-a do Trabalho da Fora Sindical e tesoureirado Sindicato de Calados de Picada Caf/RS,sra. Elvira Graebin, a presidente do Sindicatodos Txteis de Campinas, sra. Janete Fussi ea presidente do Sindicato do Vesturio da Bai-xada Santista, sra. Ruth Coelho.

    Alm destes, compuseram a mesa de tra-balhos, o presidente da Fetincccovest, sr.Reginaldo de Souza, as palestrantes (depu-tada federal, Luiza Erundina (PSB-SP) e pre-sidente nacional da AMT-PDT, sra. Migueli-na Vecchio), assim como a presidente da Co-naccovest e do Sindicato das Costureiras,sra. Eunice Cabral.

    Com o tema Igualdade e Desigualdade So-cial, a deputada Luiza Erundina afirmou que oSindicato um instrumento fundamental na re-

    flexo dos companheiros e no poder de trans-formao para uma sociedade mais justa. No en-tanto, mesmo com os avanos obtidos, ela des-tacou que o Brasil ainda uma democracia in-completa. As mulheres ganham menos e so su-bestimadas, pois no reivindicam por direitosiguais em todas as instncias produtivas de nos-sa sociedade. Ao final da palestra, a deputada,que foi a primeira mulher prefeita de So Paulo,observou a necessidade de formar mulheres commaior poder de luta e reivindicao.

    A presidente da AMT-PDT, Miguelina Vec-chio, que fo i ovacionada pelas(os)companheiras(os), comeou sua palestraFora Mulher, divergindo de um ponto le-vantado por Luiza Erundina. Para mim, nsno temos 9% de mulheres senadoras e, sim,apenas mulheres de saias no Congresso.Esta crtica se deu pelo fato, segundo ela, deas parlamentares terem votado contra a le-galizao do aborto e ampliao da licenamaternidade. A palestrante tambm criticoua sociedade estereotipada, as mulheres somais fortes com a mente, com a inteligncia,com a dedicao; o corpo jamais deve estaracima do conhecimento.

    O seminrio, tambm homenageou as lderessindicais e trabalhadoras com lindos buqus deflores e com o sorteio de brindes, demonstran-do, uma vez mais, o esprito de unio, mobiliza-o e engajamento da Famlia Costureira. Eunice Cabral

    Presidente

    S E M I N R I O D E S TS E M I N R I O D E S TS E M I N R I O D E S TS E M I N R I O D E S TS E M I N R I O D E S TA C A A F O R A DA C A A F O R A DA C A A F O R A DA C A A F O R A DA C A A F O R A D A M U L H E RA M U L H E RA M U L H E RA M U L H E RA M U L H E R

  • l 2 - Edio maro de 2011

    O Jornal uma publicao do SINDICATODAS COSTUREIRAS DE SO PAULO E OSASCOSede: Rua dos Bandeirantes, 388 Bom Retiro/SPFone: (11) 3329-6300 Fax: (11) 3227-1969www.costureirassp.org.br sindicato@costureirassp.org.brSubsede : Rua Gal. Bittencourt, 124Osasco /SP Fone: (11) 3682-4607

    Presidente: Eunice CabralAssessoria de Imprensa: Amlia Cibele S. EloyJornalista Responsvel: Miriam ModestoMTB: 51582-SP

    Fotos: Mrio B. Silva /Divulgao/Arquivo do Sindicato

    Desing grfico: Maria Cludia PontesProduo : QS GraphTel.: (11) 3326-4565 Fax: (11) 3313-4095

    Impresso: Grfica do SindicatoTiragem: 33.000 exemplaresEdio: No 260 - Maro/2011

    Expediente

    T oda mulher deve ser tratada com respeito.

    Todos sabem que o preconceito um marcopresente na vida da humanidade e a mulher no

    ficou de fora, em razo dele sofreu grandes perdas.Ao longo da histria, as mulheres estiveram sem-

    pre subjugadas s vontades dos homens, a traba-lhar como serviais, sem receber nada pelo seu tra-balho ou ento ganhavam um salrio injusto, que nodava para sustentar sua famlia.

    A discriminao era to grande e sria que che-gou ao ponto de operrias de uma fbrica txtil seremqueimadas vivas, presas fbrica em que trabalhavam(em Nova Iorque) aps uma manifestao onde reivin-dicavam melhores condies de trabalho, diminuio dacarga horria de 16 para 10 horas dirias, salrios iguaisaos dos homens estes chegavam a ganhar trs vezesmais no exerccio da mesma funo.

    Porm, em 8 de maro de 1910, aconteceu na Di-namarca uma conferncia internacional feminina,onde se discutiram os assuntos de interesse das mu-lheres, alm de decidirem que a data seria uma ho-menagem quelas mortas carbonizadas.

