edicao 621

of 48/48
Diretor: Cesar Foffá Æ Ano XIII Æ nº 621 Parnaíba prepara seu 1º Plano de Saneamento Cidade estuda as metas para melhorar coleta e tratamento de esgoto e destino dos lixos. PÁG. B3 Empresa de reciclagem dribla a crise e refaz planos Gestão municipal não melhora condições do Parque Ecológico Fabricante de sacolas plásticas luta para vencer contratempos da economia. PÁG. A8 Após 1 ano, moradores dizem que espaços parecem abandonados. PÁG. B4 MISSÃO IMPOSSÍVEL, 5ª PARTE Em Nação Secreta, Tom Cruise e Rebecca Ferguson estão na sequência de aventura, mistérios e humor equilibrados. PÁG. C5 Nova casa de Alphaville inova nas receitas com cardápio enxuto e ambiente descontraído. PÁG. C6 BURGER ARTESANAL www.folhadealphaville.com.br facebook.com/folhadealphaville SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 O seu maior e mais completo jornal SÓA FOLHATEM ISSN 1808-8767 Mais um fim de semana sem chuva. Sexta e sábado terão sol com poucas nuvens e domingo haverá mais nebulosidade SÁBADO DOMINGO Máx. 28° Máx. 28° Máx. 26° Min. 14° Min. 16° Min. 14° INDICADORES ECONÔMICOS Euro Dólar Bovespa IPC-A R$ 3,93 R$ 3,51 -0,78% 0,62% QUI, 13 QUI, 13 QUI, 13 JUL/15 SEXTA-FEIRA Escritor fala de sua experiên- cia e desafios ao ministrar aulas em faculdade. Pág. A2 Tom Coelho Colunista avalia os erros e acertos de ‘Melhor pra Você’ da Rede TV!. Pág C4 Flávio Ricco Publicitário conta a história de uma vingança contra o amigo Leão. Pág. A2 Décio Clemente PÁG. B1 Alphaville participa da campanha contra a poliomielite Esportivo, a partir de R$ 211.450, se junta aos Série 1 e 3 e X1 já produzidos em Araquari, Santa Catarina. PÁG. C8 Mauricio Maranhão/Folha de Alphaville Parnaíba aumenta número de vereadores e de gastos O novo projeto de Emenda à Lei Orgânica de San- tana de Parnaíba propõe que a Câmara Municipal passe a ter, a partir da próxima legislatura, em 2017, 17 vereadores. O tema entrou na pauta em caráter de urgência e obteve 10 votos favoráveis e 3 absten- ções. O assunto já havia sido discutido. Em julho o projeto tinha como proposta o aumento para 19 vereadores. Após intervalo sem sessão, o projeto foi adiado para que os vereadores pudessem entrar em um consenso. Para que siga para o prefeito, que poderá sancionar ou vetar a determinação, é pre- ciso ainda uma segunda votação na Câmara. Para o presidente da Casa de Leis, não haverá aumento do orçamento. Contudo, é preciso considerar o au- mento de custos com os novos integrantes. PÁG. A4 Câmara Municipal aprovou, na última terça-feira (11), projeto que eleva para 17, dos atuais 15 legisladores, por 10 votos favoráveis CASA & CONSTRUÇÃO Folha de Alphaville SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Projetos inovadores a custos acessíveis Para a arquiteta de Alphaville, Jessica Leite, integrar ambientes e misturar estilos são tendências em projetos. Vale mesclar objetos rústicos com modernos e usar acabamentos clássicos com outros mais atuais. A profissional também prioriza o convívio em áreas sociais. Pág. 4 O MELHOR PARA MORAR, DECORAR E CONSTRUIR SUPLEMENTO ESPECIAL DA FOLHA DE ALPHAVILLE E PARTE INTEGRANTE DA EDIÇÃO Nº 621 DE 14/8/2015 Criação. Jessica privilegiou a interação entre moradores e convidados em área gourmet de apartamento ESPECIAL CASA & CONSTRUÇÃO Confira nesta edição os projetos inovadores de arquitetos de Alphaville; a estreia de um novo canal na internet com dicas para quem constrói ou reforma; e uma empresa de pisos que expande negócios para outras regiões Dólar alto muda planos de viagem e onera produtos Turistas mudam roteiros, casas de câmbio notam queda de movimento e produtos com matéria-prima importada têm reajuste de preços. Para economista, quem já planejava viajar para fora não deve desistir e sim, se planejar. PÁG. A7 Rubens Furlan é condenado pelo TRE de São Paulo Decisão tornou ex-prefeito e seu secretário de Comunicação, Antônio Júlio Baltazar, inelegíveis por 8 anos, além de multa. PÁG. A6 Carros abandonados criam ‘raízes’ em frente a residencial Em plena avenida Marcos Penteado de Ulhôa Rodrigues, há dois veículos há meses estacionados no mesmo lugar. PÁG. B5 PROJETO DE LEI PREVÊ TAXISTA CADASTRADO AO UBER Proposta do vereador Toninho Furlan (PMDB), de Barueri, que entrará em votação, vai exigir que aplicativo cadastre taxistas oficiais, regularizados, e que implante a ‘cerca eletrônica’, para limitar chamadas e evitar, por exemplo, que taxistas da capital atendam passageiros de Barueri. PÁG. A6 X3, MAIS UM BMW BRASILEIRO TEMPORADA DE ARTISTAS CONSAGRADOS Shows de Caetano e Gil, Bibi Ferreira, Toquinho e Ivan Lins e um festival de jazz têm ingressos à venda em São Paulo. PÁG. C1

Post on 23-Jul-2016

285 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Di re tor: Ce sar Fof f Ano XIII n 621

    Parnaba prepara seu1 Plano de SaneamentoCidade estuda as metas para melhorar coleta e tratamento de esgoto e destino dos lixos. PG. B3

    Empresa de reciclagem dribla a crise e refaz planos

    Gesto municipal no melhora condies do Parque Ecolgico

    Fabricante de sacolas plsticas luta para vencer contratempos da economia. PG. A8

    Aps 1 ano, moradores dizem que espaos parecem abandonados. PG. B4

    MISSO IMPOSSVEL,

    5 PARTEEm Nao Secreta, Tom

    Cruise e Rebecca Ferguson esto na sequncia de

    aventura, mistrios e humor equilibrados. PG. C5

    Nova casa de Alphaville inova nas receitas com cardpio enxuto e ambiente descontrado. PG. C6

    BURGER ARTESANAL

    www.folhadealphaville.com.br facebook.com/folhadealphaville

    SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 O seu maior e mais completo jornal

    S A

    FO

    LHA

    TEM

    ISSN

    1808

    -8767

    Mais um m de semana sem chuva. Sexta e sbado tero sol com poucas nuvens e domingo haver mais nebulosidade

    SBADO DOMINGO

    Mx.

    28Mx.

    28Mx.

    26Min.

    14Min.

    16Min.

    14

    INDICADORESECONMICOS

    Euro Dlar

    Bovespa IPC-A

    R$ 3,93 R$ 3,51

    -0,78% 0,62%

    QUI, 13 QUI, 13

    QUI, 13 JUL/15

    SEXTA-FEIRA

    Escritor fala de sua experin-cia e desa os ao ministrar aulas em faculdade. Pg. A2

    Tom Coelho

    Colunista avalia os erros e acertos de Melhor pra Voc da Rede TV!. Pg C4

    Flvio Ricco

    Publicitrio conta a histria de uma vingana contra o amigo Leo. Pg. A2

    Dcio Clemente

    PG. B1

    Alphaville participada campanha contraa poliomielite

    Esportivo, a partir de R$ 211.450, se junta aos Srie 1 e 3 e X1 j produzidos em Araquari, Santa Catarina. PG. C8

    Mau

    rici

    o M

    aran

    ho/

    Folh

    a de

    Alp

    havi

    lle

    Parnaba aumenta nmero de vereadores e de gastos O novo projeto de Emenda Lei Orgnica de San-tana de Parnaba prope que a Cmara Municipal passe a ter, a partir da prxima legislatura, em 2017, 17 vereadores. O tema entrou na pauta em carter de urgncia e obteve 10 votos favorveis e 3 absten-

    es. O assunto j havia sido discutido. Em julho o projeto tinha como proposta o aumento para 19 vereadores. Aps intervalo sem sesso, o projeto foi adiado para que os vereadores pudessem entrar em um consenso. Para que siga para o prefeito, que

    poder sancionar ou vetar a determinao, pre-ciso ainda uma segunda votao na Cmara. Para o presidente da Casa de Leis, no haver aumento do oramento. Contudo, preciso considerar o au-mento de custos com os novos integrantes. PG. A4

    Cmara Municipal aprovou, na ltima tera-feira (11), projeto que eleva para 17, dos atuais 15 legisladores, por 10 votos favorveis

    CASA & CONSTRU

    O

    Folha de Alpha

    ville

    SEXTA-FEIRA,

    14 DE AGOSTO

    DE 2015

    Projetos inova

    dores a custos

    acessveis

    Para a arquite

    ta de Alphavil

    le, Jessica Leit

    e, integrar amb

    ientes e mistur

    ar estilos so

    tendncias em

    projetos. Vale

    mesclar objeto

    s rsticos

    com modernos

    e usar acabam

    entos clssico

    s com outros m

    ais atuais. A pr

    o ssional tamb

    m prioriza o c

    onvvio em re

    as sociais. Pg

    . 4

    O MELHOR PAR

    A MORAR, DECO

    RAR E CONSTRU

    IR

    SUPL

    EMEN

    TO E

    SPEC

    IAL

    DA

    FOLH

    A D

    E AL

    PHAV

    ILLE

    E P

    ARTE

    INTE

    GRA

    NTE

    DA

    EDI

    O N

    62

    1 D

    E 14

    /8/2

    015

    Criao.

    Jessica privileg

    iou

    a interao ent

    re

    moradores e

    convidados em

    rea gourmet d

    e

    apartamento

    ESPECIAL CASA & CONSTRUOCon ra nesta edio os projetos inovadores de arquitetos de Alphaville; a estreia de um novo canal na internet com dicas para quem

    constri ou reforma; e uma empresa de pisos que expande negcios para outras regies

    Dlar alto muda planos de viagem e onera produtosTuristas mudam roteiros, casas de cmbio notam queda de movimento e produtos com matria-prima importada tm reajuste de preos. Para economista, quem j planejava viajar para fora no deve desistir e sim, se planejar. PG. A7

    Rubens Furlan condenado pelo TRE de So PauloDeciso tornou ex-prefeito e seu secretrio de Comunicao, Antnio Jlio Baltazar, inelegveis por 8 anos, alm de multa. PG. A6

    Carros abandonados criam razes em frente a residencialEm plena avenida Marcos Penteado de Ulha Rodrigues, h dois veculos h meses estacionados no mesmo lugar. PG. B5

    PROJETO DE LEI PREV TAXISTA CADASTRADO AO UBERProposta do vereador Toninho Furlan (PMDB), de Barueri, que entrar em votao, vai exigir que aplicativo cadastre taxistas o ciais, regularizados,e que implante a cerca eletrnica, para limitar chamadas e evitar, por exemplo, que taxistas da capital atendam passageiros de Barueri. PG. A6

    X3, MAIS UM BMW BRASILEIRO

    TEMPORADA DE ARTISTAS

    CONSAGRADOSShows de Caetano e Gil, Bibi Ferreira, Toquinho e Ivan Lins e um festival de

    jazz tm ingressos venda em So Paulo. PG. C1

  • A2 | SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    EditorialA tal da sustentabilidade

    Em tempos em que a susten-tabilidade est na pauta de todas as esferas de poder, a edio da Folha de Alphaville destaca trs reportagens sobre o tema. Um dos mais importantes se refere ao primeiro plano municipal de saneamento bsico que est sen-do preparado pela secretaria de Planejamento e Meio Ambiente da cidade, pioneiro, mas mais do que necessrio. Apenas 20% do esgoto da cidade coletado e so-mente 5% tratado. Ou seja, 15% do esgoto que coletado joga-do no rio. Por isso a importn-

    cia em estabelecer metas para a concessionria Sabesp e acabar de uma vez por todas com essa de cincia. Ainda esto no pro-jeto a coleta e a destinao de lixos, incluindo o chamado lixo verde (resduos de poda, corte de rvores e plantas em geral).

    Tambm chama a ateno a falta de infraestrutura do Par-que Ecolgico Tiet, que h um ano passou a ser administrado pelos municpios de Santana de Parnaba e Barueri (antes era do Estado), e que no apresenta atrativos. Playground sucatea-

    do, bebedouros secos, churras-queira depredada e tantos outros problemas encontrados pela re-portagem afastam os moradores da regio, que preferem visitar parques da capital (Villa Lobos ou Ibirapuera) com mais recur-sos e funcionalidades. Lamen-tvel que 1,7 milho de metros quadrados de rea verde sejam pouco aproveitados por morado-res de Alphaville.

