edicao 433

16
PUB 25 de julho de 2013 N.º 433 ano 11 | 0,60 euros | Semanário Diretor Hermano Martins Cmara aprova inclusªo da obra do Metro no oramento Atualidade pÆg. 6 Bombeiros resgataram mulher do rio Atualidade pÆg. 3 Atualidade pÆg. 8 Passos de Dana encheram Casa das Artes AutÆrquicas pÆgs. 7 Bloco de Esquerda apresentou candidato Uniªo de Bougado Carlos Martins faz balano de mandato Entrevista pÆg. 2 Bombeiros resgataram mulher do rio

Upload: o-noticias-da-trofa

Post on 26-Mar-2016

253 views

Category:

Documents


1 download

DESCRIPTION

Edição de 25 de Julho de 2013

TRANSCRIPT

Page 1: Edicao 433

PUB

25 de julho de 2013N.º 433 ano 11 | 0,60 euros | Semanário

DiretorHermano Martins

EnchentenaExpoTrofaCâmaraaprovainclusãodaobradoMetronoorçamento

Atualidade pág. 6

Bombeirosresgatarammulherdorio

Atualidade pág. 3

Atualidade pág. 8

Passos de Dançaencheram Casa das Artes

Autárquicas págs. 7

Bloco de Esquerdaapresentou candidatoà União de Bougado

CarlosMartins fazbalançodemandato

Entrevista pág. 2

Bombeirosresgatarammulherdorio

Page 2: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 20132 Entrevista

Fundadora: Magda AraújoDiretor:Hermano Martins (T.E.774)Sub-diretora: Cátia Veloso (9699)Editor:O Notícias da Trofa Publicações PeriódicasLda.Publicidade: Maria dos Anjos AzevedoRedação: Patrícia Pereira (9687), Cátia Veloso (9699)Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro(C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741)Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga,

José Moreira da Silva (C.O. 864), Tiago

Vasconcelos, Valdemar Silva, Gualter CostaFotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O.865)Composição: Magda Araújo, Cátia VelosoImpressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda,Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extraeuropa: 88,50 euros; Europa: 69,50 euros;Assinatura em formato digital PDF: 15 eurosNIB: 0007 0605 0039952000684Avulso: 0,60 EurosE-mail: [email protected]

Os artigos publicados nesta edição do jornal“O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidadedos seus subscritores e não veiculam obrigatoria-mente a opinião da direção. O Notícias da Trofa res-peita a opinião dos seus leitores e não pretende demodo algum ferir suscetibilidades.

Todos os textos e anúncios publicados nestejornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Orto-gráfico. É totalmente proibida a cópia e reproduçãode fotografias, textos e demais conteúdos, sem au-torização escrita.

Nota de redaçãoFicha TécnicaSede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c -4785 - 699 TrofaTelf. e Fax: 252 414 714Propriedade: O Notícias da Trofa - PublicaçõesPeriódicas, Lda.NIF.: 506 529 002Registo ICS: 124105 | Nº Exemplares: 5000Depósito legal: 324719/11Detentores de 50 % do capital ou mais: MagdaAraújo

Telefones úteisBombeiros Voluntários

da Trofa 252 400 700GNR da Trofa252 499 180

Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10

Jornal O Notícias da Trofa252 414 714

Agenda

Farmácias de Serviço

Numa entrevista ao NT, opresidente da Junta de Fre-guesia do Muro, Carlos Mar-tins, elencou as obras quegostaria de ver realizadas an-tes de terminar o mandato. Anão vinda do metro é o únicoponto que considera negativo.

O Notícias da Trofa (NT): Co-mo avalia a sua presidência naJunta de Freguesia do Muro?

Carlos Martins (CM): Quemfaz a avaliação são os murensese não propriamente eu, mas te-nho a consciência que é umaavaliação positiva, porque se jáfomos eleitos para dois manda-tos é porque os murenses gos-taram e gostam do nosso traba-lho. Tentamos ser uma Junta deFreguesia que correspondesse ànecessidade de toda a gente,tentamos sempre fazer o bem co-mum e coletivo e tratar, indepen-dentemente da ideologia, da ra-ça, cor ou religião, toda a gentepor igual na freguesia.

NT: Quais foram os pontospositivos e negativos do man-dato?

CM: O ponto negativo não sódeste mandato, como tambémdo outro foi não conseguirmos avinda do metro, porque penso queas infraestruturas que se iam cri-ar e a mobilidade que ia dar ànossa freguesia e a revolta do po-vo do facto de nos terem tiradoaquilo que era um bem nosso.Falhamos ou falhei o objetivo queera de conseguir que se come-çasse com a linha do metro,mas independentemente disso,continuamos com a nossa lutae temos sempre a esperançaque o metro venha.

Em relação aos pontos posi-tivos foi conseguirmos que osnossos objetivos em termos elei-torais fossem cumpridos. Um dosobjetivos era que todas as casasficassem com paralelo à porta,para que os pisos não ficassemem terra batida. Falta muito pou-co para terminar isso, já fizemosmuitos quilómetros de ruas. Ou-tro era que as ruas tivessem ilu-

Carlos Martins, presidente da Junta de Freguesia do Muro, fez balanço de mandato

“Em termos de qualidade de vida temospraticamente tudo, só nos falta o metro”

minação pública. Neste momen-to, todo o território murense estápraticamente coberto.

Outro ponto positivo foi de fac-to a requalificação do nosso par-que escolar, que é um dos melho-res que conheço no concelho eaté extra-concelho. De facto éuma escola digna e fruto disso éque praticamente quase toda agente, mesmo fora de freguesia,quer ir para lá.

Desde pequeno que a popula-ção ansiava pela requalificaçãodo recinto da Capela de S. Panta-leão. Finalmente conseguiu-se,mesmo agora em final de man-dato, que a obra avançasse e quefosse uma realidade. Vamos verse a terminamos entretanto.

NT: Quando assumiu a Jun-ta de Freguesia que obras tinhaplaneado? Existe alguma obraque não vá conseguir concreti-zar até ao final do mandato?

CM: Todas as obras que tí-nhamos planeado em termos deexecução, que estavam nos nos-sos objetivos, penso que foramcumpridas em 80 por cento. Atéao final do mandato quero con-cretizar precisamente a requalifi-cação da zona envolvente à Ca-pela de S. Pantaleão e tentarabrir, que já está quase toda fei-ta, a Rua que vem de Gueidãos

até à Serra. Já se fez um bompedaço e agora faltam cerca de150 metros para acabar e fazer aligação da rua. Penso que é umaestrutura muito importante paraos moradores de Gueidãos e quetambém gostaria de ver se termi-nava até ao final do mandato.

NT: Das obras que foramfeitas, quais foram aquelasque ficarão marcadas na his-tória da freguesia?

CM: Foi o de colocar o parale-lo nas ruas habitadas que já ti-nham anos e anos de terra bati-da e que os moradores nuncapensariam que fosse possível lácolocar. Outra também importan-te, embora não seja da Junta deFreguesia, foi a colocação daágua e de saneamento. Pratica-mente o saneamento tem umacobertura total na freguesia eagora também a água vai chegarà porta de toda a gente. Emboranão seja uma infraestrutura daJunta de Freguesia, está a acon-tecer para a população.

Em termos de qualidade devida temos praticamente tudo, sónos falta o metro.

NT: Durante este mandatoiniciou uma obra de requali-ficação à zona envolvente daCapela de S. Pantaleão. É

uma obra que pretende darseguimento?

CM: Com certeza. É uma obraque dividimos em três fases. Aprimeira corresponde à avenida,que já foi feita há três anos, e asegunda é todo o espaço envol-vente à Capela, que vai ficar ago-ra pronto neste mandato. A ou-tra parte, que corresponde a ou-tra avenida, completaria a requali-ficação da zona envolvente. É ló-gico que pretendia dar segui-mento e requalificar a avenida atéà Estrada Nacional 318 e cons-truir o anfiteatro. Seria de extre-ma importância para os muren-ses e para a comunidade religio-sa e penso que independente-mente de estar lá ou não que éuma obra que qualquer um dese-jaria seguir.

NT: Antes de terminar omandato vai realizar algumaobra que ache essencial paraa freguesia?

CM: Faltam praticamentedois meses para terminar o man-dato. A obra que queremos ter-minar é a de S. Pantaleão eessa Rua de Gueidãos à Serra evamos continuar com a manuten-ção das ruas da freguesia, que éo ritmo normal de uma Junta.

Embora não seja uma obra daJunta de Freguesia, também gos-taria que no meu mandato a fre-guesia ficasse completamenteabastecida de água.

NT: Qual é o estado finan-ceiro da Junta de Freguesia?

CM: A Junta de Freguesia nãoé uma empresa, é uma institui-ção pública que gere o bem-es-tar social das populações. Nun-ca ficamos a dever nada, nemnunca ficamos com grandes di-nheiros, ou seja depósitos a pra-zo. É uma gestão normal, corren-te, que paga tudo a tempo e ho-ras a quem deve e vai fazendoconforme a receita que entra.Portanto não há dívidas. É o nor-mal funcionamento de uma donade casa, que não pode comprarmais do que aquilo que tem co-mo receita. P.P.

