Agenda Cultural | abr mai jun jul | 2016

Download Agenda Cultural | abr mai jun jul | 2016

Post on 27-Jul-2016

228 views

Category:

Documents

12 download

DESCRIPTION

Agenda Cultural do Municpio Sever do Vouga

TRANSCRIPT

  • FICHA TCNICA

    PropriedadeMunicpio de Sever do Vouga

    EdioMunicpio de Sever do Vouga

    CoordenaoBrgida Alves

    Design / EditorialTnia Arde

    Publicao peridicaJaneiro, abril e setembro

    Tiragem5000 exemplares

    Impresso

    RECEBA A AGENDA

    Enviar e-mail para centrodasartes@cm-sever.pt

    com as seguintes informaes:

    NomeMorada

    Contacto telefnicoE-mail

    Data de nascimento

  • EDITORIAL

    Antnio Coutinho

    01 |

    Iniciamos o segundo quadrimestre de 2016 com o revigorar dos raios de sol, das flores, cheiros e cores da primavera que nos motiva a usufruir do espao pblico de Sever do Vouga e, consequentemente, a acolher as renovadas propostas culturais que aqui vos apresentamos. Mantemos e reforamos a nossa determinao em tudo e, em particular, a de elevar os nveis de literacia cultural e melhorar as condies de vida dos severenses

    e de quem nos visita, possibilitando-lhes o acesso aos bens culturais de superior relevncia e qualidade nacional.

    A Biblioteca e o Centro das Artes do Espectculo avigoram a sua programao, orientando-a para diferentes pblicos e constituindo-a numa pluralidade de abordagens artsticas de promoo da leitura, da msica, do teatro, da dana

    e das artes visuais. Os bebs, as crianas, os jovens, os seniores e a comunidade em geral so convidados a desfrutarem das nossas propostas e a participarem nesta aliana e coletivo cultural que culminar com a abertura, a 18 de maio, do Museu Municipal de Sever do Vouga, lugar onde se conservam e comunicam as principais heranas e memrias deste povo.

    Mas as propostas no se esgotam na oferta dos equipamentos culturais. Os grandes eventos de promoo turstica e cultural deste concelho chegam em junho e julho e com eles trazem o calor intenso, a alegria, a folia e as noites de fruio cultural ao ar livre. A Feira do Mirtilo renova-se de 23 a 26 de junho, o festim aviva os sons e ritmos do world music a 25 junho, 2 e 9 de julho e finalmente a FICAVOUGA convida a nove dias de intensa exultao, reencontros e convvio de 23 a 31 de julho.

    Com a chegada do vero e do calor, soltam-se as flores e surgem os frutos de renovao, nostalgia, progresso e de FESTA!

    Deixe-se contagiar com as nossas propostas e alegria e visite-nos nesta temporada. Existem muitos e bons motivos para o fazer!

  • NDICE

    BIBLIOTECA MUNICIPAL

    04 | Exposies Documentais05 | Exposio ESTRAMBLICOS06 | O Poder dos 3 Saberes no Sucesso07 | Happy Hour08 | Biblioteca Andante09 | Snior Net10 | Popup em Famlia11 | Ler a Dobrar12 | Bibliosnior14 | Conchas15 | Bebteca16 | Concurso Intermunicipal de Leitura17 | 3 Feira do Livro18 | Letras e Atividades e Tudo Mais: Vero19 | Biblioteca de Pijama

    CENTRO DAS ARTES DO ESPECTCULO

    21 | Ana Bola Sem Filtro22 | Workshop de Teatro e Performance23 | Hamlet Talvez24 | Jam Session25 | Comemorao Dia Mundial da Dana26 | O Mestre Alberto Caeiro27 | Antes de Comear28 | Exposio EUFORIA DE ESTILOS29 | Carminho30 | Museu da Existncia em Sever do Vouga 31 | E Depois do Cinzento32 | Ka Embalos do Mundo33 | Workshops34 | Programa Frias de Vero35 | Acolhimentos

    | 02

    OUTROS MOMENTOS

    37 | Inaugurao do Museu Municipal38 | Feira do Mirtilo39 | Festim40 | Guitarras Mgicas41 | FICAVOUGA

    INFORMAO

    42 | Informao Centro das Artes do Espectculo44 | Informao Geral

  • BIBLIOTECAMUNICIPAL

  • VIAJE CONNOSCO!...Exposio documentalPatente de 1 a 31 julho

    Viaje connosco!... Nos preparativos das frias, inclua livros, revistas, msica e filmes na bagagem! Temos uma lista interminvel de sugestes sua espera!

    O AMOR CURAExposio documentalPatente de 1 a 31 maio

    Amor, me, famlia, f Reflitam sobre as palavras de Pedro Chagas Freitas: O abrao. O abrao que parece estar a acabar. O abrao raro, o abrao verdadeiro. Da me que recebe o filho, da mulher que recebe o marido, do amigo que recebe o amigo. O abrao que no se pensa, que no se imagina. O abrao que no ; o abrao que tem de ser. O abrao que serve para viver. O abrao que acontece e que no se esquece. Um dia hei de passar todo o dia a ensinar o abrao.

    ABRIL: LEITURAS MILA IMPORTNCIA DO LIVROE DA LEITURAExposio documentalPatente de 1 a 30 abril

    No ms em que se celebra mundialmente a importncia do livro e da leitura a 2, Dia Internacional do Livro Infantil, a 23, Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor - a Biblioteca Municipal destaca as suas colees sobre a temtica.Ler na primeira infncia refora vnculos afetivos, estimula a criatividade e o desenvolvimento da criana, deixa os adultos mais felizes e determinante para o envelhecimento ativo.

    Tera a sexta das 10h00 s 19h00Segunda e sbado das 13h30 s 19h00Receo, Sala de Adultos e Sala InfantojuvenilEntrada livre

    | 04

    LETRAS E LETRIASO FILHO, ANDR LETRIA, E O PAI, JOS JORGE LETRIAExposio documentalPatente de 1 a 30 junho

    Jos Jorge Letria autor de vasta e premiada obra para crianas e jovens. A ltima distino recebida foi o Prmio da Fundao Nacional do Livro Infantil e Juvenil do Brasil, em 2011, pelo livro Av Conta Outra Vez, com ilustraes de Andr Letria.Andr Letria e o pai so duas referncias incontornveis no mundo literrio contemporneo.

  • ESTRAMBLICOSANDR LETRIA

    Exposio de IlustraoPatente de 23 junho a 31 julho

    Tera a sexta das 10h00 s 19h00Segunda e sbado das 13h30 s 19h00

    1 pisoEntrada livre

    05 |

    Exposio de 10 ilustraes originais do livro Estramblicos, de autoria do ilustrador Andr Letria, com texto

    de Jos Jorge Letria. Livro recomendado pelo Plano

    Nacional de Leitura, para o 2. CEB, destinado a Leitura Orientada.

