avaliação de formações agustinho plucenio Índice Índice introdução introdução mud logging,...

Download Avaliação de Formações Agustinho Plucenio Índice Índice Introdução Introdução Mud Logging, Testemunhos (coring) Mud Logging, Testemunhos (coring) Perfilagems

Post on 17-Apr-2015

114 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Avaliao de Formaes Agustinho Plucenio
  • Slide 3
  • Slide 4
  • ndice ndice Introduo Introduo Mud Logging, Testemunhos (coring) Mud Logging, Testemunhos (coring) Perfilagems de Poo Aberto Perfilagems de Poo Aberto Perfilagem de Poo Revestido Perfilagem de Poo Revestido Integrao Ssmica de superfcie com Integrao Ssmica de superfcie com perfilagem. perfilagem.
  • Slide 5
  • Introduo Proporcionalmente, o custo de perfilagem de um poo pequeno. Se o poo perfurado no puder ser avaliado perde-se todo o investimento.
  • Slide 6
  • Ssmica de Superfcie
  • Slide 7
  • Comentrios Os sinais registrados durante a aquisio ssmica so muito fracos. A terra age como um filtro diminuindo amplitude e frequncia com a profundidade. Os sinais registrados durante a aquisio ssmica so muito fracos. A terra age como um filtro diminuindo amplitude e frequncia com a profundidade. Para melhorar a relao sinal/rudo utiliza-se a tcnica de stacking ou empilhamento que a soma de diversos sinais obtidos nas mesmas condies. Para melhorar a relao sinal/rudo utiliza-se a tcnica de stacking ou empilhamento que a soma de diversos sinais obtidos nas mesmas condies. Quando se deseja aplicar tcnicas de AVO procura-se preservar as informaes de amplitude dos sinais. Quando se deseja aplicar tcnicas de AVO procura-se preservar as informaes de amplitude dos sinais.
  • Slide 8
  • Do microscpico para... Do microscpico para...
  • Slide 9
  • ...a escala macro do reservatrio
  • Slide 10
  • Inferncia para toda a seo ssmica a partir da correlao da Impedncia acstica obtida pela inverso das linhas ssmicas com dados de poos
  • Slide 11
  • Inverso Ssmica
  • Slide 12
  • Sismograma Sinttico
  • Slide 13
  • Mud Logging Mud Logging Chama-se Mud Logging o servio que mantm o registro contnuo de: Chama-se Mud Logging o servio que mantm o registro contnuo de: -Profundidade -Profundidade -Taxa de Penetrao -Taxa de Penetrao -Deteco de Gs na superfcie e cromatografia. -Deteco de Gs na superfcie e cromatografia. -Descrio litolgica das amostras de calha (shale shaker) -Descrio litolgica das amostras de calha (shale shaker) -Fluorescncia das amostras de calha. -Fluorescncia das amostras de calha. -Caractersticas do fludo de perfurao -Caractersticas do fludo de perfurao -Peso sobre a broca (Weight on Bit) -Peso sobre a broca (Weight on Bit) -Torque sobre o BHA. -Torque sobre o BHA.
  • Slide 14
  • Mud Logging (cont.) -Taxa de Bombeio. (s vezes usados strokes/min) -Taxa de Bombeio. (s vezes usados strokes/min) -Temperatura de entrada da lama -Temperatura de entrada da lama -Temperatura de sada da lama -Temperatura de sada da lama - Nvel do tanque de lama - Nvel do tanque de lama
  • Slide 15
  • Descrio litolgica Descrio litolgica O gelogo do turno responsvel por manter a descrio das amostras de calha para intervalos regulares de profundidade (ex:a cada 10m) Estes dados fazem parte do Mud Log. O gelogo descrevendo as amostras geralmente um funcionrio da empresa petroleira. Contudo pode ser contratado como um elemento da equipe de Mud Logging.
  • Slide 16
  • Cabine de Mud Logging Cabine de Mud Logging
  • Slide 17
  • Avaliao de formao (OH) Avaliao de formao (OH) A perfurao de um poo dividida em fases. Cada fase caracterizada por um Bit size e uma lama apropriada. Antes de passar para a fase seguinte o poo, ainda aberto, perfilado para a avaliao das formaes perfuradas. Um dos produtos da perfilagem o registro contnuo do dimetro do poo (s vezes em 2 eixos ortogonais). Com estas informaes calcula-se o volume do poo e o volume de cimento a ser usado na cimentao do revestimento. A perfurao de um poo dividida em fases. Cada fase caracterizada por um Bit size e uma lama apropriada. Antes de passar para a fase seguinte o poo, ainda aberto, perfilado para a avaliao das formaes perfuradas. Um dos produtos da perfilagem o registro contnuo do dimetro do poo (s vezes em 2 eixos ortogonais). Com estas informaes calcula-se o volume do poo e o volume de cimento a ser usado na cimentao do revestimento.
  • Slide 18
  • Perfilagem (Logging) Perfilagem (Logging) A perfilagem de um poo o conjunto de aquisies de dados, obtidos de forma contnua ou estacionria utilizados para avaliar alguma caracterstica da formao ou da mecnica do poo. A perfilagem de um poo o conjunto de aquisies de dados, obtidos de forma contnua ou estacionria utilizados para avaliar alguma caracterstica da formao ou da mecnica do poo. Os perfis so usados pelos gelogos, geofsicos, engenheiros de reservatrio, engenheiros de perfurao, engenheiros de completao, etc. Os perfis so usados pelos gelogos, geofsicos, engenheiros de reservatrio, engenheiros de perfurao, engenheiros de completao, etc.