    Por fim, uma pequena em-presa de reciclagem que tenta, como tantas outras, sobreviver crise, mostra como a susten-

    tabilidade ainda carece de mais incentivos. O dono de uma fbri-ca de sacolas plsticas na regio reclama que no h contraparti-da por utilizar material reciclvel e ainda teve de mudar os planos de crescimento para conseguir sobreviver e pagar as contas, como a da luz, por exemplo, que quase dobrou.

    Como se v, a sustentabili-dade um tema relevante, mas que ainda est em estudos ou merece ateno das autorida-des para melhorar a qualidade de vida da populao.

    CHARGE

    Folha de Alphaville

    www.folhadealphaville.com.br

    As cartas e os ar ti gos as si na dos no re e tem, ne ces sa ria men te, a opi nio do jor nal. Por mo ti vo de es pa o, as car tas so editadas. Dis tri buio: Re si den ci ais e re as co mer ci ais de Alpha vil le, Tam bo r, Al deia da Ser ra e de mais re as de Ba ru e ri e San ta na de Par na ba Im presso: Me tro m dia Gr ca - Av. Tu cu na r, 955 - Tam bo r - Ba ru e ri - SP - Tel.: 4193-5357

    GRU PO ME TRO M DIA DE CO MU NI CAO32 anos de fundaoAvenida Sagitrio, 138, salas 208 a 212, Condomnio Alpha Of cesTorre London, Alphaville, Ba ru e ri, SP Te le fo ne: 4208-1600 / 2424-7540

    OPINIO

    DLARA moeda norte-americana caiu aps aumento da atuao do Banco Central. O valor comercial nesse dia foi de R$ 3,508.

    ARGENTINADaniel Scioli, candidato apoiado pela presidente Cristina Kirchner, lidera as eleies primrias argentinas.

    EM QUEDAAs vendas do comrcio varejo fecharam junho com queda de 0,4%, em comparao a maio e 2,2% no acumulado do ano.

    LAVA JATOO lobista Hamylton Padilha, agora ru em processo ligado Lava Jato, se comprometeu com o Ministrio Pblico Federal a pagar multa de R$ 70 milhes.

    EM ALTASegundo o Secovi, as vendas de imveis em So Paulo cresceram 20,4% em relao a maio e 141,4% comparadas a junho/14.

    HAITIANOSSeis haitianos foram baleados com arma de chumbinho no em So Paulo, na rua Glicrio. O ato foi motivadopor xenofobia.

    ENERGIAGoverno anuncia investimentode R$ 186 bilhes em energia entre agosto de 2015 e dezembro de 2018.

    x RESUMO DA SEMANASEXTA, 7 SBADO, 8 DOMINGO, 9 SEGUNDA, 10 TERA, 11 QUARTA, 12 QUINTA, 13

    Tom Coelho educador, palestrante em gesto de pessoas e negcios, escritor e autor de sete livros. colunista da Folhade Alphaville desde 2005.

    TOM COELHO

    Carlos Andr de Souza

    A inovao no Brasil ocupa posies de re-taguarda na economia mundial. Temos que olhar para a frente, com a capacidade de recuperar a economia e ampliar os investi-mentos em cincia, pesquisa e inovaoAldo Rebelo Ministro da Cincia, Tecnologia e Inovao sobre competitividade

    Ela reconhecer que a crise que ns atraves-samos decorre de dois tipos de equvocos, na poltica econmi-ca e na conduo da campanha. Tem que reconhecer que houve medidas que provoca-ram a criseCristovam Buarque (PDT)Senador, sobre carta entregue Dilma com sugestes contra crise

    ENTRE ASPAS

    DCIO CLEMENTEHISTRIAS DA PROPAGANDA

    Dcio Clemente presidente daDclemente Publicidade e comentarista

    M inistrar aulas era um desejo recorrente. No que realizar palestras fosse in-su ciente para amainar meu esprito. Mas o corao sentia a necessidade de um contato mais prximo, estreito e con-tnuo com a plateia. At que surgiu o convite para ocupar uma cadeira numa instituio de ensino superior.

    Ousado, impus uma nica condio: Quero a ltima aula da sexta-feira noite. O coordenador do curso julgou inslito o pe-dido, questionando-me. A resposta: Porque pretendo concorrer com o boteco que vende a refrescante cerve-ja, com as cartas do diver-tido truco e com o cansao natural que abate a todos quando a semana se finda.

    Novas propostas para conter crise so aceitas por Dilma

    FIM DE SEMANA:Na sexta e no sbado, a previso de sol com poucas nuvens e nenhuma chuva. J no domingo, de sol e muitas nuvens tarde. noite o cu ainda ca com muita nebulosidade, mas no chove.

    NA SEMANA:Durante o comeo da semana, no h grandes alteraes de clima. Na se-gunda, tera e quarta-feira, h sol com nuvens, e o tempo continua seco, sem probabilidade de chuvas.

    TEMPO

    SEXTA-FEIRA14/8

    SBADO15/8

    DOMINGO16/8

    SEGUNDA17/8

    14

    13

    13

    14

    28

    27

    27

    29

    Se minha aula tiver qurum ser porque estou no cami-nho certo. Meu problema ini-cial seria ir alm de conquistar a ateno e assiduidade dos alu-nos. Era preciso convenc-los da necessidade de aprendizado. E, para isso, seria imprescindvel iniciar a aula s 21h. Pensando nisto, acrescentei novos aliados ao apagador e ao giz. Um balde vazio e outro com gua, um copo descartvel e uma toalha. Primei-ro dia de aula e apresento as re-gras do jogo. Entrar na sala aps as 21 hs: gua! Fumar, beber ou comer durante a aula: gua! Fa-lar ao celular: gua!

    A palavra gua assumiu status de signo. Passou a simbo-lizar ser gentilmente batizado com um copo de gua entorna-do na fronte do aluno infrator. Mas o ponto alto deste procedi-mento deu-se na terceira aula de sua aplicao, quando o expe-diente corria o risco de virar uma grande galhofa, convertendo a proposta disciplinadora em uma

    ao anarquista. Minha interven-o: Podemos encarar este ritode duas maneiras. De forma l-dica, como uma grande brinca-deira que leva ao riso fcil. Comoum aprendizado. Quero que vo-cs percebam quando levaremgua na cabea um sentimentode frustrao. Porque na vidareal, advogados perdero pra-zos para interpor recurso. Pro-fissionais de vendas chegarotardiamente para uma licitao.Executivos chegaro atrasados auma reunio com um cliente. Emtodos estes casos, sero pessoasque, talvez por um nico minu-to, tero levado gua na cabe-a, perdendo receitas, ceifandoempregos e comprometendo suaprpria autoestima.

    Desde ento, tenho a salacheia, at o nal da aula. E cadavez menos alunos precisam le-var... gua na cabea!

    gua na cabea

    Nen, um amigo publicitrio, foi apelidado de Leo. No porque tinha muito cabelo, mas por causa de suas brincadeiras idiotas. Nesse quesito ele era con-siderado o rei dos animais. Todos ns, um dia, queramos dar o tro-co no Leo. Na verdade, quera-mos vingana por tudo o que ele j havia aprontado conosco.

    Para exempli car, quem po-deria ter empurrado o Beto em uma piscina, de terno e gravata, cinco minutos antes de uma festa de formatura? Quem poderia ter colocado fogo na rvore de Na-tal mais iluminada da nossa rua? Quem poderia ter escondido o sapato do sr. Clvis, pai de um de nossos amigos, durante a missa de stimo dia da sua esposa? O Leo fez tudo isso. Mas um dia, Leo anunciou que iria se casar e que queria fazer uma festa de

    despedida de solteiro com caipi-rinha, cerveja e muita baixaria. E foi o que ele fez, porque cada um que chegava era recebido por ele com ovos, gua e farinha na cara. E da para frente, foi s brincadeiras de mau gosto. A noite foi avanando, todo mundo bebendo e o Leo cada vez mais de porre, at que ele caiu duro, desmaiou, e tivemos que lev--lo correndo ao pronto-socorro, onde nosso amigo Murilo, mdi-co recm-formado, dava planto.

    Ao chegarmos, nosso amigo aplicou-lhe uma injeo de glico-se e colocou o Leo para dormir. At que algum sugeriu ao nosso Dr. Murilo aprontar alguma coisa com o Leo, que dormia feito um hipoptamo. Tivemos a ideia de engessar a perna dele para que quando acordasse, pensasse que a tinha quebrado na festa de despedida de solteiro. E, com o nosso Dr. frente, a perna do Leo foi engessada do p at na virilha. Quando ele acordou, fa-lamos sobre o acidente e ele cou

    Leo, o Rei dos Animaispreocupadssimo por causa do casamento.

    Mas claro que combinamos que algumas horas antes algum o avisaria sobre a nossa maldosa brincadeira. No dia seguinte, na igreja, cada um que entrava via o Leo no altar com uma bota branca no p esquerdo, com a perna dura e de muletas. Nin-gum tinha avisado o Leo e, naquela altura, ningum teve coragem de falar. Resumindo, ele casou e foi para a lua de mel com a perna engessada. Depois de uns 20 dias, recebeu um tele-fonema avisando o que a perna no estava quebrada. O Leo foi tirar o gesso, mas teve que de fa-zer sioterapia porque sua perna havia atrofiado. Ele continuou nosso amigo e nunca reclamou, mas sua enfurecida esposa, cha-mada por ns de dona Ona, dis-se que a lua de mel foi horrvel!

    PANORAMA NACIONAL

    A Agenda Brasil foi apre-sentada nessa tera-feira (11), no plenrio do Senado, pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB - AL). As propostas, que inicialmente eram 17, foram atualizadas durante a semana e apresen-tadas pelo Senado como 48, aps receber o ministro da fazenda, Joaquim Levy, nes-sa quinta-feira (13). O plano tem o objetivo de retomar o crescimento econmico, au-mentando a confiana dos investidores no pas, e de realizar reformas necessrias para que o Brasil supere a cri-se atual.

    A viso do Planalto que as sugestes so a chan-

    ce do Executivo para mostrar uma agenda positiva que tire o foco das ameaas de impea-chment contra a presidente. Para o peemedebista, ela deve ser ampla a ponto de reunir as foras polticas em torno dela.

    PAUTA POLMICA As propostas abordam te-

    mas como a melhoria de prote-o social, do equilbrio fiscal e do ambiente de negcios, e inclui outros polmicos, como a possibilidade de regulamen-tar a terceirizao. Segundo Re-nan, no ser um liberou ge-ral, mas uma regularizao de

    quem j atua de maneira tercei-rizada. O pas no pode ignorar que existem hoje 13 milhes de trabalhadores terceirizados, a rma Calheiros. No trecho so-bre os programas sociais, o do-cumento propunha melhorias para o SUS. Sobre Previdncia Social, o texto sucinto e fala sobre ampliar a idade mnima para aposentadoria, sem maio-res detalhes.

    A presidente Dilma no falou diretamente sobre a atuao de Cunha, que rompeu com o go-verno h trs semanas, aps ter sido delatado por envolvimento na Lava Jato. Ele resiste pauta de Renan e classifica o projeto como uma tentativa de criar constrangimento Cmara, e no como um pacote que salvar o governo da crise. No d para se achar que s o Senado funcio-na ou s a Cmara funciona.

    A lista com a proposta com-pleta pode ser conferida no site do Senado (www12.senado.leg.br), na seo Matrias > Especial.

    Renan Calheiros apresenta a Agen-da Brasil e detalha as propostas

  • SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | A3Folha de Alphaville

  • A4 | POLTICA | SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    Thieny [email protected]

    SILNCIO. Aps duas semanas de recesso, projeto sequer foi citado na sesso de 4 de agosto. Nesta semana entrou na pauta em carter de urgncia

    56MIL VOTOSVlidos, aproximada-mente, foram computados nas eleies de 2012 em Santana de Parnaba

    Vereadores aprovaram, em segunda votao, o Projeto de Diretrizes Oramentrias

    HOTEL IBIS BUDGET

    TAMBOR

    Av. Dr. Marcos Penteado de Ulha Rodrigues, 1055T. 11 4208 9700

    DIRIA NO FINAL DE SEMANAA PARTIR DE:

    R$115PARA AT 3 PESSOAS

    EM AT 3X

    sabe

    r5.co

    m

    Reserve em:ibis.com

    N em 15, muito menos 10 (a -nal, um grupo de vereado-res deve ser composto por um nmero mpar), o novo projeto de Emenda Lei Orgnica de Santana de Parnaba determina que a Cmara Municipal dever ser composta, a partir da prxi-ma legislatura, por 17 vereado-res, pelo menos, vai nessa dire-o, de acordo com a votao da

    Eleio 2016 Nova redao ao art. 12 da Lei Orgnica prev aumento de 2 cadeiras na Casa de Leis, a partir da prxima legislatura

    Projeto passa de 19 para 17 vereadores

    ltima tera-feira (11), quando o projeto entrou na pauta em ca-rter de urgncia e obteve 10 votos favorveis e 3 abstenes.

