dermeval saviani uma trajetÓria de luta e ?· dom paulo realizou um culto ecumênico na catedral...

Download DERMEVAL SAVIANI UMA TRAJETÓRIA DE LUTA E ?· Dom Paulo realizou um culto ecumênico na Catedral da…

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    DERMEVAL SAVIANI UMA TRAJETRIA DE LUTA E

    COMPROMISSO COM A EDUCAO TRANSFORMADORA

    Eraldo Leme Batista1

    Marcos Roberto Lima2

    RESUMO

    Neste texto, discorreremos sobre a importncia de Dermeval Saviani e sua obra para a

    educao brasileira. Trata-se da anlise de um autor de relevncia para o pensamento

    social, poltico e pedaggico brasileiro, sobretudo na virada do sculo XX para XXI,

    mantendo-se atual diante dos debates poltico pedaggicos hodiernos. Ao estudarmos

    sua obra e trajetria de vida, verificamos que Saviani sempre esteve comprometido com

    a luta por uma sociedade justa e igualitria, sendo a socializao do saber elaborado um

    de seus principais fundamentos. No decorrer de sua vida acadmica, escreveu

    importantes obras que tm contribudo para a formao crtica de milhares de

    educadores, consolidando-se como clssicos do pensamento pedaggico brasileiro,

    leitura obrigatria para a compreenso da educao em terras braslicas. Queremos

    afirmar com isso que no se estuda filosofia da educao, histria da educao,

    sociologia da educao e polticas educacionais, numa perspectiva crtica, sem o estudo

    comprometido com as obras de Dermeval Saviani.

    Palavras-chave: educao; pedagogia histrico-crtica; emancipao humana

    1 Doutor em Educao pela UNICAMP e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas HISTEDBR. E-

    mail: eraldo_batista@hotmail.com 2 Mestre em Educao pela UNICAMP e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas HISTEDBR. E-

    mail: lima2782@terra.com.br

  • 2

    Introduo

    Saviani nasceu em 1944, na cidade de Santo Antonio de Posse. Concluiu seus

    estudos pela PUC-SP em 1966, tornando-se doutor em filosofia da educao pela

    mesma universidade, no ano de 1971. Em 1986, tornou-se livre docente em Histria da

    educao pela Unicamp, tendo realizado estgio snior na Itlia entre os anos de

    1994-1995. Recebeu como condecorao a medalha do mrito educacional do

    Ministrio da educao, sendo tambm condecorado com o Prmio Zeferino Vaz da

    Unicamp, onde atualmente professor emrito, coordenando o Grupo Nacional de

    Estudos e Pesquisas Histria, Sociedade e educao no Brasil (HISTEDBR). Em

    2010, recebeu o ttulo de Pesquisador emrito do CNPq.

    Filho de pais que nunca frequentaram a escola, Saviani teve a oportunidade de

    estudar em um Seminrio, onde realizou seus estudos at o incio da formao

    universitria, adquirindo uma formao slida e de compromisso com os subalternos.

    Como estudante da PUC-SP, participou da luta estudantil, colocando-se

    abertamente na defesa do socialismo, estudando e defendendo as ideias marxistas. Sua

    famlia residia em uma regio perifrica de So Paulo. Seus pais e irmos eram

    operrios, participando ativamente da luta operria no perodo, enquanto Saviani

    participava das lutas estudantis. Esta militncia contribuiu para fortalecimento de suas

    convices sobre a necessidade da transformao social.

    Dando sequncia a sua formao universitria, agora fora do ambiente

    religioso, concluiu o curso de filosofia, efetivando-se como docente na Secretaria de

    Educao do Estado de So Paulo. Iniciou sua docncia no ensino mdio em uma escola

    de periferia na cidade de So Paulo, ao mesmo tempo em que lecionava em uma escola

    particular, alm de exercer a docncia na PUC-SP. A respeito da influncia dessas

    primeiras experincias sobre a sua concepo de educao, Saviani nos relata que:

    O trabalho no nvel mdio funcionava como uma espcie de laboratrio para

    as elaboraes que eu vinha desenvolvendo em meu trabalho no curso de

    Pedagogia na Universidade. Lecionando ao mesmo tempo para as meninas

    bem nascidas do Sion, para adolescentes filhos de trabalhadores da turma

    vespertina do Colgio Estadual e para alunos da turma do noturno no mesmo

    colgio que trabalhavam durante todo o dia, tive a oportunidade de comparar

    suas diferentes reaes minha proposta pedaggica. Registrei, depois, em

    meu memorial, que minha primeira contestao a Dewey decorreu dessa

    experincia (idem, p. 36).

  • 3

    Saviani iniciou a docncia aos 22 anos de idade, num perodo em que o Brasil

    comeava a sentir os efeitos sombrios do golpe civil-militar de 1964.

    Como professor da PUC-SP, presenciou a mudana do lema

    desenvolvimento, expresso em 1966 pelo CELAM (Conselho Episcopal

    Latino Americano), para o lema libertao, na Conferencia de Medelln,

    em 1968, confirmado, posteriormente na Conferencia de Puebla, realizada em

    1979. Nas duas situaes, como estudante e depois professor da PUC-SP,

    acompanhou a difuso das ideias marxistas no meio universitrio e catlico,

    repercutindo tanto no nascimento do Mestrado em Filosofia da Educao, em

    1971, quanto na criao do Doutorado em Filosofia da Educao em 1978

    (VIDAL, 2011, p. 18).

