a dimensão estética na filosofia de pico della mirandola

Download A dimensão estética na filosofia de Pico della Mirandola

Post on 07-Jan-2017

226 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO-UFOP

    INSTITUTO DE FILOSOFIA, ARTES E CULTURA

    Programa de Ps-Graduao em Filosofia

    A dimenso esttica na filosofia de Pico della Mirandola

    Fran de Oliveira Alavina

    Ouro Preto 2012

  • 2

    Fran de Oliveira Alavina

    A dimenso esttica na filosofia de Pico della Mirandola Dissertao apresentada ao Mestrado em Esttica e Filosofia da Arte do Instituto de Filosofia, Artes e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto como requisito parcial para obteno do ttulo de mestre em filosofia. rea de concentrao: Esttica e Filosofia da Arte Orientador: Prof. Dr. Imaculada Kangussu

    Ouro Preto 2012

  • 3

    Catalogao: sisbin@sisbin.ufop.br

    A324d Alavina, Fran de Oliveira. A dimenso esttica na filosofia de Pico della Mirandola [manuscrito] / Fran de Oliveira Alavina - 2012.

    209f. Orientadora: Prof. Dr. Imaculada Maria Guimares Kangussu. Dissertao (Mestrado) - Universidade Federal de Ouro Preto.

    Instituto de Filosofia Artes e Cultura. Programa de Ps-graduao em Filosofia.

    rea de concentrao: Esttica e Filosofia da Arte.

    1. Esttica - Teses. 2. Filosofia renascentista - Teses. 3. Retrica - Teses. 4. Pico della Mirandola, Giovanni, 1463-1494 - Teses. I. Universidade Federal de Ouro Preto. II. Ttulo.

    CDU: 111.852:1(450)

  • 4

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

    INSTITUTO DE FILOSOFIA, ARTES E CULTURA

    PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM FILOSOFIA

    MESTRADO EM ESTTICA E FILOSOFIA DA ARTE

    Dissertao intitulada A dimenso esttica na filosofia de Pico della Mirandola, de autoria do mestrando Fran de Oliveira Alavina apresentada a banca examinadora constituda pelos seguintes professores:

    ____________________________________________________ Prof. Dr. Imaculada Kangussu Orientadora UFOP

    ___________________________________________________ Prof. Dr. Marta Luzie de Oliveira Frecheiras UFOP

    ____________________________________________________ Prof. Dr. Jos Expedito Passos Lima UECE

    Ouro Preto,_________ de _______________2012

  • 5

    Infatti quale speranza di gloria, se non v speranza di vittoria? Quale possibilit di vittoria dove non c battaglia? chiamato al trionfo chi chiamato al combattimento, soprattuto l dove nessuno, se non voglia, pu essere vinto, e dove per vincere non abbiamo bisogno di altra forza che non sia la volunt di vittoria.

    Giovanni Pico della Mirandola. Lettera a Giovan Francesco figlio di suo fratello.

  • 6

    AGRADECIMENTOS

    Universidade Federal de Ouro Preto, atravs da Propp, pela concesso de bolsa de estudo para a realizao desta pesquisa. Prof. Dr. Imaculada Kangussu por ter aceito orientar esta pesquisa. Ao Prof. Dr. Jos Expedito Passos Lima primeiro incentivador deste trabalho que com presteza e amabilidade soube apontar uma via segura durante minha formao, interlecutor prestativo de minhas pesquisas sobre filosofia renascentista e esttica filosfica, com cordial generosidade aceitou participar como examinador na banca de defesa da dissertao. Ao corpo docente do Mestrado em Esttica e Filosofia da Arte da UFOP. Aos funcionrios do IFAC, em particular, Claudinia pela ateno na resoluo das questes. Sonia Ribeiro de Souza, companheira de todas as horas e primeira mo-amiga que encontrei em Ouro Preto. Liliane Severiano, testemunha de minhas maiores angstias durante todo o percurso desta pesquisa. Amiga fiel, sua pacincia, humor e atenciosidade foram alento vivo em uma amizade renovada pelos desafios enfretados com companheirismo. Nos momentos mais difces no se afastou, enquanto muitos recuaram ou preferiram o esquecimento. Ademais, companheira de minhas maiores aflies no permitiu que meu nimo se abatesse. Aos amigos, Cludia dalla Rosa, Thiago Zeben e Edna Barbosa. Ao fratello Francisco Kennedy por sua valiosa ajuda. Cludia villa, pois sem sua ajuda maternal e material minha vinda para Ouro Preto no teria sido possvel. Fao votos que minha gratido sempre seja fiel testemunha de nossa amizade. Aos meus pais, Maria Neci e Francisco Jos, pois batalham diariamente por uma vida digna mesmo nas maiores adversidades. Ao meu irmo Romulo Alavina. Tia Maria e Tia Aldenora ( in memmorian). Por fim, para no exceder em agradecimentos, passando da sinceridade bajulao, louvvel lembrar as palavras de Montaigne: Sobrecarregar as pginas de rosto de nossos livros com dedicatrias e louvaes parece-me () de muito mau gosto. (Enasios, Liv. I).