  • APRESENTAO DO LIVRO O PODER DOS 3 SABERES NO SUCESSO

    2 abril | 15h30 | Paradela Ecocaf: Espao Oficial de BookcrossingPais, professores, encarregados de educao, alunos e pblico em geral

    | 06

    O poder dos 3 saberes no sucesso trata-se de um livro destinado a pais e filhos, que cruza os conhecimentos do coaching, da psicologia, da gesto do tempo, da inteligncia emocional e da programao neurolingustica, na definio de objetivos dirios, mensais e anuais e na identificao de aspetos a melhorar na relao entre pais e filhos e na evoluo pessoal, com vista obteno do sucesso acadmico, do ponto de vista dos jovens, e do sucesso profissional, do ponto de vista dos pais.A componente prtica disponvel neste livro permite ao leitor identificar aspetos inerentes ao seu desenvolvimento e traar um plano sua medida. Para alm do elemento relacional a ser trabalhado, o leitor pode, tambm, compreender melhor as suas motivaes, as motivaes do seu filho/dos seus pais e como estas podem interferir na felicidade e no sucesso mtuos.

    O PODER DOS 3 SABERES NO SUCESSOPARA PAIS E FILHOS CRIADORES DO SEU PRPRIO SUCESSOAlexandra Gomes e Paulo Argelles

    Alexandra Gomes licenciada em Psicologia,

    mestre em Cincias da Educao, com especializao

    em Orientao Escolar e Profissional e Certified

    Associate Coach. Nos ltimos anos trabalha com pessoas, desde a formao, a terapia

    em desenvolvimento pessoal e inteligncia emocional e como

    speaker motivacional. coautora do Manual de

    Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem (Porto

    Editora, 2007) e cofundadora do portal aprendena.net.

    Paulo Argelles licenciado em Gesto de Empresas, Certified

    Professional Coaching Trainer, Certified Associate Coach,

    gestor, formador e speaker motivacional.

    cofundador do portal aprendena.net, onde ajuda jovens a atingirem os seus

    objetivos e a (re) descobrirem a sua misso de vida.

  • HAPPY HOURAOS SBADOS, DIVERTE-TE EM INGLSCanes, histrias, jogos, danas, pintura, desenhoLusa Henriques

    07 |

    2 e 16 abril14 e 28 maio

    11 e 25 junho

    17h30 s 18h30Sala da Hora do Conto

    A criana exposta aprendizagem de uma segunda lngua na primeira infncia encara o processo com naturalidade e os resultados observam-se ao nvel da limpidez da pronncia e da solidez das aprendizagens ao longo da vida. A aprendizagem das lnguas ajuda a desenvolver a criatividade e o raciocnio, melhora a concentrao e as habilidades de memria. Nestas idades, as crianas desenvolvem a compreenso oral e a pronncia, assim como associam a aprendizagem a momentos de muita diverso.

    Crianas dos 3 aos 6 anosInscrio prvia no projeto anual

  • | 08

    BIBLIOTECA ANDANTEO SENHOR SEVRI I BM ILUSTRA I BIOARTES

    Itinerncia de aes: horas do conto, atelis, exposies de ilustrao

    1, 5, 21 e 22 abril | 2, 17 e 30 junho | 13 julho

    Crianas do Pr-escolar e 1. CEBMarcao prvia

    10h00 s 11h15Bibliotecas Municipais e Escolas de Espinho,

    Oliveira do Bairro, Anadia, Santa Maria da Feira, lhavo, Albergaria, gueda

    Porque a Biblioteca Pblica vai onde vo as pessoas. A leitura tem mltiplas acees e integra o

    quotidiano de cada um. Ler, viver, amar, partilhar so verbos que urgem

    conjugar no presente.

  • 09 |

    Promoo e desenvolvimento da capacidade de utilizao da informao

    e da informtica.Registo multimdia de oraes,

    canes, vesturio, calado, habitao, escola, adolescncia, casamento.

    Maiores 65 anosAbertas marcaes para IPSS

    SNIOR NETDE HISTRIAS NASCEM HISTRIASWorkshops TIC I Livro e vdeo digitais

    7 e 21 abril5 e 19 maio2 e 16 junho

    10h00 s 11h30Sala de Adultos

  • Crianas dos 3 aos 5 anos e famliasInscrio prvia no projeto anual

    POPUP EM FAMLIACLUBE DE LEITURA PARA PEQUENOS LEITORESConversas sobre livros, horas do conto, atelis e jogos

    | 10

    O RAPAZ QUE GOSTAVA DE AVESIsabel Minhs, il. Bernardo Carvalho9 abril | 16h00 s 17h00 | Sala Polivalente

    UM PAP MEDIDADavide Cali, il. Anna Laura Cantone7 maio | 16h00 s 17h00 | Sala Polivalente

    O SENHOR SEVRICristina Sousa, il. Snia Pais 4 junho | 16h00 s 17h00 | Sala Polivalente

    ONDASuzy Lee 2 julho | 16h00 s 17h00 | Sala Polivalente

  • LER A DOBRARUM PERCURSO NA LEITURA DOS LIVROS-LBUM

    Dora Batalim SottoMayor

    H quem lhes chame livros com bonecos, h quem pense que os

    bonecos servem para enfeitar e apenas ocupar os espaos brancos da

    pgina...Falamos dos livros que juntam

    palavras e imagens para contar uma histria. Daqueles que provocam

    no leitor largos caminhos e mapas de explorao e assim tornam mais

    profundo o verbo ler. Os livros-lbum destinam-se a muitas idades. Junto dos meninos que ainda no aprenderam as letras, permitem antecipar os mecanismos inerentes

    leitura. Acrescentam-lhe a experincia esttica da imagem e a fruio dos seus cdigos. Fazem-nos maiores.No entanto, os conhecimentos da maioria dos mediadores de leitura

    sobre gramtica destes livros so muito insuficientes, privando-

    os de usufruir ao mximo das potencialidades destes materiais na

    formao de leitores.Assim, propomos dar a conhec-los,

    mergulhando na sua essncia atravs da anlise de uma srie de exemplos

    significativos.

    11 |

    AO DE FORMAO SOBRE LIVROS E PROMOO DA LEITURA16 abril | 10h00 s 13h00 e das 14h30 s 17h30 | Sala Polivalente | 6h

    PROGRAMAA natureza dos livros-lbum:- como defini-los,- como funcionam este tipo de livros,- como ler textos visuais,- como ler as relaes entre palavras e imagens, - como ler o livro total.Tendncias contemporneas.O livro-lbum na promoo da leitura.

    E

    std

    io A

    rtec

    olor

    Mediadores de leitura: Educadores de infncia, professores do 1. e 2. CEB, animadores socioculturais, bibliotecrios, tcnicos de biblioteca e pais

    Inscrio prvia obrigatriaGratuito

  • | 12

    Reiki uma terapia complementar e integrativa, onde se depreende que um tratamento realizado atravs de uma tcnica de contacto leve ou mesmo sem contacto, do local afetado no corpo ou seguindo um processo de tratamento que visa a aplicao em vrias partes do corpo, sempre respeitando a integridade do utente. Esta tcnica visa realinhar o fluxo de energia vital, trazendo o equilbrio energtico ao corpo e uma sensao de bem-estar geral.