  • Slide 19
  • Porque perfilar? Perfis ajudam a definir caractersticas fsicas das rochas como litologia, porosidade, geometria do poro e permeabilidade. Perfis ajudam a definir caractersticas fsicas das rochas como litologia, porosidade, geometria do poro e permeabilidade. Dados de perfilagem so usados para identificar zonas produtoras, determinar a profundidade e espessura das zonas, distinguir entre leo, gs ou gua em um reservatrio, e para estimar a reserva de hidrocarbonetos. Dados de perfilagem so usados para identificar zonas produtoras, determinar a profundidade e espessura das zonas, distinguir entre leo, gs ou gua em um reservatrio, e para estimar a reserva de hidrocarbonetos. Ainda, mapas geolgicos desenvolvidos a partir de interpretao de perfis ajudam na determinao do relacionamento das facies e na determinao de novas locaes para perfurao. Ainda, mapas geolgicos desenvolvidos a partir de interpretao de perfis ajudam na determinao do relacionamento das facies e na determinao de novas locaes para perfurao.
  • Slide 20
  • Algumas definies Os dois parmetros primrios determinados a partir dos dados de perfilagem so porosidade ( ) e a frao do espao poroso preenchido com gua de formao (sw ). Os dois parmetros primrios determinados a partir dos dados de perfilagem so porosidade ( ) e a frao do espao poroso preenchido com gua de formao (sw ). Para uma rocha sem folhelho Archie (em 1942) estabeleceu uma relao entre a resistividade R de um volume unitrio de rocha com a porosidade saturao de gua sw e resistividade de gua Rw. Para uma rocha sem folhelho Archie (em 1942) estabeleceu uma relao entre a resistividade R de um volume unitrio de rocha com a porosidade saturao de gua sw e resistividade de gua Rw. Geralmente a=1,m=2 e n=2 m=fator de cimentao
  • Slide 21
  • Para obtermos a resistividade Perfis Eltricos,Induo e Lateralog Para obtermos a porosidade Perfis Nucleares (Densidade,Neutro) ou snicos Para obtermos Rw Perfil SP, Xplots R x Perfil SP, Xplots R x Para obtermos volume de folhelho SP, Perfil de Raios Gamma, NeutronDensidade
  • Slide 22
  • Algumas regies de interesse: Algumas regies de interesse:
  • Slide 23
  • Antes de uma perfilagem: Antes de uma perfilagem: Para lamas condutivas mede-se: Para lamas condutivas mede-se: - Rm,T - Resistividade da lama perfurao - Rm,T - Resistividade da lama perfurao e sua Temperatura, e sua Temperatura, -Rmf,T - Resistividade e Temperatura do -Rmf,T - Resistividade e Temperatura do filtrado da lama de perfurao, filtrado da lama de perfurao, -Rmc,T - Resistividade e Temperatura da -Rmc,T - Resistividade e Temperatura da crosta (mud-cake) formada no teste crosta (mud-cake) formada no teste de filtrado. de filtrado.
  • Slide 24
  • SP Potencial Espontneo SP Potencial Espontneo O perfil de SP o registro dos potenciais eltricos que ocorrem naturalmente em um poo em funo da profundidade. Como indicado no diagrama, registra-se a diferena de potencial entre um eletrodo na superfcie e outro eletrodo situado dentro do poo. E m = -59.2 log 10 (R mf /R w ) at 77F E j = -11.5 log 10 (R mf /R w ) at 77F SP=Potencial de Membrana (Em)+ Potencial de Juno (Ej) SP = -70.7 log 10 (R mf /R w ) at 77F
  • Slide 25
  • Utilizao do perfil de SP: Determinao de Rw. Determinao de Rw. Clculo do Volume de Folhelho. (Vsh) Clculo do Volume de Folhelho. (Vsh) Indicador qualitativo de permeabilidade Indicador qualitativo de permeabilidade
  • Slide 26
  • Utilizao do perfil de SP: Utilizao do perfil de SP: Uma vez definidas as linhas base para o folhelho e para a matriz, O perfil de SP pode indicar a % de folhelho
  • Slide 27
  • Determinao de Rw com SP: Determinao da resistividade da gua de Formao Rw usando SP Determinao da resistividade da gua de Formao Rw usando SP 1-Corrige-se SP para Temperatura SSP = -(60 + 0.133T f ) log (R mf /R weq ) T p = Temperatura na profundidade p em F. R mf = Resistividade do filtrado de Lama em ohm.m. R weq Resistividade da gua de formao equivalente ohm.m. R weq = R mf ( (SSP)/(10 (60 + 0.133Tp) ))
  • Slide 28
  • Utilizao do perfil de SP: 1-Determine T p 2-Corrija R m and R mf para T p 3-Encontre SSP 4-Determine a razo R mf /R we 5-Determine R we 6-Corrija R we to R w Calculamos Rw necessrio para a determinao da saturao Sw! Calculamos Rw necessrio para a determinao da saturao Sw! A partir de Rmf e SSP pode-se achar Rw utilizando cartas como as do Schlumberger Log Interpretation Charts sp-1, sp-2,sp-2m,sp-3,sp4
  • Slide 29
  • Carta sp-2 (exemplo): Carta sp-2 (exemplo):