Carlos Martins quer terminar requalificação da capela de S. Pantaleão

Dia 25Festas de S. Cristóvão e S. Pantaleão,no Muro21 horas: Missa e sermão em honrade Santiago, na Igreja matriz de San-tiago de Bougado22.30 horas: Atuação do conjunto mu-sical A Rapaziada, no Souto da Lagoa

Dia 2621.30 horas: Mostra de música mo-derna, no bar da comissão de festasSenhora das Dores22 horas: Atuação de Márcia Azeve-do, no Souto da Lagoa22.30 horas: Atuação das Marchasde S. Pedro da Maganha, no Souto daLagoa

Dia 27Festas de S. Cristóvão e S. Pantaleão,no Muro16.30 horas: Apresentação do can-didato pelo PSD/CDS-PP à União dasFreguesias de S. Romão e S. Mamededo Coronado17 horas: Trofense-União18 horas: Apresentação do candida-to pelo CDU à União das Freguesias deAlvarelhos e Guidões e os candidatosda freguesia à Câmara e AssembleiaMunicipal da Trofa, na Casa Lopes, emGuidões20 horas: Missa e bênção do altar daCapela de S. Pantaleão, no Muro21.30 horas: Festival de folclore doRancho Etnográfico de Santiago deBougado, no Souto da Lagoa

Dia 28Festas de S. Cristóvão e S. Pantaleão,no Muro9 horas: Caminhada Rota das HortasBiológicas, partida do Parque Dr LimaCarneiro9.30 horas: Caminhada de solidarie-dade, em Covelas10-19 horas: Feira da Saúde, em S.Mamede do Coronado17.30 horas: Adoração, procissão ebênção do Santíssimo Sacramento,na igreja matriz21.30 horas: Final do concurso deFado Amador, no bar da comissão defestas Senhora das Dores

Dia 25Farmácia Nova

Dia 26Farmácia Moreira Padrão

Dia 27Farmácia de Ribeirão

Dia 28Farmácia Trofense

Dia 29Farmácia Barreto

Dia 30Farmácia Nova

Dia 31Farmácia Moreira Padrão

Dia 01 de agostoFarmácia de Ribeirão

Page 3: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Atualidade3

Cátia [email protected]

Hugo Correia salvou umamulher de 71 anos ao saltarpara o Rio Ave, em S. Marti-nho de Bougado.

O dia 18 de julho de 2013 vaificar para sempre marcado namemória de Hugo Correia. O bom-beiro é um dos novos heróis dacorporação da Trofa, depois de terresgatado uma idosa do Rio Ave.Cerca das 10.10 horas, chegou oalerta para “um cadáver encontra-do no rio”, em S. Martinho deBougado, nas traseiras da SantaCasa da Misericórdia, situaçãopara a qual foram mobilizados cin-co elementos dos BombeirosVoluntários da Trofa para proce-derem à retirada do corpo.

À chegada ao local, a senho-ra “encontrava-se dentro deágua, completamente à tona,

Bombeiro herói salta ao rio para salvar idosaimóvel e agarrada a um ramo”,relatou. No entanto, o cenárioalterou-se. “Com a queda de de-tritos ao rio, que movimentarama água, a senhora mexeu-se”,explicou Hugo Correia que, aoaperceber-se do movimento dasenhora, não pensou “em maisnada”. “Agarrei na boia, suporta-da pelos meus colegas, em tra-balho de equipa, e saltei à águapara resgatar a senhora”, contouo bombeiro.

Os bombeiros não conse-guem “precisar” o período de tem-po que a mulher esteve dentrode água, mas foi o suficiente paraentrar em hipotermia, apresen-tando uma temperatura corporalde 33 graus centígrados.

O que também é uma incóg-nita é como a senhora, residen-te da Santa Casa da Misericór-dia da Trofa, foi parar ao rio. Jun-to à margem existe uma vala aolongo de todo o Parque das Aze-

nhas com um metro de profundi-dade e 80 centímetros de largu-ra, que dificulta o acesso ao rio.

Segundo Zélia Reis, respon-sável da instituição, deram pelafalta da mulher cerca das 8 ho-ras da manhã, tendo iniciado deimediato as buscas. Ao depara-rem-se com a senhora dentro deágua, terão alertado os bombei-ros, que a resgataram.

Zélia Reis afirmou aindaque a senhora é “autónoma” enão tem dificuldades de loco-moção.

No local estiveram ainda aequipa do INEM da Viatura Mé-dica de Emergência e Reanima-ção, do CHMA, e a Guarda Na-cional Republicana da Trofa.

A mulher, com 71 anos, foitransportada para a unidade deFamalicão do Centro Hospitalardo Médio Ave (CHMA). Apesarde “fisicamente estar bem”, a ido-sa acabou por “ser transferidapara as urgências de psiquiatriado Hospital de S. João, no Por-to, e mais tarde para o HospitalMagalhães Lemos”, informouZélia Reis.

Equipa de bombeiros mobilizada para o local

“À chegada ao local deparamo-nos com umasenhora dentro de água, completamente à tona eimóvel. (…) Com a queda de detritos ao rio, quemovimentaram a água, a senhora mexeu-se. (…)Então não pensei em mais nada, agarrei na boia,suportada pelos meus colegas, saltei à água e fuibuscar a senhora”.

Hugo Correia

1ª FeiradaSaúdeemS.MamededoCoronado

“A prevenção primária dos fatores de risco modificáveis dasdoenças de índole comportamental” é o principal objetivo dadireção do Centro Social e Paroquial de S. Mamede do Coronado,ao organizar a primeira Feira da Saúde no próximo domingo, 28de julho. A iniciativa, que “visa a promoção da saúde”, é destina-da à “população em geral”.

Entre as 10 e as 19 horas, vão ser realizados “rastreiosgratuitos e ações de sensibilização/esclarecimento, procuran-do a reflexão e consciencialização de bons hábitos de saú-de”.

“Pretende-se obter uma dinamização entre várias áreas desaúde, nomeadamente desporto, informação geral e preventiva edivertimento”, avançou fonte da direção.

O evento será contemplado ainda pela assinatura de parceri-as com diversas entidades. P.P.

Page 4: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 20134Atualidade

Patrícia [email protected]

Lions Club da Trofa encer-ra ano leonístico, com doa-ções no valor de cinco mileuros.

Cinco mil euros. Este foi o va-lor total dos donativos monetári-os que o Lions Club da Trofa en-tregou a várias instituições entreos dias 15 e 19 de julho. Foi des-ta forma que Maria Lisete Leal,presidente cessante, encerrou oano leonístico de 2012 e 2013.

A Mundos de Vida (800 eu-ros), ASCOR - Associação deSolidariedade Social do Corona-do (800 euros), Associação Hu-manitária dos Bombeiros Volun-tários da Trofa (1600 euros), San-ta Casa da Misericórdia da Trofa(800 euros) e a APPACDM - As-sociação Portuguesa de Pais eAmigos do Cidadão DeficienteMental (mil euros) foram as ins-tituições beneficiárias.

Além disso, o Lions da Trofa

Patrícia [email protected]

De 25 a 28 de julho, o Sou-to da Lagoa, em Santiago deBougado, acolhe as festas emhonra de Santiago, padroei-ro da freguesia.

Todos os anos, a realizaçãodas festas do Senhor e de Santia-go cabe a um lugar da freguesiade Santiago de Bougado. Esteano, a responsabilidade recaiusobre o lugar da Maganha, cujaConfraria começou a trabalhar nodia 14 de julho, com as cerimó-nias da profissão de fé.

O juiz da Confraria, AntónioCastro, contou que, em conver-sa com Bruno Ferreira, párocode Santiago de Bougado, foi su-gerido que a festa do Senhor, quecelebra a profissão de fé dos jo-vens, fosse “mais leve” de formaa “libertar a tarde”. O padre achou“muito bem” que as cerimóniasdecorressem só de manhã e as-sim foi feito. Para além disso,Bruno Ferreira pediu que a festade Santiago fosse “melhorada”,por ser da opinião que o padroei-ro devia de ser “mais soleniza-

Festas do Senhor e de Santiagoganham nova dimensão

do, quer a nível religioso comoprofano”.

A Confraria procurou, assim,“diminuir” a festa do Senhor e tor-nar “mais solene” a de Santiago.Com um orçamento a rondar os“dez mil euros”, a Confraria procu-rou “angariar fundos” através dopeditório que fez de porta a por-ta pela freguesia e de alguns pa-trocínios. Além disso, conta coma “muito grande” colaboração daJunta de Freguesia de Santiagode Bougado, que “praticamente”vai comparticipar na totalidade odia de Santiago (25 de julho).

O dia do padroeiro começapelas 21 horas, com uma missasolene e sermão em sua honra,seguida de uma procissão de ve-las. A animação vai estar a car-go do conjunto de música tradici-onal portuguesa A Rapaziada,que atua pelas 22.30 horas, en-cerrando com uma sessão de fo-go de artifício.

Na sexta-feira, depois da eu-caristia, pelas 21 horas, decorrea atuação da Márcia Azevedo edas Marchas de S. Pedro daMaganha. Já no dia de sábadohá, pelas 21.30 horas, o festivalde folclore do Rancho Etnográfi-

co de Santiago de Bougado,que, além do grupo da casa, con-ta com as atuações do Grupo deDanças e Cantares Regionais doOrfeão da Feira (Santa Maria daFeira), Grupo Etnográfico dasAves (Santo Tirso), Grupo Folcló-rico Cultural e Recreativo de Al-bergaria a Velha e Grupo Asso-ciativo de Divulgação Tradicionalde Forjães (Esposende).

No último dia de festa, domin-go, o programa tem início com aentrada, pelas 9 horas, da Ban-da de Música da Trofa, seguidada missa solene e sermão comExposição do Santíssimo, pelas11 horas, e a atuação do grupomusical Cantares d’Outrora, pe-las 17 horas. Meia hora mais tar-de, há a adoração, procissão ebênção do Santíssimo Sacra-mento. António Castro esperaque a comunidade “adira” às fes-tas e que “S. Pedro ajude com otempo”. “Parece-me que vai es-tar bom tempo e que vai correrbem. Será a primeira vez que afesta terá este nível e esperemosque para o ano, que cabe a Cidaiorganizar, façam com o mesmoempenho ou ainda melhor quenós”, concluiu.

“Ajude-nos a fazer sorrir”. O pedido é da delegação da Trofada Cruz Vermelha Portuguesa que está a organizar um peditórioalimentar para este fim de semana, dias 27 e 28 de julho, noPingo Doce situado no Trofashopping. Arroz, massa, enlatados epapas lácteas são os bens não perecíveis mais necessitados.

A recolha alimentar vai permitir à delegação atender de “formaefetiva os pedidos de emergência alimentar diários”. Durante esteano, foram efetuados “221 pedidos” referenciados pelo serviço daLoja Social, no total de “724 pessoas”.

Apesar de o número de pedidos ter sido “o mesmo” do anopassado, a delegação denotou “um acréscimo substancial dasnecessidades da população”. P.P.

