Bretton Woods A CONFERÊNCIA MONETÁRIA DE BRETON WOODS

Download Bretton Woods A CONFERÊNCIA MONETÁRIA DE BRETON WOODS

Post on 17-Apr-2015

114 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Bretton Woods A CONFERNCIA MONETRIA DE BRETON WOODS </li> <li> Slide 2 </li> <li> Bretton Woods A CONFERNCIA MONETRIA DE BRETON WOODS Durante trs semanas de julho de 1944, do dia 1 ao dia 22, 730 delegados de 44 pases do mundo ento em guerra, reuniram-se no Hotel Mount Washington, em Bretton Woods, New Hampshire, nos Estados Unidos, para definirem uma Nova Ordem Econmica Mundial. Foi uma espcie de antecipao da ONU (fundada em So Francisco no ano seguinte, em 1945) para tratar das coisas do dinheiro. A reunio centrou-se ao redor de duas figuras chaves: Harry Dexter White, Secretrio-Assistente do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos e de Lord Keynes, o mais famoso dos economistas, representando os interesses da Gr-Bretanha, que juntos formavam o eixo do poder econmico da terra inteira. http://www.culturabrasil.pro.br/neoliberalismoeglobalizacao.htm </li> <li> Slide 3 </li> <li> 22 de Julho de 1944 </li> <li> Slide 4 </li> <li> Bretton Woods A CONFERNCIA MONETRIA DE BRETON WOODS Acertou-se que dali em diante, em documento firmado em 22 de julho de 1944, na era que surgiria das cinzas da Segunda Guerra Mundial, haveria um fundo encarregado de dar estabilidade ao sistema financeiro internacional bem como um banco responsvel pelo financiamento da reconstruo dos pases atingidos pela destruio e pela ocupao: o FMI (Fundo Monetrio Internacional) e o Banco Internacional para a Reconstruo e o Desenvolvimento, ou simplesmente World Bank, Banco Mundial, apelidados ento de os Pilares da Paz. http://www.culturabrasil.pro.br/neoliberalismoeglobalizacao.htm </li> <li> Slide 5 </li> <li> 22 de Julho de 1944 U.S. Treasury Secretary Henry Morgenthau Lancamento do FMI e do Banco Mundial </li> <li> Slide 6 </li> <li> Bretton Woods A CONFERNCIA MONETRIA DE BRETON WOODS Os investimentos internacionais cresceram em volume, pois, alm dos Estados Unidos, as antigas potncias europias, que estavam se recuperando da crise criada pelos desastres da guerra, tambm comeavam a se expandir. http://www.culturabrasil.pro.br/neoliberalismoeglobalizacao.htm </li> <li> Slide 7 </li> <li> O acordo deixou de vigorar a partir de 1971, quando o presidente norte-americano, Richard Nixon, abandonou o padro-ouro, ou seja, no permitiu mais a converso de dlares em ouro automaticamente. Com isso o sistema de cmbio desmoronou. O que define a economia dominante que a sua moeda se torna uma moeda internacional, servindo de parmetro ou de reserva financeira para outros pases. Quando, em 1971, os Estados Unidos quebraram a converso automtica do dlar em ouro, eles obrigaram os pases que tinham dlares acumulados a guard-los (j que no poderiam mais ser convertidos em ouro) ou vend-los no mercado livre (em geral com prejuzo). Em maro de 1973 praticamente todos os pases tinham desistido de fixar o valor de suas moedas em ouro e a flutuao cambial tinha se firmado como padro mundial. A crise do petrleo em 1973 gerou condies definitivamente diferentes das existentes anteriormente e obrigou o conjunto de naes a tomar uma srie de medidas a respeito do papel do ouro nas relaes monetrias internacionais. Aps 1973, as taxas de cmbio de cada pas passaram a flutuar e seu valor passou a ser determinado dia a dia. http://www.culturabrasil.pro.br/neoliberalismoeglobalizacao.htm </li> <li> Slide 8 </li> <li> A Organizao do Comrcio Mundial A Organizao do Comrcio Mundial (OCM) foi criada a partir do Acordo Geral sobre Tarifas e Comrcio (AGTC), um acordo comercial internacional elaborado durante a Conferncia em Bretton Woods (New Hampshire, Estados Unidos), em 1944, logo aps a Segunda Guerra Mundial. Foi esta mesma Conferncia que criou a Organizao das Naes Unidas (ONU), o Banco Mundial (BM) e o Fundo Monetrio Internacional (FMI). A OCM elabora e implementa os regulamentos comerciais entre todas a naes a ela afiliadas. Ela pode julgar, por exemplo, que os critrios ambientais adotados por certos pases constituem barreiras injustas ao comrcio entre as