a verdadeira religiao

Click here to load reader

Post on 30-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ϟ΍ ΢ϴΤμϟ΍ϦϳΪ Dr. Abu Ameenah Bilal Philips Traduҫão: Abu Ayoub Revisão: Lic. Muhammad Isa García ΍ΔϐϠϟΎΑΔϴϟΎϐΗ͌ϟ Conteúdo Qual é a Verdadeira Religião de Deus? O Nome da Religião Deus e a Criação A Mensagem das Falsas Religiões A Universalidade das Religiões de Deus Reconhecer a Deus Os Sinais de Deus Conclusão Qual é a Verdadeira Religião de Deus? O Nome da Religião Deus e a Criação A Mensagem das Falsas Religiões A Universalidade das Religiões de Deus

TRANSCRIPT

  • A Verdadeira Religio

    de Deus

    Dr. Abu Ameenah Bilal Philips

    Traduo: Abu Ayoub

    Reviso: Lic. Muhammad Isa Garca

    pdfMachine by Broadgun Software - a great PDF writer! - a great PDF creator! - http://www.pdfmachine.com http://www.broadgun.com

  • Copyright 1428 H., 2007 DC Este livro propriedade literria. Pode ser usado no todo ou em parte, desde que a informao citada no seja usada fora de contexto.

    Gostaramos de expressar os nossos verdadeiros agrade-cimentos para com aqueles que, de algum modo, contri-buram para a sua publicao. Que Allah os recompense pelos seus esforos. Caso possuirdes correces, comen-trios ou questes relativas presente publicao, no hesiteis em contactar-nos para:

    [email protected]

    Publicado por:

    The Islamic Propagation Office in Rabwah

    Tel. +4454900 - 4916065 Ext. 26 - 27

    Email: [email protected]

    www.islamhouse.com

  • Contedo Qual a Verdadeira Religio de Deus?

    O Nome da Religio

    Deus e a Criao

    A Mensagem das Falsas Religies

    A Universalidade das Religies de Deus

    Reconhecer a Deus

    Os Sinais de Deus

    Concluso

  • Qual a Verdadeira Religio de Deus? Cada ser nasce em circunstncias que, de modo al-gum, so de sua escolha. A religio professada pela famlia, ou respectiva ideologia, so-lhe impostas desde o minuto primeiro da sua existncia. Ao atin-gir a adolescncia, normal a pessoa acreditar ple-namente que, as crenas da sociedade em que se encontra inserida, so os verdadeiros credos em que todos deveriam acreditar. Contudo, algumas, ao a-tingirem a vida adulta e quando expostas a outros sistemas de crenas, comeam a questionar a vali-dade daquilo em que acreditam e que lhes foi transmitido. Frequentemente, imensa a confuso daqueles que buscam a verdade, quando compre-endem que todas as religies, seitas, ideologias e fi-losofias reivindicam ser o nico e verdadeiro caminho a seguir pelo ser humano. De facto, todas elas encorajam o ser humano a praticar o Bem. As-sim sendo, qual a que est certa? De forma alguma o podem estar todas, visto cada uma delas afirmar a incorreco das outras. Deste modo, como podemos ns escolher a verdadeira, aquela que realmente busca a verdade?

    Deus concedeu a todos crebro e intelecto, de modo a permitir-nos tomar esta deciso crucial, a qual a

  • mais importante da vida do ser humano, visto dela depende o seu futuro. Por conseguinte, h que exa-minar a frio aquilo que nos apresentado, e esco-lher aquilo que nos parece ser o certo, at prova em contrrio.

    Tal como todas as outras religies e filosofias, tam-bm o Islo reivindica ser o nico e verdadeiro ca-minho em direco a Deus. Relativamente a isto, em nada difere dos restantes sistemas. A inteno do presente folheto consiste em apresentar provas que sustentem esta reivindicao. Contudo, h que ter sempre presente que a pessoa apenas pode proceder escolha do verdadeiro caminho, se se alhear de emoes e preconceitos, os quais muitas vezes nos cegam e afastam da realidade. Depois, e apenas de-pois, que estamos aptos a usar a inteligncia que nos foi cedida por Deus, e a tomar uma deciso cor-recta e racional.

