barbara marcianiak mensageiros do amanhecer

Download Barbara Marcianiak Mensageiros Do Amanhecer

Post on 10-Oct-2015

14 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

  • 2

    MENSAGEIROS DO

    AMANHECER

    Ensinamentos das Pliades

    BARBARA MARCINIAK

    EDITORA GROUND

  • 3

    NDICE

    AGRADECIMENTOS, INTRODUO por Tera Thomas

    PREFCIO, 21

    captulos I Embaixadores atravs dos tempos, 31 captulos II Na jornada do Criador Primordial, 41 Captulo III Quem so os vossos Deuses?, 51 capitulo IV Memrias da zona de livre-arbtrio, 69 capitulo V Quem conduz os fios de luz?, 81 capitulo VI Desvendando a histria, 93 captulo VII A fuso multidimensional, 105 captulo VIII Fora da tirania suprema, 121 captulo IX Novas fronteiras profundas, 133 captulo X Um novo paradigma de luz, 143 captulo XI O nome do jogo, 153 capitulo XII Ser portador de luz uma tarefa respeitvel, 163 capitulo XII Vocs so o prposito de quem?, 177 capitulo XIV Emoes - o segredo nas crnicas do tempo, 189 capitulo XV A iniciao da terra pela integridade, 199 capitulo XVI Herticos frente do tempo, 213 capitulo XVII

    A linguagem da luz, 223 capitulo XVIII Sinfonias da conscincia, 233

  • 4

    capitulo XIX Acendendo a chama interior, 241 capitulo XX Sexualidade - uma ponte para nveis superiores de Conscincia, 253 captulo XXI O compromisso de evoluir na terceira dimenso, 269 capitulo XXII A onda de luz galctica, 285 SOBRE O AUTOR, 291

    AGRADECIMENTOS

    Agradeo a meus amigos, parentes e antepassados cuja fora de vontade me impulsionou a chegar at aqui. Especialmente a minha irm Karen, pelo grande amor e dedicao a mim e aos "P's". O trabalho com os Pleiadianos incluiu viagens a lugares sagrados e ensinamentos sobre estes lugares, in loco. Logo no incio, fui conduzida a Tobi e Teri Weiss que me deram assistncia e apoiaram na experincia Pleiadiana durante as incontveis viagens pelos locais sagrados do planeta.

    Barrie e Susie Konicov como resultado do nosso encontro em Atenas, na Grcia; quando viajamos juntos reconheceram a energia e editaram os "P's" nas revistas Connecting Link. Foram eles que me apresentaram a Tera Thomas, amiga, coautora e editora de Mensageiros do Amanhecer que viu sua vida reestruturada ao trabalhar neste livro; eu admiro muito sua capacidade de assumir uma posio e conseguir transformar-se.

    Tera, Karen e os "P's" de alguma forma projetaram e tornaram este livro realidade. Barbara Hand Clow aparecia s vezes e reconhecia a vibrao; seu impulso e incentivo so diretamente responsveis pela publicao deste trabalho. Marsha Andreola ofereceu generosamente seu conhecimento enciclopdico das fitas e Richard Rodgers seu apoio constante.

    Sinto um profundo respeito pela inspirao que Gerry Clow vivenciou, por ter compartilhado conosco seu material, agradecendo ainda a oportunidade de ser a parteira deste beb! Gail Vivino junto com Barbara Doem Drew, Amy Frost e as outras pessoas da equipe da Bear&Company, nos presentearam com a agradvel sintonia de seus conhecimentos e habilidades que levaram este livro a seus estgios finais.

    Presto tributo s pessoas corajosas, que desejam re-definir a essncia mais profunda da existncia e levar a centelha renegada a uma nova verso do jogo. Meu agradecimento e amor profundo conscincia dos habitantes das Pliades, mestres e amigos, por sua lealdade e firme sentido do dever e do amor que galvaniza dentro de mim. a frmula energtica da elegncia galctica, o ideal que se faz real. Paz, prosperidade e obrigada a todos.

  • 5

    INTRODUO

    Quando Barbara Marciniak e eu nos encontramos em 1988, ambas estvamos iniciando uma nova fase de nossas vidas: eu tinha acabado de me mudar para Michigan para criar uma nova revista, Connecting Link, com os editores Barrie e Susie Konicov, e Barbara estava iniciando a canalizao com as Pliades. Aps anos trabalhando em muitos e variados empregos, procurvamos e estudvamos a expanso da conscincia criando trabalhos que englobassem quem ramos e no que acreditvamos. Estvamos empolgadssimas com a nova situao.

    Nos dois anos seguintes, Barbara e eu viajamos para vrias exposies, brincamos muito com os ensinamentos dos Pleiadianos e nos divertimos bastante com tudo isso. Conversvamos sobre a possibilidade de escrevermos um livro contendo os seus ensinamentos, mas nada fizemos para come-Io; ele viria na hora certa. O ano de 1990, incio da "dcada inominvel", chegou. Connecting Link estava indo bem e Barbara tinha umas trezentas fitas gravadas com os Pleiadianos.

    Senti que era o momento de voltar para Nova York, onde poderia continuar trabalhando em meu computador, com a revista e outras atividades ligadas informtica. Senti tambm que estava na hora de fazer o livro. Quando pensava no "livro", imaginava que os PIeiadianos iriam dit-Io e que eu iria simplesmente transcrever as fitas, editar o material e pronto! No tomaria muito tempo de minha agenda apertada com a revista, nem requereria algum esforo especial.

    Assim, em maio, quando Barbara e eu nos sentamos para a "canalizao do livro", fiquei realmente surpresa com a idia que os Pleiadianos tinham de como faz-Io. Eles me asseguraram que no iriam ditar o livro, eu que teria de elabor-Io atravs do processo que eu escolhesse. Fiquei intrigada. Disseram-me: "Se este livro fosse simples-mente dado a voc, voc no passaria de uma empregada. Qual. seria o esforo de sua parte? Ele ser o nascimento de algo para voc, o nascimento de um processo interior que consiste em uma forma toda nova de usar a criatividade."

    "OK, e como esse processo miraculoso?" perguntei "Por onde comeo?"

    Eles responderam: "Voc vai reunir todo o material usando apenas a sua intuio. Este no , de forma alguma, um projeto de raciocnio lgico. Usando a sua intuio, voc ser guiada e testada para ver se consegue comear e terminar um projeto sem que a sua mente lgica conhea as etapas sucessivas. Ser um tremendo exerccio para voc. Voc ser trans-portada a um plano de conscincia muito mais alto, um loca: mais elevado de ordem, de confiana. Quando terminar e tudo tiver dado certo, voc vai dizer: 'Eu no sei como fiz isso. No tenho a menor idia.'"

    "A histria vai mostrar,que se voc conseguir limpar as pessoas de

  • 6

    suas informaes pessoais, elas podem tornar-se csmicas. O processo pelo qual passar nas prximas luas ser muito intenso. Voc vai viver um processo de iniciao medida que for escrevendo. Vai ter de adquirir conhecimentos em determinadas reas nas prximas seis luas, e tudo isso est interligado."

    Disseram que eu deveria escutar as fitas e transcrever apenas as partes que sentisse pertencerem ao livro. A irm de Barbara, Karen, por intuio, escolheria as fitas que teriam boas informaes e as mandaria para mim. Meu amigo Marsha tambm receberia impulsos em relao a que fitas deveriam ser includas. Caberia, ento, a mim, escolher os trechos a serem usados. Fui instruda a no usar nenhuma espcie de ordem, nem mesmo pensar em como unir os trechos.

    Eu poderia usar um cdigo de urna a cinco palavras e um pouco de cor em cada pgina para categorizar a informao, e isso era tudo. Comecei a captar a idia. Minha mente lgica tinha mais urna pergunta. Perguntei aos Pleiadianos: "Devemos procurar um editor antes que o livro esteja pronto, ou ao menos avisar que estamos escrevendo o livro?"

    Os Pleiadianos responderam: "Em princpio sim, voc pode anunciar que est comeando o livro. A primeira vez que sentar para trabalhar nele, limpe sua mesa e elimine qualquer vestgio de baguna ou desorganizao sua volta. Tenha um_espao limpo com os cristais que iro assisti-Ia em seu trabalho. A ento voc pode fazer uma orao de inteno dizendo: 'Anuncio que estou comeando um livro neste momento. Estou mandando este aviso para quem for editor e para quem quiser participar da publicao destas informaes destinadas a servir da melhor maneira possvel a quem delas necessitar. minha inteno que a pessoa que publicar este livro me descubra e venha at mim, e prometo estar disponvel para este re-conhecimento. Acredito ter muito pouco a ver com isso. Esta parte no cabe a mim.

    Compreendo que estou enviando uma participao, como se mandasse uma participao de nascimento, e que a resposta chegar a mim. Acredito nisto.' isso. Ela ser trazida para voc. "Lembre-se que o processo do qual participar uma parte da histria, porque voc vai descobrir algo sobre voc mesma; por isso a histria ser contada da forma como ir combinar os dados. Voc vai compreender a importncia do livro, porque ter urna experincia individual ao criar para outras pessoas um caminho dentro da realidade delas baseado na mudana de sua prpria realidade, permitindo que sentenas e contextos diferentes sejam movimentados atravs de voc para formar uma nova ordem.

    Isto muito difcil para quem no confia. Confiana a chave absoluta. No h nada mais que voc possa procurar neste processo. Trata-se de um compromisso e voc vai aprender a se comprometer com quem voc , sabendo que no ser forada, mas protegida, provida, que nada lhe faltar. Tudo acontecer de acordo com as suas intenes. "A sua parte nisso estipular o que deseja e simplesmente deixar as informaes fluirem. Este livro far a sua propria ordem medida que for aprendendo sobre si mesma durante o processo e conseguir codificar determinadas informaes. Voc

  • 7

    sentir um sopro na sua mente." Quando releio as palavras que eles me disseram, fao um quadro totalmente diferente do que fiz naquela poca. En-tendo agora porque eles mencionaram vrias vezes que fazer este livro seria uma iniciao para mim, que eu seria testada e que as pessoas precisavam limpar suas informaes pessoais para se tornarem csmicas. Hoje eu sei o que estas palavras significam; naquela poca, no tinha a menor idia. Meus problemas pessoais comearam a aparecer em grande escala. Eu no acreditava em mim, no gostava de mim. na verdade, nem sabia realmente quem eu era - no conseguia separar o Eu verdadeiro da fachada. Comecei uma srie de sesses de trabalho corporal nos tecidos profundos, que trou-xeram tona mais material - lembranas da infncia que eu havia bloqueado, traumas e sofrimentos guardados em meu corpo.

    Eu era uma confuso. No dava para trabalhar no livre pois mal conseguia lanar a revista a cada dois meses, como deveria. Em outubro fui para o Egito com os Pleiadianos. Eu sabia que esta viagem seria uma virada importante em minha vida, e achava que iria me empurrar para cima, para que eu conseguisse ento trabalhar e fazer o livro. Foi uma viagem maravilhosa, uma viagem muito forte.