naes! </li> <li> Slide 9 </li> <li> O Banco Mundial A funo do Banco Mundial , supostamente, oferecer emprstimos a pases em desenvolvimento para serem aplicados na construo de estradas, hidroeltricas, etc., e assim ajud-los a sair da pobreza e alcanar a auto-suficincia econmica. O Supe-se que a misso do Fundo Monetrio Internacional seja manter a estabilidade financeira no mundo. O FMI cauciona "sadas financeiras" para salvar economias em crises graves. Ele serve tambm para emprestar dinheiro a pases em desenvolvimento e estabelece os tais "regulamentos de ajustamento estrutural". Assim como o Banco Mundial, tambm o FMI financiado por pases desenvolvidos que controlam a maioria das tomadas de deciso. Fundo Monetrio Internacional </li> <li> Slide 10 </li> <li> Aps a II Guerra Mundial, iniciou-se o mais longo perodo de crescimento contnuo do capitalismo, abalado apenas pela crise do petrleo, em fins de 1973. Durante os ltimos 30 anos, o valor da produo econmica quadruplicou e as exportaes quase sextuplicaram nos pases desenvolvidos. Uma das principais causas desse crescimento do capitalismo foi a expanso de um grupo bem definido de grandes empresas, das quais cerca de 500 atingem dimenses gigantescas. Essas empresas, passaram a ser denominadas multinacionais, a partir de 1960, mas essa expresso se popularizou aps 1973, quando a revista Business Week publicou artigos e relatrios sobre elas. Segundo as Naes Unidas, as empresas multinacionais so sociedade que possuem ou controlam meios de produo ou servio fora do pas onde esto estabelecidas. Hoje, no entanto, toma-se conscincia de que a palavra transnacional expressa melhor a idia de que essas empresas no pertencem a vrias naes (multinacionais), mas sim que atuam alm das fronteiras de seus pases de origem. http://www.culturabrasil.pro.br/neoliberalismoeglobalizacao.htm </li> <li> Slide 11 </li> <li> Aps o fiasco do emprstimo britnico, veio o Plano Marshall - 1947. Este analisou de forma bem mais prtica e objetiva o mundo do ps-guerra; com ele, a Europa se recuperou. O plano Marshall foi um bom exemplo do tipo de esforo conjunto apoiado pelo dinheiro que Keynes havia solicitado na conferncia de Bretton Woods. A Era da Incerteza John Kenneth Galbraith A Era de Keynes General George C. Marshall Chief of Staff of the United States Army. </li> <li> Slide 12 </li> <li> A Alemanha teve participao total na ajuda prestada pelo Plano Marshall. Esse, tambm, era um legado de Keynes. Nos anos que se seguiram a 1945, os homens diziam uns aos outros que no devia haver, de nenhuma forma, uma paz desagradvel e severa. UM INIMIGO DERROTADO ERA AGORA AUXILIADO, E NO PUNIDO. A Era da Incerteza John Kenneth Galbraith A Era de Keynes General George C. Marshall Chief of Staff of the United States Army. </li> <li> Slide 13 </li> <li> Na Europa e nos estados Unidos, as duas dcadas seguintes Segunda Guerra Mundial sero por muito tempo lembradas como uma poca muito boa. Um tempo em que o capitalismo realmente funcionou. A Era de Keynes A Era da Incerteza John Kenneth Galbraith http://home.intekom.com/southafricanhistoryonline/pages/classroom/pages/projects/grade12/lesson8/activities.htm </li> <li> Slide 14 </li> <li> Em toda parte nos nos pases industrializados, a produo aumentava. O desemprego era baixo em toda parte. O preos se mantinham praticamente inalterados. Mas, quando a produo ficou defasada e o desemprego aumentou, os governos intervieram para recuperar o atraso, conforme keynes havia recomendado. E assim continuaram os bons tempos, tempos esses em que era bom ser economista, e os economistas gozaram de grande prestgio pelas suas realizaes. A Era de Keynes http://wps.ablongman.com/long_divine_appbrf_5/0%2C1802%2C29248-%2C00.html A Era da Incerteza John Kenneth Galbraith </li> <li> Slide 15 </li> <li> Mas esses anos tambm demonstraram as falhas do milagre Keynesiano, embora as falhas fossem menos alardeadas. Aps o Plano Marshall, houve esperana de que uma infuso semelhante de dinheiro capital pudesse salvar tambm os pases pobres de sua pobreza. Os pases ricos no se mostraram prdigos em generosidade. A Era de Keynes A Era da Incerteza John Kenneth Galbraith </li> </ul>