    MEDITAOA FELICIDADE DO CORPO CONSISTE

    NA SADE E, A DO ESPRITO, NO SABERPalestra sobre meditao | Isabel Martins

    14 abril | 10h30 s 12h00 | Sala Polivalente

    REIKIA FELICIDADE DO CORPO CONSISTE NA SADE E, A DO ESPRITO, NO SABERPalestra sobre reiki | Isabel Martins12 maio | 10h30 s 12h00 | Sala Polivalente

    A palavra meditao vem do latim meditare que significa voltar-se para o centro no sentido de

    desligar-se do mundo exterior e voltar a ateno para dentro de si.

    Em snscrito, chamada dhyana e obtida pelas tcnicas de dharana

    (concentrao).A meditao pode ser praticada

    por diversos motivos: desde o simples relaxamento at a busca

    pelo nirvana. Muitos praticantes da meditao tm relatado melhora

    na concentrao, conscincia, autodisciplina e equanimidade.

    BIBLIOSNIORMaiores 65 anos I IPSS

  • O ptio das cantigas, do realizador Leonel Vieira, um dos 10 filmes

    portugueses mais vistos da dcada.Trata-se da primeira de trs homenagens

    de Leonel Vieira aos clssicos do cinema portugus e baseia-se no

    filme realizado em 1942, por Francisco Ribeiro (Ribeirinho), na altura com Vasco

    Santana e Antnio Silva nos principais papis, considerado uma das comdias

    mais populares do cinema portugus, feita na chamada poca de ouro.

    13 |

    CINEMAO PIOR CEGO O

    QUE NO QUER VER9 junho | 10h30 s 12h00

    Sala Polivalente

    HORA DO CONTOQUEM CONTA UM CONTO, ACRESCENTA-LHE UM PONTONarrao oral | Slvia Marques14 julho | 10h30 s 12h00 | Sala Polivalente

    Como refere Clara Haddad, um narrador de contos muito mais do que um simples contador ou repetidor de histrias. Narradores Orais so portadores da palavra de uma longa tradio, que vem desde os tempos mais remotos. Para ser fiel a esta tradio necessrio muito empenho, dedicao, amor e constante renovao e inspirao.

  • Conchas conta a histria de viajantes, pintados na tela, reais e imaginrios. Coloca as tuas mos em concha e segura os sonhos, que apesar de se escoarem no

    deixam de escorrer, ainda que mais lentamente. Msica, expresso dramtica e corporal, o movimento e as

    marionetas tendo o mar e todo o seu universo como inspirao.Privilegia-se os bebs e as suas famlias porque este pblico a

    semente que germina.

    Encenao: Filipa MesquitaElenco: Clara Ribeiro (interpretao e dana)Ricardo Falco (interpretao e manipulao)

    Apoio dramaturgia: Franzisca AarflotDireo musical: Manuel Maio

    Marionetas, cenografia e adereos: enVide neFelibataProduo executiva: Tiago Vinagre de Castro

    Coordenao do projeto: Lus Fernandes

    | 14

    CONCHASMSICA E MARIONETAS NUM ESPETCULO

    PARA BEBS!Coproduo DOrfeu, Teatro e Marionetas de Mandrgora e Franzisca Aarflot Productions

    DIA MUNDIAL DO LIVRO 23 abril | 16h00 e 17h30 | Sala Polivalente | 35 min

    Crianas dos 12 meses aos 5 anos e famliasInscrio prvia obrigatria

    Gratuito

  • BEBTECAHORA DO CONTO, JOGOS E RIMAS

    A criana aprende a partir da experincia, do que v, ouve, cheira, saboreia, toca. A primeira

    experincia fsica com o livro mesmo assim, feita de olhar, tocar, cheirar, saborear, e ouvir,

    mesmo que se trate de um exemplar sem som. A partir da primeira experincia, a explorao vai-se diversificando e especializando. A curiosidade vai aumentando. A criana aprende a fazer novas leituras do mesmo objeto. E assim vai crescendo

    com o livro e percebendo o evoluir dos seus significados, mantendo sempre na gnese a

    emoo positiva, o prazer, a diverso, o afeto.

    Crianas dos 12 aos 36 meses e famliasInscrio prvia no projeto anual

    15 |

    21 maio18 junho16 julho

    16h00 s 17h00Sala da Hora do Conto

    E

    std

    io A

    rtec

    olor

  • CONCURSO INTERMUNICIPAL DE LEITURA (CIL): FINALREDE DE BIBLIOTECAS DA CIM REGIO DE AVEIRO28 maio | 10h00 | 6hCentro das Artes do Espectculo de Sever do Vouga

    O CIL um concurso escolar, promovido pela Rede de Bibliotecas da Comunidade Intermunicipal da Regio de Aveiro, dirigido a todos os estabelecimentos de ensino das redes pblica e privada dos onze Municpios que compem a CIM Regio de Aveiro.

    Os objetivos deste concurso so promover o prazer de ler e estimular o desenvolvimento de competncias, no mbito da leitura, nos jovens, durante o seu percurso escolar (do 1. CEB ao Ensino Secundrio).

    Provas pblicas finais dos concorrentes apurados nas fases concelhias. Momentos culturais.

    Os trs primeiros classificados de cada uma das categorias sero os grandes vencedores e recebero os seguintes prmios:1. Prmio | Cheque no valor de 250,00;2. Prmio | Cheque no valor de 150,00;3. Prmio | Cheque no valor de 100,00.

    Jri da Final: Professor Fernando Pinto do Amaral, Comissrio do Plano Nacional de Leitura; Professor Sebastio Tavares de Pinho, da Universidade de Coimbra; Professora Maria Eugnia Tavares Pereira, da Universidade de Aveiro.

    Organizao: Municpio anfitrio, atravs da Biblioteca Municipal, em parceria com Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga.

    Concorrentes, pais e professores, direes de agrupamentos, bibliotecas escolares e pblicas, executivos camarrios e pblico em geral

    Inscrio prvia obrigatria

    | 16

  • 17 |

    PROGRAMA

    Exposio e venda de livros.Biblioteca Fora DHoras.Campeonato de escrita infantil, com Pedro Chagas Freitas.Encontro com... Pedro Chagas Freitas.Inaugurao da Exposio de Ilustrao Estramblicos, com Andr Letria.Oficina de Construo Plstica 3D A Casa dos Estramblicos, com Andr Letria.

    Pedro Chagas Freitas (1979-)

    Escreve cenas variadas. Romances, novelas, contos, crnicas, guies, letras de msica, textos publicitrios e outras imbecilidades. Publicou mais de duas dezenas de obras. Est na lista dos mais vendidos de 2014 em Portugal. Estudou lingustica e criou jogos didticos para estimular a produo escrita. Foi nadador-salvador, barman, operrio fabril, porteiro de discoteca, jogador de futebol. Acredita que o pas perfeito a Lamechalndia. E vive por l todos os dias.