    Embora a discusso seja antiga, a mudana no nmero de cadeiras na Casa de Leis en-trou para pauta no dia 14 de ju-lho. Na ocasio, o projeto tinha como proposta o aumento de 15 para 19 parlamentares.

    Depois disso houve um in-tervalo de duas semanas sem sesso e a promessa era que

    a segunda votao do projeto fosse feita em 4 de agosto, mas, segundo Ronaldo Santos (PSB), presidente da Casa de Leis, o projeto foi adiado para a pedi-do dos parlamentares, para que houvesse um consenso.

    Para que esse projeto che-gue ao Executivo, que dever sancionar ou vetar a determina-o (neste caso ela volta ao Le-gislativo, que votar na quebra ou no do veto), preciso ainda uma segunda votao.

    DebateVale relembrar que a dis-

    cusso traz tona alguns pon-tos. Os favorveis destacam o aumento de representatividade dos bairros do municpio. Mas h ainda uma questo eleitoral. Quanto maior o nmero de ca-deiras, menor o coe ciente elei-toral, o que facilita a entrada de novos vereadores, ou pode ain-da auxiliar na reeleio de ou-tros parlamentares. Ressaltan-do ainda que vereadores no so eleitos, necessariamente, por voto direto, mas por partido ou coligaes que atingem esse coe ciente. Existe ainda o coe- ciente partidrio, atravs dele os partidos mais votados garan-tem mais cadeiras na Casa.

    Os discursos contrrios ao aumento, que surgiram quando a proposta era o acrscimo de 4 vereadores Cmara, a rma-vam que a mudana resultaria em mais gastos ao Poder Legis-lativo, que hoje tem em mos R$ 21 milhes, 3% do oramen-to municipal. No entanto, se ao nal do ano h uma sobra desse montante, ele retorna administrao municipal, que pode redirecionar essa quantia.

    Hoje um vereador recebe R$ 7.400 e conta com 6 assessores. S os salrios de 2 vereadores resultariam em R$ 177.600 ao ano, e esse valor ser reajusta-do para o prximo mandato.

    Independentemente de 19 ou 17, Ronaldo garantiu que no haver acrscimo no repas-se Cmara, mesmo que a te-nha direito a 6% do oramento,

    e a rmou ainda que o recurso e a mo de obra sero rede ni-dos, ou seja, se h 90 assesso-res para 15, esse nmero dever ser dividido por 17.

    Outros parlamentares, no entanto, negaram que isso aconteceria e disseram sequer terem conhecimento sobre essa possvel redistribuio.

    ExecutivoPara o prefeito Elvis Cezar

    (PSDB), que foi eleito verea-dor em 2012 com 3.719 votos, a medida no legtima. Cer-tamente haveria aumento no oramento, exceto se a Casa concordasse com a reduo de seus custos ou dos salrios dos parlamentares, a rmou em comunicado. Estamos em um momento econmico que exige

    POLTICA Deputado pede manuteno da CPTMO deputado estadual Gil Lancaster (DEM) pediu CPTM por melhorias nas estaes Antnio Joo, Jardim Belval e Jardim Silveira, todas situadas em Barueri.

    cautela e responsabilidade nouso das verbas pblicas. Seriair na contramo do sensato.

    Quando deixou a Cmara para assumir a prefeitura, ain-da como interino, Elvis foi subs-titudo por seu suplente Z Car-doso, que obteve 408 votos eassumiu de fato a cadeira apsa diplomao do atual prefeito.

    Nepotismo Na mesma sesso, tambm

    foi votado o PL n 103/2015, queprobe o nepotismo nos pode-res Executivo e Legislativo domunicpio. Com base nessa lei,de autoria de ngelo da Silva(Pros), seria considerada ilegala nomeao de Marmo Cezar,pai do prefeito Elvis, como se-cretrio de Assuntos Estratgi-cos da cidade.

    Atualmente a contratao de parentes para esse tipo decargo autorizado pela SmulaVinculante n 13. Essas smu-las so elaboradas a partir dedecises tomadas anteriormen-te sobre o mesmo assunto.

    Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    EMENDA LEI ORGNICA: 17 VEREADORES

    Dr. Rogrio PC do BVotos: 718

    Guilherme Correia DEMVotos 1.185

    Gino Mariano PRTBVotos: 1.007

    Alemo da Banca SDDVotos: 962

    Amncio Neto PSDBVotos: 577

    ngelo da SilvaPROSVotos: 1.366

    Chiquinho MiguelPTBVotos: 1.190

    Agnaldo MorenoDEMVotos: 1.454

    Rgis Salles PMDBVotos: 1.720

    VicentoPMDBVotos: 1.366

    Nequinho Desanti SDDVotos: 1.145

    Nilson Martins SDDVotos: 490

    Z CardosoPSDBVotos: 408

    Marcos TonhoPSDB (faltou)Votos: 475

    Ronaldo Santos PSB

    Presidente(no vota)Votos: 1.479

    SE ABSTIVERAM NO VOTARAM

    FAVORVEIS

    Projeto prev que a Casa de Leis passar de 15 para 17 parlamentares. Abaixo, os vereadores, suas posies e por quantos votos foram eleitos em 2012

    Fonte: TRE

  • SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | A5Folha de Alphaville

  • A6 | POLTICA | SEXTA-FEI RA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    Fotos: Maurcio Maranho/Folha de Alphaville

    Os mo-toristas do Uber, com seus carres, acabam atraindo as melhores corridas

    Wanderlei Dias da Costa Taxista

    Tem que proibir o uso por quem no taxista de verdade. Esse pesso-al no paga imposto como ns

    Laudelino NetoTaxista

    Dra. Kelly Greice Moreira Farina*

    O DBITO DE CONDOMNIO E O VENDEDOR DO IMVEL

    vendi meu imvel, mas no outorguei a escritura de nitiva. Ainda respondo pela dvida?

    Depende. Devolvo a pergunta com outra pergunta: voc informou administrao do condomnio? A obriga-o de pagamento de quotas condominiais de responsa-bilidade do proprietrio do imvel. Esta obrigao cha-mada de obrigao propter rem, porque obrigao real decorrente da relao entre o devedor e a coisa, ou seja, a obrigao de responsabilidade daquele que o titular do bem. Assim, o condomnio deve, em princpio, cobrar o dbito das quotas condominiais daquele que gura como proprietrio, perante a matrcula do imvel, no respectivo Cartrio de Registro de Imveis da circunscrio respecti-va. praxe o fornecimento de cpia da matrcula atualiza-da s administraes dos condomnios, para atualizao de cadastro e autorizao de ingresso dos novos titulares dos bens imveis. procedimento regular, de notria e in-questionvel necessidade.

    Porm, muitas vezes, os imveis so negociados por intermdio de instrumento particular (compromisso de venda e compra, promessa de venda e compra, cesso de direitos aquisitivos, etc., em conjunto com outorga de pro-curao), deixando-se para momento posterior a outorga de escritura de nitiva do imvel. Assim, durante este pe-rodo intermedirio, em que o imvel foi vendido mas ain-da no foi escriturado e registrado, na grande maioria dos casos, as partes negociantes no do cincia a terceiros, nem mesmo ao condomnio. Neste caso, na necessida-de de cobrana judicial do eventual dbito condominial, poder o antigo proprietrio ser apontado como devedor, gurando no plo passivo da ao judicial de cobrana de quotas condominiais em lugar do novo titular do imvel, sem a possibilidade de pleitear sua excluso.

    certo que o comprador passa a ser titular de direitos e obrigaes referentes ao imvel, porm, como o instru-mento que formalizou a negociao imobiliria de cin-cia restrita s partes envolvidas, no h como imputar a cincia da situao a quem no foi comunicado, no caso o condomnio. Assim, para que o vendedor/promitente vendedor no seja alcanado por futuro dbito da unida-de condominial que tenha alienado, deve ter o cuidado de providenciar e informar a administrao do condomnio sobre o negcio realizado, evitando-se, assim, ser chama-do a responder por dvida que recai sobre imvel do qual no mais o responsvel.

    (*) Dra. Kelly Greice Moreira Farina advogada no Farina Advogados Associados, que fica na Alameda Tocantins, 75, Conjunto 601/602, Alphaville, Barueri. Informaes pelos telefones 4195-0075 e 4195-3687 ou pelo e-mail [email protected]

    J

    O Tribunal Regional Elei-toral de So Paulo (TRE-SP), na sesso de quinta-feira (6), condenou o ex-prefeito de Ba-rueri Rubens Furlan, eleito em outubro de 2008 pelo Partido do Movimento Democrtico Brasileiro (PMDB), por con-duta vedada e abuso de poder poltico e econmico durante o perodo eleitoral de 2012.

    A deciso, por maioria de votos, tornou o ex-prefeito e seu secretrio de Comunica-o, Antnio Jlio Baltazar, inelegveis por oito anos, apli-cando-lhes multa de R$ 75 mil e R$ 50 mil, respectivamente.

    Conforme o julgamento, durante a campanha eleitoral de 2012, houve gasto pblico com publicidade institucional em perodo vedado (trs me-ses antes do pleito) no jornal o cial de Barueri, ao divulgar obras e servios realizados na gesto.

    Tambm foram distribu-dos convites para diversas inauguraes de obras p-blicas em datas prximas ao pleito.

    De acordo com os juzes, os candidatos a prefeito, Car-los Zicardi, e a vice, Cilene Rodrigues Bittencourt, foram bene ciados pelo apoio do ento prefeito Furlan. Ambos tiveram como penalidade im-posta a cassao dos seus re-gistros de candidatura, uma vez que caram em segundo lugar no pleito, com 68.761 vo-tos (41,21% dos votos vlidos).

    Furlan j foi eleito prefei-to de Barueri em quatro opor-tunidades, alm de ter exer-cido os cargos de vereador, deputado estadual e federal. A reportagem da Folha ten-tou contato com o ex-prefei-to, mas no foi atendida.

    Da deciso, cabe recurso ao TSE.

    Rubens Furlan condenado pelo TRE de SP

    Justia

    A ntes mesmo de entrar em votao na Cmara, um projeto de lei do vereador To-ninho Furlan (PMDB) sobre o uso do aplicativo Uber em Ba-rueri conecta as pessoas com motoristas particulares de car-ros de luxo j tem causado polmica na cidade.

    A inteno no proibir, no sou contra o Uber. A pro-posta exigir que cadastrem taxistas o ciais, regulariza-dos, e que implantem a cha-mada cerca eletrnica, que j funciona em So Paulo, para limitar as chamadas dentro de cada cidade e evitar, por exemplo, que taxistas da ca-pital paulista atendam pas-sageiros de Barueri, explica o vereador, comentando que o projeto j deveria ter sido votado na Casa de Leis. Esta-mos somente dependendo da boa vontade do jurdico para emitir um parecer e, ento, colocar em votao.

    De acordo com o vereador, em bairros como Alphaville, comum ver carros de luxo transportando passageiros, principalmente em horrios de pico e nas proximidades de

    Barueri Vereador do PMDB pretende fazer com que aplicativo cadastre taxistas regularizados e limite territrio de atuao

    Cmara votar projeto de Furlan sobre uso do Uber

    hotis. No podemos permi-tir isso. O objetivo preservar o trabalho dos taxistas cre-denciados, enfatiza Furlan.

    Taxista h quatro anos, Wanderlei Dias da Costa con-ta que o rendimento mensal do carro no qual trabalha, dirigido por ele e um outro motorista, em turnos alter-nados, teve queda de 40%, pelo menos. Os motoristas do Uber, com seus carres,

    acabam atraindo as melhores corridas. Ficam em portas de hotis, que contribuem para isso, reclama, comentando que no barato estar lega-lizado, pagando imposto, tendo carro de acordo com as exigncias, entre tantos ou-tros fatores.

    J para o taxista Laudelino Gonalves Simes Neto, ape-nas cadastrar regularizados no ser o su ciente. Tem que proibir o uso por quem no taxista de verdade. Esse pessoal clandestino no

    Projeto depende de avaliao do jurdico da Cmara de Barueri para ser votado na cidade

    paga imposto, no faz curso preparatrio como a gente. No queremos nos adequar a eles, diz.

    E alm da proibio, o ta-xista h mais de 30 anos Jos Ruiz Oliveira Moreno comen-ta sobre a necessidade de a prefeitura de Barueri rever os procedimentos para con-cesso de alvar. Sou taxis-ta faz todo esse tempo, mas no tenho meu carro prprio porque no consigo alvar. Trabalho como motorista de txi, explica. Em Barueri, h trs empresas credenciadas de acordo com os taxistas: Central Rdio Txi, que atua em Alphaville, Barueri Rdio Taxi e Baru Txi.

