A vinha de Nabote

Download A vinha de Nabote

Post on 21-Jun-2015

19.111 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

1 Trimestre de 2013, Lio 7

TRANSCRIPT

  • 1. A Vinha deNabote1 Trimestre de 2013 7 LioPr. Moiss Sampaio de Paula1

2. Texto ureo"No erreis: Deus no se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso tambm ceifar" (Gl 6.7). Pr. Moiss Sampaio de Paula 2 3. Verdade Prtica A trama orquestradapela rainha Jezabel e orei Acabe contra Nabotedemonstra quo danoso render-se aos desejosda cobia e de umasatisfao pessoal.Pr. Moiss Sampaio de Paula 3 4. Objetivos da Lio Identificar o objeto da cobia deAcabe. Citar as causas da cobia. Conscientizar-se dos frutos econsequncias da cobia.Pr. Moiss Sampaio de Paula 4 5. Introduo Acabe matou Nabote e apropriou-se de suas terras. Todavia, no pde usufruir do fruto de seu pecado, porque o Senhor, atravs do profeta Elias, o denunciou e o disciplinou. triste saber que soberanos, governantes e reis injustos governam, mas mais maravilhoso saber que um Rei justo governa todo o universo. Pr. Moiss Sampaio de Paula 5 6. ESPRITO DO MUNDO o mundo onde vivemos orientado por um estilo de vidamaterialista, hedonista e pragmatista. Todavia, o Evangelhodemanda de cada um de ns um estilo rigorosamentecontrrio ao mundano. Materialismo - o ceticismo a respeito da existncia daquilo que transcendental. Um estilo de vida pautado somente nas coisas materiais. Aps essa vida, dizem os materialistas, tudo acaba. Hedonismo - tica pautada na busca intensa pelo prazer inteiramente pessoal. O sexo, a paz interior e a prosperidade so os sonhos de vida do ser humano. Pragmatismo - o estilo de vida que objetiva o lucro pessoal. Os relacionamentos de ordem sentimental, espiritual e prossional so baseados numa perspectiva de barganha.Pr. Moiss Sampaio de Paula6 7. Esboo da LioI. O OBJETO DA COBIA1. O direito propriedade no Antigo Israel.2. A herana de Nabote.II. AS CAUSAS DA COBIA1. A casa de campo de Acabe.2. A horta de Acabe.III. O FRUTO DA COBIA1. Falso testemunho.2. Assassinato e apropriao indevida.IV. AS CONSEQUNCIAS DA COBIA1. Julgamento divino.2. Arrependimento e morte.Pr. Moiss Sampaio de Paula 7 8. Palavra chave: Cobia Desejo desmedido pelopoder, dinheiro, bensmateriais, glrias etc;ambio. a cobia pode acabarcom algumas amizades. Obstinao intensa paraconseguir algo. Pr. Moiss Sampaio de Paula 8 9. Significado na Bblia palavra cobiar no hebraico epithumesignifica, fixar o desejo em (formado de epi,sobre, usado intensivamente, e thumos,paixo), quer de coisas boas ou ruins, porconseguinte, almejar, desejar ardentemente,ambicionar, usado em (At 20.33) com osignificado de desejar mal, acerca dedesejar dinheiro e vesturio. Pr. Moiss Sampaio de Paula9 10. Sinnimo de cobia Ambio, avidez, cupidez, ganncia, inveja,mercantilismo e sede.Observao:Cupidez - Ao, qualidade ou prprio de cpido.Ambio, geralmente, por propriedades e/ou bensmateriais; desejo excessivo por riquezas; ambio,cobia: dominado pela cupidez, abandonou seusprincipais valores morais.Pr. Moiss Sampaio de Paula 10 11. Cobia:O que a Bblia diz "No cobiars a casa do teu prximo. Nocobiars a mulher do teu prximo, nem seusservos ou servas, nem seu boi ou jumento,nem coisa alguma que lhe pertena". (xodo20:17)Pr. Moiss Sampaio de Paula 11 12. Origem da cobia Tiago 4:1-2 Donde vm as guerras econtendas entre vs? Porventura no vmdisto, dos vossos deleites, que nos vossosmembros guerreiam? Cobiais e nada tendes;logo matais. Invejais, e no podeis alcanar;logo combateis e fazeis guerras. Nadatendes, porque no pedis.Pr. Moiss Sampaio de Paula 12 13. Cobia- uma das causas da apostasia 1 Timteo 6:10 Porque o amor ao dinheiro raiz de todos os males; e nessa cobia algunsse desviaram da f, e se traspassaram a simesmos