    Abriu meus circuitos e despertou reas dentro de mim que nem imaginava existirem, muitas delas sombrias, medonhas. Quando voltei para Nova York estava definitivamente incapaz de comear o livro. De fato, no tinha nem certeza se algum dia iria conseguir escrev-Io. A nica coisa de que tinha certeza naquela poca era que tinha que me mudar de Nova York. L, no conseguia manter-me centrada nem com a mente clara, era bombardeada pela energia. Sentia-me nua e exposta quando caminhava pelas ruas e no conseguia mais andar de metr. Chegara o momento de partir.

    Naquele dezembro, mudei-me para Carolina do Norte. Quando a coisa certa, funciona maravilhosamente. Libby, uma das amigas que conheci no Egito, morava numa rea rural ao sul de Raleigh e eu sabia que gostaria de morar l. Antes de ir visit-Ia, fiz urna inteno de que acharia urna casa para mim. Imaginei como ela seria e como seria a regio, e Libby prometeu ficar atenta. Cerca de urna semana antes da minha partida, a dona da minha casa atual foi at a loja de Libbye lamentou-se que sua inquilina estava se mudando sem t-Ia avisado.

    Libby disse: "Porque a casa de Tera!" Peguei a estrada na semana seguinte com todos os meus pertences e mudei-me para l. A casa era exatamente o que eu queria - espaosa, com muita luz, dentro de um terreno de 7.000m. Era perfeita! No instante em que cheguei l, comecei a melhorar. Deitava no cho, ou sentava com a coluna encostada em uma rvore e simplesmente deixava a Natureza curarme. Estava nica e exclusivamente concentrada em meu tratamento. Em janeiro, quando fui a Michigan imprimir a 13" edio de Connecting Link, percebi que havia terminado meu ciclo de trabalho com a revista. Eu havia crescido muito com este trabalho, mas chegara a hora de mudar para outra coisa - que outra coisa eu ainda no sabia, sabia apenas que quando recebesse esse conhecimento teria que segu-Io.

  • 8

    Quando cheguei em casa, passei alguns dias me perguntando se no teria agido como uma idiota desistindo de um emprego para morar no meio do mato, sem nem saber onde arranjar outro. Foi a que percebi que era perfeito no ter um emprego: teria tempo para fazer o livro. Comecei a ouvir as fitas e a transcrever pequenos trechos delas. O trabalho correu suave e facilmente, tudo parecendo fluir. Eu no procurava uma ordem, nem tentava estabelecer alguma. Apenas deixava tudo fluir atravs de mim.

    Nessa poca, os Pleiadianos deram uma srie de aulas diurnas para algumas pessoas visando atirar-nos para longe de nossos apegos. Estas aulas eram chamadas" Ativao dos Cdigos de Conscincia" e era exatamente o que faziam. Cheguei a nveis bastante profundos de problemas que eu achava j ter resolvido em Nova York. Muita bagagem emocional foi eliminada durante as aulas, e uma ligao muito forte estabeleceu-se entre ns. A srie terminou com um renascimento que foi uma das experincias mais significativas de minha vida.

    Tive outra "leitura de livro" com os Pleiadianos na qual eles falaram sobre Mensageiros do Amanhecer tornando possvel o salto evolucionrio da conscientizao, ancorando primeiro a frequncia dentro de seus prprios corpos. Sbito,uma conscientizao atingiu-me: eu no havia conseguido escrever o livro em 1990, quando tivemos nossa primeira conversa, porque ainda no era capaz de manter a frequncia; ainda no havia me purificado o suficiente para faz-Io. Perguntei aos Pleiadianos o que eles tinham a dizer sobre isso.

    "Voc no acreditava em si mesma, Tera. Dizia a todo mundo que tinha confiana em si, mas na verdade voc nem sequer gostava de si mesma. Ficava se comparando, no era honesta com o que realmente estava ocorrendo e as pessoas muito prximas espelhavam isso para voc. Precisou ir muito fundo, como alis todos devem ir, camada por camada, pois todos possuem camadas de dio e ressentimento contra si mesmos. Voc precisou explorar certos comportamentos seus que no funcionavam, descobrir as razes que a levavam a comportar-se daquela maneira, e a descoberta levou-a a ser uma Portadora de frequncia.

    Esta foi a razo de o livro lhe ter sido dado desta forma - porque voc precisava passar por uma ruptura total de conscincia. Receber e traduzir tanto material que nem precisaria usar a fez passar por um processo de relacionamento direto conosco. Ouviu, muitas e muitas vezes de uma forma neutra, todas as coisas que precisava aplicar diretamente em voc, se no quisesse ser deixada para trs. E conseguiu.

    Eles ento me disseram que eu j havia transcrito material suficiente e que o livro estava pronto para ser montado. Eu no tinha a mais remota idia de como isso seria feito. Ser que eu teria de ler todas as pginas e ver onde elas se encaixavam? Havia pginas com poucas sentenas e trechos longos com vrias pginas. Como eu poderia orden-Ias?

    Os Pleiadianos disseram 'que todas as noites, antes de dormir, eu deveria conceder-Ihes um minuto e visualizar a capa de Mens.do Amanhecer. Eu deveria brincar com isso e mudar a capa cada noite se eu

  • 9

    quisesse. S precisava olhar a capa, abrir o livro e comear a ler as pginas, depois podia dormir. As informaes me seriam mostradas em estado de sonho. Disseram que eu comearia a concretizar a existncia do livro, lendo-o j existente no futuro e que eu no teria trabalho - eles fariam tudo. Bem, por que no?

    A primeira semana no correu muito bem. Eu fazia a visualizao antes de dormir, mas quando acordava entrava em pnico ao olhar todas aquelas pginas que minha mente lgica tentava desesperadamente ler, para fazer alguma especie de ordem. Era completamente frustrante. Finalmente, uma tarde, eu estava sentada no cho, no meio do meu escritrio cercada por papis e quase comeando a chorar, quando disse "Ei, Pleiadianos! Vocs disseram que fariam esse trabalho Desisto! Podem fazer!" Comecei a pegar os papis, um por um, como se fosse junt-Ios para depois jogar fora.

    Fui pegando um do meu lado direito e um do esquerdo, depois talvez um que estivesse atrs de mim, e outro de novo esquerda. No havia ritmo, nem razo para peg-Ios daquela forma - nenhuma ordem. Eu nem estava pensando nisso, s os estava juntando. Depois de pegar cerca de trinta pginas, parei de repente olhando o mao em. minha mo. Fiquei toda arrepiada e disse a mim mesma: "Meu Deus, acho que este o primeiro captulo!" Levei as pginas para minha mesa, sentei e comecei a ler. Elas encaixavam como um quebra-cabea! Estava chocada! Eu j acreditava em tudo aquilo, mas quando esse tipo de coisa comea a acontecer realmente assombroso.

    O resto do livro comeou a juntar-se sem esforo, para usar uma das palavras favoritas dos Pleiadianos. Tive outra "leitura de livro" e disse aos Pleiadianos como estava satisfeita com esse novo processo e o quanto era divertido. Eles disseram: " assim que se comea a receber orientao direta sobre como fazer as coisas. Quanto mais voc disser 'no tenho controle, no sei como fazer isso', mais energia chegar. Se voc abandonar a sua maneira de fazer, ser cada vez mais fcil. Tudo o que precisa fazer estabelecer a inteno. Quanto mais inteno voc tiver, mais fcil ser. Quando o livro estiver pronto e perguntarem como foi que voc fez, que-remos que conte que foi esse o processo que usou.

    Queremos que verifique nossos ensinamentos medida que for capaz de receb-Ios, demonstrando que acredita no que dizemos. "Lembre-se do tempo que demorou para absorver o processo plenamente. No a estamos doutrinando - mas guiando-a atravs disso, puxando voc, refletindo de volta, muitas e muitas vezes, para que consiga entender onde reside a fora operacional. Ela vem atravs da inteno clara - atravs de agir como se j fosse, e ento, simplesmente, ir recebendo sem parar."

    O resto do livro foi simplesmente se encaixando e, fiis a sua palavra, os Pleiadianos encontraram-nos um editor sem que Barbara ou eu movessemos uma palha. Claro, eles nos aproximaram de Barbara Hand Clow - quem melhor para fazer o livro chegar ao pblico? Sua orientao excelente levou-me a uma re-escrita e a um polimento do livro, que o trans-formou, de mais uma obra psicografada, em algo realmente maravilhoso.

  • 10

    Os Pleiadianos estavam certos. Quando olho para este livro, no sei como ele aconteceu. Eu no o projetei graficamente, nem o planejei, concebi ou ordenei. Tudo o que fiz foi confiar e deix-Ios trabalhar atravs de mim. Foi uma experincia maravilhosa que mudou minha vida. Aprendi a traba-lhar com entidades no-fsicas e nunca mais trabalharei sozinha em qualquer projeto. Estou escrevendo uma pea de teatro neste momento e chamei um grupo de peritos para trabalhar comigo enquanto escrevo e um grupo de peritos para vend-Ia. impressionante como est funcionando. Realmente sem esforo.

    Os Pleiadianos agradeceram-me pelo meu trabalho, pela minha confiana, e disseram que gostariam de me compensar. Pagaram-me com vrios cheques Espirituais (cheques Espirituais no so como cheques normais,. que voc troca por dinheiro). Eles me presentearam com muitas coisas. O presente mais importante que ganhei por fazer este livro fui eu mesma.

    Agora confio em mim, me amo, dependo de mim e abri meu corao. Devido a esse novo amor por mim mesma, atra amigos maravilhosos para minha vida, que se tornaram a minha famlia. Reatei os laos com minha famlia de sangue e tive uma linda surpresa: h vinte e quatro anos tive uma filha que dei para ser adotada e agora ela me encontrou. Ela mora a duas horas de distncia de minha casa e estamos estabelecendo um relacionamento carinhoso e ntimo. Eu agradeo t-Ia de volta em minha vida. Outro presente importante foi a confiana. Eu disse que era uma escritora h muitos anos. Realmente, escrevo h anos.

    Contudo, recentemente acordei certa manh e, lendo as pginas da pea que havia escrito na noite anterior, tive repentinamente a conscincia - eu sou uma escritora! No que v ser uma escritora - eu sou uma escritora! Aprender a me comunicar com no-fsicos foi outra ddiva inestimvel que abriu diversas reas novas para mim. Estou comeando a me comunicar com animais, tanto domsticos quanto selvagens. Tem sido uma experincia maravilhosa e percebo que avenidas de comunicao foram abertas, das quais eu ainda nem tenho conscincia. Elas so ilimitadas.

    Existem muitos, muitos outros presentes. Os Pleiadianos disseram-me que o processo deste livro seria o ensinamento mais importante de minha vida, e eu concordo. Sinto-me grata por haver escolhido fazer este trabalho, e sinto-me gratificada por todo o amor e apoio que recebi de minha famlia de amigos durante o processo. Mas minha gratido especial dedico aos Pleiadianos por seu amor, sua amizade, seu incentivo, seu apoio e, principalmente, por me induzirem a seguir minha prpria evoluo.

    Tera Thomas Pittsboro, North Carolina

    Maro de 1992 Tera Thomas foi editora da revista Connecting Link e atualmemte

    escritora freelance.

  • 11

    PREFCIO

    Prisioneira em Bali! Era exatamente assim que me sentia ao me perguntar por que a necessidade burocrtica de um visto para a Austrlia no havia sido mencionado at agora.