    So vrios os argumentos existentes que podem a-poiar a reivindicao Islmica de ser a verdadeira religio de Deus. Os que a seguir se apresentam so apenas trs dos mais bvios. O primeiro, baseia-se na origem divina do nome da religio e na compre-enso do seu significado. O segundo, tem a ver com os ensinamentos simples e nicos no que respeita ao

  • relacionamento entre Deus, o Ser Humano e a Cria-o. O terceiro, deriva do facto do Islo ser univer-salmente alcanvel por todos os seres humanos, independentemente da poca em que vivam ou te-nham vivido. Estes so os trs componentes base daquilo que tido como necessariamente lgico e razovel a uma religio possuir, de modo a que possa ser considerada a verdadeira religio de Deus. Nas pginas seguintes proceder-se- a um de-senvolvimento mais pormenorizado destes concei-tos.

  • O Nome da Religio Relativamente ao Islo, a primeira coisa a ter em conta e entender, o significado da prpria palavra. A palavra rabe Islo significa submisso ou re-nncia da vontade prpria ao Deus nico e Verda-deiro, em rabe conhecido pelo nome de Allah. Aquele que, segundo a terminologia rabe, subme-te a sua vontade prpria aos desgnios de Deus designado por Muulmano. A religio Islmica no deve o nome a uma pessoa ou a povo, e nem es-te foi decidido por uma gerao posterior, como caso do Cristianismo, cujo nome devido a Jesus Cristo, do Budismo a Gautama Buddha, do Confu-cionismo a Confcio, do Marxismo a Karl Marx, do Judasmo Tribo de Jud e do Hindusmo aos Hin-dus. O Islo (submisso vontade de Deus) a reli-gio confiada a Ado, o primeiro homem face da Terra e o primeiro Profeta de Deus, e a religio de todos os Profetas enviados por Deus. Alm disso, o nome foi escolhido pelo prprio Deus, e especifica-mente mencionado na Escritura Final por Ele reve-lada ao ser humano. Em rabe, esta Escritura conhecida pelo nome de Alcoro, e nela Deus esta-belece o seguinte:

  • Hoje, completei a vossa religio para vs; e aprovei como religio, para vs, Al Ilam (o Islo, i.e. a submisso a Allah). (Alcoro, 5:3).

    E quem quer que deseje outra religio que no seja o Islo (submisso a Deus), nunca lhe ser aceita. (Alcoro, 3:85).

    Por conseguinte, o Islo no reivindica ser uma no-va religio introduzida pelo Profeta Muhammad na Arbia no sculo stimo, mas antes uma reex-presso na sua forma final da verdadeira religio do Todo-Poderoso Allah, conforme originalmente reve-lada a Ado e subsequentes Profetas.

    Chegados aqui, podemos comentar de forma breve outras duas religies que afirmam ser o verdadeiro caminho. Em parte alguma da Bblia possvel en-contrar referncia do facto de que Judasmo o no-me da religio revelada por Deus ao Profeta Moiss e aos seus descendentes, ou que Cristianismo o nome daquela que professada pelos seguidores de Cristo. Por outras palavras, os nomes Judasmo ou Cristianismo no possuem origem ou aprova-o divina. Apenas muito tempo aps a sua partida, que o nome Cristianismo foi dado religio dos seguidores de Jesus.