BreveCruzVermelhaorganizapeditórioalimentar

Lions da Trofa apoia instituições com 5000 euros

entregou uma cadeira de rodasà delegação da Trofa da Cruz Ver-melha Portuguesa. Segundo apresidente cessante, as verbas

entregues foram fruto de “donati-vos” e do “trabalho desenvolvidoao longo do ano”.

Recorde-se que o Lions da

Trofa desenvolveu diversas inici-ativas com o intuito de apoiar asdiversas associações do conce-lho. Foi o caso do Chá de Afetos

(em março) do qual resultou 500euros, que foram divididos pelasConferências de S. Vicente dePaulo das freguesias de Santia-go e S. Martinho de Bougado, edo jantar solidário (dezembro),onde foram angariados 2500euros para a APPACDM.

Para além disso, a instituiçãocontribuiu mensalmente com “50euros” para a compra de “carne”para o refeitório social da Portade Sabores e colaborou em “si-tuações pontuais”, como na“compra de medicamentos” e“cabazes alimentares”. MariaLisete Leal fez um “balanço po-sitivo” deste ano que encerrou,mencionando que a instituiçãoestá “satisfeita” por poder contri-buir com as associações, queestão a passar “uma fase difícil”.

Sem esquecer as pessoasque normalmente marcam pre-sença nos eventos realizadospelo Lions, a presidente cessanteagradeceu as contribuições da-das, que reverteram para “umaparte” dos fundos ofertados.

Ao longo do ano, APPACDM recebeu 3500 euros

Page 5: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Atualidade5

Patrícia [email protected]

Após um interregno de cer-ca de “sete anos”, as festasem honra de Nossa Senhorada Livração voltaram a reali-zar-se em Santiago de Bouga-do, entre os dias 15 e 21.

Há cerca de “sete anos” queo largo da capela de Nossa Se-nhora da Livração não acolhia avertente profana das festasdedicadas à santa, enquanto ascelebrações religiosas não serealizavam “há três anos”. Umgrupo, a convite do pároco deSantiago de Bougado, BrunoFerreira, decidiu reativar as fes-tas. Agradada pela iniciativa dosdez festeiros, residentes emLantemil, Cedões e Trofa Velha,a comunidade aderiu em massaàs festividades, que decorreramao longo de uma semana.

A vertente religiosa contoucom missas com sermão, um

Murenses mantêm festasem honra de S. Cristóvão e S.Pantaleão, que decorrem nosdias 25, 27 e 28 de julho. Umdos pontos altos é a bênçãodo novo altar da Capela, peloBispo.

Para que as festas em honrade S. Cristóvão e S. Pantaleãonão terminem, um grupo assu-miu, uma vez mais, a comissãode festas, constituída, pela “pri-meira vez”, por nove elementos.Gil Oliveira (vice-presidente), Car-los Pires (secretário) e Luís Mo-reira (vogal) esperam que a co-munidade adira em massa.

O primeiro dia das festas édedicado ao padroeiro da fregue-sia, S. Cristóvão. O programa co-meça pelas 20 horas, com umamissa na igreja matriz, seguidade uma procissão em honra doSanto, com “três andores”,acompanhada pelo grupo de ZésPereiras Os Divertidos de De-lães. O dia termina com a atua-ção do grupo de cavaquinhos Ca-nários de Balselhas.

Já as festas em honra de S.Pantaleão decorrem no fim de se-mana. Um dos pontos altos é amissa que se realiza pelas 20 ho-ras de sábado, na Capela de S.Pantaleão, que será presidida porD. Pio Alves, administrador apos-tólico da diocese do Porto, que

Festas S. Cristóvão e S. Pantaleão

Bênção do novo altar da Capela é ponto altovai “benzer” o novo altar. Estacerimónia vai marcar as obras deremodelação, a cargo da Comis-são de Fábrica da freguesia, queforam feitas na capela, desde acolocação de um “telhado novo”,nova pintura e “umas casas debanho decentes”.

Ainda no sábado, a partir das8 horas, o grupo de Zés PereirasOs Divertidos de Delães vai per-correr todos os lugares da fregue-sia, anunciando o início das fes-tividades. A animação do dia, queconta com uma sessão de fogo

de artificio, está a cargo do gru-po de aeróbica da AssociaçãoRecreativa Juventude do Muro,pelas 21.30 horas, e da atuaçãoda Maria Celeste e sua banda,pelas 22 horas.

Outra das novidades das fes-tas está reservada para domin-go, com uma missa solene quevai contar com a profissão de fédas crianças na igreja matriz,pelas 9.15 horas. A vertente reli-giosa fica completa com umamissa solene com sermão naCapela de S. Pantaleão, pelas

11 horas, e pela celebração dapalavra seguida da procissão emhonra de S. Pantaleão, com “seisandores”, pelas 16.30 horas. ABanda Filarmónica Boa VontadeLorvanense, pelas 8.30 horas, ogrupo Os Divertidos de Delães,pelas 14.30 horas, e os ranchosFolclórico de Alvarelhos e Etno-gráfico de Santiago de Bougado,pelas 15 horas, são os responsá-veis pela animação do último dia.

Com um orçamento a rondar“os 20 mil euros”, a comissãocomeçou desde o “final do ano

Festas da Senhora da Livração renasceramterço e procissão de velas até àimagem de Cristo Rei, uma mis-sa solene e um terço e procis-são em honra de Nossa Senho-ra da Livração. No fim de sema-na, a animação esteve a cargodos grupos Alvadance e SuperCrowd, Maria do Sameiro e NeloFerreira, encerrando com asatuações do Grupo de Danças eCantares e Rancho Etnográficode Santiago de Bougado.

O presidente da comissão defestas, Pedro Paiva, fez um ba-lanço “bastante positivo” das fes-tividades, tendo as perspetivassido “mais do que superadas”,relativamente àquilo que estavamà espera. Ao longo das festas, acomissão ouviu comentários“bastante positivos”, o que é “gra-tificante” e “dá força”, depois dotrabalho que tiveram. Também ascerimónias religiosas tiveramuma “boa adesão”, acrescentan-do que a procissão de velas “cor-reu bastante bem”.

Uma das apostas da comis-

são de festas foi a iluminação ea ornamentação da capela e ruasenvolventes, o que gerou comen-tários “agradáveis” por parte dacomunidade. Outra aposta foi anoitada na sexta-feira, que nãose fazia “há muito tempo”, queteve “muita gente” a assistir aoespetáculo do conjunto musicalSanto André. Pedro Paiva deno-tou a presença de “dois gruposde dança” de outras freguesias,que pediram para participar nasfestas, de forma a fazer uma “pe-quena demonstração”. A comis-são acedeu ao pedido, o quecorreu “bastante bem”, visto quea sua presença ajudou a trazer“bastante gente”.

Quando questionado sobre acontinuidade dos elementos paraorganizarem a festa no próximoano, Pedro Paiva foi evasivo: “De-pois logo se vê”, respondeu. Acomissão de festas está recetivaà entrada de “novos elementos”para que no próximo ano as fes-tas continuem. Festas foram muito participadas

passado” a desenvolver diversascampanhas para angariar verbaspara as festividades, como a “dis-tribuição de cartões de boas fes-tas” pela freguesia, “umas rifas”pela altura da Páscoa e “peditó-rios de porta a porta”. Outras fon-tes de receitas são os patrocíni-os das empresas e o espetáculodo “grupo de bombos”, que atu-ando pela freguesia vai angariar“mais dinheiro” aos murenses.

Relativamente aos peditórios,os festeiros “não” notaram umdecréscimo, afirmando que cor-reram “muito bem”, com os mu-renses a contribuírem “conformeas suas possibilidades”: “unsmais, outros menos”. Para alémdisso, conta ainda com o apoiode “pessoas mais generosas”que os ajudam a enfeitar a “cape-la, a igreja e os andores”, e com“a contribuição” da população dolugar do Ribeiro e de S. Roque,de Alvarelhos. Sendo a “única fes-ta da freguesia”, os festeiros es-peram que “as pessoas apareçampara recompensar o trabalho” fei-to durante “todo este período”.

A comissão de festas está aterminar o mandato e, por isso,deixa o convite à população mu-rense para “integrar uma nova co-missão”, pois quando “todos aju-dam nada custa”. “As pessoas quese façam ao terreno e colaboremum bocadinho”, concluíram. P.P.Luís Moreira, Gil Oliveira e Carlos Pires esperam participação massiva da população

Page 6: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 20136Atualidade

Cátia [email protected]

O executivo municipal daTrofa aprovou por maioria,com a abstenção dos verea-dores do Partido Social De-mocrata, a inclusão no PlanoPlurianual de Investimentospara o ano 2013, da emprei-tada da ligação dos ParquesNossa Senhora das Dores e Dr.Lima Carneiro, no âmbito doprojeto de Requalificação Ur-bana.

Esta empreitada, da respon-sabilidade da Metro do Porto SA(MP), está prevista na candida-tura e no protocolo de parcerialocal assinado em 2008 pela Câ-mara Municipal da Trofa e a MP,no qual a empresa que gere arede de metro na Áea Metropoli-tana do Porto se compromete aexecutar a obra de ligação dosparques.

No entanto, e porque a MP,necessita de “autorização daSecretaria de Estado dos Trans-portes para abrir o procedimentopara adjudicação da obra e ain-da não a obteve”, a Câmara Mu-nicipal da Trofa decidiu “acaute-lar” o futuro e incluir no seu orça-mento esta empreitada, com ovalor de cerca de 960 mil euros,para que “caso a autorização doSecretário de Estado dos Trans-

Câmara aprova por maioria inclusãoda ligação dos Parques em orçamento

portes, Sérgio Monteiro, não che-gue em tempo útil, a Câmara as-segure a execução da referidaobra, conseguindo assim termi-nar a requalificação dos ParquesNossa Senhoras das Dores e Dr.Lima Carneiro, financiado por fun-dos comunitários através doON.2, dentro dos prazos estabe-lecidos na candidatura.

A presidente da Câmara daTrofa, Joana Lima, garante queestá a fazer todos os esforçospara que a Metro dos Porto as-suma as suas responsabilida-des”, tendo já “reunido com osenhor Secretário de Estado quese mostrou sensível ao cumpri-mento, por parte da Metro doPorto, do protocolo de parcerialocal que assinou em 2008”.