    Com a passagem e o passaporte na mo e a bagagem na balana, fui avisada de que precisava de um documento para embarcar no vo para Darwin. Minha cabea maquinava para descobrir a lgica do acontecimento e um mtodo imediato para resolv10. Eu ia conseguir mais uma vez! No era uma principiante nesse jogo e havia sido testada inmeras vezes nos ltimos quatro anos quanto minha capacidade de transmutar obstculos em mensagens e efetuar mudanas, atravs dos smbolos vivos, para uma viso nova da experincia.

    Telexes foram enviados ao consulado em Sidney e, depois da primeira hora de espera, estava certa de que seria liberada, autorizada, e estaria a caminho do incio de uma viagem de ensinamentos Pleiadianos pela Terra. Havia sado da Carolina do Norte uma semana antes, parado no Hava para uma visita rpida e agora, depois de uma estadia de trs dias em Bali, estava descansada e pronta para comear a etapa seguinte de uma odissia de dois meses.

    Olhei o relgio do aeroporto, os minutos escoavam-se lentamente. Eu esperava pacientemente que intenes e eventos no tardassem a se manifestar. medida que o tempo passava, comecei a sentir dentro de mim uma possibilidade, bem remota, de que talvez no fosse embarcar. Talvez esta fosse uma das ocasies em que, apesar da inteno, eu no iria a lugar nenhum. Sentia meu corpo resistindo a essa nova possibilidade e aos planos que teriam de ser mudados pela impssibilidade de embarcar no avio e atender s datas da viagem. Tudo muito sinistro. Droga!

    Chegou a hora da partida, onze da noite, e com passagem, passaporte e programa da excurso, fui avisada de que deveria comparecer ao consulado da Austrlia na tera-feira Estavamos na noite de sbado, e domingo e segunda eram feriados. O prximo vo para Darwin estava programado para um dia depois daquele em que eu deveria estar l. Capitulei, peguei um taxi e, bagagem a bordo, dirigi-me para o recolhimento e solido do charmoso hotel balins beira-mar que havia deixado algumas horas antes.

    Meu quarto estava esperando. Eu no tinha nenhuma soluo imediata para este dilema potencialmente agravante e, sabendo disso, abandonei-o. Mudei o raciocnio para minha criao pessoal de conforto e confiana, achando que tudo ia acabar dando certo e, j que eu deveria ficar prisioneira, Bali certamente era o lugar ideal. No dia seguinte, sentada janela de meu quarto sobre a copa das rvores, uma segunda revelao me ocorreu: eu havia me comprometido a escrever o prefcio de Mensageiros doAmanhecer no viajaria para a Austrlia antes de executar esta tarefa! Bebericando caf balins, sentia-me protegida pelo ambiente e pela vegetao luxuriante que emoldurava minha vista. Comecei a pensar por onde comear e como inserir tempo e espao a minha pessoa e este processo fenomenal chamado "os

  • 12

    Pleiadianos" que, atravs de mim, criaram vida prpria. Como assombrada por um sonho recorrente, perguntava-me muitas e muitas vezes, 'como tudo isso comeou logo iria responder apenas delineando os impulsos e a sequencia de acontecimentos que me levaram minha verdadeira cana-lizao com os Pleiadianos e parava a.

    Atravs da aparentemente interminvel repetio desta pergunta, contudo uma energia inquieta rodopiava para a minha realidade e, enquanto repetia a histria, comecei a ter lampejos de uma viso maior onde acontecimentos e incios chegavam de vrias direes e mltiplos "tempos" para serem tecidos, agora, criando uma tapearia de propsitos. Na minha infncia, sentia-me diferente e marcada a distinguir-me das outras crianas por haver herdado um irmo mais velho que era retardado mental. Sua presena ofereceu grandes desafios minha mente jovem e minha famlia teve muitas lies a aprender.

    Apenas recentemente, impulsionada pelos P's, como eu carinhosamente passei a cham-los, resolvi re-examinar antigas fotos de criana e reconsiderar a interpretao de quem eu achava que era. Adotando este enfoque, percebi naquele momento o amor celestial irradiando do rosto de meu querido irmo mais velho Donald e, uma foto aps a outra, a luz parecia sempre dirigir-se para ele, iluminando-o. Eu no havia considerado ter sido, talvez, abenoada pela sua 'presena. Nossa famlia partilhava e explorava a vizinhana sob a influncia de minha av materna, nascida na Polnia.

    Babci incorporava uma dignidade e um orgulho que transcendiam sua experincia terrena. Pioneira, fruto da vasta imigrao europia do incio do nosso sculo, ela fora atrada para a terra onde, contaram-lhe, as ruas eram caladas com ouro. Foi sob a sua influncia estabilizadora que meus dois irmos, minha irmzinha e eu brincamos na infncia, explorando a terra m-gica que constituia os seus domnios. Foi atravs dela que me senti verdadeiramente amada e aprendi a tratar com reverncia o ambiente e com amor a Terra. Ela nos contava que seu nome de solteira significava "Estrela" em polons. Estes ensinamentos de amor pela Terra iriam mais tarde encontrar eco na voz da minha conexo estrelar prpria, os Pleiadianos. Na minha adolescncia, a tal "diferena" levou-me explorao de idias metafsicas e, pela primeira vez, fiquei entusiasmada com a descoberta de que havia diversas interpretaes da realidade a serem escolhidas.

    No fim dos anos 70 eu estava explorando o material de Seth, entre outras coisas e depois disso passei muitos anos recordando minhas aventuras onricas enquanto absorvia, pgina aps pgina a doutrina de Seth. Em agosto de 1987 - o vero da Convergncia Harmonia - e novamente sete meses depois, em maro de 1988, vivenciei breves colapsos da realidade, quando segmentos e acontecimentos arquivados de um passado aparentemente insignificante surgiram gritando, demandando ansiosamente um reconhecimento.

    Nestas duas ocasies separadas, meu corpo foi impelido para um estado de choque, quando registros de raptos efetuados por extraterrestres foram casua1mente citados e partilhados por pessoas minha volta. A primeira vez que isto ocorreu, de alguma forma disfarcei e deixei passar,

  • 13

    mas na segunda vez meu corpo foi ativado de uma maneira que extrapolava qualquer coisa que eu j houvesse experimentado - ou quase. Lembranas me esmagavam a apresentao das informaes dos extraterrestres entrava nos meus arquivos de sonhos, expondo uma verdade muito dificil de assimilar.

    Anos antes, no incio da dcada de 80, quando eu morava em Taos, Novo Mxico, tive um encontro em meu quarto, de madrugada, com trs seres de um azul brilhante. quela poca, a experincia provocou-me um pnico profundo sentimento bastante raro em mim. Para resolver este conflito uma vez que no tinha estrutura de referncia na qual pudesse en-quadrar meu prprio relacionamento, nem segurana em relao a este desconhecido, eu arquivei o evento/experincia e:= meu dirio de sonhos inspirados por Seth e deixei-o l, uma fatia de realidade que certamente no havia sido um sonho, embora por muitos anos encontrasse um local seguro em minha psique com esse ttulo. Agora, a antiga pergunta ressurgiu: sob que categoria de arquivos da vida reside meu encontro pessoal?

    Aconteceu de verdade? Um replay de meu encontro surge agora que todas as clulas de meu corpo sabem que extraterrestres existem. Meu corpo nunca vai esquecer o encontro com os trs seres azuis e a forma como eles pairavam acima de mim procurando acalmar-me de algum trauma aparente, embora camuflado. Meu intelecto queria expandir sua viso do mundo - e compreender. Era para mim um desafio viver com aquela experincia e integr-la. Os Pleiadianos e eu oficialmente intersectamos realidades alguns meses depois em Atenas, na Grcia, em 18 de maio de 1988. Eu estava viajando com um animado grupo metafsico por trs semanas, atravs de templos no Egito e na Grcia.

    Comeando com a Grande Pirmide, passeamos pelos antigos vrtices, inocentes e ingnuos como crianas, fascinados pelo mistrio encerrado nas pedras silenciosas. A viagem terminou com uma visita a Acrpole e a Delfos e, quando nos despedamos no bar do hotel, algo me impeliu a comear a canalizar indo para o meu quarto, sentando tranquilamente e imaginando-me de volta Cmara Real da Grande Pirmide. Lembro ter-me sentido inspirada por essa idia - senti que era apropriada, estava dentro do esprito da viagem.

    Fui para meu quarto e, quando me senti segura e protegida, sentei com a coluna ereta e deixei minha mente voltar para a Cmara Real da Grande Pirmide, onde ouvi vozes entoando o sagrado "OM". Disse a mim mesma que desejava ser um canal cristalino agora. Em alguns minutos senti uma necessidade premente de falar e essa urgncia comeou a expressar-se como uma voz sussurrante diferente da outra parte de minha mente - a verso "controladora", racional que comeou a fazer perguntas, atravs do pensamento, voz que falava!

    O empreendimento inicial exigiu grande habilidade mental e medinica de minha parte - visto que eu estava falando com um at ento desconhecido, dirigindo perguntas em minha mente e ouvindo as respostas para que pudesse continuar a comunicao. Ao fim do que pareceu ser uma meia hora, o desconhecido anunciou sua presena como sendo os

  • 14

    Pleiadianos e retirou-se assim. A comunicao total no durou mais de que uma hora. As "energias" foram bem distintas e abundantes E! de alguma forma,eu havia participado de uma unio de comtato abenoada - as palavras proferidas tranquilizando-me com as respostas - tanto que hoje s consigo lembrar-me de sentimentos de sabedoria e paz. Ao abrir os olhos estava profundamente maravilhada! Seria possvel?

    Ser que eu havia chegado quela situao por ter seguido uma necessidade profunda que originalmente me impeliu a juntar-me quela excurso no ultimo momento, ou teria eu mergulhado muito fundo no mundo da iluso e sonhado tudo aquilo? Mas qual a diferena? E Pleiadianos! Senti um peso em relao a isso desde o inicio. Quem, em s conscincia, iria acreditar que eu mantinha contato e conversava com ETs? Isso era um pouco forte para meu Eu radicalmente tranquilo e bem estabelecido aceitar. Que turbilho interior todos esses impulsos provocaram! Desde ento, aprendi a confiar e respeitar as energias que me mobilizam e hoje posso ler a histria destes impulsos iniciais em meu mapa astrolgico, bem como no mapa dos Pleiadianos tambm.

    Durante o primeiro ms de nosso relacionamento P's sugeriram que comeasse a estudar astrologia. Eu conhcia muito pouco sobre a .complexidade e comprometimento profundos da sabedoria superior com esta cincia antiga, necessrios para acessar corretamente a linguagem universal e o cdigo de intencionalidade. Os Pleiadianos, em seu mapa ntal daquele dia da infuso, tinham o sol a 27 graus e 57 minutos de Touro. A constelao das Pliades est localizada a 28 graus de Touro. Que astcia!

    Voltando aos estgios iniciais de nossa amizade, eu no percebia seus truques, nem os mtodos sutis que empregavam para talhar a minha realidade - estava ocupada demais adaptando-me idia de que tinha contato com ETs. Com a prtica, nossos encontros e incorporaes foram-se tornando mais leves, trazendo confiana e compreenso. Desde o incio, minha irm Karen, que me ajudava nas sesses, esperava ansiosamente a hora marcada em que eu iria sentar para canalizar. Ela no tinha dvidas mas, para mim, eu continuava indagando se aquilo tudo era mesmo real.

