conteudos módulo ii

Download Conteudos Módulo II

Post on 22-Apr-2015

3.219 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. UNIO EUROPEIA Fundo Social Europeu DIRECO REGIONAL DE EDUCAO DO ALGARVE ESCOLA SECUNDRIA JLIO DANTAS LAGOS (400312) Ano lectivo 2010/2011 10 - Turma L CURSO PROFISSIONAL DE TCNICO COMUNICAO, MARKETING, RELAES PUBLICAS E PUBLICIDADE COMUNICAO GRFICA E AUDIOVISUAL MDULO II PERCEPO VISUALALFABETO VISUAL_ O ALFABETO VISUAL: CONSTITUDO DE SINAIS FUNDAMENTAIS, COM OS QUAIS SE FORMAM IMAGENS. ESSES SINAIS SO: O PONTO, A LINHA, A SUPERFCIE, O VOLUME, A LUZ, A COR, A TEXTURA...Assim como para ler, tivemos desde cedo, que nos familiarizar com o alfabeto escrito, asletras, as suas formas e sons, e diferentes conjugaes e regras, com o universo das IMAGENSacontece a mesma coisa, temos que nos educar visualmente para as podermos criar, analisar,interpretar e compreender.
  • 2. ELEMENTOS BSICOS DA COMUNICAO VISUALOs elementos visuais da linguagem grfica constituem a substncia bsica daquilo que vemos,e seu nmero reduzido e caracterizado por ponto, a linha, a forma, a textura, volume, a cor,luz, mas podemos alargar estes elementos a componentes compositivos como a dimenso, aescala, o tom, sombra, o movimento, a direco, ritmo, unidade, proporo, equilbrio,negativo/positivo, trama, contraste, intensidade e a disposio.Encontramos estes elementos em todas as composies grficas com as quais nos deparamosno dia-a-dia. Mas estas so apresentadas de uma forma sublime, elas formam a unidadeharmoniosa daquilo que observamos.Com certeza no te lembrars de nenhuma imagem onde verificas-te a presena desteselementos compositivos, mas eles esto sempre presentes, embora a tua ateno ainda notenha sido despertada para a sua anlise. Assim, o objectivo de estudo deste mdulo da Percepo Visual que aprendas a ler asimagens, saibas estar consciente da mensagem que estas enviam e dos seus elementoscompositivos.Vivemos no mundo da imagem, se no as soubermos ler e interpretar somos considerados quase como analfabetos, iliterados visualmente.Mensagem: Compreendemos e usufrumos melhor quando conhecemos os elementos queconstituem a mensagem, as estratgias que o autor utilizou, o funcionamento dos recursossobre a nossa sensibilidade. Isso faz-nos entender melhor a mensagem.
  • 3. Elementos da linguagem grficaPodemos definir as artes grafismo, e uma unidadegrficas empregues no por si mesmo, embora estejaprocesso de publicidade e composto por uma infinidademarketing como o processo de elementos diferentes.de programar, projectar, Elementos individuais que,coordenar, seleccionar eorganizar uma srie de unidos correctamente e comelementos para produzir sabedoria, compem umaobjectos visuais destinados a e o faam facilmente obra final nica e definidacomunicar mensagens inteligvel pelos destinatrios que vai mais alm da somaespecficas a determinados do mesmo. das partes que a formam.grupos. A funo principal No significa somente criar um desenho, uma imagem, Toda obra de comunicaodas artes grficas ser entotransmitir uma informao uma ilustrao, uma visual nasce ento dadeterminada por meio de fotografia. algo mais que a necessidade de transmitircomposies grficas, que soma de todos esses uma mensagem especficachegam ao pblico-alvo elementos, embora para sendo o principal(destinatrio) atravs de conseguir comunicar componente de toda umadiferentes suportes, como visualmente uma mensagem de forma efectiva se deva composio grfica afolhetos, cartazes, trpticos, conhecer a fundo os mensagem a interpretar, aetc. As artes grficasprocuram transmitir as ideias diferentes recursos grficos informao que se desejaessenciais da mensagem de sua disposio e ter a fazer chegar ao destinatrioforma clara e directa, usando imaginao, a experincia, o atravs do grafismo.para isso diferentes bom gosto e o senso comumelementos grficos que dem necessrios para combin-losforma mensagem de forma adequada. O PERCEPO VISUAL resultado final de um produto grfico denomina-se