A edil adiantou ainda que estaaprovação da inclusão desta em-preitada no orçamento municipalvai ainda ser votada pela As-sembleia Municipal, garantindoque tem “esperança” que rapida-mente o Secretário de Estado au-torize a Metro do Porto a procederàs abertura do procedimento.

Desta vez, os vereadores doPSD abstiveram-se ao contráriodo que fizeram a 1 de julho de2011, quando aprovaram a deli-beração que foi a reunião de Câ-mara, por imposição da CCDR-N (Comissão de Coordenação eDesenvolvimento Regional doNorte), para que o município as-

sumisse a realização da ligaçãodos parques, na altura orçada emum milhão e meio de euros , emcaso de incumprimento por par-te da Metro do Porto.

Vereador do PSDexplica abstenção

com ausência do túnelContactado pelo NT, o verea-

dor do PSD, António Pontes, ex-plicou que o sentido de voto mu-dou relativamente ao que foi vota-do a 1 de julho de 2011, porque,para além de “o assunto não es-

tar previamente marcado na reu-nião de Câmara”, o que “limitouuma posição mais fundamenta-da dos vereadores”, a interven-ção assumida pela autarquia“não contempla a construção dotúnel”. “Esta parece uma questãosimbólica, mas não o é, pois en-tendemos que a existência do tú-nel manteria a pressão na MP, re-lativamente à ida do metro até àTrofa”, sustentou. No entanto, fon-te da autarquia garante queaquando a aprovação da delibera-ção a 1 de julho de 2011, “o proje-

to de 1,5 mihões de euros já nãocontemplava a construção do tú-nel”. Este valor, justificado pelasdificuldades financeiras da Me-tro do Porto, obrigou a uma revi-são do projeto que, incialmente,estava orçado em 5,7 milhões deeuros.

O social-democrata explicitaque a revisão do orçamento paraa realização desta empreitada sónão mereceu o voto desfavoráveldos vereadores do PSD, por en-tenderem que “se porventura, nãofor tomada uma decisão da Câ-mara no sentido da assunção daresponsabilidade, quase de cer-teza absoluta que a Trofa vai per-der os oito milhões de euros doQREN”. “Não estamos em con-dições para empurrar para vale-ta esse valor, pois estamos a fa-lar de uma obra muito importan-te para requalificar o centro dacidade”, acrescentou.

No entanto, António Pontesconsidera que este processo “de-via ter sido melhor gerido” para“não deixar até à última” e evitarque “se fizesse um ultimato aoconcelho”. A Administração Cen-tral também não se livrou dascríticas do social-democrata: “Aolongo destes dez anos, temossido sistematicamente engana-dos por aquela gente que estáno Terreiro do Paço. A Câmarajá devia ter metido essa gente emtribunal, uma vez que não cum-pre o que está estabelecido e as-sinado. Sobre aquilo que nos forpossível, não devemos abdicarnem um centímetro sobre estaquestão”, sustentou.

Câmara vai responsabilizar-se pela ligação dos parques para não perder fundos comunitários

Page 7: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Atualidade7

Cátia VelosoPatrícia Pereira

Manuel Carvalho candida-ta-se a Bougado com a priori-dade de “colocar as pessoasem primeiro lugar”.

“Olhar em primeiro lugar paraas pessoas”, deixando “de fora”as “obras megalómanas”. Estaé uma das prioridades de Manu-el Carvalho, que se candidata pe-lo Bloco de Esquerda à União deFreguesias de S. Martinho eSantiago de Bougado.

Na noite de sexta-feira, 19 dejulho, a Casa da Cultura foi o lo-cal escolhido para a apresenta-ção do bloquista, que se com-prometeu a ter “empenho” na “re-solução dos problemas dos tro-fenses”, principalmente das “fa-mílias comprovadamente caren-ciadas”, através de “apoios logís-ticos, materiais e humanos”.

E se para as crianças comnecessidades, Manuel Carvalhosugere a “abertura das cantinasescolares durante o período de

A direção do jornal O Notícias da Trofa informa que a redaçãoestará fechada para férias entre os dias 19 e 31 de agosto.

Por essa razão, durante estes dias, não haverá atendimento aopúblico nem serão distribuídas as edições semanais nesse perío-do. No entanto, a equipa do NT fará a cobertura dos acontecimen-tos mais relevantes no concelho ao longo desses dias e a publica-ção das respetivas notícias será feita na primeira edição do mêsde setembro, que será publicada no dia 5.

A decisão de interromper a publicação do jornal prende-se coma necessidade de possibilitar aos colaboradores que trabalhamneste semanário o gozo de duas semanas de férias, durante omês de agosto.

A direção e administração agradecem a compreensão dos lei-tores.

As atividades de porta a por-ta, os convívios e as festas jáfazem parte do ADN das candi-daturas autárquicas, mas háquem queira marcar a diferença.É o caso da candidatura de JoanaLima à Câmara Municipal daTrofa, que apostou no desporto.Desde 22 de julho, todas as se-gundas, quartas e sextas-feiras,

Bloco de Esquerda apresentoucandidato à União de Freguesias do Bougado

férias”, para os mais velhos com“rendimentos inferiores ao orde-nado mínimo nacional, a propostaé “a comparticipação na aquisi-ção de medicamentos e bens deprimeira necessidade”.

O bloquista entende que aTrofa se tornou “num dormitório”e que são importantes “medidas”que revitalizem a cidade, como“converter edifícios públicos e au-tárquicos devolutos em sede pa-ra as diversas organizações cul-turais, acarinhando-as e motivan-do-as para que no dia a dia cres-çam sustentadamente e se sin-tam realizadas”, afirmou. “Retifi-car e organizar de forma diferen-te a postura de trânsito, tanto ho-rizontal como vertical, em toda acidade, para que seja mais efi-caz e fluente, criando mais con-dições de segurança aos trofen-ses e às pessoas que nos visi-tam” é uma das medidas presen-tes no manifesto de Manuel Car-valho, assim como a “luta” pelachegada do metro e o apoio aocomércio e à indústria, atravésda “colocação de passeios em

todas as vias” da cidade.Gualter Costa é o candidato

do Bloco de Esquerda à CâmaraMunicipal da Trofa e para a reabi-litação urbana elencou várias pro-postas como “transformar a RuaConde S. Bento numa via pedo-nal, onde possam ser instaladas

esplanadas e realizados eventosde rua, como uma feira do livro eespetáculos de teatro ao ar livre”.O bloquista quer ainda “reabilitaralgumas praças”. “O Largo doCarioca está completamenteabandonado, assim como a pra-ça na Rua 1º de Maio e o Largo

Costa Ferreira, do lado da CasaAntunes”, sublinhou.

Gualter Costa sugere ainda arealização de eventos e festasque envolvam a população, comoo “Trofa Viva, uma vez por mêsdurante o verão”, uma “feiratecnológica, para potenciar aárea metalomecânica”, e “umafeira de produtos biológicos”.

E “se a Trofa quer ser umacidade do futuro, tem que dis-ponibilizar internet em todos osespaços públicos”, considerou ocandidato.

A descentralização dos ser-viços públicos para potenciar ocomércio tradicional e o reforçoda iluminação pública foram ou-tras das medidas apresentadaspor Gualter Costa.

Com esta iniciativa, o BE con-clui o período de apresentaçãodos candidatos autárquicos. Jun-tamente com Manuel Carvalho,concorrem Sónia Moreira à Uniãode Freguesias de Alvarelhos eGuidões e Horácio Figueiredo àUnião de Freguesias de S. Ro-mão e S. Mamede do Coronado.

Manuel Carvalho quer “colocar as pessoas em 1º lugar”

NT não publicará edições de 22 e 29de agosto

Jornalvaide férias

Candidatura de Joana Limadesafia à prática desportiva

a zona envolvente à nova esta-ção de comboios transforma-senum ginásio ao ar livre. De acor-do com dados da organização,no primeiro dia participaram “cer-ca de 200 pessoas”, entre asquais Joana Lima.

“Em Forma com Determinação”é o nome da atividade, que vaiexplorar as modalidades de zum-

ba, pilates, body balance, bodycombat, body vive, treino funcio-nal, localizada, masterclass, trailnoturno, duatlo, stretching e mtvdance. A candidatura da socia-lista promove também caminha-das, sendo que para domingo,está agendada uma com partidajunto à Igreja do Muro, às 9 ho-ras. C.V.

Page 8: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 20138Atualidade

Cátia [email protected]

Escola Passos de Dançaterminou mais um ano de ati-vidade com espetáculo na Ca-sa da Artes, que contou commais de uma centena de bai-larinos e 500 pessoas na assis-tência.

A Bela Adormecida foi a histó-ria que a Passos de Dança adap-tou para presentear as cerca de500 pessoas que encheram o au-ditório da Casa das Artes, paraver o espetáculo de fim de anoda escola. Mariana Ribeiro inter-pretou o papel de Aurora, a prin-cesa que ao espetar o dedo nofuso enfeitiçado adormece numsono profundo por um século, até

Mais de cem criançasno espetáculo da Passos de Dança

despertar com o beijo do prínci-pe encantado.

Já na vida real, Mariana con-cretiza um sonho que parecia“muito distante de alcançar”. Es-te espetáculo serviu para a bai-larina encerrar uma fase da car-reira, despedindo-se da escolaque a lançou para o mundo dadança. Agora, o desafio tem a es-cala de um conto de fadas, masexige trabalho e dedicação.Manchester, na Inglaterra, é odestino da jovem que, em mar-ço, foi aprovada numa audição daNorthern Ballet School, para ondeingressa a partir de setembro.“Os meus dias vão mudar radi-calmente. Vou abandonar umaescola secundária para dançaroito horas por dia, todos os diasda semana”, contou ao NT e à

TrofaTv.Este espetáculo também ser-

viu para Mariana experimentar osseus dotes como professora,sendo uma das bailarinas maisvelhas que ajudaram Márcia Fer-reira a preparar as coreografias.No total, passaram pelo palcomais de 110 crianças e jovensque também brindaram o públi-co com uma viagem pelo mundoatravés da dança, na primeiraparte da atuação. Para as dan-ças latinas, a Passos de Dançacontou com a colaboração dedois dançarinos da Dance Now,e para retratar as tradições por-tuguesas participou o Grupo deTradições Infantis de Cidai.