com muitas dores.Pr. Moiss Sampaio de Paula 13 14. I. O OBJETO DA COBIA No devemos cobiar aquilo que do prximo, nem tampouco jogarfora aquilo que o Senhor nosconfiou como despenseiros.1. O direito propriedade noAntigo Israel.2. A herana de Nabote.Pr. Moiss Sampaio de Paula 14 15. I. O OBJETO DA COBIA1. O direito propriedade no Antigo Israel. De acordo com o livro de Levtico, a terra pertencia ao Senhor (Lv 25.23). O israelita da Antiga Aliana estava consciente de que o Senhor lhe havia dado o direito de explorar a terra como uma concesso. Assim sendo, ele no poderia vender aquilo que lhe fora dado como herana divina. O livro de Nmeros destaca esse fato: "Assim, a herana dos filhos de Israel no passar de tribo em tribo; pois os filhos de Israel se chegaro cada um herana da tribo de seus pais" (Nm 36.7). Pr. Moiss Sampaio de Paula15 16. Herana: O bem maior para o povoera a terra. Quando algum se endividava ele procurava vender tudo oque possua para no se desfazer da terra. A maior herana que um pai poderia deixar para o filho era aterra. A possesso da terra garantia a vida. Com ela as famliasplantavam ou criavam seus rebanhos. Quando no havia outra soluo a terra era vendida. Mas havia uma determinao do Senhor para garantir a voltada terra para a famlia que a possua, era o ano do Jubileu. Pr. Moiss Sampaio de Paula 16 17. O ano do Jubileu A cada cinqenta anos toda famlia que tinha vendido suaterra recuperava a posse dela. Na verdade no era uma vendae sim, um arrendamento que tinha o seu valor calculadoconforme o nmero de anos que faltavam para o jubileu. Tambm contars sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que osdias das setes semanas de anos sero quarenta e nove anos. Ento no msstimo, aos dez do ms, fars passar a trombeta do jubileu; no dia da expiao fareis passar a trombeta por toda a vossa terra. E santificareis o anoqinquagsimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano do jubileu vos ser, e tornareis, cada um sua possesso, e tornareis, cada um sua famlia. O ano qinquagsimo vos ser jubileu; no semeareis nem segareis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das vides no tratadas. Porque jubileu , santo ser para vs; a novidade do campo comereis. Neste anodo jubileu tornareis cada um sua possesso Lv 25:8-13Pr. Moiss Sampaio de Paula 17 18. I. O OBJETO DA COBIA2. A herana de Nabote.Acabe queria a vinha de Nabote de qualquer jeito. Diante da insistncia do rei, Nabote contra argumentou: no poderia desfazer-se de sua herana (1 Rs 21.3. Jezabel, que viera de um reino pago, ficou escandalizada com esse fato, pois entre os reinos gentios os governantes no eram apenas soberanos, eram tambm tiranos (1 Rs 21.5-7). Dessa forma, ela arquitetou um plano para apossar- se da vinha de Nabote (1 Rs 21.8-14).Quantas pessoas tm conscincia da ilegalidade de determinada coisa, mas como Acabe ficam procura de justificativas que a tornem legal. Cuidado! Deus h de julgar os tiranos e malfeitores.Pr. Moiss Sampaio de Paula 18 19. Quem era Nabote? Nabote deriva-se do rabe e quer dizer rebento oufruto. Era um israelita da cidade de Jezreel, que vivia notempo de Acabe, rei das dez tribos, e tinha uma belavinha perto do palcio real. Acabe cobiou a suapropriedade, mas Nabote, em conformidade da lei (Lv2L23, 24), recusou vend-la. Ps Jezabel em campo osseus artifcios e foi Nabote morto a pedrada, pormotivo de uma falsa acusao, apoderando-se o rei dasua vinha (1 Rs 21.1 a 16). Ento o profeta Eliasassegurou ao rei, que o seu pecado lhe acarretariaterrvel retribuio (1 Rs 21.17 a 24), o que na verdadeaconteceu (2 Rs 9). Pr. Moiss Sampaio de Paula 19 20. Jezreel local da vinha de Nabote Pr. Moiss Sampaio de Paula 20 21. Vale de Jezreel A cobia transformaindivduos comunsem criminososPr. Moiss