    Andr Letria (1973-)

    Trabalha como ilustrador desde 1992. Ganhou o Prmio Gulbenkian, o Prmio Nacional de Ilustrao, um Award of Excellence for Illustration, atribudo pela Society for News Design (EUA), medalhas de prata e bronze do Childrens Book Annual, da revista americana 3x3, entre outros. Tem livros publicados em diversos pases como EUA, Brasil, Espanha ou Itlia. Participou em exposies como a Bienal de Bratislava, a Exposio de Ilustradores da Feira de Bolonha, Sarmede ou Ilustrarte. Realizou filmes de animao e fez cenrios para teatro. Foi membro do Jri do Prmio Digital da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Em 2010, criou o Pato Lgico. O livro MAR, com ilustraes suas e texto de Ricardo Henriques, recebeu em 2014 uma meno do Bologna Ragazzi Awards, na categoria No Fico.

    3. FEIRA DO LIVRO23 a 26 junho | 10h00 s 24h00 | Biblioteca MunicipalInfantil, famlias e pblico em geral

  • RESTAURANTE DAS LETRAS

    19 julho | 10h00 s 12h30

    O Restaurante das Letras um restaurante diferente, onde ter mais olhos que barriga no problema: nele, os pratos escolha so livros para folhear e serem comidos com os olhos.Com uma ementa especial de deixar gua na boca e palavras nos ouvidos, o Chef Malaquias ensina como se devem tratar e apreciar os livros.Porque ler no engorda! Bom apetite!

    LEITURAS CRUZADAS

    20 julho | 10h00 s 12h30

    Leituras Cruzadas das histrias A Bela Adormecida, Cinderela e A Bela e o Monstro.

    O DIA EM QUE OS LPIS DESISTIRAM

    21 julho | 10h00 s 12h30

    Momento de explorao teatral, onde as crianas so os principais atores de toda a ao. De maneira autnoma, divertida e criativa constroem a dramatizao.

    HISTRIAS GIRATRIAS

    22 julho | 10h00 s 12h30

    Era uma vez... vez e vez: so as Histrias Giratrias!Sesso de animao da leitura assente numa estratgia de envolvncia atrativa das crianas em torno do objeto livro. Conduzidas pelo contador, rumam descoberta de um mundo de fantasia e imaginao.

    | 18

    S

    nia

    Pai

    s

    LETRAS E ATIVIDADES E TUDO MAIS: VEROPROGRAMA DE OCUPAO CULTURAL DE CRIANAS EM PERODO DE INTERRUPO LETIVA

    Com a participao das equipas de promoo do livro e da leitura das Bibliotecas Municipais de gueda, Albergaria e Oliveira do Bairro, ao abrigo do Programa de Itinerncias da Rede de Bibliotecas da CIM Regio de Aveiro.

    Crianas dos 6 aos 12 anosInscries abertas

  • Crianas dos 6 aos 10 anosInscries abertas

    BIBLIOTECA DE PIJAMA7 ANIVERSRIO DA BMSV

    25 julho | 20h30 | 12h

    19 |

    PROGRAMAReceo (20h30, seg.);

    Jogos; Hora do Conto;

    Expresso Plstica; Ceia; Filme;

    Descanso; Despedida (08h30, ter.).

    S

    nia

    Pai

    s

    Sala InfantojuvenilSala da Hora do Conto

    Sala Polivalente

    A Biblioteca de Pijama, na sua 7. ed., oferece s crianas uma noite inesquecvel,

    na companhia dos livros

  • CENTRO DAS ARTES DO ESPECTCULO

  • 21 |

    Texto e Interpretao: Ana BolaDireo: Antnio Pires

    Vozes off: Alexandra Rosa, Jlio Isidro, Manuel Marques

    Produo: Fora de Produo e Buzico! Produes Artsticas

    Um monlogo. Uma atriz, Ana Bola. Com 40 de profisso, fez teatro, fez televiso, foi autora de sries de sucesso, apresentadora de programas, jurada de concursos, etc. Aos 62 anos de idade v-se confrontada com falta de trabalho, apesar de continuar no ativo, em forma e acarinhada pelo pblico. Apresenta propostas, tem reunies com as direes de programas, mas no consegue ver nada aprovado. Restam-lhe os castings de um programa de talentos. -lhe pedido que faa desde dana a culinria, passando por ballet clssico ou at por nmeros de circo. Ainda que de uma forma ligeira e bem-disposta, o espetculo procura uma crtica direta e sem papas na lngua a uma realidade gritante: a total falta de respeito pela arte, pelos artistas e pelo trabalho srio, que substitudo por atentados ao talento e experincia. O que resulta na ascenso a vedeta da total ausncia de talento. Este monlogo chama os bois pelos nomes. Sem filtros. Sem medos.

    ANA BOLA SEM FILTROTeatro (Comdia)2 abril | 22h00 | Auditrio10 | 7,5 (descontos aplicveis pg. 42)

  • AS MLTIPLAS NARRATIVAS DO EU

    A busca do eu uma das fices mais positivas que os indivduos modernos empreendem procurando transformar a vida em experincias que busquem o conhecimento e a partilha com os seus mltiplos outros.Grande parte da histria e do esprito europeu, tm como pano de fundo essa motivao. A descrio da nossa posio atual determina assim tambm a qualidade da nossa atitude perante a histria? Qual a histria de cada um de ns? Qual a nossa histria? Talvez a histria no seja um fenmeno pico uma nica narrativa mas seja possvel entende-la como um milagre teatral: onde a ao se conduz de cena em cena graas s capacidades de inveno e improvisao de grupos de atores das mais variadas provenincias e misturas. Esta possibilidade criativa de mltiplas narrativas, d a cada um de ns a qualidade de nos tornarmos um pensador em cena. Um performer da vida, aqui entendida como: uma criao permanente, que fala em nome do momento, para o mundo que est a ser interpretado e inventado a cada instante. Ao termos esta oportunidade de nos tornarmos pensadores em cena interpretes de ns mesmos e da nossa histria reduzimos a nossa subjetividade, abandonamos a presuno de falar em nome de alguma coisa distante, ou de que algum fale por ns. E tornamos cada ao numa participao, num evento que esteja entre um dispositivo para crianas ou um jogo para adultos.

    | 22

    Maiores de 16 anosLimitado a 25 participantesInscrio prvia at 7 abrilpara centrodasartes@cm-sever.pt

    Propomos a realizao de um ateli experimental aberto, onde a

    discusso e a partilha sero parte integrante do crescimento interior e do desenvolvimento tcnico das

    individualidades participantes. Partindo de fontes diversificadas:

    textos, imagens, excertos de filmes, contextos sociais ou biogrficos,

    aliando metodologias e exerccios que conjuguem tcnicas clssicas e

    contemporneas prope-se trabalhar de forma intensiva a construo de situaes teatrais e performativas.

    Tendo como finalidade a construo de exerccios de performance individual

    e ou coletiva sero disponibilizadas formas de abordagem fsica e terica.

    Sero exploradas e abordadas tcnicas e processos que cruzem as artes

    performativas com as artes visuais.