    Em meu desejo de cooperar com o que havia criado, ofereci-me condicionalmente para usarem meu corpo e minha voz em horas determinadas e, depois, afirmava que, se os Pleiadianos realmente existissem, no custaria muito para eles ajeitarem as coisas como quisessem e fizessem a maior parte do trabalho - meu ser racional vaidoso no aceitava que fosse perder meu tempo com algo que no constitusse urna presena vivel. Este comportamento pode parecer o mximo do absurdo para muitas pessoas, contudo, quem possui experincia nestes planos, compreende que necessrio estabelecer limites.

    Eu levei dois anos para criar um lao profundo com eles, e isso ocorreu durante uma seo de trabalho corporal, quando uma onda de amor Pleiadiano, como nenhuma outra, me envolveu e imprimiu em meu corpo emocional o valor inestimvel que eles tinham para mim. Eu me entreguei.

    Compreendi depois que os Pleiadianos tm demonstrado sua presena

  • 15

    sutil em meu mundo desde ento. Tornaram-se os professores e amigos que eu ansiava encontrar. Eles parecem ter urna linha direta no jogo de sincronicidade/impulso que proporciona encontros e ocorrncias.

    Como nunca fui uma grande investidora em preocupaes, foi bem fcil para mim mudar para o momento Pleiadiano de liberao, medida que eles criaram uma vida prpria atravs de mim. Pessoas e oportunidades surgem de todas as direes. Meu trabalho administrar e ser um tripulante fsico de suas energias. Tudo o que eles ensinam devo incorporar - para me encontrar e viver. Hoje vivemos em sintonia perfeita e, realmente, sinto-me mais ET que humana. Eles fizeram vivos seus ensinamentos atravs de mim e minha vida tornou-se um misterioso brinquedo Pleiadiano, que me conduziu s pulsaes do corao de minha alma multidimensional. No que eu afirme entender completamente estes encontros; s vezes me pergunto como tantas pessoas se envolveram em minha verso de iluso! profunda minha gratido pela oportunidade de viver uma vida manifestada livremente nestes tempos de mudanas to veloses, e por esta expresso criativa ter trazido significado a vida de tantas pessoas. isto, para mim, uma ddiva preciosa a graa restituda. OS.: Consegui chegar em Darwin a tempo!

    CAPTULO I

    Embaixadores atravs dos tempos

    Ns estamos aqui. Somos os Pleiadianos, um conjunto de energias das Pliades. Temos uma longa histria. Nossos ancestrais vieram de outro universo que atingiu a concluso, um universo. Vocs trabalham num planeta que est chegando concluso, e ns estamos aqui para ajud-Ios nessa tarefa. Esta concluso, ou transformao, tem sido anunciada h eons. um momento importante.O que acontecer na Terra agora ira afetar todo o universo.

    A transformao consiste em vocs compreenderem quem so, para poderem levar adiante a experincia Nossos ancestrais vieram de um universo que havia se completado e ento compreendido universalmente que era o Criador Primordial, a Causa Primeira, ou a jornada do Criador Primordial no tempo. Eles vieram de um universo que havia descoberto a sua essncia-cratividade. Descobrindo essa essncia, descobrimos que somos criadores., Nossos ancestrais tiveram a escolha de voltar ao Criador Primordial - que , simplesmente, movimento - e permanecer dentro daquela vibrao, ou continuar, como sempre acontece quando a concluso da forma atingida.

    Eles escolheram vir a este universo como embaixadores porque perceberam que um dia vocs estariam prontos para a concluso.Vieram para as Pliades porque este sistema estrelar algum dia seria capaz de ajud-Ios no perodo mais difcil na crise que ocorreria quando vocs estivessem prontos para se ligar novamente ao Criador Primordial. Nossos ancestrais

  • 16

    eram alguns dos Planejadores originais da Terra, orquestradores que semearam mundos e civilizaes com criatividade e amor. Devido a suas qualidades eles gostavam de orquestrar mundos, da mesma forma que maestros amam dirigir orquestras.

    Nossos ancestrais so tambm os vossos ancestrais, e ns gostamos de cham-los de nossa famlia antiga, o que na verdade vocs so. Nossos ancestrais doaram o seu DNA aos Planejadores Originais e este DNA tornou-se parte do DNA da espcie humana. Ns Pleiadianos viemos do vosso futuro, numa verso do nosso agora, existe um local de tirania e inquietao, e ns temos visto possveis futuros para a Terra que incluem mesma tirania e decadncia. O tempo geralmenre -mal compreendido na realidade da terceira-dimenso: vocs acreditam que o tempo medido em minutos ou graus, mas ele muito mais vasto do que possam imaginar.

    Na realidade, o tempo codifica e joga com a informao, permitindo que entrem em diferentes realidades, simultaneamente esticando, destor-cendo, curvando e girando o tempo. Vocs podem podem pegar uma curva de tempo elptica e vivenciar muitas realidades simplesmente seguindo-a e descobrindo que, assim como o tempo no "slido", a realidade tambm no o . Como todas as realidades no so slidas e o futuro no est determinado (ele apenas um nmero de probabilidades), ns achamos que existe neste momento uma oportunidade de inserir uma probabilidade mais positiva para a Terra, queremos reinserir luz neste planeta e restituir a Terra a seu proposito original - tornar-se um magnfico centro de troca de..... informao intergalctico.

    Por isso, voltamos numa seo do tempo para um lugar que chamamos de caroo, ou semente, a fim de efetuar a mudana. Esta mudana afetar no apenas a Terra, mas o vosso futuro, o nosso presente, o universo inteiro. Estas so grandes notcias! Vocs vieram para a Terra num espao e tempo em que a evoluo palpvel. Um grande salto est :prestes a acontecer e vocs vieram participar dele. No esto sozinhos, pois muitas energias esto chegando Terra para participar deste grande projeto. Existem naves-me cercando o planeta, agindo literalmente como transformadores de energia. Existem raios de luz che ando Terra, vindos de antigos sistemas estrelares que trabalham com vocs h eons. estes raios de informao esto sendo bombardeados no planeta. Enquanto estas informaes lhes esto sendo transmitidas, os vossos corpos precisam ser capazes de receb-Ias, traduzi-Ias, guard-Ias e irradi-Ias para as outras pessoas. Muitos de vocs construiro ligaes telepticas com estas naves-me, e estas ligaes sero semelhantes a estaes de rdio particulares, atravs das quais iro conseguir sintonizar um tesouro de informaes vontade.

    Isto a evoluo da super-conscincia, a evoluo at o mais elevado aspecto do vosso ser. No precisam preocupar-se em como tornar-se este ser, porque vocs i so este ser, s precisam lembrar-se disso. Desde a abertura dos vus que envolviam a Terra na poca da Convergncia Harmnica, vocs tm sido continuamente bombardeados com esta energia csmica, e ela tem sido constantemente aumentada medida que se tm tornado capazes de utiliz-Ia. Vocs esto evoluindo num ritmo to acelerado, que cada ano desta dcada equivale a dez, ou mais, do sculo

  • 17

    anterior. Sintam o quanto tero realizado quando chegar 1999, e quem vocs sero. Ser como se tivessem vivido cem anos numa dcada.

    Sero inundados com memria e com muitas outras coisas. Muitos de vocs viajaro em naves a vrias partes do sistema solar. medida que forem entrando na Idade da Luz, mundos jamais imaginados iro se abrir para vocs. Voces j atravessaram outras eras: a Idade do Bronze, a Idade do ferro,a era da Informtica, etc.. Estas outras eras relacionavam-se com semear, plantar, cultivar e colocar a potencialidade da vida na terceira dimenso.

    Uma transio est prestes a ocorrer. uma transformao dimensional que diminuira a densidade da terceira dimenso permitindo que mudem para dimenses mais altas onde o estado do vosso corpo no mais. to solido vocs chegaram at aqui porque querem dominar o processo evolucionrio e ser capazes de viver assim. Ser muito estimulante, pois significa que iro funcionar em diversas realidades. Todas as respostas esto profundamente emterradas dentro de vocs. As perguntas que afloram a vossa mente surgem para que consigam trazer as respostas de dentro de vosso proprio ser. Precisam acreditar que l que se encontra armazenada a informao. A humanidade est aprendendo uma lio importante nesta poca, que perceber a sua divindade, a sua ligao com o Criador Primordial e com tudo o que existe.

    A lio perceber que todas as coisas esto ligadas e que vocs fazem parte de tudo isso. Existem milhares de culturas e sociedades na amplido do espao e estas sociedades e culturas tem ido e vindo do planeta , desde seus primrdios. No somos apenas ns, os Pleiadianos que viemos ajud-Ios; somos apenas um grupo originrio de outro sistema estrelar. Existem outros que viajaram at aqui motivados pelas mais diversas razes. A maioria dos extraterrestres esta aqui para ajudar na vossa evoluo.

    A vossa histria entra e sai de perodos muito especiais Muitos de vocs tornaram-se ligados Terra h eons, atraves da energia estelar e de trabalho nos planos mais elevados. Vocs conhecem quase todas as dificuldades pelas quais a Terra passou, tal como as inmeras vezes em que os continentes se deslocaram, e quantas vezes o auxlio veio dos cus. As informaes foram distorcidas quando aqueles que vieram dos cus para ajud-Ios em seu desenvolvimento foram tomados por deuses.

    Como crianas que idolatram quem faz o que elas no conseguem fazer, a vossa sociedade adota claramente o mesmo mtodo ao criar divindades. O conceito por trs deste mtodo um dos paradigmas que vieram destruir. O mundo tridimensional possui grandes desafios, porque permite o estabelecimento de magnficas delimitaes. Atravs destas delimitaes so formadas estruturas, e atravs deste processo voc cria e aprende que uma poro do Criador Primordial, e que o Criador Primordial deseja experincias.

    Vocs so seres magnficos, membros da Famlia da Luz e vieram Terra nesta poca com a misso de criar a mudana, dar o salto, prestar assistncia na transio. O amor a chave. O amor o que forma o

  • 18

    universo. A tecnologia atual da Terra s se desenvolve at determinado ponto, porque a humanidade ainda no entendeu que o amor necessrio. A energia pode tomar todas as formas de criatividade, mas quando uma pessoa est lidando com dio ou ganncia, ou qualquer outra emoo que no caminhe em direo luz, no lhe permitido ir muito longe. Existe apenas uma certa quantidade de informao disponvel para este tipo de vibrao.

    O amor o tijolo bsico da construo, portanto, quando algum tem amor, tem todas as possibilidades. Trazer de volta o conceito de luz (que informao) e amor (que criatividade) o plano. necessrio que renegados como a Famlia da Luz, venham a um sistema que tem sido basicamente sombrio h eons, para mud-Io. Ns somos renegados onde estamos. Como dissemos, nosso prprio sistema necessita de transformao.

    Estamos trabalhando como uma ponte, ou um elo, atravs da Famlia da Luz, em vrios sistemas, para mudar o nosso prprio sistema. a vossa elevao de conscincia pelo amor e responsabilidade nutre-nos, reabastece-nos e expande a nossa conscincia para podermos evoluir. Portanto, da mesma forma que ns somos amigos, guias e auxiliares para vocs, vocs tambm nos ajudam. Aonde esta transio vai lev-los? Ns gostaramos de v-Ios qualificados para construir mundos conscientemente. Vocs esto sendo preparados para semear e ser as especies plantadas em diversos mundos novos medida que eles vo sendo formulados e, como arquivaram em vossa memria a histria do que ocorreu aqui na Terra, sero capazes de concientemente ensinar e indicar o caminho para outros mundos.