Sampaio de Paula 21 22. II. AS CAUSAS DA COBIA uma verdade que muitas pessoas, mesmos sendo ricas, no se satisfazem com o que tm. Querem mais e mais, e assim mesmo no conseguem encontrar satisfao.1. A casa de campo de Acabe.2. A horta de Acabe.Pr. Moiss Sampaio de Paula22 23. II. AS CAUSAS DA COBIA1. A casa de campo de Acabe. O livro de 1 Reis destaca que Acabe possua uma segunda residncia em Jezreel (1 Rs 18.45,46). Era uma casa de vero. A vinha de Nabote estava, pois, localizada prxima residncia de Acabe (1 Rs 21.1). O rei Acabe possua uma casa real, uma casa de campo, mas no estava satisfeito enquanto no possusse a pequena vinha do seu sdito, Nabote Pr. Moiss Sampaio de Paula 23 24. Nenhum ser humanoconseguir satisfazer-seplenamente se o centro dasua satisfao no estiver emDeus.Pr. Moiss Sampaio de Paula 24 25. II. AS CAUSAS DA COBIA2. A horta de Acabe. Acabe estava dominado pelo desejo de "ter",de "possuir". Somente a casa de vero, quesem dvida era majestosa, no lhe satisfazia,queria agora construir ao seu lado uma hortapara que seus desejos pudessem serrealizados. No se importava em quebrar omandamento divino: "No cobiars" (x20.17). Mais do que qualquer motivaoexterna, Acabe estava totalmente dominadopelos desejos cobiosos de seu corao. Pr. Moiss Sampaio de Paula 25 26. A velha desculpa Jamais devemosincorrer no errode achar que osfins justificamos meios, eassim quebrar aPalavradoSenhor na buscade um desejomeramenteegosta. Pr. Moiss Sampaio de Paula 26 27. Ruinas do Palcio de Acabe Jezreel era um centro israelita administrativa importante durante e depois do tempo do rei Acabe, que tinha o seu palcio de vero aqui. No entanto, esta a nica estrutura de qualquer tipo que permanece no local. Pr. Moiss Sampaio de Paula 27 28. As 3 propostas de Acabe1. D-me a tua vinha, para que me sirva dehorta, pois est vizinha ao lado da minha casa;2. Te darei por ela outra vinha melhor:3. Se for do teu agrado, dar-te-ei o seu valor emdinheiro.Porm Nabote disse a Acabe: Guarde-me o SENHOR deque eu te d a herana de meus pais. (1Rs 21:3) Pr. Moiss Sampaio de Paula28 29. Vinha em horta Vinha, na Bblia sinnimo de lavoura, de plantao,de seara, de ministrio, de obra, de realizao. Faladaquilo que o Senhor colocou em nossas mos parafazermos; A palavra hebraica para vinha kerem, ela estdistribuda ao longo do Antigo Testamento pelo menos92 vezes. O diabo quer transformar a Vinha (permanente) emhorta (passageiro) Devemos defender a vinha do Senhor que nos foi dadapor herana, mesmo que isto lhe custe a vida. Pr. Moiss Sampaio de Paula29 30. Outra vinha Quantos tm deixado de cuidar da vinha doSenhor para cuidar de empresas, para cuidar deprojetos polticos, para cuidar de associaes, deConselhos disto ou daquilo; O Senhor no nos chamou para cuidar de outrasvinhas. Por mais interessante que seja o projeto epor mais parecido que seja com a vinha doSenhor, no vale pena!; O inimigo far tudo o que for preciso para nosver fora do projeto de Deus para nossas vidas!Pr. Moiss Sampaio de Paula30 31. Qual o teu preo? O inimigo tem argumentos convicentes emelhora cada vez mais a proposta; Se voc no aceita sua vinha ser transformadaem horta; Se voc no troca a sua vinha poroutra melhor, ento venda-a; Quanto vale o teu chamado? Quanto vale avinha do Senhor que est sob tuaresponsabilidade?Pr. Moiss Sampaio de Paula 31 32. Aviso Ento lhes disse: "Cuidado! Fiquem desobreaviso contra todo tipo de ganncia; avida de um homem no consiste naquantidade dos seus bens". (Lucas 12:15)Pr. Moiss Sampaio de Paula 32 33. III. O FRUTO DA COBIA As atitudes de Acabe foramacontecendo como reao emcadeia. evidente que umdesejo pecaminoso no pode darfrutos bons1. Falso testemunho.2. Assassinato e apropriaoindevida.Pr. Moiss Sampaio de Paula 33 