    WORKSHOP DE TEATRO E PERFORMANCECORPO, CRIATIVIDADE, RECIPROCIDADE E ESPIRITUALIDADEOrientao de Joo Garcia Miguel8 abril | 18h00 s 20h00 e das 20h30 s 22h30Gratuito

  • Texto: William ShakespeareDireo, traduo e montagem de textos, desenho de luz: Joo Garcia MiguelAtores: Sara Ribeiro, Frederico Barata, Rita Barbita, Pedro J Ribeiro, Antnio Pedro LimaAssistente de direo e apoio traduo: Srgio CoragemFigurinos: Ana LuenaDesenho de luz: Lus BombicoDireo de som: Manuel ChambelFotografias de ensaio e design grfico: Tyrone OrmsbyComunicao: Pedro CaetanoDireo de produo: Raquel Matos

    Abordmos Hamlet como um texto religioso testemunho de lugares estrangeiros. Ali procurmos ajuda para os enigmas do viver e auxlio para modificar o que vemos acontecer em ns. Dentro e fora de cada um. Ser atingido por estes testemunhos possuir uma mquina de espreitar para o nosso interior. essa talvez a razo porque escolhemos fazer Hamlet, porque acreditamos nas artes como um sistema de resistncia contra a destruio da alma que o que nos preserva enquanto natureza, animal e humano. Sabemos que a palavra alma, essa fora indistinta e intemporal, est fora de moda e o seu significado soa confuso incompreensvel para muitos e para ns de certo modo tambm.

    O texto fala da morte que chegou a Elsinore e da alma agitada de Hamlet. uma histria de fantasmas que falam e influenciam a existncia quotidiana de todos os que ali habitam. uma narrativa biogrfica da vingana que tornar o jovem Hamlet prisioneiro de obsesso atormentada. A salvao est na sua extino e tudo vai acabar quer com a sua morte, quer de um mundo incapaz de se transformar. Os nossos trabalhos procuram interrogar-se sobre si mesmos e sobre a relao das artes e dos artistas com o mundo em que vivemos. Abrimos o Hamlet, dividimo-lo em dois e entregamo-lo responsabilidade de dois atores em que cada um toca na sua subjetividade filosfica. Cinco atores trazem a cena o prncipe da Dinamarca, as suas sombras, os seus fantasmas, transportando a incerteza sobre a vida humana e a nossa desumanidade. Hamlet mais um obcecado que d cabo desta coisa toda.

    23 |

    CONVERSA COM O PBLICO depois do espetculo

    HAMLET TALVEZCOMPANHIA JOO GARCIA MIGUEL

    Teatro | 9 abril | 22h00 | Auditrio5 | 4 (descontos aplicveis pg. 42)

  • | 24

    23 ABRIL14 MAIO

    22H00

    GRATUITO

    SE S MSICO E GOSTAS DO DESAFIO JUNTA-TE A NS!

    Tocar de improviso, sem ensaios e preparaes prvias, foi o desafio que o Centro das Artes

    lanou a vrios msicos e que foi, desde o primeiro momento, aceite por todos.

    um grande desafio, mas tambm uma forma de estimular a criatividade e a interpretao

    natural, assim como a empatia, a amizade e a boa disposio.

  • COMEMORAO DIA MUNDIAL DA DANADana | 26 abril | 14h00 | Auditrio | GratuitoIPSS e pblico em geral

    O Centro das Artes celebra o Dia Mundial da Dana, dia 26 de abril, com a realizao de um Baile dirigido ao pblico snior, convidando, deste modo, as IPSS e a comunidade em geral do concelho a participar nesta iniciativa.O Dia Mundial da Dana, cuja data habitualmente assinalada a 29 de abril em todo o mundo com inmeras iniciativas, foi criado como uma homenagem ao criador do ballet moderno, Jean Georges Noverre (1727-1810), em 1982, pelo Comit Internacional da Dana da UNESCO, com o objetivo de chamar a ateno do pblico em geral para a importncia da dana e incentivar o apoio por parte das entidades governamentais a esta arte.O Baile alusivo aos loucos anos 20 e como tal no devero faltar as danas trepidantes como o charleston, o foxtrot ou at mesmo o swing americanos, o tango argentino e a rumba cubana. O dress code dever incluir as saias curtas e os cabelos garonne.

    25 |

  • | 26

    O MESTREALBERTO CAEIRO EXERCCIO PERFORMATIVO POR LEONOR BARATA30 abril | 22h00 | Auditrio | 3

    Projeto artstico de movimento e teatro sobre a obra de Fernando Pessoa, designadamente sobre o livro Conversas Inacabadas com Alberto Caeiro, que cruza exatamente a obra do autor com a sua explicao e as questes que levanta. A ideia a de estabelecer um cruzamento entre a linguagem da dana como linguagem artstica prpria e expressiva com a linguagem potica na sua multiplicidade de sentidos e de significados.A dana como linguagem artstica autnoma sempre desenvolveu o seu percurso num nvel de abstrao que concorre para as diversas leituras possveis da presena de um corpo que se move num espao.

    Encenao e coreografia:

    Leonor BarataAlunos do ensino

    secundrio do Agrupamento de

    Escolas de Sever do Vouga:

    Flvia SantosCarolina HaddenDbora Coutinho

    Ana Cludia MartinsCarolina Rodrigues

    Catarina Rocha Jssica Coutinho

    Amanda Rodrigues

    Os movimentos que a formam e as dinmicas que a constituem permitem um olhar que exige a interpretao do espetador e a necessidade de convocar experincias sensitivas e emotivas para a criao de uma leitura prpria e de uma narrativa individual. Parece-nos que exatamente o mesmo mecanismo que despoletado na leitura da poesia como arte maior da literatura. As palavras organizam-se poeticamente da mesma forma que os corpos formam teias de sentidos e os movimentos possuem a mesma cadncia que as palavras de um poema. Ritmo e cadncia numa e noutra como momentos essenciais da sua realizao. A dana a linguagem potica do corpo. A poesia na dana matria essencial.

  • 27 |

    5 e 6 maio | 10h00 e 14h00Escolas do 1 ciclo | Gratuito

    7 maio | 11h00Famlias | 3/famlia (pai, me e filhos)

    Coproduo: Teatro do Bolho/Teatro Municipal de Bragana

    Texto: Almada Negreiros Encenao: Joana Providncia

    Elenco: Margarida Gonalves e Tiago Arajo Espao cnico, figurinos e adereos:

    Ctia BarrosAssistncia a cenografia: Filipe Mendes

    Apoio a cenografia: Cristvo NetoIluminao: Crin Geada

    Som: Fbio Ferreira Design grfico: Bernardo Providncia

    Direo de produo: Glria Cheio

    S no entende o corao quem no sabe

    escut-lo.

    Quando dois bonecos ganham vida, fora do

    olhar do Homem (ou do bonecreiro, que os

    manipula em palco) abre-se espao para a poesia

    e para a descoberta do corao.