    Vocs esto participando de um grande plano. Todos agarraram a oportunidade de estar aqui num local e numa poca to desafiadores. Vocs tinham a certeza de que conseguiriam fazer isso. Alm disso, foram informados antes de vir para c, de que seriam ajudados e que, em diferentes etapas do vosso desenvolvimento, diferentes entidades, com diferentes capacidades, apresentar-se-iam no planeta para os impulsionar, animar e lembrar - no faz-lo por vocs. Nos somos um desses gatilhos, somos catalizadores. Quando ouvem o nome Pleiadianos, sentem uma coneco porque estamos lhes prestando assistncia, levando adiante as vossas prprias informaes e conhecimentos.

    Trabalhando com vocs, nossa inteno oferecer-lhes a lembrana de quem so, para que possam encontrar a vossa fonte maior de inspirao Se pudssemos dar uma profisso a cada um de vocs, ou proporcionar-lhes uma forma de ser, iramos pedir-Ihes que se tornassem uma inspirao. Quando conseguirem viver essa capacidade e ser verdadeiramente uma inspirao para todos que os encontrem, estaro vivendo a vossa luz. Lembrem-se de que estamos aqui por nossas razes e vocs por razes vossas, mas todos ns estamos aqui para evoluir juntos e criar uma nova frequncia vibracional.

    nossa inteno quebrar paradigmas de convices que separam os indivduos em sua evoluo. Queremos criar uma embaixada, um jogo de harmonia e cooperao, fornecendo-lhes informaes que os atinjam no

  • 19

    mago de seus seres, no importando quais tenham sido suas crenas anteriores. Ns, o grupo que lhes fala, pretendemos preencher nosso texto com algumas experincias interessantes.

    A primeira vez que entramos em contato, em 1988, nosso grupo consistia de cinquenta a setenta e cinco entidades, umas fsicas, outras no fsicas, todas Pleiadianas. Nosso nmero tem crescido e agora somos mais de cem entidades de vrios sistemas diferentes. Podem nos chamar agora de Pleiadianos Plus. Alguns de ns duvidam que consigamos realizar o que nos dispusemos a fazer com vocs. Acham que estamos dependendo muito do acaso, correndo muitos riscos, mas mesmo assim aguardam ansiosos o que ir acontecer.

    Existem pessoas em vosso sistema achando que estamos aqui para disseminar o medo, mas ns temos uma opinio diferente. No queremos assustar ningum: queremos simplesmente inform-los. Se entrarem num quarto escuro e escutarem sons estranhos, podem sentir medo, contudo, se acenderem a luz "e virem o que est provocando os sons, a situao no ser mais to assustadora. Ns queremos informlos com quem esto lidando. Luz informao; ignorncia escurido. Queremos v-los trabalhando na luz, no nas trevas.

    Estamos trabalhando com vocs porque queremos elevar nossa conscincia para uma liberdade maior de vontade e de expresso. Da mesma forma que vocs tm como misso mudar o sistema em que esto, ns tambm temos como misso mudar o nosso sistema. No abandonamos nosso propsito. Como j dissemos, viemos do vosso futuro e, sob certos aspectos, temos as mos atadas. A necessidade de a'uda mutua.

    Vocs, como membros da Famlia da Luz, podem instituir, implementar ou inserir novas grandes probabilidades na cadeia de realidades que ir implodir nos prximos vinte anos neste setor de existncia, porque vivem fisicamente neste planeta. atravs de vocs que a transformao ir ocorrer. O que fizerem agora, assim como o que acontecer com a Terra nos afetar enormemente. Estamos aqui para dar assistncia, ensinar e evoluir enquanto atravessamos este processo juntos. Estamos expondo nossa verso dos fatos, apenas para os leyar a uma conscientizao mais elevada. No pretendemos afirmar que somente esta a verso correta!

    Todo este ensinamento esta sendo ministrado com um objetivo maior em nossas mentes, e as histrias que vamos contar-lhes foram designadas para eleva-los a um plano superior de conscincia. Esta a nossa inteno As palavras que escolhemos e os conceitos que transmitimos so entradas para cdigos profundamente arquivados dentro dos vossos corpos.

    Eles esto esperando que as perguntas sejam formuladas para poderem comear a ressoar as respostas internas - para que a vossa memria celular possa comear a recordar o que um dia j soube. medida que formos falando, vocs iro se lembrar. Gostaramos, enquanto falamos com vocs, que expandissem a vossa definio da realidade; contudo, nunca tomem o que dizemos literalmente. Sigam sempre a espiral maior que estamos pretendendo criar, que lhes permite verem o quadro mais amplo. Nunca

  • 20

    parem onde definimos uma idia, pois estamos aqui apenas para abrir vossos paradigmas. vossas jauIas, para que possam comear a encontrar a ativao do conhecimento real, do verdadeiro conhecimento que est arquivado dentro de vocs.

    a que reside a informao, e ns viemos despert-Ia. Desejamos que joguem fora conceitos que vocs prezam. Queremos encoraj-Ios a no se deixarem prender a nenhuma idia e a acolherem aquilo que temem ou hesitam abraar. Percebam que, ao enfrentar as chamadas partes obscuras, ou sombrias, que existem dentro de vocs, esto criando oportunidades de liberar todas as vossas preocupaes. Isto nos traz de volta para o primeiro e ltimo princpio: o pensamento cria. No importa em que situao voc se encontre, foi o poder do seu pensamento o que levou at esse local. o con-ceito impecvel de que o pensamento cria que ir transformar a vossa experincia e a existncia planetria.

    Recomendamos que questionem as pessoas que tentam doutrin-Ios com verdades absolutas. importante ouvir diversas opinies, muitas histrias diferentes. Ouam a histria de uma pessoa e sintam se ela soa bem. Faz bem a vocs, eleva-os? Uma das coisas que gostaramos de lhes ensinar que a deciso do que deve ser feito exclusivamente vossa. Ns damos a informao; contudo, cabe a vocs decidirem o que fazer com ela: vocs esto encarregados de cuidar da vossa vida, no ns. Nos orgulhamos de sermos bons contadores de histrias. Existe uma certa credibilidade e um certo sensacionalismo na forma como apresentamos as informaes.

    No entanto, uma histria que contada num determinado momento certamente no a nica, no o fim, nem nunca ser a nica verdade. Trata-se apenas de um fragmento, uma pequena poro do quadro mais amplo. No importa que histria contemos hoje a vocs, garantimos que daqui a um ano iremos contar uma bem diferente, porque daqui a um ano a vossa compreenso ter aumentado. sim, a histria estar evoluindo constantemente.

    A vossa tarefa consiste em descobrir a prpria identidade dentro da histria, encontrar aquilo que vocs sabem - no o que querem acreditar, ou o que lhes contaram. Confiar na sabedoria interior imperativo, porque o saber a vossa conexo com o Criador Primordial. Conforme forem recordando o vosso papeI, vo saber que vossa vida relacionada a algo. Foram vocs mesmos que escolheram estar aqui A vossa misso trazer as vossas lembranas e o valor da existncia humana desde o incio da criao. Vocs so necessrios.vem sendo treinados para esta misso h vrias yidas e no vieram despreparados.

    Tudo o que precisam saber agora est dentro de vocs, vossa tarefa lembrarem-se do treinamento que receberam. Esta no uma vida para aprenderem informaes novas. Como j tivemos oportunidade de mencionar, esta uma vida em que vocs vo se recordar do que j sabem, e a. nossa presena aqui serve apenas para lenbra-los disso. Faz parte da nossa misso.

  • 21

    Na jornada do Criador Primordial

    A humanidade urna experincia. Ela foi projetada, bem como tudo o que...existe dentro da criao. O Criador Primordial comeou a experincia com_a criao, h muito tempo neste universo, com o propsito de aumentar a auto explorao, a auto gratificao e a auto-expresso. Ele trouxe energias. e essncias de vida - extenses de si mesmo - para este uni-verso e concedeu a estas extenses dons que possua. Existem muitos outros universos e muitas outras formas de projetar universos; este foi designado .como urna zona de livre arbtrio, onde tudo seria permitido.

    O Criador Primordial disse a estas extenses de si mesmo: "Vo, criem e me trazem os frutos de volta Isto era urna misso bem simples, no era? Em outras palavras, estava dizendo: "Eu vou doar-me a vocs. Vo e doem-se livremente, para que tudo o que criarem neste universo possa compreender a prpria essncia como minha identidade. Estas extenses do Criador Primordial, a que chamamos ,deuses criadores, saram e comearam a fazer experiencias com a energia do Criador Primordial que existia dentro deles. Comearam a criar sua prpria hierarquia que, por sua vez, criaram o outras hierarquias.

    Cada hierarquia, sucessivamente, criou uma nova hierarquia, dotando-a com a sua prpria essncia para auxiliar no desenvolvimento deste universo. Posteriormente, num destes sistemas galcticos, planejou-se designar a Terra como um centro de troca de informao intergalctico. Era um plano incrvel. a Terra era um lugar lindo, localizado nas fmbrias de um dos sistemas galcticos e facilmente acessada por outras galxias. Encontava-se perto de vrios portais de rota, estradas por onde as energias viajam atravs do espao.

    Houve muita correria e confuso para que se criassem representaes individuais de todas as galxias neste planeta. Muitos dos deuses criadores eram mestres geneticistas.Por meio de suas hierarquias eles eram capazes de unir molculas - molculas codificadas de identidade, frequncia e carga eletrica - criando assim a vida. Muitas civilizaes sencientes doaram seu DNA para possuirem representao do seu codigo gentico neste planeta. Os mestres geneticistas, ento, projetaram vrias espcies, algumas humanas, outras animais, jogando com as variedades do DNA, contribuio das civilizaes sencientes, para este centro de troca de informao, este centro de luz, esta Biblioteca Viva.

    O plano para a Terra era muito importante. Os Planejadores Originais da Terra eram membros da Famlia da Luz, seres que trabalhavam e eram associados ao aspecto da conscincia chamado Luz. Luz informao A fa-mlia da Luz criou o centro de informao que havia concebido; eles projetaram um local onde cada galxia contribuiria com sua informao e onde todos pudessem participar e partilhar seus conhecimentos especficos. A Terra deveria ser uma biblioteca csmica, um local de beleza incrvel onde seria realizada a experincia de arquivar informaes atravs de freqncias e atravs do processo gentico.

  • 22

    Fora da estrutura do tempo, 100.000 anos podem transcorrer como se fossem um ano. Estes deuses criadores no existiam dentro do tempo que vocs conhecem. Algumas centenas de milhares de anos, ou um milho de anos, no era nada para eles. Diferentes energias foram trazidas vida. Havia representantes da espcie humana na Terra, h cerca de 500.000 anos, que desenvolveram civilizaes altamente evoludas. No estamos falando das civilizaes que vocs chamam de Atlntida ou Lemria; para ns, essas civilizaes so modernas. estamos nos referindo civilizaes antigas, civilizaes que esto enterradas sob as calotas de gelo bem ao sul, no continente da Antrtica.