  • Assim sendo, em qu difere de facto a religio de Jesus daquela que adoptou o seu nome?1 A religio de Jesus reflecte-se nos seus ensinamentos, os quais este incitou os seus seguidores a aceitarem enquan-to princpios orientadores do seu relacionamento com Deus. Para o Islo, Jesus um Profeta enviado por Allah, sendo que o seu nome em rabe Iss. Tal como os Profetas que o precederam, Jesus con-vocou os povos a que submetessem a sua vontade Vontade de Deus (que aquilo que o Islo defende). Por exemplo, no Novo Testamento dito que Jesus ensinou os seus seguidores a orar a Deus da seguin-te forma:

    Pai-nosso que estais no Cu, santificado seja o Vos-so nome, venha a ns o Vosso Reino, seja a Vossa vontade, assim na Terra como Cu. (Lucas 1 1:2 / Mateus 6:910)

    Tal conceito foi vrias vezes enfatizado por Jesus em declaraes registradas nos Evangelhos. Ele disse, por exemplo, que o Paraso seria apenas daqueles que se submetessem.

    Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, en-trar no Reino dos Cus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que est nos Cus. (Mateus 7:21)

  • Jesus realou tambm o facto dele prprio subme-ter-se vontade de Deus.

    Por mim mesmo no posso fazer coisa alguma. Julgo como ouo; e o meu julgamento justo, por-que no busco a minha vontade, mas a vontade dAquele que me enviou. (Joo 5:30)

    So vrias as referncias contidas nos Evangelhos onde Jesus afirma no ser ele o nico e Verdadeiro Deus. Por exemplo, ao falar do ltimo Dia, Jesus diz o seguinte:

    A respeito, porm, daquele dia ou daquela hora, ningum o sabe, nem mesmo os Anjos do Cu, nem o Filho, mas somente o Pai. (Marcos, 13:32)

    Assim sendo, Jesus, tal como os Profetas que o pre-cederam e o nico que se lhe seguiu, ensinou a reli-gio do Islo: submisso vontade do Deus nico e Verdadeiro.

  • Deus e a Criao Visto a submisso total a Deus da vontade pessoal representar a essncia da venerao, a mensagem fundamental da religio divina, o Islo, consiste em adorar a Deus somente, exigindo tambm que se e-vite prestar culto a uma pessoa, lugar ou coisa. Uma vez que tudo aquilo que existe, com excepo de Deus, o Criador de todas as coisas, Criao Sua, pode dizer-se que o Islo apela ao Homem que se afaste do culto ao que foi criado, convidando-o a adorar ao Criador somente. Apenas Ele digno de ser adorado, pois apenas por vontade Sua as preces so ouvidas.

    Assim sendo, se um homem reza a uma rvore e as suas preces so ouvidas, no a rvore que as reali-za, mas sim Deus. Podemos dizer que isso bvio; contudo, para aqueles que adoram a rvore, no o . Do mesmo modo, aqueles que rezam a Jesus, Buda, Krishna, So Cristvo, So Judas ou at mesmo Muhammad e so atendidos, no o so por eles, mas sim por Deus. Jesus no pediu aos seus segui-dores que o adorassem, mas sim que adorassem a Deus, tal como referido pelo Alcoro:

  • E quando Allah disse: Jesus, filho de Maria! Disseste tu aos homens: Tomai-me a mim e a mi-nha me por duas divindades, alm de Deus? Ele disse: Glorificado sejas! Como poderia eu ter dito o que para mim no verdade? (Alcoro 5:116).

    Do mesmo modo, no era a si mesmo que Jesus a-dorava quando prestava culto, mas sim a Deus, sendo citado nos Evangelhos por ter dito o seguinte:

    Est escrito: Adorars o Senhor teu Deus, e s a Ele servirs. (Lucas 4:8)

    possvel encontrar este princpio fundamental no captulo de abertura do Alcoro, conhecido pelo nome de Surah al-Faatihah, versculo 4:

    A Ti, somente, adoramos, e a Ti, somente, pedimos ajuda. (Alcoro 1:4)

    Numa outra parte do Alcoro, o ltimo Livro reve-lado, Deus tambm disse:

    E o vosso Senhor di