  • 7

    RESUMO

    A dimenso esttica na filosofia de Pico della Mirandola Em 1486, publicam-se, em Roma, as Conclusiones Nongentae de Pico della Mirandola (1463-1494). Tratava-se de um ambicioso projeto filosfico, que buscava conciliar as mais dspares culturas e tradies de pensamento: multiplicidade das vias e convergncia de tradies para o estabelecimento de um novo princpio de unidade do saber. Considerando a busca desse novo princpio como fio de articulao da filosofia de Pico, observa-se, inserido em tal projeto, a presena e a contribuio de saberes como a Retrica, a Potica e a Filologia. Nessa proposta de convergncia de saberes pode-se, assim indagar sobre a dimenso esttica na filosofia mirandolana, pois mesmo que a Esttica ainda no houvesse se constitudo como disciplina filosfica de estatuto prprio, observa-se a presena de elementos estticos em tal filosofia, oriundos do patrimnio retrico e potico da tradio clssica-humanista. Da, a dimenso esttica no se assemelhar a uma Filosofia da Arte, limitada ao sistema das artes, ou reflexo filosfica que identifica o belo como objeto particular de uma considerao esttica. Desse modo, o carter esttico no autnomo em relao busca do novo princpio conciliador, mas encontra sentido na busca da unidade. Tal unidade por sua vez no deve desconsiderar a multiplicidade de vias, que no caso da dimenso esttica se apresenta em diferentes caracteres estticos. Com base no reconhecimento da multiplicidade a dimenso esttica se encontra na herana do patrimnio retrico e potico como expresso da relao entre Retrica e Filosofia, nos comentrios sobre as canes de amor, no nexo entre amore e bello, na tentativa de estabelecer uma teologia poetica, na reflexo sobre o estilo adequado para a expresso filosfica, na interpretao das fbulas e dos mitos de prisca sapientia, na construo de um discurso que faz uso dos smbolos, na exposio do tema da dignidade humana fundamentada na integralidade antropolgica, na articulao entre capacidades intelectivas e apetitivas com as disposies do pathos, do ingenium, da aisthesis, da imaginao e da fantasia. Alm disso, se Pico visa apresentar algo novo no mbito da tradio filosfica, tal no poderia ser feito sem o exerccio das capacidades inventivas, possibilitadoras de que a Filosofia no se torne uma prtica somniculosa et dormitans. Dessa maneira, pode-se afirmar a relevncia dos elementos estticos na elaborao de uma Metafsica da Conciliao: fundamento da filosofia de Pico della Mirandola.

    Palavras-chave: Renascimento, multiplicidade, esttico.

  • 8

    ABSTRACT

    The aesthetic dimension in Pico della Mirandolas philosophy

    In 1486, the Conclusiones Nongentae de Pico della Mirandola (1463-1494) are published in Rome. It was an ambitious philosophical project, which sought to reconcile the most disparate cultures and traditions of thought: multiplicity of ways and convergence of traditions for the establishment of a new principle for unity of knowledge. Considering the search of this new principle as a thread of connection from the philosophy of Pico, we may observe in this project the presence and contribution of knowledge such as the rhetoric, the poetry and the philology. Therefore, on this proposed convergence of knowledge, we should question the aesthetic dimension in mirandolas philosophy, because even if the aesthetics hadnt been established as a philosophical discipline with its own statutes, there is the presence of aesthetic elements in this philosophy. The aesthetic dimension, however, doesnt appear as a philosophy of art, or philosophical reflection that identifies the particular object of beauty as an aesthetic consideration. Therefore, the aesthetic character is not autonomous in relation to the search for new conciliatory principle, but finds meaning on a search for unity. This, on the other hand, should not disregard the multiplicity of pathways, which in the case of aesthetic dimension is variability of aesthetic characters. Based on the recognition of the multiplicity, the aesthetic dimension finds itself in the relation between rhetoric and philosophy, in the comments about the love songs, in the connection between amore and bello, in the heritage of classical poetry, in the attempt to establish a poetic theology, in the reflection about the appropriate style for the philosophical expression, in the interpretation of fables and myths of prisca sapientia, in the construction of a speech that uses symbols, on the exposure of the human dignitys theme based on anthropological integrity, in the articulation between intellectual and appetitive capacities and the provisions of pathos, ingenium, aisthesis, imagination and fantasy. Besides, if Pico aims to present something new in the philosophic tradition, such could not be done without the practice of inventive skills, enablers that make philosophy not become a somniculosa et dormitans practic

Recommended

View more >