    Escrita em 1919 por Almada Negreiros - figura mpar do modernismo portugus do sculo XX, (vencedora desse ano do Prmio Francs para o melhor texto infantil) - Antes de Comear retrata o momento imediatamente antes da subida ao palco de dois bonecos (marionetas) que, descobrindo uma nova vida fora da manipulao do homem, desvendam tambm virtudes to humanas como a amizade, a vontade da descoberta e do conhecimento, a brincadeira e os afetos. A inquietao do Boneco (mais corajoso e irrequieto) estimula a vontade e a ousadia de despertar e viver da Boneca (mais frgil e assustada). Juntos encontram um universo de esperana e sonhos, de ddiva e reconhecimento, de um regresso pureza porque Ns os Bonecos, somos o melhor retrato da idade de quem nos fez!O resultado uma viagem mgica de elogio tolerncia, autodescoberta e amizade, valores fundamentais promoo da humanidade, evocados num texto de grande delicadeza potica e pedaggica.

    ANTES DE COMEARJOANA PROVIDNCIATeatro | AuditrioCrianas dos 6 aos 10 anos e famlias

  • | 28

    Exposio dos alunos finalistas do 12 ano do Curso de Artes Visuais da Escola Bsica e Secundria

    de Sever do Vouga.Os trabalhos expostos refletem a aprendizagem dos alunos

    ao longo dos trs anos, nas disciplinas de cariz prtica. A amostra integra uma diversidade de abordagem

    desde o desenho, ilustrao, pintura, fotografia, desenho infogrfico

    EUFORIA DE ESTILOSALUNOS DO 12 ANO DO CURSO DE ARTES VISUAIS DA ESCOLA BSICA E SECUNDRIA DE SEVER DO VOUGA

    Exposio | GaleriaAbertura 7 maio | 18h00

    7 a 28 maioTera a sbado das 14h00 s 17h00

    Dias de eventos noturnos das 20h00 s 22h00Entrada gratuita

  • 29 |

    ENSAIO ASSISTIDO

    7 maio | 18h30 | GratuitoLimitado a 20 participantesInscrio prvia paracentrodasartes@cm-sever.pt

    CARMINHOMsica (fado) | 7 maio | 22h00 | Auditrio12 | 10 (descontos aplicveis pg. 42)

    Voz: CarminhoGuitarra Portuguesa: Luis GuerreiroViola: Diogo ClementeBaixo: Marino de Freitas

    Carminho, uma das fadistas mais proeminentes da nova gerao, apresenta-se em Sever do Vouga para mostrar o seu mais

    recente disco Canto, editado em 2014.Em 2009, Carminho editou o seu primeiro

    lbum Fado considerado a maior revelao do fado da ltima dcada, tendo

    sido nomeado pela conceituada revista britnica Songlines como um dos dez Best

    Album 2011. Com Perdoname, com Pablo Alborn,

    Carminho tornou-se na primeira artista portuguesa a atingir o nmero 1 do top

    espanhol. Em 2012 lanou o seu segundo lbum, Alma, que estreou em primeiro

    lugar nos tops de venda portugueses e alcanou lugares de destaque em vrios tops internacionais. J no final de 2012, Carminho

    realiza um sonho de sempre e grava com Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana

    Caymmi, resultando numa reedio de Alma, com trs novos temas.

    Em 2016 Carminho segue viagem. O seu mais recente disco Canto uma das maiores

    surpresas do ano e confirma o futuro daquela que j uma das artistas portuguesas de

    maior projeo internacional.

  • Um homem, Senhor Melo, decidiu construir um Museu com objetos que as pessoas fazem existir. Se no fosse o valor que as pessoas lhes atribuem, esses objetos no existiam, diz ele. Expondo os objetos, as pessoas existem tambm. De outra forma, as pessoas nasciam, morriam e acabavam. Assim, ficam. Nascem, morrem e ficam as pessoas atravs dos objetos.Existem. Existem Susana e o chapu que lhe salvou a vida, Adelaide e o po torrado que alimentou um amor clandestino, Rafael e os relgios que ele parou para sempre nas horas importantes da vida dele, Amrico e a bola do filho que ele queria que nascesse menina porque as meninas no vo guerra. isso o Museu da Existncia. O Senhor Melo cita duas grandes inspiraes: Um Modesto Manifesto para Museus, de Orhan Pamuk, escritor turco prmio Nobel da Literatura 2006, que advoga que o futuro dos museus dentro das nossas casas; e o Museu da Inocncia, concretizado em Istanbul por um homem, Kemal Bey (Senhor Kemal, em turco), com objetos da mulher que ele mais desejou: Fsun - e cuja histria est contada no livro que Orhan Pamuk escreveu, tambm intitulado Museu da Inocncia. A dedicao de Kemal, construir um Museu dentro da Casa onde Fsun viveu e fazer existir a mulher desejada, mesmo depois da morte dela, atravs dos objetos da prpria, revelou-se determinante para o Museu da Existncia. Uma Casa onde as pessoas no deixem nunca de existir. A coleo do Museu da Existncia a apresentar em Sever do Vouga ter objetos de casas de pessoas do municpio.

    Direo artstica: Fernando Giestas e Rafaela Santos | Dramaturgia: Fernando Giestas | Encenao: Rafaela

    Santos | Cocriao e interpretao: Joo Melo | Conceo plstica, cenografia e figurinos: Ana Seia

    de Matos | Conceo e design dispositivo cnico: Henrique Ralheta | Desenho de luz: Jorge Ribeiro |

    Fotografia e design grfico: Lus Belo | Consultoria museolgica: Susana Medina | Produo executiva:

    Paula Trepado | Criao: Amarelo Silvestre | Coproduo: Amarelo Silvestre, Teatro Viriato e Centro Cultural Vila

    Flor | Projeto cofinanciado: Direo-Geral das Artes (Apoio Pontual 2015) | Parceria: As Casas do Visconde,

    Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim | Apoio: Cmara Municipal de Nelas, Luso Finsa e Borgstena

    | Agradecimentos: Chapelaria Confiana e Sapataria Custdio Domingos (Viseu); a todos os que contriburam

    para este projeto, com histrias e objetos

    MUSEU DA EXISTNCIA

    RESIDNCIA ARTSTICA9 a 13 maio | Maiores 6 anos

    | 30

    PERFORMANCE21 maio | 20h00 e 22h00 | 90 minMaiores 12 anos | Gratuito

    O Museu da Existncia um projeto coletivo de exaltao do indivduo na comunidade,

    no territrio, no mundo. Enquanto museu, estrutura fsica, ser concretizado

    concetualmente. Kemal ter os seus prprios objetos expostos, a par, far questo de ver

    expostos os objetos doados/emprestados por 5 a 10 famlias do concelho de Sever do Vouga recolhidos em gavetas e em caixas de correio.

  • 31 |

    um espetculo que explora a temtica das cores e da sua descoberta, viajando entre os vrios tons e texturas a elas associadas. Dois intrpretes percorrem um mundo que comea por ser cinzento e a que vamos acrescentando diversas cores atravs da dana, da msica e do teatro do objeto.