    H poucos anos, foi aprovada a Lei Maria da Pe-nha, como resultado da grande luta pelos direitosda mulher. Mas ela no desiste de lutar pelo seu cres-cimento, o dia 8 de maro no apenas marcadocomo uma data comemorativa, mas um dia para se firmaremdiscusses que visem diminuio do preconceito, onde sodiscutidos assuntos que tratam da importncia do papel da mu-lher diante da sociedade, trazendo sua importncia para umavida mais justa em todo o mundo.

    Fonte: Portal Brasil Escola

    O Sindicato das Costureiras de So Paulo e Osas-co um retrato fiel da luta da mulher; afinal formadopor 92% de mulheres.

    NOSSA LUTA DIRIA E INCANSVEL; ACREDITAMOS NUM MUNDO MELHOR!

    Davenza

    Toque Intimo

    Tinkerbell

    Presidente Eunice participa do evento demulheres no Sindicato do Vesturio de Maringa

    Sindicato dos Metalrgicos de Guarulhos recebea Presidente Eunice Cabral para evento da mulher

    Shemil

    Marcyn

    Filon

    Crismar

    Raphy

    Aha

    Andriello

  • 3 - Edio maro de 2011 l

    Espao do PEspao do PEspao do PEspao do PEspao do Paulinhoaulinhoaulinhoaulinhoaulinho

    PRXIMO SEMINRIO:Data: 16/04/11 (sbado)Local: Stio EscolaMogi das Cruzes/SPSada: 07h00 da sede do Sindicato

    REUNIO DE SADEE SEGURANA NO TRABALHO

    by Mrio B. Silva

    O movimento sindical estconvencido que foi bastantepositiva a primeira reunio en-tre a presidenta Dilma Rous-seff e a centrais sindicais rea-lizada dias atrs em Braslia.Ela nos ouviu e exps a po-ltica de seu governo para osprximos quatros anos. Desta-cou a economia, a sade, aeducao e o projeto de erra-dicao da pobreza.

    Ela aceitou a participaodos trabalhadores na elaborao da poltica econmica dopas. Para isso, determinou a criao de uma mesa perma-nente de dilogo entre governo e trabalhadores para de ime-diato debater a desindustrializao do Brasil.

    um tema preocupante em razo do acelerado crescimentodo dficit na balana comercial. Ela entendeu nossa preocu-

    DILMA ACEITA DEBATERPOLTICA COM AS CENTRAIS

    Data: 08/ 04/2011 (sexta-feira)Tema: Reforma TributriaMinistrado Pelo Sr. Edison Luiz-Assessor no Programao deFormao SindicalLocal: Sede do Sindicato2 andar auditrioHorrio: das 18h00 s 19h00

    REUNIO DE ORGANIZAONO LOCAL DE TRABALHO

    pao e determinou ao ministro-chefe da Secretaria- Geralda Presidncia da Repblica, Gilberto Carvalho, que marcas-se logo a primeira reunio entre os trabalhadores e os minis-tros Guido Mantega (Fazenda) e Fernando Pimentel (do De-senvolvimento Industrial).

    Ela no garantiu aumentar a correo da tabela do IR dapessoa fsica acima dos 4,5% definidos pelo governo. Porm, deixou praticamente acertado que a tabela ser corrigida nosprximos quatros anos de seu governo.

    Ficou definido ainda que itens da pauta das centrais sindi-cais, como reduo da jornada de trabalho sem reduo sa-larial, fim do fator previdencirio, poltica de reajuste das apo-sentadorias, Convenes 151 e 158 da OIT, terceirizao eacidentes de trabalho sero discutidos nas reunies da mesade dilogo, que podero ser mensais.

    Paulo Pereira da Silva (Paulinho) - Presidenteda Fora Sindical e Deputado Federal (PDT-SP)

    Os trabalhadores(as) que desejam participar do nos-

    so tradicional Campeonato de Futebol j podem se ins-

    crever. Os interessados devero procurar um asses-

    sor de base entre os dias 21 de fevereiro e 15

    abril. O inicio dos jogos est previsto para maio.

    Participe desse evento que promete reve-

    lar muitos talentos e agitar a categoria.

    DE FUTEBOL J ESTO ABERTASINSCRIES PARA O 7 CAMPEONATO

    FOTOPAULINHO

    IMAGEM DO MS

    Tema: A Importncia da Ginsti-ca laboral no Trabalho, ministradapela EBA Assessoria e Sade

    Data: 25/03/11 (sexta-feira)Local: Sede do Sindicato 2 andarHorrio: das 18h00 s 19h00

  • l 4 - Edio maro de 2011

    AUTORIZAO PARA DESCONTO EM FOLHA DE SALRIOS. Como associado (a) do Sindicato das Costureiras de So Paulo e Osasco, aut