    O projeto da Biblioteca Viva na Terra foi posteriormente atacado. Era atraente demais para pertencer a algum. Nos primrdios da histria da Terra, houve guerras espaciais cujo objetivo era a posse do planeta. J alguma vez pensaram quem o dono da Terra? Trata-se de um imvel da mais alta qualidade. Vocs acham que ela andaria pelo espao sem dono? Comearam as escaramuas e a Terra tornou-se um lugar de dualidade.

    Alguns deuses criadores que tinham o direito de fazer o que quisessem - porque a Terra uma zona de livre-arbtrio - vieram e assumiram o comando. Ns chamamos isso de "assalto" Terra. Estes deuses criadores assaltaram a Terra h aproximadamente 300.000 anos - o perodo de tempo, historicamente falando, que vocs chamam de incio da civilizao humana. Trata-se meramente do perodo de tempo que aprenderam ter sido o incio da civilizao. Na verdade, foi apenas o incio da ltima fase, a fase da humanidade moderna.

    Quando as escaramuas ocorreram, um certo grupo de entidades lutou no espao e ganhou o territrio da Terra. Os novos proprietrios no queriam que as espcies nativas da Terra - os humanos - fossem informados do que aconteceu. Desinformadas, seriam mais fceis de controlar. por isso que luz informao e trevas, falta de informao. Estas entidades baniram a luz, e a Terra tornou-se o seu territrio. Isto lhes d uma nova idia de luz, no d? Havia muita radioatividade e ao nuclear, e muitas regies da Terra ficaram incomunicveis. A espcie original, a criao humana, sofreu uma grande destruio e dispersou-se.

    Os deuses criadores, os novos proprietrios da Terra, tambm eram mestres geneticistas. Eles sabiam criar vida queriam este territrio para seus objetivos particulares. territrios so criados e mantidos por determinadas energias por muitas razes, uma delas para que haja conscincia dentro de todas as coisas. A conscincia se comunica continuamente. Ela vibra ou pode ser induzida a vibrar, a uma determinada frequncia eletromagntica.

    As energias eletromagnticas da conscincia podem ser influenciadas a vibrar de uma certa forma para criar uma fonte de alimento. Da mesma forma que uma ma pode ser preparada e comida de vrias maneiras tambm a concincia pode ser preparada e ingerida de maneiras diferentes. Algumas entidades, no processo de sua prpria evoluo comearam a descobrir que se criassem vida e conscincia nas coisas atravs da modulaco das freqncias das formas de conscincia, conseguiriam alimentar-se; conseguiriam manter suas baterias carregadas.

  • 23

    Elas comearo a perceber que o Criador Primordial se alimenta dessa maneira. O Criador Primordial envia entidades para criarem freqncias eletromagnticas de conscincia como fontes de alimentos para si prprio. Os novos proprietrios deste planeta tinham apetites e preferncias diferentes dos antigos proprietrios. nutriam-se de caos e de medo. Isto os alimentava, os estimulava tinha no poder. Estes novos proprietrios que aqui chegaram a 300.000 anos eram os seres magnificentes citados na Bblia, nas tabuas da Sumria e da Babilnia e em textos espalhados por todo o mundo. Eles refizeram as espcies nativas humanas.

    Refizeram O seu DNA, para que elas passassem a vibrar dentro de uma faixa limitada de frequncia, uma frequncia que os alimentasse e os mantivesse no poder. O ser humano original era um ser magnificente que possua doze fitas de DNA, contribuio de vrias civilizaes sencientes. Quando os novos proprietrios chegaram, trabalharam em seus laboratrios e criaram verses humanas com o DNA diferente - duas fitas, a dupla-hlice de DNA. Eles tomaram o DNA original da espcie humana e o desmontaram.

    O padro do DNA original foi deixado dentro das clulas humanas, mas no funcionava; foi separado, desligado. Dentro das clulas humanas encontram-se filamentos de cdigos-luminosos, teias finas de energia que contm informao. Quando estas teias esto operando juntas como um cabo - semelhante a fibras ticas - formam a hlice do vosso DNA. Quando vocs foram refeitos, foi deixada nas vossas clulas a dupla-hlice. Tudo o que no fosse necessrio sobrevivncia e os mantivesse informados foi desligado, deixando-os apenas com a dupla-hlice que iria aprision-los dentro de frequncias controlveis, operveis.

    Uma cerca frequencial, semelhante a uma cerca eltrica, foi colocada em volta do planeta para controlar a forma como as frequncias dos humanos poderiam ser moduladas e trocadas. No desenrolar da histria, esta cerca frequencial foi tornando muito difcil a penetrao das frequncias de luz informao. Mesmo quando as frequncias de luz conseguiam ultrapassar a barreira de controle, no havia luz para recebIas. O DNA dos humanos estava desligado, os filamentos de cdigos-luminosos desorganizados, e assim os raios csmicos criativos que traziam luz no encontravam nada em que se ligar e permanecer.

    Qual o vosso papel nesta histria? Vocs so membros da Famlia da Luz. O simples fato de estarem lendo este livro mostra que fazem parte da Famlia da Luz. Para alguns isto corno um sonho. Estamos lembrando o que vocs no vosso ntimo, j sabem. Viemos a este planeta para ativar os arquivos da vossa memria - inspirar a raa humana atravs da faixa de luz para que comecem a se lembrar quem so, a criar a vossa prpria realidade, alterar a frequncia do planeta e reclamar o direito de posse sobre si mesmos e sobre este territrio. Ns, como Pleiadianos, voltamos no tempo - para a o que poderia talvez ser chamado de nosso passado procurando resqucios de representantes da luz.

  • 24

    Voltamos para compartilhar uma frequncia com vocs, uma frequncia que cada um concordou partilhar neste planeta para mudar o DNA da raa humana remodelada. Esta urna histria importante. Os Planejadores Originais no querem perder seu territrio. Vocs acham que eles iam desistir assim to fcil?comearam a chamar os membros da Famlia da Luz para virem infiltrar-se no projeto, encarnando-se um a um para trazer a luz - corno informao atravs de raios csmicos - de volta ao local que a havia perdido.

    A Famlia da Luz comeou a trabalhar aqui, vindo a um planeta privado de luz e de informao. Atravs de mutaes nas leis da humanidade, estes raios cosmicos criativos comearam a perpassar os corpos das pessoas, indivduo por indivduo, depois grupo por grupo. em diminutas quantidades, atravs dos eons, as freqncias de informao foram sendo trazidas para este planeta. As vezes grandes batalhas eram travadas com o objetivo de eliminar a luz, ou informao, que estava sempre procurando uma forma de expresso. Os Planejadores Originais sabiam que, cosmicamente falando, esta era urna lio para eles - permitir compreender os deuses criadores que tomaram o seu projeto.

    Os Planejadores Originais ento dispuseram-se a introduzir a sua prpria verso de um plano que coincidisse com a poca em que a frequncia da Terra seria alterada, uma poca em que os proprietrios pereceriam se no mudassem sua prpria frequncia. Emoes so fonte de alimento. Existem seres cuja fonte de alimento o amor, e os Planejadores Originais pretendem alterar a frequncia da Terra para a frequncia do amor. A fonte de alimento dos atuais proprietrios, que o medo, ansiedade, caos, fome e desnimo precisa ser removida. Adivinhem quem est removendo esta fonte de alimento? Vocs!

    Como membros da Famlia da Luz, vocs so renegados. So demolidores de sistemas, esto aqui para conquistar seus prprios medos e mostrar ao resto do planeta que no h razo para temer nada. Adoram chegar e causar confuso. famoso este ramo da Famlia da Luz. Vocs so conhecidos por chegarem em determinados sistemas de realidade e alterar a sua frequncia, trazendo informao. No vossa tarefa, como membros da Famlia da Luz, converter os outros, mas entrar nos sistemas e agir como receptculos; isto , receber os raios csmicos criativos em vossos corpos, os corpos que esto ocupando como humanos. Esto disfarados de humanos para permitirem que o processo acontea.

    Vocs esto codificados e, medida que suas lembranas comeam a aflorar, iro responder ao plano do qual vieram participar para alterar as frequncias. Comearo por receber e manter uma determinada frequncia e depois passaro a viv-Ia. A identidade como frequncia a soma total da irradiao das pulsaes eltricas dos vossos corpos fsico, mental, emocional e espiritual. medida que vivem a sua frequncia, afetam todas as pessoas e todos os lugares para onde forem. isso que esto fazendo agora. Existe muita gente que j compreendeu sua misso, e em muitas pessoas as lembranas esto comeando a aflorar.

    O plano de mudar a modulao da frequncia que afeta a espcie

  • 25

    humana, permite o reagrupamento do seu DNA e dos filamentos de cdigos-luminosos. Desta vez, o plano gigantesco. A Terra est ajudando, sua maneira, a evoluo do universo. na Terra que as coisas esto acontecendo o lugar quente, o lugar para se estar. onde o plano comea a desa-brochar. O que ocorrer na Terra ir afetar muitos e muitos mundos. Como membros da Famlia da Luz, vocs concordaram em vir Terra diversas vezes - de vrias formas e em pocas diferentes - para se ambientar, descobrir as caractersticas treinar-se.

    Precisavam experimentar a Terra e preparar-se para o tempo em que a alterao da frequncia comearia a ocorrer Todos se comprometeram a encamar o nmero de vezes necessrio para colocar o plano em ao.

    A Famlia da Luz de todos os lugares est comeando a se unir. Precisam concentrar-se no que possuem em comum, no no que deixam de ter em comum. Como membros da Famlia da Luz vocs trazem informao ao planeta de formula totalmente neutra para estimular o vosso prprio crescimento. Precisam fazer isso - porque o crescimento de cada um de voces afeta o crescimento de todo o planeta.

    O vosso DNA vai evoluir de duas para doze hlices Estas doze hlices correspondem aos centros de energia ou chakras, dentro e fora do vosso corpo. Agora, aqui no planeta, milhes de vocs esto em misso e concordaram em manter a vibrao para realizar esta misso. Grupos de vocs esto se tornando impecveis e estes grupos esto afetando os outros Em breve comearo a perceber claramente quem so e qual a vossa misso.

    Este processo um incrvel salto evolucionrio pare. os que participam e ocorrer num ritmo muito acelerado nos proximos vinte anos existem algumas pessoa que j recebero o realinhamento das doze fitas de DNA, as doze hlices. Estas doze fitas espiraladas de DNA interagem dentro e fora do corpo. A conexo das doze espirais significa que os doze centros de informao podem comear a funcionar e enyiar informao entre si para a frente e para trs. Tradicionalmente, sete destes centros esto localizados no corpo, e cinco fora do corpo.So nrmalmente conhecidos como chakras e esto alinhados com o movimento rotatrio .dos doze corpos celestes do sistema solar que vocs conhecem os doze corpos celestes que vibram da maneira que vocs os percebem em trs dimenses.

    Estes doze corpos celestes giram com informao: giram com o sistema de chakras que chega ao fim do universo e giram com o DNA girando dentro do vosso corpo. Quando o DNA humano comear a se unir formando um sistema de doze hlices e agir de acordo com esta informao, haver uma fora incrvel .Os indivduos, ao simplesmente se agruparem e projetarem um desejo juntos tornando-se um receptculo teleptico de_energias_de todo o cosmos_ iro modificar a face do universo. Ns chamamos o processo de reagrupamento do vosso DNA de mutao.