    2 e 3 junho | 10h00 e 14h00Jardins de Infncia | Gratuito

    4 junho | 11h00Famlias | 3/famlia (pai, me e filhos)

    E DEPOIS DO CINZENTO

    LEONOR BARATADana | Jardins de Infncia de Sever do Vouga

    Crianas dos 3 aos 5 anos e famlias

    Criao: Leonor Barata Interpretao: Clara Carvalho e Ndia Matos

  • | 32

    KA EMBALOS DO MUNDOConcerto encenado | Auditrio | 40 minCrianas dos 18 meses aos 5 anos e famlias

    9 junho | 10h00 e 14h00Creches | Gratuito

    10 junho | 11h00Famlias | 3/famlia (pai, me e filhos)

    15 a 20 crianas e acompanhantes

    Criao e interpretao: Sofia Portugal, Susana Quaresma, Tnia CardosoArranjos vocais: Sofia Portugal e Susana QuaresmaAdaptao de texto/encenao: Tnia CardosoProduo: A Monda Teatro-Msica Associao Cultural

    Ka: Embalos do mundo um momento potico-musical com aes e canes sobre os

    primeiros passos e compassos na vida. Partindo de canes transmitidas de me para filho/a, de gerao em gerao, trs mulheres exploram a

    fora das vozes femininas e do canto polifnico, num espetculo de teatro-msica com melodias

    de acalantar lusfonas, ibero-americanas ou rabes que pertencem a todos os que se deixam

    levar no balouo-balano do mar... A palavra indgena Ka recebe quem acaba de chegar,

    num concerto encenado para escutar e sentir ao colo, sobre a nitidez do olhar da criana ao

    relacionar-se com a Terra-me que o rodeia!Sinto-me nascido a cada momento para a eterna novidade do mundo in Guardador de Rebanhos,

    Alberto Caeiro

  • 33 |

    WORKSHOPS

    DESENHO DE ROSTO HUMANO 16 abril | 10h00 s 12h30 | Crianas dos 6 aos 10 anos

    Desenho do rosto humano a partir da observao direta.Os participantes tero a oportunidade de desenhar o rosto humano,

    recorrendo ao estudo das propores e anatomia do rosto. Explorao de diferentes materiais riscadores, bem como as aguadas e a tinta da China.

    Treino do desenho vista com recurso criatividade de cada um. Interpretao pessoal do modelo.

    CONSTRUO DE CASAS EM CARTOLINA14 maio | 10h00 s 12h30 | Crianas dos 6 aos 10 anos

    Construo de casas em papel, carto e cartolina.Criao de um modelo tridimensional de uma casa de cartolina, a partir de

    uma maquete pr-definida. Aprender a construir um modelo tridimensional a partir de uma superfcie bidimensional. Imaginar diferentes tipologias de casa:

    destinadas a habitao familiar, um hospital, uma farmcia, uma escola, etc.

    DESENHAR A NATUREZA18 junho | 10h00 s 12h30 | Crianas dos 6 aos 10 anos

    Com base na observao da natureza, faremos o registo grfico da paisagem de Sever do Vouga. Sero abordadas as diferentes tcnicas de desenho, de modo a representar a natureza, tais como a aguada, a trama, a mancha etc. Vamos observar as diferentes formas e geometrias das plantas e montes e

    tentaremos reproduzi-las plasticamente.

    GratuitoMnimo 6 participantesInscrio prvia para

    centrodasartes@cm-sever.pt

  • | 34

    VAMOS DESCOBRIR NOVAS TEXTURAS

    A partir de texturas da natureza como folhas, troncos e texturas sintticas, como por exemplo tecidos variados, iremos criar composies criativas.

    MERZ ART - (RE)CRIAR ARTE

    A partir do conceito Merz (arte concebida atravs de objetos de desperdcio) iremos criar novas formas e objetos.

    LUGAR DOS AFETOS

    Visita ao Lugar dos Afetos de Graa Gonalves.

    Crianas dos 6 aos 10 anosLimitado a 25 participantes Inscrio prvia at 2 julho para centrodasartes@cm-sever.pt

    Durante os perodos de interrupo letiva, o Centro das Artes realiza programas de ocupao dos mais novos com vista a motivar aprendizagens que valorizem a pesquisa e a criatividade. Assim, durante as frias de Vero propomos o seguinte programa de atividades ao AR LIVRE:

    PROGRAMA FRIAS DE VERO5 a 8 julho | 14h00 s 17h00

  • 35 |

    SIMPSIOTURISMO SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO,

    NOVOS CONCEITOS EM TURISMOOrganizao Quercus

    Simpsio | 14 abril | 9h30 s 13h00 | Auditrio

    MISS & MISTER 2016Organizao Associao de Estudantes do

    Agrupamento de Escolas de Sever do VougaDesfile | 16 abril | 21h30 | Auditrio

    SEMINRIOEDUCAO NUM MUNDO EM TRANSFORMAO

    Organizao Servio de Educao do Municpio de Sever do Vouga

    Seminrio | 20 de maio | 9h30 s 17h30 | Auditrio

    CONCERTO ORQUESTRA CLSSICA DO CONSERVATRIO DE MSICA

    DE AVEIRO CALOUSTE GULBENKIANOrganizao Banda Unio Musical Pessegueirense

    Comemoraes dos 150 anos da BUMPMsica | 28 maio | 21h30 | Auditrio

    BANDA AMIZADE CONVIDA JOANA FERREIRAOrganizao Banda Amizade

    Msica | 10 junho | 21h30 | Auditrio | 5

    FESTA DE ENCERRAMENTOCRECHE E ATL DA APCDI

    Organizao APCDIMultidisciplinar | 17 junho | 18h30 | Auditrio

    FESTA DE ENCERRAMENTOESCOLA DE MSICA PENTAGRAMA

    Organizao Escola de Msica PentagramaMsica | 18 junho | 21h30 | Auditrio

    ACOLHIMENTOS

  • | 30

    OUTROS MOMENTOS

  • 37 |

    O novo museu faz uma abordagem arqueologia em Terras de Sever, ao patrimnio industrial e mineiro, etnografia e prticas culturais, s

    maravilhas naturais prprias do territrio e sua dedicao aos pequenos frutos (com

    destaque para o mirtilo).Suportado numa coleo museolgica

    nica, e com recurso a novas tecnologias imersivas, complementadas com

    contedos de elevada qualidade, este Museu ser um equipamento voltado para o futuro, altamente pedaggico,

    comunicativo e envolvente.