“Este ano, tivemos menostempo para ensaiar do que é nor-mal, porque os nossos exames

realizaram-se mais cedo, masconseguimos ter o espetáculocoreografado nas férias da Pás-coa, o que nos permitiu ter meta-de do trabalho adiantado. Paramim, que o viu de lado, acho quecorreu muito bem”, contou Már-cia Ferreira.

A professora revela que a saí-da de bailarinas provoca-lhe um“misto” de emoções: “É uma ale-gria muito grande saber que,quando viemos para a Trofa nãocontávamos ter esta dimensão,mas os projetos foram aumen-tando até que se proporcionaramconcursos e idas para fora. Poroutro lado, sinto alguma triste-za, por pensar que não vou estarcom elas todos os dias, porquefoi uma vivência de sete anos”.

As conquistas de Mariana Ri-

beiro, assim como de Paula Ba-rata e Ana Maria Ferreira, que vãoingressar na Escola Profissionalde Ballet e Teatro, no Porto, parafazerem o curso de dança, sãoprova de que “a Trofa tem muitotalento”, considera a professora.

Quem também estava “muitoorgulhoso” era José Sá, presiden-te da Junta de Freguesia de S.Martinho de Bougado, que apos-tou no projeto. “Foi um espetácu-lo deslumbrante, proporcionadopelas nossas crianças e, de cer-teza, que agradou a todos. Esteé um projeto ganhador, que temmelhorado de ano para ano, euma escola que enobrece a nos-sa terra. Continuarei a fazer tudopara que a escola se mantenhacom esta qualidade acima damédia”, concluiu.

Page 9: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Atualidade9

Cátia Veloso

Os microscópios, o balãode erlenmeyer, os esguichos,as buretas e o almofariz já es-tão prontos a serem utilizadospelos alunos da Escola Bási-ca 2/3 Professor NapoleãoSousa Marques. Os materiaisjá estão no laboratório de ci-ências, projeto vencedor daprimeira edição do Orçamen-to Participativo Jovem, quefoi inaugurado esta segunda-feira, 22 de julho.

Regina Silva fez parte do gru-po de jovens que, em 2011, seuniu para se candidatar ao Or-çamento Participativo Jovem(OPJ) com o objetivo de dotar aEB 2/3 Professor Napoleão Sou-sa Marques com um laboratóriode ciências.

“Estávamos no 8º ano e nadisciplina de física e química pre-cisávamos de aprender a parteprática, mas as condições fica-vam muito aquém das bases quenecessitávamos para o 10º ano.Como tínhamos um défice muitogrande de material, tivemos aideia de apresentar a proposta decriarmos um laboratório para que

Laboratório de ciências inaugurado

os próximos colegas usufruís-sem”, contou a jovem, na manhãde segunda-feira, altura da inau-guração do projeto que, a par doparque geriátrico, dos escuteirosde Santiago Bougado, foi o ven-cedor da primeira edição do OPJ.

O projeto, de âmbito escolar,contou com uma verba de 7500euros para ser posto em prática.

Dois anos depois, a ideia dos jo-vens concretizou-se. Apesar dejá não poder usufruir, Regina con-sidera importante deixar este le-gado. “Quando comecei com es-ta proposta, sabia que não iaestar pronta a tempo de eu po-der usufruir, mas continuei e aquiestá ela para os meus colegas.Tenho a certeza que lhes vai dar

muito jeito para adquirir basespara o 10º ano”, sustentou.

Depois de inaugurados os pri-meiros dois projetos, seguem-sena lista de concretizações oSkateland, junto à nova estaçãode comboios, e o circuito de ma-nutenção na EB 2/3 de Alvare-lhos, que venceram a segundaedição do OPJ, em 2012. Joana

Lima, presidente da Câmara Mu-nicipal da Trofa, afirmou que es-pera ver os projetos no terrenoaté ao final do ano, para “fazerjus ao compromisso de em cadaano, concluir os projetos que ven-ceram no ano anterior”.

A autarca elogiou o envolvi-mento crescente dos jovens noOPJ e, em resposta, anunciouque o executivo vai aumentar,anualmente, em cinco mil euros,o montante disponível, à seme-lhança do que já aconteceu esteano, que subiu de 20 mil eurospara 25 mil.

“Ao longo destes três anos,os jovens têm participado cadavez mais e têm apresentado maisprojetos e por isso são um orgu-lho para todos nós. Desta forma,têm demonstrado quão são críti-cos, que têm ideias e quão sãoimportantes para as decisões donosso concelho”, sublinhou.

Na última edição do OPJ, cu-ja assembleia municipal jovem serealizou em maio deste ano, osprojetos vencedores foram umaviatura de transporte coletivo paraa Associação Cultural e Recrea-tiva Vigorosa e material didáticoe livros para as escolas da La-goa e Paradela.

Laboratório de ciências dá bases aos alunos para o ensino secundário

Page 10: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 201310Atualidade

“Pelo segundo ano consecutivo a Casa da Cultura da Trofaapresenta um aumento significativo de utilizadores e visitantes”.O balanço é feito pela Câmara Municipal da Trofa que, num comu-nicado enviado à imprensa, denotou que o “primeiro semestre de2013 apresentou um aumento significativo face ao mesmo perío-do de 2012”. Devido a estes dados, a autarquia “acredita” que atéao final do ano, a Casa da Cultura será “uma vez mais o espaçocultural de referência e preferência dos munícipes trofenses”.

Durante os primeiros seis meses do ano, o número de entra-das passou de “13 mil para mais de 18 mil”. Quanto aos utilizadoresdas salas de leitura da Biblioteca Municipal Prof. Doutor AntónioCruz passou de “2945 para 3716”, enquanto o número de leitoresinscritos “aproxima-se já dos 1700”.

Para a Câmara da Trofa o “aumento significativo de utilizadorese visitantes” retrata a “aposta na política cultural” direcionada para“a oferta de atividades e projetos orientados para os seusmunícipes, nomeadamente, a regular oferta de exposições, a or-ganização de atividades constantes para as escolas e para o pú-blico infantojuvenil”, tais como “o aumento de visitas de grupo aoedifício e o alargamento do projeto ‘Hora do Conto e do Saber’ aosalunos do pré-escolar”. Simultaneamente neste primeiro semes-tre houve “um investimento a nível do acervo bibliográfico” da Bibli-oteca Municipal, a qual conta com “mais de dez mil livros disponí-veis”, o que fez com que o “número de empréstimos domiciliáriostivesse aumentado”. P.P.

Os amantes de poesia nãofaltaram a mais uma edição do“Hoje vou ao café… ouvir poesia”,que prestou homenagem aospoetas Sophia de Mello BreynerAndresen e Mia Couto.

O café Pool, em S. Martinhode Bougado, acolheu esta inici-ativa cultural que se realizou na

Hypnotic Wall, Brain Zapping, A radio escape, Libelinha, LivingTales e The Sponsors foram as bandas que passaram pelo palcodo bar da comissão de festas em honra de Nossa Senhora dasDores, situado no antigo edifício da estação de comboios, nasnoites de sexta-feira e sábado, 19 e 20 de julho.

As atuações estão inseridas na primeira edição da Mostra deMúsica Moderna, que a comissão de festas, este ano a cargo dolugar de Mosteirô, está a dinamizar.

Na próxima sexta-feira, 26 de julho, novas bandas sobem aopalco a partir das 21.30 horas. Dawn of Time, Lyzzard e Stuckersão as bandas de cartaz nesse dia.

Já no dia 2 de agosto, será a vez de Virtus, 61 e Brendren Soulatuarem. A mostra termina no dia 3, com os espetáculos musicaisde Ojuara & Rogg, Interrogativos, Rukka e Felder. P.P.

A Casa do Futebol Clube do Porto da Trofa está a organizarpara o próximo sábado, 27 de julho, uma noite dedicada ao karaokee à caipirinha. A iniciativa tem início pelas 22.30 horas.

A Casa do Porto promete “muita animação e surpresas”, contantocom a “boa disposição” de todos aqueles que se quiserem associ-ar à festa. P.P.

Dez concorrentes vão dispu-tar a final do concurso “Trofa dáVoz ao Fado”, que se realiza nopróximo domingo, 28 de julho,pelas 21.30 horas, no bar da co-missão de festas, no recinto daantiga estação de comboios.

Desde o dia 15 de julho, queos 30 inscritos, oriundos de vári-os concelhos como Trofa, Vilado Conde, Maia, Guimarães,Braga, Santo Tirso, Ribeirão,Gondomar, Lousado, Penafiel ePóvoa de Varzim, passaram pelo

Final do concurso de fadomarcada para domingo

palco, divididos em “várias elimi-natórias”, sendo que, em cadauma, foram apurados dois con-correntes. Cada um teve o acom-panhamento de Amável Carneirona guitarra e Manuel Reis na vio-la.

Além do diploma, os trêsclassificados vão receber, como1º prémio, cem euros e um fimde semana em hotel para duaspessoas, patrocinado pelaHalcon Viagens Trofa, o 2ºprémio será no valor de cem

euros e o 3º prémio será no valorde 50 euros.

Com a promoção deste con-curso de Fado, a Câmara Muni-cipal da Trofa, que o tem desen-volvido em parceria com a comis-são de festas em honra de Nos-sa Senhora das Dores, temcomo principal objetivo “divulgaro Fado, Património Imaterial daHumanidade, dando a conhecerao grande público as vozes que,quase anonimamente, vão divul-gando este género musical”. P.P.

Poesia com café em S. Martinhonoite de sexta-feira, 19 de julho.Além destes poetas em desta-que, os participantes puderamdeclamar outros autores, comoManuel Alegre, Cesário Verde,António Lobo Antunes e AntónioGedeão.

“Uma vez mais os presentesforam convidados a declamarem

as suas poesias preferidas tor-nando esta sessão ainda maisespecial”, afirmou fonte daautarquia.

