edicao 2554

Download Edicao 2554

Post on 12-Mar-2016

228 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Timoneiro

TRANSCRIPT

  • Guarda na casa do Prefeito Alteraes no MagistrioModificados pontos do Plano de Carreira dos Professores de Canoas. Segundo o sindicato da categoria, as alteraes trazem novos prejuzos em alguns pontos.

    Uma viatura da Guarda Municipal protegeu a casa do Prefeito durante o dia em que ocorre-ram as manifestaes, causando indignao por parte da corporao.

    Canoas, 28 de junho a 4 de julho de 2013

    Edio n 2554Fundado em 29.07.66

    R$ 1,50

    Pg. 11 Pg. 15

    46anos

    Semana de CanoaSSemana de CanoaSmS do BraSil

    Na semana em que Canoas completa 74 anos, milhares saem s ruas para protestar contra a corrupo.

  • CANOAS, 28 DE JUNHO A 4 DE JULHO DE 2013 I POLTICA I O TIMONEIRO I 3

    INCOMPETNCIAJornalista ingls publicou:Desde 2003, o Brasil j sabia que seria sede da Copa

    do Mundo de 2014. No fez nenhum planejamento nem teve nenhuma organizao para as obras. Deixou tudo para a ltima hora. Assim, conseguiu a falta de controle, a ausncia de fiscalizao e preos superfaturados.

    Assim funcionou a incompetncia e a irresponsa-bilidade do Governo Federal, mas quem pagou foi o povo. Obras superfaturadas levaram os brasileiros s ruas para protestar.

    No tem propaganda que consiga enganar, caiu a mscara da farsa e da mentira.

    CANOASPREVA entidade fundada em 2003, no governo Ronchetti

    (PSDB), completa 10 anos. Seu crescimento se deve fiscalizao de funcionrios pblicos, crescimento que no maior pela culpa dos governos.

    Todos os prefeitos usaram o dinheiro do Canoasprev sem pagar juros nem correo monetria. O patrimnio da entidade estaria maior se o dinheiro que o Prefeito atual e o anterior usaram no caixa da Prefeitura sem pagar nada de renda. Se o Canoasprev tivesse aplicado o dinheiro que a Prefeitura tomou compulsoriamente, sem pagar nada, j teria algumas centenas de milhares de reais em rentabilidade.

    A previdncia dos funcionrios est prejudicada pela incompetncia dos governos. O que tem que terminar a presidncia da entidade ser indicada pelo Prefeito. Quem tem que designar o presidente da entidade so os seus responsveis. O governo no tem que mostrar os responsveis para o Canoasprev.

    Para o futuro da previdncia dos servidores pblicos de Canoas, quanto mais longe do gabinete dos prefeitos, melhor, eles s atrapalham e do prejuzo. Tem que tirar as mos da Prefeitura do caixa do Canoasprev.

    DONA AMLIAO ms de maio marcou os 90 anos de dona Amlia

    Nascimento. Uma trajetria de vida dedicada solida-riedade, famlia e ao seu fervoroso esprito religioso. Seu falecido esposo, Alcides Nascimento, em vrios mandatos, inclusive como presidente da Cmara, nunca despertou em dona Amlia de proselitismo, marketing ou exposio de seus trabalhos beneficentes.

    Os amigos, familiares e os que conhecem a gran-deza de dona Amlia comemoram com alegria a data e a sua predisposio para a vida e para apoiar os que mais necessitam.

    jorgeuequed@terra.com.br

    Quaisquer semelhanas com fatos, dados, nomes ou pessoas conhecidas, relacionados com esta estria, simplesmente mera coincidncia, ou produto da inteligncia fantasiosa ou excepcional do leitor.

    Cidade do Faz de ContaMEDO

    Assessor encarregado de receber contribuies espontneas chega esbaforido na casa do prefeito DA CIDADE DO FAZ DE CONTA.

    ASSESSOR - Chefe, estou com medo. Esto des-cobrindo tudo, j mexeram na minha conta bancria e tomaram informao dos meus bens. Essa onda vai me atingir. Recebo muito telefonema me avisando de investigaes.

    CHEFE - Calma, no bem assim. Isto passa. s no dar entrevista e nem colocar a cara na janela.

    ASSESSOR, ao telefone - Chefe, estou com medo. Avisaram-me que esto investigando a minha vida, a sua e daquele parente da sua mulher que o senhor colocou os bens no nome dele. O cara que me avisou meu amigo e da federal.

    CHEFE - Calma, vamos ficar quietos que isso passa e no acontece nada.

    MULHER DO CHEFE - Querido, tu tens que fazer alguma coisa, tem gente do teu gabinete gravando os teus telefonemas e tirando cpia dos documentos. Uma amiga minha viu uns documentos daquele terreno que compramos em nome da minha prima l naquele loteamento carssimo. Estou com medo, muito medo.

    CHEFE - Calma, deixa passar a onda, isto passa. J tem exemplos na histria que isto aconteceu e passou.

    Depois de uma hora de telefonemas a todos da equipe de subserventes e tomadores de contribuies espontneas, o CHEFE ligou para o seu marqueteiro.

    CHEFE - Meu querido, j sabes o que est acon-tecendo. Faz alguma coisa, quero te dizer que estou com medo, muito medo. Esto gravando tudo, tirando cpia, ouvindo gente nossa. Estou com medo. Estou te falando aqui escondido num banheiro de restaurante.

    MARQUETEIRO - Quem est falando? No lhe conheo. Quem lhe deu meu telefone?

    CHEFE - Querido, sou eu. Aqui vai o meu cdigo para no ter dvidas: xp4pc84.