    INAUGURAOMUSEU MUNICIPAL

    Inaugurao oficial | 18 maio

  • | 38

    SHOWCOOKINGS

    PALESTRAS TCNICAS

    ROTA DO MIRTILO

    APANHA DO MIRTILO

    ATIVIDADES PARA CRIANAS

    ATIVIDADES DESPORTIVAS

    FEIRA DO LIVRO

    ESPETCULOS MUSICAIS

    ANIMAO DE RUA

    23 A 26 DE JUNHOSEVER DO VOUGA

  • 39 |

    25 JUNHOTOMS DE PERRATE

    (ESPANHA)

    2 JULHOIBRAHIM FERRER JR

    (CUBA)

    9 JULHOTRILOK GURTU BAND

    (NDIA)

    22H00 | PARQUE URBANO | GRATUITO

    8 edio

  • | 40

    V CURSO DE VEROJoo Moita | 29 junho a 3 julho | 30h Centro Escolar de Couto de Esteves

    MASTER-CLASSMarco Tamayo | 1 e 2 julho | 12hCentro Escolar de Couto de Esteves

    Organizao: Cmara Municipal de Sever do VougaColaborao: ACSCE Associao Cultural e Social de Couto de EstevesEquipa de Direo : Responsvel pela Direo Executiva: Miguel LopesResponsvel pela Direo Artstica: Joo Moita

    29 JUNHO | 21H30 QUINTETO 5G5C | PORTUGAL GUITAR QUINTET (PORTUGAL)RICARDO SILVA TRIO (GUITARRA PORTUGUESA)CENTRO DAS ARTES DO ESPECTCULO DE SEVER DO VOUGA | GRATUITO

    2 JULHO | 21H30MARCO TAMAYO (CUBA)ANABEL MONTESINOS (ESPANHA)IGREJA MATRIZ DE TALHADAS | GRATUITO

    3 JULHO | 15H30 ISABEL REI SAMARTIN (GALIZA-ESPANHA)ENCERRRAMENTO DO V CURSO DE VERO | JOO MOITAIGREJA MATRIZ DE COUTO DE ESTEVES | GRATUITO

  • (ARTISTAS CONFIRMADOS)

    23 A 31 JULHO

    ANA MOURA

    AGIR

    MOULLINEX DJ SET

    DEOLINDA

    DIABO NA CRUZ

    DAVID FONSECA

    41 |

  • CONTACTOSCentro das Artes do Espectculo de Sever do VougaAv. Com. Augusto Martins Pereira, 703740-255 Sever do VougaTel. 234 590 470E-mail: centrodasartes@cm-sever.ptwww.cm-sever.pt/caesvwww.facebook.com/cae.severdovouga

    ABERTURA AO PBLICOVisita s exposies:Tera a sbado 14h00 s 17h00 Dias de eventos noturnos 20h00 s 22h00

    Bilheteira:Em dias de eventos noturnos 14h00 s 18h00 e 20h00 s 22h00Em dias de eventos diurnos, domingo e feriados uma hora antes do incio previsto de cada evento.

    ENCERRAMENTO SEMANALDomingo e feriados (salvo exceo) e segunda-feira.

    INFORMAESEspetculos e reservas:E-mail: centrodasartes@cm-sever.ptTel: 234 590 470Bilheteira online em ticketline.sapo.ptNo se aceitam devolues nem troca de bilhetes.No h lugar ao reembolso do preo pago pelo bilhete.

    DESCONTOS (QUANDO APLICVEIS)Carto Amigo CAESV (at 25% de desconto)Acompanhantes dos amigos (10% de desconto)Estudantes Portadores de Carto JovemMaiores 65 anosGrupo de 20 ou mais espetadoresFamlias (pai, me e filhos menores)

    CONDIES DE ACESSONo permitida a entrada no auditrio aps o incio do espetculo (n5 do Art.340 do Decreto- Lei n 315/95 de 28/11), exceto nos casos em que o mesmo for autorizado pelas caratersticas do evento.

    expressamente proibido filmar, fotografar ou gravar, assim como fumar e consumir alimentos ou bebidas.

    entrada, os espetadores devem desligar os telemveis ou outras fontes de sinal sonoro.

    No permitida a entrada de crianas com idade inferior a 3 anos, exceto em espetculos direcionados a essa faixa etria, existindo para o efeito o servio de babysitting disponvel.

    CAFETARIAO servio de cafetaria assegurado, em dias de eventos, pelo Paradela Eco Caf.

    Horrio de funcionamento:Abre 1 hora antes do incio de cada sesso e permanece aberto at 1 hora depois.

    INFORMAO CENTRO DAS ARTES DO ESPECTCULO

    | 42

  • AUDITRIO CENTRO DAS ARTES DO ESPECTCULO

    43 |

    Plateia com 296

    Visibilidade reduzida

    Mobilidade condicionada

    PALCO

    O

    N

    M

    L

    J

    I

    H

    G

    F

    E

    D

    C

    B

    22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

    22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

    22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

    25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

    25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

    25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

    25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

    24 23 22 21 20 19 18 17 16

    24 23 22 21 20 19 18 17 16

    24 23 22 21 20 19 18 17 16

    24 23 22 21 20 19 18 17 16

    24 23 22 21 20 19 18 17 16

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2

    11 10 9 8 7 6 5 4 3 2

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

    15 14 13 12

  • CMARA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGA Largo do Municpio 3740-262 Sever do VougaTel. 234 555 566 | Fax: 234 552 982 E-mail: cm.sever@cm-sever.ptwww.cm-sever.ptSeg. a sex. 9h00 s 16h00

    BIBLIOTECA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGAParque Urbano da Vila3740-263 Sever do VougaTel. 234 550 030 E-mail: biblioteca@cm-sever.ptwww.cm-sever.pt/bibliotecawww.facebook.com/bm.severdovougaSeg. e sb. 13h30 s 19h00Ter. a sex. 10h00 s 19h00

    MUSEU MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGARua do Matadouro3740-235 Sever do Vouga

    POSTO DE TURISMO DE SEVER DO VOUGARua do Jardim3740-273 Sever do VougaTel. 234 555 566E-mail: adeliacorreia@cm-sever.ptTer. a sb. 9h30 s 12h30 e 14h00 s 18h00 Encerra dom. e seg.A partir de 4 junho: qua. a dom. 9h30 s 12h30 e 14h00 s 18h00Encerra seg, ter. e 1 dom. de cada ms

    PISCINA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGAAv. Com. Augusto Martins Pereira 3740-256 Sever do VougaTel. 234 556 206 | Fax: 234 556 206E-mail: piscina@cm-sever.ptSeg., qua. e sex. 10h00 s 20h00Ter. e qui. 10h00 s 21h00

    INFORMAO GERAL

    JUNTA DE FREGUESIA DE SEVER DO VOUGARua da Igreja3740-264 Sever do VougaTel. 234 552 691 | Fax: 234 552 691E-mail: jfsevervouga@sapo.pt

    BOMBEIROS VOLUNTRIOS DE SEVER DO VOUGARua dos Bombeiros 3740-267 Sever do VougaTel. 234 555 738E-mail: comando.sever@mail.telepac.pt

    GUARDA NACIONAL REPBLICANADE SEVER DO VOUGAAv. Com. Augusto Martins Pereira3740-258 Sever do VougaTel. 234 551 225E-mail: ct.avr.dagd.psvv@gnr.pt

    CPCJ DE SEVER DO VOUGARua do Sobreiral, Piso 13740-265 Sever do VougaTel/fax: 234 598 247E-mail: cpcj.sv@gmail.comSeg. 10h00 s 12h00 e 14h00 s 17h00Sex. 9h30 s 12h00

    AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO DE SEVER DO VOUGAAv. Com. Augusto Martins Pereira3740-257 Sever do Vouga Tel. 234 550 130 | Fax: 234 555 435E-mail: geral@aesv.pt

    | 44

  • A PROGRAMAO ENUNCIADA DA RESPONSABILIDADE DOS ORGANIZADORES E PODER SOFRER ALTERAES.