    PolmicaO Uber j foi proibido

    em locais como So Paulo e Campinas. Na capital, recen-temente, no sbado (8), um motorista do Uber foi agredi-do por taxistas. Esse tipo de ocorrncia tambm foi regis-trado em Minas Gerais e em Braslia, recentemente.

    Alm do Brasil, o Uber usado em outros 58 pases, em mais de 300 cidades. No pas, tem ganhado repercus-so desde o incio do ano.

    CHAMADA. Aplicativo permite chamar motoristas particulares que usam carros de luxo para o transporte

    Michele [email protected]

  • C om o dlar ultrapassando R$ 3,50, alguns setores da economia tm percebido mu-dana de comportamento dos consumidores.

    Em agncias da CVC, in-cluindo unidades de Alpha-ville, os clientes esto mais criteriosos quando se trata da escolha do destino e as via-gens domsticas tm ocorrido mais para regies dentro do prprio pas. O Nordeste lide-ra o ranking de preferncia, de acordo com informaes da assessoria de imprensa da companhia de viagens.

    J em casas de cmbio como a Vision, com unidade no AlphaSquare, em Alpha-ville, o impacto percebido nas operaes de compra e venda da moeda americana. Tivemos uma queda consi-dervel nas vendas, de 28% considerando o primeiro se-mestre do ano, tambm, a r-ma o diretor Paulo Otaviano de Silva.

    Segundo ele, quem j est com viagem marcada, tem comprado dlar gradativa-mente, de acordo com os altos e baixos. Mas as pessoas no esto cancelando viagem, pelo o que temos acompa-nhado. Apenas comprando menos dlar do que haviam planejado, pontua.

    As vendas, em contrapar-tida, aumentaram na casa de cmbio. Foi um aumento de leve, nada to expressivo. Mas tem, sim, mais gente ven-dendo dlar nesse perodo, complementa o diretor da Vi-sion.

    Sem pnicoNa viso do economista

    e professor da Universidade Mackenzie, Agostinho Celso Pascalicchio, as pessoas no devem entrar no pnico do mercado.

    No vale a pena desmar-car uma viagem. A pessoa pode ir comprando gradativa-mente, aproveitando a utu-ao. E o dlar no deve che-gar a R$ 4 at o m do ano, avalia, explicando: Em 2015, tivemos mudana na poltica econmica e o Banco Central deixou de intervir no mercado de dlar. Estamos com uma poltica de realismo cambial, em busca do aumento da con- ana na economia do pas.

    De acordo com o especia-lista, esses so os principais fatores que justi cam a u-tuao do dlar em um novo patamar, mais alto se compa-rado com 2014, quando ain-da havia uma poltica mais desenfreada de incentivo ao consumo. Os economistas tm opinies favorveis e

    SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | ECONOMIA | A7Folha de Alphaville

    Divulgao

    contrrias s aes do minis-tro Joaquim Levy. Eu, particu-larmente, acho que ele deve continuar na linha que tem adotado, a rma Agostinho.

    A alta da moeda america-na, no entanto, tem impacto em todas as commodities, segundo o economista, e isso precisa ser considerado. At o pozinho deve car mais caro, pois o trigo matria--prima importada. A pizza tambm pode sofrer alta, exempli ca.

    Segundo ele, o impacto afeta consumidores, empre-

    sas, indstrias. Os remdios tambm podem sofrer altera-o nos preos, o que vai exi-gir maior pesquisa por parte das pessoas antes de com-prar, diz.

    No mercado de energia, a fornecida por Itaipu, segun-do o economista, tambm deve ter reajuste de preos. O contrato determina que sejam feitos ajustes peridi-cos de acordo com a varia-o da moeda americana. Ou seja, at a energia eltrica impactada pelo dlar, con-clui Agostinho.

    O setor manufatureiro pau-lista fechou 30,5 mil postos detrabalho em julho, o equiva-lente a uma queda de 1,07%em relao ao quadro de fun-cionrios em junho, na leituracom ajuste sazonal. Este opior julho desde 2006, incio daPesquisa de Nvel de Empregoda Federao e do Centro dasIndstrias do Estado de SoPaulo (Fiesp e Ciesp).

    trgico. O nal do anotalvez nos entregue 200 milempregos a menos que no anopassado, estima Paulo Fran-cini, diretor do Departamentode Pesquisas e Estudos Econ-micos (Depecon) da Fiesp e doCiesp, responsvel pelo levan-tamento. De acordo com o dire-tor, se somarmos os empregosperdidos em 2014 e 2015, so 10estdios da Copa lotados. Em2014, a indstria paulista regis-trou o fechamento de 130 milpostos de trabalho.

    Segundo a pesquisa, divul-gada nessa quinta-feira (13), dejaneiro a julho deste ano a in-dstria j demitiu 92,5 mil fun-cionrios, o pior resultado parao perodo na srie histrica dolevantamento. E se comparadocom julho de 2014, so 205,5mil vagas a menos no setor,tambm o pior patamar da his-tria. Francini avalia que tantoa crise econmica quanto a cri-se poltica so in uncias deigual peso na situao de em-prego na indstria. difcil di-vidir se uma crise poltica oueconmica, a juno de tudoque faz estarmos nessa situaogravssima, diz. E alguns per-guntam: Por que o empresriono pega o seu esprito animale parte para investir? Numa si-tuao de perda constante daeconomia, muito difcil criarum ambiente de esperana,completa.

    Indstria de SP demite 30,5 mil pessoas em julho deste ano

    Emprego

    2%DE DESVALORI-ZAODo yuan, moeda chinesa, tambm gera impacto no mercado nanceiro do pas. A medida foi adotada para incentivar as exportaes chinesas

    Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    A Agncia Nacional de Energia Eltrica (Aneel) apre-sentou nessa quinta-feira (13), proposta para uma reduo de 18% no valor adicional pago pela energia eltrica, indicado pela bandeira vermelha me-canismo adotado nas contas de luz para informar ao consu-midor se ele est pagando mais caro. A reduo j havia sido si-nalizada pela presidente Dilma Rousseff (PT) no dia 11, durante o lanamento do Programa de

    Aneel prope reduzir 18%do valor adicional de energia

    Tarifa

    Investimento em Energia Eltri-ca (Piee).

    Apresentada na audincia pblica da agncia, a proposta reduz o valor pago na cobran-a extra, dos atuais R$ 5,50 por cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, para R$ 4,50. Essa reduo representa para o consumidor uma redu-o mdia de 2% no valor nal a ser pago.

    A diminuio desses valo-res ser possvel devido ao des-

    ligamento de 21 usinas termel-tricas que produziam cerca de 2 mil megawatts mdios de ener-gia a um Custo Unitrio Vari-vel maior que R$ 600 por me-gawatt-hora. Os desligamentos foram decididos no dia 5 de agosto pelo Comit de Monito-ramento do Setor Eltrico, que solicitou ento Aneel um estu-do que simulasse o impacto dos desligamentos dessas trmicas nas receitas das bandeiras ta-rifrias. O estudo foi apresenta-

    do na audincia dessa quinta. Nesta sexta-feira (14), comea o prazo para o recebimento de sugestes e questionamentos ao estudo apresentado. Est prevista nova audincia no dia 28, quando ser tomada a de-ciso nal. Os novos valores da bandeira vermelha devero ser cobrados a partir de 1 de setembro.

    O sistema de bandeiras tari-frias sinaliza aos consumido-res os custos reais da gerao de energia eltrica. As bandei-ras funcionam como um sinal de trnsito.

    A bandeira verde signi ca custos baixos para gerar a ener-gia, portanto, a tarifa no ter nenhum acrscimo naquele ms. A bandeira amarela indica que a tarifa ter acrscimo de R$ 2,50 para cada 100 kWh con-

    de Guerra, no Rio de Janeiro, o ministro de Minas e Energia,Eduardo Braga, disse que o novo cenrio econmico e cli-mtico permite a reduo das tarifas de energia no curtoprazo. (Agncia Brasil)

    VALORES. Conta de energia pode ter reduo de 2% na cobrana extra

    ECONOMIA Dinheiro na contaO terceiro lote de restituies do Imposto de Renda comear a ser pago pela Receita Federal na prxima segunda (17). Sero R$ 2,4 bilhes. Dinheiro Agncias de viagens e casas de cmbio apontam impactos como replanejamento de destinos e retrao na compra da moeda

    Alta do dlar muda comportamentos

    MOEDA. Casas de cmbio esto vendendo menos e comprando mais dlar dos clientes

    Michele [email protected]

    sumidos. A bandeira vermelha informa que o custo da gerao naquele ms est mais alto. Ainda no h previso sobre a mudana da bandeira verme-lha para a amarela.

    Em palestra na Escola Naval

  • A8 | ECONOMIA | SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    30MIL TONELADAS a produo mensal da Nova Embalagens Industriais, localizada em Jandira e que tem trajetria de 40 anos no mercado de reciclagem

    Nosso mercado sempre foi rent-vel. Hoje, porm, garantimos a sobrevi-vncia

    Vanderlei BatistaEmpresrio

    Fotos: Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    Dobrar a produo atual de 30 toneladas por ms at o m de 2016 era um dos princi-pais objetivos no planejamento de uma empresa de reciclagem de plsticos da regio.

    Com falta de incentivo do governo, mesmo se tratando de um negcio sustentvel e que colabora com o meio ambien-te, e diante de um momento econmico desfavorvel, no entanto, o momento de estag-nao e os planos precisaram ser revistos, de acordo com o empresrio Vanderlei Batista, frente da Nova Embalagens Industriais, localizada em Jan-dira, j h 40 anos.

    A empresa produz sacos para lixo e sacolas plsticas atravs da reciclagem e conta, atualmente, com a mdia de 20 funcionrios. Pagamos muito imposto, mesmo se tratando de material reciclado como mat-ria-prima, no h incentivo do poder pblico e, ainda, com a crise, o aumento de energia, por exemplo, tem tornado o cenrio mais difcil, pontua Vanderlei.

    Segundo ele, o valor que seria investido em maquinrio

    Sustentabilidade Meta de dobrar a produo at 2016 estagnada por alta nos impostos e tambm na conta de energia

    Empresa da regio dribla a crise para reciclar plsticos

    para aumentar a produo e ganhar novos mercados, est sendo usado para pagar as con-tas. S de energia, o aumento muito grande. Em 2014, pag-vamos por volta de R$ 12 mil a R$ 13 mil por ms. Neste ano, a conta no vem por menos de R$ 25 mil, pontua o empresrio, que tem como clientes nais estabelecimentos comerciais dos mais variados segmentos e feirantes, tambm.

    Nosso mercado sempre foi muito rentvel. Recentemen-te, no entanto, a empresa est apenas garantindo a sobrevi-vncia, lamenta Vanderlei. Ele conta que j enfrentou ou-tras crises, como na poca da proibio do uso de sacolas plsticas nas mais variadas ci-dades do estado de So Paulo. Muitas empresas de recicla-gem de plsticos chegaram a fechar, diz.

    No passado, quando sur-giu a ideia de investir no mer-cado de reciclagem, Vander-

    Gastos com energia passaram de R$ 12 mil em 2014 a R$ 25 mil, pelo menos, em 2015

    lei conta que a fundao da empresa ocorreu em parceria com um irmo. Foi em um pe-rodo que houve falta tremen-da de matrias-primas para produo de mercadorias no Brasil. Elas eram importadas e aumentavam muito o custo dos produtos. Ento, tivemos ideia de reciclar. Comeamos na capital paulista, recorda o empresrio.

    Com o desenvolvimento do mercado, a Nova Embalagens Industriais foi crescendo, esti-mulada tambm pelo apelo sustentabilidade, em evidncia no cenrio contemporneo. As operaes para reciclagem en-volvem variados tipos de m-quinas diferentes.

    Pegamos o resduo dos plsticos que sero reciclados. H separao por cor e densida-de. O que usamos, na verdade, o polietileno, explica Vander-lei. Na empresa, a matria-pri-ma vem de cooperativas. Sacos, embalagens vazias das mais va-riadas e mantas, por exemplo, so transformadas em sacolas plsticas e sacos para lixo. O plstico triturado, passa por quatro tanques de banho, por secagem e, ento, vai por meio de uma mquina de suco para a produo nal.

    DEDICAO. Vanderlei Ba-tista e o lho, Vanderlei Batista Jnior (abaixo), batalham para vencer os con-tratempos da economia e a falta de apoio do poder p-blico em todas as esferas

    Michele [email protected]

  • SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | CIDADES | B1Folha de Alphaville

    Parque EcolgicoAps 1 ano que o Parque Ecolgico do Tiet passou para a gesto muni-cipal, dividida entre Barueri e Parnaba, espao ainda precisa de manu-teno e atrativos para que moradores possam frequent-lo. Pg. B4CIDADES

    Thieny [email protected]

    CRIANAS.Segundo pe-diatra, diferen-te da injetvel, vacina em gotas garante a preveno exclusiva contra a polio. Aos 7 meses, Juan Lucca toma a vacina em uma UBS de Barueri

    Sade Neste sbado (15), Dia D, tem incio a campanha de vacinao contra a paralisia infantil em todo o estado de So Paulo

    Alphaville tem vacinao contra a poliomielite

    www.coelhodafonseca.com.br

    LOCAO COMERCIAIS

    PRAIA

    LANAMENTOS OUEM CONSTRUO NOVOS OU USADOS

    CAMPO INTERNACIONAISIMVEIS

    COM RENDA

    COELHO DA FONSECAESPECIALISTA EM GRANDES ENDEREOS

    Cre

    ci J

    -961

    Al. Araguaia, 750/751, 2o andarde 2 6 feira das 8 s 20h. aos sbados das 9 s 18h

    e domingos e feriados das 10 s 16h.