Foi assim que terminou a ter-ceira edição desta iniciativa cul-tural, que é desenvolvida pelaCâmara Municipal da Trofa, des-de 2010, com o intuito de “pro-curar descentralizar a oferta cul-tural, levando a cada uma dasfreguesias do concelho a poesiae os seus autores, conciliandouma ida ao café com a declama-ção de poesia”.

A iniciativa cultural, que jápercorreu todas as freguesias daTrofa, foi selecionada pela Co-missão de Coordenação da RedeTerritorial Portuguesa das Cida-des Educadoras, como “umexemplo de boas práticas muni-cipais, a integrar uma exposiçãonacional itinerante”. P.P.

Bandasdegaragemnobardacomissãodefestas

Noite de karaokenaCasado FCPorto

CasadaCulturacommaisvisitantesno 1º semestre

Page 11: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Publicidade11

Page 12: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 201312Atualidade

Nunca lhe aconteceu olhar para o seu caixote de lixo e/ouecoponto e pensar: “Ainda ontem te esvaziei e já estás quasecheio outra vez?”

Sem nos apercebermos, o nosso lixo doméstico mudou nasúltimas décadas. Agora, tudo o que compramos tem mais “cama-das”, incluindo os bens que consumimos diariamente: 50% dasembalagens produzidas são alimentares. Por exemplo, um paco-te de bolachas era, normalmente, constituído por bolachas envol-tas numa embalagem de plástico. Agora, uma grande parte dasbolachas vêm em pacotes individuais de plástico dentro de umaembalagem maior de cartão. Também houve uma mudança dehábitos e compram-se mais refeições prontas, congeladas, que,também elas, implicam mais embalagens.

Se começarmos a olhar para as nossas compras mensais (ousemanais) com olhos de ver, notamos que há um número absurdode pacotes, caixas, sacos. Até a fruta e os vegetais são vendidosem embalagens de esferovite envoltas em película plástica.

Muitos dirão: “Pois, mas eu separo o meu lixo e envio-o para areciclagem”. E se até parece que é verdade que mais de 60% dosportugueses admitem separar o lixo, apenas 12% dizem fazê-locom a totalidade dos seus resíduos: os mais separados são ovidro, seguido pelos jornais e revistas; os menos separados sãoas embalagens de metal, as bases de esferovite para alimentos eas embalagens de iogurte (http://tinyurl.com/649kp7o).

E todo este lixo que fazemos (e não reciclamos!) é enviadopara incineração ou para um aterro, não “desaparece”: vai poluir oar, a terra, a água. E mesmo se reciclar é – regra geral – melhorque “fazer de novo”, ainda assim este processo consome recursose gera desperdícios. A solução? O primeiro dos 3 R’s: REDUZIR.

Voltar a comprar mais coisas a granel. Preferir os mercados,as feiras, as mercearias, onde é possível comprar quase tudo semembalagem: fruta, vegetais, grãos, cereais, condimentos. Gostade chá? Nas ervanárias, pode comprá-lo avulso ou num saco, aoinvés de vir numa saqueta de papel, dentro de uma embalagem depapel (ou de plástico), dentro de uma caixa de cartão. E é muitomais saboroso! E por falar em sabor, o café em grão, acabado demoer não dá um café muito melhor do que o das pastilhas e cáp-sulas? Demora mais tempo? Será assim tanto? Suja mais? Nadaque um pano húmido não resolva.

E se não quer – para já - abdicar do seu supermercado, come-ce a optar pelas bolachas que só têm uma embalagem, pela frutasem esferovite, quem sabe até pelos iogurtes em embalagem devidro. Até já há uma cadeia de hipermercados com uma zonadedicada ao granel, onde encontra um sem número de artigos aopeso, incluindo cereais para o pequeno-almoço.

Experimente mudar um hábito de cada vez, vai ver que não lhecusta nada e, ao fim de algum tempo, vai reparar que tem que irmenos vezes despejar o caixote de lixo/ecoponto. E, provavelmente,também vai notar na sua carteira, porque as embalagens são caras!

Ainda não está convencido?! Comece a ver o lixo de formadiferente, algo que não gosta nada de ter em casa, seja esta o seular ou... o planeta que o acolhe! Entusiasme-se em produzir omínimo possível de desperdício. Vai ver que se torna numa aventu-ra: e um dia, dá por si a sentar-se numa esplanada e a pedir –conscientemente - um sumo natural sem palhinha...

ema magalhãesAPVC – Associação para a Protecção do Vale do Coronado.

http://facebook.com/valedocoronadohttp://valedocoronado.blogspot.com

A manhã do dia 15 de julhoficou reservada à redescobertade uma das maiores riquezas emtermos de património existenteno concelho da Trofa: o Castrode Alvarelhos.

Eram 9.30 horas da manhã eum grupo de habitantes locais jáse encontrava no Castro para darinício à viagem a tempos remotosconduzida pela técnica do Gabine-te de Património Cultural da Casada Cultura da Trofa, Laura Silva.

Correio do Leitor: Visita guiada ao Castro de Alvarelhos

À descobertado património trofense

O Castro, classificado Monu-mento Nacional desde 1910, éum local arqueológico que con-tém inúmeros vestígios de ocu-pação em finais da Idade do Bron-ze até à Idade Média e que pos-sui uma estrutura bem visível dopovoado romano que aí habitou.

Tendo em conta tudo isto, avisita permitiu entender o modode vida dos romanos e esclare-ceu diversos assuntos taiscomo: a localização estratégica

do Castro, como seriam as ca-sas da época, como era feita aorganização do território, comofuncionariam as termas, quais ostesouros aí descobertos e ondeestes se encontram atualmente.Destacou-se a necessidade dese criar um museu na Trofa paraacolher esses achados que fa-zem parte da história e do patri-mónio dos trofenses.

No fim, houve ainda tempopara os visitantes desfrutarem deum lanche envoltos na paisagemcampestre de Alvarelhos.

Estas visitas guiadas, propor-cionadas pela Câmara Municipalda Trofa, podem ser solicitadasa qualquer momento desde queo número de interessados o jus-tifique. Isto porque, e como sepode ler no site da Câmara, “to-dos têm direito à fruição dos va-lores e bens que integram o pa-trimónio cultural, como modo dedesenvolvimento da personalida-de através da realização cultu-ral” (Lei 107/2001).

Ana Torres

CrónicaVerde Embalagens

Page 13: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Desporto 13

Patrícia PereiraHermano Martins

O Parque Nossa Senhoradas Dores foi palco da inicia-tiva Ser Trofa com Desporto,que possibilitou às dezenasde participantes experimen-tarem as várias modalidadesem destaque na tarde de do-mingo, 21 de julho.

Aeróbica, karaté, zumba,cycling e boom fitness foram asmodalidades que estiveram emdestaque na iniciativa Ser Trofacom desporto, que decorreu noParque Nossa Senhora das Do-res. A realização do primeiroflashmob do concelho marcou aatividade, que foi promovida pelaAEBA - Associação Empresari-al do Baixo Ave.

A iniciativa contou com a par-ticipação de associações locais,que promoveram e demonstra-ram o potencial recreativo e des-portivo existente na Trofa. Foi ocaso da Associação RecreativaJuventude do Muro (ARMJ), quese apresentou com a modalida-de de aeróbica, e da Escola Mu-

Flashmob pôs participantes a praticar desporto

rakami da Trofa pertencente àRegião Norte da AssociaçãoShotokai de Portugal, com o ka-raté. Também os ginásios doconcelho estiveram envolvidos. OBodytone fez uma demonstraçãode zumba, seguida de uma aulade cycling, da responsabilidadedo Be Fitness, e de Boom

Fitness, pela Academia Munici-pal Aquaplace.

Para o presidente da ARJM,José Pedro Lima, este tipo de ati-vidades é “importante”, porqueajuda na divulgação não só damodalidade, como também daassociação. Opinião partilhadapor Miguel Almeida, instrutor da

Escola Murakami da Trofa, queacrescentou: “É muito importan-te que as pessoas entendamque na Trofa há mais modalida-des para além do futebol”.

Para o presidente da AEBA,Manuel Pontes, que estava “agostar” da atividade, foi “um diamagnífico”, onde foram divulga-

das “algumas novas” modalida-des. Apesar de mencionar queeste programa merecia “maisadesão”, Manuel Pontes enten-de que as pessoas “começam aficar um bocadinho saturadas”com a “enorme quantidade” deiniciativas que existem.

Relativamente ao flashmob,o presidente contou que tinhasido anunciada “uma novidade”,tendo ficado “curioso” com o quepoderia acontecer. No final, “gos-tou” do que viu e felicitou a “quan-tidade de juventude” presente,pela “inovação” que trouxe à ativi-dade. “Fiquei surpreendido e soudos que acreditam que os nos-sos jovens têm futuro, assim ostenha quem os governe e os ori-ente, porque o nosso país temfuturo”, concluiu.

Os mais pequenos não foramesquecidos e divertiram-se comos modeladores de balões, pin-turas faciais e insufláveis.

Esta iniciativa está integradano projeto de requalificação dosParques da cidade da Trofa, ten-do sido cofinanciado através doFundo Europeu de Desenvolvi-mento Regional.

Demonstração de zumba foi das mais concorridas

Patrícia [email protected]

Num jogo disputado fren-te ao Arouca, a equipa profis-sional do Clube DesportivoTrofense apresentou-se aossócios, no final da tarde dequarta-feira, dia 24 de julho.

Foi perante uma fraca audi-ência, que o Clube DesportivoTrofense apresentou a equipaprofissional para a época 2013/2014. Um a um, os jogados en-traram no relvado, passando porum corredor formado por atletasda formação, que os cumprimen-tavam e desejavam boa sorte. Osprimeiros a entrar no recinto fo-ram os capitães, cargos entre-gues a Tiago, Hélder Sousa eLuiz Alberto, seguidos dos res-tantes colegas da equipa. Tam-bém os juniores Miguel Ângelo,Simãozinho, Bruno e Nené, queparticiparam na equipa durantea pré-época, fizeram parte daapresentação. Os últimos a en-trar em campo foram os elemen-tos que compõem a equipa téc-nica, Luís Diogo (treinador princi-

Trofense apresenta-seaos sócios com vitória

pal), Manuel Ribeiro, Nuno Car-valho, Daniel Barreira e Vítor Oli-veira, treinadores adjuntos.