    MARQUETEIRO - Deve ser engano. No conheo ningum com o assunto que o senhor est falando e nem tenho cdigo nenhum. Desculpe-me, deve ser um erro seu de discagem.

    CHEFE, sussurrando - Agora meu medo aumentou, at o querido est me abandonando. Comeo acre-ditar que a casa caiu. Vou fazer mudanas rpidas e enrgicas para ver se contem essa avalanche.

    POVO NA RUAQuem assistiu s manifestaes populares de todo

    Brasil e em Canoas, pode ressaltar trs aspectos:1) O povo ordeiro e pacfico, mas protesta dura-

    mente contra a corrupo que tomou conta do pas e agride a sociedade;

    2) O povo no quer mais donos do poder, nem che-fes, nem ditadores, muito menos polticos que s pen-sam em seus interesses, em suas vaidades e esquecem os compromissos assumidos em campanha;

    3) Que a propaganda e o marketing dos governos no enganam mais ningum. Pronto. Saturou. Assim como saturou o empreguismo, a utilizao de cargo em confiana para fortalecer os partidos polticos e o abuso de poder de alguns governantes.

    O resultado que: a casa caiu. Ou muda, ou vm mais manifestaes e com elas o carimbo:

    NO QUERO MAIS VOCS, VO PARA CASA. QUERO MUDAR OS DIRIGENTES. OS ATUAIS FRACASSARAM

    JOS FONTESO amigo e jornalista Jos Fontes, um dos pioneiros

    da cultura e da imprensa canoense, quando j em 1956 editava o Boletim Informativo, e logo mais, em 1958, lanava o Gazeta de Notcias, e que tambm editou o Fato Ilustrado, Revista Interclubes, Jornal de Canoas (o verdadeiro, no esse planejado pela Prefeitura Munici-pal) entre outros e atualmente atua como co-editor do Jornal da Cidade e colunista de O Timoneiro, pregou um susto em seus familiares e amigos. Na quinta-feira, dia 20, teve um AVC. Mas como guerreiro valente no se entrega, j est em pronta recuperao, e comeando seus primeiros exerccios de fisioterapia para o mais breve possvel retornar s suas atividades, sempre com posies fortes sobre os assuntos da cidade e do pas.

    DEPUTADO NELSINHO o atual presidente da Comisso de Segurana e

    de servios pblicos, que na segunda-feira, 24, este-ve em Itabuna Minas Gerais juntamente com outros parlamentares integrantes da comisso para conhecer a experincia da priso sem guardas mantida por uma associao de voluntrios.

    Assim, no poderia comparecer s manifestaes populares que ocorreram em Canoas.

    PROTESTOSOs executivos foram os grandes alvos dos protes-

    tos que os brasileiros levaram s ruas. A Presidente da Repblica, governadores e prefeitos receberam as mais duras crticas por incompetncia administrativa, excesso de promoo pessoal, mordomia e m aplicao dos recursos pblicos. O prefeito Jairo Jorge (PT) vem sofrendo grande desgaste na opinio pblica pelo uso excessivo para sua promoo pessoal e de seu partido na maquina pblica. A pssima situao da sade e da falta de recursos para a educao motivou grande nmero de protestos na cidade.

  • O sonho

    Na semana do aniversrio de Canoas, a cidade resolveu no apenas comemorar. Os canoenses foram s ruas para mostrar seu descontentamento com situaes que so enfrentadas diariamen-te na cidade que completa agora 74 anos. So

    mais de sete dcadas de Educao precria no municpio, de caos na sade, de transporte pblico sucateado e de tantos outros descasos do poder pblico com a populao.

    Era natural que um dia os canoenses fossem acordar. E o povo acor-

    dou, justamente nesta que conhecida como a Semana de Canoas, e que desta vez ocorre em um ms no qual o Brasil inteiro resolveu se levantar para protestar por temas diversos. Os protestos, quando pacficos, ajudam a sedimentar a democra-cia e a escrever a histria. Estes 74 anos so apenas o incio da trajetria desta cidade. Portanto, que estes protestos sirvam para que os prximos 74, 100, 200 anos sejam melhores para os canoenses.

    4 I O TIMONEIRO I OPINIO I CANOAS, 28 DE JUNHO A 4 DE JULHO DE 2013

    Editorial

    Canoas acordou!

    Diretor: Feres Jorge UequedRedator: merson VasconcelosDiagramao: Sinara DutraColaboradores: Daltiva UequedCirculao: Celo Andreotti Redao: Av. Victor Barreto, 3056/3 andarSala 314 - Centro - Canoas - RS - Cep 92010-000Circulao SemanalFechamento comercial: Quintas-feiras, s 14 horasIMPRESSO: Gazeta do Sul S/A - Rua Ramiro Barcelos, 1.206Santa Cruz do Sul-RS.Filiado a ADJORI/RS Os textos assinados so de inteira responsabilidade de seus autores, no traduzindo obrigatoriamente a opinio do jornal.

    Editado por: CEDRO - Editora e Empresa de Comunicao Ltda. CGC/MF 02.347.932/0001-30

    Fone/fax: 3032.3022 - 3472.3022 e-mail: otimoneiro@otimoneiro.com.br

    site: www.otimoneiro.com.brEscritrio comErcial Porto alEgrE

    AV. CARLOS GOMES, 126/207 - HIGIENPOLIS - F.:8415.3142

    Desde 1966 relatandoa histria de Canoas

    E o povo acordou, justamente nesta que conhecida como a Semana de Canoas...

    Estou aposentado, ento ouo esses programas de reportagense entrevistas nas rdios Am. Gostaria mui-to de um dia participar de alguns assuntos polmicos como o novo aeroporto. Fui servid

Recommended

View more >