    Tel. 4134-8444

    Entender voc outra coisa.Uma coisa uma coisa. Outra coisa outra coisa.

    4 dormitrios (2 sutes, master com closet e hidro), 466m construdos em 672m de terreno. Estilo Normando. Living com lareira, bar e escritrio, piscina. R$ 2.000.000. Cd. 381717 Tel.: 4134-8444

    3 sutes, 500m construdos em 1.332m de terreno. Em uma das melhores alamedas do condomnio. Rica em armrios, escritrio, biblioteca, jardim interno, piscina, rvores frutferas. R$ 3.730.000.Cd. 607800 Tel.: 4134-8444

    4 sutes, 485m construdos em 525m de terreno. Acabamento impecvel em mrmore, ambientes ensolarados, escritrio, vista espetacular, espao gourmet, piscina com deck. R$ 3.200.000. Cd. 589612 Tel.: 4134-8444

    ALPHAVILLE ZERO

    TAMBOR 1

    TAMBOR 1

    TAMBOR 10

    ALPHAVILLE 2 ALPHAVILLE 2

    ALPHAVILLE 4ALPHAVILLE 3

    GNESIS 2

    ALDEIA DA SERRA

    GNESIS 1

    4 sutes, 540m construdos em 575m de terreno. Arquitetura moderna, tima distribuio interna, biblioteca, home theater, escritrio, espao gourmet. Impecvel. R$ 2.500.000. Cd. 474817 Tel.: 4134-8444

    Casa aberta para visitao de clientes e profissionais do mercado. Visite, de hoje at domingo, das 10 s 16h. Al. das Branas, 462. 4 sutes, 613m construdos em 1.200m de terreno. R$ 3.500.000. Cd. 454471 Tel.: 4134-8444

    4 sutes, 480m construdos em 460m de terreno. Acabamento diferenciado, rea gourmet com vista privilegiada, piscina com borda infinita, tima luminosidade. R$ 2.600.000. Cd. 543548 Tel.: 4134-8444

    6 sutes (master com 130m, lareira), 1.340m construdos em 1.120m de terreno. rea social e gourmet integradas. Moderna, ar-condicionado, aquecimento solar, elevador, adega. R$ 8.500.000. Cd. 347716 Tel.: 4134-8444

    ALPHAVILLE ZERO

    4 sutes, 574m construdos em 600m de terreno. Diferenciada. Ambientes climatizados, piso em mrmore Crema Marfil, home theater, escritrio, piscina aquecida com spa. R$ 3.990.000. Cd. 583576 Tel.: 4134-8444

    4 sutes, 600m construdos em 836m de terreno. Maravilhoso living com p-direito duplo, lareira, home theater, espao gourmet, piscina com cascata. R$ 3.200.000. Cd. 400870 Tel.: 4134-8444

    ALPHAVILLE 10

    4 sutes, 733m construdos em 1.024m de terreno. Alto luxo, living com piso em mrmore, lareira, espao gourmet, adega climatizada e diferenciada. Salo de festas. R$ 5.200.000. Cd. 606747 Tel.: 4134-8444

    TAMBOR 2

    4 sutes, 600m construdos em 587m de terreno. Ar-condicionado, moderna e bem iluminada, biblioteca, fino acabamento, piso em mrmore, piscina, espao gourmet, salo de festas. R$ 2.700.000. Cd. 397721 Tel.: 4134-8444

    4 dormitrios (2 sutes), 750m construdos em 820m de terreno. Imponente residncia em estilo Europeu, ambientes bem distribudos. Piscina com deck. Aceita permuta. R$ 2.800.000. Cd. 376809 Tel.: 4134-8444

    GNESIS 2

    4 sutes, 1.000m construdos em 1.252m de terreno. Nova. Bem arejada com projeto diferenciado, piso em porcelanato, aquecimento solar, amplo jardim, espao gourmet. R$ 3.900.000. Cd. 584438 Tel.: 4134-8444

    4 sutes, 456m construdos em 420m de terreno. Belssima residncia. Projeto de Mario Perez. Clean, piso em mrmore, p-direito alto, espao gourmet, piscina com deck. R$ 3.750.000. Cd. 603196 Tel.: 4134-8444

    ALPHAVILLE - VILLA SOLAIA

    4 dormitrios (2 sutes), 368m construdos em 720m de terreno. Reformada, p-direito duplo, rvores frutferas, aquecimento solar, salas fitness, de lareira e jogos. R$ 2.450.000. Cd. 496968 Tel.: 4134-8444

    Casa aberta para visitao de clientes e profissionais do mercado. Visite, de hoje at domingo, das 10 s 16h. Al. Ribeiro Preto, 51. 6 sutes, 1.500m construdos em 2.130m2 de terreno. R$ 18.000.000. Cd. 415416 Tel.: 4134-8444

    T em incio neste sbado (15), intitulado Dia D, e vai at 31 de agosto, a campanha de vacinao contra a polio-mielite. A expectativa, segun-do a secretaria de Estado da Sade de So Paulo, vacinar 2,3 milhes de crianas contra a paralisia infantil.

    De acordo com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huber-man, a poliomielite uma do-ena infectocontagiosa aguda causada por um vrus, que ca alojado no intestino. Seus sin-tomas podem ser confundidos, at mesmo, com os da gripe, podendo causar febre, dor de garganta e nusea. Dos infecta-dos, 1% pode desenvolver a pa-ralisia dos membros inferiores. A pessoa perde a fora muscu-lar e os re exos, mas mantm a sensibilidade, explica.

    Vale ressaltar que a doena uma consequncia da gesto de sade pblica e do saneamento bsico, j que a transmisso do vrus inicialmente a partir do contato com as fezes. Posterior-mente o contgio pode ocorrer

    pela saliva ao tossir e espirrar, por exemplo. A transmisso acontece mais atravs de indi-vduos que no apresentam os sintomas, porque no se sabe da contaminao.

    Segundo o pediatra, para a imunizao preciso que se-jam feitas 5 doses da vacina. No 2, 4 e 6 ms da criana a vacina feita de maneira in-jetvel. Depois h uma aplica-o de reforo no 15 ms. En-tre os 4 e 6 anos deve ser feita a ltima dose, com a vacina em gotas, explica.

    Alm da dose contra a pa-ralisia infantil, as crianas que forem levadas aos postos de sade tambm podero rece-ber eventuais vacinas em atra-so do calendrio da rede pbli-ca. Por isso importante levar a caderneta de vacinao.

    CampanhaPara o Dia D, haver em

    Alphaville a vacinao no Al-phaShopping (al. Rio Negro, 1.033), para crianas at os 5 anos, e em Aldeia da Serra no condomnio Morada dos Ps-saros, ambos das 10h s 16h.

    Mas se perder o sbado, no se preocupe, porque a vacina est disponvel nas Unidades Bsicas de Sa-de, tanto de Barueri quanto de Santana de Parnaba. De acordo com a prefeitura de Barueri, h ainda um posto xo para vacinao no cam-pus da Unip no bairro (av. Yojiro Takaoka, 3.500), na Clnica de Sade, de segunda a sexta, das 8h s 13h.

    A participao na cam-panha fundamental para a preveno contra a paralisia infantil e, assim, mantermos erradicada essa doena no Estado, a rma a diretora de imunizao da secretaria de Estado da Sade, Helena Sato.

    Morada dos Pssaros, em Aldeia, e AlphaShopping tero vacinao amanh (15)

    Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

  • B2 | SEXTA-FEI RA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    Lus Frana

    O professor Randes apre-sentou, no ltimo +Ca-f&+Gesto, o resultado de uma pesquisa que aponta o que acontece quando voc constri o ambiente com aes que propiciam o desenvolvi-mento e a satisfao do fun-cionrio.

    Primeiro, ele coloca, em destaque, a posio do verda-deiro lder, sem ele nada acon-tece. Quem esse cara nessa

    E m um cenrio de enxu-gamento e otimizao de cargos, a melhor traduo do termo potencial de empre-gabilidade, resume Amrico Garbuio, coach e diretor da ABRH-SP, regional Sorocaba. Essa deve ser uma preocupa-o individual contnua. Estar atento a me manter bem na empresa em que estou e, ao mesmo tempo, com compe-tncias e habilidades que faci-litem a recolocao no merca-do, se necessria.

    Garbuio orienta a aprovei-tar toda oportunidade para ser protagonista de aes produti-vas, aceitando novos projetos e desa os. Sair da zona de conforto, mesmo. No car preso exclusivamente ao job description e se preparar para

    Voc j ouviu falar de espiritualidade corporativa? No tem nada a ver com religio, mas exatamente esse jeito de conduzir a empresa que pode coloc-la no ranking das melhores para se trabalhar. E o que voc pode fazer para colaborar?

    Sustentabilidade, mais um termo para quem est imerso nos dilemas da carreira e que se resume a uma questo que, de fato, tem relevncia: como me preparar para me posicionar melhor?

    E que qualidade de vida no ambiente de trabalho essa?

    Sua carreira tem sustentabilidade?

    organizao? Tem aquele que j ocupa o cargo formalmente, mas nem sempre seguido. Tem aquele que no tem cra-ch de chefe ainda, mas lder por natureza. Para ser lder com qualidade de vida o que ele precisa ter? Ele precisa ter energizao. Espiritualida-de esse sopro que mexe com quem est ao seu redor. Preci-sa contagiar os que esto sua volta. Teoria e tcnica so im-

    exercer acima do nvel atual e tambm olhar para os lados, ou seja, analisar como assu-mir funes que podem ser absorvidas pela sua rea na reestruturao. Sempre com o compromisso da entrega em vista. No basta promover o desenvolvimento individual. Ele tem que estar inserido e comprometido com o desen-volvimento da equipe. Dife-rencial importante.

    A postura de dono da pr-pria carreira mais que neces-sria, aconselha. A sua carrei-ra sua. No da sua empresa. Aproveite o que ela lhe d de treinamento, mas haja por con-ta prpria para complementar o que pode contribuir para a empregabilidade. Cultive in-teresses novos e aprofunde e

    portantes, mas a mobilizao se d quando uma alma toca outra alma, enfatiza o profes-sor. Tem que gostar de gente. Alis, esse um dos pilares da inteligncia emocional: lidar com as emoes nos relacio-namentos e registrar as situa-es sociais, com habilidade para negociar e interagir pelo bem da equipe. O que o seu concorrente no vai copiar da sua organizao? Gente.

    atualize os antigos. O projeto de carreira no pode olhar s o momento e o mercado atu-al, precisa tambm considerar aonde voc quer chegar da-qui a, por exemplo, cinco anos. Qual sua meta? Procurar es-sas respostas direciona os re-cursos que tornaro o objetivo vivel. Voc pode precisar de um professor de ingls ou de um coach de liderana Como decidir o mais importante?

    Para os pessimistas, que acham que o esforo no vai gerar resultado diante da crise atual, ele considera: Qual-quer desenvolvimento que voc se proponha sempre vai ser til. Quando o mercado estiver mais aquecido, voc j estar maduro para dar o pr-ximo passo.

    pessoas. Cada um da equipeentende que a pessoa podeestar pensando em outras coi-sas, outros problemas que nos trabalho, outras necessida-des. Ser que estamos tendotempo para os nossos funcio-nrios? No relacionamentocom engajamento, eu curto,compartilho, encontro a ni-dades e interesses em comum.Ningum sabe de tudo sempre,acabo dependendo do outro.Ele relembra que o importan-te incentivar o crescimentopessoal e o coletivo, ao mesmotempo. Receita: bom desempe-nho com benefcios mtuos.

    E o que faz com que eu con-sidere a empresa um excelentelugar para trabalhar?

    Pela pesquisa apresenta-da, trs fatores se destaca-ram: 19% dizem que precisoconcordar com os objetivosda empresa e ter orgulho de trabalhar nela; 23% dizemque estar aprendendo cada vez mais e ter oportunidadede crescer. E, nalmente, pri-meiro critrio com 29%: sen-tir-se satisfeito e motivado.A vantagem competitiva com relao concorrncia est nas pessoas, algo que, l nocomeo, ele ressaltou que noh como imitar.

    Com essas orientaes em mos, o professor faz um lti-mo alerta: quem sacri ca valo-res prejudica resultados.