    Quando vocs, como membros da Famlia da Luz, forem capazes de assimilar essa mutao dentro dos vossos corpos, sero capazes de integrar os vossos doze centros de informao. Comearo a compreender que vocs

  • 26

    criam as vossas experincias e aprendero a ser criadores conscientes. Mais do que isso, tornar-se-o recordadores conscientes de quem vocs so. Com a abertura dos vossos dcimo, dcimo-primeiro e dcimo-segundo chakras, muitas energias extraterrestres iro aparecer em vossas vidas. Estas energias se intensificaro com o aumento do nmero de pessoas que conseguirem sustentar frequncias mais altas. O dcimo chakra liga-se ao sistema solar, o dcimo-primeiro galxia e o dcimo-segundo a um lugar do universo. Com a sustentao destas frequncias, a informao que ser trazida para o planeta ir assombrar e chocar a maior parte do mundo.

    Haver uma fuso de identidades, uma fuso de culturas, uma incidncia de vrias ordens do novo mundoe haver muito caos e confuso. Como membros da Famlia da Luz, vocs podem simplesmente observar isto, sabendo que o caos e a confuso devem vir para quebrar o sistema para que ele possa ser reconstrudo com luz. Como membros Famlia da Luz, vocs compreendem que existe um processo evolucionrio ocorrendo e, quem conseguir suportar a mudana de frequncia, evoluir. A Terra um lugar emocionante para se estar nesta poca.

    Quem so os vossos Deuses?

    Existem muitas idias errneas sobre o conceito de divindade. O universo est repleto de seres inteligentes que tm, ao longo do tempo, evoludo e desenvolvido todos os tipos de capacidades e funes para atender s necessidades de se expressarem criativamente. A importncia que h por detrs da existncia e da conscincia a criatividade, e ela pode assumir diversas formas. H eons, a Terra era apenas um pensamento na mente de grandes seres que estabeleceram para si o objetivo de criarem novas formas de existncia.

    Muitos destes seres afetaram a criao do universo, e vocs os denominaram Deus. Na verdade, eram energias extraterrestres portadoras de luz, h muito removidas do Criador Primordial. Ns raramente usamos o termo Deus com letra maiscula. Se fossemos usar este termo, seria para nos referirmos entidade que conhecemos por Criador Primordial. Ele, em sua imploso pessoal atravs do amor, dotou todas as coisas com a conscincia. Todas as coisas so o Criador Primordial na sua viagem. Ns nos vemos como extenses do Criador Primordial sempre adquirindo informao e partindo em busca de aventuras, para assim o alimentarmos.

    medida que o alimentamos com nossos planos e esforos, fornecemos-lhe mais energia para novas criaes. Nunca chegamos perto da entidade Criador Primordial. Mesmo aqueles entre ns que so seres da maior vibrao luminosa no tm a capacidade, no estgio de evoluo em que nos encontramos, de aproximar-se do Criador Primordial ainda no estamos prontos para sustentar a intensidade desta emanao. Desejamos veementemente em algum ponto do nosso processo evolutivo, vislumbrar, ou eventualmente nos fundir ao Criador Primordial por um tempo.

    Sabemos que isso possvel. A evoluo da conscincia e a capacidade de armazenar informao o que nos permite aproximar-nos do Criador Primordial. Diversas pessoas na Terra sentiram haver-se fundido

  • 27

    com Deus. Elas devem ter-se fundido com a poro do Criador Primordial que mais se adequou sua vibrao naquela epoca. A vibrao total do Criador Prirnordial: destruiria o veiculo fsico num instante, pois ele no seria capaz de armazenar tamanha quantidade de informao. Os que representam Deus para vocs so apenas uma poro diminta do Criador Primordial.

    At mesmo o Criador Prirnordia: uma poro diminuta de algo maior. Ele est constantemete descobrindo que filho de outra criao e que tambm ele se encontra em constante processo de auto-descobrimento e conscientizao. lembrem-se, a conscincia est dentro de todas as coisas e nunca. foi inventada, ela simplesmente . Conscincia conhecimento e o vosso conhecimento o lugar mais prximo do Criador Primordial. Quando voc acredita no que conhece. est ativando o Deus dentro de voc. Nesta poca, h uma grande conscientizao alastrando-se pelo planeta de quo grande o mundo , e a pergunta no mais s quem quem no jogo do mundo, mas tambm quem quem no jogo csmico.

    Da mesma forma que existem hierarquias na Terra, existem hierarquias csmicas. Voc pode morar numa regio e no ter conhecimento de que a existe uma hierarquia. Pode cultivar suas terras, pagar seus impostos, decidir no votar, e simplesmente no estar atento estrutura burocrtica poltica. De forma semelhante, a Terra est absorta da estrutura burocrtica poltica que opera o universo. importante compreenderem que burocracias e hierarquias existem e que estas organizaes tm uma vivncia de tempo diferente da vossa. O que vocs chamam de um ano, talvez para outros seja apenas uma pequena parte do dia. Se conseguirem comear a compreender isto, entendero porque este planeta foi aparentemente abandonado a si prprio nos ltimos milhares de anos.

    Agora, a atividade vinda dos cus est comeando a borbulhar e a ferver novamente e vocs iro se deparar com a introduo de uma grande quantidade de conhecimento novo em vossos paradigmas e sistemas religio-sos. Este planeta est sujeito a um choque cultural. Vocs vieram para c, agora, com um propsito determinado: enfrentar os deuses criadores que refizeram a espcie humana que esto voltando. Alguns deles j esto aqui.

    Este planeta tem sido constantemente visitado e muitas formas di-ferentes de seres humanos foram semeadas aqui atravs de grande variedade de experincias. Houve muitos fatores que influenciaram o curso da histria na Terra. Durante milhes de anos, existiram neste planeta civilizaes que vieram e se foram sem deixar vestgio. Todas estas civilizaes, assim como a vossa histria, foram influenciadas por inmeros seres luminosos que vocs denominaram Deus.

    Na Bblia, muitos destes seres foram combinados passando a representar um ser,quando no eram de Jeito nenhum um nico ser mas uma combinao de vrias energias luminosas estraterrestres muito poderosas. eram, sem dvida, energias majestosas vistas sob nossa perspectiva, e fcIl compreender porque foram adoradas e glorificadas. No h literatura na Terra que apresente um retrato verdadeiro destes seres. Todos os deuses vieram aqui para aprender e acelerar o seu prprio desenvolvimento atravs do trabalho com criatividade, conscincia e energia.

  • 28

    Alguns foram bem sucedidos e aprenderam suas lies, enquanto outros cometeram erros devastadores. Quem eram estes deuses da antiguidade? Eram seres capazes de modificar a realidade e comandar os espritos da Natureza segundo a sua vontade. Os humanos tradicionalmente chamam de Deus seres capazes de fazer o que eles no conseguem. Estes -seres passaram por antigas culturas de varias sociedades, retratados como criaturas aladas e bolas de luz. Este mundo permeado de pistas, indcios e artefatos que indicam quem eram os seus deuses.

    Contudo aqueles que desejavam manipular os humanos inventaram suas proprias historias criando paradigmas para os poderem controlar. Disseram-lhes que estes seres eram deuses verdadeiros e vocs foram ensinados a cultu-Ios, ador-Ios e obedec-Ios Este paradigma est agora na eminncia de sofrer uma mudana gigantesca. A verdade aparecer, uma verdade que mudara completamente a maneira como vem o mundo. Pobres daqueles que no quiserem enxergar. As reverberaes do choque atingiro todo o mundo.

    Os deuses criadores que tm governado este planeta possuem a capacidade de assumir a forma fsica, embora na maior parte do tempo existam em outras dimenses Eles mantm a Terra numa determinada frequncia vibracional criando traumas emocionais para se alimentar. Existem seres que honram a vida acima de tudo, e seres que no respeitam a vida nem compreendem a ligao que tm com ela.

    Conscincia alimenta conscincia. No fcil entenderem este conceito, porque vocs se alimentam de comida. A comida para alguns seres, a conscincia. Toda a comida contm conscincia em algum ponto do seu proprio desenvolvimento, quer voc a frite, cozinhe ou colha da horta; voc a ingere para manter-se nutrido. As vossas emoes so alimento para outros seres. Quando vocs so controlados para gerarem devastao e fria, esto criando uma frequncia vibracional que sustenta a existncia destes outros seres, porque disso que eles se nutrem. Existem seres que vivem da vibrao do amor, e esse grupo gostaria de restabelecer o alimento do amor neste planeta.

    Eles gostariam de ligar este universo na frequncia do amor para que ele tenha a oportunidade de sair e semear outros mundos. Vocs representam o grupo renegado da luz, concordaram em voltar ao planeta, e tm uma misso. Vieram para estes corpos fsicos para assumirem o seu comando e mud-los atravs do poder da vossa identidade espiritual. Todos selecionaram com muito cuidado as linhagens genticas que lhes trariam a melhor vantagem inicial. Cada um escolheu uma histria gentica atravs da qual membros da Famlia da Luz j passaram.

    Quando os seres humanos viviam nos domnios que lhes pertenciam por direito e podiam compreender diversas realidades, possuiam a capacidade de serem multidimensionais, de serem iguais aos deuses. Vocs esto comeando a despertar esta identidade dentro de si. Os deuses assaltaram esta realidade. Para que vocs acreditassem serem eles Deuses com D maisculo, os remodelaram geneticamente. A Famlia da Luz foi

  • 29

    expulsa do planeta, e o time das sombras, que operava atravs da ignorncia, assumiu o comando. Os corpos que ocupam carregam o medo e a lembrana da luta pelo conhecimento que estes deuses representavam e roubaram de vocs. Estas criaturas espaciais magnficas podem exercer a manipulao de vrias maneiras e trabalhar com a realidade de inmeras formas diferentes.

    Os humanos, na ignorncia,comearam a chamar estas criaturas espaciais de Deus, com D maisculo. Deus com D maisculo jamais visitou este planeta como uma entidade. Deus com D maisculo est em todas as coisas.Vocs lidaram apenas com deuses com d minsculo. que desejavam ser adorados, queriam confundi-Ios e consideravam a Terra um principado, um lugar que possuam nas fmbrias da galxia deste universo de livre-arbtrio. Antes da pilhagem, vocs possuam tremendos atributos. O exemplar biogentico do ser humano horiginal recebeu informaes maravilhosas, era interdimensional e podia fazer coisas incrveis.

    Quando estes deuses criadores assaltaram o planeta, acharam que as espcies locais sabiam demais Elas possuam capacidades muito semelhantes s de quem desejava passar por Deus. Uma manipulao biogentica foi executada. orignando mais destruio. Houve verses experimentais das espdes trazidas ao planeta em que os arquivos originais foram dispersos, mas no destrudos. Antes, o vosso DNA estava intacto. Parecia uma linda biblioteca onde a informao estava toda catalogada e referenciada e vocs podiam encontrar tudo que quisessem instantaneamente.