  • 4. Na Comunicao Visual, em especial, toda forma tem contorno e superfcie, e criada Todo o acto de perceber uma forma no sobre algum tipo de suporte. O contorno mundo um acto o limite exterior da forma, uma espcie intelectual de destacar de fronteira entre o significado (forma)um significado. A forma e o insignificante (fundo). O suporte o oposto da qualquer meio material onde se realiza a insignificncia, a forma, podendo ser desde uma folha de presena em si. papel, o ecr de um computador ou o bloco de pedra onde nasce uma escultura. Conceitualmente, a forma uma relao quepermanece constante mesmo que mudem os elementos aos quais ela se aplica. Umtringulo pode ter vrios tamanhos ou inmeras formas, mas a triangularidadepermanece constante, independente de suas caractersticas.Linha, ponto e plano Sempre que projectamos, traamos ou esboamos algo, o contedo visualdessa comunicao composta por uma srie de Elementos Visuais. Esses elementosconstituem a substncia bsica daquilo que vemos. O ponto o inicio de tudoPara que possamos observar o simbolismo de uma estrutura grfica necessriocomear pelo elemento mais simples que compe a matria, o ponto.O ponto a unidade de comunicao visual mais simples e irredutivelmente mnima.Como elemento visual, o ponto possui formato, cor, tamanho e textura. As suas
  • 5. caractersticas principais so: Tamanho - devendo ser comparativamente pequeno, e oFormato - devendo ser razoavelmente simples.A sua aplicao numa representao visual pode tambm ser classificada em:Adensamento (a concentrao de pontos para representarum determinado efeito) e Rarefaco (o espaamentoentre eles, causando efeito contrrio).Como Elemento Relacional, a suarepresentao enquanto Unidade de Formaconstituir uma Textura. Quando um conjuntode pontos organizado de forma sequencial,esses pontos ligam-se, sendo, portanto,capazes de dirigir o olhar. Em grande nmero ejustapostos, os pontos criam a iluso de tom. Acapacidade nica que uma srie de pontos tem deconduzir o olhar intensificada pela maior proximidade dos pontos. . . . . . . . . . . . . . . . . .A linha rectaQuando numa sequncia de pontos, eles esto muito prximos entre si de forma quese torna impossvel identifica-los como unidade de forma individual, aumenta asensao de direco, e a cadeia de pontos transforma-se num outro elemento visualdistintivo, a linha.Como elemento conceitual, poderamos definir a linha como um ponto emmovimento, ou como a memria do deslocamento de um ponto, isto , sua trajectria.Como elemento visual, no s tem comprimento como largura. A sua cor e textura sodeterminadas pelos elementos que so utilizados para represent-la e pela maneiracomo criada. Por ser o desdobramento do elemento original (ponto), e por isso umsubproduto dele, a linha pode ser entendida como elemento secundrio da linguagem
  • 6. visual. Possui posio e direco. limitada por pontos. Forma o contorno deum plano. Nas artes visuais, a linha tem,por sua prpria natureza, uma enormeenergia. Nunca esttica. um elementovisual inquieto. Onde quer que sejautilizada, o instrumento fundamentalda pr-visualizao, o meio deapresentar, de forma palpvel, aquilo queainda no existe, a no ser naimaginao. Dessa maneira contribui enormemente para o processo visual.A manifestao mais simples, que menos energia necessita para ocorrer a linhahorizontal. nela que o homem relaxa, descansa e morre.Completamente oposta a essa linha, temos a linha vertical. O que era anteriormenteplano, tornou-se altura. A energia que vai da profundeza ao infinito, ou vice-versa. Alinha diagonal secundria em relao horizontal e vertical, pois a sntese eunio das duas.Quando duas foras exercem presso simultnea sobre um ponto, sendo uma delascontnua e predominante, surge a linha curva.As linhas curvas dominam o territrio dos sentimentos, da suavidade, da flexibilidade edo feminino. O redondo, o curvilneo, o ondulante, encontram-se em oposio aocarcter racionalizante da linh