    Ser que es-tamos tendo tempo para os nossos funcion-rios? No relacio-namento com engajamento, eu curto, compar-tilho, encontro a nidades e interesses em comumProfessor RandesSdkbdvjhdddi ddiddddd

    O projeto de carreira no pode olhar s o momento e o mercado atual, preci-sa tambm considerar aonde voc quer chegar

    Amrico Garbuiocoach e diretor da ABRH-SP, regional Sorocaba

    O recrutador no quer saber de mgoas, quer saber de experincia e atitudes positivas.

    Com esses lderes frente, diz ele, vem o desa o da co-municao clara: cada um sabe para onde o outro est indo, para onde vai e aonde a organizao precisa chegar. J visitei empresas em que o fun-cionrio estava l h 25 anos, no queria mais saber o que o outro estava fazendo. Era cada um no seu quadrado.

    A empresa espiritualizada enxerga a individualidade das

    VOC NA ABRH-SP

    Nosso destaque de hoje Roberto Pedroso. Ele diretor executivo na ptica Center e diretor comercial da Associao Comercial e Industrial de Barueri. A forte atuao da Acib a venda de informaes de crdito, mas a grande revoluo para todas as associaes a discusso dos entraves que cerceiam a atividade produtiva. Roberto ainda diretor tcnico no Instituto da Viso.

    Quer ter seu currculo publicado nesta coluna, mande as informaes e foto para [email protected]

    Este espao seu, associado!

    BOLETIM ESPECIAL DE RECURSOS HUMANOS Barueri, 14 de agosto de 2015 INFORME PUBLICITRIO

    FALE CONOSCO

    http://www.abrhsp.org.br

    http://www.facebook.com/abrhspnew

    https://twitter.com/abrhsp

    http://www.linkedin.com/in/abrhsp

    REGIONAL METROPOLITANA OESTE

    AGENDA

    X SEMANA QUE VEM TEM CONARH, ESPERAMOS VOC!

    So muitas as atividades e separa-mos algumas aqui.

    No primeiro dia, acontece a mesa A Arte de Liderar: Para Tempos Incertos, Lderes Inquietos. Alessandra Ginante, vice-presi-dente de da Avon, Luis Carlos Frana Duarte, diretor de RH e TI para Amrica do Sul da Kordsa Global, e Renato M. Senna, lder da rea de RH Internacional da Merck, vo debater o assunto que assola a atualidade.

    No segundo dia, o encontro comea cedo, com sete grandes momentos, entre eles, um workshop prtico para a criao de jogos de aprendizagem, avaliao e desenvol-vimento de pessoas.

    Dia 19, prepare-se para mais. Que tal: A Arte de Engajar e Encantar!, com Miguel Vives, SVP & country manager da The Walt Disney Company Brasil.

    Quinta, ltimo dia, destaque para: Inovao: O Poder de Aprender, com Claudio Sassaki, cofundador e CEO da Geekie. A moderadora ser Mrcia Costa, vice-presidente de RH e Comunicao da C&A.

    Inscreva-se em: www.conarh.com.br

    Apoio:

    Foi demitido, e agora?Primeira ao importante vem da sa-bedoria popular: No tome nenhu-ma deciso de cabea quente. Nada de grandes planos nos primeiros dias. Voc precisa de tempo para processar o que aconteceu e como voc se sente sobre isso. Enquanto isso, faa uma avaliao nanceira. Detalhe seu or-amento familiar, separe o essencial do que agora essencial. Envolva a famlia e outros dependentes nesse exerccio.

    Transforme a raiva e ressenti-mento em autoa-nlise. Converse com amigos e ex-colegas para entender o que voc pode me-lhorar em uma prxima experincia. Trabalhar essa ba-gagem emocional, se livrar do coe cien-te vtima, vai fazer com que voc chegue mais maduro a uma prxima entrevista. O recrutador no quer saber de mgoas, quer saber de experincia e atitudes po-sitivas. Trabalhe em uma explicao sim-ples para a sua demisso, verdadeira, e ensaie vrias vezes antes, para sintetizar. Fale de voc mesmo com con ana.

    ltima dica: no saia atirando. Ao separar a lista de empresas que vai se candidatar, converse com ex-colegas e amigos que conheam cada uma de-las. Veja se voc se encaixa no per l e ajuste a linguagem ao da cultura da organizao.

    Daniela Vieira Cox*

    O P I N I O

    (*) Daniela Vieira Cox s cia da Toolssearch, consultoria em Gente&Gest o. Comandou opera es de redes como Loungerie, Daslu e Zara.

  • SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | CIDADES | B3Folha de Alphaville

    GESTO. Acima parte da estao de tratamento de gua da Fa-zendinha, que est parada. Ao lado, lixo e crrego cam a cu aberto bem ao lado da estao da Sabesp, em Parnaba

    20%DO ESGOTO DE PARNABA coletado. Essa porcentagem se refere aos condomnios do municpio

    3.200TONELADAS DE LIXO URBANOso coletados, em mdia, por ms na cidade, com aumento de 4% ao ano

    foi passada para a Sabesp que atua em Santana de Parnaba h aproximadamente 30 anos. Nesse tempo pouca coisa foi feita, mas tambm faltava de- nio. Agora, com o plano, -caram claras as metas a serem alcanadas.

    A princpio, a meta para 2017, por exemplo, seria ter 60% do esgoto da cidade co-letado e afastado, atravs de 22.500 ligaes, e 100% desse esgoto tratado. O grande ob-jetivo seria em 2020 atingir a universalizao do acesso ao saneamento bsico. Isso seria apenas uma previso, porque essas datas foram estipuladas antes da assinatura de uma mi-nuta entre a Sabesp e a prefei-tura, ento agora todo o plano dever ser revisto.

    Vale ressaltar que, segun-do a secretaria, toda a parte do plano que diz respeito ao abas-tecimento de gua, coleta, afas-tamento e tratamento de esgoto foram elaborados em dilogo com a Sabesp.

    ColetaO Plano Municipal ainda

    aborda a coleta e destinao do lixo. Atualmente, 95% dos res-duos da cidade so coletados e o trabalho de coleta de material reciclvel, feito pela cooperati-va Avemare, chega a cerca de 55% da populao.

    Como em Santana de Par-naba h um lixo desativado, a ideia, com o plano, realizar um estudo dessa rea para que se saiba se esse espao pode ser utilizado, e para qual na-lidade, ou no. Ns contrata-mos o Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP) para que seja feito um estudo e assim encer-rarmos de ver o aterro. A ideia fazer no local um Centro de Gerenciamento de Resduos

    C om apenas 20% do seu esgoto coletado, Santana de Parnaba elaborou seu pri-meiro Plano Municipal de Sa-neamento Bsico, que, entre outros pontos, estipula metas que devem ser cumpridas pela Sabesp nos prximos anos, aps renovao do contrato, que termina em 2017.

    Existe uma hierarquia de normas em nvel municipal. Primeiro h a Lei Orgnica, de-pois devem ser seguidas as di-retrizes do Plano Diretor, a par-tir da so elaborados planos setoriais e nesta categoria que se encaixa o Plano Municipal de Saneamento Bsico.

    Em 2013 a administrao j tinha uma empresa contra-tada para a elaborao dos es-tudos, depois ns minutamos os planos e realizamos cerca de 20 consultas pblicas, mas no difcil saber que todos querem que seu esgoto seja

    coletado e tratado, conta Ja-derson Jos Spina, secretrio de Planejamento e Meio Am-biente da cidade.

    De acordo com o adminis-trador da pasta, hoje 20% do esgoto de Santana de Parnaba coletado e apenas 5% desse material tratado. Ou seja, 15% do pouco esgoto coleta-do levado diretamente para o rio. Essa pequena rea onde h coleta diz respeito exata-mente aos condomnios de Al-phaville e Tambor que esto na cidade. Foram feitas di-retrizes para os condomnios, que deveriam providenciar isso, explica Jaderson.

    Ainda segundo Jaderson obrigao do municpio a gesto do saneamento, que pode ser feita por ele ou ter-ceirizada. No caso, essa gesto

    Plano est disponvel para download no site da prefeitura de Santana de Parnaba

    Esgoto Levantamento e minuta estabelecem metas para concluso de servios da Sabesp durante contrato de servios

    Parnaba trabalha seu 1 Plano de Saneamento

    Slidos. Nesse local toda coleta seria centralizada e destinada da maneira adequada, explica Jaderson.

    H cerca de 1 ano todos os lixes deveriam ser extintos, seguindo as normas da Lei Nacional de Resduos Slidos, sancionada em 2 de agosto de 2010. Com esse lixo desativa-do, o que coletado (que no passa pela coleta seletiva) en-viado para um aterro sanitrio que ca na divisa com Pirapora do Bom Jesus e recebe material de outras cidades.

    Outra questo trabalhada no plano diz respeito ao cha-mado lixo verde, que tem ori-gem na poda e corte de rvores e plantas. Em Santana de Par-naba 90% desse material tem origem nos residenciais de Al-phaville e Tambor. A propos-ta que esse material no seja descartado, mas utilizado para compostagem. Os condomnios devero, inclusive, apresentar uma proposta para que isso seja feito internamente.

    Fotos: Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    Thieny [email protected]

    OBRAS. Bairro da Fazendinha dever ter uma estao de tratamento

    H um estudo que diz que a cada R$ 1 inves-tido em sanea-mento bsico so economizados R$ 4 em sade pblica"

    Jaderson Jos Spinasecretrio

  • B4 | CIDADES | SEXTA-FEI RA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    Fui h algum tempo, mas no podia entrar com bicicleta e tam-bm achei abandona-do, no voltei maisAna Carmen PedrosoMoradora de Alphaville

    MANUTENO. Espaos como o bebedouro ( esq.) e o que pode-ria ser uma churrasqueira carecem de manuteno no Parque Ecolgico

    1,7MILHO DE M a rea total do Parque Ecolgico do Tiet. Desde 2014, Barueri administra o Centro de Lazer e a rea do Russo e Parnaba a rea da Ilha do Bacuri

    Administrao No dia 1 de agosto fez 1 ano que Barueri e Santana de Parnaba dividem a coordenadas do Parque Ecolgico do Tiet

    Parque ainda precisa de melhorias

    N o ltimo dia 1 fez 1 ano que o Parque Ecolgico do Tiet passou a ser admi-nistrado pelas prefeituras de Barueri e Santana de Parna-ba. Mesmo com trabalhos de melhoria, como a despolui-o da lagoa, o espao no a primeira opo de muitos moradores de Alphaville, ain-da que estando bem prximo, com entrada pela Via Parque, sentido av. Yojiro Takaoka.

    So mais de 1 milho de m no bairro e muitas vezes ir at So Paulo parece melhor opo do que aproveitar a reserva am-biental. O que se pode observar que, para muitos, a rea est abandonada.

    Devamos ter esse parque como um Ibirapuera de Alpha-ville, mas no h interesse do poder pblico em fazer melho-rias. Parece que tudo a ser feito precisa gerar riqueza nanceira aqui, no vale s a riqueza social. Pelo que se sabe, o parque est s e m i a b a n -donado, sem melhorias, pontua o mo-rador Luiz F e r n a n d o Mello.

    Outros fo-ram h anos e perderam o hbito de frequentar o parque ao longo do tempo e hoje acre-ditam que no h como apro-veit-lo. o caso de Tonho Parente, que lembra que toma-

    Fotos: Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    Thieny [email protected]

    va sorvete no parque quando era criana. Eu levaria minhas meninas l para um piqueni-que se fosse mais bem cuidado e tivesse policiamento.

    InvestimentoA secretaria de Recursos

    Naturais e Meio Ambiente de Barueri, que responsvel pela maior rea do parque (o Centro

    de Lazer e a rea do Russo), a rma que tem trabalhado emmelhorias nas instalaes do espao, que foi inaugurado em1982. Alm da manuteno constante, est em processode licitao a recuperao dascercas no entorno do lago e areforma dos sanitrios. Tam-bm esto sendo desenvolvidosestudos para parcerias com oscondomnios e empresas da regio para a revitalizao dealgumas reas como campos, playgrounds e quiosques, in-formou a pasta.

    Eles ressaltam ainda quediferentemente do Parque Mu-nicipal Dom Jos (na Vila Por-to), que tem um conceito maisurbano, voltado para o lazer e aprtica de esportes, este tem ofoco no contato com o verde ena contemplao da natureza.

    A administrao ainda temcomo objetivo iniciar novas ati-vidades assim que a despolui-o da lagoa estiver concluda,quando a Sabesp nalizar a im-plantao da rede de coleta deesgoto na regio. A secretariaacredita ainda que terminadaa duplicao da Via Parque omovimento no espao aumen-tar, j que a integrao como bairro ser ainda mais efeti-va, alm de melhorar o acessoatravs do transporte pblico.

  • SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | CIDADES | B5Folha de Alphaville

    AO. Funcionrio diz ter contatado a prefeitura para tratar do assunto

    PROVIDNCIA. Palio pertence a morador do residencial, que a rmou a funcionrio que o colocar venda

    Fotos: Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

    Abandono Veculos esto parados h meses na Marcos Penteado

    O Colgio Palmares, nazona oeste de So Paulo,comemorou 40 anos dasua fundao na tera (11).

    Foi realizado um CultoEcumnico com as mensa-gens e bnos espirituaisdo rabino Iehuda Gitel-man, do padre Juarez deCastro e do pastor AgeoSilva. Estiveram presentesamigos, pais de alunos,ex-alunos, professores efuncionrios.

    Depois da cerimniahouve uma apresentaomusical com a professoraJoana Senger no tecladoe outros msicos. As can-es foram interpretadaspelo tenor Srgio Sengere pela soprano Ana LusaRamos.

    A sra. Zilda ZerbiniToscano, uma das funda-doras da instituio deensino, recebeu diversashomenagens, como a dodeputado federal e secre-tario do DesenvolvimentoSocial do Estado, Floria-no Pesaro, ex-aluno docolgio Palmares. Obri-gado professora Zilda. Asua luz e a sua sabedoriailuminaram meu desti-no. Zilda Zerbini, commo de ferro, me educou.Obrigado professora Zil-da. Obrigado professorese professoras do ColgioPalmares. Aqui estudei.Aqui aprendi a conviver.Aqui aprendi valores,tica e conceitos. Aquiaprendi a ser humano.Aqui aprendi a aprender.

    Escola da zona oeste de SP comemora40 anos

    Celebrao

    Carros criam razes em frente a condomnio

    Durante a semana ca mais difcil prestar a ateno, mas no nal de semana, ou ao anoite-cer, dois carros parados na ave-nida Marcos Penteado de Ulha Rodrigues, na altura do nmero 5.100, logo em frente aos muros do residencial Bosques de Tam-bor, chamam a ateno: um Palio prata de 2 portas e um Re-nault R19 vinho de 4 portas.

    H meses dois carros aban-donados em frente a um condomnio de apartamentos na regio do Tambor intrigam moradores e motoristas da re-gio. Um representante do con-domnio j pediu providncias administrao de Parnaba.

    Marcos Roberto Routo, con-trolador de acesso do Bosques de Tambor, a rma que o pri-meiro est parado h menos tempo na avenida, mas que o segundo est, aparentemente, abandonado h aproximada-mente 1 ano. Segundo o funcio-nrio, as autoridades j foram contatadas, mas nada foi feito. J falei com o departamento de trnsito da prefeitura, faz quase 6 meses, mas eles falam que os moradores que tm que ligar, no basta a portaria.

    Ainda segundo o funcion-rio, que tentou descobrir a pro-cedncia dos veculos, o Palio de um morador do condomnio. Ele no explicou o motivo, mas a rmou que est toman-do providncias. Contatada, a prefeitura de Parnaba no havia respondido reportagem at o fechamento da edio.

    Thieny [email protected]

    O trabalho de alunos da Escola Castanheiras, em Alphaville, ganha mais uma vez mostra especial. Uma exposio que abre na prxima tera-feira (18) no Piso Tocantins do shopping Iguatemi Alphaville, exibe as artes de estudantes do 2 ano do Fundamental I, que interpretaram a arquitetura histrica da regio por meio de seus desenhos.

    O projeto, realizado nas aulas de Artes e em parceria com as disciplinas de Hist-ria e Geogra a, partem do tema Por onde andamos e que lugares so esses? O ob-jetivo foi apresentar e discu-tir com os alunos as possibi-

    Alunos de Alpha expem seus trabalhos

    Mostra

    lidades de conhecerem melhor o tempo e o lugar onde vivem e estudam, na cidade de San-tana de Parnaba, e saberem identi car a diversidade dos elementos que o compem e o modelam. A pesquisa sobre a histria, a arquitetura, as diver-sas paisagens e as relaes de vizinhana da cidade com ou-tros municpios possibilita ob-servar semelhanas e diferen-as entre lugares e mudanas e permanncias que atravessam os tempos, de acordo com co-municado da escola.

    A exposio car no Igua-temi at 13 de setembro, de segunda a sbado, das 10h s 22h, e domingos e feriados, das 14h s 20h.

    PARNABA. Acmulo de sacos de lixo na avenida Marte, em Santana de Parnaba, tem gerado reclamao entre moradores das proximidades. De acordo com o administrador da academia de tnis que funciona no local, Andr Ribeiro, so sacos de grama e os lixeiros no esto recolhendo. No temos o que fazer, diz.

    RECLAMAO

  • B6 | VIDA LIGHT | SEXTA-FEI RA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    Alm da parte cardio-vascular, o exerccio pode auxiliar na pre-parao da muscula-tura para o parto

    Dra. Liliane Baratella UlsonGinecologista que atua em Alpha ROTINA. Algumas vezes, Marcela treina na pista da alameda Mamor com auxlio do marido, Fernando Jin

    BernardinhoScio e presidente do Comit

    Tcnico da Bodytech

    FAA J SUA MATRCULA!

    VENHA TREINAR NA BODYTECH

    ALPHAVILLE.

    $%RG\WHFKRIHUHFHXPDH[FHOHQWHHVWUXWXUDSURVVLRQDLV TXDOLFDGRVHJUDQGHYDULHGDGHGHDWLYLGDGHV

    6KRS,JXDWHPL$OSKDYLOOH$QGDU_(11) BODYTECH.COM.BR

    Aos 34 anos, Marcela no se sente to cansada, como diziam que caria. Acho que estou com mais energia que a mdia, sem contar a autoestima, me sinto bonita com as mudanas que esto acontecendo.

    A dentista Patricia Ebel tem dois lhos. Na primeira gravi-dez no praticou atividade f-sica, na segunda sim e isso fez com que ela sentisse a diferen-a. Para ela, o grande diferen-cial foi a ioga, que trabalhou seu fortalecimento abdominal e sua postura. No tive dor al-guma, ganhei menos peso, 12 kg. Tive muito mais disposio do que na primeira gravidez e o retorno muscular e de peso no ps-parto foi muito me-lhor, lembra.

    Essa sensao de bem-estar faz sentido, de acordo com o Prof. Alexandre Alves, diretor

    C ada vez mais a prtica de atividade fsica tem sido foco para uma vida mais sau-dvel e no seria diferente du-rante a gravidez. de comum acordo, para gestantes e pro s-sionais da sade: mulheres no s podem, como devem, man-ter as atividades nesse perodo, salvo excees. Mas preciso ter ateno intensidade.

    Coach de bem-estar, Mar-cela Ribeiro tem uma rotina de treinos intensos h 4 anos. Agora, grvida de 2 meses, a frequncia e as atividades con-tinuam, mas com moderao. Fao caminhada, treinamen-to funcional e musculao, s que bem leve. No ms que vem quero comear hidroginstica, pilates e ioga para gestante.

    Sade Atividades fsicas melhoram disposio e controle de peso

    Exerccios: aliados durante a gestao

    da Fitmommy e especializado em exerccios na gestao e ps-parto. Os exerccios me-lhoram a disposio, a circula-o, o controle do peso, alm de evitar doenas, como a pr--eclmpsia, e preparar o corpo para o trabalho de parto, entre outros benefcios. J os bebs nascem mais saudveis e me-nos propensos a desenvolve-rem obesidade infantil.

    Mas importante, segun-

    do ele, respeitar as fases da gestao, que dividida em 3 trimestres, o 1 de 0 a 12 sema-nas, o 2 de 13 a 24 semanas e o 3 de 25 a 40 semanas.

    Como toda regra, h sua exceo, por isso importante que tudo seja conversado com o mdico, como exempli ca a ginecologista Liliane Baratella Ulson: o caso, por exemplo, da gestante que apresenta al-gum sangramento durante a

    Thieny [email protected]

    gravidez ou algumas patolo-gias, como incompetncia ist-mo cervical, quando o colo do tero tende a dilatar conforme a gestao avana.

    GmeosGrvidas de gmeos tam-

    bm precisam redobrar a ateno, porque h cuidados espec cos nesses casos, j que, segundo a mdica, j uma gravidez de maior risco.

    VIDA LIGHT Orgnicos em altaA busca por alimentos mais saudveis e livres de agrotxicos faz o segmento de orgnicos expandir no pas: este ano deve fechar com faturamento de R$ 2,5 bi, alta de 30% em relao a 2014. Nos supermercados, as vendas cresceram 13% em 2015.

    No que diz respeito muscu-latura, tambm h diferenas.

    Em uma gestao geme-lar as mudanas do corpo so maiores, a mulher ter seuabdmen mais afastado, rece-ber um peso maior sobre seu assoalho plvico e as dores nas costas aparecero mais cedo. Por isso importante de-senvolver um programa espe-cializado para esse pblico,ressalta Alexandre Alves.

    Mauricio Maranho/Folha de Alphaville

  • presidente do Internacional, Vitrio Pffero, deu uma aula nos ltimos dias de como no se deve adminis-

    trar um clube de futebol. Mandou um tcnico embora na hora errada, no sabe o que fazer para contratar outro e mostra estar completamente perdido na conduo de um clube to importante.

    direito de qualquer presidente demitir o tcnico. Ali-s, isso o que mais se faz aqui no Brasil. Mas o que no se entende o momento que Pffero escolheu para fazer isso. Ou teria que demitir Diego Aguirre no dia seguinte perda da Libertadores, ou logo aps o empate com a Chapecoen-se em casa pelo Campeonato Brasileiro. Nem uma coisa, nem outra. Ele optou por mandar o tcnico embora horas antes do clssico contra o maior rival. Resultado: tomou cinco. E foi pouco.

    Agora, com o cargo vago, no sabe o que fazer para preench-lo. J foi atrs de Muricy, que s quer trabalhar em 2016, Mano Menezes, que disse no aceitar nem con-versar com ele e de Jorge Sampaoli, que jamais abando-naria a idolatria e a segurana que desfruta no Chile por um projeto incerto. A notcia de momento que ele vai procurar algum para ser tampo at que Muricy assuma depois do Rveillon.

    De qualquer forma, o ve-xame diante do Grmio e a ex-posio negativa do nome do clube provocaram um prejuzo que jamais ser restaurado. Pre-sidir um clube do tamanho do Internacional uma tarefa de gigantesca responsabilidade. E, embora no seja mais nenhum garoto e no esteja no seu pri-meiro mandato, o sr. Pffero pa-rece no ter se dado conta disso.

    SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | ESPORTES | B7Folha de Alphaville

    ESPORTES Stock CarO piloto de Alphaville Allam Khodair disputa neste m de semana a Corrida do Milho, em Goinia. A corrida tem largada marcada para as10h40 do domingo (16) e ser transmitida ao vivo pela Rede Globo.

    (*) Jos Calil jornalista e administrador esportivo. Trabalhou nos principais veculos de comunicao do pas, foi gerente de futebol do Grmio Barueri e secretrio de esportes da cidade. Atualmente ncora e comentarista da Rdio Transamrica.

    O

    Jos Calil*

    Dirigente perdido

    Rally dos Sertes Famlia de Alphaville fez bonito na competio

    Muita poeira etrofus por quilo

    primognito Rodrigo (23, com Joo Arena) terminou em 6. Reinaldo declarou que o segre-do foi administrar o ritmo: Ti-vemos um rali sem grandes in-convenientes e aps cumprir as duas primeiras etapas em ritmo forte, camos administrando a vantagem e tomando muito cui-dado com pontes e radares que controlam a velocidade nesses pontos, disse o vencedor.

    Seu navegador Gustavo Gugelmin lembrou da parceria desde 2012 nesse ano vence-ram o Campeonato Mundial de Rally Off Road na categoria T-2 : Esse conhecimento e estar-mos acostumados com nosso

    D ifcil no fazer analogia entre o resultado da fam-lia Varela no Rally dos Sertes e os negcios da famlia, a rede Divino Fogo, mais de 150 res-taurantes por quilo por pratica-mente todo territrio nacional.

    No evento encerrado s-bado (8) o patriarca Reinaldo venceu na classi cao geral de carros e seus lhos se des-tacaram nos UTVs: Gabriel (20 anos, lho do meio, em dupla com Gabriel Morales) e o ca-ula Bruno (18, com Mayckon Padilha) caram em 2 e 3 e o

    carro foram pontos decisivos para a vitria.

    No bastasse os trs lhos de Reinaldo, a esposa Nani tam-bm acompanhou toda a prova e desempenhou papel impor-tante nos pontos de apoio, o que re etiu no resultado de Rodrigo, Gabriel e Bruno. O pa-triarca da Famlia da Poeira tem currculo que exibe a mdia de uma vitria a cada uma das cer-ca de 330 largadas que j regis-trou no universo dos ralis, o que d embasamento anlise que fez dos rebentos: Bruno tinha tudo para ganhar, mas teve um prisioneiro de roda quebrado e s no se atrasou mais porque nosso apoio chegou rpido. Ro-drigo vem melhorando a cada edio dos Sertes e andou o tempo todo entre os primeiros. Bruno estreou nessa prova e nos surpreendeu com o 3 lu-gar na geral dos UTVs. No h como negar que tive um Dia dos Pais inesquecvel!