34. III. O FRUTO DA COBIA 1. Falso testemunho. Jezabel envolveu vrias pessoas nesse intento, incluindo os nobres do reino (1 Rs 21.8). Nobres sem nenhuma nobreza! Escreveu uma carta e selou com o anel de Acabe. Por conseguinte, com o pleno consentimento do marido, engendrou o plano, a fim de que Nabote, o Jezreelita, fosse acusado de ter blasfemado contra Deus e contra o rei (1 Rs 21.10). Um simples desejo que evoluiu para cobia e falso testemunho. Pr. Moiss Sampaio de Paula34 35. Pr. Moiss Sampaio de Paula 35 36. III. O FRUTO DA COBIA 2. Assassinato e apropriao indevida.A trama precisava ser bem feitapara no gerar desconfiana. E porisso um jejum deveria serproclamado, como sinal delamento por haver Naboteblasfemado contra o Deus deIsrael (1 Rs 21.9). Uma prticareligiosa foi usada para dar umaroupagem espiritual ao caso.Como foi planejado, Nabote e suafamlia foram apedrejados emortos injustamente! (1 Rs 21.13).Pr. Moiss Sampaio de Paula 36 37. Pecado atrai pecado Quantas vezes a Bblia usada para justificarprticas pecaminosas!Resolvido o problema,agora o rei apoderar-se-ia da vinha de Nabote (1Rs 21.16). Um abismochama outro abismo. Opecado havia evoludoda cobia para oassassinato!Pr. Moiss Sampaio de Paula37 38. os males que seguiram a cobia MENTIRA. Os ancios resolveram atender aos intentos de Jezabel. Comopodemos ver sempre h homens prontos a venderem seu testemunho pordinheiro a fim de que sirva aos maus propsitos daqueles que osalugam.E os homens da sua cidade, os ancios e os nobres que habitavamna sua cidade, fizeram como Jezabel lhes ordenara, conforme estavaescrito nas cartas que lhes mandara(I Rs 21.11). FALSO TESTEMUNHO. O veredito de morte j estava predeterminado, porJezabel. Mas, era necessrio elaborar um falso julgamento com umsimples aspecto de justia, para que, vista do povo, desse a impressode ser um julgamento leal, arranjou-se duas testemunhas, conforme pediaa Lei (Dt 17.6,7); mas eram falsas. E ponde defronte dele dois filhos deBelial, que testemunhem contra ele (I Rs 21.10-a). ASSASSINATO. Por fim, a trama culminou na execuo de Nabote, pois olevaram para fora da cidade e o apedrejaram. A injustia estavaclaramente executada, pois Nabote foi executado por um crime quejamais cometeu Ento mandaram dizer a Jezabel: Nabote foi apedrejado,e morreu (I Rs 21.14). Pr. Moiss Sampaio de Paula 38 39. Como vercer a cobia Assim, faam morrertudo o que pertence natureza terrenade vocs:imoralidade sexual,impureza, paixo,desejos maus e aganncia, que idolatria.(Colossenses 3:5) Pr. Moiss Sampaio de Paula 39 40. IV. AS CONSEQUNCIAS DA COBIA Na cobia que dominou Acabe, vemos o julgamento divino, e tambm arrependimento e morte.1. Julgamento divino.2. Arrependimento e morte.Pr. Moiss Sampaio de Paula 40 41. IV. AS CONSEQUNCIAS DA COBIA 1. Julgamento divino. To logo Acabe apossou-se da vinha de Nabote, ordena Deus ao profeta Elias que se apresente ao rei e lhe proclame o juzo divino: "Falar-lhe-s, dizendo: Assim diz o Senhor: Porventura, no mataste e tomaste a herana? Falar-lhe-s mais, dizendo: Assim diz o Senhor: No lugar em que os ces lamberam o sangue de Nabote, os ces lambero o teu sangue, o teu mesmo" (1 Rs 21.19,20). Pr. Moiss Sampaio de Paula 41 42. Podemos enganar a Deus? Algum pode enganar aos homens, mas nuncaao Senhor. Diante dEle todas as coisas estopatentes (Hb 4.13).Pr. Moiss Sampaio de Paula 42 43. IV. AS CONSEQUNCIAS DA COBIA2. Arrependimento e morte.Duas atitudes podem ser tomadas diante de uma sentena divina de julgamento:1. arrepender-se ou2. rejeitar a correo. Acabe arrependeu-se, mas mesmo assimno teve como se livrar dasconsequncias de suas aes (1 Rs 22.29-40; 2 Rs 1.1-17). O pecado sempre temseu alto custo! Pr. Moiss Sampaio de Paula43 44. COMO D...

Recommended

View more >