O Arouca foi a equipa escolhi-da para o jogo de apresentaçãoaos sócios. O único golo da par-tida pertenceu ao Trofense e sur-giu aos 30 minutos, por intermé-dio de João Jesus,. Quinze mi-

nutos depois foi assinalado umpenálti a favor do Arouca. BrunoAmaro foi o escolhido para mar-cação, com guarda-redes Conra-do a negar o empate. Enquantona primeira parte o Trofenseenvergou o equipamento princi-pal, composto por camisola ver-melha e calções azuis, na se-

gunda parte utilizou o alternati-vo, que é todo em branco. Já osguarda-redes têm um equipa-mento verde e azul.

PlantelGuarda-redes: Ricardo, Conra-do e Diogo FreireDefesas: Luiz Alberto, Matheus,Tiago Dias, Guevara, Márcio,

Dennis Nieblas, Paulo Monteiro,Tiago MesquitaMédios: Tiago, Hélder Sousa,André Viana, Jorge Inocêncio,Rateira, Chico, Marcelo, AitorNisa, Mateus Fonseca, NevesExtremos: Rua, PreciadoAvançados: João Jesus, Rafi-nha, Dani

Plantel do Trofense apresentou-se esta quarta-feira

Page 14: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 201314 Desporto

Cátia [email protected]

“Continuar o trabalho” de-senvolvido até agora é oobjetivo da direção lideradapor Adalberto Maia, que foieleita com 92 por cento dosvotos.

Adalberto Maia foi reeleitopresidente da direção do Atléti-co Clube Bougadense, numa daseleições “mais participadas” dosúltimos anos. Realizado no dia17 de julho, o sufrágio contoucom 37 votantes, dos quais 34elegeram a lista A, única a escru-tínio, enquanto dois votos forambrancos e um nulo.

O presidente do emblema deSantiago de Bougado afirmouque a recandidatura foi susten-tada pela “força” que “a direçãoque terminou o mandato aindademonstrava” e pela “vontade” deevitar que as pessoas que esta-vam a preparar uma lista concor-rente “entrassem no clube”. “Ha-via condições para continuarmos,pois quem sofreu e passou pe-los piores momentos, tambémconsegue continuar este traba-lho, mesmo que eu não ficassee o resto da direção encontras-se uma pessoa mais competen-te para o meu lugar. Por outro la-do, não sentíamos que a outralista garantia um bom trabalhoem prol dos interesses de umagrande associação como é o

Adalberto Maia reeleito presidente do Bougadense

Atlético Clube Bougadense”, fri-sou, acrescentando que “as elei-ções foram participadas, porqueos sócios tinham receio que ou-tra lista pudesse apresentar-sea sufrágio”.

Esta eleição ficou ainda mar-cada pela estreia de uma mulhercomo presidente da Assembleia-geral do clube, Vera Araújo. Opresidente aproveitou para “daras boas vindas à primeira mulherna história do clube que encabe-ça a assembleia-geral, assimcomo agradecer ao antigo presi-dente, António Pontes, ao JorgeTorres e ao António Barbosa, pelasempre pronta colaboração”.

Paulo Renato é o presidente

do conselho fiscal e, segundoAdalberto Maia, “mostrou-se dis-ponível para ajudar o Bougaden-se naquilo que for preciso”.

A direção também conta comnovos elementos, que trarão“sangue novo” ao clube para en-frentar os desafios que “passamessencialmente por continuar otrabalho desenvolvido até agora”.“Queremos saldar algumas dívi-das pequenas e que a equipa sé-nior consiga concretizar o objeti-vo da manutenção”, adiantou.

Para a época que está pres-tes a começar, Hilário Duque, vi-ce-presidente da assembleia-ge-ral, apela ao apoio de “todos ossócios”, assim como “empresas

que queiram ajudar o clube”.

João Cruz é o novo treinador

Foi eleita há uma semana,mas já trabalha a todo o vapor. Adireção do Bougadense já esco-lheu o novo treinador da equipasénior. João Cruz, que treinou aequipa do Paradela entre 2008 e2011, conseguindo uma subidade divisão, e, mais recentemen-te, no Balasar, aceitou o convitee vai aventurar-se no comandotécnico bougadense.

O plantel está a ser formado,tendo como prioridade “os jovensda terra”, por isso já estão ga-rantidos os regressos de Rena-

to e Fábio Araújo, que na épocapassada representaram o S.Romão. Os responsáveis do clu-be esperam ter o grupo comple-to nas próximas duas semanas.

Uma das novidades destaépoca é a realização da TaçaDistrital “Brali”, na qual concor-rem os clubes das divisõesseniores distritais. A competiçãotem duas fases, sendo que a pri-meira agrupará clubes de cadacampeonato em séries de qua-tro, a uma volta por pontos, apu-rando-se o 1º classificado, comtrês jogos a disputarem-se a 8,15 e 22 de setembro. Os apura-dos para a segunda fase dispu-tam as eliminatórias a uma sómão em campo neutralizado.

No ofício enviado aos clubes,a Associação de Futebol do Por-to deixa em aberto a possibilida-de de o vencedor poder ser con-templado com a participação naTaça de Portugal, no entanto, aconfirmação surgirá “oportuna-mente, conforme vier a ser defe-rido pela Federação Portuguesade Futebol”.

Bougadense abraçanova modalidade

O clube vai abraçar uma novamodalidade: o atletismo.

Pedro Sá transita da Associ-ação Cultural e Recreativa Vigo-rosa e será o responsável pelonovo grupo de atletas do Bou-gadense.

Adalberto Maia (à esq) e Hilário Duque estão a preparar nova época

“Dar a conhecer” a horta bio-lógica e “mais um bocadinho daTrofa” é o objetivo da ADAPTA -Associação para a Defesa doPatrimónio da Região da Trofa aoorganizar uma caminhada.

Elsa Maia e Andreia Rodri-gues, atletas do Ginásio da Trofa,conquistaram o topo do pódionos campeonatos do Norte, noescalão sénior, realizado em Gui-marães, nos dias 19 e 20 de ju-lho.

Elsa Maia terminou em pri-

Elsa Maia e Andreia Rodriguesvencem nos campeonatos do Norte

meiro lugar nos 400 metros, en-quanto Andreia Rodrigues venceunos 1500 metros.

O Ginásio da Trofa tambémesteve representado nos 800 me-tros, com Andreia Rodrigues (2ª),Elsa Maia (3ª), João Ferreira (8º),Ana Ribeiro (9ª) e Tiago Silva

ADAPTA dinamizacaminhada pelas hortas biológicas

“Rota das Hortas Biológicas”é o nome desta iniciativa, que de-corre pelas 9 horas do próximodomingo, 28 de julho. Com a du-ração prevista de “duas horas”,a caminhada parte do Parque Dr.

Lima Carneiro, num percurso “cir-cular” de “nove quilómetros”.

“É uma caminhada fácil de sefazer, estando aberta a todas asidades”, referiu o presidente daADAPTA, Pedro Daniel Costa. P.P.

(13º).Nos 1500 metros, para além

da vencedora, também participa-ram os atletas trofenses Ana Ri-beiro (5ª), Tiago Silva (13º), TiagoMoreira (22º). João Ferreira ter-minou em 5º lugar nos cinco milmetros. C.V.

Atualize a sua assinatura anual

Page 15: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt25 de julho de 2013 Opinião15

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, meteu-se numa alhada tremen-da, ao travar a remodelação governamental anunciada pelo primeiro-ministro, PedroPassos Coelho, que propôs uma nova estrutura governamental com o líder do CDS,Paulo Portas, a vice-primeiro-ministro, com a coordenação da área económica, dasnegociações com a “troika” e da reforma do estado. Em alternativa, Cavaco Silvadecidiu fazer uma intervenção pública a apelar aos três partidos políticos do arco dagovernabilidade (PSD, PS e CDS) para se entenderem num “compromisso de salva-ção nacional”.

As conversações entre o PSD, CDS e PS, para um “compromisso de salvaçãonacional” foram um exercício de hipocrisia política, pois sabia-se à partida que ia ficartudo na mesma. As pressões exercidas, desde o início, sobre o líder do PS, AntónioJosé Seguro, foram muitas. O líder do PS, que ficou entalado entre a espada (Presi-dente da República) e a parede (alguns dinossauros do Partido Socialista), teve umaoportunidade de se afirmar como um verdadeiro líder, mas decidiu escolher o caminhodo “suicídio político” ao terminar, de forma abrupta e desastrada, o fim das conversa-ções. O seu tempo de liderar os socialistas chegou ao fim do prazo de validade

O líder socialista mostrou que é um líder fraco, com um fim à vista e sem margemde manobra para negociar com quem quer que seja. Se António José Seguro tivesseassinado o acordo, teria ganho aos olhos dos portugueses, uma dimensão de Esta-do, que nunca teve. O próprio Partido Socialista mostrou que é um partido só preocu-pado com o seu interior e com a ambição do poder. Atingir o poder a qualquer custoé típico de um partido pouco responsável, politicamente.

Em toda a nossa História, nunca estivemos tão dependentes como agora e, tam-bém por isso, precisamos de partidos e de políticos que coloquem o país e os portu-gueses acima dos seus interesses partidários. O país não precisa de um líder(in)Seguro. Um governo socialista, com este líder, conduziria o país a uma tragédia eassim sendo, não fazia qualquer sentido convocar eleições antecipadas para entre-gar o poder a este partido, que não merece. O país e os portugueses merecem muitomelhor.

Cavaco Silva, depois de mais este erro que cometeu, inclusive ter anunciado umacoisa inédita em Democracia: a “morte a prazo” da Assembleia da República, retificouo erro e não marcou eleições antecipadas. Foi uma excelente decisão, pois a incer-teza dos resultados eleitorais, poderiam deixar o país numa situação ingovernável.