    1 LUGAR. Gustavo Gugelmin ( esq.) e Reinaldo Varela comemo-ram a vitria

    Wagner [email protected]

    O tenista e morador de Alphaville, Thomaz Belluc-ci (Correios/ CBT/ adidas/ Embratel/ Wilson/ IMX), vendeu caro a derrota, nessa tera-feira (11), para o tenista nmero 1 do mundo, o srvio Novak Djokovic, pela segun-da rodada do ATP Masters 1000 de Montreal. Os dois zeram um jogo equilibrado, mas Djokovic acabou levan-do a melhor por 6/3 7/6(4), aps 1h50min de partida. Foi um jogo muito parelho. Desperdicei algumas chan-ces de break, que se tivesse passado frente poderia ter sido uma histria diferente. Mas foi um bom jogo, me mantive rme, jogando de igual para igual. Sinto que estou evoluindo e muito per-to de conquistar bons resul-tados, a rmou Bellucci.

    O tcnico Joo Zwetsch gostou da atuao. Estou muito contente com o nvel de tnis que o Thomaz jogou, com conscincia, padro, determinao, coragem, ati-tude, mentalmente e tatica-mente muito bem dentro do jogo. Estamos cada vez mais preparados e fortes em con-dies de fazer algumas coi-sas boas at o nal do ano.

    Bellucci disputa agora o ATP Masters 1000 de Cincin-nati, nos EUA.

    Bellucci joga bem, mas superado por Novak Djokovic

    Tnis

    INDEFINIO. Vitrio Pffero

    Divulgao

  • B8 | SEXTA-FEI RA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

  • tes Citi e Diners Club entre 21 e 23/8. A venda para o pblico em geral estar disponvel no dia 24 (segunda). Ingressos a partir de R$ 120. Site: www.tic-ketsforfun.com.br.

    Para quem gosta de msica caipira de alta qualidade, o Tea-tro do Sesc Belenzinho recebe nos dias 21 e 22 (sexta e sbado) o msico, compositor, ator e apresentador Rolando Boldrin. Para esta apresentao, o ar-tista traz o show solo, Causos & Cantos, com clssicos da msica caipira alternados com histrias contadas pelo artista. Ingressos a R$ 40 no portal: www.sescsp.org.br.

    Os consagrados Toquinho, Ivan Lins e MPB4 apresentam o show 50 Anos de Msica para uma apresentao indita e nica em So Paulo, em 19 de setembro, no Tom Brasil. Jun-tos, prometem surpresas musi-cais e timas histrias de tantos anos de sucesso. Ingressos a partir de R$ 120 pelo site www.ingressorapido.com.br.

    Veteranos sobem ao palco em So Paulo

    P ara quem nunca assistiu um show destes vetera-nos da msica trata-se de uma oportunidade imperdvel. Para quem j foi, vale sempre a pena ver de novo. Est aberta a tem-porada de shows de artistas brasileiros consagrados em ca-sas de espetculos da capital.

    Entre eles, o espetculo Bibi Ferreira Canta Repertrio Sina-tra est de volta cidade, com sesses no Theatro Net (todas as teras e quartas) at 9/9 e de 22/9 a 7/10. Aos 93 anos e com 74 de carreira , Bibi ousa ao ser a primeira mulher a fazer um show s com msicas in-terpretadas por Frank Sinatra (2015 marca o centenrio de seu nascimento). Chamado de A Voz por sua modulao avelu-dada, ele tinha especial admi-rao pela bossa nova e gravou vrias msicas do maestro Tom Jobim. Bibi acompanhada por orquestra de 18 msicos. In-gressos a partir de R$ 110 no site www.ingressorapido.com.br.

    Depois de uma tempora-da na Europa (e um polmico show em Israel) Caetano Velo-so e Gilberto Gil esto em So Paulo com a turn Dois Amigos, Um Sculo de Msica, na qual relembram grandes sucessos e parcerias. Havia poucos ingres-sos venda para as apresen-taes entre 21 e 23 de agosto, mas eles abriram nova data em 8 de outubro, no Citi Bank Hall. Para esse dia, haver pr-venda exclusiva para clientes de car-

    Lucia Camargo [email protected]

    New Orleans em SampaOutra atrao imperdvel

    o melhor do jazz em So Paulo.Comea no dia 23, com showsgratuitos no Parque do Ibira-puera, o 13 Bourbon StreetFest. Pioneiro festival de msi-ca negra americana no Brasil,ter nove dias de shows e gas-tronomia. O festival, que noano passado reuniu mais de 40mil pessoas ao longo de umasemana, tem como principaisatraes a banda superfunkyGalactic e o grupo de msica ca-jun Lost Bayou Ramblers am-bos pela primeira vez no Brasil.Leon Kid Chocolate Brown &504 Experience, que faz um tri-buto a Louis Armstrong e com-pleta o line up internacional, uma das estrelas em ascensoda cena musical da cidade con-siderada o bero do jazz.

    Promovido pela casa de jazzBourbon Street Music Club, ofestival tem programao e in-formaes de ingressos pelosite: www.bourbonstreetfest.com.br.

    Foto

    s: D

    ivul

    ga

    o

    SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 | CADERNO A | C1Folha de Alphaville

    Misso Impossvel - Nao SecretaEthan Hunt (Tom Cruise) descobre que o famoso Sindicato real e est tentando destruir o IMF. Mas como combater uma nao secreta to treinada e equipada? O agente tem que contar com a ajuda disponvel, incluindo de pessoas no muito con veis. Pg. C5

    ORANGEPEEL SHRIMP

    Insta

    ESTADOS UNIDOS BAHREIN CANAD COLMBIA CHILE LBANO MXICO KUWAIT ARGENTINA ARBIA SAUDITA PORTO RICO EMIRADOS RABES UNIDOS

    Shopping Iguatemi AlphavilleReserva: (11) 4193-2436

    AGORA EM ALPHAVILLE

    Foto

    de

    car

    ter i

    lust

    rativ

    o. C

    onsu

    lte o

    hor

    rio

    de

    func

    iona

    men

    to n

    o sit

    e.

    A COZINHA ASITICA COMO VOC NUNCA PROVOU.

    SABORES ASITICOS INSPIRADOS NA CHINA E EM SEUS PASES VIZINHOS, APRECIADOS EM TODO MUNDO.

    OUSADA. Bibi interpreta Frank Sinatra em espetculo no Theatro Net

    Caetano e Gil e Bibi Ferreira esto com espetculosna capital, que recebe tambm festival de jazz

    PARCERIA.Os baianos Caetano e Gil, que acabam de voltar de temporada no exterior

  • C2 | CADERNO A | SEXTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2015 Folha de Alphaville

    PASSATEMPO

    Jogo dos 8 errosSudoku

    SOLUES:Sudoku

    Jogo dos 8 erros

    Avanado:

    Intermedirio:

    Bsico:

    Recruta Zero

    Hagar

    Zits

    Luluzinha Teen

    Divulgao

    MALHAORede Globo - 17h45

    ALM DO TEMPORede Globo - 18h15

    I LOVE PARAISPOLISRede Globo - 19h25

    BABILNIARede Globo - 21h10

    CMPLICES DE UM RESGATESBT - 20h30

    Os Simpsons A famlia mais engraada da

    TV chega em uma aventura

    em longa-metragem. Homer

    Simpson polui o lago de Sprin-

    g eld e acaba causando srios

    problemas para a cidade.

    Para amenizar o problema, a

    soluo possvel colocar o

    municpio inteiro dentro de

    uma bolha, isolando-o do resto

    do mundo.

    Orgulho e Preconceito Em 1797, tudo que uma moa

    queria era conseguir um bom casa-

    mento. Mas Elizabeth deseja mais

    que isso. Ela ser surpreendida

    pelo arrogante Sr. Darcy.

    SBADO, 22 DOMINGO, 23 SEGUNDA, 24 TERA, 18 QUARTA, 19 QUINTA, 20SEXTA, 21TC Pipoca, 20h05 MaxPrime,16h40 MegaPix, 20h45 HBO,22h05 MaxPrime, 22h TC Touch, 22hMax Up, 21h

    BASTIDORESFinal da temporada. A emissora no for-neceu o resumo do captulo.

    Moiss pede a Ramss que deixe o povo hebreu ir para o deserto para uma via-gem oferecer sacrifcios a Deus. Dat ouve Apuki dizer a Cor que no o levar novamente na Casa de Senet e o deixa indignado, pois sabe que ele foi atrs de Sa ra. Moiss se encontra com Joque-bede e Miri e diz que o embate entre o Deus de Israel e o Rei do Egito teve incio.

    Paser vai falar com Nefertari e v tudo quebrado no cho. Nefertari diz a Paser que ele to ambicioso quanto a me e que s queria uma lha rainha. Cor se esconde com medo de ser expulso. Apuki e Jairo ironizam Cor. Oseias e Moiss conversam sobre como foi voltar ao palcio. Moiss conta a Oseias o que Deus disse a ele.

    Apuki invade a casa de Aro a sua procura. Aro apresentado a Henutmire e os dois tm uma conversa amigvel. Sa ra conver-sa com Karen e diz que pretende deixar a Casa de Senet. Tais e Judite conversam com Ana e dizem para ela esquecer Oseias. Ramss chama Ikeni e Bakenmut e ordena que no ser mais distribuda palha para os escravos para a fabricao de tijolos.

    Moiss aceita a sugesto de Aro e decide reunir o povo hebreu para inform-los so-bre a conversa com Ramss. A princesa ca abalada ao saber que o irmo ordenou uma punio aos escravos. Ramss ordena que Bakenmut e Ikeni acompanhem os escravos na execuo da nova tarefa e pede para os o cias no terem pena caso precisem casti-g-los.

    Depois de ser aoitado, Cor olha para Moiss com dio. O lho de Joquebede lamenta muito o sofrimento do chefe dos hebreus. Bakenmut chama Ikeni para um passeio at a casa de Senet, mas o o cial se recusa. Gahiji se preocupa com as fre-quentes brigas entre Uri e Leila. Moiss conversa com Joquebede e conta como conheceu Zpora.

    O resumo do ltimo captulo de Chiquiti-tas no foi divulgado pela emissora.

    Priscila e Isabela, que na verdade Ma-nuela, cantam mais uma vez na audio.Manuela recebe uma mensagem deIsabela pedindo para se encontrarem nobanheiro. Isabela avisa Manuela que tem um txi que a levar de volta ao vilarejo.Helena e Pedro tambm vo ao parque dediverso. Pedro avista Rebeca e Manuelacom Otvio.

    A carta de Flora diz que ela no est com condies emocionais para cuidar dos so-brinhos. Regina diz que Priscila no deve aceitar cantar com Isabela. A megera dizque achou Priscila bem melhor. Rebecav a roupa de Isabela e questiona a lha de quem aquela roupa. Geraldo explica que Priscila car com a voz e melodia, j Isabela ser a voz principal.

    Rebeca pergunta de quem a roupa e o MP3, Manuela responde que de umaamiga. Otvio vai at o vilarejo para saber como Rebeca est, j que no atendeu suas ligaes. Isabela no fala nada para poupara voz. Regina escuta e pergunta com quem ela vai trocar o que. Isabela diz que estava falando com uma amiga da escola para tro-carem de mesa na sala de aula.

    Meire vai at o apartamento dos Vaz para entregar para Flora o boleto do condom-nio. Sa ra diz para Tomas que precisa fazerOtvio viajar a trabalho. A luz da manso de Isabela acaba devido a chuva. Manuela,que se passa por Isabela, pede para Mari-na dormir com ela no quarto. Manuela fala,enquanto dorme, o nome de seus familia-res e Marina estranha os nomes.

    A no ve la no exi bi da aos s ba dos

    A no ve la no exi bi da aos s ba dos

    A no ve la no exi bi da aos s ba dos

    Rodrigo e Joo praticam escalada. Dias antes, na formatura dos alunos no colgio Leal Brazil, Rubem lamenta a ausncia de Joo, e Miguel se irrita. Joo e Rodrigo con-versam sobre as namoradas. Ana se preo-cupa com a viagem de Joo e Rodrigo. Luan implica com Rodrigo. Joo desa a Rodrigo a escalar um paredo beira-mar. Rodrigo sofre um acidente.

    Joo tenta socorrer Rodrigo e decide pegar o carro para pedir ajuda. Alina se irrita por no conseguir falar com Rodrigo. Joo diz a Alina que Rodrigo se acidentou, mas a menina no acredita. Joo consegue avi-sar a Ana sobre o acidente de Rodrigo. Uodson pede demisso do emprego e consegue o dinheiro que Luan precisava para despistar Vanda.

    Os bombei