    Quando ocorreu a alterao bioenergtica e a informao foi desligada, foi como se algum tivesse escondido o sistema de referncia, tirando todos os livros das prateleiras e os jogado no cho, aleatoriamente. Foi assim que o vosso DNA foi espalhado e misturado pelos usurpadores, h muito tempo atrs. Existe uma razo explcita para lhes contarmos esta histria. No estamos nos dirigindo vossa mente lgica, mas aos vossos bancos de memria, para que vocs possam Comear se lembrar da vossa participao nisso tudo. Dessa forma, vocs comearo a entender o que aconteceu e quem so vocs dentro deste processo.

    Toda a informao gentica foi misturada e desordenada, mas deixada dentro das clulas. A nica informao que restou para vocs usarem e para mant-Ios em funcionamento foi a dupla-hlice. Diversas memrias dentro da dupla-hlice foram desligadas, fechadas, e ento vocs comearam a funcionar com pouqussimos arquivos. Vocs eram muito facilmente manipulados e controlados por muitos aspectos da conscincia que se passaram por Deus. Certas entidades pegaram a espcie existente, que era realmente uma espcie gloriosa e a reprogramaram para seu prprio uso, suas prprias necessidades.

    Eles interromperam a freqncia da informao dentro dos seres humanos, mudaram o DNA e deram-Ihes a dupla hlice para que vocs pudessem ser mantidos na ignorncia. A vossa freqncia de acessibilidade foi simplesmente desligada para que vocs no pudessem girar o dial do vosso prprio rdio. Estes deuses criadores alteraram o DNA dentro do cor-po humano, que a inteligncia, o projeto, o cdigo. Se um cdigo no tem

  • 30

    espao para operar, no pode acender-se para a existncia ou expressar-se como existncia. Se voc for trancado num quartinho, sem lugar para crescer, jamais poder expressar-se. Nos ltimos milnios, o vosso cdigo foi obrigado a permanecer dentro de um DNA muito limitado.

    Um dos aspectos mais emocionantes para se estar na Terra neste momento, o fato de estar havendo uma reorganizao, ou uma re-instrumentao no vosso DNA. Raios csmicos esto incidindo sobre o planeta para que esta mudana seja difundida e a reorganizao possa ocorrer dentro do corpo. Os arquivos embaralhados que contm a histria e a conscincia da Biblioteca Viva esto sendo organizados. O DNA est evoluindo. Novas hlices, ou fitas esto sendo formadas medida que os filamentos de Cdigos luminosos comeam a se agrupar.

    Os arquivos disperses esto sendo unidos dentro do vosso corpo por energias eletromagnticas vindas do Criador Primordial. Ns estamos aqui para observar este processo em vocs, para os ajudar e para evoluirmos junto. Quando estes agrupamentos ou reorganizaes ocorrerem, vocs iro desenvolver um sistema nervoso mais eyoluido que possibilitar o acesso de uma quantidade muito maior de informao vossa conscincia. Muitas clulas do vosso crebro que haviam permanecido dormentes iro ser despertas passando a usar toda a capacidade do vosso corpo fisico e no apenas a pequena porcentagem com a qual vinham funcionando.

    Todas as regies do planeta esto sendo afetadas por esta mudana, esta conscientizao. Aqueles entre Yocs que sos Guardies da Luz e desejam mudar completamente a realidade presente, trazendo para c diferentes opes esto ancorando a frequncia. Se ela no for ancorada e compreendida, pode criar o caos. Ela criar o caos. por isso que vocs precisam ancorar-se. O caos traz um estado de reorganizao quando utiliza-do adequadamente. O tempo est se esgotando e a energia se tornando cada vez maior.

    Vocs vieram aqui para usar esta energia primeiro. Abriro estradas de conscientizao. ao puxar a energia para seus corpos e isto evitar que outras pessoas tenham de passar por esta experincia. Muitas pessoas despreparadas iro comear a sentir esta energia subitamente. Luz memria e informao e ao atrai-la,vocs criam novos caminhos para a explorao da conscincia. Os novos caminhos de conscientizao criam novas realidades, novas opes e novas maneiras de ser e viver.

    por isso que o colapso da vossa sociedade inevitvel: ela no mantm a luz nem as possibilidades multidimensionais; ela os mantm em sua limitao. Os deuses criadores so seres espaciais que possuem sua casa no espao. Eles tambm esto evoluindo. Alguns gostariam de chut-Ios para fora do "clube dos deuses criadores" por acharem que eles no valem a vida que criam.

    Antes do saque, h cerca de 300.000 anos, vrios componentes do time original trabalhavam aqui para trazer informao e criar o enorme centro de informao que deveria ter sido usado para conectar vrios sistemas galcticos. Houve, ento, uma violenta guerra entre os deuses

  • 31

    criadores, e os seres espaciais, cujas histrias se encontram nos antigos manuscritos deste planeta, ganharam a luta. Eles tinham interesses particulares neste local. Aqui, neste universo do Criador Primordial, todas as coisas so permitidas. E como tal, muitas lies so aprendidas.

    Alguns destes deuses criadores casaram-se e uniram suas linhagens, da mesma forma que no continente europeu diferentes monarcas e famlias reais se casaram e uniram seus reinos. Os deuses criadores misturavam-se para ver o que conseguiam criar. No se esqueam que eles entendiam de gentica e que todas as coisas eram criadas atravs da manifestao e uso da fora vital e da compreenso do seu funcionamento. Neste momento, est alm da vossa compreenso perceber a extenso desse projeto.

    Quem eram estes seres que vieram e destruiram os planos originais para a Terra? Quem eram estes seres espaciais a que s vezes nos referimos como os Camisetas Negras? Sejam bondosos quando se referirem s foras das trevas. No falem deles como se fossem maus. Simplesmente entendam que eles so desinformados, e criam sistemas desinformados, porque assim que sabem operar. Eles lutaram uma vez e separaram-se do conhecimento, por isso agarram-se desesperadamente ao conhecimento que lhes restou e vida que conseguiram desenvolver.

    Mas esta uma vida baseada no medo. que no s no respeita outras vidas como as usa. Quem so estes seres? So os rpteis. Estes seres espaciais so parte humanos, parte rpteis Ns costumamos cham-Ios Lizzies. No estamos aqui para. a amedront-Ios - mas para inform-Ios. Isto tudo est dentro e vocs, e medida em que a histria de quem so comear a se revelar, alguns de vocs podero inclusive acessar memorias reptilianas. uma iluso imaginarem que sempre encarnaram como seres humanos.

    Vocs encarnaram para vivenciar a criao, para reunir informao sobre a criao e para compreender este processo coletivamente. Com certeza no tiveram uma s experincia. Seria como jantar a vida inteira no mesmo restaurante e dizer "conheo tudo sobre culinria. Comecem a expandir as vossas fronteiras e percebam que ainda necessitam experimentar muitas coisas. Existe brilho em toda a espcie de vida.

    Os deuses criadores assumiam diversas formas no eram todos Lizzies. Havia deuses criadores semelhantes a insetos. Ns, Pleiadianos, somos associados aos deuses ciadores semelhantes a pssaros e rpteis. Havia seres que vinham do espao e trabalhavam com a energia dos pssaros em diversas culturas. Se repararem nos desenhos do antigo Egito Amrica do Sul e Amrica do Norte, iro ver sinais de pssaros e rpteis. Houve uma poca em que pssaros e rpteis trabalharam juntos, em outra, lutaram. A histria se ampliar na proporo da vossa compreenso.

    Vocs vo comear a se lembrar da vossa histria. Os deuses criadores so muito ligados a vocs. Quando uma pessoa decide ter filhos, compromete-se a aprender com eles, a ser responsvel pelo seu bem-estar e a ensinar eles a serem responsveis por si mesmos. O mesmo acontece com os deuses criadores. Observando o vosso crescimento eles aprendem sobre a

  • 32

    vida; esto aprendendo com o que criaram; esto aprendendo a ser bons pais, digamos assim.

    Alguns deuses criadores criaram vidas apenas para que estas cuidassem deles, atendessem s suas necessidades. Eles alimentaram-se de suas emoes. Um dos grandes segredos que no vos foi revelado como espcie, a riqueza e o poder que acompanham as emoes. Vocs foram orientados para no explorar as vossas emoes, porque atravs delas podem compreender as coisas. Atravs das emoes vocs conectam o vosso corpo espiritual. O corpo espiritual o corpo no fsico, existe na esfera multidimensional.

    Est ocorrendo, neste momento, uma transferncia na ordem da modulao de frequncia no planeta e energias externas esto trabalhando nesta mudana. Estas energias precisam de vocs. Elas no podem alterar o planeta de fora - o planeta precisa ser alterado de dentro. As energias simplesmente trazem os raios csmicos criativos que penetram em vossos corpos criando o salto evolucionrio dentro de vocs. Uma vez que compreendam o uso adequado da emoo e comecem a adquirir controle sobre a vossa prpria frequncia, sero capazes de irradiar estes raios.

    E ento a frequncia do medo neste plano de existncia no mais ser alimentada. A diminuio da frequncia do medo neste planeta provocar uma disseminao de atividades destinadas a aument-1o para alimentar os seres que se nutrem desta frequncia. Eles tentaro restabelecer a frequncia do medo antes de mudar sua nutrio para a frequncia do amor. Os Lizzies instalaram na Terra dispositivos que podem difundir e amplificar o desequilbrio emocional no planeta.

    Este desequilbrio -lhes enviado e os sustenta de alguma forma. Para se chegar a um planeta necessrio um portal, ou um caminho de acesso. Vocs podem voar pelo espao, para Jpiter por exemplo, mas se no encontrarem o portal que permita a vossa entrada na estrutura temporal de existncia deste planeta, vo pousar num lugar que parecer desolado, sem vida. Os portais permitem a entrada na dimenso do planeta onde existe vida. Eles abrem-se para corredores de tempo e servem como zonas de experincias multidimensionais.

    Existem vrios portais na Terra que permitiram a introduo de espcies diferentes, de deuses criadores espaciais. Um dos portais mais gigantescos, muito cobiado atualmente, o portal do Oriente Mdio. Se vocs voltarem na histria da Terra, iro perceber quantos incidentes religiosos e quantas civilizaes foram introduzi das por esse portal. um portal enorme - com um raio de milhares de quilmetros.

    por isso que existe tanta atividade no Oriente Mdio. Este o portal que os Lizzies usam. De certa forma, os Lizzies vm controlando este portal. Eles tm usado esta rea para criar suas bases e cavernas subterrneas de onde operam. A antiga civilizao da Mesopotmia, entre os rios Tigre e Eufrates, foi uma colnia espacial onde uma certa civilizao foi introduzida. O Kwait situa-se na. boca deste territrio. Este portal envolve a manipulao de populaes humanas para servir s necessidades de outros

  • 33

    seres.

    Entre os Lizzies h um grupo benfico e outro malfico Por que estamos lhes contando isso? Por que vocs precisam saber disso? Porque a realidade dos Lizzies est voltando e fundindo-se com a vossa dimenso. Parte do vosso salto evolutivo consciente no consiste simplesmente em mergulhar no amor e na luz. necessrio que compreendam quo complexa a realidade, quantas formas diferentes de realidade existem e como todas elas so vocs. Precisam estar em paz com todas e fundir-se com elas para criar uma imploso nas facetas da vossa alma. S assim podem voltar ao Criador Primordial.

    Surgiro inmeras oportunidades de julgar diversas coisas e de rotul-Ias. Contudo, quando voc julga e rotula no experimenta