    Desde ento, Saviani vem se dedicando educao brasileira, principalmente

    no que tange a defesa de uma proposta educacional que seja instrumento na formao de

    cidados reflexivos e crticos, questionadores da ordem social vigente. Portanto, sua

    trajetria, demonstra compromisso com a luta dos subalternos, e de todos aqueles que

    denunciavam a represso militar (VIDAL, 2011, p. 8).

    A partir dessas experincias iniciais, Saviani definiu seu posicionamento em

    relao ao escolanovismo. Na verdade, sua posio crtica em relao escola nova de

    Dewey comeara a ser gestada durante o curso de filosofia, momento em que se dedicou

    a aprofundar os estudos referentes a esta corrente pedaggica.

    J em sua tese de doutoramento, intitulada Educao brasileira: estrutura e

    sistema, Saviani demonstra a preocupao com uma educao de qualidade, acessvel a

    todos os indivduos, garantida atravs de um Sistema Nacional de Educao (BATISTA

    & LIMA, 2012, p. 17).

    Saviani estava convencido sobre a necessidade de se elaborar uma proposta

    que se contrapusesse s pedagogias conservadoras, contribuindo para esse propsito as

    discusses realizadas, ainda em 1979, junto primeira turma do doutorado em educao

    da PUC-SP, possibilitando o desenvolvimento das ideias que fundamentaram sua

    proposta contra-hegemnica, uma pedagogia de esquerda, voltada aos interesses dos

    subalternos, confrontando o pensamento reacionrio na educao (SAVIANI, 2007, p.

    418).

    A primeira tentativa de sistematizao de sua concepo pedaggica deu-se

    atravs de um artigo intitulado Escola e Democracia: para alm da curvatura da vara,

  • 4

    publicado em 1982, na revista ANDE, nmero 3. Em 1983 foi lanado o livro Escola e

    Democracia, no qual foi adicionado o referido texto.

    Trata-se, portanto, de uma produo que vem se consolidando como clssica

    em nossa literatura educacional, uma nova teoria pedaggica crtica no-

    reprodutivista, denominada pedagogia histrico-crtica (SAVIANI, 2007, pp. 418-

    19).

    Saviani se deparou com a dificuldade em atribuir sua concepo pedaggica

    uma denominao adequada ao acmulo terico que o levara a criticar tanto o

    escolanovismo quanto a teoria crtico-reprodutivista, optando inicialmente por

    pedagogia dialtica (BATISTA & LIMA, 2012, p. 15).

    Saviani nos esclarece como se deu este processo e porque optou por denomin-

    la pedagogia-histrico-crtica:

    [...] a expresso histrico-crtica traduzia de modo pertinente o que estava

    sendo pensado. Porque exatamente o problema das teorias crtico-

    reprodutivistas era a falta de enraizamento histrico, isto , a apreenso do

    movimento histrico que se desenvolve dialeticamente em suas contradies.

    A questo em causa era exatamente dar conta desse movimento e ver como a

    pedagogia se inseria no processo da sociedade e de suas transformaes.

    Ento, a expresso histrico-crtica, de certa forma, contrapunha-se a crtico-

    reprodutivista. crtica, como esta, mas diferentemente dela, no

    reprodutivista, mas enraizada na histria. Foi assim que surgiu a

    denominao. Assim, atendendo demanda dos alunos, ministrei, em 1984, a

    disciplina pedagogia histrico-crtica e, a partir desse ano, adotei essa

    nomenclatura para a corrente pedaggica que venho procurando desenvolver

    (SAVIANI, 2008, p. 14041).

    Trata-se de uma proposta pedaggica que nasceu como contraponto ao

    modismo da Escola Nova, sem capitular, no entanto, ao carter no dialtico da teoria

    crtico-reprodutivista, para a qual a escola no passava de um instrumento reprodutor

    das relaes de produo existentes.

    O contexto histrico da emergncia da pedagogia histrico-crtica

    Estamos analisando uma produo terica cuja gnese se encontra em um

    perodo de forte represso militar, marcada por ameaas, perseguio, prises, torturas e

    assassinatos de lideranas sociais, polticas, religiosas e intelectuais.

    No campo sindical, a ditadura militar iniciada com o golpe de 1964

    desenvolveu a estratgia de organizao de sindicatos fantasmas, investindo no

  • 5

    treinamento e educao de novas lideranas indicadas pelo Ministrio do trabalho para

    assumir a direo de tais sindicatos, possibilitando, assim a colaborao sindical com o

    Estado (ALVES, 1989, p. 120).

    Por um lado, os militares procuraram reprimir e cooptar a populao, por outro,

    descaracterizar a tradio de luta do movimento do movimento sindical. Atravs de

    vrios decretos-leis, o sindicalismo brasileiro foi transformado em um prestador de

    servios (GIANNOTTI, 2007, 210-11).

    A estratgia militar gerou contrad

Recommended

View more >