Com toda esta crise, a maioria saiu mais forte e até mais reforçada. O Governo,como órgão de soberania que o é, não responde perante “assembleias populares” derua, organizadas pelos tradicionais “comités”, mas responde perante a Assembleiada República. É assim desde a revisão constitucional de 1982, a tal Constituição quemuitos acenam quase permanentemente para falar de “direitos adquiridos”, mas quese esquecem dela quando não lhes convém. É a nossa democracia no apogeu dapolítica “bolorenta”. A Assembleia da República é eleita pelos portugueses para ummandato de quatro anos. Cumpra-se! [email protected]

www.moreiradasilva.pt

Os recentes eventos destinados à juventude no concelho, além de eventos focali-zados para um público mais jovem, devem servir de ponto de partida para uma refle-xão sobre as políticas de juventude no nosso concelho.

Como todos bem sabemos a época de verão é uma época propícia à realização deeventos ao ar livre. Eventos festivos, que em ano de eleições ficam imunes à crise eexponenciam-se por todo o concelho. Certamente já constataram que muitos desseseventos festivos têm a chancela de eventos destinados ou vocacionados para a juven-tude. Aquela juventude que durante quatro anos permaneceu esquecida ou simples-mente ignorada (quer pelo executivo municipal, quer pelos partidos que representamatualmente a oposição), mas que em ano de eleições por artes quase mágicas,assume um papel de relevante destaque.

Mas, estes são eventos festivos pontuais, que não conseguem disfarçar junto dapopulação (especialmente da juvenil) a inexistência de políticas concelhias para ajuventude e uma total insensibilidade para os temas e problemas que dizem respeitoaos jovens.

Tal como em muitos outros municípios, a Trofa dispõe de um Conselho Municipalde Juventude, cuja ação tem sido até ao presente momento incipiente e até impercetível.Continua a existir uma pavorosa falta de equipamentos culturais, de desporto e delazer, de programas de incentivo ao empreendedorismo e ao emprego jovem, assimcomo de habitação a custos controlados destinados aos jovens casais.

Tal como noutras áreas, também as políticas de juventude na Trofa têm-se resu-mido no essencial a pontuais festividades, por vezes excessivamente mediatizadas.A única honrosa exceção é o OPJ. Mas, o montante excessivamente reduzido (paranão considerar até ridículo) e o modelo adotado, condicionam o seu sucesso eabrangência.

Também no domínio da juventude a Trofa tem vontade de mudar. O BLOCO DEESQUERDA TROFA aposta numa Câmara Municipal capaz de ouvir e de dialogar deperto com os jovens. Capaz de oferecer verdadeiras políticas de juventude, que vão aoencontro das aspirações e reais necessidades dos jovens do concelho.

Assim, o BLOCO DE ESQUERDA TROFA propõe um conjunto de medidas capazde revolucionar as políticas de juventude no concelho. Um conjunto de medidas quecolocarão o nosso jovem concelho na vanguarda das políticas de juventude. Um con-celho capaz de responder às exigências dos jovens do século XXI.

No Bloco, entendemos que não há políticas de juventude sem um espaço condig-no dedicado à juventude do concelho. Assim, propomos a reconversão da antigaestação da Trofa num Centro Municipal de Juventude. Neste espaço propomos acriação de uma Academia Municipal de Música e Artes, onde será ministrada gratui-tamente aos jovens do concelho formação nas áreas da música, do teatro, do cine-ma, da fotografia, da pintura e da escrita.

Propomos ainda a recuperação e reconversão do velho armazém junto à antigaestação, num espaço de exposições e atelier, destinado aos jovens artistas trofenses.Os espaços exteriores, seriam utilizados para a instalação de esplanadas (cominternet gratuita), de um anfiteatro ao ar livre e de infraestruturas desportivas, comocampos de futebol de cinco, campos de basquetebol, campos de ténis ou um parqueradical.

Esta é uma reabilitação que não deve cingir-se apenas à área envolvente à antigaestação. Deverá expandir-se a toda a área da antiga linha no centro da cidade. As-sim, defendemos a elaboração de um protocolo com as entidades detentoras dosterrenos, no sentido de ser possível a utilização desse espaço para a criação de umnovo espaço verde no centro da cidade, com um circuito de manutenção e umapequena ciclovia citadina.

Com estas infraestruturas destinadas à juventude, a Trofa estaria em condiçõesde avançar com verdadeiras e necessárias políticas de juventude, como o espaçosaúde jovem; concursos de música, pintura, fotografia, teatro, cinema, dj’s; sessõesde teatro amador e de cinema ao ar livre; debates sobre temáticas relacionadas coma juventude; workshops; cursos intensivos e livres; programas de férias ativas; labora-tórios tecnológicos e parcerias várias com o IPJ.

O BLOCO DE ESQUERDA TROFA sugere ainda, a criação de incubadoras deempresas em todas as freguesias, com vagas exclusivas para jovens. A criação decondições para a instalação na Trofa de um polo de uma instituição de ensinosuperior (pública ou privada). Ao nível da habitação para jovens, propomos umaredução das tarifas da água, do saneamento e do IMI para os fogos detidos oualugados a jovens até aos 30 anos (em especial para edifícios reabilitados no cen-tro da cidade).

Gualter CostaCoordenador Concelhio Bloco de Esquerda Trofa.

[email protected]

Dr. José Magalhães Moreira, Vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, nouso de competência delegada, por despacho da Senhora Presidente da CâmaraMunicipal, de 03 de Janeiro de 2011:

Torna público, nos termos e para os efeitos do 91.º, da Lei 169/99, de 18 deSetembro, alterada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, que de acordo com asdeliberações da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal, de 20/06/2013 e 27/06/20013, respetivamente, foi aprovado o “Regulamento sobre os Procedimen-tos de Atribuição do Direito ao Arrendamento de Habitação Municipal ”, quese encontra à disposição de quem desejar consultar, na Divisão de Ação Social eSaúde, desta Câmara Municipal, sito no Centro Comunitário Municipal da Trofa, naRua Conde S. Bento, Centro Comercial da Vinha, R/c, loja 52, freguesia de S.Martinho de Bougado.

Para constar e para os devidos efeitos legais, publica-se o presente edital, eoutros com igual teor, que vão ser afixados no átrio dos Paços do Município edemais lugares de estilo, no jornal “O Notícias da Trofa”, bem como no sítio dainternet www.mun-trofa.pt.

E eu, Maria Isabel Rodrigues Veiga, Chefe de Divisão de Ação Social eSaúde, o subscrevo.

Sede do Município, 3 de Julho de 2013.O Vice-Presidente da Câmara Municipal,

José Magalhães Moreira

O país não precisade um líder (in)Seguro

Câmara Municipal da TrofaEDITAL Nº 53/2013

Políticas de JuventudeOs pilares do NossoFuturo Coletivo

Page 16: Edicao 433

www.onoticiasdatrofa.pt 25 de julho de 201316Atualidade

Patrícia [email protected]

Durante dois dias, o areei-ro de Bairros, em Santiago deBougado, acolheu a 4ª ediçãoda Juventude em Festa. Atua-ção de Herman José e desfilede moda foram os pontos al-tos.

Humor e música foram os in-gredientes para a abertura demais uma edição da Juventudeem Festa. Herman José foi a fi-gura de cartaz desta iniciativa,que decorreu no areeiro de Bair-ros, em Santiago de Bougado.Já a noite de sábado foi dedicadaà moda.

Pelo palco iluminado, com orio Ave e a Azenha de Bairroscomo pano de fundo, passarammanequins trofenses, que desfi-laram as coleções de lojas doconcelho. Bikinis, calções depraia e roupa casual foram aspropostas apresentadas pelaslojistas, que aproveitaram paradar umas dicas para ter o me-

Herman José em espetáculono areeiro de Bairros

lhor visual deste verão. Um des-file que também contou com apresença dos mais novos, que,com a sua timidez, deixou o pú-blico presente encantado com aapresentação das propostaspara o início de aulas.

E estando numa altura de co-munhões, casamentos e batiza-dos, foram apresentadas propos-tas para fatos de noivo, vestidosde noiva e de cerimónia. O “ca-sal” de noivos exibia-se comduas crianças, demonstrando aconjunção ideal para o dia do seucasamento.

A novidade deste ano foi aparceria com quatro bares doconcelho que, durante a iniciati-va, descentralizaram a suaatividade para o areeiro e anima-ram o certame.

Apesar de ser uma festa dedi-cada à juventude, durante os doisdias passaram pelo recinto pú-blico de diversas áreas, desdeos mais pequenos aos adultos,que não quiseram perder estaoportunidade para ver as cole-ções para esta estação e assis-

tir ao espetáculo de Herman Jo-sé.

A organização esteve a car-go da Junta de Freguesia deSantiago de Bougado, que fez umbalanço “claramente positivo”desta iniciativa. O presidente daJunta, António Azevedo, denotou

que foram “dois dias magníficos”,que teve “uma enorme enchen-te”, tanto na primeira noite, dedi-cada ao espetáculo de HermanJosé, como no desfile, devido àparticipação dos jovens. “Trazen-do crianças e jovens temos sem-pre sucesso”, explicou.

António Azevedo refutou aaparente fraca adesão, em com-paração com os anos anteriores,apontando como “problema” ofacto de o areeiro este ano terestado “muito mais comprido elargo”. “Quem esteve cá em cimareparou que teve muito mais gen-te. Além de isto ter quase o do-bro da largura e do comprimento,os bares espalhados deram asensação de que teve menos gen-te, mas não, teve mais”, afirmou.

Como este é o último ano emque está à frente da organização,o presidente da Junta lançou odesafio ao próximo executivomunicipal ou da União de Fre-guesias de Bougado para “conti-nuar” com esta iniciativa dedica-da à juventude. “Esta festa teráque continuar quer seja em ter-mos de freguesia, quer seja mu-nicipal, porque isto são dois diasnum local magnífico que não po-dem acabar”, concluiu.

A animação das noites este-ve a cargo dos bares participan-tes, do músico e produtor Jokae da Dj Kika Lewis.

Herman José animou noite de sexta-feira

Durante dois dias, recinto encheu-se de público de todas as idadesDesfile apresentou propostas para vestuário juvenil